terça-feira, 28 de janeiro de 2014

De Caballero para burro

«Tal como A BOLA revelou hoje, os paraguaios do Libertad estão ao corrente do interesse do Benfica na esperança Mauro Caballero. O presidente do clube paraguaio, Carlos Guggiari, em declarações à Rádio Renascença, confirmou o alegado interesse por Maurito, de 17 anos, mas esclareceu que ainda não existe nenhum contacto oficial.»
in abola.pt, 19-04-2012


«O Benfica tem dois concorrentes de muito peso na corrida pelos direitos do avançado Mauro Caballero, de 17 anos, que representa o Libertad. De acordo com o paraguaio Diario Popular, o Real Madrid e o Barcelona seguem atentamente o jogador, que se destacou nas camadas de formação da seleção paraguaia.
Em 2009, Maurito, como é conhecido, participou no campeonato sul-americano de sub-15, que o Paraguai conquistou com um golo do avançado, que nessa competição foi vice-goleador, título pessoal que voltaria a repetir em 2011 (sub-17), com cinco golos.
O jovem jogador tem paulatinamente conquistado o seu espaço na primeira equipa do clube de Assunção, no qual se tem destacado na Taça Libertadores, na qual já assinou dois golos, chamando a atenção dos colossos europeus.»
in abola.pt, 08-05-2012


«Augusto Paraja, empresário que tratou das negociações entre o Benfica e Mauro Caballero, decidiu revelar os motivos que levaram ao rompimento do pré-acordo que existia entre o jogador e os encarnados.
O Mauro Caballero assinou um papel onde aceitou as condições que lhe oferecia o Benfica, mas depois negou. (…) Se assinas um papel é para cumprir. Agora, rasgou a passagem, o salário, os prémios, a casa, tudo... Não há explicações quando tens algo assinado. Se tens uma oferta melhor e não tens nada assinado, tudo bem, mas ao contrário não.
Augusto Paraja, 13-06-2012, em declarações à imprensa paraguaia


«Mauro Caballero tem tudo para ser jogador do FC Porto a partir de janeiro. O avançado já acordou um contrato de cinco épocas com o clube português e, nesta fase, não há qualquer direito legal do Libertad sobre ele, a não ser os direitos de formação, que de uma forma ou outra teriam sempre de ser pagos.»
in ojogo.pt, 04-11-2012


«Mauro Caballero, avançado que o FC Porto contratou ao Libertad, chegou ao Porto na manhã desta terça-feira [8 janeiro de 2013].»
in ojogo.pt, 08-01-2013


Estou muito contente pela confiança que me estão a dar. Quero adaptar-me o mais rápido possível para devolver a confiança. (…) Deram-me boas referências do FC Porto. É um clube muito grande e já queria a minha chegada há muito tempo. É um grande desafio para mim. (…) Sou ponta de lança goleador. Quero títulos e o carinho das pessoas. Quero muita glória.”
Mauro Caballero, 09-01-2013, em declarações ao Porto Canal


«Aquisição dos direitos de inscrição desportiva assim como 100% dos direitos económicos do jogador Caballero à MHD, S.A. por 2.000.000 USD»
in Relatório e Contas da FC Porto SAD, do 1º Semestre de 2012/2013

Relatório e Contas Consolidado da FC Porto SAD, 3º Trimestre de 2012/2013

O primeiro jogo de Caballero pela equipa B, após um longo período de paragem (devido a um conflito com o seu anterior clube), foi apenas no dia 2 de Março de 2013, correspondente à 30ª jornada do campeonato 2012/13 da II Liga.

Em 24 de Julho de 2013, publiquei um artigo onde escrevi o seguinte:

Mauro Caballero parece-me promissor, mas tem 18 anos e só chegou ao Porto no início deste ano, tendo participado em apenas 13 jogos da equipa B (entre Fevereiro e Maio).
Não sei se este avançado paraguaio vai dar grande jogador mas, por aquilo que vi na época passada, para além de uma agressividade natural, já denota algumas movimentações à ponta-de-lança.
É óbvio que, para já, ainda não tem a maturidade suficiente para integrar o plantel principal mas, na época que agora começou, vai ser trabalhado por Luís Castro (que substituiu Rui Gomes como treinador da equipa B) e veremos o tipo de crescimento que irá ter.

Mas a realidade é que Caballero nunca foi aposta de Luís Castro, quer como ponta-de-lança, quer como 2º avançado e, em termos de utilização na época 2013/2014, Maurito contabiliza apenas 429 minutos nos 11 jogos (4 como titular) em que participou.

Utilização de Caballero na época 2013/2014 (fonte: zerozero)

Até que hoje soube-se o seguinte:
«O paraguaio Mauro Caballero é reforço do Penafiel, até ao fim da época 2013/2014, por empréstimo do FC Porto, anunciou hoje o clube da II Liga de futebol.
O provável substituto de Rafael Lopes – transferido para a Académica de Coimbra no mercado de inverno – chegou esta terça-feira a Penafiel e fará já hoje, às 15:30 horas, o primeiro treino ao serviço da equipa penafidelense.»

Deixa ver se eu percebi.

Ao serviço das seleções jovens do Paraguai, Mauro Caballero destacou-se como goleador nos campeonatos sul-americanos de sub-15 e sub-17.

Em 2012 (entre 25 de Janeiro e 7 de Outubro), ao serviço do Libertad e com apenas 17 anos, participou em 14 jogos da Liga Paraguaia Apertura (2 golos), 4 jogos da Liga Paraguaia Clausura e 6 jogos da Copa Libertadores (2 golos).

Utilização de Caballero, ao serviço do Libertad, em 2012 (fonte: zerozero)

A partir de Março de 2013 (quando o diferendo entre o FC Porto e o Libertad foi resolvido pela FIFA), Caballero foi sendo integrado gradualmente por Rui Gomes (ex-treinador da equipa B), tendo participado em todos os jogos da equipa B entre as jornadas 30 e 42 do campeonato 2012/2013 da II Liga.

Utilização de Caballero na época 2012/2013 (fonte: zerozero)

Após a adaptação à cidade, clube e futebol português estar concluída, esperava-se que 2013/2014 fosse a época de afirmação de Caballero, quer como titular da equipa B (na minha opinião, tem características de 2º avançado), quer com algumas chamadas à equipa principal (em jogos menos importantes).

Nada disso se passou e, pelo contrário, perante uma utilização muito baixa na equipa B do FC Porto, Caballero foi “desterrado” para Penafiel.

É estranho. Eu pensava que a equipa B era o espaço ideal para jogadores muito jovens, como Caballero, se integrarem, adaptarem, “beberem a cultura do clube”, potenciarem as suas qualidades e fazerem a transição para a equipa principal.

Afinal, parece que não. Para que serve, então, a equipa B?

(*) O título deste artigo é algo provocador (de discussão, assim espero) mas, evidentemente, não pretende atingir e/ou ofender o jogador Caballero ou o seu novo clube, o FC Penafiel.

24 comentários:

Pedro ramos disse...

Já venho questionando isso aqui neste espaço à algum tempo. Mas nao é só Caballero, podemos juntar Pavlovski (108 min), Kayembe (781 min). Para que servem estas contrataçoes? Qual é o seu critério? Alguém como Pavlovski, capitao da seleçao sérvia, campea europeia de sub-19 nao consegue sequer fazer 2 jogos? Como pode provar o seu valor?

Já disse também que para mim existe um retrocesso com a promoçao de LC a treinador principal, passamos para um futebol resultadista que infelizmente faz com que muitos adeptos fiquem contentes porque vendo a equipa no topo da tabela pensam que tudo está bem.

Já agora uma pergunta para quem segue estas coisas mais de perto. Se nao estou em erro LC foi contratado quando no clube se iniciou o projecto projecto visao 611, para ser o director técnico. Que méritos teve ele durante este periodo nessas funçoes para ser agora promovido a treinador principal da equipa b? Ou será que agora a incompetencia no nosso clube é promovida?

Jorge disse...

quantos avançados temos actualmente na equipa B? não será uma política mais interessante dar minutos ao rapaz noutros lados e continuar a "rotação" com outros valores? gonçalo paciência, andré silva, vion...são muitos nomes para uma equipa que joga só com um gajo no meio, não achas? se me disseres que a aposta em Kleber para o tentar valorizar foi mais furada que um queijo suíço, já concordo mais...
espero que o Caballero jogue (com a saída do Rafael Lopes tem bastantes hipóteses) e volte para o ano mais experiente e pronto a render para subir para os As...ou não é esse o objectivo de comprar jogadores jovens?

abraço,
Jorge

Filipa Ribeiro disse...

Com gonçalo paciencia e andre silva o FCP so tinha que fazer isto, empresta.lo, mas a quem? Penafiel esta lutar pela subida, teria que ser sempre a um clube para ser titular e jogar.

Luís Vieira disse...

Realmente, não me parece que faça muito sentido emprestar um jogador da equipa B a um clube do mesmo escalão. Mais um que chega com o rótulo de craque e que rapidamente tira, para manter a imagem do título, o "caballero" da chuva (não sei se por culpa própria, se do clube, se um misto de ambas). Praticamente não o vi jogar, lembro-me de um fantástico golo que marcou já nesta época e pouco mais; no entanto, da parca observação, pareceu-me tratar-se de um avançado móvel, rápido, bom de bola e de remate fácil, mas com nítidas dificuldades em jogar como ponta-de-lança único, o que, desde logo, impossibilitou-o de singrar, uma vez que é dessa forma que o Porto B joga. Aliás, os restantes avançados do plantel secundário coadunam-se mais com esse papel (Kléber, André Silva e Gonçalo Paciência), daí que não espante a sua preterição, muito embora seja um tiro no pé, na medida em que se está a falar de um jogador caro para a idade, em quem se depositava bastante esperança. A ver vamos o que fará em Penafiel.

José Correia disse...

não será uma política mais interessante dar minutos ao rapaz noutros lados e continuar a "rotação" com outros valores?

Veremos se o Caballero irá ser titular no FC Penafiel.

Mas consegues perceber por que razão, esta época, a utilização do Caballero diminuiu em relação à época passada?

Atendendo a que já está adaptado à cidade, ao clube, ao futebol português, à II Liga, etc., não deveria ser ao contrário?

José Correia disse...

gonçalo paciência, andré silva, vion...são muitos nomes para uma equipa que joga só com um gajo no meio, não achas?

É uma questão interessante.

Se o FC Porto já tinha (e tinha!), nos seus escalões de formação, Gonçalo Paciência, André Silva e Vion e os considerava melhores que Caballero ou, se preferires, com um perfil mais adequado ao modelo de jogo do FC Porto, por que razão contratou Caballero e gastou nessa operação 2 milhões de USD?

José Correia disse...

espero que o Caballero jogue (com a saída do Rafael Lopes tem bastantes hipóteses) e volte para o ano mais experiente e pronto a render para subir para os As...

Jorge, se os nossos jogadores jovens não têm espaço na equipa B e precisamos de os emprestar a outras equipas (do mesmo escalão!) para eles poderem jogar e "crescerem" como jogadores, para que serve exactamente a equipa B?

Abraço

José Rodrigues disse...

Sem ter muitos dados concretos parece-me que ha' muitos factores politicos em jogo na formacao e na equipa B, levando a algumas decisoes q praticamente nao tomam em conta o valor e potencial em si dos jogadores (ou os objectivos de formacao).

Quanto ao Cabellero nao tenho dados suficientes para ter opiniao formada, apenas algumas impressoes soltas iniciais e muitas perguntas. Por exemplo:

1) Sempre faz mais sentido emprestar um jogador vindo de tao longe ao fim de 1 ano com a equipa B (onde tera' ganho bastante adaptacao ao pais e absorbido uma dose razoavel do q e' o FCP) do q praticamente apos ter chegado

2) A empresta-lo, ao menos q seja para um clube perto da cidade do Porto como e' o caso de Penafiel, onde possa ser acompanhado com regularidade (nao so' em termos de jogos e treinos mas tambem na vida do dia-a-dia)

3) Se nao houver factores estranhos em jogo, e' de perguntar q indicacoes fortes e' q se tem de q Caballero vai ser titular em Penafiel (e' q se nao forte o caso, e' uma estupidez empresta-lo). Isto porque a concorrencia interna no FCP B pode ser razoavel em numero mas nao e' propriamente muito forte em qualidade, convenhamos (alias, nao sera' por acaso q ate' uma Oliveirense q vai em penultimo leva mais golos marcados do q a nossa equipa B), e Caballero nao conseguiu ganhar espaco na mesma.

4) Nao sei quanto dinheiro e' q a SAD ja' gastou em contratacoes de estrangeiros para os juniores e equipa B na ultima decada, mas foi certamente muito (para alem do investimento em termos de acompanhamento, q e' muito mais elevado do q para um jogador portugues da mesma idade). Nao me admirava nada q ultrapassasse uns 20M acumulados na ultima decada.

Ora ja' la' vai uma decada a contratar bastantes estrangeiros para a formacao e nao houve um unico q tivesse sequer ganho lugar claro no plantel A (ja' nem digo jogar com regularidade na equipa A...), o q me parece merecer uma forte reflexao de quem de direito e fazer os ajustamentos necessarios. O q se passa? Ma' prospecao? Mau perfil psicologico/capacidade de adaptacao ao pais dos jogadores? Mau acompanhamento depois de chegarem (dentro e/ou fora do campo)? Mau aproveitamento? Outras razoes?

O unico caso de sucesso minimo foi o Atsu, q conseguiu chegar ao plantel A e ao menos foi vendido por uns 3M liquidos. De resto a formacao do FCP tem sido uma autentica porta giratoria sem qualquer retorno, e se isso tb tem sido em grande medida o caso para portugueses, parece-me q a bitola de exigencia para os estrangeiros tem q ser obrigatoriamente mais elevada (devido ao muito mais alto investimento da nossa parte em termos monetarios e nao so').

A equipa B tem neste momento 8 jogadores estrangeiros. Vamos a ver quantos destes vao dar em alguma coisa... Uma taxa de sucesso de 25% (2) ja' seria bem bom.

Madureira disse...

A questão é jogar ou não! Se tem 19 anos precisa jogar para crescer e evoluir, e neste momento com tantos avançados disponíveis o numero de minutos que iria jogar não ajudaria em nada na sua evolução! Se for para jogar no Penafiel acho uma boa opção...

Joao Goncalves disse...

Caro José,

Eu muito o respeito e às suas opiniões mas com esta do Caballero não poderia estar mais em desacordo.

A equipa B é para evoluir jovens mas só jogam 11 de cada vez e o Caballero nunca mostrou arcabouço suficiente para defender essa posição sozinho.

Ora se o ano passado não o demonstrou e este ano o Porto B recebeu os "reforços" Gonçalo Paciência, André Silva e Kleber (que apenas tem 23 anos) muito mais dificil se tornou para o jogador, portanto empresta-lo e ver se evolui num outro local com mais espaço é a única coisa que faz sentido e que o mesmo processo deveria seguir Vion, que estagnou sem evolução e agora sem espaço.

Alguém também refere outras situação, como é o caso do Pavlovski, que obviamente não demonstrou aquilo que se previa e vai ser devolvido à precedência, tal e qual o ano passado foram devolvidos 5 ou 6 jogadores na mesma situação do médio (empréstimo).

O Kayembé é o único que já ganhou o seu espaço e muitos minutos e tem feito para os merecer e por cá vai ficar a evoluir agora é esperar para ver o que vem dos juniores para o ano (para além dos habituais que já lá andam).

DC disse...

Temos excesso de avançados, principalmente agora com o regresso do Gonçalo, portanto acho uma excelente solução.
Agora, para ficar perfeito, é dispensar o Kléber e deixar o ataque entregue ao André e ao Gonçalo.
E o Mauro foi para um clube que está a fazer uma excelente carreira, que perdeu o seu avançado e que joga um futebol ofensivo, portanto parece-me uma excelente escolha.

Pedro ramos disse...

Caro Joao, já agora explique-me como Pavlovski nao demonstrou aquilo que se previa, se ele tem 108 min de jogo? Diz isso por nao jogar regularmente? Se for assim também Reyes, Quintero ou Ghilas têm de ser devolvidos porque nao estao a corresponder às expectativas.

Que exista uma aposta noutros jogadores é perfeitamente legitimo, mas para quê contratar extrangeiros para depois nao terem sequer oportunidades na equipa? Qual a lógica das suas contrataçoes? Esta equipa deve seguir uma lógica de formaçao enao de resultados, certo?

Consigo perceber a entrada de Rafa em detrimento de Quinones, porque este último já teve bastante tempo para provar o seu valor e nao conseguiu convencer totalmente até agora, mas agora jogadores contratados para a equipa b que nem oportunidades têm, qual é a lógica disso?
Mikel por exemplo, nao esteve em grande nível na época passada mas continuou sempre a ter minutos de jogo e esta época tem evoluido, experimentando até outra posiçao como defesa central.

Já agora, como diz o caro José Rodrigues e muito bem, o que se passa com a contrataçao de estrangeiros para a formaçao? Só em Quinones e Caballero gastou-se quase 4 milhoes de USD. O que é que o departamente de prospeçao viu neles para se gastar esses valores? É a nossa formaçao que depois os estraga?

José Rodrigues disse...

Isso de precisar de "jogar para crescer" e' muito relativo...

Antes de mais, cada caso e' um caso. Os jogadores nao sao iguais e se uns evoluem mais jogando com regularidade numa equipa menor, ja' outros evoluem mais treinando "em casa" com bons jogadores e um bom acompanhamento.

Repare-se q o Messi (q e' o Messi...) na 1a epoca no plantel A do Barcelona, com 17/18 anos, fez um total de... 161 minutos na epoca toda (nem sequer 2 jogos). Ora pela logica aqui avancada e com esses dados o Barcelona nao deveria ter hesitado em empresta-lo na epoca seguinte. Nao o fez, e o resto e' historia.

Depois tambem depende muito da equipa a q sao emprestados.

Quanto ao caso especifico do Caballero acho q ninguem aqui tem dados suficientes para poder tirar conclusoes de ter sido ou nao uma boa decisao empresta-lo. O q me parece certo e' q nao e' emprestado por termos varias vedetas na equipa B para a mesma posicao.

Deco disse...

Nem todos os jogadores se adaptam bem à exigência do FC Porto. Espero que com este empréstimo, Caballero se sinta menos pressionado e mostre o seu futebol que talento ele tem.

Joao Goncalves disse...

Pedro,

1º Os treinos são indicativos da qualidade ou não dos atletas... ele não se tem de mostrar aos sócios mas sim provar perante os treinadores que tem condições para ser contratado

2º Sem qualquer sombra de duvida, que se os jogadores referidos, estivessem por empréstimo, nem todos se manteriam no plantel (e juntar a esses Herrera). Agora foram comprados e com investimentos altos e já mostraram na equipa B que são jogadores de Equipa A, agora falta mostrarem que são de Equipa A ao nível de um Porto.

3º Quinones não for substituído por Rafa... Quino está/esteve lesionado por isso joga Rafa mas, para mim, Rafa já é muito mais jogador que Quinones, apesar do Colombiano ser um bom lateral e poder perfeitamente fazer um ou outro jogo para descansar o Alex Sandro (ou mesmo o Rafa).

4º Não vejo nada de anormal... viu-se dois jogadores com talento precoce e que poderiam dar algo (e que ainda podem), mas os jogadores são como melões como todos sabem... o nosso departamento já deu muitas gaffes e muitas alegrias, e muitas iram continuar a dar de ambas e a isso chama-se gestão de risco e investimento.

Infelizmente, já não temos capacidade de ir buscar gente de 19/21 anos por meia dúzia de tostões... hoje paga-se 10M€ por um miúdo de 20 anos sem provas dadas, por isso anda a prospecção do porto através de empréstimos e de aquisição de miúdos de 18 anos sem jogos Seniores praticamente, para que o investimento seja mais em conta e se em cada 4 1 seja vendido por 10M€, temos lucros de 100%

Joao Goncalves disse...

José,
O Caballero foi emprestado não foi por termos várias "vedetas" para o lugar dele, mas sim por termos várias "vedetas" melhores que ele.

Portanto ele foi para Penafiel para provar ou não, que merece o FCP.

José Correia disse...

Portanto ele foi para Penafiel para provar ou não, que merece o FCP

João, se o Caballero for para Penafiel e não jogar (que era o que acontecia na maior parte dos jogos da equipa B), ou se o treinador o colocar como único ponta-de-lança / avançado da equipa, dificilmente o Caballero irá provar alguma coisa.

Nuno de Campos disse...

O empréstimo está certo, dadas as circunstâncias.

O problema são os 2 milhões de USD gastos no passe, mais uma batelada em comissões. No fundo, o que aqui vem sempre à tona é a política de compras - muitos jogadores, caros, e muitas vezes segundo critérios pouco claros, que tapam e impedem a progressão dos jovens da casa.

Agora com a equipa B as oportunidades de fazer negócios e comissões duplicaram. Na equipa B deveriam estar uma grande maioria de jogadores nacionais da formação, e no máximo dois ou três foras-de série estrangeiros.

José Rodrigues disse...

"O Caballero foi emprestado não foi por termos várias "vedetas" para o lugar dele, mas sim por termos várias "vedetas" melhores que ele."

Acho q e' consensual q os nossos avancados da equipa B nao sao nada de especial. Sendo assim *se* o Caballero realmente nao jogar por causa da concorrencia ser melhor (e nao descarto q haja outros factores), isso e' muito pouco abonatorio do seu valor.

José Rodrigues disse...

"Agora com a equipa B as oportunidades de fazer negócios e comissões duplicaram. Na equipa B deveriam estar uma grande maioria de jogadores nacionais da formação, e no máximo dois ou três foras-de série estrangeiros."

Ora nem mais, deve-se ser extremamente selectivo com os estrangeiros. Como ja' disse nao e' so' uma questao do custo do passe (e salario, q sera' certamente mais alto do q colegas portugueses), mas tambem de distraccao e overhead (o acompanhamento tera' q ser muito intenso do q com portugueses) para ajudar a adaptacao ao pais, etc. (alem de um muito maior fardo administrativo com a contratacao).

José Rodrigues disse...

"o nosso departamento já deu muitas gaffes e muitas alegrias, e muitas iram continuar a dar de ambas e a isso chama-se gestão de risco e investimento."

???

Mas que grandes alegrias e' q tivemos na ultima decada de jogadores contratados para as camadas de formacao?! E nao foi por falta de investimento, longe disso (temos sido dos 3 grandes quem mais investe em contratacoes para os juniores e B).

Em dezenas e dezenas de jogadores, o unico q deu algum contributo desportivo (na equipa A) ou financeiro (sendo vendido) q se visse foi o Atsu.

Ha' evidentemente problemas na formacao (seja na captacao, na formacao propriamente dita e/ou no aproveitamento da formacao). Repare-se so' para dar um exemplo interessante, no ultimo ponto: concluiu-se q um Josue' nao prestava (ao ser dispensado) para passado 2 anos estar de regresso e ainda por cima para jogar regularmente na equipa A...

E nao, os jogadores nao sao como os meloes. Alias se fossem bem podiam por a minha avo' a escolher as contratacoes q ficava muito mais barato (ela fazia isso de borla).

Filipa Ribeiro disse...

Eu vejo potencial no andre silva e no gonçalo paciencia..

Bluesky disse...

Off topic apenas quero dizer o seguinte: oxalá o delfim de Pinto da Costa (Antero) não seja o futuro presidente do FC PORTO... e não digo mais nada!

KOSTA DE ALHABAITE disse...

Mais um excelente artigo que faz juz ao nome do Blogue. Põe-nos a pensar e a discutir (no bom sentido) o nosso Clube. Parabéns!