quarta-feira, 4 de junho de 2014

9 dragões mundialistas

Após ter terminado o prazo para a entrega das listas dos 23 convocados de cada seleção, alguns jornais (alguns…) destacaram o facto do FC Porto ser o clube português com mais jogadores no Mundial 2014: nove (tantos como Benfica e Sporting juntos).

Silvestre Varela (Portugal)
Mangala (França)
Defour (Bélgica)
Ghilas (Argélia)
Jackson Martinez (Colômbia)
Juan Quintero (Colômbia)
Diego Reyes (México)
Herrera (México)
Fucile (Uruguai) (*)

E, para além destes nove, há ainda o caso do convoca/desconvoca Quaresma (tendo estado na lista preliminar dos 30 é incompreensível que não faça parte dos 23 jogadores portugueses que vão ao Mundial), bem como, o estranho pedido da FPF à FIFA acerca do Fernando.

Ou seja, são nove mas poderiam perfeitamente ser 11 e, nesta lista de nomes, nem sequer entro com os internacionais brasileiros Danilo e Alex Sandro, naturalmente descartados por Scolari após a época horribilis vivida em vésperas de Mundial.

Olhando para o nome e número de dragões mundialistas, penso ser legítimo concluir-se que o plantel da época 2013/2014, que esteve à disposição de Paulo Fonseca, poderia não ser extraordinário mas, obviamente, não era o pior dos últimos 20 anos, como exageradamente foi dito por alguns portistas.

(*) Fucile termina o contrato com o FC Porto em 30 de Junho, enquanto que o ganês Opare (já contratado pelo FC Porto) só tem contrato válido a partir de 1 de Julho.


P.S. A FIFA paga a cada clube que cede jogadores às seleções presentes no Mundial do Brasil (2800 dólares por jogador e por dia). O Maisfutebol fez as contas ao valor que cada clube português já garantiu com o Mundial 2014.

26 comentários:

Paulo Costa disse...

Dizer isto depois de achar que do onze que jogou contra a Grécia (estão todos no mundial!) nenhum era titular de caras no Porto.. tem a sua piada. As internacionalizações contam muito ou pouco, conforme aquilo que se quer defender. O caso de Varela é o mais evidente. Abaixo era uma prova de mediania, agora é uma evidência de qualidade.

José Rodrigues disse...

Como ja' disse varias vezes, acho q o plantel era melhor do q muita gente disse (da mesma forma q no inicio da epoca achava q era pior do q o estavam a pintar - o q me leva a constatar q muitos adeptos passam facilmente do 8 ao 80 ja' q eu nao mudei de opiniao ao longo da epoca).

Dito isto, nao e' pelo # de jogadores convocados para o Mundial q se pode tirar quaisquer conclusoes sobre a valia do plantel, isso nao e' marca de qualidade (para ilustrar a coisa: no extremo, ate' podiamos ter 15 jogadores nas... Honduras; mas mesmo olhando para os paises aqui em questao, constato q nao e' preciso la' muita qualidade para entrar nos 23 seleccionados desses paises).

Luís Vieira disse...

De acordo. Fazendo uma análise mais detalhada e tendo como pressupostos a utilização de um sistema táctico em 4x3x3 e a contratação de um treinador competente, tivemos as seguintes opções: GR - Helton, Fabiano e Kadú/Bolat; DD - Danilo e Fucile; DE - Alex Sandro e Quiño/Rafa; DC - Mangala, Otamendi/Abdoulaye, Maicon e Reyes; MDef - Fernando e Defour; MC - Lucho e Herrera; MOf - Quintero, Carlos Eduardo e Josué; ED - Varela, Ricardo e Kelvin; EE - Quaresma e Licá; PL - Jackson e Ghilas. Fazendo a triagem para uma putativa convocatória, teríamos: Helton, Danilo, Otamendi, Mangala, Alex Sandro, Fernando, Lucho, Quintero, Varela, Quaresma e Jackson (11 tipo) e Fabiano, Fucile, Maicon, Defour, Herrera, Ghilas e mais um de entre Carlos Eduardo/Josué/Kelvin/Ricardo/Licá. Arrisco-me a dizer que um treinador em condições (que não Paulo Fonseca) seria capaz de fazer muito melhor com estas opções ao dispor. O plantel, apesar de não deslumbrar, era satisfatório e servia para dar luta ao Benfica no campeonato (com melhor plantel, sem dúvida, no ano de maior investimento de sempre) e obrigava a ficar à frente do Sporting, passar a fase de grupos da Champions e vencer alguma das taças. A cantiga gasta de que o plantel não prestava é cansativa e não convence. Não houve, sim, quem fosse capaz de retirar o melhor rendimento dos jogadores em apreço. Em todo o caso, não deixo de apontar o défice de qualidade nas alas (faltava um extremo desequilibrador, não houve plano B para o falhanço da contratação do Bernard, que agora anda a penar em Donetsk) e o desequilíbrio nas laterais, provocado pelo afastamento do Fucile, incompreensivelmente não colmatado em Janeiro. Face ao exposto e como prova o número de mundialistas da casa, é difícil sustentar o propalado plantel "miserável, fraco, péssimo", entre outros adjectivos depreciativos.

Luís Vieira disse...

Só mais uma achega: contratações como Ricardo e Sami não me deixam particularmente descansado para o ataque à próxima época. O Porto precisa de mais e melhor para diminuir o fosso para o Benfica, que começa, todavia, a ser atenuado com as saídas confirmadas de Rodrigo, Siqueira e André Gomes e as saídas putativas de Garay, Enzo Pérez e Markovic. Não obstante, temos de olhar para nós e construir um plantel mais consistente. Nesse sentido, a contratação do Opare é uma (aparente) boa notícia.

José Correia disse...

"Dizer isto depois de achar que do onze que jogou contra a Grécia (estão todos no mundial!) nenhum era titular de caras no Porto"

E mantenho o que disse.
Com a excepção do Nani (em forma!), nenhum dos outros titulares contra a Grécia seria (deveria ser!) titular de caras numa equipa com os padrões de exigência que o FC Porto tem (deveria ter!).

Disse e reafirmo, o Varela era, claramente, o elo mais fraco do onze titular da equipa do FC Porto Tricampeã em 2012/2013.

É um jogador mediano que, quando está em boa forma, é muito útil à equipa.
Daí a ser titular indiscutível do FC Porto, vai (deveria ir) um e-n-o-r-m-e diferença.

Ou seja, em condições normais, o Varela deveria ser suplente no FC Porto.
O facto de estar no lote dos 23 de Portugal, atesta a qualidade de um jogador que deveria ser suplente e que faz parte do "miserável" (segundo alguns) plantel do FC Porto.

José Correia disse...

Com a excepção da Argélia, as outras seis seleções que têm jogadores portistas no lote dos 23 convocados, não são propriamente seleções fraquinhas.

José Correia disse...

"é difícil sustentar o propalado plantel "miserável, fraco, péssimo", entre outros adjectivos depreciativos"

Claro que o plantel 2013/2014 NÃO era miserável, fraco ou péssimo.

Essa tese mirabolante serviu, essencialmente, para:
1) evitar comparações com a época anterior;
2) desresponsabilizar o treinador Paulo Fonseca.

José Rodrigues disse...

Nao sao fraquinhas mas tb nao é minimamente necessário ser-se um grande jogador para estar nos 23, longe disso.

Nenhuma dessas selecções é claramente superior à portuguesa (a França e Bélgica estarão mais ou menos ao mesmo nível, as outras abaixo), e basta olhar para o nosso caso para ver isso mesmo (temos Andres Almeidas e outros q tais nos nossos 23...).

Se me dissesses q temos varios jogadores q sao titulares numa Franca ou Belgica (ou até mesmo num Uruguai, Colombia ou Mexico), aí esse factor já teria mais peso. Mas curiosamente não temos um único (e estar nos 23 diz muito pouco... ainda se fosse um Brasil, Alemanha ou Espanha, mas nao é).

miguel.ca disse...

Há outro factor intetessante a notar. Quantos jogadores que já passaram pelo FCPorto é que vai estar no mundial. Um amigo meu falou-me em 23 mas não tive oportunidade de confirmar.

Nuno Fonseca disse...

O palntel do Porto poderia não ser o melhor, mas certamente não era o terceiro melhor. Certamente não era um plantel assim tão inferior em qualidade relativamente ao benfica comparando com a diferença pontual que existiu no campeonato. Não é preciso recorrer a convocados de selecções para concluir o óbvio.

Por exemplo, se tivessemos 11 espanhois que estivessem no limiar de serem convocados mas que acabavam por não ser, teríamos uma equipa fortissima e no entanto sem convocados nas selecções.

reine margot disse...

O valor dos jogadores vemos nós no campo um época toda; o que mais interessa neste momento é o que a fifa vai pagar por estes nove, e o que isso se traduz em valorização do clube no mercado...

um à parte: - apenas para a seleção do brasil não vai ninguém que aqui jogue... porque será?

reine margot disse...

O valor dos jogadores, mais coisa menos coisa, vemos nós uma época inteira;: a verdade é que há uns que jogam melhor pelo clube e outros pela seleção ; o que nos interessa agora é o dinheiro que a fifa paga por estes nove, e o que isto vai trazer de valorização ao clube no mercado... - masi tarde veremos se foi bom ou mau...

- só uma questão à parte: porque será que quem joga aqui nunca pode ir à seleção do brasil ?... (será do guaraná..)

Paulo Costa disse...

Ou seja, quando o José Correia colocou o Varela entre os 9 dragões mundialistas, quis dizer que o plantel do Porto não era miserável, era apenas mediano. É isso? Se é, tem razão. E olhe que bem pior do que ter o Varela a titular é ter o Licá a titular, em vez do James. Esse nem nos 23 de Portugal tem lugar...

José Correia disse...

Se o Paulo Costa ler aquilo que eu _escrevi_, em vez de querer tirar as ilações que lhe convêm, é capaz de ser mais fácil perceber o que eu penso.

Na minha opinião, o Varela não é um jogador de top. É um jogador mediano, que se tem revelado muito útil nos seus melhores períodos de forma.

Na época 2012/2013 a equipa formada/trabalhada por Vítor Pereira era muito forte, mas o Varela era, na minha opinião, o elo mais fraco do onze que foi mais vezes titular.

Desejavelmente, Varela deveria ser suplente (utilizado) e não titular indiscutível do FC Porto. Mas, na época 2012/2013 Varela já era titular do FC Porto e, portanto, não foi por causa do Varela que o plantel 2013/2014 era miserável, mediano ou mais fraco que o plantel da época 2012/2013.

José Correia disse...

Na época passada, o Alex Sandro chegou a ser várias vezes falado, devido às boas/excelentes exibições que teve ao longo da época.
Inclusivamente, cheguei a ouvir jornalistas de outras cores (penso que foi o Carlos Daniel), dizer que não compreendia a escolha de Filipe Luís em detrimento de Alex Sandro (o Marcelo é outra conversa).

Joao disse...

Varela já está no Porto há tempo suficiente e de uma forma geral a sua prestação tem sido positiva para o clube.

Claro que não é um fora de série, passa muitos jogos ao lado do jogo, mas normalmente consegue cumprir aquilo que o treinador lhe pede, independentemente do treinador (por alguma razão tem sido quase sempre titular desde que chegou ao Porto e creio que já passaram uns quantos treinadores por ele...) e fazendo as contas creio que ainda leva alguma vantagem em termos de utilidade vs nulidade...

Luís Vieira disse...

O que é certo é que se propagou e afectou de forma generalizada adeptos, jornalistas, opinadores, adversários, etc. A perda do James e do Moutinho foi perniciosa e não foi devidamente acautelada (não havia jogadores da mesma/aproximada valia que os substituíssem). Os reforços mais evidentes para os seus lugares (Herrera e Quintero) não estavam ainda em ponto de rebuçado e as restantes opções (Defour e quejandos) não garantiam, nem de perto, nem de longe a mesma qualidade. Contudo, reafirmo, o plantel era razoável e permitia alcançar muito mais.

Luís Vieira disse...

Curiosamente, o Alex Sandro, esta época, esteve francamente mal e o Marcelo também se apagou, por causa das lesões. Já o Filipe Luís fez uma grande época, ao ponto de agora o darem como próximo do Chelsea por 25M. No entanto, o Scolari entendeu por bem não o convocar (injustamente), levando em alternativa o Maxwell, que algumas vezes foi preterido pelo Digne no PSG.

Paulo Costa disse...

A mim parece-me óbvio que pelo menos o onze titular do Porto era mais fraco. Isto numa época em que o Benfica não só manteve os seus melhores jogadores como reforçou o plantel. Ou seja, não foi só a escolha do treinador que falhou. Não digo isto por uma questão de conveniência, digo-o porque não quero que a SAD do Porto cometa o erro de achar que tudo se resolve com a escolha do treinador. Não há treinador que consiga transformar o Licá no James.

Bardock99 disse...

Não sabia que o plantel era formado por 9 + 2 jogadores ou mesmo por 11jogadores. Este foi e será sempre o pior plantel que o FC Porto teve nos ultimos 10anos.

Quantos aos jogadores mencionados, muito mal estaria o Porto este ano se Varela, Defour, Ghilas e Fucile fossem jogadores titulares no onze inicial.

Ou se contrata bem este ano ou corremos o risco do Porto se tornar numa equipa banalissima na Europa, e em Portugal só lutar pelo titulo quando os vermelhos desinvestirem no reforço do seu plantel.

Resumindo : Esta gestao da SAD foi criminosa e vergonhosa. Como se passou de um plantel riquissimo (Uefa 2011) e vendas por valores astronomicos para um plantel 2014 (+23jogadores) em que a maioria nem num Betis da vida tinha lugar é qualquer coisa de surreal! ... para não falar que o passivo desde á muito tempo anda na casa dos 200M a 240M ... parece (mais que parece e que deve ser mesmo a realidade) que a SAD está interessada é em fazer mais negocios do que em zelar pelo interesse final do FC Porto

José Correia disse...

"...fazendo as contas creio que [Varela] ainda leva alguma vantagem em termos de utilidade vs nulidade..."

Sem dúvida.

José Correia disse...

"Não há treinador que consiga transformar o Licá no James"

Pois não, MAS...
Se Vítor Pereira, o treinador bi-campeão nacional, tivesse continuado, o normal seria que:
- no lugar do Moutinho jogasse o Defour ou Herrera;
- no lugar do James jogasse o Quintero (penso que no último jogo da Colômbia, jogou nessa posição);
- e os outros nove jogadores seriam os mesmos da época 2012/2013.

José Correia disse...

"Se me dissesses q temos varios jogadores q sao titulares numa Franca ou Belgica (ou até mesmo num Uruguai, Colombia ou Mexico)..."

Eu suspeito que o Mangala, o Defour e o Herrera estão às portas da titularidade nas respectivas seleções.
Mas vamos ver durante o Mundial.

Paulo Costa disse...

José Correia, se a minha avó tivesse rodas era uma bicicleta. A realidade é que o Quintero não é o James, desde o início da época que se sabe isso (http://www.ojogo.pt/Futebol/1a_liga/Porto/interior.aspx?content_id=3359195) e o Defour está a milhas do Moutinho. O Herrera tem outras características e esta época destacou-se pelo número absurdo de passes falhados, ou seja, o oposto do Moutinho. Quantidade é diferente de qualidade. O Porto tinha menos, o Benfica tinha mais. Isto para mim é evidente.

José Correia disse...

"A realidade é que o Quintero não é o James (...) e o Defour está a milhas do Moutinho"

Sim...
... e o Moutinho não é o Lucho (era isso que se dizia quando o Moutinho chegou ao FC Porto);
... e o James não é o Hulk (foi jogar para a mesma posição);
... e o Jackson não é o Falcao;
... e o Otamendi não é o Ricardo Carvalho (ou Pepe);
... e ...

Seguindo este tipo de raciocínio, como todos os anos o FC Porto vende alguns dos seus melhores jogadores e os que são contratados para os substituir são todos uma "merda", o FC Porto não teria ganho nem 1/10 do que ganhou na última década.

Paulo Costa disse...

Lendo o texto do link, é fácil de perceber o que eu quis dizer em relação ao Quintero. Tem qualidade mas não para jogar numa ala a fazer aquilo que o Hulk e o James faziam. Não tem essas características. Quanto ao Defour, se depois de 3 anos a vê-lo jogar, o José Correia ainda não percebeu que ele está a léguas do Moutinho, não vai perceber nunca.

Como eu acredito que a SAD do Porto não anda a dormir e por isso o Porto ganha mais vezes do que perde, acho que terá a noção de que esta época o plantel do SLB era mais forte do que o do Porto e que não basta trocar de treinador para equilibrar as coisas.