terça-feira, 25 de fevereiro de 2014

Sai Angelino, entra Gomes

Na semana passada a SAD anunciou que um dos seus 3 administradores executivos, Angelino Ferreira (o "homem das contas", responsável pela área financeira) vai ser substítuido por Fernando Gomes, o ex-político, sem que tenham sido dadas quaisquer explicações para a troca.

Curiosamente será o 2o Fernando Gomes a ocupar essa função no Conselho de Administração, onde vai fazer companhia a Pinto da Costa, Adelino Caldeira, Reinaldo Teles (e Rui Sá, administrador não-executivo, um cargo totalmente secundário). Assinalo de passagem - para os mais distraídos - que Antero Henrique não faz parte oficialmente da cúpula máxima da SAD, muito embora tenha um papel mais importante do que um ou outro administrador (a propósito, só considerações políticas de PdC explicam a meu ver que um Reinaldo Teles ainda não tenha sido substituído oficialmente por Antero no CA). 

Esta mudança apanhou a maior parte dos adeptos de surpresa. 

Em primeiro lugar porque Angelino não se aguentou muito tempo nesta 2a passagem pela SAD; tendo ocupado anteriormente o mesmo cargo - e durante vários anos - não se pode dizer que não sabia ao certo no que se estava a meter (nem que PdC não sabia com o que ia contar quando o convidou a regressar). 

Em segundo lugar e acima de tudo, pela entrada de F. Gomes. Fernando Gomes é um «paraquedista» no mundo do futebol aos 68 anos, e um político de carreira (onde passou mais de 30 anos) - e embora tenha tirado o curso de Economia nunca exerceu as habilitações (o mais perto que andou disso foi como administrador da Galp nos últimos anos).

Pessoalmente não gostei desta notícia, e por várias razões:

1) antes de mais por achar que Fernando Gomes está mal habilitado para o cargo. Dito isto, ser um «animal político» pode ser útil no cargo, o que já não é mau.

2) por nao gostar da aparente promiscuidade que se promove entre o mundo política e o mundo do futebol (ainda por cima quando ele tinha sido presidente da câmara da cidade onde está o FCP). Aliás, em futuras negociações entre o FCP e a CMP (ou CMG), a suspeita vai ser lançada de que o presidente das dita-cujas estará a fazer favores ao FCP para se «fazer ao tacho na SAD» mais tarde. A Lucrécia Bórgia não basta ser honesta, há que parecê-lo...era escusado dar mais um pretexto aos nossos inimigos para nos atacar.

3) finalmente, pelas eventuais verdadeiras razões q terão levado a) o Angelino a sair, b) a que a PdC/SAD concluir que era bom lá ter o Fernando Gomes e c) Fernando Gomes a aceitar meter-se no FCP. Parece-me que anda muita gente a «jogar xadrez» em várias dimensões...

De qualquer forma o que é claro é que na FCP SAD as funções no papel não correspondem necessariamente ao verdadeiro papel e peso de cada um dos dirigentes, e é uma incógnita que papel ao certo vai Fernando Gomes desempenhar; e que peso é que virá a ter nas grandes decisões de gestão.

Suspeito que passe a ser a principal face pública da SAD (habilidade em relações públicas é um défice claro nos restantes altos dirigentes, com a clara excepção de PdC), fazendo uso dos seus dotes políticos... para além disso, fico na expectativa, todos os cenários são possíveis. A ver vamos.

22 comentários:

Luís Vieira disse...

Diz-se que o Angelino Ferreira renunciou pelas mesmas razões que motivaram a saída do Fernando Gomes (presidente da FPF): desacordo com a gestão do clube, que perigava o orçamento cuja feitura era da sua responsabilidade. Há quem afirme que a gota de água foi o mercado de inverno, durante o qual o administrador demissionário contava com a realização de um encaixe significativo (negócio milionário com o City?), que estabilizasse as contas do clube, face aos desmandos das contratações inflacionadas (Herrera, Reyes, Danilo, Alex Sandro). O Fernando Gomes (ex-presidente da CMP) é tido como uma figura decorativa, um yes man para subscrever acriticamente a gestão da SAD, não obstante as sublinhadas qualidades políticas que, eventualmente, poderão ser úteis (até na relação com a banca e patrocinadores).

José Rodrigues disse...

"O Fernando Gomes (ex-presidente da CMP) é tido como uma figura decorativa, um yes man para subscrever acriticamente a gestão da SAD"

E' uma possibilidade, sem duvida - mas entre outras, em q num oposto extremo viria a ganhar muito poder (ao ponto de ser o substituto de PdC).

Mas nesse cenario seria de perguntar se F Gomes aceitou o cargo apenas como "tacho", aceitando alegremente q os outros tomem as principais decisoes como bem lhes apetecer desde q receba o seu dinheiro e tenha exposicao publica. Nao sei, mas uma coisa e' certa: o homem e' vaidoso...

Nightwish disse...

Não me parece que o ponto 2 seja um problema, já lá vão 10 anos desde que o homem teve um cargo público.

Luís Vieira disse...

Não dou grande crédito à hipótese de o Fernando Gomes se perfilar como candidato à sucessão. Acho até uma ideia perigosa, uma vez que, como bem refere, um pára-quedista político pouco ou nada percebe de futebol. Acredito mais na segunda construção.

Jose Norton disse...

Boa Noite
Obviamente na minha opinião este artigo denota uma "ignorância" latente do autor do "artigo" quanto ao Dr Fernando Gomes ( adjetivado como politico pelo autor)....
Mas que "crime de lesa pátria"...politico !
Embora alguns "economistas" o sejam também,,,,
Quem melhor poderá julgar ?
JNorton

meirelesportuense disse...

Temos a mania de que somos muito purinhos, melhor dizendo que devemos aparentar ser sérios...O facto de Fernanado Gomes criar engulhos em muita gente deve-se apenas ao facto de ser oriundo do PS, ninguém questionou a presença de gente ligada ao PSD e ao CDS na SAD mas se forem de outras correntes políticas a conversa muda substancialmente...Promiscuidade entre futebol e política sempre houve e sempre haverá, antes de Abril e depois de Abril, em Lisboa, os Presidentes da Câmara foram sendo eleitos independentemente de serem adeptos do Benfica ou do Sporting e de estarem sempre ao lado destes Clubes, em todas as situações, mesmo as mais difíceis!
No Porto um Presidente da Câmara que fez da sua grande bandeira o combate ao FCdoPorto, foi eleito sempre por maioria e com o apoio de imensos Portistas.Não me venham com isenção e transparências, porque para mim é apenas sofisma de quem quer enganar os mais distraídos...

meirelesportuense disse...

Não percamos a noção do que verdadeiramente interessa neste momento, a unidade de todos os Portistas em torno do Clube.
Deixemos de lado as nossas vaidades.

José Rodrigues disse...

Bons olhos te vejam, Norton. Entao, o proximo envelope ja' esta' pronto?

Bem, se o Fernando Gomes nao e' politico de carreira, entao o PdC nao e' dirigente desportivo...

Aos 28 anos a politica ja' era o seu ganha-pao, quando foi eleito presidente da CM de Vila do Conde. Desde entao e durante mais de 30 anos a politica foi sempre a sua profissao, de presidente da camara (em VC e Porto) a deputado europeu a ministro a deputado na AR.

Nao estou a dizer q isso e' mau ou bom, estou apenas a assinalar um FACTO.

Olha que estamos a falar do Fernando Manuel dos Santos Gomes, nao do "bibota" ou do presidente da FPF... ou a tua afirmacao foi mesmo fruto de ignorancia?

Daniel disse...

Agora até a troca de elementos da SAD gera polémica..a vontade de dizer mal é tanta que em vez de nos unirmos em torno da equipa, discutimos as carreiras passadas dos elementos da SAD. Não morasse eu na Caparica e estaria mas era no Dragão a gritar a chorar, a apoiar ou a assobiar em vez destas conversas de m#$da..

Nightwish disse...

Veja lá se não apanha sol a mais.

Sansoni7 disse...

Olá
Para além de tudo o que já escreveu, ceio que será de atentar no Futuro e na eventual «influência» da Galp no FCPorto, à imagem do que em tempos ocorreu com a CGD e mais recentemente com o BMG.

Estarei atento e se da entrada de Fernando Gomes para a SAD, advieram mais vantagens financeiras para o FCPorto, do que prejuízos para a sua imagem...fixe.

Cumprs
Augusto

Jose Norton disse...

Sei bem quem é Fernando Gomes. O "lesa pátria" politico.
Quanto ao outro Fernando Gomes o ex jogador sempre contestei a sua presença no FCPORTO enquanto dirigente ou representante.
Já agora a tua "ignorância" não comento.

José Rodrigues disse...

Eu estou a borrifar-me para a carreira passada do F Gomes pela carreira em si.

Mas isso interessa-me na medida em q possa dar indicacoes das qualificacoes (ou ausencia delas) para o cargo q passa a ocupar na SAD - apenas e so' nessa medida.

Mas pronto, ja' percebi q quando o PdC sair do FCP o Daniel vai-se estar a borrifar para o passado (carreira) dos candidatos a presidente aquando das eleicoes... presumo q para ele isso va' ser irrelevante.

José Rodrigues disse...

Explica la' direitinho essa do "lesa patria", Norton... lesa patria em que^, ao certo? E quem o afirma? Tu?

DC disse...

Eu acho que estamos num ponto chave da nossa história. Ou acontece um milagre (e eu não acredito em milagres), ou o 5LB será campeão esta época. Como tal, quase certamente, manterá o seu treinador campeão (aquele presidente nunca arriscaria trocar de treinador depois de ser campeão, arriscando-se a levar com as culpas de perder no ano seguinte).
E então, cabe-nos a nós evitar um cenário que não acontece há muitos, muitos anos: o 5LB a vencer 2 anos seguidos.
Só que, teremos que o fazer depois de vender Jackson, Mangala e Fernando, pelo menos e com uma aposta num novo treinador.
Falhando essa aposta no treinador e nos reforços, poderemos entrar num ciclo gravíssimo.

É fundamental acertar em tudo na próxima época, é fundamental um treinador de topo, que não venha para cá "aprender" como este veio. Eu adorava ver Van Gaal no Porto (que referiu vir viver para Portugal no próximo ano). Aguardo que PdC volte a provar ser o melhor dirigente em Portugal e que ainda é ele quem tem o poder no Porto. Ele também saberá (e aquele descontrolo com o jornalista para mim é prova da preocupação dele) que está num ponto-chave do seu percurso como dirigente.

Daniel disse...

Tenho 32 anos, pelo que nesta minha ainda curta vida já assisti a muitas glórias do nosso clube e a várias decisões tomadas pelos elementos da SAD (em 32 anos imagino que já muita gente tenha passado por lá). Nem sempre foram as melhores decisões mas a verdade é que continuámos sempre a ganhar tudo pelo caminho. Por isso, tenham lá confiança nos homens e apoiem mas é a equipa. Quando o PdC sair do FCP de certeza que os sócios saberão escolher o melhor para o clube.

José Rodrigues disse...

"Por isso, tenham lá confiança nos homens e apoiem mas é a equipa"

Daniel, desculpa la' mas as tuas conversas (emails, de cafe', etc) com outros portistas devem ser muitissimo curtas e chatas: discutir q jogadores e' q podem melhorar o rendimento? Possiveis correcoes/melhoramentos a fazer pelo treinador? Pela Direccao?

Nada disso, nao se deve conversar sobre nada disso: tenham confianca nos diversos intervenientes, sejam mas e' cheerleaders, e de resto calem-se, nao ha' nada para conversar. E' isso?

José Lopes disse...

Tambem gostava de ter o Van Gaal, mas todos sabemos que nao e' homem que case com a maneira como a SAD do Porto funciona, fora nao termos campeonato para a estaleca dele. Ele referiu vir para Portugal, mas para gozar a reforma. Para trabalhar, falou no Tottenham...

Claro que o Jesus continuara no Benfica se for campeao ate porque tem contrato por mais uma epoca.

Daniel disse...

Nada disso José. Eu até sou bastante crítico relativamente ao mau momento da equipa, não me peçam é para alinhar nos discursos de auto-destruição.

Para isso já me bastam todos os meus amigos benfiquistas/sportinguistas a prever a catástrofe do "fim-de-ciclo" e outras tretas que mais.

Claro que se pode e deve falar sobre os problemas que afectam o nosso clube, mas debatê-los internamente e não na praça pública porque isso, na minha humilde opinião, só dá mais força aos rivais...

Acho que é possível não concordar com algumas opções mas manter o apoio, ou não?

Alexandre Burmester disse...

"Debatê-los internamente" onde, precisamente? Nas AGs do clube? (imediatamente dirão que o futebol é gerido pela SAD). Nas AGs da SAD? (imediatamente dirão que não faz parte da agenda).

Além disso, o debate público é livre e assim deve continuar, e destina-se a dar força ao nosso clube. Se pelo caminho isso "der força aos rivais", tal deverá ser encarado como dano colateral, mas não deve servir de pretexto para silenciar o debate.

Daniel disse...

Cada um que faça como entender. Eu vou continuar a criticar mas sem nunca deixar de apoiar.

Alexandre Burmester disse...

A obrigação de um adepto de um clube de futebol é apoiar o clube e suas equipas. Não tem qualquer obrigação de apoiar quem o dirige. Do mesmo modo, um cidadão de qualquer país tem o dever de o defender, mas não tem o dever de defender o respectivo governo.

O problema é que por vezes há quem confunda os que mandam com o próprio clube ou país.