domingo, 29 de dezembro de 2013

"Gigante" Fabiano, em grande

Fabiano, Sporting x FC Porto (fonte: Maisfutebol)

Após os generosos 7 dias de férias concedidos ao grupo de trabalho, que vários jogadores portistas aproveitaram para "desligar" do frio futebol português e ir passar um Natal quentinho do outro lado do Atlântico, este Sporting x FC Porto foi um excelente treino e um bom teste (para vários jogadores), efetuado no razoável relvado do estádio de Alvalade.

Comecemos pelas coisas boas.
A exibição concentrada e personalizada do "gigante" brasileiro (mede 1,97m) que ocupou o lugar de Helton, o qual revelou grande qualidade em praticamente todas as intervenções (e foram muitas), várias das quais decisivas para manter a baliza portista inviolada.
Fabiano precisa de aprimorar o jogo com os pés e, naturalmente, de jogar mais vezes para ter ritmo de jogo, mas os adeptos portistas podem ficar tranquilos porque, quando chegar o dia, tudo indica que já temos uma boa alternativa para Helton.

Quem também se exibiu a um nível elevado foi a dupla de centrais (particularmente Mangala) e Fernando, apesar do malfadado duplo pivô que Paulo Fonseca insiste em impor à equipa, diminuindo o raio de ação, à frente do quarteto defensivo, daquele que é o melhor médio defensivo do futebol português.

Quanto a aspectos negativos, a lista seria extensa mas, como não me agradam autoflagelações, vou destacar apenas os principais:

i) A intensidade e dinâmica da equipa leonina foi muito superior à portista. No Sporting, ao contrário do FC Porto, vê-se trabalho (e bom!) do treinador e a equipa é muito mais do que um mero conjunto de individualidades.

ii) A exibição de Herrera. Foi mau demais e fico-me por aqui, porque ainda acredito que este internacional mexicano está em processo de adaptação ao ritmo do futebol europeu e a ser vítima das indefinições de Paulo Fonseca, principalmente no que diz respeito ao meio-campo portista.

iii) Licá brilhou no Estoril, onde tinha espaço para grandes correrias, mas voltou a demonstrar que não serve para o 4-3-3 do FC Porto. E porquê? Porque no FC Porto os homens da frente são sujeitos a marcações apertadas e Licá, pura e simplesmente, é incapaz de passar por um defesa no um-contra-um e perde facilmente a bola quando é pressionado.

iv) Jackson entrou a cerca de 15 minutos do fim e parecia que ainda estava no fuso horário da Colômbia. Inacreditável (e impensável há uns anos atrás), o facto de Jackson não ter feito um único treino antes deste jogo, ter sido convocado e ido diretamente do aeroporto para o hotel onde, qual turista, aguardou tranquilamente a chegada da comitiva portista a Lisboa. Um (mau) sinal dos tempos.

28 comentários:

Joaquim Lima disse...

Será que fui o único a ver o Fabiano a falhar todas as saídas para socar a bola?! Entre os postes esteve irrepreensível, mas a sair dos postes deixou-me preocupado...

Hélder disse...

A exibição de Fabiano, é de facto a única coisa positiva que se pode retirar do jogo. Uma verdadeira decadência.

Madureira disse...

Exibição triste e deprimente... mais uma! com este treinador não vamos a lado nenhum! e ver Herrera e Licá jogarem até dá dó!!!

DC disse...

Tenho tanta esperança de ver este Porto ganhar na Luz como em ver o Herrera acertar 3 passes seguidos.
E Carlos Eduardo que, mais adaptado às ideias do treinador (e como tal a jogar quase como 2º avançado), passou completamente ao lado do jogo? Eu bem disse para não duvidarmos da capacidade de PF em estragar mais este jogador.

Luís Vieira disse...

Má exibição, sobretudo na 2ª parte. Valeu pelo Fabiano (estará a sucessão do Helton tranquilamente garantida?) e pelo empate em Alvalade. Sublinhe-se que, apesar de os leõezinhos considerarem este jogo uma desforra pela derrota no campeonato, bem como atribuírem-lhe grande importância por se tratar da única competição em que estão inseridos para além do campeonato, e, não obstante terem-se "rasgado" todos para ganhar, mais uma vez não conseguiram levar de vencida um "grande". O saldo com Porto e Benfica queda-se em 2 empates e 2 derrotas. No mínimo, revelador. Voltando ao FCP, confirmou-se que o Herrera e o Licá não têm vida para estas andanças (serem titulares). O 1º é uma máquina de falhar passes, pondo em causa a organização defensiva da equipa, de forma suicida; o 2º é absolutamente inócuo, anódino, inofensivo (incapaz de fazer um drible ou tirar um cruzamento). O Ghilas não parece talhado para ser ponta de lança único, num sistema de 4x3x3. Tem características de 2º avançado, para usar em 4x4x2, ou de avançado interior, no nosso esquema, tipo Derlei. Notei alguma dificuldade em jogar de costas para a baliza, bem como incapacidade para ganhar bolas aéreas. O meio-campo do FCP foi engolido, principalmente a partir da saída do Fernando. O Lucho trouxe algum critério à posse de bola, mas o Defour entrou a frio e esteve faltoso e preso de movimentos. O Carlos Eduardo foi bem amarrado pelo William Carvalho & Cia. e não houve capacidade colectiva para desatar este nó. Os centrais estiveram em bom plano, principalmente o Mangala. Nota final para os laterais brasileiros que necessitam urgentemente de concorrência para estarem mais atentos e concentrados. O sentimento que transpiram de titularidade absoluta não é de modo algum benéfico, por isso urge encontrar um substituto do Fucile que imponha algum respeito.

Miguel Ângelo Ribeiro disse...


Mais um péssimo jogo do FC Porto. Continuam todos os defeitos dos anos anteriores: pouco caudal ofensivo. Os nossos extremos são maus, principalmente o Licá. Precisamos de extremos rápidos, bons de bola e no um-para-um.

Será que é impossível ver o FC Porto jogar com 4 médios? Porque não tirou o Licá e colocou o Lucho? É proibido?! Acabarmos um jogo com a nulidade do Licá o tempo todo, é obra... Não tenho nada contra o Licá, só que é por demais evidente de que ele não consegue superar os adversários, nem em velocidade, nem em drible.

Não crucifiquem o Herrera. Nota-se claramente que há ali qualidade suficiente para vingar no nosso clube. Temos de lhe dar tempo e o nosso apoio.

Gostei do A. Sandro, do Fabiano e do Mangala - e a espaços do C. Eduardo. O Ghilas precisa de jogar mais, assim como o Quintero e o Herrera...

Acho que fizemos 3 remates no jogo todo; um do Ghilas, um do Herrera, e outro do Fernando. todos por cima... Isto, não só é pouco, como não é nada para uma equipa como a do FC Porto. É triste e revoltante, mas nós não podemos fazer nada. Pode ser que a SAD abra os olhos e faça umas compras de ano novo.

Cumprimentos portistas.

Bardock99 disse...

Como escrevi anteriormente, este jogo seria um bom teste para o jogo que aí vem contra os lampioes. A exibiçao de hoje deixou me muitas duvidas quanto ao que vai acontecer nesta 2ªmetade do campeonato.

Acho que a troca Helton por Fabiano ja deveria ter se dado. Fabiano tem problemas no jogo com os pes, precisa de mais tecnica e confiança. Quanto ao jogo aereo é uma questao de jogar mais vezes visto que em muitos cruzamentos encaixou com muita segurança a bola.

A Defesa nao comprometeu, mas este Alex S está uns Milhoes abaixo do que já fez. Nao compreendo o que se está a passar, se será culpa de nao ter um meio campo/extremo que lhe permita desequilibrar ou se a sua forma/motivaçao ja cá nao mora. Mangala tambem está uns furos abaixo do que demonstrou na ultima epoca...Danillo tem sido dos mais regulares no quarteto defensivo.

O meio campo só tem um GRANDE jogador que é Fernando. Quando se vender mais um anel, ou se compra OURO ou a marroquinaria vai continuar a aprodecer o CAMPEAO.

O Porto tem urgentemente de arranjar uma soluçao, precisa de 2 jogadores que venham para seres titulares visto que : Fernando deve sair, Defour é um barrete que tambem deve ser vendido e Lucho já nao é jogador para ser titular. Juntando a isso um Herrera que esta verde verde bem verde e Josue que é uma carta de outro baralho, o meio campo do Porto poderá se tornar num verdadeiro circo amador nos proximos anos. A soluçao passa por contratrar ou subir á 1ªEquipa jogadores com CAPACIDADES e nao para se ganhar $ com transferencias e comissoes!

Na Frente de ataque nao existe SOLUÇOES! Só Jackson, o jogo de hoje voltou a provar que assim será muito dificil conseguir algo extraordinario nesta epoca, a sorte é que os rivais tambem nao estao bem. Mas o nosso problema tem de ser resolvido, Licá a titular para fazer o quê? Onde estao os extremos? Já vi um na equipa B que era capaz de partir muitos rins, mas...

Sendo assim, com um plantel que tem pouco mais que um bom punhado de bons jogadores, é dificil ao treinador conseguir que o jogo da equipa seja de fino retoque. O Plantel é fraco, do mais fraco dos ultimos anos! Quaresma vai servir para maquilhar um pouco os problemas do plantel, mas ou se começa a preparar e escolher jogadores que venham para jogar e assumir a responsabilidade ou entao a proxima epoca será mais do mesmo.

Neste jogo que da equipa titular só faltava Jackson, o Porto poderia ter encaixado 3golos facilmente. É um sinal de alerta para a equipa e para a Direçao. Os jogadores ou dão mais em campo ou entao vai haver muita sangria no Verao.



Joao Goncalves disse...

Finalmente conseguimos atingir o nível de um Paços de Ferreira e fico-me por aqui...

Nuno Fonseca disse...

Eu não quero que no meu clube o melhor jogador do jogo seja o guarda redes. isso é muito mau sinal. Quanto a exibição só por si não é caso para alarme (se nós não soubesse-mos o que vem de trás). Em alvalade é sempre assim, mesmo quando os lagartos estão pra descer de divisão. O licá é um jogador horrível. se não fosse a sua entrega era o titular mais escandaloso da superliga. Gostei do Varela, espero que continue nesta forma recente. E que o Quaresma o acompanhe. Carlos Eduardo continua a ser bom jogador.

Pedro ramos disse...

1- Um jogo sem novidades, nem seria de esperar. A falta de trabalho é gritante e nao vai ser em meia dúzia de dias que PF ia alterar algo que nao conseguiu em 5 meses. CE nao irá ser sempre a soluçao, e o Sporting facilmente percebeu que se o anular, o Porto nao existe.

2- Foi engraçado ouvir PF que o Porto entrou com medo porque tinha jogadores novos!!

3- Por aquilo que se tem observado nas últimas semanas, o balneario está de rastos, e por muito que Lucho se esforce em dizer que os jogadores estao ao lado do treinador, a minha impressao é que isso nao podia estar mais longe da verdade. Primeiro, foram as várias declaraçoes públicas e aparentemente nao só, de jogadores a quererem ir embora. Ontem foram as reacçoes, para mim, completamente desproporcionadas de Varela e CE a demonstrarem mais uma vez que algo vai muito mal no plantel.
Para mim sao tudo consequencia da falta de crença dos jogadores naquilo que é este projecto de PF.

José Rodrigues disse...

Isto é um pormenor, mas de facto nao reconheço o FCP a q me habituei no q se passou com o Jackson. Ainda mais inacreditavel é q jogou (neste contexto)!

José Rodrigues disse...

Nao pude ver o jogo (em viagem), mas pelo q li parece q (mais uma vez) ficou demonstrado q o SCP tem muito melhor treinador do q nós...

O jogo em si tem relativamente pouco interesse, a nao ser as indicações q deu para o futuro próximo (mesmo com a ressalva do contexto específico). E parece q essas indicações foram muito más.... parece q 2014 vai continuar na linha do sofrimento para os adeptos.

José Correia disse...

Acho que só falhou uma saída, em que o Maicon se antecipou e o Fabiano acabou por socar na cabeça do Maicon em vez de acertar na bola.

José Correia disse...

Tenho tanta esperança de ver este Porto ganhar na Luz como em ver o Herrera acertar 3 passes seguidos

Tal como o FCP, o slb também está a jogar muito menos do que na época passada e, por isso, o equilibrio deverá ser a nota dominante.

José Correia disse...

o Defour entrou a frio e esteve faltoso e preso de movimentos

O Defour fez duas ou três faltas cirúrgicas, muito bem feitas, que inclusivamente enervaram os comentadores da TVI (só lhes faltou o cachecol verde ao pescoço).
Além disso, mostrou toda a sua cultura táctica, na forma como se posicionou e cortou um passe em profundidade, que iria deixar completamente isolado um avançado do sporting.

Foi uma pena que, em vez do Herrera, não tivesse sido o Defour o titular (juntamente com Fernando e Carlos Eduardo) no meio campo portista.

José Correia disse...

Mais um péssimo jogo do FC Porto. Continuam todos os defeitos dos anos anteriores: pouco caudal ofensivo

Este sporting x FC Porto só teve uma coisa de semelhante com o último sporting x FC Porto: o resultado (0-0).

Em tudo o resto, foram jogos completamente diferentes.

Nesse jogo, disputado em 02-03-2013, o FC Porto não teve Moutinho (estava lesionado) e o James ficou no banco de suplentes (estava a ser reintroduzido na equipa aos poucos, após quase dois meses parado), mas dominou o jogo completamente, como aconteceu em todos os 30 jogos do último campeonato.

O sporting jogou com 3 médios defensivos - Eric Dier, Rinaudo e Adrien - e com dois "extremos" - Labyad e Diego Capel - que, na maior parte do tempo, funcionaram como segundos laterais, foi a forma encontrada por Jesualdo Ferreira para tapar todos os caminhos para a baliza leonina. Ou seja, para travar um FC Porto sem Moutinho e sem James, o sporting adoptou um modelo de jogo de equipa pequenina.

Ontem, nos 90 minutos, o FC Porto fez cinco remates e apenas um enquadrado com a baliza.

José Correia disse...

com um plantel que tem pouco mais que um bom punhado de bons jogadores, é dificil ao treinador conseguir que o jogo da equipa seja de fino retoque. O Plantel é fraco, do mais fraco dos ultimos anos!

O plantel é melhor, mais equilibrado e com mais soluções alternativas que o da época passada.
O treinador é que é muito pior.

José Correia disse...

CE nao irá ser sempre a soluçao, e o Sporting facilmente percebeu que se o anular, o Porto nao existe

Dificilmente Carlos Eduardo será solução se o treinador continuar a insistir no duplo pivô (ontem chegou a ver-se, várias vezes, Herrera a jogar atrás de Fernando!) e, ainda por cima, em encostar Carlos Eduardo ao ponta-de-lança.

José Correia disse...

«Leonardo Jardim tocou num ponto essencial, no final do jogo em Alvalade: não é habitual ver o FC Porto ser assim tão pressionado.

Creio que isso sucedeu por duas ou três razões.

1. Mau jogo de Herrera. Mais uma vez o mexicano esteve mal. Paulo Fonseca insiste nele e ele insiste em deixar o treinador ficar mal.

2. Pouco ataque. Ghilas viu-se uma vez, Licá esteve muita vezes distante e apenas Varela se fez notar, de vez em quando. Na prática, o FC Porto não conseguiu segurar a bola na frente. Logo, não deu tempo aos laterais para subir. A equipa partiu-se muitas vezes, permitindo ao Sporting que atacasse de forma rápida.

3. Carlos Eduardo bem marcado. Desta vez o médio brasileiro não conseguiu ligar a equipa. Porque o Sporting funcionou muito bem no meio-campo e porque o adversário, naturalmente, já estava avisado. A expulsão não ajudou.

O FC Porto fez um jogo menor em Alvalade e no final não ajudou ouvir Paulo Fonseca dizer que a estratégia para a partida foi «cautelosa». Esta forma de encarar um jogo é pouco comum no Dragão. E admitir que assim é deve ser inédito.

Tudo somado, a única coisa boa (além do empate a zero, enfim...) foi perceber que Fabiano de facto é bom guarda-redes. Mas ninguém dirá que o principal problema da equipa nesta metade da época esteve na baliza, pois não?»

Luís Sobral, in Maisfutebol

Tiago Stuve Figueiredo disse...

Não podia estar mais de acordo José Correia.

Como você própria demonstrou, o ano passado em Alvalade, sem James e Moutinho, dominámos. Todos os jogadores titulares que jogaram em Alvalade o ano passado fazem parte do plantel deste ano. O resto são tretas e tentativas de desculpar a falta de qualidade do treinador.

Insisto: quantos jogadores titulares do SCP ontem trocavam pelos titulares do FCP de ontem? O Capel vs Licá, o Slimani vs Ghilas e o Adrien vs Herrera.
De resto, qualquer um dos 5 defesas do Porto ontem é bem melhor que os 5 do SCP. Fernando e W.Carvalho, ela por ela. Varela e W.Eduardo, acho Varela Melhor, mas admito que digam ela por ela. Carlos Eduardo melhor que Martins.

http://opequeestamaisamao.blogspot.pt

Bardock99 disse...

Nao me interessa o ano passado mas sim este ano e os proximos. O Plantel é do mais desequilibrado e com menos soluçoes reais desde á muito tempo.

Não há soluçao para Defesa Direito e Esquerdo. Na Direita Fucile nao conta, na esquerda é Mangala que faz o lugar. Isto é ter plantel? Alternativas para o futuro que ja estejam no plantel para estes 2 lugares??

Alternativa real a Fernando? Está alguem no plantel que possa ocupar esse lugar no futuro?

Jogadores (meio campo) com potencial e que rendam quando jogam a titular? Herrera, Defour, Josue sao essas as soluçoes para os proximos anos?

Jogadores para jogarem a extremo no onze inicial? Varela ...e depois? Licá? Mais uma aberraçao de quem construiu este plantel

Alternativa a Jackson?

Este plantel é tao desequilibrado que no inicio da epoca tinha 3jogadores para o mesmo lugar Médio Avançado : Lucho » C.Eduardo » Quintero. Isto provocou que C.E nao fosse sequer inscrito na LC e que Quintero nem seja opçao. Acho este exemplo perfeito para mostrar a incompetencia da SAD na formaçao e contrataçao de jogadores para esta epoca. Era preferivel nao comprar C.E ou entao Quintero e apostar num extremo de qualidade.

Mas se alguem está satisfeito com a "qualidade" que abunda no meio campo e na frente de ataque, quando se voltar a perder em casa para a LC que nao venha dizer que a culpa é do Vitor ou do Paulo. Sao os jogadores que dentro de campo definem os jogos!

Mário Faria disse...

Recordo que se dizia algo muito próximo, quando fomos à Luz nas duas épocas passadas. E com razão de todas as vezes, porque o FCP nestas três últimas épocas teve um comportamento exibicional irregular, abaixo do SLB nas duas últimas épocas e do SCP na actual e não há que esconder essa realidade; apesar disso, não creio que a má prestação do FCP tenha a ver com o duplo pivot ou exclusivamente com as qualidades (ou faltas dela) dos treinadores. Na verdade, sempre que conseguimos jogar com intensidade, quer nas épocas de VP quer com PF, conseguimos bater-nos com os melhores. O FCP ontem, como em outros jogos, não o conseguiu o mesmo nível do SCP, nomeadamente nos últimos 30 minutos; não fomos intensos (Fernando o melhor e Varela foram excepções) e o meio campo não funcionou porque Carlos Eduardo andou sempre perdido num espaço em que a bola raramente entrou, o que significa que estivemos sempre em desvantagem numérica naquela zona crucial e deixámos o trio do meio campo do SCP demasiado à vontade. Esta batalha não se ganha apenas na base da inspiração e não é por aí que pecámos; o que falta é transpiração em que somos frequentemente batidos pelos adversários. Um certo vedetismo e a formatação de um modelo que se esgota no passe curto e horizontal que permite às equipas adversárias subirem no terreno e dificultar a nossa primeira fase de construção, deve ser revisto, adaptado às circunstâncias e ao tipo de adversário. Ou seja: o Herrera falhou de mais, mas há um claro mérito na pressão alta do SCP que o FCP não foi capaz de desmontar. O futebol é um jogo de duelos individuais e colectivos e perdemos ambos. Ficou o resultado que não foi mau e a ideia que podemos ganhar ao SCP, desde que utilizemos as armas adequadas.
Algumas revisões sobre a matéria dada serão oportunas. A equipa tem de estar preparada para ter posse e, por esta via, tirar a iniciativa ao adversário, mas o modelo só funciona se a pressão for muito bem montada, os jogadores conhecerem bem os papéis, se houver velocidade e capacidade criativa. Não estamos no ponto e há muita rapaziada do FCP demasiado instalada e/ou com alguma incapacidade de encontrar o rumo no quadro das dificuldades que o jogo lhe vai colocando. Toda a preparação para este jogo, foi uma anedota que nada tem a ver com o nível de profissionalismo que deve ser regra no FCP e que por esta altura parece mais própria de um clube de segunda linha.

Tiago Stuve Figueiredo disse...

Sim, os treinadores não têm culpa nenhuma. Excepto se ganharem, aí já são responsáveis...

Não sei porque é que há treinadores mais ou menos disputados pelo colossos. No fundo, se tivermos bons jogadores, eles ganham sozinhos...

Pedro ramos disse...

Eu ao contrario da maioria dos adeptos nao penso que o problema seja o sistema táctico, mas sim a falta de trabalho seja por incapacidade do treinador em transmitir as suas ideias, seja pela fraca qualidade do treino ou pelas fracas qualidades tácticas de PF ou outra razao qualquer. Nao acredito que se por acaso PF mudar para o tradicional 4-3-3, a equipa como por milagre passará a jogar melhor de forma constante. Quando nao se conseguem treinar rotinas o problema nao é o sistema.

"Dificilmente Carlos Eduardo será solução se o treinador continuar a insistir no duplo pivô (ontem chegou a ver-se, várias vezes, Herrera a jogar atrás de Fernando!) e, ainda por cima, em encostar Carlos Eduardo ao ponta-de-lança."

Mas acredita que a equipa tinha mudado de sistema nos últimos jogos?
Para mim, com excepçao de 45min contra o Braga, e contra as indicaçoes do próprio PF, o sistema foi sempre este 2+1, a diferença está nos adversários.
Mais, em toda a temporada (que eu esteja recordado), mesmo durante os jogos, PF nunca muda de sistema quer as coisas estejam a correr bem ou mal, ele apenas muda jogadores da mesma posiçao com a esperança que um novo jogador consiga dar uma dinâmica diferente aquela posiçao. Ontem foi mais do mesmo, medios defensivos por médios defensivos, ponta de lança por ponta de lança.

Luís Vieira disse...

Atenção que não estou a vergastar a exibição do Defour. O facto de ter entrado a frio, sem aquecer, condicionou a sua prestação, por isso tem atenuante. A meu ver, as faltas não foram cirúrgicas, mas desnecessárias, por ocorrerem em virtude de défice de agilidade e atraso na leitura das jogadas. De repente, lembro-me de uma sobre o Wilson Eduardo, perfeitamente evitável. O Fernando não a faria. Não obstante, também considero o Defour uma opção mais válida, neste momento, quando comparado com o Herrera, que continua desastrado. Quanto aos comentadores da TVI, não é de estranhar: um é ex-assessor do Sporting, o outro ex-jogador. Uma parelha ideal para um comentário tendencioso.

Milesh disse...

Eu notei pelo menos duas dessas situações mas penso que tal deve-se apenas à falta de entrosamento. De resto, como o título do post bem indica, foi gigante!

Joaquim Lima disse...

"Licá esteve muitas vezes distante" é ser simpático para com o Licá. Fez, mais uma vez, um jogo muito fraco. Correu muito mas mal tocava na bola e, quando o fazia, era para passar para trás ou para a perder! Não vejo futuro nele, a não ser como lateral!

José Correia disse...

Recordo que se dizia algo muito próximo, quando fomos à Luz nas duas épocas passadas. E com razão de todas as vezes, porque o FCP nestas três últimas épocas teve um comportamento exibicional irregular, abaixo do SLB nas duas últimas épocas e do SCP na actual e não há que esconder essa realidade

Mário, nas últimas duas épocas, nos 4 confrontos diretos com o slb para o campeonato, o FC Porto dominou/controlou os jogos e foi sempre superior.

Mais. Nas duas deslocações à Luz para o campeonato, o FC Porto marcou 5 golos (2-3 na época 2011/12 e 2-2 na época 2012/13) e foi melhor nos dois jogos.