quinta-feira, 8 de maio de 2014

Mudança de Paradigma!

O ex-seleccionador espanhol chegou ao Porto. Já tinha passado por clubes espanhóis de segunda linha. O seu perfil de formador e de saber liderar jovens era conhecido e, também por isso, foi uma aposta do clube. Pinto da costa deixou-lhe palavras de apoio: “Pode estar seguro que está num clube que lhe dará todas as condições e dirigentes do melhor que há em Portugal. Este é um projecto novo que procura um novo rumo”.

Estou a falar de Moncho Lopez.

Treinou o Gijon, o Breogan e um clube de basquetebol de Sevilha. Treinou a selecção espanhola durante pouco tempo (em 2002) e a selecção portuguesa antes de chegar ao FC Porto. A selecção portuguesa por si orientada ficou em último lugar do Grupo na qualificação para o Europeu de Basquetebol de 2011. Um fracassado.

No entanto o clube apostou forte no Basquetebol e o trabalho de Moncho deu frutos. Foi campeão em 2010/2011 pelo FC Porto (entre outras conquistas) e jogou a final de 2011/2012 contra o SLB. No final dessa época a SAD do Basquetebol entrou em declínio e... faliu. O FC Porto, no entanto, convidou Moncho para iniciar um projecto com o nome Dragon Force feito de jovens jogadores e começar do zero nos escalões secundários e este, contra todas as expectativas, aceitou. A partir daí o projecto Dragon Force é uma história de vitórias e de sucessos e disputa actualmente a final da Proliga com o Illiabum.

Salvaguardadas as devidas distâncias, o paradigma do negócio futebolístico também está a mudar e irá mudar muito nos próximos anos, principalmente para os clubes de países com Ligas mais fracas e crónica incapacidade de geração de receita, como é o caso português.

Às medidas do fair-play financeiro da UEFA (City e PSG poderão ter de pagar 60m€ cada) poderá juntar-se a breve trecho a proibição da co-propriedade de passes de jogadores. Assim, a opção pela formação e pela construção de equipas "à Porto", com jogadores formados na casa, faz mais sentido que nunca. Embora desconhecendo se tudo isto foi ponderado e assumido estrategicamente no Dragão, a verdade é que o FC Porto não tem actualmente condições para apresentar orçamentos de 100M. As contas estão como se sabe e é necessário assumir a mudança. Acredito que o clube e a SAD estão conscientes das suas limitações, nomeadamente a incapacidade de competir financeiramente com um poço sem fundo como o SLB e terão, por isso, tomado a decisão de contratar um treinador especialista na formação.


Neste momento a decisão tomada parece fazer sentido. O perfil de Lopetegui revela a escolha de um caminho diferente, moderno e ambicioso, representado pela escola espanhola. O facto de o contrato assinado com o treinador ser de 3 anos, algo pouco comum no FC Porto, indica também que esta é uma aposta forte de Pinto da Costa e Antero Henrique com um foco na formação.

A contratação foi um processo “à Porto”: tratada em sigilo, cirúrgica e com uma mensagem forte. E não menos importante: ocorreu ainda antes do final desta época desastrosa de forma a terminar com o desgaste moral provocado por sucessivas derrotas. O FC Porto disputará em Agosto a 3ª pré-eliminatória de acesso à Liga dos Campeões pelo que a preparação da próxima época terá forçosamente de começar mais cedo. Também por isso este foi o timing ideal.

Espero uma gestão do FC Porto mais disciplinada e menos propensa ao modelo de negócio impor/expor de jogadores que está a ficar saturado, é de alto risco e muito intensivo em capital. Os jogadores entram como mercadoria e comportam-se como uma mercadoria. Querem valorizar-se para poderem render noutros mercados (leia-se noutras Ligas). Assim não há colectivo que resista.

Que Lopetegui trabalhe e faça o melhor que pode pelo clube. Desejo-lhe a maior sorte do mundo.

58 comentários:

Pedro Gomes disse...

Só é pena que esta geração de juniores sub-19 seja das mais fracas que há memória em que apenas Ivo, Rafa e André Silva e talvez o capitão Vitor se aproveitam. Na equipa B existem também vários jogadores com potencial para integrar a médio prazo a equipa A.
No entanto, sou da opinião que devemos apostar mais na formação mas não unicamente senão poderiamos vir a ter um plantel ao nivel do do sporting que não é mau mas do FCPorto espera-se muito mais.
Desejo ao Lopetegui que siga as pisadas do Moncho e se torne num grande dragão!

Jorge Vassalo disse...

A mim parece-me óbvio que reavivar a atitude "à Porto" tem que passar por jovens Portistas que sintam a camisola desde pequenos. Nos anos 80 e 90 o Porto era Português, tinha estrangeiros mas num numero reduzido.

Para mim não faz sentido uma equipa com a identidade e raça do Porto ser feita predominantemente por estrangeiros, muito menos uns que nada saibam sobre a história do nosso grande clube.

Não me parece difícil de acreditar que o Presidente saiba que tem de juntar a realidade aqui bem exposta neste post da questão dos passes (que a meu ver é correcta!) e a questão de ter pessoas no Porto que queiram jogar NO PORTO!

Na vizinha Espanha do nosso treinador - com quem simpatizo com o discurso e que faço fé que se traduza na prática - o Atlético está em vias da maior dobradinha possível, com um plantel feito de jogadores não galácticos, mas unidos em colectivo e a jogar para a equipa. E issó é o que precisamos.

Nunca me assustou o 5lb ter dinheiro, a "união" é muito artificial e presa por arames a pedras que rumarão a outras paragens para o ano. E ontem, o pouco que vi do jogo, vi os meus Caxineirinhos a jogarem a a atacar. Não está ali a reinvenção da roda. Um Porto normal não tem nada a temer.

Acho que estamos no bom caminho.

José Correia disse...

«...esta geração de juniores sub-19 seja das mais fracas que há memória em que apenas Ivo, Rafa e André Silva e talvez o capitão Vitor se aproveitam...»

Tomás Podstawski já jogou esta época várias vezes na equipa B, mas também ainda é Sub-19.

Uma das gerações de juniores mais fraca de que há memória?!!

Bem, se Rafa (defesa-esquerdo), Tomás (médio), Ivo (extremo) e André Silva (ponta-de-lança) superarem, com sucesso, a passagem de juniores para seniores e atingirem patamares de qualidade para integrarem o plantel do FC Porto, seria excepcional.

José Correia disse...

«Acredito que o clube e a SAD estão conscientes das suas limitações, nomeadamente a incapacidade de competir financeiramente com um poço sem fundo como o SLB e terão, por isso, tomado a decisão de contratar um treinador especialista na formação.»

Tenho muitas dúvidas que seja assim.
A prova dos nove será a constituição do plantel 2014/2015.
Veremos o que vai acontecer a jogadores como Victor Garcia, Mikel, Pedro Moreira, Tozé, Kayembe ou Gonçalo Paciência, bem como, à anunciada, mas pouco praticada (em 2013/2014), estratégia de "vasos comunicantes" entre a equipa B e a equipa principal.

Daniel disse...

A época correu mal, muito mal. Ainda assim não me parece que seja necessária uma revolução no plantel, talvez apenas na mentalidade reinante.

Tenho 32 anos e estou habituado a ver o FCP ganhar quase sempre quase tudo mas tem havido excepções como esta época. E a solução raramente passa por "partir tudo" e começar de novo.

Os dirigentes têm de se sentar com as equipas técnicas e avaliar o que de positivo se poderá aproveitar da época que agora acaba e apontar aos objectivos da próxima época que serão como sempre a conquista da Liga e a presença nos oitavos da Champions.

Visto que o dinheiro não abunda nos clubes portugueses, excepto talvez no slb com os seus "milhões da treta", a aposta em jogadores da equipa B não me parece disparatada, sendo que o nível do plantel terá de ser aquele a que nos habituaram nas últimas décadas.

Uma possível solução para o plantel 2014/2015:

GR: Fabiano, Kadu e + 1 jogador da formação (Caio?)
DC: Maicon, Reyes, Abdoulaye + 1 jogador da formação (T.Ferreira?)
DE: Alex + 1 jogador da formação (Quinones?)
DD: Danilo, Ricardo
MD: Defour + 1 novo jogador
MC: Herrera, C.Eduardo, Josué, Quintero + 1 jogador da formação (Tozé?)
AD: Iturbe, Quaresma
AE: Varela, Kelvin + 1 jogador da formação (Kayembe?)
PL: Ghilas, 1 jogador novo + 1 jogador da formação (G.Paciência?)

Vendas relevantes: 80M com Mangala, Fernando e Jackson
Outras vendas: 10M

Madureira disse...

Mas que plantel é este???? Sinceramente, este ano o plantel é medíocre e você ainda vendia Fernando, Jackson e Mangala e os seus reforços eram Gonçalo, Kayembe, Tozé, Quinones e Tiago Ferreira??? mas era para lutarmos pela manutenção para o ano??? sinceramente, quando vão perceber que a formação é um complemento ao plantel mas se queremos vencer títulos temos obrigatoriamente reforçar a equipa com jogadores maduros e de nível!!! Uma pessoa lê cada coisa....

Joao disse...

Para já sinal mais por a direcção ter resolvido a questão do treinador em devido tempo e aparentemente com uma ideia bastante ponderada sobre o que pretendem para os próximos tempos.

É bom não esquecer uma coisa. No FC Porto, depois de uma grande época (normalmente com uma conquista europeia), as coisas tendem a disparatar. Os melhores jogadores são vendidos e os restantes amuam por não conseguirem sair (ou não deixarem sair), o mesmo acontecendo com o treinador…

Assim sendo, fico com a ideia que o início de época do Benfica não será fácil e provavelmente Lopetegui poderá estar mais à vontade para construir a equipa e gerir as nossas expectativas.

O Sporting ainda está em risco de ficar sem treinador, e se perder William Carvalho (era contratar este gajo...) não terá grandes hipóteses de fazer uma época que fez este ano!

Brandon Salvador disse...

Boas,

Penso que há jogadores que não tem mais condições para ficar no clube em 2014/2015.

Abdoulaye tem que ir embora, mesmo se for de empréstimo. Tão cedo não vai esquecer os erros que fez desde janeiro.

O Defour não tem mais nada a dar ao clube, uma venda por uma dezena de M's seria perfeito...

C. Eduardo tem de ir de empréstimo para um clube estrangeiro...

Iturbe vai se embora, isso é uma certeza, o Hellas Verona vai pagar os 15M pedidos e ainda não sei se é ou não um bom negocio...

Varela, ai o varela... se ficar é para estar no banco e entrar para rodar a equipa ou para entrar ao 70 minutos...

Kelvin tem de esquecer o golo dos 92', tem de ir emprestado para Espanha ou Itália, tem de entender que não é mais que os outros, fico triste porque gosto muito do estilo dele de jogar mas é muito brinca'n'areia... se apanhar mais corpo e mais cabeça pode ter um nível de jogo como o de William (Chelsea)...

Chamar os B's para a equipa principal é boa ideia, mas não tantos... a maioria vai estar no banco toda a época, vão jogar na taca da liga contra equipas de segunda divisão. mais vale finar na B.

Para min vinham o Tozé, Caballero e o Vitor Garcia. O resto ou ficam na B ou vão de empréstimo como foi o caballero.

Temos de comprar mais que 1 jogador como o senhor propõem e entre os 24-27 anos.

1 defesa central, 1 defesa direito, um médio defensivo, dois extremos e um atacante.

De preferencia se os arrenjarem entre Portugal e Espanha era tudo muito bonito.

Atenção, é so a minha opinião !

Brandon Salvador disse...

Resposta a "Daniel8 de Maio de 2014 às 09:51"

Joao Goncalves disse...

Porque raio esta é a geração de juniores mais fraca que há memória? Pela classificação no campeonato de juniores?

E Será que essa classificação não terá algo a haver com a constante falha de jogadores chave (Ivo, Rafa, Tomás e o André SIlva) por andarem a jogar na equipa B de forma constante?

E será que esses 4 jogadores não tivessem jogado 87 jogos na equipa B este ano, a equipa de juniores não teria tido muito melhores resultados?

É preciso medir-se bem aquilo que se diz

Joao Goncalves disse...

Quem nos dera a nós que o Lopetegui fosse o nosso Moncho Lopez para o Futebol.

Em relação ao novo plantel teremos que ter um limpeza da casa mas muitas dessas duvidas dependeram das saídas que iram existir.

Os nossos principais riscos e quase todos eles acessíveis para os tubarões europeus são, como é óbvio, Mangala, Jackson e Fernando.

Se as noticias que dão o interesse em Danilo fossem verdade era óptimas, se não forem que tenhamos um treinador com tomates para o meter a jogar a meio-campo para ver se ali rende mais que na lateral onde tem enormes problemas de posicionamento, timing de entrada e recuperação de posição.

Depois saídas temos Adboulaye, Josué, Carlos Eduardo, Licá, Kelvin e Defour.

Óbvio que essas poderão estar relacionadas com quem saí ou fica nos outros 3.

Para 2014/2015 parece-me óbvio que o plantel andará algo por estas bandas:

GR: Fabiano, Kadu, Helton(se ficar após recuperação de lesão), Bolat( dependendo do Helton)
DD: Ricardo
DE: Alex Sandro
DC: Mangala(?), Maicon, Reyes
M: Fernando (?), Herrera, Quintero, Danilo
Alas: Varela, Quaresma
A: Jackson (?), Ghilas

São 16 jogadores certos, sendo que 3 podem sair por vendas.

As promoções à equipa A também me parecem andar por Tozé, Gonçalo, Vítor Garcia e eventualmente Ivo ou Kayembé, contudo estes jogadores ainda iram ter muito tempo de jogo na equipa B.

Para mim as necessidades são óbvias...
- contratar um Lateral direito titular, metendo Danilo no meio-campo.
- contratar um segundo lateral para fazer o que o Fucile era suposto fazer este ano (tapar a direita e a esquerda).
- contratar um Defesa Central Titular, pelo menos
- No meio-campo, dependendo de se apostar em Danilo ou não, e em caso negativo contratar um Médio-centro
- E contratar um ala titular.

Portanto contratar 2/3 titulares e mais 1/2 opções.

Depois e cobrir as saídas e livrar-nos do Lixo.

O que não quero ver no Porto este ano é a contratação de contentores de jogadores só porque sim, como foi este ano com a contratação de 4000 Médios só porque sim...

Nuno Leal disse...

pois, está visto que salários milionários para um treinador está fora de questão, daí apostar em alguém ainda não tão curriculado como Lopetegui. Mas de qq forma, é bem mais do que a aposta Paulo Fonseca ou do que Marco Silva. Vitor Pereira ter regressado, enfim, para isso não teria saído há um ano, soava muito a tiro no pé em continuidade, pese o valor de VP. Fernando Santos? Não, esteve 3 anos e lá conseguiu o penta com jardel em forma e os outros em baixo, e mal estes esprevitaram, perdeu dois anos para o sporting que não ganhava nada há 18 e para o boavista que nunca tinha ganhado. Não gosto dele como treinador, embora seja uma excelente pessoa.

Agora sobre o paradigma, concordo em absoluto, e acho que a decisão Lopetegui encaixa numa visão da SAD sobre o futuro próximo do futebol na europa. Já não há filão Brasil que alimentou Portugal nos 90's e 2000's, vai acabar o filão compras a meias com Fundos de investimento e etc. que alimentou 2010's até agora, a formação é a chave no sucesso e no lucro de qq clube. Ter um "Queiroz" a trata disso no nosso clube faz sentido. É uma pena não ter o ferguson, mas pode ser que funcione. Só há um probleminha: neste 1º ano do Projecto ainda vai ter de haver um investimento em jogadores de craveira, pelo menos dois dependendo de alguma saída, pq senão, não vamos lá com o que temos, com pena, mas não vamos.

Czarli disse...

O Kadu tem de ficar na B. Com a idade dele o que ele precisa é de jogar, e não ficar a ver jogar. Além disso o Helton é importante no balneário. E o titular será entre ele e o Fabiano e o Kadu como 3º na B.

O Tiago Ferreira não tem, pelo menos agora, qualidade para ser titular numa equipa com ambições na I Liga, quanto mais para um clube que luta sempre para ganhar. O Ba tem de sair para rodar mais um ano, e terão que chegar dois centrais... um com qualidades mais que provadas (tenho lido muito acerca do Bruno Alves, não seria mal pensado) e um jovem com potencial mas já com provas dadas (Paulo Oliveira??).

Nas laterais confiava no Ricardo / Vitor Garcia à direita (para suplentes) e no Quino à esquerda. O Edimar não seria mal pensado para meter medo ao Alex Sandro.

Temos de rezar para que a Bélgica tenha uma boa prestação no Brasil e que o Defour seja titular para que consigamos vende-lo no mínimo por 10M (mais alguns por objectivos). Seja como for terá que vir alguém para ser titular dado que a saída do Fernando é quase garantida. Um Filipe Augusto não seria mau pensado para suplente mas confesso que não conheço ninguém qualidade/preço que pudesse assumir o lugar.

Mantinha o Josué pelo Portismo, tal como o Herrera porque apesar de irregular mostrou que tem qualidade (e humildade) para ser importante. Dado que o Quintero (apesar de ter mostrado muuuuuito pouco, tem realmente potencial) ficará no plantel, o Carlos Eduardo seria um caso a pensar... Preferia ver o Tozé com espaço no plantel para ter minutos do que andar lá outro qualquer.

O Iturbe está vendido, não sei o porquê de tanta insistência... Os extremos seriam Quaresma, Varela, Kayembe (ir jogando na B) e se possível ir buscar o Rafa (seria espectacular) e provavelmente um outro extremo com qualidade para tirar o lugar ao Quaresma.

Avançados, O Ghilas terá a sua chance de ser o titular mas daria espaço ao Gonçalo e iria buscar alguém que (uma vez mais) pudesse ser titular de caras. O Éder seria a minha escolha (Estará bem fisicamente? Será demasiado para os nossos bolsos?) ou algum estrangeiro... se possível europeu.

Gostaria imenso de ver o Castro no plantel, mas acho que não irá acontecer.

Czarli disse...

O Caballero que não tem lugar na B, achas que iria fazer alguma coisa para a equipa principal?

De resto concordo... mas 2 centrais, 2 médios defensivos... 2 extremos e 1 avançado/ponta de lança.

Czarli disse...

Felizmente não foram buscar o Fernando Santos... Ganhou um(!) campeonato porque tinha a equipa feita dos anos anteriores. Dessa já nos safámos!!

Tenho mais confiança na incerteza do Lopetegui do que na certeza do Fernando Santos.

MiguelP disse...

Esta equipa de juniores é mesmo das mais fracas que há memória... não sei porquê tanto alarido e problemas em aceitar isso, basta vê-los jogar. André Silva? Ivo? Rafa? Tomás? Não brinquem comigo...nunca serão jogadores para o Porto. E não é porque o nosso club aposta pouco na formação e dificulta a sua integração na equipa principal, é porque eles nunca terão qualidade para vestir aquela camisola!

Mefistófeles disse...

O Porto, que era o Porto de que temos saudades, quasevsempre teve num central um patrão, um capitão, uma voz de comando. Isso faltou e há que repor.

Pedro Gomes disse...

Concordo com a afirmação de que se esses 4 jogadores vierem a ter qualidade suficiente para integrar o plantel principal seria excepcional.

A minha opinião sobre o plantel é baseada na qualidade individual dos atletas em questão que pude acompanhar nos jogos em casa para o campeonato e nos jogos da Uefa Youth League com transmissão televisiva com resultados pouco satisfatorios.

É verdade que os resultados foram influenciados em parte pelo sub-rendimento dos jogadores que ajudaram a B a fazer um grande campeonato mad não é por aí que avaliaria a qualidade dos jovens em questão.

Prefiro de longe formar bons jogadores que possam vir a ser útéis no plantel principal do que ganhar títulos ou dar goleadas nas camadas jovens.

Czarli disse...

Como é que podes dizer que nunca terão qualidade para vestir aquela camisola?? És o Karamba? Se bem me recordo, o Ricardo Carvalho só com 24 anos teve qualidade para vestir aquela camisola, já o Sérgio Conceição fê-lo com 22 anos, o grande Jorge Costa só se conseguiu assumir aos 24... e tu consegues dizer já que jogadores com 18 e 19 anos nunca terão qualidade??

É por essa forma de pensar que nunca conseguimos aproveitar os Machados, os Vieirinhas e os Candeias...

Ricardo Rodrigues disse...

O 5LB já ganhou a Liga Europa?

Ricardo Rodrigues disse...

Uma questão...

Quantos jogadores o Porto compra e tornam-se titulares de estaca na 1.ª época?
Isto de se dizer, "Temos de contratar um titular" tem muito que se diga...

Brandon Salvador disse...

Czarli:

"Dragões vendem Castro ao Kasimpasa por 3.5 milhões de euros"

Mário Faria disse...

“Visão 611 é o nome do projecto de reestruturação de todo o futebol do FC Porto que está em curso desde 2006 e que se extinguirá em 2011 e que é hoje uma das forças motrizes do clube.”
Estamos em 2014. Podemos referir – à luz dos factos – que durante este período os títulos obtidos nos escalões etários da formação foram escassos e que a percentagem de promoção dos jovens á equipa principal andou perto da nulidade. Com alguma crueldade – nestas coisas nem tudo é preto ou branco – o projecto faliu, porque ultrapassou o seu prazo de validade e não cumpriu (minimamente) os objectivos desenhados no papel.
A formação é sempre a menina dos olhos dos clubes, mas também aí tem sido a importação de jovens estrangeiros que tem permitido camuflar os défices internos que se têm agravado a cada ano que passa.
O FCP e os outros clubes (principalmente os três grandes) terão uma tarefa (futura) complicada porque têm que formar equipas fortes para ganhar internamente e ser capazes competir no quadro europeu, com aproveitamento. Não é pouco, nem creio ser possível repetir um perfil de plantel semelhante ao que conquistou a última CL; já não o foi quando vencemos a última prova europeia com AVB.
Por isso, porque a formação não vai ser suficiente para responder às necessidades para preencher satisfatoriamente a nossa equipa principal, ainda que se lhe juntem alguns jogadores contratados cá dentro, o “impor/expor” vai-se manter: é um recurso e não apenas uma vontade pérfida da direcção para satisfazer o ciclo dominante do “negócio futebol”.
É neste quadro complexo que vamos arrancar a próxima época: um plantel que se mostrou insuficiente e que vai ter de se ajustar às saídas inevitáveis; o difícil acesso ao financiamento; a imprevisibilidade desportiva em função da incerteza da chegada à CL e logo num ano de mundial; e a diminuição das receitas são alguns aspectos concretos que vão influenciar, e de que maneira, a vida do clube no próximo futuro, que antecederá a saída do nosso Presidente, inevitavelmente. A situação é preocupante e radica de uma política imobilista que não deu a devida atenção a alguns sinais preocupantes no reino do Dragão e bem à vista após AVB. As vitórias camuflaram os erros.
É neste sumarizado quadro que Lopetegui foi escolhido para ser treinador. É uma escolha de risco, como seria qualquer outra. Muito dos factores colhidos para criticar ou avalizar esta contratação são redundante, teóricos, superfícies e cada qual toma a perspectiva que está mais a jeito em função das suas impressões ou conjecturas pouco sustentadas.
Não conheço o homem, mas gostei do que vi e que tirei da juventude da figura e da forma desempoeirada e elegante como enfrentou a sessão de apresentação. Coisa pouca, mas essa significação é tão forte como outras aparentemente alinhadas com sabedoria quase científica.
Lopetagui é uma espécie de clone de AVB. Acho que o nosso Presidente o escolheu porque acredita que o basco pode preencher esse vazio que a liderança do homem que se tinha sentado na cadeira de sonho deixou. É pois a restauração desse passado que PdC pretende recuperar, agora com um estrangeiro menos portista, mas igualmente ambicioso para regressar ao passado glorioso de 2010/11, ou andar lá perto.

Pedro ramos disse...

Apenas 2 ou 3 notas:

- A contrataçao deste treinador nao garante mudança nenhuma de paradigma, nem vai partir dele essa mudança. Terá de ser o clube a desenvolver esforços para isso, o treinador apenas pode facilitar e ajudar o processo.

- Nao defendo nem nunca defenderei que o clube deve basear o plantel na sua formaçao. O que defendo, à muito tempo, é que a formaçao pode e deve ter um papel activo no clube e nao continuar a ser um projecto vazio como acontece neste momento. Os jogadores formados no clube têm de voltar a ter um papel relevante no plantel e nao podem ser constantemente ostracizados como têm vindo a ser.
Isto obviamente nao significa que na próxima época devam subir 6/7 jogadores da equipa b, apenas que nao podemos continuar a deita-los todos, sem excepçao, para o caixote do lixo.

- Há cada vez mais adeptos que aparentemente se identificam com as apostas do clube nos últimos anos, chegando ao ponto de declarar sem qualquer dúvidas que miúdos de 18/19 anos nunca na vida terao qualidade para representarem, sequer, o Porto (aqui nem se fala em ser titular ou nao). Devem ser os mesmos que estao ansiosos por mais uma camioneta de Tomás Costa, Janko, Valeri, Prediguer, Benitez, Bolatti, Stepanov, etc.
Devem ser os mesmos que consideram o Herrera uma grande promessa aos 24 anos e que obviamente tudo foi desculpado esta época mas já têm a certeza que Josué aos 23 deve ser corrido do clube porque nunca terá qualidade para ser jogador do Porto (apesar de todos os indicadores mostarem que Josué fez uma época melhor que Herrera).

Hugo disse...

Existem portistas que merecem esta epoca. Fiquem la com os Defours e outros estrangeiros mediocres

RS disse...

«A minha passagem pelo FC Porto foi muito enriquecedora. Aprendi muito e tirei ensinamentos que me vão ajudar no futuro. Lidar com egos e super egos foi muito difícil. Foi a área onde tive mais dúvidas, mas também aquela em que aprendi mais» - Paulo Fonseca (08-05-2014)

Joao Goncalves disse...

Não tem nada que se lhe diga caro Ricardo... o temos que contratar um titular é ir buscar jogadores feitos e não projectos de jogadores tal e qual fomos buscar o Jackson e o Benfica foi buscar o Garay ou o Matic... isso são jogadores feitos.

Aliás, este ano o Porto deveria concentrar-se nos grandes clubes europeus e nas suas reservas e aproveitar que queiram Mangalas e afins, para aproveitar e trazer jogadores em troca...

Exemplos de jogadores feitos: Morata, Casemiro (Real), Ibrahim
Afellay, Jonathan dos Santos (Barcelona), Demba Ba, Lukaku (Chelsea), Matija Nastasić, Javi García, Stevan Jovetić (Man City), Nani (Man Utd), Nicklas Bendtner (Arsenal).

Isto entre outros tantos que estão encostados nas equipas grandes e que podemos aproveitar para moeda de troca, quando formos abordados para vender Jackson, Mangala e/ou Fernando

Joao Goncalves disse...

O que acho engraçado é que no Man Utd, Arsenal, Liverpool, Barcelona, Real Madrid, entre outros, tenham 17, 18, 19 ou 20 anos (e às vezes 16) já fazem diversos jogos na equipa principal.

Exemplos só deste ano:
Alex Oxlade-Chamberlain, James Wilson, Adnan Januzaj, Morata, Jesé Rodriguez...

Nós para o Porto, parece um atentado ao pudor propor que Tozé, Gonçalo Paciência, Ivo, Kayembe ou/e Vítor Garcia sejam reais opções para jogar e não só para encher o plantel...

E com isso vem todas as barbaridades para defender as posições completamente ridículas... E foi exactamente assim que chegamos a este ponto de 0 jogadores oriundos da formação no plantel e o único que lá está tivemos que compra-lo de volta)

Czarli disse...

É uma pena!! Se não tivesse nascido em Portugal de certeza que há muito faria parte do plantel principal.

DC disse...

O Affellay e o Dos Santos são jogadores (des)feitos por lesões graves.
E nem vou referir o salário de metade desses para não assustar. Digo só o do Javi Garcia - 550.000€ mensais.

Sonhemos, mas coloquemos os pézinhos no chão, ok?

José Lopes disse...

Off-topic: Inacreditavel declaracao do Defour sobre a nao-ida para o Fulham. Se o que quer e' ganhar muito dinheiro e jogar sempre, sugiro-lhe ir para o Dubai. O Fulham acabou de descer de divisao e ele continua a lamentar nao ter ido para la. O Porto nao pode ter jogadores tao caros, medianos e que ainda por cima revelam tao pouca ambicao.

João Martins disse...

Castro por 3 Milhoes no Kasimpapas??outro Paulo Machado...esses dois não eram soluções válidas no meio campo (destroçado) desta época?
E são jogadores formados no Porto que sabem o que é ser PORTO!
Sempre apoiei rodar jovens nas equipas da 1ª Liga...o caso mais flagrante que me lembro foi o de Ricardo Carvalho...quando foi emprestado ao V.Setubal antes de se impor de estaca no 11 de Mourinho já era um Patrão!! no entanto rodou e todos sabemos o que rendeu a seguir...
Agora emprestar a clubezecos estrangeiros com clausulas de pexinxa descordo totalmente...nunca mais lhes pomos a vista em cima e depois penamos por não os ter no Clube...

Joao Goncalves disse...

Ah pois é DC... é o salário do Saviola? Ou do Aimar? Ou do Garay?

Qual coloquem os pezinhos no chão qual quê... o Javi só não vem para cá se o Porto não quiser, aliás essa possibilidade já foi várias vezes lançada e como é óbvio vem a ganhar 150.000/200.000/mês, pois como todos sabem Portugal não é Inglaterra e o custo de vida cá e lá são bem diferentes e ainda como todos os jogadores sabem bem mais, jogar é bem diferente de abarcar continuamente e darem cabo das suas carreiras.

E além desses ainda está o Andersson, que à muito quer vir para o Porto mas como pouco jogou também em Itália, não sei que situação o jogador está.

Nuno Nunes disse...

Nem de propósito! Já agendei um artigo para amanhã sobre essas declarações.

DC disse...

Mas é para mudar de paradigma ou é para estoirar ainda mais?
É para dar 200000 a um médio defensivo que não se aproxima sequer do nível do Fernando?
O Aimar? Até parece que não veio do Saragoça... Do Saragoça podemos comprar todos este ano, isso estamos à vontade.

Agora Javi? Jovetic que ainda ontem marcou pelo City? Lukaku que é um dos melhores marcadores da Premier? Nani que tem acordo com a Juventus? Fomos comprados por um sheik e ninguém me disse?
Já não basta termos que vender todos os anos para poder cumprir as regras do fair-play financeiro, agora só faltava começarmos a comprar jogadores falhados a preço de ouro.

MiguelP disse...

Sobre a nossa equipa de juniores nem preciso me defender com nada que os resultados e o nível de futebol apresentados falam por si. Jovens portistas que sintam a nossa camisola? Isso já não existe...os miúdos de agora já não são educados da mesma forma. Apostar na formação requer apostar num projecto a longo prazo, mas um que traga realmente resultados ao contrário da malfadada visão 611. Enquanto que durante o processo de captações de novos valores permanecerem alguns maus vícios os nossos rivais vão ficar sempre com os melhores.
Também eu não quero um Porto de Licás, Herreras, Quinteros e Defours, mas quero um Porto construído com o melhor que o nosso campeonato tem para nos oferecer e que é um mercado barato (foi assim que construímos uma equipa que ganhou tudo) e apostar mais no mercado europeu.

José Rodrigues disse...

Acho piada quando vejo pessoal a falar em encaixar dezenas e dezenas e dezenas de milhões na venda de Mangala, Iturbe etc.

Como se tivéssemos 100% do passe desses jogadores (dos dois q mencionei acima só temos 50 e tal %) e nao houvesse alem disso comissões a descontar...

JOSE LIMA disse...

Caro Nuno Nunes
Excelente a sua análise. Sabe o que me preocupa mais do que a entrada dum treinador “inexperiente” ou a saída de jogadores? Nada mais, nada menos do que a situação financeira da SAD. E a “malta” (excepção feita por exemplo ao José Rodrigues que sabe bem como estão as contas), ou ainda não se apercebeu disso ou, o que é mais grave, não quer perceber.
Também gostei muito do comentário do Mário Faria (que bem poderia ser “elevado” a artigo), ponderado como sempre. Vamos aguardar também pelas contas do clube que devem estar por aí a aparecer e assentar os pés na terra para saber com o que podemos contar. Creio que o problema da "não entrada de jogadores de topo" esta época se deve ao esforço que a administração está a fazer para conter os Custos que têm ido por aí acima.
Abraço

Luís Vieira disse...

Urge despachar o inefável Defour. Já não há pachorra para declarações deste género, principalmente quando provindas de um jogador vulgar, mediano, sofrível. A preparação da próxima época deve começar por aqui: dar tratamento de vassoura aos crónicos insatisfeitos e manter quem estiver de corpo e alma no clube.

Luís Vieira disse...

Concordo com o teor do comentário: que esta época desastrosa sirva para reorientar agulhas e, mesmo que não se mude o paradigma (improvável), pelo menos que se refreie a política de contratações de melões sul-americanos por atacado. Que a escolha seja mais criteriosa (necessariamente menos numerosa) e que se pense em formar equipas, seguindo o exemplo do Sporting deste ano, com as devidas distâncias, e do Atlético de Madrid (como já foi sugerido). O investimento não deve morrer, naturalmente, mas exige-se um refinamento na selecção: que se consiga obter os Mangalas, Alex Sandros, Fernandos e Jacksons, evitando-se os Defours, Danilos (18M é um absurdo na relação qualidade/preço) e Reyes (não era uma necessidade imediata, apenas por isso, porque ainda tem muito a provar). Conciliar alguns craques com outros bons jogadores, de grande atitude competitiva, e compor o restante plantel com jogadores úteis (destaques das equipas médias do campeonato) e jovens promessas portistas com selo de qualidade. Tudo isto rematado por um timoneiro muito competente e, acima de tudo, inequivocamente líder (uma das deficiências do Paulo Fonseca, como o próprio assumiu, hoje mesmo).

Joao Goncalves disse...

Sim sim, falhados a preço do Ouro como foi o Saviola ou o Javi quando veio do Real não é?

Ou falhados a preço do Ouro como foi vendido o Geovani dos Santos o ano passado que foi por cerca de 5M€?

É esse o preço do Ouro que estamos a falar?

A maior parte de grandes jogadores negociados no ultimo verão inter-mercado europeu e que envolveu grandes clubes, cifraram-se no máximo de 10M€ com uma média a rondar os 7M€... Houve cerca de 20/25 expectações a essa regra que foram os jogadores titulares e intrasferiveis que tiveram que se pagar muito acima da média.

Depois vens com demagogias quando ainda o ano passado estouramos o dinheiro que estouramos em 2 mexicanos de segunda e 1 colombiano que é um projecto de jogador?

Vens com demagogias quando larga-mos 4,5M€ por 50% do passe de um Ghilas?

Ou quando largamos 1M€-2,5M€ por cada um dos Licás, Ricardos, Carlos Eduardos, Josués, Tiago Rodrigues?

Ou dos 6M€ dados pelo Defour?

Quando dizes começar a comprar falhados a preço do Ouro, não podemos pois isso já andamos nós a fazer à muito e são mascarados pela venda ocasional decente.

E nem me quero lembrar do Quinonez que foi 2M€ com o Geovani dos Santos a ser transferido por 5M€ na mesma janela de transferências...

DC disse...

Demagogias? Mas houve alguém mais crítico do dinheiro gasto no Herrera que eu neste blog?

O Javi é um jogadorzito, mediano, que recebe 500.000€ por mês. Só um louco gastaria um cêntimo que fosse nele.
Quanto ao Geovani, pesquisa um bocadinho pelas actividades extracurriculares dele e chegas lá.

O que nós temos que fazer é olhar para gente de qualidade e com potencial. Gente como Markovic, Gaitan, Quintero, Jackson. Se me falasses num Sergi Roberto ou num Rafinha, jogadores com um potencial para valorizar 500% no futuro, agora Javi Garcia???? Por favor, nem um benfiquista nos desejaria tão mal.

E Lukaku e companhia até eu queria, como queria o Messi e o Iniesta. Agora, tendo ele um valor de mercado de 20M de euros, no mínimo, tal como Jovetic e outros que referiste, parece-me um bocadinho complicado...

Mas qualquer coisa o José Rodrigues explica bem como estão as nossas finanças.

DC disse...

Já agora e 1M pelo Josué, Ricardo ou Carlos Eduardo foi assim tão mau? Não conseguimos ir buscar no mínimo o dobro hoje?

DC disse...

ódios de estimação, coisa linda!

«Ainda não pensei no futuro. Estou bem no FC Porto, há a vontade mútua de continuarmos juntos»

Que coisa tão grave disse o Defour. Nem vou buscar as declarações do Quintero em Janeiro para não ficar mal. O estúpido do Defour ainda não percebeu que para cair no goto dos adeptos tem que começar a dizer que ama o Porto e é do Porto desde pequenino, apesar de se ter oferecido ao Sporting e ao 5LB.

DC disse...

Curiosamente do Mangala apenas temos 50% e foi óptimo investimento, pelos vistos. Já o Danilo, que custou 12M e não 18M, porque senão o Mangala custou também uns 10M ou mais por 50% do passe (ou contamos as comissões para todos ou para nenhum, não seria mais justo?), foi mau.

Ambos estão na lista de transferências de Barcelona, Juventus, etc mas por cá devem preferir voltar aos tempos de Secretário ou Fucile. Tal como gente como Hulk ou VP, só quando sair é que lhe vão dar valor.

Joao Goncalves disse...

Ias buscar o quê com quem? Achas que alguém pega nesses mancos depois da época odiosa que fizeram? Esses vão ser outros que ou que rebentam e jogam à bola ou vão andar-se a arrastar pela folha de pagamentos da SAD até à despensa como já é habitual.

Em relação ao Javi, acho um piadão de 1ª... um jogador que era somente um dos melhores elementos do Benfica, que rendeu 20M€ e dizeres que não o querias nem dado, só pode ser mesmo piada...

É a mesma coisa que dizeres que queres o Cishokho é longe porque foi o pior defesa esquerdo que jamais passou pelo Porto...

Lá por o jogador não ter o perfil indicado para um Man City não o faz mau jogador e tens um bom exemplo no Matic que o Mourinho já começou a questionar em público a sua contratação...

E DC, fartos de potencias andamos nós... foi por apostar só em potenciais que tivemos este annus horribilis! Temos que contratar jogadores feitos e parar de só contratar jogadores só putos para darem o salto, pois chegamos a um ponto que não existe identidade, referências, experiência, etc... existe aquela miséria de jogadores que se arrastaram pelo campo a fora nesta época penosa

miguel.ca disse...

Muita gente se esquece que um jogador de 10 milhões de Euros não custa só 10 milhões de Euros!
Qualquer gajo que venha de um dos 5 campeonatos de topo da Europa aufere um ordenado 3 vezes superior ao que o Porto pode pagar, geralmente exigem um premio de assinatura de contrato no minimo astronómico, e isenção de determinados impostos que ficam a cargo do clube que os contrata, mais prémios de jogo, apartamento ou moradia de luxo, carro e sabe-se lá mais o quê. Depois ainda chegam aí de ego inchado e de peito feito e só jogam se lhes apetecer!
Não... Esse não é o nosso caminho.

DC disse...

Comparar Matic a Javi? O futebol deve ser uma ciência oculta!

E quem vinha buscar o Josué? Não sei, talvez os vários clubes italianos que demonstraram interesse. Enfim, vou finalizar o assunto porque o João parece que vive num mundo à parte. Um mundo onde o Javi Garcia é um bom investimento para um clube português não é o mesmo mundo onde eu viva. E um mundo onde o Porto tenha capacidade para comprar Lukaku ou Jovetic só pode existir nalgum jogo de Playstation.

bruno cláudio disse...

"Existem portistas que merecem esta epoca. Fiquem la com os Defours e outros estrangeiros mediocres"

idem aspas aspas!
e acresento, subsituindo o "outros" por "praticamente todos" onde se aproveitam o fernando, jackson e mangala!

José Lopes disse...

DC, volta a ler o que escrevi. O que acho incrivel e' ele lamentar nao ter ido para um clube que desceu de divisao e, ja agora, vir falar nas suas boas exibicoes referentes a uma fase da epoca terrivel para o clube. Como ja aqui li, ele seria um jogador util para ter no banco, nao tem qualidade para ser titular. O problema e' que ele acha-se fantastico e titular de caras.

Mais uma coisa: criticas os odios de estimacao, que nao tenho nenhum, e respondes com um teu - o Quaresma.

DC disse...

O Defour diz que teve uma boa proposta do Fulham mas que a vontade dele, tal como a do clube, é a de continuar. Não vejo em NENHUM lugar, ele a dizer que lamenta não ter ido. Vejo sim, a lamentar que se fale pouco da nossa liga. Tal como vi o Lucho dizer o mesmo em relação à liga argentina. Ora, acho que não há grandes dúvidas que uma equipa do fundo da tabela da Premier tem tanta ou mais visibilidade que qualquer equipa portuguesa (exceptuando jogos de Champions, que esta época foram poucos).

Quanto a ódios de estimação, o meu "ódio" ao Quaresma é pelo que faz em campo. Se andasse à procura de asneiras que ele fez fora de campo, tinha muito por onde mexer. Mas o que me incomoda e muito é o que faz lá dentro. E se for isso que o incomode no Defour, o que faz no campo, não terei muito a dizer (apesar de discordar). Querer sustentar esse incómodo numa suposta indisciplina, não entendo.
Frisei a situação do Quaresma exactamente por isso. Para demonstrar como alguém que há uns anos forçou a saída, recusando-se a jogar para que o Porto aceitasse uma proposta mais baixa do Inter, que mais tarde afirmou estar disponível para jogar no 5LB e amar o Sporting, consegue conquistar os adeptos com meia dúzia de frases feitas e beijinhos no escudo. Nisso prefiro um mercenário honesto que um hipócrita a fazer juras de amor.

José Lopes disse...

Mas e' preciso escolher entre um e outro? Nem um nem outro sao exemplos recomendaveis. O do Quaresma, em termos de disciplina, certamente pior. Pior quando isso leva a atitude que tem nos jogos, de nao compreender que jogar para si nao leva ninguem a lado nenhum. Mas isso e' o Quaresma.

Quanto ao Defour, ja fez bons jogos, e' um jogador interessante e que poderia ser util como suplente, funcionando como tapa-buracos tal como fez ano passado. Um modelo de meio-campo diferente, talvez o favorecesse, seja um 4-4-2 ou um duplo pivot. Seja como for, esta no Porto ha 3 anos e nao tem mostrado grande evolucao ou potencial para render (dinheiro) muito mais do que custou. Acha-se melhor do que tem mostrado e convive mal com o banco. Uma coisa era se fosse um puto acabado de chegar a quem se visse grande futuro. Outro e' ser um tipo com a experiencia dele, com os anos que tem de Porto. O preco que custou e' um problema. Em campo, ainda nao mostrou ter qualidade para ser titular indiscutivel. Fora dele, tem um rotulo com o preco e por isso vai desvalorizando. E' por este tipo de razoes que tipos como o Danilo e o Alex Sandro jogaram sempre, estejam como estiverem. Nao tendo qualidade para mais do que tem mostrado, das duas uma: ou aceita poder ser suplente e chamado sempre que necessario; ou entao tem de sair, porque nao ha garantia nenhuma de jogar sempre e custou um preco alto de mais para poder estar a desvalorizar no banco.

José Lopes disse...

E nao me trates por voce, nao sou muito mais velho que tu, imagino... :)

Tone da Eira disse...

"Enquanto que durante o processo de captações de novos valores permanecerem alguns maus vícios" - isto parece grave ... podia explicar?

Luís Vieira disse...

Quanto ao Quaresma, não dou mais esmolas para o peditório: é um tema gasto, usado, redundante e desgastante. Já tem traços de paranóia. No que respeita ao Defour, temos um duplo problema: 1. Joga pouco. 2. Fala muito. Resolvendo a equação, a solução é fácil de encontrar: vendê-lo rapidamente antes que seja de todo impossível recuperar o ridículo investimento (tendo em conta a produção) de 6,5M feito na sua contratação.

Luís Vieira disse...

O Mangala foi um óptimo investimento porque é um extraordinário defesa-central. O Danilo foi um investimento criticável, porque é um mediano defesa-direito. Dou-lhe o benefício da dúvida porque aparentemente está a jogar fora de posição. Secretário não, mas o Fucile não fica muito atrás. Todavia, prefiro ter como termos de comparação João Pinto, Paulo Ferreira e Bosingwa, jogadores que custaram tuta e meia e que eram assombrosamente melhores que o Danilo.

DC disse...

Ok, José :)
Mas este tipo de casos não é linear. Vê o Ruben Amorim ou o Cardozo. Achavas que voltariam a jogar com JJ? Logo o bronco do JJ? Um jogador motivado nem precisa de jogar sempre, mas precisa de sentir-se importante e parte de alguma coisa bem feita.
Compreendo perfeitamente a vontade de sair do Defour quando via a jogar, no lugar que podia ser dele, gente como Herrera ou Carlos Eduardo. Garanto que se fosse eu tinha partido a loiça toda bem mais cedo. Como teria feito se fosse o Ghilas a entrar 3min em cada jogo. Daí eu achar que este ano devemos ter bastante calma com todos os jogadores. Eles não fizeram 1% do que podem este ano e a culpa não foi deles. Defour era o 12º jogador de VP e foi muito útil no último título deste. Acredito que seja um jogador à imagem do que Lopetegui quer face à sua qualidade de passe.

José Lopes disse...

Resta saber se ha capacidade de motivacao suficiente para faze-lo aturar o banco sem que venha para os jornais, coisa que nao e' exclusiva desta epoca. Se nao houver, e' vende-lo, porque foi caro demais para acabar a ser desvalorizado no banco e ser um problema no balneario. Eu acho que ele vale o que se pagou, mas se nao jogar assiduamente (e melhor do que tem feito) e a custa disso ficar publicamente insatisfeito, deve ser vendido.

Tambem me parece que podera ter nova vida com o Lopetegui, vamos ver... No entanto, se fizer um bom Mundial e houver propostas vantajosas...