segunda-feira, 3 de fevereiro de 2014

O desempenho do FC Porto à 17ª jornada...

Recuando até à época 2006/2007, quando o número de equipas na I Liga foi reduzido de 18 para 16 (para abrir caminho à Taça da Liga...) e o campeonato passou a ter 30 jornadas, o desempenho do FC Porto nas primeiras 17 jornadas tem sido o seguinte:

Primeiras 17 jornadas da época 2012/2013 (fonte: zerozero)

Primeiras 17 jornadas da época 2011/2012 (fonte: zerozero)

Primeiras 17 jornadas da época 2010/2011 (fonte: zerozero)

Primeiras 17 jornadas da época 2009/2010 (fonte: zerozero)

Primeiras 17 jornadas da época 2008/2009 (fonte: zerozero)

Primeiras 17 jornadas da época 2007/2008 (fonte: zerozero)

Primeiras 17 jornadas da época 2006/2007 (fonte: zerozero)

Os números e as exibições (!) indicam que este FC Porto de Paulo Fonseca é uma das piores equipas (chamar ao que temos visto "equipa" é uma força de expressão) que o FC Porto teve neste século e, notoriamente, está num patamar qualitativo muito abaixo da EQUIPA organizada, compacta, pressionante e altamente competitiva que herdou de Vítor Pereira.



Não podendo comparar-se com o treinador que o antecedeu, os números dizem que, à 17ª jornada, o FC Porto de Paulo Fonseca está ao nível das equipas de Jesualdo nas épocas 2008/2009 e 2009/2010.

Claro que há o "pequeno pormenor" de Jesualdo ter sempre superado a fase de grupos da Liga dos Campeões e de, na época 2008/2009, ter mesmo chegado aos quartos-de-final da principal competição mundial de clubes, mas isso são outras contas, em que Paulo Fonseca também fica a perder (e por muito) nas comparações com os treinadores que o antecederam.

8 comentários:

Pyrokokus disse...

Na minha perspectiva o pior nem é a pontuação, o pior é perceber que a equipa jogo após jogo não evolui. O plantel pode nem ser o melhor dos últimos anos, mas tem a obrigação de jogar muito mais do que joga, e isso é da responsabilidade do treinador.
Acho que já vai longo o tempo do PF nos comandos do plantel.Com um treinador capaz, ainda vamos a tempo de sermos campeões (devido á falta de qualidade que os adversários têm), mas com o PF nem á Champions vamos.

DC disse...

Eu acho que já nem vale muito a pena comparar o PF com ninguém. Eu não gostava muito de Jesualdo por causa das suas tácticas de transições rápidas. Mas ele sempre teve uma equipa, sempre teve ideias claras (por muito que eu não gostasse delas) e acho que nunca ninguém entrou em desespero com ele porque via a equipa a evoluir durante a época.
Agora este, só o Octávio bateu tão fundo a nível de jogo, que me recorde. Mas o Octávio pelo menos, tinha algumas boas ideias. Decidiu encostar o Jorge Costa para jogar o Carvalho e o Andrade e, como se viu, não era uma ideia tão disparatada quanto isso. Decidiu que a equipa devia ser Deco+10 e para isso usava 3 médios mais defensivos para lhe dar total liberdade e, mais uma vez, pelo menos o princípio de que o Deco era fundamental estava certo.
Agora este? Eu bem avisei, por exemplo, que o Carlos Eduardo era fogo de vista enquanto não se adaptava ao treinador. Na Madeira, coitado do homem, meteu pena vê-lo a jogar.

Repito mais uma vez o que já disse aqui inúmeras vezes: foi um erro histórico. E vamos pagá-lo durante muito tempo!

P.S. Vi o jogo do Estoril esta jornada e desconfio que se o Marco Silva for o substituto do PF, vamos continuar na mesma miséria.

José Rodrigues disse...

O Pyrokokus tirou-me as palavras da boca. Os pontos de atraso sao recuperaveis, o grande problema e' q jogamos mal *e* nao ha' a MINIMA perspectiva de q q tendencia sera' a melhorar. Evolucao zero.

De resto ja' era tempo de tirar treguas nas discussoes sobre a valia do plantel, a janela de transferencias fechou; so' la' para o fim da epoca e' q vale pena voltar 'a discussao.

Sobre esse ponto acho q basta apenas observar que, por muito q os adeptos divirjam na apreciacao ao dito-cujo, acho q toda a gente concorda q o nosso plantel e' certamente melhor/mais valioso do q o de um SCP (q vai 'a nossa frente). Ou nao?

O q indica logo 'a partida q o maior problema certamente nao passa pelo plantel.

glorigozo 5lb disse...


Ando depressivo como a merda - se é que esta é depressiva. Ando descrente. Ando triste. Não ando sequer...

É conveniente não escamotear a Verdade. E esta diz que não estamos a jogar um cara...ças desde o início desta época... Não quero zurzir na SAD nem no nosso Grande Presidente, mas que algo "está podre" por lá, quer-me parecer que sim...

Acho que ainda vamos a tempo de emendar e de não perdermos tudo - inclusive a taça da carica.

Abraços
«e quem não salta é lampião»

glorigozo 5lb disse...


para além de que quase todos os craques que passaram pelo nosso clube e foram por ele treinados lhe estão muito gratos e referem sempre o nome do Professor quando lhes perguntam um treinador que os tenha marcado...

temo que Paulo Fonseca também vá ser sempre citado... mas por factores negativos...

Abel Pereira disse...

Vim para escrever no mesmo sentido dos comentários anteriores, de tal modo a situação do FCP salta à vista.
Depois do que se passou no jogo para a taça da liga e de ouvir PF dizer que o Marítimo, jogando em pleno Dragão, com a maior parte de jogadores não titulares habituais, era uma equipa forte e exímia no contra-ataque, interiorizei imediatamente que o jogo na Maneira estava perdido logo à partida. Por isso, quando o FCP já perdia por um a zero, decidi-me a vê-lo na Internet. Vi apenas uns cinco minutos porque a imagem estava insuportavelmente tremida. Nesse pequeno espaço de tempo, vi os jogadores do FCP, de posse da bola, olharem, de cabeça bem levantada, lá para a frente à descoberta de algum colega em condições de receber a bola, mas acabavam sempre por passá-la para trás e para o lado. Esta situação não depende da qualidade dos jogadores, acontece porque não existe um único esquema na passagem para o ataque. Se não existe para o ataque também não existe a defender, o que explica que em tantos jogos e quase todos os jogadores cometam erros tão infantis. E quando muitos portistas dizem que PF não tem culpa das abébias que os jogadores dão, não têm razão: é tudo fruto da falta de conhecimentos de PF para por a jogar uma equipa que tem de ganhar sempre.
Tudo o que PF diz nas conferências de imprensa confirmam esta realidade.

Tiago Silva disse...

Ora bem, o que dizer?
Sinceramente, penso que já tudo foi dito.
Quando após o jogo contra o Sporting em casa, vaticinei que esta iria ser uma época de sofrimento e que iriamos perder mais do dobro dos pontos desperdiçados na época passada, não estava a expressar qualquer dote de adivinhação mas apenas a evidenciar algo que já se me afigurava claro: este Porto de PF é, todo ele, um equívoco.
Não questiono que PF seja uma boa pessoa, que tenha um excelente caracter e que seja alguém por quem os jogadores sentem empatia.
O problema não reside "na pessoa".
O problema é apenas e tão só táctico.
PF não conseguiu implementar o seu modelo, os seus princípios de jogo no Porto e, está visto, não tem vontade / capacidade de os alterar.
Quando passados mais de 6 meses o Porto ainda não tem um meio campo definido e estabilizado, penso que está tudo dito.
No sábado, estou em crer, foi o 9º meio campo diferente utilizado por PF.
Fica a lista:
Fernando - Josué - Lucho
Fernando- Defour - Lucho
Fernando - Herrera - Lucho
Fernando- Herrera - Carlos Eduardo
Fernando - Defour - Carlos Eduardo
Fernando - Lucho - Carlos Eduardo
Fernando - Josué - Carlos Eduardo
Defour - Josue - Carlos Eduardo
Josue - Carlos Eduardo - Quintero
Depois não deixa de ser caricato que o modelo / princípios de jogo perfilhados por Paulo Fonseca privilegiem o jogo interior (se bem que não se deem por eles) e a contratação de Inverno seja de um extremo que visa constantemente a linha e o cruzamento.
As transições defensivas continuam a ser executadas deficientemente, colocando a defesa, não raras vezes, em inferioridade numérica para com o adversário.
O espaço entre sectores, sobretudo entre os dois médios mais fixos e o que ocupa a ponta do vértice, continua a ser enorme.
Não há qualquer pressão, seja ela zonal ou de outra natureza, sobre o adversário, facilitando, com isso, a construção de jogo por parte do opositor.
Não se vê dinâmica no modelo, não se regista qualquer criatividade ao nível da construção ofensiva.
Não se concedem linhas de passe aos colegas, não se oferecem apoios, obrigando a que portador da bola tenha que jogar frequentemente em profundidade ou arriscar passes verticais de mais de 20 metros pelo facto acima descrito.
Com todos estes equívocos, os resultados só podiam ser estes.
Depois, já se sabe: os maus resultados potenciam a desconfiança, a descrença dos jogadores e, com isso, aumenta a intranquilidade da equipa.
É o efeito bola de neve em todo o seu esplendor.
A SAD cometeu erros ao nível do planeamento do plantel? A SAD geriu da melhor forma os processos Lucho, Fernando e Otamendi?
Penso que todos concordam quando digo que a resposta a ambas as questões é negativa (no entanto, parece que alguns já se esqueceram que esta é a mesma SAD que nos tem dado inúmeros títulos, nacionais e internacionais, ao longo destes anos).
Não obstante, com este plantel, PF tinha a obrigação de fazer muito melhor.
Estamos a falar da liga Portuguesa, onde um Sporting com Wilson Eduardo´s, Adrien´s, Maurícios, Cedric´s,´etc., só por acaso não vai em primeiro lugar.

Luís Vieira disse...

Concordo inteiramente. Apesar de não ser um plantel de arromba, não é tão mau como o pintam. Um treinador mais habilitado conseguiria tirar melhor partido dele. A propósito, se calhar já é tempo de mudar o critério na escolha de treinador: a SAD privilegia jovens ambiciosos, com muito a provar e fome de títulos, mas parece-me que a escolha recai neste tipo de treinadores porque são mais facilmente manipuláveis (o caso do Paulo Fonseca é gritante, parece uma marioneta). A não ser que seja intrinsecamente incontrolável (Mourinho), conviria optar por um perfil mais experiente e assertivo, com créditos firmados (mas não acomodado). Não encaixarão muitos nestes requisitos, mas a SAD está lá para encontrá-los. A famigerada estrutura é boa para respaldar os treinadores, mas a ingerência no seu trabalho é nefasta. Nota final para a indiciplina e o desnorte que reinam no nosso clube: Fucile, Otamendi, Fernando, Defour, Quintero e Izmaylov são casos a mais numa só época.