segunda-feira, 10 de março de 2014

Um antipirético para o Dragão

Paulo Fonseca deixou um dragão doente e, evidentemente, não é em três dias e com três treinos que tudo se resolve e surge de repente um dragão saudável.

Mas ontem já se viram alguns sinais positivos, que poderão contribuir para a melhoria do estado de saúde do dragão.

Defour (o tal que, segundo alguns, não tinha qualidade para ser titular do FC Porto) jogou 90 minutos, encheu o campo e, inclusivamente, surgiu várias vezes na área do Arouca em situações de finalização (a velha questão do triângulo invertido do meio campo).

FC Porto x Arouca, Defour e Carlos Eduardo (2º golo)

FC Porto x Arouca, Defour

Quintero (afinal faz parte do plantel…) jogou os últimos 25 minutos e voltou a mostrar um enorme talento. Haja quem o saiba trabalhar e aproveitar as suas características (de número 10), enquadrando-o na dinâmica da equipa.

Esta vitória contra o Arouca foi uma espécie de antipirético e serviu para reduzir a febre do dragão, mas é preciso continuar a tratar do doente, porque os próximos jogos (Nápoles, Sporting, Nápoles) são de um grau de dificuldade elevado e vão exigir um dragão mais forte e coeso em termos defensivos.

FC Porto x Arouca, Super Dragões

29 comentários:

Luís Vieira disse...

1ª parte interessante, a mostrar o regresso ao 4x3x3, com Fernando a 6, Defour a 8 e Carlos Eduardo a 10. Notou-se maior integração ofensiva dos últimos dois, com as despesas defensivas a ficarem a cargo do Polvo, numa fórmula já vista. O penálti madrugador ajudou a tranquilizar as hostes e a precipitar uma exibição bem conseguida na 1ª metade. O golo do Arouca foi fortuito, em virtude de um ressalto num livre, não maculando o desempenho da equipa. Pena foi que o Quaresma não tivesse concretizado o 2º penálti da noite, na medida em que o regresso dos balneários poderia ter sido bem mais tranquilo. Destaque para o bonito golo do Carlos Eduardo, em resultado de uma boa jogada de envolvimento. Na 2ª parte regressaram os fantasmas e a inconstância defensiva: o Arouca subiu, cresceu e criou diversos problemas, mal resolvidos pela defesa portista. Nos primeiros 15/20 minutos sofremos vários calafrios, fruto da ansiedade e da aselhice. A entrada do Quintero devolveu clarividência à equipa: o jovem colombiano assumiu o jogo e mostrou bons pormenores, principalmente ao nível do passe. O Porto voltou a controlar o jogo e dispôs de algumas oportunidades até ao belo golo do Quaresma. O Ghilas também trouxe algo de novo, como comprova a assistência que protagonizou. Ainda deu para o Jackson regressar aos golos, cimentando a liderança na lista de melhores marcadores. Nota final para a boa estreia do Luís Castro, que retomou a táctica habitual do FCP, que melhor respeita as características dos jogadores. Por outro lado, também esteve bem nas substituições, demonstrando boa leitura de jogo. Continua por rectificar a intranquilidade e os problemas defensivos. Uma tarefa para os próximos jogos.

Nuno Fonseca disse...

Não vamos também agora entrar na onda de dar mérito ao Luis Castro por vencer o Arouca em casa. Nada foi diferente. Nada. Muita intranquilidade da equipa ainda. Muita debilidade defensiva. E a táctica no meio campo não foi diferente. É verdade que o Arouca empatou na Luz mas também é verdade que foi goleado em Alvalade.
O Quaresma acabou por fazer dois golos e por falhar um penalti, mas podia ter feito muito mais para tranquilizar a equipa, jogando com mais eficiência e simplicidade. Na verdade ele faz dois golos e falha um penalti porque tem de ser tudo dele. Tem de ter uma atitude de jogar em equipa. Essa mudança é possível, na mesma lógica que foi a evolução de Hulk.
É verdade que Quintero voltou a mostrar os pormenores que mostrou no início da época, mas o adversário também é mais mole. É preciso lembrar que Quintero fez jogos horríveis nomeadamente contra a académia, porque foi um jogo em que era preciso mais nervo e raça, foi um jogo onde ser "brinca na areia" não resulta. Se Quintero conseguir evoluir neste aspecto poderá ser um jogador de classe mundial.
Finalmente Defour, jogou bem é verdade. Só estou de pé atrás porque ele ou o seu empresário falam demais e tornam as suas prestações imprevisíveis. Este é o jogador que em Setembro disse que agora que tinha saido VP as coisas iam melhorar pra ele. E agora com a saida de PF voltou a dizer o mesmo. Para além disso, penso que é unânime nos portistas que apesar do Porto não ter conseguido bons resultados recentemente, Herrera tem estado em bom plano ultimamente.

DC disse...

Ainda há muita coisa para mudar e questiono se o Luís Castro terá capacidade para o fazer. Os únicos apontamentos que faço são:
1- o Fernando no vértice deste triângulo é ENORME. Muito, mas mesmo muito melhor que num duplo pivot.
2- O Defour é um jogador soberbo e espero sinceramente que continue a titular, como merece.
3- Quintero ainda complica muitas vezes tendo perdas de bola que comprometem a equipa. Mas o potencial está lá todo, só tem que ser trabalhado. E para mim, sinceramente, acho que devia jogar como falso extremo, tal como James no ano passado. Já o Carlos Eduardo, para mim não é melhor que o Josué.
4- O Quaresma é terrível. 300 centros disparatados, 300 fintas inconsequentes, 300 perdas de bola estúpidas. Chega ao fim do jogo com 2 golos e para mim foi o pior em campo. A equipa perde mais do que ganha ao tê-lo em campo.

Luís Vieira disse...

O Luís Castro tem mérito por ter vencido o Arouca. Havia outros resultados possíveis: o empate e a derrota. Para além disso tem mérito por ter mudado o esquema. É falso que "a táctica no meio campo não foi diferente". Foi evidente a manutenção do Fernando mais atrás, acompanhada da subida no terreno do Defour e do Carlos Eduardo, prefigurando um 4x3x3, diverso do 4x2x3x1 useiro e vezeiro nesta época. Por último, teve mérito nas substituições que fez. Nada do outro mundo, mas positivo e digno de registo.

Madureira disse...

Sinceramente, agora porque o Deffour fez um bom jogo contra o poderoso Arouca já é jogador??? até parece que não vimos o Deffour fazer jogos e jogos medíocres e demonstrar várias vezes o jogador banal que é! É por deffours, licás, herreras ou josues que TAMBÉM estamos assim!

DragaoMinho disse...

Lool
Entao com quaresma em campo a equipa sai a perder???? Essa deve ser anedota!
Defour é fraco jogador ou o treinador que tínhamos não sabia potenciar nem tirar rendimento de ninguém?
HAja paciencia para este tipo de adeptos que de futebol percebem zero!

Jorge disse...

Concordo.
O maior problema que vi no primeiro jogo deste treinador foi o facto do Quaresma ter comecado o jogo, o segundo maior foi o facto de ter jogado o jogo quase todo.
O Quintero deveria jogar no lugar do Quaresma e gostaria de ver o Josue ou o Herrera no lugar do Carlos Eduardo.

DC disse...

Se eu lhe pedir muito você ensina-me?
Estou ansioso por ser iluminado com a sua imensa e inegável sabedoria.

Tiago Silva disse...

DC, discordo (alguma vez teria de ser) da apreciação que fazes do Quaresma.
Se é verdade que a grande maioria das tomadas de decisão dele foram, como é costume, erradas (aspecto a corrigir urgentemente), Quaresma, é, ainda assim, e de longe, o melhor extremo que temos no plantel.
Concordo na análise que fazes do Quintero: quando ele recebe a bola pressionado em zonas mais recuadas, tenta sair da zona de pressão em dribling quando deveria procurar tocar de primeira num colega e oferecer-lhe nova linha de passe. Tem de melhorar esse aspecto. Mas que ele tem uma qualidade atroz, disso não há dúvidas.
Defour excelente (deixem o Herrera estar onde está).
Os centrais, bem, absolutamente lamentáveis.
Maicon e Ba são centrais ao nível da distrital. Altos, sem posicionamento, perdidos em contenção e peritos em chutão..

Pedro disse...

"E a táctica no meio campo não foi diferente."

Eu acho que dentro da normalidade da exibição, foi evidente que a táctica foi efectivamente diferente. Tão evidente que não percebo a sua frase.

JON disse...

DC, ainda me hás-de explicar o que vês no Josué. Em que te baseias para dizer que o Carlos Eduardo não é melhor que ele?...

JON disse...

Concordo. O Quaresma é mau demais para ser verdade. Pior decisão de gestão desde que comprámos o Postiga por não sei quantos milhões mais o Pedro Mendes!

Nightwish disse...

Nada mudou? Os jogadores encurtaram muito mais os espaços e deixaram de se aglomerar todos nas mesmas zonas e nada mudou?

DragaoMinho disse...

Paga se quiseres aprender! Sei mais que tu disso tenho a certeza, basta ler o teu comentario!

meirelesportuense disse...

Quaresma é um caso difícil de analisar porque alterna o excelente com o irritante, mas é um grande jogador e esta ideia já eu a tinha desde a sua primeira passagem pelo Dragão...Tem que ser corrigido.De resto ele sózinho, podia ter marcado três golitos...
Defour jogou bem, mas também foi muito egoísta, quiz mostrar serviço rápidamente e isso tirou-lhe discernimento na fase mais crítica.Tantos remates sem consequência quando podiam tocar ao lado.Isto aplica-se a quase todos os elementos na área de concretização!
No eixo da defesa é um susto mas suspeito que há ali sobranceria a mais, especialmente por parte do Abdu.E tem que ganhar corpo.Deem-lhe bifes do vazio e cerveja preta...

meirelesportuense disse...

E Carlos Eduardo? Fez um golo de antologia, como já fizera antes, tem enorme potencial.

DC disse...

Tiago, pelo acerto na decisão e principalmente no centro (quantas trivelas já tentou e acertou Quaresma desde que chegou?), considero o Varela o nosso melhor extremo. Embora isso não seja grande notícia, obviamente.
Mas, tendo em conta que gostava de ver o Porto com apenas um extremo e Quintero como falso extremo, de forma a explorarmos mais o jogo interior, só queria ou Varela ou Quaresma. E prefiro para já a uma boa distância o Varela.

JON, por exemplo nisto:

http://www.youtube.com/watch?v=SSiMCfWbCHo

Repara na criatividade no que ele faz no 2º golo, ele é isto. Outro jogo em que me impressionou foi no Porto - Penafiel (antes do mau tempo estragar o jogo). Tem lá tudo, mas também tem um feitio dificílimo. Precisa de trabalho, precisa de confiança mas para mim, é melhor que o Carlos.
Foi queimadíssimo porque já rodou pelo menos 3 posições esta época e sempre com instruções bem estranhas do Paulo Fonseca. Ele tem que jogar é no meio, ele e o Quintero.

O Carlos também fez coisas engraçadas esta época mas acho que desaparece do jogo com muita facilidade. Não tem capacidade para pegar no jogo e fugir das marcações com facilidade.

DC disse...

Tiago, ainda continuo á procura do Otamendi em campo nos últimos jogos. Até faz doer a alma ver que o despachamos para ficar com isto...

Jorge Vassalo disse...

Desculpem, caríssimos amigos, mas vou destoar se me permitem.

Estou muito optimista. Não só Luis Castro inverteu o triângulo e já jogou sem a porcaria do duplo pivot, como os jogadores já mostraram raça, força, vontade e querer. Já foram às bolas, já fizeram passes, já concretizaram jogadas.

A saber:

- Defour (que versus Lucho não valia nada, insisto, mas que neste contexto se portou bem ), jogou, quis, distribuiu.

- Mangala acabou com os disparates e, jogando numa posição que não a sua, não comprometeu e subiu, surpreendentemente, muito bem no terreno.

- Jackson Martinez marcou! Querem melhor? Assim acaba a malapata do Cha Cha Cha e talvez já vá recuperar a confiança que o afaste da prima donna e o aproxime do ponta de lança.

- Danilo fez um jogo impressionante! Finalmente solto e subido é excelente! Na segunda parte, muita da base do ataque, muita vontade.

- Ghilas podia ser um extremo de base nesta equipa, tal é a corpulência, a garra e qualidade do passe e remate que tem.

- Quintero jogou bem. 90 min? Hum... não sei.

- Licá já começa a mostrar que está a aprender e, se deixarem de implicar com ele, talvez possam deixá-lo chegar à forma do início da temporada.

E finalmente Quaresma. Meus amigos, o Quaresma pode não ser um milagre, mas desde que veio, já devolveu muita vontade ao nosso Porto, já mostrou ser bem Portista. Honestamente, prefiro um hot head que marque do que um qualquer tonho que não vá atrás da bola. Já viram em quantos jogos já ele foi fundamental?

Acho que Luis Castro vai, obviamente, retirar o Abdoulaye, dar mais espaço ao Reyes, trabalhar as rotinas defensivas entre os M&Ms e devolver-nos a defesa sólida que sempre tivemos.

Acho que Luis Castro vai fazer uma troca boa entre As e Bs e deixar entrar bons valores.

E acho, principalmente, louvável ter feito tudo isto em 3 parcos treinos.

Estou optimista. Roma e Pavia não foram feitas num dia.

JON disse...

DC,
Tecnicamente prefiro o Carlos Eduardo. É brasileiro, 2º ano na Europa, ainda vai ganhar calo para "não desaparecer do jogo" como dizes. Ao Josué reconheço-lhe muito menos criatividade como dizes. A juntar a isso, tens outros problemas graves com ele... É instável e irresponsável na abordagem ao jogo. Não tem cabeça e em termos cognitivos há-de ser muito limitado, logo nunca irá evoluir para um patamar superior.

A juntar a isso, e pelo que sei, o Josué era um dos cancros do plantel, por ser o "chibo" do Paulo Fonseca. Não é por acaso que havia "quem não desse o máximo". O Lucho e o Helton, por exemplo, acho que lhe têm um asco tremendo.

Enfim, eu não acho que tenhamos um plantel fraco. Apesar de tudo, e apesar de não termos Moutinho e James (e agora Ota e Lucho), temos Quintero, Herrera, Eduardo, Ghillas. Tudo opções que não tínhamos o ano anterior. Houvesse quem soubesse o que fazer com eles...

Nuno Fonseca disse...

Em termos de meio campo, não vi nada que não tivesse visto em jogos de PF com adversários similares ao Arouca em casa sinceramente. Lembro-me perfeitamente de vitórias gordas no dragão com adversários fracos, apareceram logo comentadores dizer que PF deu o braço a torcer e colocou Fernando mais atrás. Acho que vocês insistem muito nesta questão duplo pivot como se isso fosse o problema do PF e a partir do momento que alguém alterasse isso tudo passaria a ficar bem. O que interessa são as dinâmicas e essas foram iguais a jogos similares, repito. Também não houve tempo para treinar mais nem melhor. Defour subiu mais porque o adversário é o Arouca.

Miguel Lourenço Pereira disse...

Lembro-me do que disse de Quaresma. Lembro-me do que me disseram de Quaresma. Dois meses e algo depois não vejo onde me possa ter enganado. Alguns golos, alguns toques de classe mas um ritmo de jogo que numa equipa TOP não dá nem para o banco!

meirelesportuense disse...

Alinho um pouco na análise do Jorge Vassalo.

Luís Vieira disse...

Vejo muito ódio destilado, mas o Quaresma continua a ser decisivo. Essa é que é essa e ninguém consegue desmenti-lo, por muito que se irrite e o deteste.

JON disse...

Quando as pessoas perceberem que o futebol é um jogo colectivo (as if ever...), vão perceber que jogadores como o Quaresma não devem jogar futebol. Podem jogar à bola nas Turquias da vida, mas não jogam futebol!

Luís Vieira disse...

É curioso como o Quaresma não joga futebol e, ainda assim, contribuiu para vários títulos do FCP, com muitos golos e assistências (foi inclusive rei das assistências, um mistério sacramental para um jogador egoísta que só joga "à bola nas Turquias da vida").

JON disse...

Se depois de verem este video continuarem sem perceber o cancro que é ter o Quaresma numa equipa, desisto... As palas são mais baratas que óculos.

http://videos.sapo.pt/Q6E4vfcJJlWRAMZASggZ

Luís Vieira disse...

Um belo acervo de imagens de um jogador habilidoso que arrisca mais do que os outros e que, em resultado disso, contribui com golos e assistências para a equipa, apesar de alguns exageros. Basta atentar nos jogos que fez desde que chegou, não obstante os 30 anos e as certidões de óbito antecipadas. Já se cotou como um dos melhores reforços de Inverno de sempre, por isso reformulo a referência às palas: só não vê quem não quer.

JON disse...

Caro Luís, que os adeptos comuns só vejam o óbvio e gostem de focas, eu percebo... Vejo muita gente dizer que o Barça do Guardiola era aborrecido, por exemplo.
A mim preocupa-me é que a direcção do nosso clube tenha embarcado nestas coisas. Qualquer dia escolhem um Jaime Pacheco da vida para treinar o nosso clube porque tem mística e personalidade forte... (Que medo!).