segunda-feira, 2 de dezembro de 2013

Treinador - Mudar ou não mudar, eis a questão!

É a primeira derrota para o campeonato. Quem cresceu com o FC Porto nos anos 80 e 90 sabe perfeitamente que os campeonatos ganham-se com vitórias, empates e também com derrotas. Todos as vivemos. Mas a geração pós-Gelsenkirchen cresceu noutro mundo. Para isso contribuiu, sobretudo, a anemia de qualidade do nosso futebol. Nos últimos anos dois clubes - FC Porto e SL Benfica - quase nunca perdem, raramente empatam e dominam a belo prazer o campeonato decidindo, quase sempre entre si, o título. A péssima situação do Sporting, a incapacidade do Braga de dar o salto e a ausência de uma versão real do Boavista entre 1992-2004 ajuda a explicar essa situação. Mas não só. A diferença de orçamentos exige, praticamente, que FC Porto e SL Benfica não percam. Nunca as diferenças com o resto foram tão grandes na qualidade individual, nos planteis disponíveis, nos ingressos e nos gastos. Por isso hoje, para um adepto do FC Porto, perder um jogo tornou-se num drama. Pode não haver margem de manobra.

Pessoalmente sou contra o despedimento de treinadores durante a temporada.
Acho que quem arranca o barco deve levá-lo até ao fim, passe o que passar. Sobretudo porque a responsabilidade é de muitos, não só sua. Num clube como o FC Porto, onde muitas das decisões são tomadas sem ter em conta (ou em muitos casos, apesar da opinião do) o que pensa o treinador. Mas o futebol é o que é e não sou eu quem o vai mudar e muitas vezes a mudança de um só homem tem o condão de despertar outros 25. No nosso caso com particular sucesso...no ano seguinte!

Remontando-me apenas à era Pinto da Costa, houve apenas 4 treinadores despedidos durante a época (não conto aqui, naturalmente, com Del Neri e Adriaanse porque estavamos no defeso em ambos casos). A primeira vez foi com Quinito. Despedido à 11º jornada em 1988, nesse ano o FC Porto foi treinado brevemente por Murça antes de confirmar-se o regresso do "rei Artur". O FC Porto não foi campeão (o título foi para o Benfica) mas preparou-se para mais um título na temporada seguinte com o nosso primeiro campeão europeu. Depois foi a vez de Ivic, em 1993. O sérvio, voltou ás Antas sem sucesso. Quando saiu o FC Porto era terceiro no campeonato e para o seu lugar chegou Bobby Robson, recém-despedido de um líder Sporting. Com o inglês não só se ultrapassou o Sporting como se desenhou a base do que seria o Penta. A terceira vez sucedeu com Octávio Machado. Conseguiu passar o Natal mas não sobreviveu a Janeiro e com ele vivemos outro ano negro, terminando a época em 3º apenas graças a um grande sprint liderado por...José Mourinho. Não é preciso explicar o resto. Só por uma vez, a última, o homem que substituiu o treinador despedido não funcionou na época seguinte. Porque não estava lá. Victor Fernandez foi campeão do Mundo mas os maus jogos no Dragão e a irregularidade de uma equipa de campeões europeus e contratações de luxo custou-lhe o lugar. José Couceiro não fez melhor, o titulo perdeu-se no último dia e o treinador foi-se embora abrindo caminho a um novo Tetra, conquistado entre Adriaanse e Jesualdo.

Quer isto dizer que mudar de treinador, no FC Porto, além de ser algo raro (Carlos Alberto Silva, Fernando Santos, Jesualdo Ferreira e Vitor Pereira sofreram contestação dos adeptos, tal como Paulo Fonseca, durante a época mas o presidente não os deixou cair e o resultado foi positivo, salvo com Fernando Santos!) só dá resultados à posteriori. Mudar hoje de treinador não garante, portanto, tendo em base a nossa experiência, um passaporte automático para o sucesso. Claro que há uma primeira vez para tudo.
O último campeão nacional português que chegou com a época a meio foi Augusto Inácio, com o Sporting, em 2000. É preciso recuar décadas para encontrar um exemplo similar. E não é por acaso.



Não acho que Paulo Fonseca tenha perfil de treinador para o FC Porto. Acho que é parte do problema, não o todo. E que centrar-nos exclusivamente na sua incompetência - que é evidente - não nos permite ver todo o problema em que estamos envolvidos. Mas isso fica para outro debate que trarei. Até porque o actual treinador do FC Porto é o primeiro em muito tempo que me faz pensar que mudar agora pode ser mais benéfico que prejudicial.

Em primeiro lugar porque não existe uma grande desvantagem com os rivais. Quem quer que chegue começará praticamente do zero em pontuação com Benfica e Sporting. Por outro lado, a paragem do Natal permitirá tempo para aclimatar-se ao clube, ao plantel e preparar os necessários ajustes - porque terá de haver algum ajuste - em Janeiro. E por último, olhando para o plantel - onde carecem figuras que inspiram liderança - não vejo força emocional para dar a volta à situação desde dentro como sucedeu no primeiro ano de Vitor Pereira, por exemplo. Há demasiados jovens, demasiadas caras novas e jogadores sem perfil para pensar que vão ser os jogadores a dar a cara e a salvar um treinador com o qual não estão cómodos. Os sinais da directiva, no final do jogo de Coimbra, também não são positivos. Quando Vitor Pereira esteve com a corda ao pescoço, a presença de Pinto da Costa ao seu lado calou os rumores e mandou uma mensagem ao balneário. Paulo Fonseca saiu sozinho do Municipal de Coimbra. É assim que ele está, apesar de ter sido uma aposta muito pessoal de Antero Henriques, que até há bem pouco tempo lhe deu todo o seu apoio.

Sabemos então que no FC Porto pouco se muda a meio da época e quando sucede os resultados só sucedem à posteriori. Sabemos também que o timing agora é o ideal e que o plantel e a direcção não parecem estar com o treinador. Mas que alternativas podemos manejar?

O FC Porto é um grande clube, mas é um clube dirigido desde dentro. Um clube que nunca se sentiu cómodo com a ideia de um treinador de personalidade forte. Mesmo Mourinho fez-se dentro do clube, não chegou como o "Special One" e Villas-Boas preferiu não ter de descobrir o que ia suceder num segundo ano depois de uma época perfeita. Portanto, toda a Europa sabe como o FC Porto se move e poucos são os treinadores de topo interessados nesse tipo de gestão. Sobram poucas opções, entre portugueses e estrangeiros.

Portugueses:
Marco Silva - Para muitos o homem que devia ter sucedido a Paulo Fonseca. É adepto confesso do Benfica, o que poderia ter jogado contra si, e com o Estoril tem feito um excelente trabalho. Continua a fazer a sua equipa jogar bem, mesmo com várias baixas, mas não parece apresentar nada de novo e há o receio, natural, que seja um Paulo Fonseca II.

Domingos Paciência - É um nome falado há muito tempo, não só pelo seu passado dragão mas pela excelente temporada que fez com o Braga. Desde então a sua carreira tem sido um desastre, tanto com o Sporting como com o Deportivo (onde foi colocado pela pressão de Jorge Mendes e onde se acabou por ir embora por não conseguir lidar com a pressão). Está sem clube.

Pedro Emanuel - Durante dois anos foi considerado por muitos como o próximo André Villas-Boas. Agora está no Arouca. Não é propriamente um grande cartão de visita e não tem demonstrado confirmar as suspeitas positivas que se tinha dele.

Leonardo Jardim - Para alguns adeptos seria a escolha ideal mas está comprometido com o Sporting e tem uma oportunidade histórica de recuperar o prestigio do leão. Não irá sair de Alvalade.

Nuno Capucho - Está a ser preparado pela direcção mas ninguém quer queimar etapas. Desde que tomou controlo das equipas de formação que muitos vêm nele o perfil ideal para liderar a primeira equipa e os resultados dão-lhe razão. Tem um perfil calmo, tranquilo e um conhecimento táctico surpreendente. Será treinador do FC Porto mas não quererá pegar numa equipa "queimada" tão cedo salvo se não existir outra opção.

André Villas-Boas - Tem a corda ao pescoço em Inglaterra mas, ao contrário de Artur Jorge, não acredito que queira voltar tão cedo ao seu clube, mesmo desempregado. Seria a escolha número 1 de todos os adeptos.

Estrangeiros
Marcelo Bielsa - Apenas o cito porque foi alvo de comentários no RP. Não é opção pura e simplesmente porque não é do perfil da direcção e não é o treinador que goste de ser controlado.

Mano Menezes - Paixão antiga da SAD, esteve desempregado até há poucas semanas, depois de uma má época com o Flamengo. Acabou de assinar pelo Corinthians e não vai abandonar o clube.

Muricy Ramalho - Na mesma situação de Menezes. Outra paixão antiga, foi muito questionado pelo São Paulo este ano e está ligeiramente acima da linha de despromoção. Contestado, poderia ser tentado por uma boa oferta.

Tite - Provavelmente o melhor treinador do futebol brasileiro nos últimos quatro anos. Acabou um ciclo memorável no Corinthinas, incluindo o título mundial, e está sem emprego. Hipótese interessante para os que querem uma conexão sul-americana.

Pepe Mel - Um dos melhores treinadores do futebol espanhol. Está com a corda ao pescoço no Real Bétis mas tem perfil para um clube de alto nível.



O cenário é este:
Mudar ou não mudar? 
A história do clube diz-nos que mudar não é habitual a opção da direcção e quando isso sucede o resultado só é visível na época seguinte. A situação actual no entanto dá a sensação de que Paulo Fonseca está só (sem plantel ao seu lado, sem o apoio da direcção e na mira dos adeptos) e que não tem capacidade para dar a volta por cima. O pior que pode suceder (perder o título) pode suceder com ele ou com qualquer outro treinador mas uma cara nova chegará com uma diferença pontual mínima e tempo para lutar pelo título até ao fim.

Se mudamos, quem ocupará o seu lugar?
Artur Jorge, Bobby Robson e José Mourinho foram três opções que tiveram resultados excelentes. José Couceiro a que correu mal. Actualmente só André Villas-Boas teria um perfil similar ao dos três primeiros. Todos os outros nomes despertam dúvidas, ora pela inexperiência e ausência de resultados sonantes (Pedro Emanuel, Marco Silva, Nuno Capucho, o passado recente de Domingos) ou porque despertam receio de uma conexão com o mercado brasileiro, quando muito raramente um treinador canarinho triunfa no futebol europeu.

O debate, na caixa de comentários!

PS: Não acredito que, actualmente, existam muitos adeptos do lado de Paulo Fonseca. O que não se admite é que uns meninos mal educados e que deviam ter passado uma noite nos calabouços recebam a equipa como receberam. Não sei se a manobra foi, oficialmente, dos SD ou iniciativa individual de quase 300 "adeptos". Nem me interessa. Há uma cultura de adeptos que só aceita a vitória. Que não entendo que o amor a um clube deve ser unidirecional. Se o clube devolve alegrias, tanto melhor. Se não, não se troca o amor por um soco só porque as coisas correm mal. Viveremos dias muito piores que estes, mais tarde ou mais cedo. Espero que muitos dos portistas de hoje sejam portistas então. Provavelmente os que receberam a equipa desta forma não estejam entre eles!

52 comentários:

Pés-Juntos disse...

Vou fazer "copy/paste" do que escrevi ontem na caixa de comentários do blog "Dragão até à Morte" antes de ler este post do Miguel:

"Tenho-me abstido de comentar o actual estado-de-sítio do FCPorto porque para ser sincero não tenho acompanhado os jogos tanto quanto desejaria.

Contudo, e sempre seguindo as notícias e actualidades Portistas através dos blogs de referência (...) e tendo ontem aproveitado uma rara oportunidade para ver a segunda parte do jogo em Coimbra, pude constatar que ao fim de 5 meses a equipa entra em campo:

a) sem uma ideia de jogo e sem conseguir articular 2 passes seguidos;

b) com um dos melhores pés para remates à distância (Danilo) a ficar como o elemento mais recuado em situações de canto;

c) com o Jackson 48 minutos sem receber "serviço" decente dos colegas;

d) com o treinador a fazer substituições para "refrescar" em vez de "mudar";

...entre outras coisas.

Agora como inverter o rumo? Sem me querer substituir à Direcção do clube que acerta muitíssimo mais que erra, há que rever posição do treinador.

A Direcção da SAD é a única que pode avaliar com dados concretos a performance da equipa técnica contra os objectivos traçados no contrato que estabeleceu com os seus elementos.

Seja qual for a decisão o treinador nunca poderá ser o "Bode Expiatório" crucificado na via pública, para que a SAD não fique mal na fotografia.

É da mais elementar educação a SAD defender o Homem que escolheu para liderar a equipa de futebol, defendendo-o caso ele saia ou continue.

É da mais elementar lógica que a SAD, caso tenha perdido a confiança em Paulo Fonseca, chegue a acordo para a rescisão do contrato o quanto antes por causa da necessidade de haver uma equipa técnica nova instalada quando abrir a janela de transferências de Inverno.

Na minha perspectiva a SAD tem de se assumir rapidamente, seja a defender o treinador seja a proceder a uma substituição do mesmo.

Pessoalmente e pelo que pude observar DE FORA, se a decisão fosse minha, rescindia o contrato com a equipa técnica e assumia a responsabilidade da escolha e a do mau momento da equipa como sendo da responsabilidade de todos, em primeiro e último lugar da Direcção da SAD.

Logo depois instalava uma nova equipa técnica com currículo mais extenso e maior experiência.

Neste capítulo, e apesar de gostar muito do Domingos e de o querer ver na cadeira de sonho, julgo que não é o momento certo para ele.

Muito menos para treinadores com o perfil de Marcelo Bielsa que apesar da inquestionável qualidade, não teria margem de manobra para instaurar o seu estilo de jogo.

A minha opção seria por um treinador pragmático tipo Mano Menezes ou Muricy Ramalho, num contrato de 6 meses com opção de mais 1 ou 2 anos mediante o atingir dos objectivos predefinidos.

Se eu optasse por manter Paulo Fonseca, dava a cara pelo treinador de forma inequívoca, com anúncio dos reforços contratados para a equipa já em Dezembro.

Mas isto sou eu que não tenho a mínima noção nem a mínima responsabilidade na gestão do clube, o que equivale a dizer que a minha opinião vale o que vale, ou dito de outro modo, vale pouco mais do que zero.

1 de Dezembro de 2013 às 20:51"

Bruno Guimarães disse...

Por regra entendo que mudar de treinador a meio da época não é uma boa solução, sendo certo que mais parece coisa de outros clubes.
Contudo, toda a regra tem excepção e entendo que este é o momento ideal para mudar de treinador. Não é tanto pela falta de qualidade do futebol apresentado, até porque isso já aconteceu com outros treinadores.
O que me levou definitivamente a ter esta convicção foi a flash-interview a seguir ao jogo de Coimbra.O Paulo Fonseca estava a falar tão baixo que tive de aumentar o som da televisão para o conseguir ouvir. A minha mulher, que pouco percebe de futebol, disse-me logo que não conseguia compreender como é que um treinador que sussurra consegue motivar jogadores.
Não tenho dúvidas que é um treinador com grandes conhecimentos técnicos, que provavelmente terá uma boa carreira longe do Dragão. Mas pura e simplesmente não conseguiu compreender a cultura FCP, que não se compadece com quem dá parte fraca, não demonstrando espírito guerreiro.
Por isso, aquela flash foi para mim o fim da linha.
Posto isto, qual a melhor solução neste momento? A equipa encontra-se tão desorganizada, que aquilo de que precisamos é de um treinador experiente. Não de uma pessoa que em 2 semanas consiga colocar a equipa a jogar um futebol com grande qualidade (sinceramente, neste momento ninguém espera isso), mas que consiga colocar cada um dos jogadores nas suas devidas posições e que os discipline.
Do que precisamos é de uma velha raposa, com o perfil de um Jesualdo Ferreira ou de um Trapattoni (atenção, com este perfil, mas não necessariamente estes).

Joao Goncalves disse...

Miguel,

Para mim vai muito além do adepto só aceitar vitórias...

- é ver uma vantagem de 5 pontos passar a desvantagem de 2 em 3 jornadas;
- é ver sermos humilhados em todos os jogos em casa da champions;
- é ver aquele discurso vergonhoso que o treinador tem, que claramente, não vê o que se passa em campo;
- é ver substituições em cima do minuto 90, quando estamos a perder pontos;
- e pior que isso tudo... é não ver qualquer alternativa táctica... a táctica é aquela que até uma equipa das distritais vem jogar ao Porto e sabe o que vai encontrar... alternativas? não existem!

Um treinador do Porto não pode só ter uma táctica, um meio de pensar, um meio de jogar e acima de tudo, precisa de ser activo no banco e mudar o jogo a partir do mesmo!

Reparam certamente, que apesar de termos uma equipa B, não tínhamos nenhum avançado no banco em Coimbra certo? E eu pergunto... e se o Jackson se lesiona? Para que serve pagar o ordenado a Kleber para ele se recuperar para o futebol? Para que serve tanta qualidade de um jovem de 18 anos chamado André Silva?

E quero acrescentar que o André já tem 18 anos e não só tem 18 anos, como querem fazer parecer que um jovem de 18 anos não pode jogar na 1ª Divisão.

Depois também certamente repararam que acabamos o jogo com os mesmos 4 defesas que começamos e com a equipa a jogar no mesmo esquema... portanto, surpreender e contrariar o Sérgio Conceição tacticamente? nah! isso lá é preciso... logo marcamos, um dia destes...

Penso que já se deu todas as oportunidades ao PF e ele continua a deita-las fora e a equipa cada vez joga pior e desconfiada dela própria... a Equipa sabe que não pode atacar à parva porque sente que a colocação defensiva nas costas não é a melhor... sabe que não pode pressionar em bloco, porque depois abre-se brechas por todos o lado e por aí adiante.

Em suma, a equipa não confia, com razão, na táctica que o seu timoneiro apresenta e por isso, não confia no homem que lhes manda fazer o que andam a fazer em campo... e quando uma equipa não confia/percebe o que o treinador quer e este não tem a capacidade de perceber isso e não tem a potencialidade de se adaptar e mudar a táctica para algo mais confortável e eficaz, então estamos no buraco onde estamos...

Blue Dragon disse...

Partilho com analise feita ao momento que se vive no nosso clube.
Na questão de treinadores, que podem ser hipóteses, acredito que poderia funcionar apenas com alguém com profundo conhecimento da casa e com inegáveis capacidades de liderança e carisma, na minha modéstia opinião o António Oliveira poderia ser esse homem.

DC disse...

Sou a favor da mudança de treinador já. Porque o momento é o ideal, quando ainda estamos na luta pelo título, quando, caso o treinador entenda pode alterar o plantel em Janeiro e quando ainda temos tempo para preparar convenientemente a ida à Luz.

Quanto às opções, tal como referi antes, se fosse eu a mandar, no mínimo fazia-se uma proposta a Bielsa.
Acho que das hipóteses colocadas se esqueceu de Nuno Espírito Santo. Diria que neste momento tem mais hipóteses de treinar o Porto do que o Pedro Emanuel.
De Portugal os únicos que não me assustam terrivelmente são o Marco Silva e o Capucho, mas de qualquer forma seriam tiros no escuro.
Do Brasil, espero sinceramente que não. Acho que seria o prego que falta no caixão, a desorganização táctica total, o regresso ao passado a nível de treino e de táctica.

A escola espanhola poderia ser interessante, há muitos e bons treinadores por lá. Mel, Valverde, Lopetegui...

Acim de tudo, caso seja dado este passo, tem que ser dado de forma acertada. Mais um erro será dramático.

Nuno Queiroz disse...

Quanto aos incidentes, parece-me coisa de garotos mal educados e que não estão habituados a estes desaires. Mas também sei que por norma são propositados e controlados por quem quer mandar recados.

Quanto ao treinador, fui dos que defendeu PF durante bastante tempo mas a verdade é que sempre achei que apesar de se jogar mal merecia que se desse o benefício da dúvida. Entretanto, nos último jogos (e já lhes perdi a conta) aquilo que se percebe é que não há rumo nem há noção do que fazer para se alterar. O plantel tem limitações: tem mas não se pode sequer pensar que não são capazes de ganhar ao Belenenses, ao Nacional, à Académica ou ao Austria.

Acredito que PF está a prazo e o próximo jogo vai ser decisivo. Se o Porto não ganhar ao Braga e na pior das hipóteses ser derrotado, PF estará definitivamente condenado e provavelmente ainda poderá orientar o jogo em Madrid para não colocar mais pressão no seu substituto. Se o Porto ganhar ao Braga PF ganhará algum tempo mas sem grande convicção por parte dos adeptos.

Para mim, o problema do Porto não é jogar mal (coisa que tem acontecido bastante nos últimos anos apesar das inúmeras vitórias) é a falta de organização táctica que faz com os jogadores andem completamente perdidos dentro do campo. E pior do que isso, é ver um treinador completamente incapaz de alterar seja o que for fazendo sempre as mesma substituições sem inverter o rumo dos acontecimentos.

Apesar de não gostar acho que a opção de substituir PF seria a melhor precisamente para abanar o grupo de jogadores que não sendo o melhor do mundo é seguramente um dos 2 melhores de Portugal.

Quanto a treinador (em caso de demissão de PF) escolheria alguém que conhecesse bem o clube por dentro e por fora. Domingos seria uma escolha óbvia mas Jorge Costa também não seria mal visto. Quanto a Nuno Capucho achava lógico que fosse o escolhido para a equipa B para dentro de algum tempo assumir o futebol principal. Treinadores estrangeiros a meio da época sem o mínimo de conhecimento do futebol português não me parece lógico. Além disso, treinadores brasileiros poucas vezes resultaram na Europa e só iria agravar a desconfiança dos sócios. Por isso defendo um treinador que se identifique com o clube e com os sócios.

Tem a palvra a SAD e muito em especial o Presidente Jorge Nuno Pinto da Costa em quem confio e que tem um crédito muito grande. Se ele preferir manter PF é bom que os adeptos e muito em especial os jogadores estejam com ele.

Pedro disse...

Creio que o Tite está (ou vai estar dentro uma semana) sem clube por opção.

Dizem os opinion makers, que pretende passar seis meses na Europa, mas sem compromissos profissionais e assumir a seleção Brasileira a partir do Mundial. Não há neste momento ninguém melhor posicionado que ele para essa função, e por isso é altamente improvável que aceite qualquer tipo de proposta. Se o mundial fosse em 2015 até acreditaria, mas assim duvido.

Sobre o Muricy, também não acredito que deixe o São Paulo.

Aparentemente e pelo que vejo, quase só sobram Portugueses.

Pedro disse...

"Do Brasil, espero sinceramente que não. Acho que seria o prego que falta no caixão, a desorganização táctica total, o regresso ao passado a nível de treino e de táctica."

DC,

Respeito muito a tua opinião mas arriscaria a dizer que o futebol aqui é bem diferente dessa imagem e talvez bem diferente do que já tenha sido.

Digo-o porque vivo aqui há 7 anos.

Agora há diferenças significativas face ao futebol europeu - diferenças que tornam muito difícil a habituação de um técnico de um ambiente a outro.

Por exemplo a quantidade de jogos, as duas épocas (a estadual e a da Federação), o grau de equilíbrio, tornam as realidades muito diferentes - como por exemplo o facto de que atual campeão muito provavelmente descer de divisão.

Sobre a quantidade de jogos, a carga aqui é muito maior, o que torna os treinos muito diferentes e formatados de forma diferente. Os planteis são mais extensos, a rotatividade é maior - ou seja o trabalho é tão diferente que pedir resultados a alguém que venha de lá logo de início não é muito viável.

Agora o nível competitivo, de treino, de infraestrutura de um clube grande de São Paulo ou do Rio não fica atrás de um Porto ou Benfica.

Pedro ramos disse...

1- PF nao sairá já esta semana, mas provavelmente dependerá do que acontecer nos próximos jogos.
2- Penso que o problema para todos os adeptos nao foi a derrota no último jogo, mas sim o actual estado de letargia em que a equipa se encontra sem haver sinais de uma reacçao positiva.
3- Existe neste momento uma percepçao, pela minha parte, que o treinador já nao sabe o que fazer para mudar o rumo dos acontecimentos, em que o discurso no final do último jogo foi claro. Foi um discurso triste, nem conseguindo apelar à confiança dos adeptos de que a situaçao iria mudar rapidamente, mas sim um discurso de aceitaçao e alguém que se sente ultrapassado pelas circustancias.
4- Alternativas a PF? Nesta altura serao quase todas de circunstancia. Artur Jorge, Mourinho e Bobby Robson já estavam no nosso campeonato, quem tem perfil assim neste momento?
Villas-Boas mesmo livre seria um regresso, o que raramente dá bom resultado, e se ele recusou continuar no passado, porque regressaria agora com um plantel muito inferior com o risco de destruir a imagem que tem junto aos adeptos?
Penso que se a SAD mudar o mais provável é manter o mesmo perfil do inicio da época.

PS. "Há uma cultura que só aceita vitória"- tretas, isso pura e simplesmente nao sao adeptos.

Miguel Lourenço Pereira disse...

João,

Estou totalmente de acordo. Eu acho que o Paulo foi um erro muito grave. Dos mais graves da história recente do FC Porto por tudo o que dizes e muito mais. E, sinceramente, não lhe vejo muito futuro como treinador - não só treinador do FCP - depois disto.

A questão aqui em debate é se mudamos, para que modelo mudamos, com quem treinador, e em que timing. Esperamos a situação ir a pior e reduzimos a margem de manobra de quem vier. Fazemos as coisas já? E quem convencemos a pegar na nau?

São tudo questões importantes a debater!

Miguel Lourenço Pereira disse...

O António Oliveira quer ser presidente do FC Porto não treinador!

Miguel Lourenço Pereira disse...

DC,

O Valverde e o Lopetegui estão bem presos e dificilmente sairão. O Pepe Mel está mais tremido, mas mesmo assim vejo-o dificil. Também não me apetece ver um treinador brasileiro mas todos sabemos que o lobby sul-americano dentro do clube tem adeptos. E em Portugal é verdade, esqueci-me do Nuno. Mas nem ele, nem o Emanuel, Domingos ou Marco me parecem ser treinadores de excepção.

Mário Faria disse...

Conforme as notícias, PF vai continuar. PF pôs o lugar à disposição, JNPC não aceitou. Não deito palpites sobre o que deveria ser feito. A SAD tem a palavra. Sou um modesto treinador de bancada, mas um excelente sócio. Estou preocupado, mas a gestão e o modelo de negócio competem à SAD que tem recebido sempre o apoio da grande maioria de sócios e adeptos do FCP. Lamentavelmente, é nestas situações de crise, embalados no desprezo pelos treinadores ou por uma compra que se considera escandalosa, que a azia nos perturba e se faz fogo sem critério, na quieta melancolia de um artigo de opinião.
O Presidente do FCP tem sabido ser um bom gestor em situações de crise, e fico à espera do que vai fazer, sendo que a direcção é sempre a principal responsável, exactamente porque lhe compete escolher o modelo de negócio, a gestão corrente e a escolha dos activos para os fins desportivos a que se destina.
Por enquanto, fico na expectativa e na presunção que a SAD do FCP sabe o que quer e tem competência para gerir o futebol, dado o enorme crédito a seu favor. Foi com o FCP que assinei um compromisso eterno; estou muito preocupado com o actual momento do clube e não apenas com Paulo Ferreira. Se fosse assim, substituía-se o treinador e o problema ficaria resolvido. Na minha perspectiva, o despedimento do treinador era empurrar o problema com a barriga, como teria sido na época passada se o tivessem feito com o VP.

bruno cláudio disse...

"bater" no PF é o mais facil!
de facto, este FCP nao joga bem, tambem nao jogou nas 2 ultimas épocas..
este treinador nao tem carisma, para treinar o FCP, nem o VP tinha.
mas parece-me que esquecemos algo fundamental: os jogadores! nao vejo nenhuma vontade nestes jogadores, nao existe garra á Porto!
o plantel é fraco, mediocre, por muito que queiramos tapar o sol com a peneira.
tem culpa o PF de um idiota chamado danilo falhar um penalty?
Helton já nao merece o lugar, e nao é de agora, para jogarmos a champions temos de ter um guarda redes de nivel de champions! os laterais brasucas, enfim.. (ver o antunes no malaga e ter o alex sandro levanta muitas questoes), o otamendi, até os argentinos se riem dele e o rolando anda emprestado. defour? por favor! mediocre! (o benfica na mesma epoca contratou o witsel, ao mesmo clube..) o lucho nao pode ser um indiscutivel, o varela apagou-se. os mexicanos nao acrescentam nada de valor, e como já li aqui algures, o herrera faz lembrar um tal de tomas costa.. etc. num clube como o nosso, termos as nossas esperanças entregues a um quintero e um kelvin, diz muito sobre o actual panorama.
estamos mal, o treinador nao tem carisma, mas este plantel é muito fraco, e pior, nao mostra vontade!

precisamos de reforços que suem a camisola, jogadores com garra que deem tudo em campo, esta comunidade de latino/sul americanos nao justifica!

e se é para mudar de treinador, que seja um holandes, alemao ou um aragones, que meta disciplina e ordem.

no entano, o PF é o nosso treinador, e há que apoiar o nosso mister, e provavelmente meter mais pressao e exigir mais dos jogadores, que para mim sao os grandes culpados!
e trazer mais jogadores portugueses para o plantel!



DC disse...

Não sei se será assim tão diferente Pedro. Eu acompanho pouco sinceramente, mas sempre que via análises sobre o futebol brasileiro em blogues como o Lateral Esquerdo, por exemplo, via coisas deste género:
http://lateral-esquerdo.blogspot.pt/2013/05/corinthians-1-botafogo-1-brasileirao-1a.html

E para buracos no meio-campo já me chega o que criou o PF.
Acho que no Brasil ainda se trabalha bastante mal tacticamente, embora a abundância de talento seja enorme. Mas o que é certo, é que em clubes, não há um único treinador brasileiro que tenha conseguido vencer na Europa.

Bardock99 disse...

A questao está incompleta pois á pergunta de mudar ou nao de treinador falta também perguntar quais os jogadores que deverao ser já vendidos ou emprestados em Janeiro.

Josué é uma Nódoa, jogador fraco em todos os niveis. Emprestá lo ou vende lo de graça!

Varela num bom clube nem no banco tem lugar, é uma nulidade

Maicon não é Central para jogar a Titular, nao consigo perceber como OTA perde o lugar para um jogador tao banal como é Maicon


Se a juntar a estes jogadores de nivel fraco temos um meio campo sem jogadores com tarimba, o caminho para o fracasso está mais proximo. Mais, Jackson já está a pensar no proximo Clube, Defour está insatisfeito por nao jogar, Herrera nao sabe ao que joga nem quando joga, Ghilas que deve estar motivadissimo pelos minutos jogados, Quintero que é MA a jogar a falso extremo, etc ... isto não pode continuar assim, o CIRCO é a SUL!!!

EMbora o problema maior seja o Treinador, á que reconhecer que mais de metade do plantel é de um nivel VULGAR e a culpa disso é da $AD que nos ultimos 2anos só fez M**** no que toca a contratar.

Neste momento o Porto precisa de jogadores feitos, que se imponham imediatamente no Onze Titular e nao de putos mimados que ainda estao a despontar.

O problema do Porto é fácil de ver qual é :

- TREINADOR Incompetente
- Nao Tem Médio Centro (RUA com josue reles) e Médio Avaçado ( Lucho já era)
- Nao Tem Extremos Esquerdo e Direito

Que em Janeiro haja dinheiro pelo menos para contratar 2 bons extremos e que se mude de treinador. Só assim nao perderei a esperança de pensar que em Maio voltaremos a Festejar mais um Titulo de Campeao!

DC disse...

Eu discordo de praticamente todo o seu post mas isto não podia deixar passar:
"ver o antunes no malaga e ter o alex sandro levanta muitas questoes"

Levanta muitas questões? Tipo o quê? Porque é que temos o futuro lateral do Man Utd ou do Real Madrid em vez dum lateral mediano?

Fernando B. disse...

Volto à questão que já em tempos abordei... Como é que temos no Andebol e no Basket, os melhores treinadores a trabalhar em Portugal, e no Futebol, que movimenta milhões, para jogadores, treinadores e administradores de SAD, temos este PF ? Quem forçou esta contratação ? Toda a gente diz ter sido Antero, e que JNPC acabou por aceitar... Quem o conhecia bem ? é que Mourinho, Vilasboas e VP eram nossos conhecidos, de anos de trabalho no nosso Clube... e este ?
E não me venham cá com o plantel, isto e o plantel aquilo... Os Kalimeros, falidos, arranjaram uns jogadores tipo Loja dos 300, a lá vão...estão à nossa frente e já jogaram com lampiões e já vieram ao Dragão...CARAGO

Jorge Aragão disse...

Eu sei que são demasiado caros, mas ... Hiidink está sem clube... E o Rykard?

José Lopes disse...

Josue, Lica, Tiago Rodrigues, Ricardo. So esta epoca vieram quatro. Algum acrescenta alguma coisa qe se veja?

Concordo que ver o dinheiro que se gastou nalguns jogadores e pesa-lo contra outros mais baratos que nao se foi buscar e' algo que se deve fazer. Sem duvida. O Porto nao pode andar a ir buscar um lateral por 17 milhoes a nao ser que seja o Roberto Carlos no seu auge.

Nao acho que os mexicanos tenham sido contratacoes disparatadas. Aqui falo com algum conhecimento de causa, porque vejo e acompanho futebol mexicano. Sobretudo o Reyes, que tem muito potencial, oxala tenha tempo e oportunidade para mostrar o que sabe. E nao avaliem jogadores pelo que fazem na equipa B. O Reyes estava numa equipa gigante do Mexico e mostrava classe. Precisa de ganhar experiencia e estampa, mas pode chegar la. O Herrera pode tambem ser um jogador muito util, mas falta-lhe qualidade na definicao, coisa em que ainda pode melhorar. Acho no entanto que e' mais um jogador que estaria mais protegido num 4-4-2. O prolema e' que se gastou muito dinheiro e o risco e' grande.

José Lopes disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
José Lopes disse...

Miguel, bom artigo, parabens.

Abstenho-me de comentar algumas opcoes, porque nao as conheco suficientemente (os brasileiros, sobretudo). Sei quem sao e o que ganharam, mas nao a ponto de saber se se adequariam ao Porto e ao plantel. E' evidente que tenho duvidas que um treinador vindo de uma realidade completamente diferente possa ser uma boa opcao a meio da epoca. Dos espanhois, nao me parece que qualquer um que tenha emprego actualmente seja opcao. Tao simples quanto isto. As solucoes de emergencia sao sempre portuguesas ou, no caso do Fernandez e do Robson, treinadores que estavam livres.

Dos portugueses, parece-me que so mesmo o Marco Silva e o Domingos serao opcao neste momento. O Domingos por razoes obvias, mas ou tinha vindo depois de Braga, ou agora parece-me que ja vira queimado e sera sempre visto com desconfianca. O Marco Silva seria um tiro no escuro, mas parece-me muito mais prometedor que o Paulo Fonseca. Ja parecia na epoca passada. Ser benfiquista nao me preocupa. Pode ser visto com desconfianca, sim, mas o Jesualdo, o Fernando Santos e o Mourinho nao eram portistas... O Jorge Jesus nao e' benfiquista... Ficou-lhe muito mal a forma como festejou o primeiro golo do Estoril contra o Porto esta epoca, mas se souber ter um discurso adequado as circustancias, podera ter margem. Claro que e' um risco, mas nao vejo quem nao seja nesta altura, porque poucos sao os disponiveis e nao ha pre-epoca.

Saci Pererê disse...

Estamos numa democracia onde a liberdade de expressão é um direito inalienável mas leio com cada coisa.

Dizer que o plantel é fraco, é falso. É e deveria ter sido suficiente para pelo menos estar em primeiro lugar e em segundo do grupo da Champions. O Zenit sem Hulk de há dois anos era mais forte que o actual. O Viena nem falo.

O P. Fonseca é muito inferior ao Vitor Pereira, e não o digo apenas eu, conheço pessoas que trabalham na área (treino em alta-competição), que conhecem os percursos profissionais de ambos, e partilham a mesma opinião.

Talvez nos falte um extremo, mas eles estiveram à disposição, foram dispensados ou desmoralizados, como agora o próprio Licá está a ser.

Podia falar dos problemas tácticos do Porto, mas acho que é lenga-lenga. O melhor exemplo de que o FC Porto tem plantel mais que suficiente para os objectivos dos adeptos é o Leonardo Jardim no Sporting.

Em relação a um futuro, duvido que o Porto o despeça, a sair é porque o treinador do Barreiro não aguenta a pressão.
Nesse caso não creio que o Vilas Boas mereça voltar ao banco. Não gostaria de ter um treinador sul-americano sem experiência europeia.

A minha escolha pessoal seria o treinador do Twente, Michel Jansen.
Um plantel como o que tem e o trabalho que tem feito são assinaláveis, dá primazia ao futebol de ataque e no campeonato holandês leva somente 15 golos sofridos (defesa menos batida) mas tem o melhor ataque com 35 golos marcados, ocupa o 3º lugar da liga holandesa atrás do Chelsea B (vitesse) e do Ajax mas a 3 pontos do primeiro.

Para terminar a época no caso de ficarmos sem treinador eu colocaria o treinador da Equipa B o Luís Castro, até final do campeonato, parece-me ser a melhor solução pelo menos a curto prazo,Conhece e bem a casa, é competente e seria económico além do mais permitiria a contratação no final da temporada de um outro treinador sem ter que despedir ou indemnizar ninguém, além disso o efeito de uma não melhoria da situação desportiva da equipa, não seria tão grande.

José Lopes disse...

Mas sim, acho que falhou o tiro. O Alex Sandro e' um grande jogador e vale o que se pagou e sera valorizado. Ja o Danilo custou uma barbaridade que nao tera retorno.

Deco disse...

Na minha opinião o tempo de Paulo Fonseca no FC Porto acabou. Esperava o melhor dele mas conseguiu desiludir-me desde que na pré-época teimou com o duplo pivot defensivo. Tem sido sempre a descer, a equipa está a perder motivação e não se vê o dedo do treinador em nada de positivo, antes o contrário. Por todas as provas que deu, considero que Paulo Fonseca não tem capacidade para treinar o FC Porto pelo que uma mudança de treinador é o melhor caminho a seguir.
Para isso é fundamental ter alguém melhor na calhar para substituir. É preciso um treinador já experiente, com carisma para agarrar a equipa e devolver a motivação aos jogadores, até porque nada está perdido, mesmo a continuidade na LC.
Dos treinadores referidos excluo todos os brasileiros porque simplesmente estão desfasados do futebol europeu. O jogo no Brasil é muito diferente do que se pratica na Europa e os treinadores brasileiros têm mostrado que estão vário níveis atrás dos nossos. Fazer novamente uma posta arriscada e contratar Marco Silva também não me parece uma boa opção porque podemos ficar ainda pior, ninguém sabe. Pedro Emanuel também excluo porque não lhe reconheço especiais capacidades enquanto treinador para assumir o FC Porto. Já Nuno Capucho deve continuar o seu excelente trabalho na formação, acho que antes de ser treinador principal devia ainda passar pela equipa B, seria a prova dos nove e o caminho natural no seu percurso enquanto treinador (e também porque gostava de ver um bom treinador na equipa B). Seria interessante o FC Porto formar também treinadores, começando por baixo e indo subindo nos escalões de formação se mostrassem qualidade para tal e depois chegarem à equipa B. Seriam treinadores à FC Porto e dariam outro uso muito interessante à formação B.

Por estas razões, e não vendo nenhum treinador português com as competências necessárias disponível neste momento, acho que a solução passaria por um treinador estrangeiro. Quem não sei nem me arrisco a dizer porque uns são caros, outros não querem abandonar o projecto atual, etc.

Seja como for, os destinos do clube estão bem entregues enquanto na presidência estiver Pinto da Costa, ele melhor que ninguém sabe o que fazer nesta altura.
Compreendo os sentimentos dos adeptos porque eu também fiquei muito chateado com a derrota em Coimbra mas isso não justifica qualquer tipo de violência. Continuo a confiar no FC Porto e a esperar a vitória em todos os jogos.

Deco disse...

concordo consigo João Gonçalves

Nightwish disse...

Sempre que falam na qualidade dos jogadores penso sempre na qualidade de topo de Maniche, Nuno Valente, Carlos Alberto e outros que só foram excepcionais graças a um bom treinador.
Se os actuais jogadores andam perdidos em campo e não conseguem mostrar o que sabem, não me parece que a culpa seja deles.

José Rodrigues disse...

O L. Jardim tem clausula de rescisão? Se sim, quanto? Só por curiosidade.

Nuno Fonseca disse...

Há um treinador que simpatizo bastante e que penso ainda ninguém falou aqui. Rui Vitória. excelente discurso, excelente postura. Bons resultados com uma equipa de jovens promessas, mostra que está atento as camadas jovens. é benfiquista e está muito ligado ao benfica pelo que ouvi dizer. Mas isso não é critério. não é um tiro no escuro como foi AVB, VP e PF. pode correr mal, mas não é um tiro no escuro.

José Lopes disse...

Duvido que tenha, mas seja como for nunca vira para o Porto se tiver o minimo de decencia. Comprometeu-se com outro clube, esta a ter bons resultados e diz-se sportinguista.

Fernando B. disse...

Falam aqui em treinadores caros...O que é um treinador caro ? É que só a desvalorização do Fucille ( sim, esse mesmo), e de tantos outros, dava para pagar 2 anos a um super treinador !

Pedro Albuquerque disse...

"Marco Silva - Continua a fazer a sua equipa jogar bem, mesmo com várias baixas, mas não parece apresentar nada de novo e há o receio, natural, que seja um Paulo Fonseca II."

Mas porque razão haveria se apresentar algo de novo se lhe continua a correr bem o que está a fazer no Estoril cuja única obrigação é a manutenção?
Essa é uma questão que só se poderia efectuar a um Jorge Jesus que perdeu 3 campeonatos seguidos no Benfica ou no Paulo Fonseca que não está a resultar no FC Porto, nunca a um treinador que continua o bom trabalho do ano passado no Estoril.

"André Villas-Boas - Tem a corda ao pescoço em Inglaterra mas, ao contrário de Artur Jorge, não acredito que queira voltar tão cedo ao seu clube, mesmo desempregado. Seria a escolha número 1 de todos os adeptos."

Para mim teria que vir com algumas condições. O que fez ao nosso clube em 2011 não se perdoa tão facilmente.

"Nuno Capucho - Está a ser preparado pela direcção mas ninguém quer queimar etapas. Desde que tomou controlo das equipas de formação que muitos vêm nele o perfil ideal para liderar a primeira equipa e os resultados dão-lhe razão."

Mas agora conseguir resultados nos juniores dá-lhe atestado de competência para os séniores? O Rui Gomes discordará desta análise.

Agora dou a minha achega? Porque não o Luís Castro?


Enquanto isso, Iturbe volta a marcar mais um golaço frente à Fiorentina.

Pedro Albuquerque disse...

Não se diz, é sportinguista!

José Rodrigues disse...

Era mais curiosidade q outra coisa qualquer. A minha preferencia vai como de costume para um treinador estrangeiro com CV (um Hiddink, ou alguém um patamar abaixo disso).

Ricardo Rocha disse...

Mario Faria... nao sei de tem Dragao d'Ouro, mas eu dava-lhe um de Platina se pudesse. O seu bom senso compensa largamente a azia e o fogo sem criterio que se vai vendo e de que fala.

"poucos sao os treinadores de topo interessados nesse tipo de gestao". Ou isso ou preferem ter orcamentos bem maiores, com mais garantias de ganhar a Liga dos Campeoes.

Campeoes praticamente todos os anos... boas prestacoes na Europa... prestigio internacional... ninguem quer saber disto, obviamente!

José Lopes disse...

Jose, acho que ambos sabemos que o Porto nao vai pagar o que o Hiddink pedira, fora o estatuto que ele tem tambem nao combinar com o que a SAD tem escolhido.

Daniel Gonçalves disse...

A Administração optou por manter Paulo Fonseca como treinador, respeito a decisão e compreendo a fundamentação para tal mas, na minha humilde opinião, discordo, considero um grave erro estratégico. As mudanças se feitas a tempo podem evitar males piores no futuro. Quinito, em 1989, Octávio, em 2001, e Fernandez, em 2005 são casos diferentes, em contextos e circunstâncias diferentes, embora haja algo de comum com o que estamos a passar actualmente.

Também tenho apontar aquilo que me parece uma preconceito da Administração neste assunto: como é um treinador português deixa-se estar para já e dá-se uma voto de confiança, se fosse um treinador estrangeiro a passar aquilo que Paulo Fonseca está a passar já tinha sido corrido a pontapé. E não se pode comparar a Co Adrianse, pois este apesar da teimosia no sistema que adoptou, tinha um havia fio de fio, uma ideia táctica sólida, organização e coerência na equipa, não o "manto de reatlhos" sem qualquer ligação da equipa actual.
Victor Fernandez, apesar da derrota caseira frente ao Braga, estava em 1º lugar no campeonato quando foi despedido.

Milesh disse...

Falou-se aqui de holandeses. Pois bem, que tal Martin Jol? Acabou de ser despedido penso que do West Ham ou Fulham. Não é tão caro como um Hiddink ou um Rijkaard. Não conhece a realidade portuguesa mas acredito que pode trazer o melhor da escola holandesa, a experiência da Premier League e impor alguma disciplina e organização táctica que é o que realmente está a faltar.

Nightwish disse...

E aquilo que se disse do Hulk, do James e do Quaresma até sairem e passarem a ser os maiores do mundo...

Daniel Gonçalves disse...

Reconheço que no meu anterior comentário fui excessivo, utilizei palavras - «corrido a pontapé» - incorrectas e algo brutais, baseando-me uma metáfora que podem dar origem a interpretações erradas. Aqui fica a minha emenda.

Miguel Lourenço Pereira disse...

"As mudanças se feitas a tempo podem evitar males piores no futuro. Quinito, em 1989, Octávio, em 2001, e Fernandez, em 2005 são casos diferentes, em contextos e circunstâncias diferentes, embora haja algo de comum com o que estamos a passar actualmente."

Daniel, o artigo é claro.
Sempre que o FC Porto mudou de treinador a meio da época não se evitou mal pior absolutamente nenhum. A equipa acabou tão mal como estava. O mérito foi que os homens escolhidos venceram mas na época seguinte, o que ninguém nos garante que não sucederia se tivessem chegado em Junho.

Aliás, também como diz o artigo, só o Augusto Inácio, em meio século, venceu o título de liga chegando com a época já a decorrer ao banco de um clube. Portanto, essa história de se as mudanças são feitas a tempo podem, no futebol, raramente funcionam quando se trata de lutar pelo título!

Viva o FC Porto disse...

A permanência de Paulo Fonseca parece-me algo tremida, pois falta talento ou qualidade ao plantel e outra sagacidade, bem como um discurso mais afirmativo e realista por parte do nosso treinador.

Por isso a SAD deverá ponderar os próximos passos com serenidade e sentido de responsabilidade, ou seja em vez de começar a divagar sob nomes deve atentar ao perfil de quem quer a comandar esta nau que envolve uma peculiar exigência e que necessita de mudar algumas, como por exemplo apostar na formação para que tenhamos uma futura equipa que honre ou respeite a nossa camisola.

Sendo assim dos nomes aqui referenciados o mais apelativo na minha opinião é Domingos, pelo seu percurso e pela sua capacidade, outra hipótese que poderia ser considerada seria Rui Vitória que no seu actual clube tem apostado com sabedoria em diversos jovens, quanto a estrangeiros o Pep Mel é muito parecido a Jesualdo Ferreira, não tanto em termos de jogo, mas na forma como educa vários jogadores, já os restantes não me inspiram propriamente confiança, antes preferiria Juande Ramos ou Lucien Fraver, pois ambos são bons treinadores e formadores, pelo quiçá pudessem serem o nosso Obradovic do futebol.

Luís Vieira disse...

O momento actual do FCP faz-me lembrar aquele que vivemos na 1ª época do Vítor Pereira, quando fomos copiosamente derrotados pela mesma Académica, embora para a Taça de Portugal. Relembro que nessa altura também fomos remetidos para a Liga Europa (forte possibilidade de vir a acontecer o mesmo este ano) e que estivemos igualmente em 2º lugar com uma desvantagem pontual superior (5 pontos, ainda que numa fase mais adiantada da época), com a agravante de já termos sido eliminados de uma competição. Pode, por isso, dizer-se, sem grandes aventureirismos, que o cenário em 2011/2012 era ainda mais negro do que o actual. O que se verificou? A SAD deu um voto de confiança ao treinador com o desfecho conhecido. Posto isto, não me admira a posição que os mesmos protagonistas tomaram agora. A não ser que aconteça uma catástrofe, designadamente o FCP ser afastado de várias competições sem apelo nem agravo (o que aliás aconteceu naquele fatídico ano: Liga do Campeões, Liga Europa, Taça de Portugal e Taça da Liga) ou aumentar irremediavelmente o fosso pontual para os rivais da 2ª Circular, o Paulo Fonseca vai terminar a época no comando da equipa. Muito me surpreenderia se assim não fosse. Acrescento que, com a Académica, apesar de mais uma vez termos feito uma parte do jogo miserável (anteriormente era a 2ª parte, cheguei a diagnosticar a "síndrome das 2ª's partes", agora transitou para a 1ª - vide os últimos 2 jogos), na 2ª parte tivemos 3 ocasiões flagrantes para marcar (uma esbarrou na trave, a outra embateu no poste e acabou incrivelmente por cima da baliza e, por último, o penálti falhado pelo Danilo). Não há treinador que resista a semelhante desperdício, que não tem sido inédito nos jogos do FCP desta época. Por tudo isto, não obstante o cinzentismo das exibições e o perigar dos 2 objectivos mais importantes do FCP (Campeonato e Champions), penso que o nosso treinador ainda reúne condições para continuar à frente da equipa, conforme o juízo da SAD. Se a situação não melhorar nos próximos tempos e se, pelo contrário, entrarmos numa espiral recessiva, hipotecando consideravelmente a conquista de títulos, então sim, pense-se na sucessão, de forma ponderada.

Pyrokokus disse...

Dizem que o plantel é fraco, se calhar até têm razão, mas o que diziam em Setembro de 2002??? O Paulo Ferreira, o Costinha, o Maniche, o Nuno Valente eram todos estrelas cheios de titulos.

Pyrokokus disse...

Por acaso já me tinha lembrado dele. Embora seja benfiquista parece-me bastante profissional que é o que realmente importa. O Jesualdo também era benfiquista...

Fernando B. disse...

É facil de pereceber porquê... é que as substituições demoram, quando são feitas " já era !"...
Se este PF ( e aqueles mencionados em cima!) tivessem sido corridos mal se deu conta do engano...!!

Daniel Gonçalves disse...

Estamos a esquecer um pormenor, apesar de eu me poder enganar: com a sua continuidade Paulo Fonseca fica fragilizado perante os jogadores, pois estes sabem que ele pediu para sair e só se sustentou devido à Administração. Ninguém no plantel o conseguirá levar a sério, ou receber com disciplina as suas indicações mesmo que Pinto da Costa vá regularmente visitar o balneário. A própria presença constante de Pinto da Costa ou alguém da SAD no Olival, ou nos balneários, signicará perante os jogadores que o treinador é um mero "fantoche" e só fragilizará ainda mais Paulo Fonseca.

Augusto Baptista Ferreira disse...

Seja como for, esses adeptos foram ouvidos e falaram por todos nós. Falar, por vezes, não basta.

bruno cláudio disse...

alex sandro, futuro lateral do manchester ou real madrid? na playstation..
no entanto, espero que sim, que vá, e que seja já no natal!
mas nao acredito, e como muito em uma ou duas epocas, estará algures entre a ucrania ou russia.
o futuro lateral do manchester united joga no everton, e o secretario tambem jogou no madrid..

esta mega potencia brasuca, que custou uma fortuna, quantas assitencias faz por epoca? marca golos? traz profundidade e velocidade ao jogo do porto? e em relaçao ao outro brasuca que joga no lado direto, pergunto o mesmo.

eu prefiro ter no plantel do porto, um "mediano" portuga que sua a camisola, joga com garra e vontade, que estas brasucadas barrete. um tinha custado 1 milhaosito, internacional e portugues, e os outros, já sabemos o que nos custou, e que rendem..
estes brasucas sao lanzoes!

bruno cláudio disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
bruno cláudio disse...

parece-me muito acertado manter o terinador. mudar significa melhorar?
o que como adeptos temos de fazer é apoiar o treinador, exigir mais dos jogadores e levantar algumas questoes á direçao!
meter as culpas todas no terinador, é errado e cheira a vulgaridade.
o FCP nao está na 2a circular!

é certo que o PF toma algumas decisoes, dificeis de explicar, mas os jogadores tambem falham, provavelmente mais que o treinador.
continuo a dizer, que os jogadores sao os grandes culpados, tambem joguei á bola..
a nossa cultura tem de ser apoiar e nao deitar abaixo! mesquinhice que fique nos clubes dos fidalgos e papagaios.
no porto exige-se trabalho e dedicaçao, e estes jogadores nao representam os valores do clube!
o treinador tem a sua parte de responsabilidade no momento mau da equipa, mas os jogadores nao correm, falham e a direçao tem um papel muito importante neste mau momento.

o PF nao era a minha escolha para suceder ao aborrecido futebol do VP, mas é o que temos e apoiar é o que nos toca!
no final da época avalia-se resultados!

bruno cláudio disse...

tomara termos no actual meio campo cheio de promissoras estrelas mexicanas, belgas e etc um jogador com a qualidade de passe e entrega ao jogo como o maniche!
e insisto, anter ter um nuno valente que um alex sandro, sai-nos mais barato e faz o mesmo, ou mehor! ah, e é portugues, nao brasuca!