segunda-feira, 5 de maio de 2014

Mais uma derrota

O último classificado e, antes do jogo, quase despromovido Olhanense (*), derrotou o tricampeão FC Porto por 2-1.

Mais uma derrota. Mais um recorde negativo (o Olhanense não ganhava ao FC Porto desde 1973/74, há 40 anos!)

O JOGO, 05-05-2014

Época 2013/2014: 7 derrotas em 29 jogos do campeonato, o que dá uma derrota em cada 4 jogos (4,14 para ser mais preciso). E ainda falta disputar o FC Porto x SL Benfica, da 30ª jornada, para terminar este pesadelo.

Para dar uma ideia do enorme descalabro que é esta época, apresento, de seguida, o número de derrotas em alguns dos outros campeonatos “menos bons”, desde que Pinto da Costa assumiu a responsabilidade do futebol portista:

Época 2009/2010: 4 derrotas em 30 jogos
Época 2004/2005: 6 derrotas em 34 jogos
Época 2001/2002: 8 derrotas em 34 jogos
Época 1999/2000: 5 derrotas em 34 jogos
Época 1988/1989: 3 derrotas em 38 jogos
Época 1976/1977: 7 derrotas em 30 jogos

Só de me lembrar que na época passada…

Época 2012/2013: 0 derrotas em 30 jogos

O JOGO, 18-04-2014
Nunca o FC Porto tinha piorado tanto (em termos de derrotas) de uma época para outra, como foi o caso da época 2012/2013 para 2013/2014.

Porque será?
É algo para Pinto da Costa e Antero Henrique meditarem…

Apesar de, comparada com esta, a época passada parecer perto da perfeição (passe o exagero), o FC Porto, na época 2012/2013, averbou um total de quatro derrotas (duas na Liga dos Campeões, uma na Taça Portugal, uma na Taça da Liga).

Apenas quatro derrotas (SC Braga, PSG, Málaga, SC Braga) no cômputo geral de todas as competições que o FC Porto disputou na época 2012/2013. E dá-se a particularidade de três dessas derrotas terem acontecido em desafios onde o FC Porto viu um seu jogador ser expulso e teve de disputar uma parte significativa desses jogos com menos um jogador.

A comparação entre as épocas 2012/2013 e 2013/2014 é algo para Pinto da Costa, Antero Henrique e os adeptos portistas meditarem…

(*) Como se sentirão os adeptos do Paços Ferreira e Belenenses, perante a atitude, falta de empenho e exibição da equipa do FC Porto no jogo de ontem?

26 comentários:

iDa disse...

Eu acho que não é só o PC e o AH que têm de meditar. Todos os adeptos que queria que achavam que o Vitor Pereira não era treinador para o FCP também deviam meditar, quiçá, recolherem-se num convento!
Eu não preciso que façam um histórico das derrotas por época desde 2000. A mim, basta-me a comparação dos jogos com o slb, onde o Vitor Pereira sempre foi superior!

DC disse...

E agora, apesar de eu acreditar muito no mercado espanhol, vamos arriscar num treinador que vai treinar pela primeira vez um clube. Toda a gente sabe que ser seleccionador é muito diferente de treinador. Treinam os jogadores 15 dias por ano, portanto servem basicamente para fazer alineações.
E ganhar com a super selecção espanhola não é propriamente difícil.
Isto quando havia treinadores no Bilbao ou no Rayo a fazer grandes épocas.

Resta torcer para que JJ também saia depois de vencer a liga europa. Doutro modo, dificilmente evitaremos o bi do 5LB.

Bruno Cardoso disse...

Já me consta que a razão para tão pouco empenho dos jogadores são salários em atraso.

Nuno Fonseca disse...

A confirmar-se está de volta o "futebol de posse", o já falecido tiki-taka :) Concordo que é um risco enorme. Mas prefiro um risco deste tipo ao regresso de um Fernando Santos por exemplo. E simpatizo muito com FS, acho-o um grande treinador.
Já agora conhecem o perfil deste treinador? acho que precisava-mos de um disciplinador duro!

José Lopes disse...

Tambem ja me disseram isso, mas custa-me a crer que nao houvesse qualquer fuga de informacao caso fosse verdade.

reine margot disse...

Pois!
Da euforia à depressão é um passo muito curto!
Todos sabemos que tanto faz! Não havendo o primeiro lugar e estando a questão do 3º lugar acertada, tanto faz! Perder por 10 ou por 100 é sempre perder!
Mas, agora é destilar veneno:
são os salários em atraso, o milho que os pardais rejeitam, etc... Vale tudo!

Mas, os primeiros a atirar a toalha ao chão foram os adeptos. Essa é que é a verdade.
Os mesmos que no ano passado rejubilaram com a contratação do PF.
Esse é que era; futebol de ataque em vez daquele futebol triste do VP...

Estas derrotas tanto me fazem, ver no que se transformaram os adeptos (só querem ser do clube , porque ganha) é que me dói!

DC disse...

O facto de ser espanhol não significa que esteja de volta o futebol de posse. Tal como referi, um seleccionador pouco mais faz que colocar 11 jogadores em campo. A cultura tradicional do jogador espanhol é de ter a bola logo, naturalmente, os sub-21 jogavam dessa forma.
Para jogar assim no Porto terá que saber treinar esse estilo, como VP sabia. É que no Porto, ao contrário da selecção sub-21 espanhola, não tem Isco, Thiago Alcantara, Illarra, Inigo Martinez, Koke, Deulofeu ou Jesé.

Daí eu achar isto um risco. E muito mais até porque, se o objectivo era o jogo de posse, ainda mais estúpida se torna a saída de VP.

DC disse...

Cuidado com as generalizações. Houve muitos "profetas da desgraça" a dizer, desde logo, que a saída de VP era um erro.

miguel.ca disse...

Quem é esse Espanhol de que falam? Agora perdi-me...

José Lopes disse...

DC, o que era bom era nao dar para perceber que nao ha qualquer estrategia a longo prazo para o que se quer do futebol do Porto. E' uma treta aquela historia de sermos um clube de futebol de posse e mais nao sei que. Passamos das transicoes do Jesualdo para o sucesso do Villas-Boas e dai ter-se ido na onda de se dizer que se queria isso como marca para o futebol da equipa. A aposta em Vitor Pereira ate fez sentido nesse aspecto, mas logo tudo foi desfeito porque nao souberam tratar das coisas a tempo e entao cavalgaram a onda de haver adeptos insatisfeitos com o tipo de futebol. Dai ate decidirem ir buscar um incompetente convencidos que era o novo Mourinho ou o novo Jorge Jesus (era mesmo isto que Pinto da Costa queria) foi um tiro. Se formos buscar um tipo sem qualquer experiencia relevante a treinar clubes nem mesmo no pais dele, entao nao percebo porque nao se foi buscar o Peixe, o Rui Jorge ou o Ilidio Vale. E' que ate vao tendo resultados engracados sem os craques que a Espanha tem e sempre conhecem melhor o campeonato portugues... Se o Marco Silva era um risco, este e' o que?

Nuno Fonseca, essa de querermos um disciplinador a todo o custo levou-nos ao Octavio... Do que precisamos e' de um grande treinador que faca os jogadores acreditar no sucesso da equipa. A disciplina vem atras.

José Lopes disse...

Li muitos comentarios de gente com reservas em relacao ao Paulo Fonseca, para nao falar da discordancia da saida do Vitor Pereira. Os sinais de que as coisas iriam mudar para pior estavam la todos desde os primeiros jogos da pre-epoca.

meirelesportuense disse...

São eles na sua euforia a pensar alto e fora do texto...

Alberto Silva disse...

Eu ia mais longe, a sua qualidade técnica adiou um ano como este..

meirelesportuense disse...

O Paços de Ferreira vai contratar de imediato o Paulo Fonseca.

Alberto Silva disse...

Por falar nele, rescindiu nas arábias já vão surgir rumores..

Nuno Fonseca disse...

Claro, ninguém quer um Octávio. Mas o insucesso desta época passou também pelo desleixo de jogadores que já tinham provado no ano anterior que não eram assim tão maus. Dá ideia que um treinador que lhes desse uns berros na hora certa mudaria muita coisa.
Entretanto VP saiu do clube das arábias. Será? lol

André Pinto disse...

1. O fulano não treinou só selecções. Treinou o Castilla e o Rayo Vallecano. Não é grande referência.

2. Não é comparável a Rui Jorge e quejandos, porque este foi duas vezes campeão europeu.

3. Conhece por dentro o balneário de clubes com grandes aspirações, dada a sua carreira de guarda-redes.

4. Posto isto, parece-me uma aposta de alto risco, dar uma estreia a treinador principal de um clube com os pergaminhos do FCP a um fulano com este perfil no nosso actual momento. E que tal não se inventar, apostar num valor reconhecido, ser, por uma vez, mais conservador e não estar buscando o novo Mourinho debaixo de cada pedra?

José Lopes disse...

Andre Pinto, a comparacao com o Rui Jorge e os outros era a reducao propositada disto ao absurdo. Seja como for, o Lopetegui foi campeao europeu com planteis fantasticos... O Scolari foi campeao do mundo e vice-campeao da Europa e acho que nenhum clube de topo na Europa o querera...

Joao Goncalves disse...

Eu nunca fui grande fã do futebol do Vítor Pereira mas considerando os resultados que teve e o caos em que caímos depois dele sair sendo que, ao que parece cada vez mais, foi apenas adiado pela sua competência, parece-me evidente que seria uma muito bom opção a considerar, tendo em conta que acabou de se demitir por razões familiar das arábias.

Muitos Portistas continuam a não gostar dele, mas temos que dar valor a um homem que evitou que este caos aparece-se mais cedo e melhor que ele só provavelmente o AVB ou um treinador de créditos firmados e não um seleccionador com uma das bases melhores do mundo para escolher... se tivesse sido campeão pela Albânia ou assim, era um feito, agora pela Espanha...

Luís Vieira disse...

O que é de mais é erro. O São Sebastião, também conhecido por Vítor Pereira, acabou de terminar em glória a época ao levar 3 batatas na final da Taça da Arábia. Por outro lado, acabou em 3º lugar no campeonato com 45 pontos, a 20 pontos do 1º lugar. No ano passado, o Al Ahli ficou em 5º lugar com 44 pontos, a 20 pontos do 1º lugar. Ora, por aqui se vê que o sacrossanto Vítor Pereira teve um impacto extraordinário na Arábia. O Al Ahli é confundido com o Barcelona e o Vítor Pereira com o Guardiola. Apre! Falando de coisas sérias, o Lopetegui, não sendo um tiro no escuro, porque tem 2 títulos europeus com 2 selecções que praticavam um futebol muito bonito e vencedor (a que não é alheia a altíssima qualidade dos jogadores que as integravam), não se coaduna com o perfil que defendo, uma vez que não tem créditos firmados no futebol sénior de clubes. É estrangeiro, tem potencial, tem conhecimento/vivência de grandes equipas (Real Madrid, Barcelona), mas falta-lhe provas dadas no que mais interessa: competência a orientar diariamente jogadores feitos. Se vier, aceito com reservas.

meirelesportuense disse...

Eu tenho como certo que Pinto da Costa coleccionou inimigos aos pontapés mesmo dentro da família Portista e como tal paga agora como pagaria antes se fosse pensável, todas essas afrontas...Ou porque não os recebeu no seu colo quando eles queriam ou porque os ofendeu na altura da sua ascensão...Para além disso há muito "portista" que só o é, ou foi, ou será quando o Porto ganhar tudo...Os Portugueses são desta marca de água!

DragaoMinho disse...

È preciso não esquecer que mais importante que o treinador é a equipa e o Moutinho e o James já cá não estão, não há qualidade no plantel e a tendência é ficar pior com a venda de Fernando, por isso mesmo vitor pereira não volta e como ele muitos outros treinadores de boa qualidade rejeitam o clube!
Nenhum treinador gosta de ser estropiado época após época e não receber pelo menos reforços de peso com quem possa contar sem tretas de adaptações e outras que tal e este foi o principal erro da direcção, muito dinheiro gasto e nenhum jogador de qualidade acima da media!
Temo que esta espera pelo final da época para contratar um treinador nao se deva a uma decisão da direcção mas sim porque nenhum bom treinador quer pegar no equipa, precisamente porque a qualidade é pouca e sendo assim meus caros esperem por uma aposta em alguém sem currículo e rezemos todos para que tenha alguma qualidade e sorte ao dirigir o plantel
abraço

Pyrokokus disse...

Não vou comentar a contratação do novo treinador pois não tenho conhecimento sobre esse assunto.
Mas considero que se passam situações inadmissíveis no nosso clube que não se passavam há uns anos, anos esses que nos tornaram o clube com mais títulos após o 25 de Abril. Não compreendo como alguns jogadores continuam a jogar a titulares quando deveriam estar na equipa B. Só assim se consegue disciplina numa equipa.
Penso que neste momento o mais importante para o FC Porto é o dinheiro e valorizar activos e não os resultados desportivos da equipa. É o que dá quando os agentes de futebol é que mandam nas equipas...
Penso que muda o treinador mas a porcaria vai ser a mesma. E a culpa vai ser sempre do treinador, tal como foi do VP e depois com o PF (este último com bastantes culpas próprias)

José Rodrigues disse...

"É estrangeiro, tem potencial"

Bem, acredito que possa ter potencial, mas tambem tem 47 anos, nao esta' exactamente no inicio de carreira. E assinalo que o potencial deve estar bem escondido, ja' q e' curioso que nos ultimos 10 anos nenhum clube espanhol em condicoes apostou nele...

José Rodrigues disse...

«Nunca o FC Porto tinha piorado tanto (em termos de derrotas) de uma época para outra, como foi o caso da época 2012/2013 para 2013/2014. Porque será? É algo para Pinto da Costa e Antero Henrique meditarem…»

Acho q já devia ter ficado bem claro q isto é o q pode acontecer quando se fazem jogadas de casino, tentando tirar coelhos da cartola (i.e. fazer apostas de alto risco em gajos sem CV) como PdC gosta tanto de fazer.

E a confirmar-se os boatos sobre o espanhol, quer-me parecer q PdC não deixou esse vicio...

Isto de contratar pesos-plumas para gerir vedetas e pseudo-vedetas pagas a peso de ouro parece-me um contra-senso: acho q o FCP precisa de um «general» a treinador. Sem duvida q às vezes a coisa corre bem nessas apostas, mas quando corre mal, pode correr extraordinariamente mal (como este ano e em 04-05).

Convenhamos que ainda mais do q perder o campeonato para o slb a grande distancia, é um feito extraordinario (pela negativa, claro) acabar um campeonato 9 pontos atras de uma equipa de tostoes (comparada com a nossa). Nao era nada facil, mas conseguimos...:-(

Luís Vieira disse...

O potencial não se reporta à idade, caso contrário o Jesualdo, quando veio para o FCP, estava acabado, não tinha por onde evoluir, o que manifestamente não aconteceu. Para além de que 47 anos num treinador é uma idade "jovem"; tem, pelo menos, 20 anos de carreira pela frente. Quanto aos 10 anos de anonimato, há que notar que em parte desse período o Lopetegui foi comentador desportivo, treinando mais consistentemente de 2008 em diante. Antes disso, apenas teve uma breve experiência no Rayo Vallecano, em 2003, que durou 10 jogos. Sendo assim, a falta de aposta dos clubes espanhóis é mais fácil de compaginar, principalmente nos últimos 4 anos, em que esteve à frente das selecções jovens, com extraordinários resultados, como é sabido.