domingo, 8 de dezembro de 2013

Depois da tempestade .....


Foi  uma boa vitória num jogo com duas partes distintas. No primeiro tempo o SCB apareceu muito bem posicionado com uma defesa subida, com os jogadores muito próximos e um meio campo que cobriram de vermelho. Salvo os 10 minutos finais, vivemos muito espartilhados e sem iniciativa; a falta de confiança da equipa e um Lucho claramente incapacitado não ajudaram. Houve insuficiências da nossa parte: não conseguimos jogar para as costas do SCB, ganhar as segundas bolas e perdemos muitos passes, por mérito do processo do adversário e muita tremedeira nossa. Apesar de tudo, o SCB não ameaçou e o FCP esteve mais perto do golo, em duas jogadas de bom envolvimento. Apesar disso, o FCP foi claramente dominado pelo catenaccio na zona central,  montado pelo SCB e que os seus jogadores interpretaram e executaram muito bem,  com um bloqueio que perturbou as nossas saídas para o ataque . Há que saber reconhecer o mérito do adversário e trabalhar para que a equipa reaja mais rapidamente e não permita tanta iniciativa ao adversário. Compreendo as hesitações e os medos, porque o momento não é fácil. Só há um remédio: trabalhar para melhorar.

No segundo tempo, a entrada de Carlos Eduardo que esteve em muito bom nível, e os excelentes desempenhos de Defour,  Herrera, Varela e Martinez desfizeram o nó : conseguimos vencer e tivemos excelentes momentos. O FCP exibiu-se em bom nível  e com alta intensidade. Ainda se notou alguma confusão no processo defensivo, mas a equipa vinha de um mau período. Esta vitória é muito importante se os demónios que ainda habitam aquelas cabecinhas forem exorcizados. PF ganhou tempo: espero que o aproveite bem e que os jogadores o acompanhem na recuperação. Porque nada está perdido e o desespero é o pior conselheiro. Acho que os portistas estão um pouco mais aliviados e que o fim de semana lhes vai saber melhor.

Não gostei nem um bocadinho da arbitragem que não serviu o futebol. Ao mínimo contacto dos  nossos jogadores o apito funcionava sem hesitações; esse critério empurrou-nos para trás e ajudou que o SCB se mantivesse confortavelmente instalado no meio campo; no segundo tempo conseguiu com o mesmo critério uma sucessão de faltas que constituíram sempre o meio mais rápido dos bracarenses chegarem à nossa área, porque dificilmente chegavam de outra forma. Os dois amarelos que nos foram mostrados foram excessivos. Em suma: uma arbitragem habilidosa.

16 comentários:

Nightwish disse...

Não concordo, acho que jogamos bem e que os amarelos foram bem mostrados.
Também não concordo com o título, o aborto ortográfico não mudou a palavra 'tempestade'.

Joao Goncalves disse...

Depois da tempestade ... veio mais tempestade Mário!

Uma péssima 1ª parte com erros do costume e evolução 0! A equipa completamente perdida e maneatada pelo SCB.

Chega a 2ª parte... Herrera passa a fazer pressão em cima, Carlos Eduardo logo atrás de Herrera a tapar a zona entre este e Defour, com o Belga sozinho à frente da defesa... uma réplica de futebol pressão FCP 2012/2013 de VP e Guess what? O SCB desapareceu e quase nem tocou na chicha... a pressão em cima destabelizou de tal maneira os bracarenses que nem me lembro de terem rematado à baliza na 2ª parte.

A nível ofensivo aconteceu aquilo que sempre esperei com PF, que era simplesmente o nosso 4-3-3 do VP, mas mais vertical, mais rápido, em transições rápidas assim que se recupera a bola ainda no meio campo adversário e que originou um sem numero de jogadas iminentes de golo e que os nossos artistas fizessem boas exibições, pois ao invés de andar a tentar desmontar defesas, bastou aproveitar os desequilíbrios provocados pelas recuperações seguidas de imediatas transições

Poderia então dizer-se que depois da Tempestade veio a bonança... mas será realmente assim? Eu fiquei estupefacto com as declarações finais do nosso técnico e muitíssimo preocupado!

Naquela entrevista rápida à SportTV (que não vi depois a conferência), PF disse que ele nada tinha mudado e que o esquema era o mesmo... será que para Madrid o que vamos apresentar em campo é outra vez Fernando com Defour ou Herrera ao seu lado aquando de posse do adversário, e com Lucho feito parvo a correr lá à frente numa tentativa isolada de fazer pressão?

Espero bem que não e que jogue Fernando sozinho cá atrás, Lucho em posição 8 e pressão intermédia (como fez Carlos Eduardo hoje) e com Herrera na pressão mais à frente.

Algumas notas para os nosso jogadores...
- Defour a jogar a pivot sozinho é muito interessante;
- Herrera fez uma grande segunda parte, quando lhe meteram a fazer aquilo que sabe e pelo que foi contratado;
- Carlos Eduardo, enorme jogo e está cheio de confiança... a B tem lhe feito muitissimo bem e é uma perda enorme não poder jogar na Champions;
- Varela, foi a vitima ideal do sistema da 2ª parte... tantas vezes que ficou como quis com só um defesa para passar/ganhar espaço e cruzar... muito bom jogo naquilo que ele é bom... jogada de 1vs1 com espaço e o defesa sem apoio por perto.
- Jackson... foi a maior vitima disto tudo,,, com tantas bolas a serem recuperadas e com jogadas rápidas que se seguiram, marcou dois e teve muita bola/oportunidades para marcar mais 2 ou 3.
- Uma ultima boa referência para Alex Sandro... continua enorme;
- E para terminar, questionar o que raio se passa com Danilo e Mangala e as decisões idiotas de passas com enorme risco de falhar, para o meio do terreno? No BAhBAh do futebol, todos sabem que passes longos para o centro do terreno devem ser evitados... pois Danilo e Mangala arriscam passes para essa zona de 10/15m pelo chão! Naturalmente... 90% das vezes dá m*****

Soren disse...

Depois dizem que os blogues e os adeptos nao teem influencia no desenrolar da época e nas decisoes que se tomam a nivel táctico?

Herrera:
"Na primeira parte senti que esta a jogar muito atrás e isso fazia com que a equipa jogasse demasiado baixo e tivesse menos bola. Na segunda parte tive de subir no campo e assim dar mais apoio à equipa na hora de atacar".

Paulo Fonseca:
"Foi uma semana de aprendizagem"

Mas nao vêm que a equipa joga de olhos fechados no sistema da 2a parte?

Que treinador é este que o Presidente foi aconselhado a ir buscar?
Que se deixe teimosias de idiota chapado e aprenda depressa.

Fica atravessada a travessia no deserto da Champions com um plantel cheio de soluçoes (duas ostracizadas, Kelvin e Iturbe) e a estupidez de um sistema táctico que perdurou até perdermos o Norte e desgraçarmos um trabalho de mais de 6 anos.
Oxala seja recuperado.

DC disse...

Varela continua a calar muita boca.

Quanto à equipa, qb. Muita coisa ainda a melhorar.
A ideia que fica é que PF é um treinador que faz a táctica pelos jornais. Basta ver que, de cada vez que um jornalista o questiona sobre um jogador, ele joga no jogo seguinte. Já aconteceu com Ghilas, Kelvin e Quintero.

Fernando B. disse...

Este Curso de Formação Profissional que o FCP está a possibilitar PF de frequentar, custou-nos caro... Já o País está a pagar Cursos aos governantes chegadinhos das JSD, agora também nós temos um aluno...ao menos o nosso, reconhece e agradece...
Sobre o Carlos Eduardo só acrescento! Então os Treinadores de Bancada têm ou não, tantas vezes,kilos de razão...!!

Nightwish disse...

Bem talvez seja um exagero, mas foi uma clara melhoria, os jogadores já pareciam que sabiam jogar juntos.

Rui Anjos (Dragaopentacampeao) disse...

Este foi mais um jogo em que a confiança da equipa variou entre o mau e o bom. Sim, está claro tratar-se mais de instabilidade emocional do que técnica, só que a falta de confiança é inibidora das qualidades técnicas que os atletas efectivamente possuem.

Daí resultou duas partes bem distintas. A primeira, com evidente nervosismo e ansiedade a tolherem a capacidade de pensar e executar, resultando num futebol desligado e num mau espectáculo.

No segundo tempo tudo foi diferente. A entrada de Carlos Eduardo, ajudou a esclarecer o jogo que passou a sair fluido, ligado, consistente e perigoso, muito mais próximo daquele que estes atletas são capazes.

Esta mudança substancial acabou evidentemente por influir no resultado, que no final, acaba por ser escasso, em função das oportunidades perdidas.

Sinceramente, não creio que a característica volúvel desta equipa tenha terminado. Vamos certamente continuar a ver mais exibições com as duas faces, como a deste jogo. Até quando é a pergunta que se impõe.

Um abraço

Pedro Albuquerque disse...

Só cala bocas quando joga assim todos os jogos e não é isso que acontece.
Ao menos acho que podemos os 2 concordar com isso.

Pedro ramos disse...

Confesso que nao sei muito bem como comentar esta vitória.

Percebendo eu pouco de tácticas, no estádio, durante a 2º parte, fiquei claramente com a impressao que a equipa mudou para o 4-3-3 clássico e o mesmo pensaram vários amigos meus (e pelos vistos nao fomos os únicos) mas PF veio afirmar de forma peremptória que nao mudou absolutamente nada.
Hoje li que Lucho tinha passado a noite com febre mas mesmo assim foi titular e só saiu porque teve um problema físico aos 8m de jogo!!!!

Tenho sérias dúvidas se aprendemos algo com o jogo de ontem e neste momento penso que continuamos mais perto de repetirmos os erros do passado do que corrigi-los.

PS. É muito triste que aos 15m de jogo já existirem assobios à equipa.

DC disse...

É o extremo do plantel que mais rende há várias épocas consecutivas. No entanto é o que mais bocas ouve, não sei porquê, tendo até o fã incondicional chamado MST.
Tem um rendimento algo inconstante? Talvez. Mas vejo os oportunistas a aparecerem todos quando ele joga mal e a esconderem-se num buraco quando joga bem.
O Defour é outro como ele. Fizesse o Defour metade das asneiras do Herrera e andava a ser arrasado.

Joao Goncalves disse...

Quero responder ao teu P.S. Pedro...

Os assobios não existem aos 15 minutos de jogo... existem sim à mais de um mês atrás, que foi quando os adeptos perderam por completo a paciência com o treinador e com a equipa.

Sendo apologista ou não dos assobios, e isso é irrelevante para esta conversa, que faz por os merecer são os jogadores e a equipa, ou será que ouviste algum assobio na 2ª parte?

Eu vi o jogo ao vivo com o Zenit, e a equipa fez uma grande exibição de um esforço tremendo e naquele estádio só se ouviram aplausos para os nossos... já nos jogos do Atlético e Austria de Viena, foi tudo tão vergonhoso que a equipa teve aquilo que mereceu,,, ser apupada o jogo todo...

Agora de quem é a culpa? Como todos vimos ontem é de quem força os jogadores a jogar daquela maneira da 1ª parte e que tem sido habitual desde o inicio da época.

Pedro ramos disse...

A si a a todos os que pensam como o Sr. deixo uma sujestao: nao esperem que se falhe o primeiro passe ou o primeiro golo para comecarem a assobiar, comecem logo quando a equipa entra em campo uma vez que ja estao fartos dela a mais de um mes e nao vao para o estadio apoiar a equipa.

Nuno Nunes disse...

O mais curioso foram os 45 minutos sem duas das maiores 'vacas sagradas' do plantel (Lucho e Fernando) e a equipa parecia outra: mais desinibida, mais solidária e sem medo de assumir o risco.

Pedro Albuquerque disse...

"PS. É muito triste que aos 15m de jogo já existirem assobios à equipa."

Quando temos um central que por 2 ou 3 vezes aliviada a bola para o avançado adversário por tenta fazer o que não sabe...
Quando falham passes constantes...

Nuno Fonseca disse...

eu continuo com certezas que PF não tem unhas para tocar esta guitarra. Sem saber como lá soube fazer uma 2ª parte incrível. mas isso não acontece todos os dias. Mas sinceramente não acho que tenha sido por trocar o modelo de jogo. muita gente aqui acha que é simplesmente colocar dois médios atrás ou dois médios à frente. o jogo de futebol é dinâmico!!! os médios podem atacar à frente e defender atrás. o que interessa é a dinâmica de ocupar os espaços e fazer as dobras. acho piada dizerem que com este modelo a equipa jogava de olhos fechados se na 2ª parte jogaram 3 jogadores que não eram titulares no ano passado. e também lamentável que os adeptos não se unam no estádio quando se via perfeitamente que a equipa estava muito nervosa e pressionada e os assobios só iam piorar asituação. Custa-me mais que tudo que muitos adeptos tenham ficado tristes com a vitória só porque assim o PF já não sai tão cedo. uma vitória do Porto é sempre uma vitória do Porto. e um bom jogo é sempre um bom jogo.

Luís Vieira disse...

Absolutamente! O adepto serve para apoiar, não para desincentivar. Para isso existem os adeptos do adversário. Assobiar não tem nada de pedagógico, contrariamente ao que alguns iluminados pensam, e isso foi notório neste jogo. Na 1ª parte a equipa estava a jogar sobre brasas. A ansiedade dos jogadores era evidente e foi amplificada pelos "bruás" de descontentamento e pelos assobios sem nexo vindos da bancada. Em vez de se criar estabilidade e um ambiente favorável à equipa, faz-se o oposto e prejudica-se o próprio clube. Um contra-senso difícil de explicar!