sábado, 25 de janeiro de 2014

Paulo Fonseca quer ganhar a Taça da Liga

Olhando para a lista de 18 jogadores convocados por Paulo Fonseca e para os sinais que vêm do Dragão, O JOGO perspectiva que, logo à noite, o FC Porto irá alinhar com o onze titular dos últimos jogos (a única excepção é a habitual troca de guarda-redes em jogos para a Taça da Liga e Taça de Portugal).

Para quê jogar na máxima força?

Os treinadores que antecederam Paulo Fonseca – Jesualdo Ferreira, André Villas-Boas, Vítor Pereira – aproveitavam os jogos da Taça da Liga para darem oportunidades aos jogadores menos utilizados do plantel e, por vezes, até a jogadores da equipa B.

Mas o atual treinador do FC Porto não pensa da mesma maneira.
Aparentemente, para Paulo Fonseca é muito importante ganhar (e por muitos golos) ao Marítimo, para passar às meias-finais e continuar a disputar esta prova. Porquê?

Em termos de gestão do grupo e perspectivando a 2ª metade da época (podem acontecer lesões, castigos, abaixamentos de forma), não seria mais importante aproveitar o jogo de hoje para dar uma oportunidade a sério a alguns elementos do plantel, que também têm legitimas expectativas de jogar?

Por exemplo, porque não jogar Diego Reyes em vez de Maicon ou Mangala, Herrera em vez de Fernando e Ghilas em vez de Jackson?

A equipa não ficava descaracterizada (seria apenas uma alteração por sector), três dos jogadores mais utilizados seriam poupados e três jogadores que têm andado pela equipa B, ou pelo banco de suplentes, seriam titulares da equipa principal.

Não me parece que a aposta sempre nos mesmos, incluindo nos “jogos importantíssimos” da Taça da Liga, seja boa para a gestão do grupo.


P.S. Do lado do Marítimo, parece que há vários dos habituais titulares (José Sá, Gegé, Danilo Pereira, Derley e Heldon) que nem viajam para o Porto.
«Pedro Martins vai dar oportunidade a alguns jogadores menos utilizados e tudo indica que mexe em meia equipa no Dragão. Do último onze que perdeu com o Benfica, na Luz, apenas devem repetir a titularidade João Diogo, Igor Rossi, Marakis, Nuno Rocha e Danilo Dias.», in record.pt

10 comentários:

Pedro disse...

Caro José,

Creio que não é Paulo Fonseca. Será mais uma vontade da SAD em eliminar o Sporting a qualquer custo, do que a vontade do Paulo Fonseca em apostar nesta competição. Acredito que em outro grupo o Porto tivesse feito uma rotação de jogadores mais intensa.

A guerra com o Vale Azevedo verde não é bluff.

Joaquim Lima disse...

E parece que hoje vamos fazer a despedida ao Lucho, o jogador que foi campeão todos as épocas que esteve no Porto.

Pedro Albuquerque disse...

"Os treinadores que antecederam Paulo Fonseca – Jesualdo Ferreira, André Villas-Boas, Vítor Pereira – aproveitavam os jogos da Taça da Liga para darem oportunidades aos jogadores menos utilizados do plantel e, por vezes, até a jogadores da equipa B."

Quando se é anti-Paulo Fonseca não se olha a meios.

2ª Jornada da Taça da Liga 2012/2013 - Estoril x FC Porto
Helton
Danilo
Eliaquim Mangala
Alex Sandro
Nicolás Otamendi
Lucho González
João Moutinho
Fernando
Kelvin
Jackson Martínez
Silvestre Varela

Meias-Finais da Taça da Liga 2012/2013 FC Porto x Rio Ave
Fabiano
Danilo
Maicon
Eliaquim Mangala
Abdoulaye Ba
André Castro
João Moutinho
Fernando
Steven Defour
Jackson Martínez
James Rodríguez

Vejo aqui uma tentativa do Vitor Pereira em tentar ganhar a Taça da Liga e não de rodar jogadores da Equipa B.

Bardock99 disse...

O Porto só vai alinhar com o onze habitual para arrumar com o SCP da Taça da Liga. Sendo uma competiçao que tem os dias contados, qual era o interesse do Porto em jogar para ganhar quando na historia da competiçao esse nunca foi o objectivo?

Claramente arrumar o bruninho e os falidos de mais uma competiçao!

José Correia disse...

Quando se é anti-Paulo Fonseca não se olha a meios.
2ª Jornada da Taça da Liga 2012/2013 - Estoril x FC Porto
(...)


E quando se quer atirar areia para os olhos das pessoas e comparar o incomparável, vai-se buscar exemplos destes.

O Estoril x FC Porto que deu como exemplo, foi disputado no dia 30-12-2012.
O jogo anterior a esse, também para a Taça da Liga, tinha sido disputado antes da paragem de Natal, no dia 19-12-2012!

Percebe a diferença de contexto e tempo de paragem entre o seu exemplo (Estoril x FC Porto, da época 2012/13) e o jogo de hoje?

José Correia disse...

Meias-Finais da Taça da Liga 2012/2013 FC Porto x Rio Ave
Fabiano
Danilo
Maicon
Eliaquim Mangala
Abdoulaye Ba
André Castro
João Moutinho
Fernando
Steven Defour
Jackson Martínez
James Rodríguez


Que belo exemplo!

No onze titular escolhido por Vítor Pereira, não vejo:
- a dupla de centrais titular da altura (jogaram Maicon e Abdoulaye em vez de Otamendi e Mangala);

- o defesa-esquerdo habitual (alinhou Mangala em vez de Alex Sandro);

- o meio campo habitual (jogou Castro em vez do capitão Lucho);

- o trio de ataque mais vezes utilizado (jogou Defour numa ala em vez de Varela).

Obrigado pelo exemplo, eu não arranjaria melhor (e ainda por cima sendo uma meia-final).

Aliás, este seu exemplo vai exactamente de encontro aquilo que eu defendo no artigo para o jogo de logo à noite.

Joaquim Lima disse...

Até foi aqui discutido se o VP deveria ou não usar os principais jogadores, dada a longa paragem no campeonato!

Bluesky disse...

É claramente uma "birra" com os esverdeados...
Aí o facto de alinharmos na máxima força!
Ah! Lucho deu-se ao luxo de ir gozar uma reforma dourada para o Qatar...
Boa sorte do mundo ao grande capitão!

bruno cláudio disse...

esta atitude anti fonseca já aborrece, deixem o homem trabalhar!
o RP já teve melhores dias, com cronicas e sentido de humor inteligente.
hoje em dia anda meio "avermelhado" a soltar raiva para dentro do clube!

José Correia disse...

A minha opinião sobre o interesse da Taça da Liga sempre foi esta, independentemente do treinador se chamar Jesualdo Ferreira, André Villas-Boas, Vítor Pereira ou Paulo Fonseca.

E não são comentários como o seu, destituídos de conteúdo, que me vão fazer mudar de opinião.

O que já aborrece é haver indivíduos que andam pela blogosfera a querer calar a opinião de outros, recorrendo para isso a "argumentos" estapafúrdios.

Mas, já agora, se o que lê no RP o aborrece, por que razão continua a vir cá e, ainda por cima, se dá ao trabalho de comentar?