sexta-feira, 25 de julho de 2014

Todos os jogadores são iguais

Nota prévia: eu gosto do Deco; foi dos melhores jogadores que vi jogar, e dos melhores jogadores que já passaram pelo Porto.

Todos os jogadores são iguais, mas alguns são mais iguais que outros. O Deco foi um dos jogadores mais importantes da história recente do Porto, e marcou presença (e deixou a sua marca) no "ressurgimento internacional" do Clube. A juntar isso foi dos poucos jogadores (nos tempos mais recentes) a passar 3 anos no Porto, sem vencer um campeonato - é obra. No entanto, por maior que tenha sido o impacto do Deco, na história do Porto, outros jogadores houve que contribuiram pelo menos tanto como o "Mágico" para o sucesso do Clube, e não tiveram direito a jogo de homenagem (ou sequer de despedida). Os exemplos são muitos e variados; cito apenas aqueles que me são mais "próximos": João Pinto, André, Jorge Costa, Vítor Baía e (porque não?) Domingos; [não se exigia um jogo por cada um, mas porque não um jogo a cada 3 ou 5 anos, em que vários fossem homenageados em conjunto?] 




Sempre tive a impressão que o Porto, não trata muito bem aqueles que deram tudo pelo Porto; essa impressão é reforçada pelo facto de o Porto não tratar muito bem aqueles que gostariam (mas não lhes é dada oportunidade) de dar tudo pelo Porto. Resignemo-nos então a ver a equipa com cada vez menos jogadores da formação, da Areosa, de Sta. Maria da Feira ou das Caxinas, à Porto - já não há lugar sequer para aqueles que compensam a "falta de jeito" com "amor à camisola"; esses, como aqueles que os antecederam, nunca serão homenageados. Essa honra calhou ao Deco (que a merece) - é melhor que nada.

Espero que seja um bom espectáculo; que não seja o último; e que não assobiem o Messi - é suposto ser uma festa!




25 comentários:

Hélio Rodrigues disse...

A explicação para a essa indignação é fácil de explicar tal como descreveu "...ressurgimento internacional" do Clube...". O Porto vai jogar contra o Barcelona, com uma equipa de elite contra os melhores jogadores do mundo, é um elo de ligação que o Deco facilitou e aliás terá casa cheia...isso explica muito.

Mas concordo que deveria haver mais jogos destes para jogadores que passara no clube.

Nuno Fonseca disse...

Parece-me que Deco foi mais pro activo em arranjar a ideia e disponibilidade para que este jogo se concretizasse. Jardel também falou várias vezes numa despedida, mas nunca se mexeu para que esta acontecesse.
Para além disso através desta despedida vão ser homenageados não só Deco como toda aquela geração de 2004. Deco é só expoente máximo e o elo de ligação entre as duas equipas que se vão defrontar. Até nisso houve bom gosto.

Luís Vieira disse...

Concordo. O Deco merece esta homenagem porque se trata de um dos melhores jogadores da história do FCP e porque, apesar de brasileiro e sem relação emocional prévia ao clube, se tornou um dragão de corpo e alma durante e após a sua passagem pelo Porto. No entanto, é pena que outros símbolos não tenham tido o mesmo tipo de tratamento, muito embora o merecessem (no passado recente, Baía, Jorge Costa e João Pinto são os casos mais evidentes). Porque será? Há animosidade mal resolvida? O Porto não se quer envolver sem a certeza de que é lucrativo? O Deco tem capacidade para arranjar estrelas atractivas, mas os restantes não? São perguntas que ficam sem resposta oficial. Espero que este jogo de homenagem sirva como exemplo para o futuro e que se repita com outros jogadores de igual/similar importância. Logo lá estarei para cantar pela última vez que o Deco "é melhor que o Pelé" e fazer-lhe a devida vénia. Assobiar o Messi? Só se houver mentecaptos a verem o jogo.

.:GM:. disse...

Tanto quanto sei - e vai de encontro à ideia já partilhada pelo Nuno Fonseca - a ideia terá partido do próprio Deco com a aprovação do Pinto de Costa que abriu as portas do clube e do Estádio para que o Deco pudesse efectivamente realizar esta "festa". Assim sendo, não me parece que haja ostracização ou discriminação por parte do Porto ou que este post faça sentido sob esse ponto de vista. A questão que deverá ser colocada é quantos jogadores, após terminarem a sua carreira, terão tido atitude ou ideia semelhante à do Deco e feito realmente algo no sentido de a concretizar. Tão simples quanto isto.

DC disse...

O Deco, para mim, é o melhor jogador da história do clube.
Mas este jogo faz-se porque foi o Deco a organizá-lo e a arranjar patrocinadores, não fosse ele actualmente um parceiro de Jorge Mendes.

Quanto a eventuais assobiadores do Messi, acho que não temos atrasados mentais como adeptos do Porto, mas posso estar enganado.

Nainho disse...

Não temos atrasados mentais?... somos especiais queres ver...
Basta um jogo com um clube da 4 divisão holandesa para se cantar o famoso SLb.... Slb...
Temos atrasados mentais como em todos os clubes!

Luís Vieira disse...

Mas são os jogadores a homenagear que têm de tomar a iniciativa para organizar a sua própria homenagem ou deveria ser o clube que os tem como símbolos a proporcioná-la?

Luís Vieira disse...

Insultar o arqui-rival num cântico é bem diferente de assobiar injustificadamente um dos melhores jogadores da história do futebol num jogo de homenagem.

Mário Faria disse...

Acho que o FCP trata bem os seus antigos atletas. As homenagens tradicionais (com jogo de despedida incluído) custam caro para acolher receitas e o público só vai se o programa for apetitoso. E se não tiver uma moldura humana à altura do acontecimento o efeito é confrangedor. Obviamente que há outras formas de homenagear. O museu é um instrumento essencial para imortalizar os nossos heróis e aí tudo o que se faça é pouco. Mas, os antigos atletas não têm só direitos. Cabe-lhes o dever de reconhecimento desinteressado pelo que o clube "lhes deu" e nem sempre o detecto de forma clara em antigos jogadores de nomeada.
Não sei qual o destino que foi dado à estátua de Pavão. Deveria ter um lugar semelhante ao que lhe foi dado nas Antas.

DC disse...

Sim, tal como diz o Luís, insultar um rival de sempre é uma coisa. Insultar um jogador num jogo de homenagem só porque se tem um poster do crestianinho em tronco nu na parede do quarto, seria triste.

Costa disse...

«já não há lugar sequer para aqueles que compensam a "falta de jeito" com "amor à camisola"»

Há lugar sim senhor, na bancada ao meu lado !
Mas pelos vistos nem isso, pois nem um bilhete/dragon seat querem comprar, preferem andar sempre à 'mama'.

PS. Só um reparo relativamente aos nomes VBaia e JCosta...
Foram bons jogadores e receberam muito dinheiro por isso e que eu saiba o FCP não lhes ficou a dever nada.
Mas como grandes portistas que mereçam ser homenageados... Tenham lá calma !

éme disse...

cada um com sua ideia:
por mim um portista jamais diria slb fosse em que cântico fosse.
saúdinha-da-boa, éme.

DC disse...

Eu não costumo alinhar nesses cânticos mas são tão normais como o "Brasil decime que se siente" e bem mais inocentes que o "Hay que quemar el Nou Camp, con cien mil bastardos dentro. Es la forma más barata de acabar con tanto cerdo." dos Ultra Sur.

Mas o Messi, que eu saiba, não é rival do Porto nem dos portistas.

Luís Vieira disse...

Vem algum mal ao mundo por haver um cântico insultuoso contra um rival? Não é bonito, mas faz parte do fenómeno. É uma manifestação da rivalidade e truculência características do futebol. Todos os problemas do desporto fossem esse. O estádio não é um local para aprender boas maneiras, nem será desejável um ambiente asséptico carregado de puristas da etiqueta. Pecador, me confesso: entre muitas outras coisas, é também por cânticos desse género que gosto tanto do desporto-rei.

Luís Vieira disse...

Será que jogos de despedida do Vítor Baía, do Jorge Costa e do João Pinto, para citar os 3 símbolos não-homenageados mais recentes, teriam uma moldura humana confrangedora? Ainda que o programa não fosse apetitoso e que o jogo de homenagem não passasse de isso mesmo - de um jogo de homenagem, despido de show-off e perspectivas mercantilistas - arrisco que muitos milhares de portistas compareceriam, mesmo que o Zidane e o Figo não viessem. Talvez isso desse para pagar a despesa do estádio.

Luís Vieira disse...

Será que jogos de despedida do Vítor Baía, do Jorge Costa e do João Pinto, para citar os 3 símbolos não-homenageados mais recentes, teriam uma moldura humana confrangedora? Ainda que o programa não fosse apetitoso e que o jogo de homenagem não passasse de isso mesmo - de um jogo de homenagem, despido de show-off e perspectivas mercantilistas - arrisco que muitos milhares de portistas compareceriam, mesmo que o Zidane e o Figo não viessem. Talvez isso desse para pagar a despesa do estádio.

Luís Vieira disse...

Não merecem ser homenageados? O Deco merece mais do que eles? Não me importa quem organizou o festim, até pode ter sido o Deco o mestre de cerimónias, qual organizador de eventos: o que é certo é que o Porto ao dar a chancela está a dizer que um é mais importante que os outros.

meirelesportuense disse...

Meus amigos o Dragão está cheio, custa não custa?...

Amphy disse...

Após jogo, fiquei com a ideia que o Pedro Mendes ou o Paulo Ferreira ainda faziam uma perninha este ano no plantel do Porto. :-)

Não digo para serem titulares, mas para comporem o ramalhete. Ou o Ricardo Costa que está sem clube.

Viper disse...

Quanto ao Deco... fazia magia com a bola, jogava com os dois pés, olé, olé, é melhor que o Pelé!!! Passe o exagero, só isto já mostra que há jogadores que são mais iguais que outros.

.:GM:. disse...

Fala-se aqui em discriminação, eu digo que ela não existiu e coloco uma questão capaz de provar a mesma ou não. Não falo do que deveria ser feito, apenas defendo a coerência do clube.

Miguel Ângelo VR disse...

http://www.cmjornal.xl.pt/detalhe/noticias/exclusivo-cm/lopetegui-enfrenta-pinto-da-costa

Apesar de não saber se será verdade ou não, (parece-me) que já estão a começar as campanhas do "Vamos desestabilizar e achincalhar o FC Porto".

Luis disse...

Que posts tão descabidos! Da bancada dos assobiadores, só pode ser.
Estão à vontade para criticarem, afinal é o que fazem sempre neste blog.

João disse...

Nenhum deles foi o melhor jogador que vi com camisola do FC Porto - o Deco foi.

Tivemos assobios ao Messi, dos Ronaldetes atrasados mentais do costume, mas que lá se foram cansando do coro de aplausos que se fazia acompanhar e reduziram-se à sua insignificância.

Luís Vieira disse...

No entanto, o clube deu a chancela para a realização deste jogo e envolveu-se activamente na organização e promoção do mesmo. Não sabemos até que ponto outros jogadores emblemáticos sugeriram jogos deste tipo, por isso, havendo apenas uma homenagem, no passado recente, com a participação do clube (o jogo do Deco podia realizar-se em Barcelona ou no Brasil, por exemplo), parece existir uma certa discriminação.