quinta-feira, 14 de agosto de 2014

256 anos depois...

Portistas no Mundo (Madrid), 45 Minutos à Porto (17-12-2013)

A propósito da polémica e contestação exacerbada a um artigo publicado pelo Miguel Lourenço Pereira neste blogue…

Em 1758, Claude-Adrien Helvétius (1715-1771), um filósofo francês, publicou o livro De l'espirit, o qual foi fortemente contestado pela Sorbonne, pelo Parlamento francês e até pelo Papa, chegando a ser queimado.

Apesar do desacordo explícito em relação ao pensamento de Helvétius, François-Marie Arouet, mais conhecido pelo cognome Voltaire (1694-1778), não concordou que o livro fosse banido e terá dito (?) uma frase que ficou célebre:

Não concordo com o que você diz, mas defenderei até a morte o seu direito de dizê-lo

256 anos depois, apetece-me dizer algo semelhante.

67 comentários:

denonatum disse...

Pergunta simples: está consciente do disparate que está a dizer?
A grande confusão que se está a gerar é esta: ninguém quer comentar os direitos do Miguel a dizer o que quiser - era só o que faltava!-, o que se pretende comentar, isso sim, são as opções editoriais do RP, que habituou os leitores a uma coisa, e os está a sabotar com algo muito diferente. Começou no descontrole emocional do Miguel e agora, pelos vistos, continua na demagogia.
Qual o sentido de criar um blogue de portistas para portistas, para depois ter um autor que não consegue fazer uma crítica sem, ao mesmo tempo, achincalhar o clube de todos os nós?

Diego Oliveira disse...

Porra, mas eu agora não tenho o direito de comentar sobre o seu post?!

José Correia disse...

"...o que se pretende comentar, isso sim, são as opções editoriais do RP..."

opções editoriais do RP?
Está a falar de quê?

José Correia disse...

"...RP, que habituou os leitores a uma coisa, e os está a sabotar com algo muito diferente"

Sabotar os leitores?
Sabotar?!!!

Joao Goncalves disse...

Em relação ao consagrado direito de resposta consagrado na constituição, que está inerente à liberdade de expressão, o Miguel disse o que quis e se ouviu o que não quis secalhar foi porque não disse nada que tivesse jeito.

Eu também posso para aqui vir dizer que são todos uma cambada dito ou daquilo a começar pelo Miguel, mas secalhar estava a ultrapassar a minha liberdade de expressão.

Algo que devemos ser ter em mente, ainda para mais com a importância que este blog tem na comunidade cibernauta portista, é que a Liberdade de um termina quando Começa a Liberdade do outro e que eu saiba, ofender da forma que o Miguel ofende o FCP naquele post, entrou e de que maneira, na minha Liberdade.

P.S.: este é um daqueles tipos de posts completamente desnecessário e que só vai causar mais "flames" ao blog, mas secalhar até é esse o objectivo e secalhar aquilo que nos atraia a muitos a este blog, que era a análise objectiva dos assuntos relacionados com o FCP, também já se foi...

José Correia disse...

"...só vai causar mais "flames" ao blog, mas secalhar até é esse o objectivo..."

Ao contrário de outros blogues, o 'Reflexão Portista' não tem, nem nunca teve publicidade. Ou seja, não existe qualquer tipo de rendimento/pagamento/contrapartida indexado ao número de visitas e/ou pageviews do blogue.

denonatum disse...

O grande número de leitores do RP tem uma percepção de que este blog se orienta por determinados princípios, que fazem as expectativas dos leitores. E que, nesse sentido, o RP é fiel à sua proposta. Isso é uma opção editorial que estabelece uma relação com o leitor.
Obviamente, quando um post gera mais de cem comentários em choque com o que foi dito, tal não significa uma ameaça à liberdade de expressão de alguém, mas sim uma estranheza total por parte dos espectadores em relação às premissas do RP,
Nesse sentido, o RP, ou algum dos seus autores, deve esclarecer de imediato - no sentido de não continuar a gastar o tempo dos seus leitores - :
- O Miguel Lourenço Pereira é proprietário do blogue, ou tem o seu registo, ou direitos sobre ele, no sentido em que pode efectivamente dizer o que quiser, quer tenha mérito ou não, pois é ele que decide o que se publica ou não?
- Ou há uma política editorial e, os momentos em que o Miguel Lourenço Pereira vai para além da crítica, e começa a achincalhar o clube, são algo que se coaduna com os princípios do blogue?

Era disso que estava a falar, obviamente.

denonatum disse...

E mais digo: esta questão sobre os direitos de expressão do Miguel Pereira não tem ponta por onde se pegue... aqui o que se discute não é que alguém diga o que quiser dizer, mas sim que se dê um megafone a alguém que só diz disparates.

Daqui a pouco vamos começar a defender que o fósforo é um direito de expressão do incendiário, não?

Dr Estranho Amor disse...

Claro que sim, José Correia, todo o direito a dizer o que entender, faltaria mais.

Mas caro José, bem prega Frei Tomás, faz o que ele diz não faças o que ele faz...

Só assim se pode entender a defesa numantina de um post gratuitamente ofensivo do Sr. Lourenço e ao mesmo tempo censura de comentários que lhe respondem à letra...

"Pelos seus frutos os conhecereis. Pelo fruto se conhece a árvore."

Passem bem.

José Correia disse...

"O grande número de leitores do RP tem uma percepção de que este blog se orienta por determinados princípios..."

É muito simples.

1) Desde a sua criação que o RP tem vários co-autores (a este nível, e ao longo dos anos em que o blogue existe, já alguns saíram e outros entraram).

2) Todos os co-autores são Portistas.

3) Todos os co-autores assinam os artigos que publicam com o seu nome e apelido verdadeiros (no RP não há autores que assinem os artigos com nomes falsos ou nicknames).

4) O conteúdo de cada artigo é da responsabilidade do respectivo autor.

José Correia disse...

"...ao mesmo tempo censura de comentários que lhe respondem à letra..."

Responder à letra? Pois...

Censura?
O número de comentários fortemente críticos e de contestação ao que um dos co-autores - Miguel Lourenço Pereira - escreveu (e ao próprio Miguel), são um bom indicador do nível de censura que existe no RP.

denonatum disse...

Devo então subentender que:
1 - não existe política editorial, e um autor, mesmo sendo portista, pode achincalhar o clube, sem justificação
2 - o miguel pereira, muito provavelmente, terá algum tipo de propriedade ou direito sobre o blogue, pelo que, qualquer que seja o caso, não pode ser afastado, faça o que fizer

Joao Goncalves disse...

"flames" não se trata de publicidade trata-se de incendiar uma atmosfera de modo a criar interesse/expectativa/novidade.... uma tradicional tipo de medida de "Marketing" usada no mercado publicitário profissional.

E vocês como óbvio, tem uma clientela, e pretendem atingir o maior número de Portistas possível.

Joao Goncalves disse...

Quero adicionar algo:

“Não concordo com o que você diz, mas defenderei até a morte o seu direito de dizê-lo”

Portanto estamos todos de acordo que o PM Paços Coelho teve todo o direito de mandar os jovens imigrar de Portugal correcto?

Ou que o jagunço da BTV teve todo o direito de fazer um apelo às armas contra os adeptos do FCP certo?

miguel.ca disse...

Este off topic esbarra um bocado na minha própria convicção já que eu também sou um acérrimo defensor do aproveitamento e potenciamento da nossa cantera e isto vem a propósito do que muito se discute aqui.
Numa conversa de café com outro Portista, defendia mais uma vez a teoria de que o FCPorto tinha uma politica miserável relativamente aos produtos da cantera não dando hipótese a um único miúdo de se tentar impor na equipa principal sendo quase pornográfica a preferência constante por jogadores estrangeiros.
Ele olhou-me nos olhos e disse: - "Miguel, mas também não me lembro de nenhum desses putos que o Porto desperdiçou ter acabado no Barcelona ou no Real de Madrid... antes pelo contrario, fui vendo-os a espalhar mediania pelo Rio Ave, Setúbal, Leiria ou Nacional da Madeira."
Claro que como qualquer opinião, esta também é discutível.

Joao Goncalves disse...

Carissimo,

Aqui estou com o José Correia na resposta à questão da censura...

Neste Blog existe Moderação e não Censura... Modera-se comentários com tons de má-criação e que podem ferir susceptibilidades (como o caso do que se deveria passar nos comentários das notícias dos jornais desportivos, que já vi guerras muito sangrentas que foram bem menos violentas do que aqueles espaços)... Cesura, nunca vi nada disso por aqui e tendo em conta a diversidade de opiniões e posições dos diversos co-autores, isso seriam completamente fracturante entre eles.

José Lopes disse...

Este post parece-me um tiro ao lado... A grande maioria das pessoas que nao gostaram do post do Miguel nao colocaram em causa o direito que ele tem a publicar aquela opiniao. A grande celeuma que o post do Miguel provocou deveu-se, sobretudo, ao historial de bota-abaixismo de que ele e' a referencia maxima neste blog, com detalhes fantasticos como ja estar a preparar o terreno para atacar a cada empate ou derrota, ou os passados posts que demonstraram que esta a espera de factos para comprovar as suas opinioes; quando esses factos nao as comprovam, ele torce-os ou ignora-os. Alem disso, a ironia que ele acha que muita gente nao percebeu, foi bem entendida por quase todos, creio eu. O problema nao e' ser ironico. O problema, la esta, e' so se ver ironia ou escritos para atacar quem decide no Porto, quase nunca um elogio, algo positivo. A ironia, na minha opiniao, nao so nao teve piada, como passou a fronteira da piada, principalmente na referencia ao FCO. Parecem-me tiradas mais tipicas de blogs de outras cores. Nao duvido do portismo do Miguel, mas ler estas coisas torna-se irritante de tao previsivel. Parece muitas vezes mais uma necessidade de alimentar o ego e de mostrar diferenca em relacao a maralha que despreza do que uma opiniao desinteressada e simplesmente contra-corrente.

Fora isto, e nisto ele tambem e' useiro e vezeiro, acho que ninguem tem paciencia para moralismos num blog sobre bola. Numa coisa que e' suposto ser um escape, ter de levar com rotulos depreciativos por nao se sentir um dos iluminados que sao "adeptos do clube e nao da SAD" e' simplesmente demais. Eu nem encaixo na descricao que ele fez dos "portistas de verdade" (nao me contento com ter so o Ruben Neves na equipa A), mas esta mania de se achar superior e' francamente irritante. Vem tambem ao encontro de opinioes anteriores igualmente moralistas quando, por exemplo, referiu a consciencia de cada um no que toca a viver com emprestimos bancarios (eu tambem nao tenho nenhum, mas e' porque nunca precisei ate hoje). E sim, todo este moralismo ate sobre como viver a vida num tipo que ainda e' muito novo (so serei um par de anos mais velho, ja agora) e' claro que cai mal em muita gente.

Opinioes, ja dizia a Rute Remedios, "cada um(a) tem a sua e quando quer da-la, da-la", mas sujeita-se a reaccoes na directa proporcao do conteudo e tom do que escreve.

Jorge Vassalo disse...

Meu caro José Correia, de cuja leitura aprecio imenso:

Estou certo que falo em consonância com o sentimento da maioria dos Portistas que aqui vieram comentar quando lhe explico que nada tem a haver com o sr/dr Miguel Lourenço.

A frase "com amigos assim quem precisa de inimigos" é o que, aposto, está subjacente a cada comentário indignado.

A minha visão é que, fora um certo trauma de Tordesilhas inerente a todo o post, esta discussão é toda estéril e vazia.

A mim parece-me evidente que o elevado número de empréstimos se deve precisamente à imperiosa necessidade de ganhar já e, ao mesmo tempo, dar espaço àquilo que, inexoravelmente, terá de acontecer.

O fair play financeiro vai acabar por destruir os fundos. Com o crédito bancário da forma que está - e estará - a aposta na prata da casa terá de ser uma realidade. Mas ela pode ser preparada com tempo e numa curva menos acentuada, ou não?

Posto isto, se um Portista habituadíssimo ao achincalhamento por parte da comunicação social vigente vê espelhado o mesmo argumentário num post de um blog das suas cores, tem todo o direito de o achar ofensivo. Indepentemente de quem o assina ser o Miguel, o José, o Sapo Cocas, ou o Pai Natal.

Não é uma questão pessoal, é um mero "et tu, Brutus?". Não faço ideia quem é o sr/dr Miguel. Nem quero saber. Embora esteja convencido que quem faz tal post chocante deva ter subjacente a ideia de "falem bem de mim, falem mal de mim, mas falem de mim".

O importante para mim é que um sulfuroso da segunda circular chega aqui, vê isto e diz "vês? se até eles pensam isto!" e isso para mim é grave. Mas mais grave é dar força àqueles RIDÍCULOS assobios no Dragão.

A opinião do sr/dr Miguel é-me indiferente. Dar razão ao inimigo, não.

Muito obrigado pelo seu tempo, folgo como sempre em lê-lo.

Uma adendazinha, aliás, duas:

- O meu Portista preferido de sempre chama-se Vitor Baía. É Português. É do Porto.O meu segundo preferido é Lucho Gonzáles. É Argentino. Tenho a certeza que é Portista. Hulk é Portista. James Rodriguez também. Não me importa a nacionalidade, importa-me o coração Azul e Branco.

- O problema Espanhol é rídiculo. Pela origem do nosso sotaque Portuense ainda mais. A influência celta é enorme, e indistinta da parte celta espanhola. A nossa língua cantada, os nossos bs, são todos como os espanhóis. É um absurdo isto. Muito grande.

DC disse...

Este pessoal assim tão revoltado já se manifestou junto da "abola" contra o MST por ele dizer que quem dispensou o Candeias é incompetente?

.:GM:. disse...

E o Miguel também tem o direito de julgar o "Portismo" dos seus semelhantes?

"Ainda bem que sobra o Ruben Neves para os "portistas de verdade" terem pelo menos um argumento de defesa."

Vincent Vega disse...

Lado positivo da coisa: 119 comentários num post, nada mau.

Miguel Lima disse...

@ José Correia

eis algumas das ironias de Miguel Lourenço Pereira:

«
Sendo assim bem vindos ao novo ano do Futbol Club Oporto. Espero que ninguém tenha feito o trademark!

Espero que em Espanha tratem o FCO como o clube espanhol que é [...]

Fico feliz que tenha sido contratado um entrenador especialista em cantera (esse que com a melhor equipa se ficou duas vezes pelos quartos-de-final de um Mundial sub20) para depois ignorar totalmente a cantera.
»

depois de ler estas parvoíces - e para ser simpático - o caríssimo estava à espera do quê? que passasse à frente, como se nada fosse? que permanecesse impávido e sereno? que lesse algo ofensivo em relação ao meu Clube do coração e não reagisse, com a agravante de ser escrito por alguém portista e por muito que tenha recorrido à «ironia»?

desculpe José Correia, mas:
«não critico por criticar quem "reflecte" da forma como os "lourenços pereiras" desta vida o fazem. apesar de deles discordar bastante e veementemente, estão no seu pleno direito, pois que se há algo que a geração de Abril de '74 concedeu às vindouras foi o direito à Liberdade de Expressão. agora, também não deixo de considerar que o deveremos fazer de forma séria e sobretudo responsável. é que ler o que acima se reproduz é mais próprio de outros locais, mormente afectos a outras cores que não o azul-e-branco, logo (e por inerência) interpretado como «factor de divisão» e de «instabilidade» no seio da nossa massa adepta.»

"disse!"

Quid disse...

Insisto pois apenas na maior fluidez e rapidez na moderação e actualização dos comentários..

Luís Pires disse...

essa é que é essa. razoável formação penso que o nosso clube tem, o que não pode (nem ninguém poder) é transformar miúdos com jeito prá bola em grandes craques.

Luís Pires disse...

Ok, podemos passar à frente e esquecer este mau momento do Miguel Lourenço Pereira?
É que amanhã já há bola e estamos todos ansiosos por ver como a equipa se vai comportar nos jogos a sério.
Pelo meu lado cá continuarei diariamente à espera dos excelentes posts do Mário Faria, José Rodrigues, José Correia, as sms do Alexandre Burmester e de outros cujo nome de momento não recordo.
Cumprimentos a todos :)

Miguel Lima disse...



@ DC

eu já tentei e por mais do que uma vez, chegar "à fala" com o Miguel Sousa Tavares e não propriamente pelo 'affaire' Candeias.

a última foi a propósito de ter felicitado antecipadamente o 5lb por um título nacional que viríamos a conquistar. envie-lhe uma carta registada com aviso de recepção para o pasquim da Travessa da Queimada. veio devolvida. telefonei para a redacção do dito pasquim; fui informado de que ele, o MST, não pretende receber qualquer correspondência e que, enquanto colaborador externo, está nesse seu pleno direito. reenviei a dita carta, por mail, para o sr. serpa - o editor-chefe-mo-maior-grande do pasquim.
até esta data desconheço se me fez aquele favor de entregar as minhas palavras a MST. pelo silêncio da resposta, depreendo que não. mas, como a Esperança é a última a morrer...

agora e assim finalizo, dá trabalho. e chatices. e nem todos têm a pachorra de alguns (para além de terem vida própria :D )...

abr@ço
Miguel | Tomo II

Bruno Guedes disse...

Boa tarde.
Sou uma pessoa livre, sou sócio do FCPORTO á 19 anos (tenho 30 de idade) tenho o direito que expressar a minha opinião.
Tenho orgulho e muito em carregar um andor que apenas diz FCPORTO e que tem um emblema formado pelo escudo nacional, a padroeira do Porto (Nossa Senhora da Vandoma), o colar da Ordem da Torre e Espada atribuído à “Invicta”, o coração do Rei D. Pedro IV (oferecido ao Porto pela sua bravura na defesa da liberdade), uma coroa de duque e um dragão, elemento das armas de antigos reis de Portugal.
Jamais carreguei o andor JNPC, não conheço pessoalmente ninguém da estrutura da SAD nem do clube, não tenho informações de negócios nem tão pouco tenho o meu nome associado a algum fundo de proprietário de jogadores. Ah também não tenho amigos convertidos os meus amigos foram sempre do FCPORTO ou então de outros clubes. AMO (no sentido de clube) o FCPORTO, faz parte do meu ser corre no sangue esse nome, conheço pessoas que gostam de carrinhos, que passam tempo a ver séries, que gostam de pescar que gostam de passear, que adoram viajar, eu gosto de ver e de acompanhar sempre que possível o FCPORTO. Nasci assim e vou morrer assim. Sempre critiquei os cânticos ao JNPC no dragão/ Antas sempre critiquei quem diz que existe um FCPORTO antes e depois de JNPC, o FCPORTO sempre foi grande, podia não ganhar muitas vezes mas sempre foi grande. O problema é que, nos habituamos a ver sempre o mesmo presidente (aliás a presidência dele é maior que a minha idade) que é certo me deu as maiores alegrias desportivas que alguma vez tive mas que não é dono e senhor de fazer o que bem entender ao clube. Eu só vi ganhar mas ainda bem que o meu pai para além de outras coisas ensinou-me o passado do FCPORTO. Viveu no tempo das vacas magras mas mesmo assim foi sempre portista. O meu pai tem 64 anos é de Murça é do tempo em que a Emissora Nacional só transmitia o Benfica. O meu pai quando veio para a cidade do Porto com 9 anos nem conhecia o FCPORTO mas conheceu e aprendeu a gostar. Esteve em 78 no Antas no célebre jogo do golo do Ademir, tal como eu também não é um Pintista é sim um Pedroto assumido.
Nunca me considerei mais portista que A ou B, nem mesmo aquele adepto que nunca foi ao futebol que nunca foi sócio, mas também não admito que digam que são mais portistas do que eu. Como nunca precisei de cunhas para nada e como sou sócio, tenho o direito de ter uma opinião sobre a atual politica que o FCPORTO tem. Aliás eu partilho da opinião do Miguel ( não o conheço nunca o vi )e vou mais longe, esta politica quer de contratações/ vendas vai acabar por nos atirar para o abismo da qual vamos demorar anos a recuperar, acho uma lástima alguns negócios que são feitos, acho inadmissível o poder que deram a claque ( mas isso lá para a frente irei falar) isto para não falar da estrutura atual da SAD . Agora vamos lá ver uma coisa eu com isto tal como o Miguel não quero que o FCPORTO perca, o que eu quero é que no fim da época esteja errado, que vocês se riem destas palavras que me julguem dizendo que eu não percebo nada disto que não tenho visão, MAS não digam é que eu não gosto do FCPORTO. Falar no fim é mais fácil, falar depois de derrotas ou vitórias é mais fácil, fica melhor mas eu não sou assim, pelos visto e ainda bem o Miguel também não é assim. Li críticas inaceitáveis a um portista que pura e simplesmente tem uma opinião diferente, dizem que o clube lá de baixo é de uma ditadura, mas afinal nós a agirmos assim também o somos.
A época começa amanha e tenho a certeza que o Miguel estará tal como todos nós a partir das 20h colados a televisão para ver o melhor do mundo jogar para ver o símbolo e camisola mais linda do mundo, vamos todos querer ganhar vamos todos desejar uma época cheia de vitórias pois eu já tenho saudades de ganhar um título eu tenho fome de bola eu quero a bola na rede quero rir pelas vitórias do meu FCPORTO. Mas isso não impede que tenha uma opinião diferente.
Bruno Miguel Guedes sócio 28061.

José Lopes disse...

Excelente!

Rui André Silva disse...

Espero que desta vez não censurem o meu comentário!Obrigado antecipado!
Aguardo o post do Sr.Miguel Lourenço Pereira quando tivermos um primeiro resultado negativo!

Soren disse...

Eu gostava era de ver esta revolta toda quando os fundos do QREN sao desviados para Lisboa (nao estamos a falar de milhoes e sim de bilioes de euros). E quando se torna necessario discutir e defender a regionalizaçao.
Quanto ao futebol, cada um tera a sua ideia de como se deve gerir o clube. Mas é necessario ser muito utopico ou arrogante para pensar que poderia fazer melhor que Pinto da Costa, ou que o Presidente esta senil e acabado, como diz a Belle Dominique de Alvalade. E é necessario perceber zero de bola para nao entender que o Porto, revolucionando o plantel e necessitando ser campeao este ano, por razoes obvias, tem que dar tempo aos jovens para se fazerem e inclui-los no proximo 2 anos, quando o sistema de jogo das equipas A e B sejam identicos e os processos da equipa A estejam solidificados e esta tenha uma espinha dorsal definida, que permita o lançamento faseado dos jovens, um a um. Temos um conjunto de jogadores fabuloso e ate ver, um treinador que sabe muito bem o que anda a fazer.

José Lopes disse...

O MST nao merece manifestacao nenhuma, tal o sem-numero de disparates que ja escreveu. E escrever n'A Bola nao ajuda a credibiliza-lo, certamente

miguel.ca disse...

Olha, por falar em Ruben Nerves, o puto está convocado para o jogo com o Maritimo, haaaa? Sim senhora!

Pyrokokus disse...

Independentemente da polémica no post do Miguel, parece que o Dragão vai encher. Pelo menos nesta fase, os adeptos parecem estar com a equipa.

Que se mantenha assim.

.:GM:. disse...

Na verdade o Passos Coelho sugeriu "emigrar" e não "imigrar". E continuo sem perceber que mal vem ao mundo com tal sugestão se de facto lá fora existem mais e melhores oportunidades que aqui dentro.

José Lopes disse...

O poder da claque e' um problema ha ja muitos anos.

Nightwish disse...

1º Direito tem, mas é uma estupidez absurda de quem não faz ideia da imagem que deixa dos estado e dos políticos.

2º Tem o direito a dizê-lo, mas não está livre das consequências do seu incitamento à violência, que é um crime público e, obviamente, escapou a investigação pelas autoridades competentes.

Joao Goncalves disse...

GM, obrigadíssimo pela correcção do lapso.

O mal que em ao mundo é simples... Quanto é que cada licenciado custo aos cofres do estado?

O Primeiro Ministro de Portugal tem uma despesa brutal por cada licenciado que sai de uma Universidade, após 15/17 anos de estudos pagos pelo estado e a sugestão é que depois de todo o investimento se vão embora?

Isto é o que se chama de um investimento ruinoso a todos os níveis..

Alexandre Burmester disse...

O Voltaire, Zé Correia, acabou detido na Bastilha, e mais tarde exilado. Foi para Inglaterra, um oásis da liberdade de expressão na Europa daquele tempo. Tornou-se um admirador da monarquia constitucional britânica, por contraste com a monarquia absoluta francesa. Ainda bem que o nosso Helvétius também tem o seu Voltaire. A liberdade de expressão em Portugal é dos direitos cívicos mais desrespeitados pela população.

Alexandre Burmester disse...

Considerar que alguém diz disparates é uma questão subjectiva. Além disso, faz parte da liberdade de expressão dizer disparates. É coisa que não falta por essa blogosfera fora, com particular relevância para as caixas de comentários.

Alexandre Burmester disse...

A solução é aumentar as propinas para o seu preço justo, e ninguém teria de andar a pagar os estudos dos filhos dos outros. ;-)

José Lopes disse...

E quantos e' que teriam dinheiro para estudar na universidade, Alexandre? No momento actual e com o estado da banca em Portugal, nem o recurso a emprestimos bancarios parece viavel.

Alexandre Burmester disse...

O Miguel foi directa e indirectamente apodado de "xenófobo", "patético", "vaidoso", "descarado" e por aí fora. Como tal, a metáfora voltairiana aqui utilizada pelo José Correia tem toda a razão de ser.

Miguel Lourenço Pereira disse...

Miguel,

Num plantel de 25 jogadores a esmagadora maioria dos melhores jogadores da nossa cantera tinha lugar. Seriam titulares absolutos? Desde Bruno Alves que nenhum dos jogadores que formamos seria titular indiscutivel ainda que o melhor Vieirinha tivesse sido tao util como o Varela. Mas o problema está em preencher o plantel de 25 (com o respectivo investimento, massa salarial, etc) com jogadores da casa.

Eu acho que o FCP necessitava incorporar entre 4 a 5 jogadores de bom nivel para esta epoca seja para render Mangala e Fernando, seja para preparar as saidas de Varela Jackson e uma alternativa de qualidade para o lugar de Lucho. Isso foi feito com as chegadas de Martins Indi (jogador com muito potencial), Casemiro (excelente jogador ainda que nao goste da forma como vem) e tambem com Brahimi e Tello (idem para o que disse de Casemiro). Nao chegou um jogador de qualidade para render Jackson no fim do ano (Adrian nao o é).

Sobram-me claramente as presenças de Andres Fernandez (nao é, nem de longe, um dos oito melhores gr espanhois), Jose Angel, Opare, Oliver (pela natureza da sua incorporaçao, nao pelo talento natural imenso que tem) e Evandro. Ora esses postos podiam ter sido perfeitamente de Kadu/Victor Garcia/Rafa/Toze e Tomas sem qualquer desprimor do plantel final com que vamos atacar a temporada em todas as frentes. Convocando uma media de 18-20 jogadores ao ano, tendo em conta as possiveis lesoes (e as subidas/descidas da B para a ), contar com esses 5 jogadores debilitava assim tanto a posiçao do clube na conquista da Liga, Taça e numa boa performance na Champions?

Miguel Lourenço Pereira disse...

Jorge,

Pensava que tinham entendido a questao espanhola. Parece que vou ter de me voltar a repetir. Ha uns anos alguns autores deste espaço, de outros blogs e comentadores habituais criticaram a politica de contentores sul-americanos. Ninguem falou em xenofobia. Falou-se da forma abrupta como, de repente, 6 jogadores espanhois (e 9 do mercado espanhol) aterraram no clube. Podiam ser franceses ou chineses, uma chegada assim a golpe provoca suspeitas legitimas, especialmmente se o clube nuna utilizou esse mercado como comprador.

Eu vivo em Espanha ,trabalho em Espanha e a maioria dos meus amigos sao espanhois. Naturalmente alguns seguem o que escreve, tanto aqui como nas redes sociais. Felizmente, eles que tinham causa proporia, nao ficaram escandalizados. Talvez porque perceberam melhor o que quis dizer. Seguramente que o erro na forma de comunicar foi meu porque nada tenho nem contra espanhis no Porto nem contra jogadores estrangeiros. Cresci a imitar o calcanhar do Madjer, o golo do Juary, os lances do Kostadinov, a clase do Aloisio, o pe esquerdo do Drulovic, o genio do Zahovic, a cabeça do Jardel e a magia do Deco. Para nao falar em Lisandro, Lucho, Falcao ou Fernando. No FCP ha lugar para todos e o facto que eu desejo ter mais jogadores da casa e do pais no plantel nao exclui nunca a presença de jogadores de fora de qualidade que queiram defender as nossas cores!

PS: Eu nao leio a CS de Lisboa. Nao me dou sequer ao trabalho. Por isso na posso dar razao aquilo que desconheço. O meu SMS foi uma critica ironica ao facto do FCP ter adoptado de novo pela politica dos contentores, agora virada para o mercado espanhola, graças á entrega da gestao do clube a uma personagem alheia á vontade dos socios e acionistas da SAD. Se ha adeptos de outros clubes a dizer o mesmo, entao estao certos, a meu ver. É o que se está a passar. E isso nao impede sucesso no relvado. Mas a mim preocupa-me mais o futuro do clube a medio prazo que ser ou nao campeao em Maio!

Miguel Lourenço Pereira disse...

GM,

Eu nao julgo o portismo de ninguem. Simplesmente utilizei o discurso de alguns adeptos que defendem uma linha hardcore de seguimento ao que pensa a SAD para justificar as suas posiçoes posicionando-se como verdadeiros portistas porque apoiam sempre o clube. Fui ironico. Eu nao conheço ninguem que seja mais portista que outro. Alguns podem pagar quotas ha 50 anos e outros nem terem ido nunca ao estadio mas isso nao significa que um sinta mais o clube que outro.

Miguel Lourenço Pereira disse...

Gosto mais do meu clube quando perde do que quando ganha (se é que isso e possivel) porque é quando precisa mais de mim e de todos nós. Em Maio estao todos. Ha um ano escrevi aqui o que pensava sobre Paulo Fonseca e disseram-me o mesmo. Em Dezembro eram todos unanimes na mesma linha. Nao quero ler o futuro mas nao escrevo desgraças por antemao e prazer. É apenas o que penso sobre o que se está a passar...agora ;-)!

José Lopes disse...

Concordo com a tua opinao, Miguel. Ja neste blog manifestei a minha preocupacao pela progressiva e agora completa perda de referencias portistas no plantel. Isso vai sendo muito engracado quando se ganha, mas se se comecar a perder ou se os problemas financeiros decorrentes da grande massa salarial levarem a contencao e consequentemente piores resultados mais tarde, virao entao os insultos aos estrangeiros "que sao todos uns mercenarios" e a quem possa estar a ganhar comissoes, etc. e tal, ja tudo isso aconteceu.

Nao conheco minimamente o Opare, o Andres Fernandez, o Marcano e o Jose Angel. Aguardo para ver. Seja como for, achei escusada a vinda de mais um guarda-redes, ainda mais tendo-se contratado o Ricardo. Tambem nao entendo bem o que se pretende para o Victor Garcia, que pareceu a toda a gente que poderia ser suplente do Danilo. O mesmo digo do Jose Angel, mas aqui, tal como no caso do Marcano, parece que o Lopetegui quis ter gente da sua confianca. Entendo melhor o caso do Marcano tendo em conta as opcoes na equipa B. Quanto ao meio-campo, acho que ja deu para perceber que o Evandro nao teria vindo se nao tivesse sido negociado antes do Lopetegui entrar em funcoes...

Miguel Lourenço Pereira disse...

Soren,

Acho impossivel ffazer algo remotamente parecido ao que PdC conseguiu. É o mais brilhante presidente da historia de clubes do futebol e só Bernabeu, noutra perspectiva, está ao seu nivel de influencia historica. O que eu lamento é que ja nao o seja ha algum tempo, tempo para que o clube tenha sido entregue aos abutres.

Eu nao devo entender nada de bola porque para mim o FCP deve ser campeao ano sim, ano tambem mas nao ha uma necessidade imperiosa de o ser este ano. Somos mais fortes do que aquilo que nos querem vender. Um bicampeonato do Benfica ou um tituo do Sporting (pausa para rir) nao vao abalar o FCP como os 3 anos entre 1999 e 2003 nao nos destruiram.

Quem pensa que eu digo que Rafa, Victor Garcia (que xenofobo que eu sou com espanhois mas nao sou com venezuelanos) Tomas, Andre, Gonçalo e Kadu devem ser titulares nao entendeu nada. Eu falei na presença do plantel de 25 de 5 a 6 jogadores da casa no lugar dos Opare, Jose Angel, Fernandez, Oliver, Evandro e Adrian. O que é totalmente diferente!

Miguel Lourenço Pereira disse...

Jose,

Esse é o problema. Continua-se, por um lado, a contratar jogadores sem o ok do treinador (Sami e Ricardo estao na mesma lista) o que só serve depois para emprestimos sem fim. E por outro chegam jogadores claramente pedidos a dedo e que se podem tornar um problema se o treinador sair porque nao possuem o nivel exigido ou porque ha alternativas melhores. Se Martins Indi é claramente um jogador de futuro, Marcano e Jose Angel sao futebolistas limitados e que com outro treinador qualquer nunca estariam no nosso radar.

Ter jogadores da casa por ter nao faz sentido. Mas ha qualidade na nossa formaçao e só há que ter coragem. O DC disse, nalgum comentario, que faltam referencias. É certo. Até que se de o primeiro passo. E quando ha qualidade, é o momento certo de que se de o primeiro passo. Pode ser o Ruben. Podia ter sido o Toze. Pode vir a ser o Andre ou o Gonçalo. Mas se nao houver essa coragem a situaçao continua igual. E da mesma form que a crise levou Ferguson a lançar o Class of 92, fez Guardiola resgatar os dispensados Busquets e Pedrito ou os "dispensados" Koke ou Gabi por Simeone, este tambem podia ser o nosso momento.

Luís Vieira disse...

Ao contrário do postulado, não me parece que a controvérsia tenha sido exacerbada. Surgiu, antes, na exacta medida do tom provocatório do comentário. Louvo a admirável e piedosa defesa do direito de expressão do interlocutor, com direito a referência literária e a imagem de arquivo, mas questiono: a reacção da turba portista seria a mesma se o histórico de posts do autor demonstrasse repartição justa de defeitos e qualidades da gestão/desempenho do clube? Não será que a inflamação advém da tendência crónica em zurzir em tudo o que mexe (entenda-se, actos provenientes desta SAD/Direcção)? A sabedoria popular, para não saturar os exemplos literatos, explica facilmente o sucedido: "o que é de mais, é erro", "a paciência tem limites" ou "a gota fez transbordar o copo". Arrisco-me a dizer que se fosse o José Correia a escrever as mesmas palavras o efeito não seria idêntico, por déficit de contestação recorrente ou por equilíbrio na análise, dependendo da perspectiva.

Luís Vieira disse...

O verdadeiro portista apoia sempre o clube. Para mim, isto é um dogma. Ou não será? Por outro lado, o verdadeiro portista, apesar de apoiar sempre o clube, é crítico e desafia as opções dos decisores, construtivamente e com critério, apontando-lhes os defeitos (com ironia ou de forma literal), mas também, sublinho, reconhecendo-lhes as virtudes. Quando esta balança se desequilibra, os restantes verdadeiros portistas prontamente se disponibilizam para relembrar o manual de boa conduta de um dragão, passe a metáfora e o exagero. O Tribunal das Antas era implacável, mas, sobretudo, justo, nunca o esqueçamos.

zzzzz disse...

Como referi num comentário que por algum motivo foi censurado, levar a discussão para o campo da liberdade de expressão e dos direitos humanos em geral é totalmente descabido. Um mero subterfúgio.

Ninguém pôs em caisa o direito de expressão do autor. A maioria dos comentários insurgiu-se contra o teor do artigo porque o considerou um autêntico disparate, em sintonia com muitos outros disparates da mesma autoria. Houve quem sugerisse uma selecção mais criteriosa dos textos publicados, a bem do próprio blogue enquanto (suposto) lugar de reflexão.

Neste mesmo espaço, você próprio apelidou Vitor de Pereira de "morcão", pura e simplesmente, sem qualquer tipo de argumentação. Não me recordo que os seus colegas responsáveis pelo blogue o tivessem criticado.

meirelesportuense disse...

Já agora gostaria de saber:-Porque cortaram metódicamente os meus comentários durante meses?

meirelesportuense disse...

José Correia, José Correia? Por favor ponha em prática essa sua enorme falácia -de engano- , deixe-me comentar...Ou eu não tenho os mesmos direitos que tinha o tal de Helvétius?...

Daniel Gonçalves disse...

Miguel Lourenço Pereira disse às 21:32
"graças á entrega da gestao do clube a uma personagem alheia á vontade dos socios e acionistas da SAD..."

Deixemo-nos de meias-palavras e vai directo ao assunto, quem é essa pessoa, que tu consideras - embora eu pense que é só imaginação tua - que gere o FC Porto a seu bel-prazer, e que tu afirmas não ter sido mandatado pelos sócios? Refutando o teu argumento, afirmo que os sócios mandataram, como é princípio de uma sistema democrático representativo, esta direcção para gerir e administrar o Clube da melhor forma possível e tendo como objectivos as vitórias e os sucessos, e não a mandataram para lidar com este ou aquele empresário em particular, pois era impossível determinar, na altura das eleições, com é que o FC Porto teria de lidar - fosse um empresário ou um "fundo" - futuramente, pois é impossível saber ou prever o futuro, e existem possibilidades que só com o desenrolar dos acontecimentos se manifestam, e só nessa altura temos de agir ou considerar hipóteses para resolver problemas entretanto sobrevindos.

Ao mandatar esta direcção implicitamente os sócios mandataram-na para lidar com qualquer empresário - ou personalidade - que fosse necessário para atingir vitórias, portanto não existem personalidades alheias à vontade dos sócios a mandar ou a gerir o Clube. Se os sócios discordam - ou consideram que certas personalidades entretanto aparecidas na vida do Clube pós-eleições não são as indicadas para o lugar que ocupam - que o FC Porto tenha de lidar com esta ou aquela pessoa ou que esteja a ser indevidamente gerido possuem formas próprias para manifestar esse desagrado e na altura das eleições possuem a solução de escolher outra ou direcção. Agora esse teu argumento de existirem personalidades alheias à vontade dos sócios a gerir o Clube é, além de imaginário, falso, enganador e demagógico.

Joao Goncalves disse...

Alexandre,

No sistema norte-americano, esse é o método utilizado, e cada aluno, dependendo da Universidade, tem uma propina anual entre os 7.000$ e os 25.000$ (fora bolsas e outras ajudas de estudo). Deveria ser giro isto em Portugal...

Depois não é só as Universidades... cada Aluno português, custa em média entre de 12.000€ / 15.000€ ao estado português, nos 12 anos de estudo obrigatório... se considerarmos que desde o apelo ao Primeiro Ministro saíram cerca de 300.000 licenciados do País, podemos concluir que a afirmação do PM, custou aos cofres do estado nos últimos 3 anos 6.000.000.000€ ou seja 6mM€, ou seja, o dobro do que o estado colocou no BES ou mais ainda do que o estado colocou no BPN, portanto...

Soren disse...

Miguel,

Nao tome o meu comentario como um ataque pessoal, esta é uma ovservaçao geral. Acho que em Portugal se fala demasiado daquilo que nao se sabe. As pessoas opinam e criticam com muita dureza coisas que nao conhecem e matérias que nao dominam. Isto é verdade para o futebol e para muitas outras areas da sociedade.

Eu nao sou o Rei da verdade, mas neste caso acho que a sua visao é utopica e que nao podemos introduzir tantos miudos "ainda por fazer" numa equipa que tem que ser campea (disso nao tenha duvidas - e nao tenha duvidas que se nao tivessemos feito uma época vergonhosa e contratado o pior treinador de que tenho memória de ter pisado o relvado do Dragao o Benfica este ano era já uma instituiçao moribunda e a ferro e fogo). Para além disso precisamos primeiro de cimentar um sistema de jogo comum às equipas A e B e produzir uma equipa A campea para introduzir os miudos com tempo e segurança, permitindo assim que tenham sucesso. De outra forma nao tenha duvidas que vai acabar com os os miudos em vez de os potenciar.

Aqui ha tres anos também disse que o VP nao era assim tao mau e que os culpados da situaçao de entao, eram os jogadores, que com a sua falta de profissionalismo estavam a minar o balneario e o trabalho do treinador. Parecia o fim do mundo porque se criticaram as madalenas e a ovelha negra (VP) é que devia sair e ser queimada viva na praça dos Leoes.
Bastaram 6 mesitos para se perceber quem tinha razao (para alguns felizmente, bastou Pinto da Costa ir ao balneario em Coimbra).

Portanto, tudo bem, acho que todos devem ter direito à sua opiniao, mas para mim nao vale achincalhar um Presidente que nos deu toda a sua vida (com uma paixao pelo seu trabalho inigualavel) e nem vale mandar bitaites de gestao sobre coisas que nao compreendemos porque nao estamos nos meandros "da coisa". Alguém acredita que sem os fundos poderiamos ter ido buscar o Mangala, o danilo, o Alex ou o Herrera? E sinceramente, comparar o Opare, o Evandro e o Adrian com qualquer um dos miudos, nao é de quem percebe muito de bola.

Também acho que com os 614 milhoes de vendas em onze anos, deveriamos ser uma equipa que luta pela Champions cada 3 anos no minimo. Penso que algumas coisa nao foram bem feitas, mas o mundo do futebol de hoje é muito complexo e nao voiu estar aqui a rebaixar uma gestao de sucesso inigualável.
Um clube deve ter as suas contas em dia e nao deve perder a mistica, mas o seu objectivo principal é ganhar titulos. Espero que esta filosofia nunca mude e estarei sempre com Pinto da Costa. Se quiserem chamem-me seguidista, etc, isso nao me importa nada. Pinto da Costa é eterno e merece um respeito enorme de todos nós e francamente senti-me enojado na época passada com muita coisa que li acerca do Presidente por essa bluegosfera fora.

.:GM:. disse...

Eu estudei em Inglaterra e paguei propinas - que não foram baratas. Em Portugal quer-se tudo de graça e queremos continuar sem pagar impostos. O número de vagas no ensino superior é totalmente desenquadrado fo número de vagas no mercado de trabalho. A solução é efectivamente emigrar, cortar nas vagas ou aumentar propinas. Simples.

Rui André Silva disse...

Mais uma vez tudo dito...Cada vez mais se enterra! Não censure o comentário, por favor! Ai que o Sr.Miguel prevê um terramoto...

Rui André Silva disse...

"porque é quando precisa mais de mim e de todos nós. Em Maio estao todos."

AH AH AH! O seu sentido de humor , tenho de admitir que é bestial! Todos ao Dragão!
p.s.- Vai censurar?


Alexandre Burmester disse...

Eu não percebo por que motivo um "post" de sentido irónico e desalentado haveria de causar tanta celeuma. Não percebo, é uma maneira de dizer: tudo isto nos leva - para não voltar ao campo da liberdade de expressão - ao mundo dos fundamentalistas e dos indefectíveis. A julgar pelas reacções, dir-se-ia que o Miguel publicou cartoons acerca do Maomé. Quanto ao Vítor Pereira, não me lembro do contexto e do tom em que lhe chamei "morcão", mas pode ter a certeza que o meu intuito não era achincalhar o homem. E quando quero argumento, quando não quero, não argumento. Selecção, "criteriosa" (qual seria o critério?) ou não, é coisa que aqui não existe. Cada um escreve o que lhe apetece.

Alexandre Burmester disse...

Isso do Tribunal é uma lenda. Basicamente era um bando de cegos a cheirarem a verde tinto! ;-) Vi lá muitos jogos.

Alexandre Burmester disse...

Jorge Vassalo,

As afinidades linguísticas e culturais dos portugueses são com os galegos e não com castelhanos e outros que tais. Os galegos até escrevem "pobo", "goberno" e "biaxe" (viagem). Mas mesmo supondo que portugueses e castelhanos eram parecidíssimos: e daí? Deveriam os portugueses passarem a ser espanhóis? Vá dizer isso aos catalães e aos bascos. ;-)

Alexandre Burmester disse...

Denonatum, este blogue não tem donos. É uma comuna, uma unidade colectiva de produção, um kibbutz, o que queira.

Alexandre Burmester disse...

Bem, meu caro, este blogue não discute política, e portanto vou ser sucinto: embora eu tenha achado disparatadas as declarações do PM, não me parece que elas tenham constituído propriamente um "apelo". Mas se foi um apelo, então o homem é mesmo convincente, a avaliar pelo número de licenciados que, segundo diz, saíram de Portugal por causa desse apelo. ;-) E, já agora - esta é para o Nightwish - classificar de "incitamento à violência" essas declarações é ter um conceito muito lato desse crime. Tenho dito, e não volto ao assunto, pelas razões que comecei por expor.

Luís Vieira disse...

Lenda não é, porque o vi não raras vezes. Achava particular piada aos guarda-chuvas empunhados ameaçadoramente a cada má decisão do árbitro. Reduzi-lo a um "bando de cegos a cheirarem a verde tinto" é um exagero iconoclasta. Borrachões ou não, eu via-os como um conjunto de adeptos exigentes, intransigentes e indefectíveis.

meirelesportuense disse...

Obrigado José Correia, já agora veja se consegue perceber quem tem cortado sistemáticamente os meus comentários desde há vários meses a esta parte.Gracias.