terça-feira, 13 de maio de 2014

“Um jogo mais vistoso...”

Na passada sexta-feira, Vítor Pereira foi o convidado do programa Maisfutebol, da TVI24, durante o qual falou sobre vários assuntos, entre os quais o modelo de jogo que preconiza para as suas equipas e as diferenças para um futebol mais de transições, como é (era) habitual nas equipas de Jorge Jesus.

A meio da conversa, quando questionado se tinha recebido algum telefonema do FC Porto para suceder a Luís Castro, respondeu que, nesta altura, o regresso “não teria lógica absolutamente nenhuma”.

A explicação: “Saí há um ano porque senti que era o momento de sair. Agora é a oportunidade para o FC Porto crescer, ter um projeto novo, com pessoas novas, talvez com um jogo mais vistoso, não sei...

E mais à frente acrescentou: “ Saí, porque…, porque senti, que havia chegado o momento das pessoas poderem apreciar outro tipo de futebol” e sorriu…

49 comentários:

ALBINO disse...

E o sorriso era de gozo, certamente, com todos os adeptos que diziam detestar o estilo que o VP montou, e que, como me foi dito certa vez, levou muitos fieis portistas a deixarem de ir ao estádio. Oxalá tenham aprendido algo nesta época.

José Lopes disse...

E' evidente que essa foi uma farpa bem mandada a administracao da SAD (Pinto da Costa incluido), mas, com todo o respeito, ja nao estara na altura de passar a frente do capitulo Vitor Pereira??

Off-topic: Mangala no Mundial!

God79 disse...

Era tão bom que na Arábia foi um sucesso estrondoso! Um mau treinador, não faz de um medíocre bom!

José Correia disse...

"ja nao estara na altura de passar a frente do capitulo Vitor Pereira??"

Estas declarações de Vítor Pereira não foram feitas há um ano. Foram feitas na passada sexta-feira!

E, já agora, durante o programa disse outras coisas interessantes.
Por exemplo, que o futebolista que mais o marcou foi Lucho González (e explicou porquê), o qual, segundo VP, "no meu futebol, jogava mais um ou dois anos" (naquilo que poderá ser interpretado como mais uma farpa à SAD, se atendermos à saída do Lucho em Janeiro, naquela que foi uma das decisões mais polémicas desta época).

José Lopes disse...

Ok, Jose, dou-lhe razao.

MBC disse...

Foi com o Vítor Pereira, sim senhor, que estivemos dois campeonatos nos quais apenas formos derrotados pelo Bruno Paixão. É um facto que deve ser reconhecido.

Foi com o Vítor Pereira, sim senhor, que ganhamos (mais) dois campeonatos seguidos.

Mas foi também com o Vítor Pereira que tivemos uma época de champions miserável (com hulk, moutinho, james, etc), seguida de uma participação na liga europa humilhante.

Foi também com Vítor Pereira que perdemos uma oportunidade rara de chegarmos aos quartos de final da champions, perdemos a final da taça da liga com o Braga e não fomos muito longe na Taça de Portugal.

Por fim, tirando uma meia dúzia de jogos bem conseguidos, foi com o Vítor Pereira que passamos a jogar de forma tão aborrecida que levou à fuga de grande número de portistas das cadeiras do dragão.

Louvando (e admirando) o Portismo do Vítor Pereira, continuo a achar, mesmo depois do grande desastre que se chamou Paulo Fonseca, que Vítor Pereira não é solução para treinar o Porto.

Jorge Vassalo disse...

Se El Comandante é mediocre, não percebo nada de bola.

Soren disse...

Se há adeptos que há 3 anos nao percebiam porque é que Vitor Pereira era um bom treinador, também nao é agora que vao perceber.

Se nao perceberam há 2 e 3 anos que as primas-donas mercenárias minaram o balneário e que se nao fosse a intransigencia de VP e o poder de Pinto da Costa, os problemas de balneário nao teriam sido resolvidos e Lucho nunca teria regressado, também nao é agora que vao perceber.

Vitor Pereira, imagine-se, que ganha o primeiro campeonato sem ponta de lança (Hulk joga meio ano adaptado porque a "soluçao" era Kléber - depois veio o craque Janko dos Alpes) e com uma situaçao ridicula para resolver com o caso de Alvaro Pereira.

Agora imaginem um plantel cheio de primas-donas, com metade da experiencia do de Vitor Pereira (2011) e com um treinador sem poder nem personalidade para colocar as meninas no sitio. Ah, esperem... isso foi o que tivemos este ano. Basta ver as fotografiazinhas de final de temporada e as "reacçoes" a convocatórias para o mundial, para perceber que o clube perdeu capacidades de liderança e que nao há homens no plantel, só um grupelho de meninos(as). Mistica, zero.

Posto isto, o melhor Benfica da ultima década foi o do ano passado, nao o de este ano. Com um JJ que tinha e tem uma equipa talhada para transiçoes com jogadores muito fortes no um para um na frente, VP respondeu com um estilo de jogo adaptado às caracteristicas dos jogadores disponiveis, como tao bem explicou (posse e solidez defensiva apoiada na qualidade dessa posse).

Se nem o percurso de Villas-Boas explica alguma coisa da capacidade e da qualidade do treino de VP no ano da conquista da Liga Europa, entao nem vale a pena dizer mais nada.

O percurso de VP nas Arábias nao é representativo de qualidade ou falta dela. Acreditar nisso, é uma estupidez. Depende da matéria prima que se tem disponivel, ambiente, lesoes, adversarios, etc. Por essa ordem de ideias Mourinho e Ancelotti nao sao grande espingarda. E a volatilidade do ambiente e corrupçao num pais árabe, torna a tarefa muito complicada e quem por lá tenha passado sabe muito bem do que estou a falar. O trabalho feito por VP nas arábias representa "nada" relativamente ao seu valor.

Espero que Lopetegui tenha carácter para colocar as meninas na ordem e que as contrataçoes sejam poucas e boas. Que as dispensas e vendas sejam muitas e boas. E que 4 ou 5 jogadores da equipa B sejam integrados a sério na primeira equipa porque têm mais valor que alguns titulares que por lá andam há 2 ou 3 anos.

meirelesportuense disse...

Ele saiu porque quiz.
Já agora uma reflexão:Andam os Lisboetas a dizer que têm 110 anos de existência e não é verdade.A verdade é que o Sport Lisboa e Benfica nasce da fusão do Sport Lisboa fundado em "Belém" em 1904 -Clube que já não existe- com o Grupo Sport Benfica -Clube de Ciclismo- em 1908 e joga a partir daí no Campoda Feiteira. Em 1913 muda-se para Sete Rios e 4 anos depois -1917- devido a dificuldades económicas para pagar o aluguer do seu terreno de jogo, vê-se obrigado a alugar um campo mais barato em Benfica...
Portanto de Benfica só tem 97 anos e de Sport Lisboa e Benfica -não em Benfica mas noutros locais de Lisboa- tem 106 anos e nada mais que isso!...Estes 110 anos que eles abusivamente celebram são um embuste!

miguel.ca disse...

De acordo...assino por baixo.

willder disse...

MBC
Tudo o que dizes é verdade, mas perdemos a oportunidade de chegarmos aos quartos da champions(com menos um jogador), perdemos a final da taça da liga(com menos um jogador), não passámos a eliminatoria na taça de Portugal na 2a época dele(com menos um jogador). Nesta época perdemos 4 jogos, em que 3 deles acabámos o jogo com 10 jogadores. O outro jogo que perdemos foi com o PSG fora,em que o Hélton fez uma das suas.
Essa história de que foi com ele que as pessoas deixaram de ir ao estádio foi um mito criado.
Na minha humilde opinião ele é o melhor treinador para o nosso Porto.
Grande abraço

José Correia disse...

O Al Ahli ficou em terceiro lugar do campeonato (na época passada ficou em 5º lugar) e perdeu a Final da King Cup of Champions (algo que não aconteceu na época passada, porque nem sequer lá chegou…).

Aliás, na entrevista ao programa Maisfutebol, Vítor Pereira falou da final da Taça, como um exemplo da “organização” do Al Ahli. A equipa chegou ao estádio 25 minutos antes do jogo começar e nem sequer tiveram tempo para fazer o aquecimento.

Ah, e esta época o Al Ahli ficou apurado para a AFC Champions League Group stage (de 2015).

José Correia disse...

Vítor Pereira foi para a Arábia por razões financeiras (como ele próprio assumiu, na entrevista que deu ao programa Maisfutebol).

Foi treinar um clube que só foi campeão duas vezes (a última das quais em 1984, há 30 anos!!!) e que na época anterior tinha ficado em 5º lugar.

Conforme ele referiu no programa Maisfutebol, para além da “organização” que imperava no clube (ele deu vários exemplos quase hilariantes), encontrou um plantel em que 14 jogadores tinham menos de 22 anos e, durante a época, teve de trocar os estrangeiros, “reforçando-se” com “super craques” como Mossoró (ex-Braga) e Luís Leal (ex-Estoril).

Apesar de ser esta a realidade do Al Ahli (uma espécie de Boavista ou SC Braga da Arábia), os “amigos” de Vítor Pereira acham que ele tinha obrigação de ser campeão logo na 1ª época. Está bem…

D.Liberal disse...

O Lopeteguí devia começar por dispensar imediatamente o Quaresma para facilitar a gestão de balneário face à incapacidade crónica desse jogador entender que o futebol é um jogo de equipa e não uma fussa-a-bola...

José Correia disse...

"tirando uma meia dúzia de jogos bem conseguidos, foi com o Vítor Pereira que passamos a jogar de forma tão aborrecida que levou à fuga de grande número de portistas das cadeiras do dragão"

Pois...
Parafraseando o próprio, Vítor Pereira saiu e os adeptos portistas puderam (e vão continuar a poder) apreciar outro tipo de futebol, talvez um jogo mais vistoso...

Pyrokokus disse...

Não sendo um defensor do VP, considero que seria difícil fazer melhor. Vejo aqui a criticarem-no pelo facto de sido eliminado pelo Málaga, mas recordo-me perfeitamente desse jogo e das grandes exibições do Defour e do Fernando. Mas a culpa é do VP.

DC disse...

A entrevista de VP foi deliciosa para quem realmente gosta de futebol. As declarações dele sobre Lucho, sobre o porquê de escolher jogar em posse e transições lentas, sobre o 5lB e JJ, etc... tudo fantástico, tudo a demonstrar o enorme treinador que é e o muito que sabe sobre o jogo. Aquela do James durar 45min a jogar em transição rápida devia ser esfregada na cara do génio que pôs Lucho a correr como um louco esta época. É a diferença entre saber o que se anda a fazer e o andar perdido sem se saber onde está.

Quanto à "farpa" à direcção, nada melhor que responder com "fina ironia" aos que normalmente a usam. Até nisso deu uma lição à direcção do Porto. Quiseram outro tipo de futebol e afirmaram-no quando apresentaram Paulo Fonseca. Pois tiveram-no!

DC disse...

Quem quer justificar a competência dum treinador pelo que fez num campeonato de 3º mundo, onde mal tinha condições para treinar, é um bocadinho ignorante.
Mas se é por isso, contrate-se o treinador campeão da Arábia para o Porto. Se o VP foi bicampeão sem derrotas esse aqui vence a Champions sem derrotas, não?

DC disse...

Meia dúzia de jogos LOL

NFM monteiro disse...

O VP devia era estar calado por 2 razões:

1: nem sabe como ganhamos os 2 campeonatos, acho que é mais ou menos claro que foi o JJ que perdeu os 2 campeonatos do que VP que os ganhou.

2: Parece que lá nas Arabias também não apreciaram muito o futebol do VP (nem as conferências e muito menos o inglês) e veremos no futuro quantos titulos o VP vai ganhar....

Em vez de tentar gozar com o Porto o VP devias era estar agradecido a PC por ter apostado nele quando quase ninguem o conhecia e quando o segurou a seguir a derrota em Barcelos e mais de 99% de nós o queriam fora do Porto....

É muito lindo mandar piadas quando uma época corre mal, o VP que ganhe juizo que bem precisa, o Porto ganhou tudo antes dele e com melhor futebol e vai continuar a ganhar....

Até porque o VP nas taças e nas competições europeias também não fez nada de jeito...

Depois desta ironia (triste) espero que nunca mais tenha nenhuma ligação ao Porto onde ganhou provavelmente os unicos titulos que vai ter no curriculo...

Shame on you

Jorge disse...

Avaliar um treinador pelo trabalho feito naquele pais e como avaliar um "chef" pelo trabalho feito num MacDonalds.

Nuno Fonseca disse...

"Por fim, tirando uma meia dúzia de jogos bem conseguidos, foi com o Vítor Pereira que passamos a jogar de forma tão aborrecida que levou à fuga de grande número de portistas das cadeiras do dragão."

Sendo assim, este ano não percebo porque os adeptos faltaram aos jogos. Não eram nada aborrecidos os jogos. Todos os jogos sofríamos golos e oferecíamos golos a torto e a direito.

Faltou dizer uma coisa. Olhando para o currículo de AVB, os seus melhores resultados(senão únicos) foram com VP a adjunto. coincidências.

Carrela disse...

Sinceramente acho que a "provocação" do "...poderem apreciar outro tipo de futebol..." é unicamente para aquela maioria de adeptos Portistas que foi responsável pela sua saída, e não para a direcção!

É para aqueles que nunca foram capazes de engolir o sapo VP!
Um excelente treinador, que foi mal tratado e incompreendido!
Vivemos no tempo da propaganda, em que a imagem infelizmente ainda dita a sua lei e isso tem mt peso!
No futebol não há certezas, mas estou convencido que com VP estava-mos a festejar o TETRA!
Não venham com as tretas do futebol bonito ou vistoso!
Futebol é dominar as variáveis do jogo, é ter-las a nosso favor e VP fez isso melhor que ninguém! Mas como tudo na vida, a sorte, por mt trabalho que dê, não deixa de ter o seu quê de caótico! Há aqueles que chegam a finais europeias com 8 ou 9 bolas nos seus ferros e penaltis falhados pelos adversários e há aqueles que não chegam lá precisamente pelo contrário!

Custa ver o nosso Porto neste estado, mas mts adeptos e desculpem que o diga, merecem por inteiro aquilo porque estão a passar!

Venha mas é a próxima época, que seja uma nova entrada nos eixos tal como da última vez que fomos a baixo!

DC disse...

1 - Sabe, sabe. Num deles foi com uma derrota e noutro foi com 0 derrotas. Em ambos, sem perder contra o 5LB, Sporting ou Braga e com vantagem nos confrontos directos.
2 - Foi ele que se demitiu e a direcção dos árabes até o tentou convencer a recuar na decisão.
Quantos aos títulos no futuro, espere para ver.

Alberto Silva disse...

CONCORDO...

RS disse...

"acho que é mais ou menos claro que foi o JJ que perdeu os 2 campeonatos do que VP que os ganhou."

Foi muito azar então o JJ não ter perdido também o campenato deste ano... afinal de contas, o desempenho do 5LB até foi pior do que o do ano passado...

José Lopes disse...

O problema e' que a direccao usou esses mesmos argumentos do futebol vistoso e ter mais adeptos no estadio quando se tornou claro que o Vitor Pereira nao ia continuar. Decidiram mudar de treinador, arrependeram-se depois de sermos campeoes e, como levaram com a proposta na cara, usaram esses lindos argumentos que sabiam serem populares para lavar a face e vender a ideia que mudar era o melhor.

meirelesportuense disse...

Só para dar conhecimento de mais uma provocação:-Corre na SportTv1 a programação de sexta feira dia 16 e nela está incluída a transmissão do jogo da Final da Champions de 2003/2004 Mónaco/FCdoPorto integrada nas transmissões de todos os jogos desde 1990, mas curiosamente, os símbolos apresentados em complementaridade informativa, são os do Mónaco e do...ACMilan!?!... É bonito não é, este sentimento de Nacionalidade a que tanto apelam nestes momentos?...

Madureira disse...

Então um treinador que faz 60 jogos e perde 1 e roubadinho em barcelos, não tem mérito??? um treinador que ficou sem Falcao e viu chegar para o seu lugar... ninguém, não tem mérito? um treinador que depois da vinda do Jackson fica sem o jogador mais importante da equipa, Hulk, não tem mérito? não entendo estas opiniões!

Miguel Ângelo VR disse...

Eu simpatizava com o VP, mas a equipa não apresentava um jogo cativante (longe disso), e só ganhávamos em Portugal... Ok, não é mau de todo, mas nem na LE nos safámos. Não podemos ter memória para umas coisas e esquecer outras - o nosso futebol já apresentava muitas deficiências. Quando acabou o campeonato (do ano passado), desejei que o VP saísse, cedendo o seu lugar a um outro treinador - a minha opção seria o Marco Silva. Escolheram o Paulo Fonseca, também não desgostei..

Eu só desejava um treinador que nos colocasse a jogar à bola, que mantivesse o domínio em Portugal, e que o estendesse às competições Europeias. Tal não aconteceu. Pior, piorou... Agora fomos buscar um treinador "desconhecido" a Espanha, quando tínhamos um desconhecido em Portugal (Marco Silva). O que me parece é que o SLB e o SCP estão mais atentos e mais "activos" (nos mercados, na comunicação, etc.) do que nós. É verdade que o nosso treinador ainda não mostrou trabalho, portanto não posso dizer nada, mas não gosto da passividade e do silêncio que existe no nosso clube. Parece que anda tudo a dormir...

Luis Pereira disse...

Também concordo...

NFM monteiro disse...

Quantos aqui queriam que o VP continua-se??? Eu não..

Não é por termos feito uma má epoca que mudei de opinião... O Porto jogava mal e cada vez tinhamos menos adeptos nas bancadas...

O problema não foi o VP ir embora foi o PF ter vindo...

Se a época de AVB fosse depois das 2 do VP todos concordava m mas como veio o PF todos tem memoria curta...

è verdade que so perdeu uma vez mas o que fez na LC? e nas taças? e a equipa jogava bem??

Perdeu o Falcao e o Hulk? sim

Mas esta epoca tambem não tinhamos o Falcao nem o Hulk e ainda perdemos o JM e James...

Este gozo e aquele riso estupido que ele teve da epoca do Porto é vergonhoso ou então não é tao portista como dizia...

Veremos no futuro quais as aptidões desta personagem, aposto que não ganha mais titulo nenhum mas pelo menos vai-se rindo

meirelesportuense disse...

As Finais são para se ganharem!...E há quem saiba fazê-lo e quem não o consiga!...

Luís Vieira disse...

O impacto do Vítor Pereira no campeonato árabe resumiu-se à conquista de mais um ponto relativamente à temporada transacta. Sublime. Se não serve como dado de análise, então que se apague do currículo, que se omita das crónicas e dos comentários e que se resuma o seu trabalho à passagem pelo Porto, esquecendo, pelo caminho, a Sanjoanense, o Espinho e o Santa Clara. Já agora, faça-se tábua rasa do seu exuberante percurso nas taças nacionais e nas competições europeias e cirscunscreva-se os elementos de avaliação ao bicampeonato e aos duelos com o Benfica. Deste modo, a conclusão será sempre completa, satisfatória, oportuna e despida de premissas incómodas.

Costa disse...

Não é só o VP que devia era estar calado!

Tu também e por 1000 2 razões...

Luís Vieira disse...

O tónico é posto no que o Vítor Pereira fez pelo Porto. Eu proponho analisar a questão de outra perspectiva: o que fez o Porto por Vítor Pereira? Elevou-o a treinador principal, não obstante o currículo limitado; protegeu-o até à náusea (e bem) quando as coisas corriam absurdamente mal (eliminação em todas as provas, após derrotas humilhantes com a Académica na Taça de Portugal, com o Manchester City na Liga Europa e com o Benfica na Taça da Liga); manteve-o como treinador na época seguinte, ignorando os apelos à demissão, depois de uma época de relativo sucesso (conquistou o objectivo principal, mas fracassou de forma retumbante nos restantes); e foi firme na confiança que lhe votou até à última jornada de um campeonato que parecia perdido, desmerecendo novos insucessos nas taças e uma eliminação difícil de engolir com o modesto Málaga. Face ao exposto, se o Vítor Pereira, actualmente, pode falar de cátedra (?) no Maisfutebol, deve-o ao Futebol Clube do Porto e à SAD de que agora zomba. Não sei se conseguiria a mesma ascensão meteórica noutras bandas, por isso o recato e a gratidão seriam mais aconselháveis, porque não vi ninguém do clube que o alavancou a gozar com a sua situação (igualmente precária porque a diáspora para a Arábia foi deprimente). É incognoscível que um treinador deste quilate/gabarito tenha ido parar tão longe, mas de certeza que são os grandes clubes europeus que estão a ver mal a coisa. Tivesse o Vítor Pereira dominado algum dos campeonatos que disputou a seu bel-prazer, vencido alguma Taça ou alcançado uma participação mais meritória nas competições europeias e não estaríamos a ter este debate porque ele ainda cá estaria. Note-se que não falei em futebol aborrecido, para não ferir susceptibilidades, limitei-me a elencar um conjunto de razões objectivas que obstaram à permanência de um treinador limitado para as ambições do FCP, por muito que o pintem como o mini-Guardiola. O problema não esteve na demissão/não-renovação/rejeição, como lhe quiserem chamar, do Vítor Pereira. Essa decisão foi acertada. O problema esteve na escolha do treinador que o substituiu, que foi um falhanço rotundo. Última nota para o Vítor Pereira: melhor andaria se se comparasse ao futebol vistoso de treinadores como José Maria Pedroto, Artur Jorge, Bobby Robson, José Mourinho e André Villas-Boas e não ao futebol inestético do Paulo Fonseca. Talvez encontrasse aí a resposta para o facto de não ter caído no goto de muitos adeptos portistas e tivesse padrões por onde se orientar/melhorar. Por último, largos dias têm cem anos, por isso cá estaremos para avaliar o percurso profissional pós-FCP do afamado Vítor Pereira.

MBC disse...

Caro José Correia: apesar do infeliz mandato de Paulo Fonseca ter corrido muito não consigo elevar o Vítor Pereira ao andor dos treinadores de excepção; agora entre o Vitor Pereira e um Paulo Fonseca calamitoso, venha trinta vezes o Vítor Pereira; como Portista quero que o Porto ganhe, mas espero, e esperarei sempre, poder ver repetido um futebol bem jogado como pude assistir com o José Maria Pedroto, com o Artur Jorge, com o Bobby Robson, com o Mourinho, com o AVB.
Caro Nuno Fonseca: repito, no meu entender, a desgraça exibicional e de resultados deste ano não transforma em ouro futebolístico a era Vítor Pereira; quanto ao facto de AVB (só) ter tido sucesso com Vítor Pereira a adjunto, parece-me uma conclusão tão especulativa quanto dizer que isso só aconteceu com o Pedro Emanuel a adjunto.

Nuno Queiroz disse...

Totalmente de acordo!

Vitor Pereira teve os seus méritos mas nunca foi muito acarinhado pelos adeptos ao contrário da direcção que o apoiou mesmo em momentos muito complicados. E quem disser o contrário está a faltar á verdade. Também Fernando Santos e Jesualdo Ferreira saíram do Porto depois de ganharem muitos títulos e nunca os ouvi a mandar "bocas" de despeito. E esses são gayvotas assumidos.

Embora PF tenha sido um desastre não queria o regresso de VP tal como não queria o regresso de Fernando Santos ou Jesualdo. Quanto a Lopetegui, vamos ver o que vai ser capaz de fazer esperando que seja muito feliz no nosso clube e, como adepto, daqui a uns meses cá estarei para o elogiar ou criticar.

P.S. Grande Beto e atentem nas declarações quando ele diz que esta Liga Europa foi mais importante mas a que ganhou com o Porto também teve um sabor muito especial porque no Porto sempre o fizeram sentir muito importante.

André Pinto disse...

Acho engraçado o argumento do José Correia: se não era o Vítor Pereira, só podia ser o Paulo Fonseca. Das constantes farpas enviadas, também se depreende que José Correia considerava que Vítor Pereira representava o ideal de ambição para nosso clube, que não havia mais nenhum treinador no mundo capaz de suceder a tão excelsa prestação.

Igualmente, esta laracha espirituosa de Vítor Pereira é uma frase de efeito, meramente circunstancial. Se o Porto tivesse contratado um treinador competente, a piaducha ficaria no saco. A verdade é que o futebol de VP não deixa saudades, ganhou um campeonato à boleia das ruinas de VB e o seguinte à custa da inenarrável incompetência do adversário. Pelo meio, prestações vergonhosas nas competições europeias e eliminações nas nacionais secundárias. Se é este apoucamento que fixa a actual fasquia de qualidade para o adepto portista, benzo-me três vezes. Entretanto siga a campanha de transformação de Vítor Pereira em excelente treinador, porque... Paulo Fonseca.

DC disse...

A direcção apoiou tanto que até lhe deu o Liedson e o Izmailov em Janeiro. Teve tudo o que queria, foi à grande e á francesa.
Já agora, a direcção "fez-lhe o favor" de lhe dar o lugar de treinador, já VP não fez favor ao rejeitar abandonar o barco aceitando o convite de AVB, pois não?

E Fernando Santos e Jesualdo tinham poucas bocas para mandar. Saíram depois de perder o campeonato e JF ainda viu o Porto ganhar tudo no ano seguinte ao dele. Iam mandar bocas a quem?

André Pinto disse...

DC, acabas de dizer que VP só manda bocas porque PF foi desastroso :D

Nuno Queiroz disse...

Como???? Acha que alguma vez ele iria voltar a ter a possibilidade de treinar o Porto se tivesse ido com AVB? Que passado tinha VP como treinador para além da crença de Pinto da Costa quando lhe o fereceu o lugar?

É verdade que só lhe deram Liedson e Ismaylov mas não terá ele dado o aval??? É que se assim não for também mostra que aceitava tudo o que a direcção lhe desse e que não tonha força sozinho. E quantos jogadores da formação ele utilizou quando na equipa B já pontificavam um Tozé (que ele tentou queimar no Porto-Olhanense) um Pedro Moreira e até um Victor Garcia?

Jesualdo ganhou 3 campeonatos em 4 perdendo depois do túnel da Luz além de Taças, Supertaças e razoáveis/boas prestações europeias. Fernando Santos fez o penta mais 2 taças e supertaças. E eu não os estou a defender porque o futebol praticado.... As declarações deles num foram de menosprezo ou gozo pelo Porto, bem pelo contrário e Jesualdo deu sempre o corpo às balas na altura do Apito e nunca se queixou. E sempre se assumiram como vermelhos ao contrário de VP que se diz portista e que na primeira oportunidade atira farpas quando o próprio diz que ele não quis ficar (independentemente dos timings da proposta de renovação não ter sido o melhor).

O DC gosta de defender VP como se não houvesse amanhã (e tem todo o direito, e eu respeito mas penso diferente) mas VP é passado e depois das palavras dele penso que nunca será futuro. E além disso, a mim o que me importa é o Porto e nunca as pessoas.

Daniel Gonçalves disse...

O facto de Vítor Pereira ter prescindido ser adjunto de AVB no Chelsea para ser treinador principal do FC Porto não significa nenhum altruísmo dele em “favor” do nosso Clube. Desconheço o salário que teria enquanto adjunto no clube inglês, se era inferior ou superior ao que iria auferir enquanto treinador principal no FC Porto, mas sei que desportivamente, e a nível de foco mediático, era muito mais importante ser treinador do FC Porto – que iria disputar a Supertaça Europeia face ao Barça de Guardiola, e que seria cabeça de série, pote 1, na Champions – do permanecer como adjunto do Chelsea e consequentemente num lugar secundário, portanto não me parece que Vítor Pereira ficasse a perder desportivamente – pois financeiramente desconhecemos - ao aceitar o convite de Pinto da Costa.
Também o facto de Vítor Pereira ter sido bi-campeão com apenas 1 derrota, apesar de meritório e de louvar, não pode ser exagerado e temos de reconhecer que é muito mais fácil de ser alcançado actualmente do que nos anos 70, 80 ou 90. Dado o abismo, e a qualidade do plantel, que benfica e FC Porto possuem face às outras equipas a possibilidade de terminar um campeonato sem derrotas para estas equipas é elevado. Jorge Jesus na temporada passada quase o conseguia, este ano o Leonardo Jardim - com um plantel muito mais fraco – só perdeu para os 2 rivais, sendo que na derrota na última jornada face ao Estoril ele já estava com a cabeça no Principado e no € que iria auferir. Podemos também especular que se Leonardo Jardim tivesse o plantel benfiquista ou o nosso as probabilidades dele terminar um campeonato sem derrotas seriam elevadas.

Daniel Gonçalves disse...

Já sobre a qualidade futebolística, das equipas de Vítor Pereira, tenho a dizer que não acompanho o FC Porto há meia-dúzia nem há uma dúzia de anos – e com isto não quero ser sobranceiro, arrogante nem menosprezar adeptos mais novos ou de outra faixa etária – portanto possuo uma perspectiva comparativa mais alargada para não considerar o período Vítor Pereira como o zénite ou o auge da evolução futebolística, como se no passado não houvesse quem tivesse feito melhor com condições menos favoráveis ou em tempos e contextos muito mais difíceis. Aos apoiantes de Vítor Pereira só falta dizer – numa analogia política - que “com ele acabou a Pré-História do futebol e agora não é possível melhorar”, e no passado era tudo incompleto ou imperfeito.
A era de Pedroto mostrou um futebol mais brilhante, mais eficaz do que no triénio AVB-VP, basta comparar os goal-average: em 30 jornadas marcamos mais de 80 golos, e numa temporada sofremos apenas 9 golos, isto com uma defesa - para aqueles que viveram esse tempo - composta pelo Simões e pelo “tosco” do Freitas. Num campeonato onde ainda havia estádios com campos pelados, ou seja de terra batida, como o de Vidal Pinheiro, o dos Arcos, o da Tapadinha, o do Espinho, o do Varzim, o do Portimonense e outros, nos quais consequentemente o melhor futebol e a equipa que o praticava saia prejudicado, e só não fomos, na temporada que acabou com o jejum, campeões sem derrotas porque fomos – no jogo com o Estoril - intencionalmente prejudicados naquilo que Pedroto classificou de “roubo de igreja”. Muito se fala na derrota em Barcelos, face ao Gil Vicente, no período de VP onde fomos lesados pela arbitragem do Paixão, mas ninguém fala da medíocre prestação da equipa nesse jogo onde nos “colocamos a jeito” de uma arbitragem manhosa e não lutamos contra a adversidade no desenrolar do jogo, enquanto na derrota frente ao Estoril - no tempo de Pedroto – podemos no mínimo afirmar que, mesmo a ser roubamos, a equipa lutou e praticou o melhor futebol e só a arbitragem - e não a atitude ou a estratégia da equipa – nos impediu de não sermos derrotados. Também parece que já não se lembram que estivemos a segundos de perder no Dragão com a Académica de Coimbra para o campeonato, o golo salvador que permitiu o empate surgiu nos minutos finais.
Comparar o percurso europeu da era Pedroto com a era VP não enaltece este último, pois com Pedroto eliminamos o Manchester United (pese embora as dificuldades da 2º mão), o AC Milan, e por um triz não eliminamos o Real Madrid mas o golo sofrido nas Antas desequilibrou (2-1 e 0-1) a eliminatória, isto numa altura em que eramos um “zé-ninguém” na Europa, e não possuíamos a experiência ou o traquejo actual. E não se viu o Pedroto lamentar-se de que foi eliminado pelo Real Madrid porque a equipa perdeu o Ademir, o Seninho, assim como já tinhamos perdido o Cubillas 1 ano antes, e a Administração não lhe reforçou o plantel, apenas lhe colocou à disposição o Costa que era ainda demasiado “verde” para aquelas andanças.

Daniel Gonçalves disse...

Já li alguns apoiantes de VP afirmarem que defrontar o nosso rival, benfica, sem temores e “olhos nos olhos”, dando lições de táctica ao treinado rival foi um dos pontos altos da era VP. Mas é isto inédito no nosso Clube? Já não fomos ao estádio da Luz fazer jogos e vitórias brilhantes sem ser na era Vítor Pereira? É este facto exclusivo do tempo AVB-VP? Já o fizemos com Pedroto, Artur Jorge - e o melhor banho de bola que alguma vez demos no estádio da Luz foi em 1984-85 – com Robson, Mourinho, Carlos Alberto Silva e até com António Oliveira, Fernando Santos ou Jesualdo conseguimos jogos excelentes na casa do nosso rival. Se implicitamente afirmam que a era VP foi “o melhor dos mundos”, que foi o apogeu, o zénite da qualidade futebolística de sempre no nosso Clube, para além de ridículo, é desconsiderar - e menorizar - o trabalho anterior de outros treinadores e, sobretudo, desrespeitar o passado e a História do FC Porto.

Daniel Gonçalves disse...

Respeito a opinião de quem considera VP um génio da táctica e da estratégia, cada um é livre de avaliar de acordo com os seus gostos e critérios os treinadores do FC Porto, mas poupem a bajulação e apologia do mesmo. Quando analisávamos os anteriores treinadores, salientávamos as qualidades mas também os defeitos, eram assim por exemplo com Pedroto, Artur Jorge, Mourinho ou Robson, portanto não percebo este endeusamento, nem análises acríticas ao seu trabalho, de Vítor Pereira, onde alguns portistas observam exclusivamente qualidades, virtudes ou excelências mas desvalorizam pontos menos positivos. Nem Pedroto teve esta avaliação acrítica, sabemos do feitio da sua personalidade, que levaram à discórdia com a direcção e alguns jogadores em 1969, e na era 70 Rodolfo e Fonseca salientaram a sua faceta rígida a nível disciplinar.

Luís Vieira disse...

A Direcção foi tão maléfica para o pobre Vítor Pereira que lhe deu Danilo, Mangala, Alex Sandro, Lucho e Jackson (para referir os mais fraquinhos). Choro de piedade pelo karma do magnânimo Vítor Pereira. Por outro lado, se se considera o cargo de treinador adjunto do Tottenham mais apelativo que o cargo de treinador principal do FCP, estamos conversados quanto ao grau de fanatismo cego pró-Vítor Pereira. Estou quase a propor erguer-lhe uma estátua em frente ao Dragão, depois de tanto sacrifício.

Daniel Gonçalves disse...

Não vi a entrevista que VP deu à TVI24 portanto baseio-me unicamente no que por aqui, e noutros lados, li e ouvi mas se ele teve um sorriso quando abordou esta má temporada do FC Porto é sinal do carácter dele. Como a atitude corporal é um reflexo do que vai na mente da pessoa, não compreendo o porquê do sorriso em sinal de regozijo pela má temporada do clube dele, o FC Porto. Se foi assim parece que estava a dizer “é bem feito” para a Administração, portanto colocou o ego dele acima do bem do Clube. Se VP tivesse suficiente auto-estima quando sentiu que procurava um “futebol diferente” aguentava tal desejo dos outros sem azedumes ou rancores, como dizem os anglo-saxónicos “take it like a man”, e sem vir agora com sarcasmos. Só quem desconhece Pinto da Costa é que pode pensar que após estas ironias ou sarcasmos de VP na entrevista, este voltaria ao FC Porto sendo recebido de braços abertos pela Administração. “Roma não paga a traidores”, e com isto não quero dizer que VP seja, ou deva ser, encarado como traidor à causa do FC Porto, mas que obviamente sarcasmos menos respeitosos para com o Clube vindos de antigos funcionários nunca caem bem na Administração de Pinto da Costa.

Daniel Gonçalves disse...

“A César o que é de César”, Vítor Pereira tem mérito no trabalho desenvolvido no Clube que permitiu ser bi-campeão, mas saindo do FC Porto é-me indiferente as suas conquistas noutros clubes, não regozijarei com as suas vitórias nem me alegrarei com as suas derrotas noutros lados, porque sou adepto do FC Porto e não adepto do Vítor Pereira, nem do treinador A,B, C, Y ou Z que passaram pelo Clube. Desejo-lhe toda a felicidade e certamente não devem faltar clubes onde ele possa colocar à prova a competência e mostrar o seu valor.