domingo, 16 de março de 2014

BASTA!

Um roubo ao raio-x (19-05-2008)

Cartoon, O JOGO (25-08-2008)

O apito encalhado (13-04-2012)




«Os “factos” de que o presidente do Sporting fala não são factos, muito menos reconhecidos por toda a gente, mas há factos envolvidos no assunto e um deles contraria toda a mensagem da conferência da última segunda-feira: é que o Sporting esteve na origem de quase todas as alterações que houve na arbitragem pelo menos desde que o futebol profissional passou para as mãos da Liga, há uns 20 anos. E houve muitas. Quando Bruno de Carvalho diz “Basta!” é preciso especificar. Basta do quê? De ter sócios do Sporting a presidir ao CA? Da última grande mudança, que só tem três anos e consistiu em transladar a arbitragem para Lisboa, como o Sporting queria? Tirar a arbitragem da Liga e colocá-la na Federação, como o Sporting queria? Montar o conselho de arbitragem (CA) através do método de Hondt, que mistura elementos das listas candidatas, como o Sporting queria? O atual regime jurídico das federações foi feito só para isto e saiu diretamente de Alvalade para os ouvidos do ex-secretário de Estado do Desporto Laurentino Dias.»
José Manuel Ribeiro, O JOGO, 15-03-2014


P.S. Pedro Proença vai estar hoje à noite sob enorme pressão e, conhecendo o público de Alvalade, não é preciso ser bruxo para antecipar que um dos objectivos é o de amarelar e/ou expulsar jogadores do FC Porto (Mangala, Abdoulaye, Fernando e Defour serão os alvos principais). A haver expulsões, espero que não sejam vergonhosas, como as de Maicon (em 2010/2011), ou a de Carlos Eduardo esta época (para a Taça da Liga).

Nota: Os destaques no texto a negrito são da minha responsabilidade.

4 comentários:

Mário Faria disse...

Um país acéfalo a assistir a este espectáculo estúpido e aberrante, propiciado por Bruno de Carvalho e Cia. Este populismo de tipo fascizante só engana quem quer ser enganado. Há muita violência a pairar, muito mal disfarçado pela promessa de pacifismo do autor, e que começa (e que provavelmente não acabará) na forma grosseira e agressiva como o SCP pretende condicionar o árbitro e influenciar as suas decisões. Já tinha ouvido o mesmo palavrório por parte de Vale e Azevedo que tanto apaixonou a nossa distinta elite. O ridículo deveria ser combatido, mas por aqui parece ser muito apreciado. Que tristeza!

Miguel Ângelo VR disse...

Subscrevo!

Mefistófeles disse...

É este tipo de parvoíces que nos torna mais fortes !

Nightwish disse...

E pronto, o ridículo lá foi efectivo.