segunda-feira, 9 de junho de 2014

Hóquei, três anos depois do Deca

Na época 2010/2011, o plantel da equipa principal de Hóquei em Patins era composto por:
Edo Bosch (guarda-redes)
Nelson Filipe (guarda-redes)
Filipe Santos
Pedro Moreira
Pedro Gil
Reinaldo Ventura
Emanuel Garcia
André Azevedo
Gonçalo Suíssas (ex-Juventude de Viana)
Rafa (júnior)
Henrique Magalhães (júnior)

Em Agosto de 2010, em declarações prestadas ao www.fcporto.pt, o treinador Franklim Pais afirmou o seguinte:
Mantivemos a maior parte dos jogadores. Sai um bom jogador, o Jorge Silva, e entra o Gonçalo Suíssas, um atleta com grande potencial e que vamos tentar integrar o mais rapidamente possível, de forma a mantermos a hegemonia do hóquei em patins nacional.”

No final dessa época (2010/2011) o FC Porto sagrou-se Decacampeão nacional de Hóquei em Patins.

(clicar para ampliar)

Três anos depois…

Filipe Santos já deixou de jogar.
André Azevedo saiu (em principio irá terminar a carreira na Oliveirense).
Pedro Gil e Emanuel Garcia saíram para clubes estrangeiros.
Gonçalo Suíssas esteve longe de confirmar o anunciado potencial e não cumpriu os três anos de contrato com o FC Porto.

Pedro Gil

Edo Bosch, Nelson Filipe, Pedro Moreira e Reinaldo Ventura continuam a fazer parte do plantel, mas estão três anos mais velhos (Ventura tem 36 anos e Edo vai fazer 39 anos em Setembro).

Sinais dos tempos…

Jorge Silva, que tinha saído para o Candelária, porque no FC Porto não jogava (há 3-4 anos atrás havia jogadores melhores), entretanto regressou e faz parte do cinco base atual.

Rafa não foi aproveitado, saiu, foi para o Valongo, esta época sagrou-se campeão nacional (foi decisivo no Valongo x FC Porto da última jornada do campeonato) e na próxima época estará de regresso ao Dragão Caixa.

Pedro Moreira, lamentavelmente, tem sido mais falado nas revistas cor-de-rosa, do que por grandes exibições ao serviço do FC Porto.


Ouço e leio muitos portistas a apontarem o dedo ao treinador Tó Neves.
Ora, eu não sei se Tó Neves é o problema (era bom que fosse, porque seria fácil de resolver) ou se poderá ser parte da solução. Mas uma coisa eu sei, porque é óbvia: o plantel do FC Porto da época que acabou ontem, não tinha a mesma qualidade de há 4 ou 5 anos atrás.

Haverá dinheiro para o FC Porto fazer a renovação que se impõe e, simultaneamente, construir um plantel melhor?

Estará a secção de Hóquei em Patins do FC Porto suficientemente bem estruturada para viver sem a presença (e apoio financeiro) de Ilídio Pinto, o homem que, do quase nada, transformou o hóquei em patins azul-e-branco numa das maiores potencias a nível mundial?

João Baldaia e Ilídio Pinto

Um ano depois do FC Porto ter ganho a dobradinha, não estou nada optimista com o futuro do hóquei portista.

Ao contrário do Andebol e do Basquetebol, onde vejo dois projetos com pés e cabeça, embora em estadios de desenvolvimento diferentes, no Hóquei parece-me que começa a faltar liderança, dentro e fora do ringue.

18 comentários:

reine margot disse...

Enfim... aponto um pouco o dedo ao Tó Neves; acontece que as coisas mudaram desde que para lá foi - pode ser coincidência,claro, mas como ele, como jogador não era emocionalmente muito controlado, jogava sempre mais com o coração do que com a razão, talvez não tenha a mentalidade certa para o lugar... finais ao que parece não são com ele. (Como treinador...) - Volta e meia é necessário perder para se ver o que está mal... e, com certeza, está bastante mal... ou ontem não teria havido o descontrole que houve...

Luís Vieira disse...

A época do Porto, este ano, tornou-se negativa porque perdemos os dois últimos jogos decisivos. Tivéssemos ganho e a história seria outra. Se a temporada fosse miserável, sem acesso às decisões, entraria num discurso catastrofista e poria em causa o trabalho levado a cabo na secção. Como falhámos na recta final, dou o benefício da dúvida a quem poderia estar agora a ser louvado por mais uma dobradinha.

José Correia disse...

O meu discurso não é catastrofista, mas acho que não devemos ignorar a realidade dos factos.

E, já agora, este artigo já estava alinhavado antes da derrota de ontem na Final da Taça de Portugal.

José Correia disse...

Durante esta época o FC Porto foi uma equipa de altos e baixos (demasiados baixos).

A mesma equipa que goleou no Dragão Caixa o FC Barcelona, foi goleada, ainda por mais, no Palau Blaugrana.

A mesma equipa que foi à Corunha ganhar ao Liceo, foi duas vezes goleada pelo SLB (6-1 para o campeonato e 8-3 para a Taça de Portugal).

Não, não foi nos jogos contra o Valongo ou o SLB, que seriam sempre jogos de tripla, que o FC Porto perdeu o campeonato.

Foi contra equipas que terminaram o campeonato em 7º (OC Barcelos), 9º (Sporting) e 15º lugar (Cambra, desceu de divisão!) que o FC Porto perdeu o campeonato.

Cambra x FC Porto (7ª jornada): 7-4
OC Barcelos x FC Porto (17ª jornada): 3-3
Sporting x FC Porto (25ª jornada): 4-3

Ignorar estes factos e achar que o FC Porto perdeu o campeonato por acaso, ou por falta de sorte, é não querer ver o fundo do problema.

Luís Vieira disse...

Não ignoro e parece-me que boa parte das ideias expressas são correctas. No entanto, arrisco que o artigo não seria tão peremptório caso o Porto tivesse ganho os dois jogos referidos. A equipa precisa de ser reforçada, a posição do Tó Neves poderá ser repensada (custou-me muito mais a derrota na final da Liga Europeia que esta dupla derrota), mas o estado da arte não é negro.

Luís Vieira disse...

O Porto não perdeu o campeonato por acaso ou por falta de sorte. Perdeu-o porque foi incompetente. Não obstante, é curioso notar que, muito embora os resultados menos conseguidos durante a época, só precisava de um empate na última jornada para ser campeão. Não o conseguiu.

José Correia disse...

Se o FC Porto tivesse empatado na última jornada, em Valongo, significaria que estava tudo bem e que não haveria problemas sérios, de curto e médio prazo, na secção de Hóquei em Patins?
É isso?

José Correia disse...

Pior que a goleada de ontem na Final da Taça de Portugal, foi ver (eu vi o jogo na A Bola TV) uma equipa à deriva, emocionalmente descontrolada e com os piores exemplos a virem dos jogadores mais velhos/experientes.

E, já agora, convém lembrar que no trajecto até esta Final da Taça, o FC Porto quase foi eliminado em Valença, por uma equipa da 3ª divisão!

José Correia disse...

Para além da goleada (3-8) na final da Taça, ou da derrota (3-5) em Valongo, para mim, e conforme escrevi no artigo, as duas questões essenciais são as seguintes:

Haverá dinheiro para o FC Porto fazer a renovação que se impõe e, simultaneamente, construir um plantel melhor?

Estará a secção de Hóquei em Patins do FC Porto suficientemente bem estruturada para viver sem a presença (e apoio financeiro) de Ilídio Pinto?

João Santos disse...

Já anda a doer à um ano, desde a final da Liga europeia. O post, tem de facto é uma boa questão, mas acredito que vai tudo ser resolvido.

Porto sempre...

Luís Vieira disse...

Da mesma forma que o artigo não é alheio aos resultados, também os "problemas sérios" (expressão um bocado forte para quem esteve muito perto de alcançar uma dobradinha) não são imunes às duas derrotas que, em vez de uma época muito conseguida, conduziram a uma má época. Aliás, esses "problemas sérios" não impediram o Porto de estar nas decisões. Ademais, não vislumbro como tais "problemas sérios" possam perigar o futuro de uma secção multititulada, que apenas baqueou, este ano, in extremis. Face ao exposto, entendo que se deve fazer alterações cirúrgicas no sentido de atacar a próxima época com melhores argumentos, mas não me parece que as condições actuais estejam de modo a incorrer em alarmismos.

Luís Vieira disse...

Duas questões insondáveis, a carecerem de demonstração prática.

Bruno Miguel da Silva Moutinho Guedes disse...

Boa tarde.
Não sou só adepto de futebol. Obviamente que sei a importância do futebol para a instituição FCPORTO, o futebol é o catalisador de tudo. Se o futebol conquistar o campeonato e taça, poucos são os sócios que se lembram das modalidades amadoras, que atualmente face aos ordenados de amadoras têm pouco. Grande maioria da massa adepta pouco importa os resultados ou feitos do hóquei/ andebol / basquetebol. Só se importam ou valorizam quando o futebol corre mal. Nunca ouvi um sócio gabar o feito do nosso clube este ano, em que tivemos três modalidades na mais importante competição europeia, ninguém festejou o feito inédito de pela 1 vez na história uma equipa portuguesa ter ganho um jogo no atual formato da liga dos campeões de andebol. No hóquei perdemos o campeonato por incompetência e ontem tal como na 1 volta fomos Humilhados.
Gosto muito do Tó NEves, foi dos jogadores com mais garra, amor que vestiu a nossa camisola, saiu na altura e para mim foi uma grande tristeza, mas julgo que não é treinador para o clube, as vezes gostar só não chega. A culpa n ão é só dele, culpo neste caso alguns jogadores que preferem as revistas cor de rosa e as noitadas. As vezes complicamos o que é fácil, parece que esquecemos o que nós levou às vitórias.
Não sei o caminho que estamos a ter mas espero estar errado, este caminho de meninos mimados, de meninos que embirram, de meninos quepensam mais na sua conta bancária que no clube, não é o caminho.
Buno Miguel Guedes 28061

DC disse...

Acho que a situação não é assim tão má. O Porto ainda recentemente promoveu mais um grande jogador como é o Helder Nunes. Agora o treinador? Perder uma final da Champions em casa, perder o campeonato e a taça depois de entrar a vencer? Faz-me lembrar o Luis Castro. É muito portista e tal, agora isso não chega. É um "menino" que não aguenta a pressão e transmite o nervosismo para o ringue. Que saia rapidamente.

Pedro disse...

Creio que o treinador não será a causa de tanto insucesso nos últimos 2 anos. A verdade é que Tó Neves leva o Porto a 2 finais seguidas da Champions, foi campeão 1 vez e perde o titulo numa última jornada este ano. Sem esquecer que perdemos uma final da Taça num jog que tem uma arbitragem que sejamos sinceros, não tinhamos qualquer hipotese.

A questão é financeira, (salários em atraso nos últimos 3 anos é coisa que não tem sido rara) e quem sabe é a razão para a exibição de Cambra... e falta de renovação do plantel, talvez provocada pelo medo da mudança e pela força dos pesos pesados do plantel.

José Correia disse...

@Luís Vieira, @DC
Eu não disse, nem digo, que a situação é má e muito menos que é catastrófica.

O que eu digo é que sem Filipe Santos, sem Pedro Gil, sem Emanuel Garcia e com Reinaldo Ventura e Edo Bosch na fase descendente das suas carreiras (Reinaldo Ventura tem 36 anos e Edo Bosch está quase a completar 39 anos), há um ciclo que se está a fechar. Penso que isso é óbvio.

Nota: Esta época, no confronto directo entre os três primeiros classificados (Valongo, SLB e FC Porto), o FC Porto apenas ganhou um (e pela margem mínima) dos quatro jogos disputados.

O FC Porto iniciou o processo de renovação na época passada, com a contratação de Hélder Nunes, e para a próxima época já contratou o Rafa (o qual tinha saído do FC Porto para o Valongo…).
Chega? Eu acho que não.
Mas será que há dinheiro para mais e melhores jogadores?

Madureira disse...

Fala-se da chegada do Bargalló do Liceo que era um dos melhores do mundo (para muita gente o melhor) mas tb vai fazer 35 anos! Fundamental é de uma vez por todas dispensar o P.Moreira, Caio e o Losna... e saber se vamos conseguir a contrataçao daquele que dentro de pouco tempo estará ao nivel dos melhores do mundo... Gonçalo Alves! Este plantel de hoquei parece o de futebol, nos ultimos anos desfalacado sucessivamente.

João disse...

Portanto não sermos goleados historicamente pelo benfica uma 2a vez. Um 8-3 é diferente de um 4-3