quarta-feira, 5 de março de 2014

Luís Castro, interinamente


49 comentários:

Pedro disse...

Ainda bem que o Filipe Sousa sabia como PC pensava....

Mais a sério, é a solução possível. Luis Castro terá a dificil tarefa de lidar com um periodo de jogos exigente e decisivo. Espero que ele tenha a audácia de apostar em 2/3 jogadores da equipa B que tão bem têm jogado.

Quanto a Paulo Fonseca, acredito que será um bom treinador no futuro, acredito que pagou as favas de uma época mal planeada, acredito que não estava preparado para tudo isto.

João Martins disse...

E quem será no futuro? Luis Castro caso atinja a Liga dos Campeões?ou haverá nova aposta?alguém avança com palpites?Eu diria Domingos talvez...duvido um pouco que venha um estrangeiro..e depois de Paulo Fonseca não vejo uma aposta em Marco Silva...vejo mais alguém que conheça a casa...

Filipe Sousa disse...

O Filipe Sousa apresentou factos - e contra factos não há argumentos: o Porto não joga, o Porto não ganha, e já não inspira temor como antes - isto não é fruto da minha imaginação, porque ninguém o pode contestar. Limitei-me apontar que tais factos não pareciam incomodar o Pinto da Costa/SAD, porque demoraram semanas a tomar uma atitude. A não ser que tal, também seja contestável.

DC disse...

É a solução possível. Pelo que vejo pela equipa B também é um treinador mediano (para ser simpático), mas o essencial era retirar o cancro que estava no balneário.

Espero sinceramente que venha um bom treinador estrangeiro, com métodos actuais. Para mim, como já disse, era o Van Gaal. Quero posse de bola, quero formação, quero a equipa a assumir o controlo de todos os jogos. No mínimo, que se informem bem sobre os métodos de trabalho do treinador que vão contratar em vez de olharem só para os resultados.

Daniel disse...

Penso que foi uma aposta serena. Treinador da casa com provas dadas na equipa B, acredito que fique apenas até ao final da época. Soluções de futuro poderão ser muitas e esta SAD já nos mostrou o quanto consegue ser criativa...confio na decisão que for tomada.

Joao Goncalves disse...

A Visão de Mercado (Blog que frequento) disse desde inicio que era um erro de casting e que era um treinador limitadissimo em termos técnico-tácticos

Infelizmente isso provou-se e somente a teimosia de PdC o aguentou até agora pois já deveria ter saído após a derrota de Coimbra.

Agora Luís Castro é a melhor opção de momento... conhece os jogadores conhece o sistema 4-3-3 e não o 4-2-3-1, que o abandonou quando percebeu que nem para a B aquilo dava e acima de tudo, pode recuperar talentos como Kelvin, Ricardo e Quintero e quiçá dar minutos a Tozé, Mikel e mesmo Gonçalo ou Ivo, na equipa A.

Tenho de lembrar que quem recuperou e adaptou Herrera e Carlos Eduardo foi o Luis Castro.

Vamos ver o que o Luis Castro ainda pode fazer esta época, se for essa a decisão.

Em relação ao Marco Silva, seria estúpido se o Marco aceita-se agora, no final da época sem conhecer os jogadores contudo acredito que possa assinar um compromisso (pré-compromisso(?)) para assumir a equipa depois da época acabar, isso claro se for esse o nome que PdC está a pensar

Alexandre Burmester disse...

Daniel disse: "..e esta SAD já nos mostrou o quanto consegue ser criativa...".

Não podia estar mais de acordo.

Nuno Fonseca disse...

Parece óbvio e espero que assim seja que temos Luis Castro até ao fim do ano. Mas o comunicado lembra que Luis Castro passa a ser , interinamente, o treinador. interinamente ou seja provisoriamente. Será que poderá ser treinador para um jogo e ainda teremos mais novidades? Era bom que isto fosse claro, pelo menos dentro da estrutura do porto até para acalmar ânimos. Ou está só relacionado com a falta de necessidade de dizer por quantas épocas ele será treinador?
Ser primeiro com a equipa B é um bom curriculo. é o melhor que poderíamos arranjar pra acabar a época. Mas como já disse noutro post é bom que os adeptos não elevem as expectativas.

Luís Vieira disse...

É o nosso Tim Sherwood. Se correr bem, excelente. Se correr mal, ninguém estaria à espera de grandes feitos, atendendo ao estado calamitoso da equipa, por isso não se perderá muito. Entretanto, escolhe-se o próximo treinador com calma e ponderação, evitando-se cair no mesmo erro deste ano.

Alexandre Burmester disse...

Tim Sherwood começou, de facto, por ser uma solução provisória, mas entretanto a sua nomeação tornou-se efectiva (o que não impede o irrequieto Daniel Levy de andar - ao que parece - em contactos com Louis Van Gaal).

NFM monteiro disse...

pelo que ves da equipa B???

O porto B está em 1 e agora tem jogado sem jogadores da A e com muito junores... Pode não ser treinador para a equipa principal mas que está a fazer um grande trabalho na B está...

Fernando B. disse...

Graças a uma teimosia sem nome, lá se foram pontos e milhões... Só com Octávio foi tão evidente o desastre da escolha, o desastre da demora no despedimento ainda foi maior neste caso !
Agora seguem-se aquelas teorias, que " O Clube é dirigido de dentro para fora " mais uma vez o Presidente, a quem alguns chaman o NGP ( herdado da cultura Coreana, do Norte!!) decidiu e bem...Quanto ao futuro, tenham vc's fé, que o meu desanimo abrange a época toda!!!

Pés-Juntos disse...

Alexandre, gosto do adjectivo "irrequieto"...

Entretanto já todos os comentadores desportivos perceberam que Sherwood é muito limitado tácticamente, o que sinceramente espero que não venha a acontecer com Luis Castro.

Pés-Juntos disse...

Estou satisfeito com este desfecho que já vai com cerca de 50 dias de atraso (pelas minhas contas). Penso que com um terço do campeonato ainda por disputar (9 jogos, creio) Luis Castro pode ser uma boa surpresa ainda que não acredite que seja por muito tempo.

Agora resta-nos apoiar a equipa e esperar que esta reluctante "chicotada" surta algum efeito positivo.

Franco Baresi disse...

Armin Veh está livre no final da temporada.

Tiago Silva disse...

Lamentável ter-se demorado tanto tempo a adoptar a decisão que há muito se impunha.
Quem analisa (e percebe) atentamente o jogo, já há muito que havia concluído que PF não tinha qualquer aptidão para o cargo.
Desperdiçou-se uma época por não haver quem conseguisse decifrar o óbvio.
Agora que a decisão foi (tardiamente) tomada, a solução interina só tem explicação plausível se for para um jogo.
É que, para além de Luís Castro ser igualmente fraco (para não dizer pior; e quem duvidar, reveja atentamente os jogos da equipa "B" e a forma como a equipa joga), há, no mínimo, dez treinadores com metodologia e perfil para treinar o Porto e que, de bom grado, aceitariam treinar o Porto.
Entre esses não incluo o Marco Silva. Vejo na forma como o Estoril se apresenta em campo muitos dos problemas que o FCP apresenta actualmente.
A minha escolha preferencial seria Van Gaal.
Não descartaria igualmente o regresso de Vítor Pereira.
André Villas Boas (este não acredito que aceite pois almeja treinar o Barcelona ou encetar um desafio como o Mónaco), só se fosse o que passou pelo Porto pois o do Tottenham não me agrada nada.
Rui Faria, pelos princípios de jogo que defende, também me agradaria.

Miguel Ângelo disse...

Já vai tarde, coitado (sem ironia). Tenho pena... Mas já devia ter ido.

Neste momento, o treinador que eu mais gosto é o Marco Silva. Seria a minha escolha. Acho que não engana. O discurso, a forma como vive os jogos e a forma como coloca a equipa a jogar, convencem-me. Claro que agora fomos escaldados com o Paulo Fonseca e, olhar para um outro treinador novo, como o Marco Silva, é complicado. Mas acho que será um erro se não o contratarem. O Marco Silva será, seguramente, o próximo treinador de um grande.

DC disse...

Não me interessam os resultados, interessa-me a organização e a qualidade de jogo.
O plantel do Porto B tem obrigação, sempre. de estar nos 1ºs lugares. Kadu, Quinones, Victor Garcia, Pedro Moreira, Tozé, entre muitos outros (e sem precisar de falar dos da 1a equipa que já fizeram muitos e muitos jogos na B) são bem melhores que qualquer jogador da 2a liga.
Portanto, anormal seria não estar nos 1os e se o Benfica B está em 3º e o Sporting B em 6º isso é mais do que óbvio. Depois, a qualidade de jogo é apenas mediana, a defesa não me parece muito bem organizada, vejo que grande parte dos golos são obtidos de bola parada, etc, etc...
Pensava que a questão dos resultados tinha ficado bem esclarecida com o 4º lugar do Paulo Fonseca, mas pelos vistos há quem continue a fiar-se nisso...

José Correia disse...

«Marco Silva vai ser o novo treinador do FC Porto. O técnico já está comprometido com os azuis e brancos. O anúncio oficial será na próxima segunda-feira.»
in Correio da Manhã (www.cmjornal.xl.pt), 15:25

Tiago Silva disse...

DC, só rogo para que haja alguém da nossa estrutura que pense dessa forma... há quem ainda não tenha percebido onde é que PF falhou... só isso explica que apareçam a defender esta nova solução... a equipa B é deprimente.. pratica um futebol paupérrimo... os jogadores jogam todos muito afastados.. a transição defensiva dá medo.. só mesmo a qualidade individual é que vai permitindo que andemos na liderança...

José Correia disse...

«No mesmo dia, o FC Porto rescindiu com um treinador (Paulo Fonseca) e contratou outro (Marco Silva). Os dragões chegaram a acordo com o técnico do Estoril que liderará a equipa no jogo de domingo, contra o Benfica, mas que deverá ser oficialmente anunciado na segunda-feira. Ao que o Expresso apurou, o FC Porto pagará 500 mil euros ao Estoril pela rescisão de contrato de Marco Silva.»
in EXPRESSO (expresso.sapo.pt)
5 de março de 2014, 15:48

Tiago Silva disse...

DC, a confirmar-se o Marco Silva, é porque o António Teixeira tinha uma boa fonte:)) - eu imagino qual seja!! Ele gosta dele, mas eu confesso que vejo muita coisa no Estoril que não me agrada nada... muita correria na frente, muito futebol vertical, muito pouco jogo interior e pouca criação a nível ofensivo... e para aqueles que zoavam no 4-2-3-1, talvez venham a tê-lo de novo...

Luís Vieira disse...

A serem verdade as notícias aqui veiculadas, está a arriscar-se novamente. O trabalho do Marco Silva no Estoril é extraordinário, mas também já o tinha sido o do Paulo Fonseca no Paços. O Estoril joga bem e apresenta resultados acima do expectável, contudo nada nos garante que o Marco Silva consiga replicar a fórmula de sucesso no Dragão. É um melão por abrir, uma incógnita, apesar do bom aspecto. Penso que nesta fase seria mais avisado apostar num treinador de créditos firmados, com experiência de grandes clubes (seja como jogador, seja como treinador). Assim estamos a correr riscos e não sei se serão calculados...

DC disse...

Eu vi poucos jogos. Não me agradou. Pareceu-me jogar com os sectores bastante distantes e explorar em demasia os flancos, sem grande aproveitamento do jogo interior tal como dizes.
Não estou optimista. A direcção parece que só sabe contratar o treinador da moda, não tem qualquer critério. Olha para a tabela e vai buscar o treinador do melhor classificado que não seja dos 3 grandes. É preocupante!

Pedro disse...

Marco Silva tem o mesmo crédito de Paulo Fonseca, mas convêm não esquecer que apesar de tudo tem um plantel superior ao do Paços do ano passado. A SAD do Estoril tem contratado bem, e quem vai buscar Sebá, Evandro etc, apresenta boas soluções ao treinador. É verdade que o Estoril tem perdido de forma sucessiva jogadores e o treinador lá resolve e mantêm a consistência táctica. Mas voltamos ao mesmo, Marco Silva tem os mesmos créditos de PF.

Tacticamente não me parece um treinador assim tão diferente do PF, tem um discurso melhor talvez. Mas Vitor Pereira não tinha discurso nenhum e tacticamente era excelente. Não é um treinador de jogo ofensivo e de posse de bola, e não andará muito longe do 4-2-3-1.

Ficaria mais sossegado com um Rui Faria, até um Domingos. Mas a ser verdade a sua contratação merece o crédito e apoio dos adeptos. E... parece-me ser alguém sem grandes problemas em olhar para a equipa B e apostar.

Abel Pereira disse...

Porquê cultura da Correia do Norte e não cultura portuguesa: não vivemos nós tantos anos sob a tutela de Salazar?. Por que não cultura da troica que até é um nome russo, país onde Путин salta de presidente para 1º ministro e vice-versa?. E já agora, a que propósito vem a Correia do Norte? Não serão suficientes as dificuldades que Portugal enfrenta?

Tiago Silva disse...

Tal e qual... duvido que haja no seio daquela estrutura alguém que perceba verdadeiramente o que é o jogo... PC parece-se, desde sempre, guiar-se pela sua intuição (e como astuto que é, acerta mais vezes do que as que falha).. os outros tenho sérias dúvidas que percebam alguma coisa de futebol...

Abel Pereira disse...

Não quero acreditar que o FCP tenha contratado ou pense contratar outro treinador sem a experiência de ter de alcançar resultados positivos em todos os jogos. Contratar um treinador jovem a seguir à conquista de 3 campeonatos consecutivos é aceitável e de louvar que se dê uma oportunidade a treinadores portugueses. Mas a dois na mesma temporada e a seguir a um dos maiores fiascos vividos no nosso clube nem sei como classificar... Paços de Ferreira, Estoril etc. não entram em campo com um resultado desfavorável como acontece com o FCP para o qual o empate é um resultado negativo em praticamente todos os jogos. Foi precisamente esta diferença que Paulo Fonseca, nas conferências, a seguir aos jogos de resultados negativos, deu mostras de nunca ter entendido...

MBC disse...

51

bruno rodrigues disse...

não sei até que ponto isto é bom, senão vejamos, a equipa B (que estava a ser orientada por luís castro, estava a lutar para ser campeã da segunda liga, quem vai agora orientar a equipa B? e será que o próximo treinador da equipa B vai conseguir manter a equipa na liderança isolada da segunda liga?

Fernando B. disse...

Refiro-me a chamar a um Presidente, que fez um trabalho notável, mas que sempre foi remunerado bastante bem, chamar como muitos chamam NGP; que me lembre só na Coreia do Norte, em 2014, se referem aos lideres duma maneira tão...terceiromundista!

Bluesky disse...

Fico triste por Paulo Fonseca ir embora. Não pelo treinador, não pelo homem, mas pelo fracasso que isso resultou, pelo que ficarei contente se Luis Castro tiver sucesso, é o treinador que passo a apoiar, é o melhor treinador português a partir de hoje, passe a ironia...
Agora vê-se os "dirigentes" de sofá a clamar por Van Gaal, por Marco Silva, por Domingos e feriados... e são estes mesmos "dirigentes" que depois vem com vitupérios e impropérios quando o treinador fracassa...
Sou franco e sincero ao dizer que não me atraía o futebol de Vitor Pereira, sou franco e sincero ao dizer que a chegada de Paulo Fonseca me entusiasmou, mas...

P.S. Toda esta novela cheira-me a intrigas palacianas, a marcar de posições entre futuros sucessores... oxalá me engane!

Nightwish disse...

As palavras são diferentes, mas há muito comportamento idêntico relativo quer a Sócrates quer a Passos Coelho.

Nightwish disse...

"será que o próximo treinador da equipa B vai conseguir manter a equipa na liderança isolada da segunda liga?"
Face à prespectiva de acabar em 4º lugar e levar 4 abadas das gaivotas, quem é que quer saber da segunda liga?

Daniel Gonçalves disse...

No imediato era a solução mais viável porque, nesta altura, bons treinadores livres não abundam e é necessário uma análise ponderada para contratar o próximo, portanto considero que esta solução serve para ganhar algum tempo.
Temos de considerar um pormenor, se para consumo interno o Luís Castro até poderia servir, embora existam 2 Taças em disputa, não podemos esquecer que temos uma eliminatória da Liga Europa com o Nápoles, será que Luís Castro está apto ou consegue dar conta do recado nos jogos internacionais? Será que a Administração do FC Porto considera que ele serve para enfrentarmos a equipa italiana mais forte da actualidade?

Miguel Ângelo disse...

Alguns comentários fazem-me lembrar aquelas pessoas que, quando as suas relações amorosas terminam, lamentam-se aos outros, dizendo que nunca mais farão a outra pessoa tudo aquilo que de bom fizeram à outra. Como se as pessoas e as circunstâncias fossem todas iguais.

Só porque o Paulo Fonseca foi uma aposta que correu mal, não significa que, porventura, um Marco Silva viesse a correr mal também. Há coisas que só saberemos o seu resultado passando por elas. Provavelmente, e por causa desses medos parvos, não será o Marco Silva o próximo treinador do FCP. Eu apostava nele. Mas também sei que mandar bitaites, sem carregar o peso da responsabilidade das decisões às costas, é fácil.

Abraços portistas.

Bruno Miguel da Silva Moutinho Guedes disse...

Boa noite.
Mantenho a minha opinião, está não é a melhor solução mas apesar disso ede não gostar nada deste novo treinador, irei apoiar até ao fim e o que mais desejo é que ele consiga ao menos dois troféus sabendo que será muito difícil. Não estou a espera de maisninguem até ao fim da época. Como isto é um blogue e livre digo que minha aposta seria no Jorge Jesus, na minha opinião era ele que deveria ter começado está época. É um analfabeto, não tem educação mas para nossos pecados fez renascer o lampião. Deu uma projeção muito grande ao rival e mais do que isso deu imenso dinheiro a ganhar. Se ele tivesse uma estrutura como no FCPORTO acredito que tinha ganho os últimos campeonatos.

Daniel Gonçalves disse...

Convêm desmistificar uma ideia errada que tem circulado por entre a massa adepta portista: no passado, durante a era Pinto da Costa, a mudança de treinador a meio da temporada não teve efeitos positivos imediatos, tendo levado algum tempo até que o futebol melhorasse com o novo técnico.
Em 1988/1989, após a demissão de Quinito estávamos, se a memória não me trai a 1 - ou na pior situação a 2 - pontos de distância do 1º classificado, o benfica, isto quando tínhamos acabado de jogar no estádio deles (antes da ida à Holanda defrontar o PSV), e empatado a zero, portanto como ainda faltava muito tempo para acabar o campeonato, e ainda os tínhamos de receber nas Antas, portanto tudo para ganhar o título, o que não veio a acontecer, o que prova que a “chicotada psicológica” não teve resultados competitivos. De sublinhar que a pior exibição da equipa, nessa época, aconteceu já com Artur Jorge a treinador, quando perdermos por 4-1 ao Bessa, num jogo displicente, sem atitude vencedora, e tacticamente desorganizado da equipa, tivéssemos jogado em Eindhovein como jogamos no Bessa e em vez de perder por 5 tínhamos perdido por 7 ou 8, porque na Holanda o resultado não adveio de nenhum “massacre” que os holandeses nos impuseram, aliás 2 ou 3 desses golos resultaram de lances “casuais”, como num golo quando a bola bate num nosso defesa (Kipolo se não me engano) desviando-se de trajectória e enganando o Zé Beto.
Em 1993/1994 a pior exibição da nossa equipa aconteceu já com o Robson a técnico, quando perdemos por 1-0 com o Farense nos minutos finais, e onde fizemos um mau jogo. Também com Robson jogamos pior contra o benfica, comparando com o que tínhamos feito ainda com Tomislav Ivic a treinador - que teve 3 jogos contra o nosso rival -, mesmo descontando o facto de termos ficado reduzido a 10 jogadores, após a expulsão de Fernando Couto, já estávamos a jogar mal, em desvantagem no marcado, e com uma fraca exibição. E Robson já pôde contar com Drulovic e Domingos (que esteve algum tempo lesionado na altura de Ivic) para o jogo da Luz, enquanto o técnico croata teve de jogar com o Vinha nos jogos com o nosso rival.

Daniel Gonçalves disse...

Em 2000/2001, o pior jogo dessa temporada aconteceu já com José Mourinho a treinador, quando perdemos por 3-0 no Restelo, e onde poderíamos ter perdido por mais golos, jogo no qual fizemos uma péssima exibição. Também não esquecer a derrota nas Antas, por 2-3, frente ao Beira-Mar.
Em 2004/2005, o pior jogo aconteceu já depois da saída de Victor Fernandez, e com José Couceiro à frente da equipa, o impensável 0-4 com o Nacional da Madeira no Estádio do Dragão.

O que o passado nos demonstra, nessas desafortunadas épocas, é que o treinador sucessor acabou por efectuar piores jogos que o antecessor, e que as piores exibições aconteceram após a “chicotada psicológica”, o que também revela que o único problema não estava no treinador, nem o insucesso nessas temporadas deva ser atribuído exclusivamente à má escolha do técnico para liderar a equipa, mas que as insuficiências/lacunas no plantel também tiveram uma percentagem da responsabilidade.

Concluindo: considero a substituição de Paulo Fonseca necessária, apesar de tardia, mas não possuo ilusões – embora acredite, e torça, pela vitória frente aos nossos rivais para a Taça Portugal e Taça Liga – as exibições futebolísticas podem demorar a melhorar. Considero que é possível fazer muito melhor com o plantel que temos à disposição do que aquilo que Paulo Fonseca estava a fazer, mas não entro num optimismo ingénuo, se assim o posso classificar, de alguns adeptos para quem basta mudar de treinador e passaremos do Inferno ao Paraíso num instante, como num mero toque de Midas.

Daniel Gonçalves disse...

Solicito também ao Sr. Alexandre Burmester que quando lhe for possível consultar o seu oráculo de Delfos - refiro-me obviamente ao seu barbeiro - este nos possa fornecer em primeira mão o nome do futuro treinador do nosso Clube, quer ele entre nos próximos dias, quer esse treinador seja para entrar no final desta temporada.

Obrigada.

Miguel Lima disse...


@ José Correia

e, agora, a pergunta que se impõe é:

será que vamos continuar a ter as bancadas do nosso teatro de sonhos azuis-e-brancos despidas? será que vamos continuar a dar "trunfos" aos adversários, no nosso próprio reduto? será que vamos preterir o apoio ao nosso clube do coração, num momento peculiar como este, quando temos todas as condições para o fazer?

(afinal, foram três questões. mas estão inter-ligadas...)

abr@ço
Miguel | Tomo II

Joao Goncalves disse...

Não percebo que pseudo-polémica é esta sinceramente... se o Sócrates ou o Passos Coelho tivesse aumentado em 50% a capacidade da nossa económica, estabilizado o nosso défice para valores sustentáveis sem meter o povo com cortes cegos e a passar fome e triplicado o nosso salário base eu não tinha qualquer problema em chama-lo do nosso Grande Primeiro-Ministro.

PdC é o Nosso Grande Presidente hoje e assim o será lembrado pela história para sempre, pois não foi mais ninguém senão ele, que pegou num clube com 19 anos sem campeonatos e que era um bobo da corte na Europa e transformou neste clube que amamos e ao qual nos desabitou das derrotas.

Normalmente os grandes homens tem o seu titulo postulo... PdC ganhou o direito de o ter em vida, por tudo aquilo que já nos deu até agora.

José Correia disse...

Miguel, não sei responder a essas perguntas.

Há várias razões para um número significativo de adeptos portistas terem deixado de ir ao estádio e uma dessas razões era o descontentamento com o treinador / exibições da equipa.
Não sei se a mera mudança de treinador fará esses adeptos voltar de imediato ao estádio. Veremos no próximo jogo, frente ao Arouca.

Abraço

littbarski disse...

O descontentamento não é de hoje. Basta ir ao site da Liga e comparar a média de espectadores por jogo da época passada com a desta época para perceber isso. Paulo Fonseca não afastou os adeptos do estádio. O que Paulo Fonseca não conseguiu foi evitar que os adeptos continuassem afastados do estádio.

Luís Vieira disse...

Não é de "lamentos" e "medos parvos" que se trata aqui, mas da escolha de um treinador com um perfil diferente para um clube com a envergadura do FCP. É tempo de virar agulhas para treinadores experientes, com domínio da cultura de balneário de grandes clubes e com arrojo táctico. Os Defours, Quinteros e Jacksons deste mundo não espingardariam tão facilmente com um Laudrup ou um Pellegrini (fora de hipótese, naturalmente, mas equacionado pelo FCP antes de assinar pelo City). Chega de experiências de laboratório e de projectos de treinador, é chegada a altura de investir verdadeiramente na contratação de um líder.

Luís Vieira disse...

Acho que nenhum adepto do FCP espera melhorias abissais com a mudança de treinador. Pode haver uma ligeira melhoria, sustentada em correcções do ponto de vista táctico e no efeito psicológico sobre os jogadores, mas ninguém aguarda a transfiguração da equipa, sob a forma de um Bayern à moda de Guardiola. Que se acabe a época com dignidade, de preferência amealhando as 2 taças, conseguindo o apuramento directo para a Champions e alcançando uma participação meritória na Liga Europa. Em todo o caso, há sempre possibilidade de o tiro sair pela culatra e de a mudança não surtir efeito. Isto não é como diz o Tiririca: "pior do que está não fica".

Joao Goncalves disse...

Exactamente Luís! Pior do que está não fica!

Já à muito que não estava habituado a ver o Porto e encarar naturalidade uma derrota ou um empate... com PF era isso que acontecia, neste últimos tempos...

A única coisa que espero com Luis Castro é ver o Porto neste domingo contra o Arouca, sem a sensação que estamos a jogar de igual para igual com eles.

Ganhar ou perder faz parte do jogo, agora ter a sensação que todos jogam de igual para igual connosco ou mesmo que são muito superiores a nós, isso é que já chega!

Miguel Ângelo VR disse...

Também concordo.

bruno rodrigues disse...

Eu sei perfeitamente que a prioridade principal é a equipa A, sempre foi e sempre será, mas hà mais portistas que, tal como eu, não se preocupam apenas com a equipa A, hà mais portistas, que, tal como eu acompanham as outras equipas de futebol do futebol clube do porto e também as outras modalidades. Mas eu não critico os portistas que não acompanham nada além da equipa principal de futebol, ninguém é obrigado a isso, os portistas só acompanham aquilo que querem e não estou contra aqueles que só acompanham a equipa A. Mas para aqueles que não acompanham só a equipa A, eu tenho uma mensagem, reparem nos problemas que a resolução deste problema (paulo fonseca) causou. 1ºproblema-o treinador que estava a fazer um EXCELENTE trabalho na equipa B, vai treinar a equipa A e não sabemos se vai ter sucesso e é preciso relembrar que ainda estamos a disputar 3 títulos (taça de portugal, taça da liga e liga europa). 2ºproblema- o treinador que estava a fazer um excelente trabalho na equipa de juvenis (josé guilherme) vai passar a treinar a equipa B e não sabemos se vai ter sucesso. 3ºproblema-o treinador que estava a fazer um excelente trabalho na equipa de iniciados (bino) vai passar a treinar a equipa de juvenis e não sabemos se vai ter sucesso. 4ºproblema- a pessoa que vai treinar agora a equipa de iniciados não tem experiência nenhuma enquanto treinador de uma equipa de futebol e logicamente, não sabemos se vai ter sucesso. É óbvio que aquilo que mais me preocupa é a equipa sénior de futebol, a equipa A. mas também estou preocupado com o resto