quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014

Tiros e tiros

Ao contrário do que possa parecer, a aposta no Paulo Fonseca, pouco ou nada tem a ver, com aquelas que foram feitas nos então desconhecidos/inexperientes José Mourinho (JM), André Villas-Boas (JM), ou até mesmo, Vítor Pereira (VP). Ao contrário destes, o Paulo Fonseca (PF) teve, antes de chegar ao Porto, experiência zero num clube de dimensão semelhante - mesmo como jogador, e embora tenha pertencido aos quadros do FCP (sem nunca ter vestido a camisola), nunca chegou mais longe do que o Vitória SC.

Antes de chegar ao FCP como treinador principal, Mourinho fora adjunto de Bobby Robson e Van Gaal, no SCP, FCP e Barcelona, para além de ter cumprido um curto período como treinador do SLB. AVB foi "adjunto" de Mourinho, no FCP, Chelsea e Internazionale (e chegou "trabalhar" com o Bobby Robson, também no FCP). O VP, foi adjunto do AVB, (apenas) no FCP, e foi visível que enquanto treinador principal, teve "aprender no cargo". O PF, desconheço de quem tenha sido adjunto, mas certamente não foi no FCP, no Barcelona, no Chelsea ou sequer no Braga ou Boavista; aliás, há quatro anos, era treinador do Pinhalnovense.

Pode parecer um pormenor sem importância, mas uma época que seja como adjunto, num clube como estes, não permitirá um crescimento e evolução de que o PF nunca pôde usufruir? Tivesse tido tal oportunidade de aprender, e talvez tivesse pensado melhor antes de, por exemplo, decidir mudar aquilo que estava bem e que estivera na base da vitória dos 3 últimos campeonatos. Poder-se-á dizer que o PF, nunca teve oportunidade de aprender com os erros dos outros - nem parece interessado em aprender com os seus.

Só se pode especular sobre quem tomou a decisão de contratar o PF, mas certo é que a ânsia de descobrir o novo "Mourinho" ou "Villas-Boas", pesou mais que as reais necessidades do clube. E pelo visto até aqui, essas apostas, as bem sucedidas, não são os "tiros no escuro" (ou as epifanias só ao alcance do Pinto da Costa) que parecem ser à primeira vista - o JM, o AVB e o VP, já tinham experiência prévia no FCP, e eram já conhecidos na casa, antes de chegarem a treinadores principais. Posto isto, a hipotética contratação do Marco Silva, tal como a do PF, mais que um "tiro no escuro", corre o sério risco de ser mais um "tiro no pé".

8 comentários:

Pedro Albuquerque disse...

Não concordo com a comparação entre o Marco Silva e o Paulo Fonseca. Como dizem o Paulo Fonseca esteve no Pinhalnovense, Desp Aves e Paços de Ferreira, sendo que só no Paços é que mostrou um bom trabalho e num só ano em que Sporting e Braga não mostraram ser o que foram em outros anos.

Marco Silva já vem num trajecto de 2 anos e meio. Subiu o Estoril e ganhou a II Liga, perdeu jogadores importantes e acabou o campeonato em 5º lugar do ano passado.
Este ano voltou a perder jogadores influentes, como Licá, Carlos Eduardo, Luis Leal, Bruno Nascimento ou Steven Vitória e está a fazer um grande campeonato, estando em 4º lugar a 6 pontos do FC Porto. Na Taça de Portugal foi eliminado pelo FC Porto nos ultimos minutos de jogo depois de estar a ganhar. Na Liga Europa, apesar de os resultados não o dizerem, fez uma boa campanha para uma estreia. Empatou fora na Alemanha, merecia ter ganho em casa ao Sevilha e ao Friburgo. Podia ter muito facilmente ter passado aos 16-avos de final da Liga Europa.

Por isso não comparemos onde não é possível comparar!

José Lopes disse...

O Villas-Boas nao foi adjunto do Mourinho, nao fez trabalho de campo. Ele era observador de adversarios, o "video boy", como lhe chamavam no Chelsea. Nao esquecamos que, apesar de curta, teve uma passagem pela Academica (e outra pelas Ilhas Virgens Britanicas...). O Mourinho veio do Leiria para o Porto, onde mais uma vez estava a mostrar talento, ate de forma mais indiscutivel que no ridiculo Benfica de 2000. Eu sei que e' uma realidade diferente da do Porto, mas certamente tera ajudado na formacao como treinador.

meirelesportuense disse...

Não façam o jogo dos nossos inimigos, Marco Silva tem um perfil semelhante a Paulo Fonseca!
Trabalhou dois anos no Estoril e levou-o aos lugares Europeus e Paulo Fonseca também conseguiu fazer isso com o Paços de Ferreira.Marco Silva jogou onde?
José Mota era o treinador do Leixões de há cinco anos que ganhou no Dragão pela penúltima vez.Querem contratá-lo?...

Nuno Fonseca disse...

Marco Silva não engana. é como o algodão. PF sempre deixou dúvidas. Mesmo na altura em que foi contratado. Para além do que aqui já foi dito relativo ao curriculo, o discurso de Marco Silva é 3000 vezes superior ao do PF que quando fala por ele próprio gagueja a cada 2 segundos e quando fala o que foi combinado com o assessor de imprensa mete os pés pelas mãos. Isto também tem muita importância apesar de não parecer. Ainda ao nível do discurso, para além de vazio e sem ideias, é muito murcho. Parece uma menina delicada. Sinto que o Marco Silva se ensaiaria pouco para dar um berro a um jogador durante um treino e se ensaiaria pouco para meter um jornalista na ordem numa conferência de imprensa respondendo a uma pergunta mais provocadora.
São só sinais que o adepto(neste caso eu) vai apanhando mas que também devem ser importantes numa escolha de treinador.
Penso que se se deixasse PF mais um ano a maturar no Paços que se teria uma melhor ideia daquilo que ele vale. infelizmente veio mostrar isso para o Porto.

Miguel Lourenço Pereira disse...

O que me parece evidente é que depois do caso Paulo Fonseca qualquer treinador com o seu perfil vai ter muito mais dificuldades em dar o salto a um grande se este não estiver "desesperado" e sem "alternativas".

O PF fez um fraco favor aos Mário Silvas, Nuno´s Espirito Santos e companhia.

DC disse...

Discurso, a sério? Ainda há quem pense que o discurso dá títulos?
A direcção tem que ir pelos métodos, pelas tácticas, pela organização? Isso sim, importa. Discurso? Estamos a falar de futebol ou de política?

DC disse...

Se a nossa direcção fizesse uma observação detalhada e competente dos treinadores, não havia nenhum problema. O problema é que como se viu, na direcção também muito pouca gente percebe de futebol.
Tanto contratam um treinador actualizado e competente como VP como depois passam para um incompetente como PF. Tanto vem um Octávio com tácticas do século passado como depois vem um inovador Mourinho. E depois segue-se um louco Del Neri, um atrasado Fernandez e um coitado Couceiro.
Não há coerência, não há critério, contrata-se o treinador da moda.

Joaquim Lima disse...

Também não sabemos qual o papel dos empresários no meio da contratação dos treinadores. Não sei até que ponto a vinda do PF para o Porto não teve a mão do Jorge Mendes por trás que, pelo que sei, é o representante do treinador.