quarta-feira, 30 de julho de 2014

E vão onze !?


Andrés Fernández; Opare, Marcano (?), Indi, José Ángel; Óliver Torres, Casimiro, Brahimi; Tello, Adrián López, Samir.
Com a saída de Jackson e Ghilas prevejo as entradas de Gutiérrez (ou Jiménez) e Éderdzinho. A (r)evolução continua.

41 comentários:

Joao Goncalves disse...

O Hibraimi, o Samir. e o Éderdzinho devem ser grandes craques que não conheço mas se o forem serão bem vindos ^^

Agora mais a sério... Era espectável uma revolução com as saídas de Mangala, Fernando e possivelmente Jackson, acrescentada da lesão grave do Helton e do querer sair do Varela.

Para além disso a péssima performance do meio-campo no ano anterior e o não haver opções decentes nas alas e não haver concorrência para os laterais ainda tornava isso mais evidente.

Contudo 13 contratações depois e não 11 como está no titulo, a saber, Andrés Fernández, Ricardo, Opare, Indi, José Ángel, Casimiro, Brahimi, Evandro, Óliver, Sami, Tello, Adrián López e Lichnovsky (que parece que custou cerca de 2,5M€ e que com a esse preço tem de se incluir na lista), acho um exagero e não parece que fiquemos por aí...

Vamos ver como é que isto tudo começa a jogar junto e essencialmente quando tem processos assimilados para jogarem juntos...

Nuno Fonseca disse...

quem é o hibrahimi?

Pedro ramos disse...

Eu já disse aqui, estou desiludido com a pré-época e com o que tem sido permitido a Lopetegui. Para além desses ainda se fala em mais um avançado e um médio.
Volto a dizer: esperava que Lopetegui viesse treinar a equipa do FCP nao trazer uma equipa com ele. Muitas vezes as revoluçoes engolem os próprios criadores... veremos o que vai acontecer.

Gutierrez e Éder? Nao obrigado. Aliás dispensar Ghilas por qualquer um deles...

Já agora, diz-se que Fernandes foi contratado porque Fabiano tem um mau jogo de pés e nao sabe funcionar como libero, curiosamente das várias entrevistas que li a ex-companheiros e técnicos, apontam como principal lacuna de Fernandes o jogo de pés.

Carrela disse...

Falta à lista
Ricardo (GR)
e Igor (chileno - DC)

Éder? Por favor.............. Não!! Ghilas é melhor e foi dispensado!

João Moreira disse...

És capaz de ter escrito dois nomes correctos. Bom trabalho!

miguel.ca disse...

Muito honestamente nem questiono se esta revolução está a ser radical demais ou não mas que a equipa vai andar a penar durante meses e muito possivelmente a falhar objectivos importantes pelo meio parece-me mais do que provável.

Joao Goncalves disse...

acho que pelo menos 3 acertei mas não foi fácil, que só o Varela e o Fernando tem ligação à minha língua materna ^^

Joao Goncalves disse...

Como já estou farto destas criticas ao trabalho da SAD, vou-te responder.

Então vamos lá ver... da época passada o que restou depois do fim do campeonato?

Helton lesionado, Varela a querer sair, Mangala e Fernando a responder à lei do mercado e Jackson deve seguir a mesma linha.

Licá não tem qualidade, Defour nada acrescenta, Abdoulaye foi a desgraça que se viu e Kelvin passa de treinador em treinador sem ninguém apostar nele.

Portanto ficamos com Fabiano, Danilo, Alex Sandro, Maicon, Reyes, Josué, Carlos Eduardo, Herrera, Quaresma, Ghilas e Ricardo Pereira.

Então quando podem transitar 11 jogadores da época passada, pelos vários motivos já referidos acima é uma revolução?

Desses 11 o Lopetegui decidiu abdicar de 2 (Ghilas e Josué) que são os únicos que a comunidade portista ainda tenta justificar as suas más saídas e ainda se mantém o Kelvin no grupo.

Portanto não me falem em revoluções quando analisamos o plantel que transita da época passada e nem sequer teríamos suplentes...

P.S.: E não me venham com formação, que quando se contrata um treinador novo e é para ganhar e não para apostar nos jovens... isso vem depois com o segundo, terceiro, quarto ano, etc... de trabalho no mesmo plantel.

Mário Faria disse...

Peço desculpa pelos erros na identificação da alguns jogadores. Não inclui alguns novos recrutas (Ricardo ou Evandro) porque é minha convicção que não contam para o totobola.

DragaoMinho disse...


O que a equipa vai jogar não tem nada a haver com muitas ou poucas contratações, mas sim com a qualidade dos jogadores e treinador!
Na época passada por muito que queiram amenizar tínhamos um plantel fraquinho muito fraquinho, pouco trabalhador e pouco aguerrido este ano justificava-se uma mudança de mentalidades na equipa e a melhor forma de o fazer é remodelar as cabeças que contêm as ideias de comodismo e preguiçismo, ate porque Pinto da Costa na ultima época fartou-se de ir ao balneário e de passear nos treinos da equipa, como se fosse um psicólogo de serviço a dar animo!

Ora nunca ninguém esta satisfeito com nada e mal seria de nos portistas se assim não fosse depois de tantos anos a ganhar e mesmo assim começamos sempre cada época a imaginar possíveis cenarios de desgraça, todas as épocas ha quem pense que a casa vai ruir por algum lado!
Nós portistas somos os maiores críticos do nosso clube e ainda bem que assim é, mas é preciso ser moderado e ter paciência!



Pedro disse...

Jackson não acredito que saia. O mercado não está a evoluir nesse sentido. Acho mais provável que de repente Herrera ou Quintero sejam "atacados".

Para além das entradas cheira-me que Ricardo e Evandro estão com guia de marcha. Falta saber se algum dos miúdos sub19 serão inscritos na champions... Não temos jogadores portugueses praticamente.

Filipe Sousa disse...

Se o Evandro, for dispensado, o Porto pode sempre emprestá-lo ao Estoril!

pancas disse...

Joao Goncalves,

Concordo claramente contigo! Esta revolucao ERA necessaria. A teoria de mudar 4-5 jogadores (como o MST falava na ultima cronica) serve quando fazemos uma epoca normal e temos um plantel equilibrado, nao quando acontece o desastre do ano passado.

Alem disso, nem acho que o Lopetegui tenha trazido a "equipa dele" como muitos dizem. Infelizmente ha demasiados que falam sem saber do que estao a falar. A maior parte das contratacoes nao tem ligacao nenhuma ao Lopetegui, nunca trabalharam com ele em lugar nenhum. O que ele, em conjunto com a Direccao estao a tentar fazer e contratar jogadores que correspondam as necessidades do futebol moderno, ou seja que tenham tecnica e inteligencia. Ao inves ainda se ouve muitos bacocos que nao percebem nada de futebol pedir jogadores que sao altos e fortes e tem mistica e garra, como se isso servisse de algo hoje em dia... Perguntem ao Socolari quanto lhe valeram essas qualidades....

E tecnica e inteligencia tinhamos muito pouco num plantel que tambem era muito pouco equilibrado

José Rodrigues disse...

Parece-me franco exagero, e como foi dito vamos andar a penar até ter rotinas em condições.

Há 3 meses dizia eu que faria sentido contratar 5 a 10 jogadores (no máximo, e já contando com a venda de 3 titulares) mas que me cheirava que ia haver mais. Infelizmente confirma-se.

Aliás, era mais ou menos consensual q o grande problema do ano passado nao era o plantel mas sim o treinador, q subaproveitou imenso o plantel q tinha. Pelo q estou a ver parece q pensam q era as duas coisas em igual medida...

José Rodrigues disse...

Já agora, se alguém me conseguir explicar porque diabo o Ricardo foi contratado (aparentemente sem Lopetegui ter sido consultado), agradecia.

José Rodrigues disse...

... e o Evandro também.

Pedro ramos disse...

Falta acrescentar o Sami, mas esse todos sabemos o porquê?

Pedro ramos disse...

Caro Joao nao sei o que lhe responder, 1º escreve : "Contudo 13 contratações depois e não 11 como está no titulo, a saber, Andrés Fernández, Ricardo, Opare, Indi, José Ángel, Casimiro, Brahimi, Evandro, Óliver, Sami, Tello, Adrián López e Lichnovsky (que parece que custou cerca de 2,5M€ e que com a esse preço tem de se incluir na lista), acho um exagero e não parece que fiquemos por aí..."
Agora diz que esta, repito esta revoluçao era necessária?

É que a minha desilusao é exactamente por estarmos a ir longe demais.
Ainda no dia 19 deste mes escrevi " Globalmente também estou a gostar da politica de contrataçoes porque, com excepçao de um ou outro jogador, seguem uma linha coerente dentro das ideias que o treinador defende. "
Mas as contrataçoes continuam e ainda nao sei quando vao acabar.

Quanto ao pancas sobre os jogadores altos e fortes confesso-me um bacoco que nao percebo nada de futebol, porque nao faço ideia onde é que ele quer chegar.

Nuno Fonseca disse...

não sei se foram os casos, mas os negócio começam muitas vezes a meio das épocas e terminam no incio da época seguinte. às vezes já foi alterado o treinador, mas não é por isso que o negócio deixa de se realizar. Há mil casos assim. Uns até correm bem, estou-me a lembrar assim de cor do Pepe, indicado por Mourinho na altura se não estou em erro.
Mais do que isso, há em todos os grandes negócios que são feitos para enfraquecer os clubes mais pequenos e até os rivais que o poderiam aproveitar de outra forma. Evandro foi um desses casos parece-me.

João Mateus disse...

Boa noite,
Uma pergunta... que experiência a gerir planteis tem Lopetegui para que se lhe dê tanta liberdade para ir buscar jogadores?
São 5 espanhóis e + 2 que jogavam em espanha.
Chegou dispensou/encostou quem cá está e trouxe o contentor?
É um aposta de muito risco para ter tantas liberdades...
Eu tenho muitas dúvidas que este senhor seja o que precisamos.

José Rodrigues disse...

"enfraquecer os clubes mais pequenos"??

Muito mal estamos se sentimos a necessidade de enfraquecer os Estoris e Académicas deste mundo...

Quanto a negócios q começaram antes, o q eu sei é q o negocio Ricardo foi fechado bem depois da SAD entrar em negociações com o Lopetegui.

E das uma: ou consultava o Lopetegui antes de avançar, ou então ia impor o Ricardo ao Lopetegui nao comprando outro GR. Assim é deitar dinheiro (q é escasso) ao lixo.

José Rodrigues disse...

GR é uma posição em q somos useiros e vezeiros de contratações escusadas. Pawel, Bolat, ...

De resto e quanto à escolha de Lopetegui, nao deixo de achar uma triste ironia q fomos buscar a Espanha um GR inferior a outro GR q tínhamos há pouco dispensado para Espanha (Beto)...

Daniel disse...

Yep...é isso mesmo que eu penso...não estou pessimista mas esta inversão na política de contratações não me agrada. Além de que é uma vergonha um plantel de 27 jogadores com apenas 3 portugueses sendo que dois deles devem sair antes do fecho do mercado.

Joao Goncalves disse...

Exactamente o que escrevi... isto não é uma revolução pois só tínhamos 11 jogadores a transitar da época anterior mas comprar 15 ou 16 jogadores para a equipa A com 11 que poderiam perfeitamente transitar dá um global de 26 ou 27 jogadores e aì já começa a ser ridículo, ou pelo menos, um desperdício de talento.

Uma clube que tem equipa B deve abordar a época com 23/24 jogadores, que vai ser o que nos vai acontecer, mas mesmo que contratemos 16 jogadores, continuamos a "apenas" dispensar 3 jogadores, daqueles que os adeptos "não concordam", o que não é minimamente uma revolução.

Podemos é acrescentar, que o plantel era tão mau, que o Lopetegui acabou por poder fazer uma equipa mesmo à medida dele e se falhar será praticamente o único responsável (pelo menos aos olhos dos adeptos).

Agora espero que ele não falhe mesmo, pois gostaria de ter uma treinador pelo menos uns 3/4 anos no clube e iniciar, de uma vez todas, a evolução Sub-19<>B<>A, para montar uma estratégia de desenvolvimento alicerçada nessa função, pois nós temos as condições estruturais, mas sem os treinador ficar vários anos, nunca se cria as condições nos treinadores para isso acontecer.

Joao Goncalves disse...

Mas era se agora estivessem a contestar a "experiência de gerir planteis" do nosso treinador...

Isso é a mesma coisa que dizer: Que experiência que Lopetegui tem para assinar pelo Porto? Que é que este totó faz naquela "cadeira de sonho"?

José Rodrigues disse...

Sim, o Sami foi só mesmo para meter nojo com o presidente do Marítimo.

JON disse...

Se o Andrés Fernandez for do nível do Beto, muito mal servidos estamos... O Beto é muito fraco!

Joao Goncalves disse...

Concordo plenamente.

Como já disse acima isto não é uma revolução porque face às contingências do plantel da época anterior (lesões, saídas e más investimentos) precisaríamos sempre de 10/11, não tivéssemos feito o lastimável campeonato que fizemos, agora levar esses números para 15/16 é como estar a comprar um plantel completamente novo e andarmos a jogar CM/FM, especialmente quando havia 11/12 jogadores que poderiam perfeitamente transitar da época anterior com qualidade.

DragaoMinho disse...

Desculpe me o comentário, mas acha que o plantel da época passada foi subaproveitado? Um plantel com apenas 2 extremos? apenas 2 def laterais?apenas um trinco?
Nem discuto a qualidade do plantel nem as adaptações que se fizeram a certos jogadores!
Digo isto porque na época passada não havia 2 opções para cada posição, não havia rotatividade coisa que esta época se afigura!!
Subaproveitar um plantel é não dar oportunidades aos jogadores, ora fernando alexsandro danilo jackson quaresma josue lica e outros tiveram muitas oportunidades de jogar, ate mesmo demais ou porque a concorrência era fraquinha ou por não haver mais ninguém para rodar ou porque o treinador era mesmo um nabo!

DragaoMinho disse...

Lopetegui não precisa de saber gerir planteis precisa é de saber como ganhar!
Se houver jogadores de qualidade a gestão é muito fácil, então se as vitorias se sucederem meus amigos, tudo muito mais fácil!

Querem jogadores de futebol portugueses no FCP? Tirem os Ipads e Ifodes aos vossos filhos e mandem nos para a rua dar pontapés na bola!

Vincent Vega disse...

Alguém que concorda comigo. O Beto consegue no mesmo jogo ir do Muito Bom até ao Muito Mau. Além de ser baixo.

Miguel Magalhães disse...

Depois de termos contratado mais do que uma equipa inteira (metade dos quais espanhois) podemos pensar que estamos perante mais um regabofe de contratacoes.
Podemos tambem pensar que estamos a dar liberdade como nunca demos (talvez no tempo do Mourinho) e orçamento como nunca demos a um treinador, ou seja, a responsabilidade do sucesso e do exito será, como nunca foi, do treinador.
Ou podemos ainda pensar que afinal, se calhar, no ano passado o treinador foi o menos culpado do insucesso pois limitou-se a trabalhar com, pelos vistos, um plantel muito mau e que o Vitor Pereira fez milagres no Porto, especialmente no segundo ano.
Perante tantas possibilidades, optei por renovar o lugar anual e sentar-me na minha cadeira de sonho a partir de dia 15 para ver se no final da época chego a alguma conclusao...

miguel.ca disse...

Zé, penar no sentido de que construir tudo a partir do zero leva tempo, meu Caro.

JON disse...

O pessoal avalia guarda-redes pelos pénaltis (em que ele é bom), como avalia muitos jogadores pela notoriedade que o golos/fintas/passes vistosos traze. Depois, arrisca-se a idolatrar nabos que não aumenta a probabilidade da equipa ganhar. O jogo é colectivo, não é circo.

O Beto, na final com o Benfica do ano passado, esteve horrível durante o jogo e depois defendeu os pénaltis e foi um herói. O Oblak foi muito melhor, sempre seguro, sempre bem colocado. Mas o outro é que levou os louros... (no caso, ainda bem!)

João disse...

Se é responsabilidade do treinador, então a minha vénia para ele. Porque enquanto foi da responsabilidade do Antero, eram épocas seguidas com um único trinco no plantel, sem alternativas aos laterais, épocas que se começaram com o Kléber e Walter para a frente, pazadas de guarda-redes quando se sabia que o Helton dificilmente desamparava e já havia candidato ao lugar..

Infelizmente, lembraram-se de ter dois jogadores por posição quando começamos a mostrar serviço na formação. Nem tudo pode ser perfeito.

Amphy disse...

O que chateia com estas mudanças todas é que a equipa deixa de ter referências que transmitam um certo portismo com que os adeptos se possam identificar. A meu ver, todos nós que somos adeptos do clube, importa não só a camisola que se veste, mas também a forma como se veste.

A tal falta de referências, faz com que as pessoas deixem de se identificar com a equipa na mesma medida em que o faziam e, caso as exibições não sejam boas, possam deixar de ir tão frequentemente ao estádio apoiar.

Por exemplo, este ano parece fazer falta um verdadeiro capitão, reconhecido por todos, pelo menos, do lado de fora do balneário.

Bruno Miguel da Silva Moutinho Guedes disse...

Boa noite.
Hoje o dia é estranho. Não aterrou nenhum espanhol no Dragão.
Bem, estou farto de ser pessimista. Vou ser otimista. Olho para este plantel, e vejo classe, classe que me deixa de lágrima no olho, de arrancar os cabelos. Desculpem mas não consigo ser otimista. Como é possível estarmos a contratar desta forma ? Mas será que o JNPC está bem em termos de saúde mental ? O homem tem de estar doente.
Se isto corre mal eu quero ver. Das duas uma ou o treinador é mesmo para ficar 3 anos independente do que acontecer ou então quero ver quem é o treinador que vai aturar tanto espanhol.
Mas será que ninguém diz ao homem que este balneário do FCPORTO vai ser um barril de pólvora ? Mas alguém acredita que este carregamento de espanhóis é para ficar no banco ? A concorrência dentro de uma equipa não se faz assim.
Veremos o futuro.
Bruno Miguel Guedes 28061.

Luís Vieira disse...

14 jogadores que permanecem, 12 jogadores recém-contratados (com entradas e saídas ainda em perspectiva). Se isto não é uma revolução no plantel, então não sei o que será. Aparentemente, os jogadores trazem todos qualidade, quer para se afirmarem como titulares, quer para se constituírem como alternativas, estimulando a concorrência / competitividade no plantel. O problema, como foi dito, será gerir um balneário deste calibre. O Lopetegui, até agora, mostrou capacidade de liderança, contudo teremos de aguardar pelo desenrolar da época para perceber se é capaz de manter toda a equipa focada nos objectivos do clube. No que respeita à política de aquisições, parece-me que a situação do guarda-redes foi um bocado mal conduzida (não havia necessidade de se contratar 2 guarda-redes) e que há um excesso de médios-ofensivos (Quintero, Carlos Eduardo, Óliver, Evandro e Brahimi). De resto, percebe-se as contratações do Opare e do José Ángel (para dar concorrência aos cativos laterais brasileiros), do Indi (em substituição do Mangala), do Casemiro (em substituição do Fernando) e das restantes opções ofensivas (para acrescentar qualidade a um sector deficitário), embora aqui talvez não houvesse necessidade de se ir tão longe (as chegadas do Sami e do Evandro são difíceis de compaginar com tantas contratações de internacionais). O "manager" Lopetegui, está visto, tem muita autonomia e terá, consequentemente, responsabilidade acrescida sobre os ombros. Aos olhos dos adeptos, se correr bem será um herói restaurador do orgulho portista, se correr mal será um idiota espanhol. A SAD, claramente, não quer ser acusada de não oferecer um plantel com todas as garantias. Nesse aspecto, está a salvaguardar-se e a transmitir responsabilidade. Para já, mantenho-me optimista, mas aguardo as cenas dos próximos episódios, com a certeza de que temos um conjunto de bons jogadores que ainda não formam um colectivo.

Nuno Leal disse...

Algumas considerações:

tantos espanhóis e um treinador espanhol soa a barril de pólvora, mas também é verdade que alguns e bons só vieram porque o treinador é espanhol. E que para, se for caso disso, ficarem no banco, certamente Lopetegui, que respeitam, terá mais capacidade de o fazer, do que outro treinador qualquer.
Não devemos julgar nada pelas aparências, falta muita calma nas pré-épocas, é a sofreguidão compreensível até, pelo regresso do futebol, ainda para mais num verão cheio de Mundial.
Continuo a ter apenas dúvidas na contratação do guarda-redes espanhol, de resto parece-me tudo acertado. O excesso de gente no meio campo ou nas alas de repente pode acabar, basta que Quintero saia e parece que é capaz de acontecer.
Que por Dezembros e janeiros já andemos todos felizes da vida, são os votos deste portista

Joao Goncalves disse...

Eu sinceramente em relação ao "barril de pólvora" espanhola não me parece que seja assim e passo a explicar.

No balneário do FCP sempre se falou duas línguas em primazia (pelo menos nos últimos largos anos) que foi o Português e o Espanhol.

Português muito cimentado pela dupla Portugal<> Brasil e o Espanhol muito pelos sul-americanos (Uruguaios, Colombianos, Mexicanos, etc...)

A ideia que por serem de um País poderem criar divisões que ultrapassem a questão da língua, não me parece que vá acontecer de todo.

Se me estivessem a falar de 6 ou 7 russos a entrar de enfiada ou Sérvios ou Chineses ou qualquer outra língua com a qual não temos relação nem existisse no nosso balneário, estaria perfeitamente de acordo que era um problema quase certo, assim sendo penso ser um "não assunto"

Luís Vieira disse...

A língua certamente não será um problema no balneário, porque existe muita afinidade. No entanto, a ambição de jogar regularmente de muitos jogadores internacionais, com provas dadas, já poderá ser problemática. Com treinadores capacitados para gerir "egos e superegos" não há motivo para grande preocupação (e mesmo assim há chatices, vide Mourinho no Real), mas o Lopetegui é uma incógnita (não obstante os bons sinais que tem evidenciado).