domingo, 17 de agosto de 2014

Brahimi, na ala ou no meio?

Yacine Brahimi é filho de pais argelinos, mas nasceu em Paris e fez toda a sua formação futebolística em França.
Em 2003, Brahimi foi selecionado para a academia de Clairefontaine, onde passou três anos. Depois disso, Brahimi foi internacional francês nas seleções de Sub-16, Sub-17, Sub-18, Sub-19, Sub-20 e Sub-21.
Apesar de um currículo significativo nas seleções de formação francesas, em Fevereiro de 2013 Brahimi decidiu que, como sénior, iria jogar pela seleção argelina. E foi com a camisola da Argélia que Brahimi disputou o Mundial de 2014.

Após os quatro jogos da Argélia no Brasil (Brahimi participou em três desses jogos), de regresso à Europa o Garrincha de Granada “aterrou” no Dragão, onde já começou a brilhar.

Aparentemente, Lopetegui pretende usar Brahimi encostado a uma das alas (contra o Marítimo jogou a maior parte do tempo no lado esquerdo do ataque portista), mas eu olho para o Brahimi e vejo nele um médio de ataque, um jogador com características para ser um extraordinário Nº 10 e gostava de o ver jogar no meio.

Tendo laterais com o perfil de Danilo e Alex Sandro e extremos com a qualidade individual de Quaresma e Tello, este FC Porto de Lopetegui está condenado a fazer fluir grande parte do seu jogo ofensivo pelas alas. Contudo, é fundamental que Jackson não se transforme numa “ilha”, isolado dentro da área adversária, com o companheiro de equipa mais próximo a “quilómetros de distância”.

Ora, Brahimi, que já demonstrou ser muito bom nos duelos um-contra-um e a jogar em espaços curtos, pode ser a solução para este problema, jogando no meio, nas costas de Jackson.

O JOGO, 16-08-2014

Mas, a acontecer, isso iria causar outro problema: com Brahimi na posição 10, onde colocar Óliver Torres?

Na ala ou no meio, uma coisa parece-me evidente: Brahimi tem de jogar (quase) sempre.

17 comentários:

Joao Goncalves disse...

Essa será uma dor de cabeça óbvia para o Lopetegui.

Se Brahimi terá sempre de jogar e concordo ctg, mete-lo no meio será sempre sinónimo da saída do Óliver da equipa, já que o outro médio terá de ser alguém com mais músculo e posicionamento defensivo (Herrera, Casimiro, Rúben, Clasie(?) )... um meio campo com Óliver e Brahimi irá acontecer em situações de desespero.

Contudo tirar Óliver, significa menos fluidez e velocidade na circulação (assim como tirar Rúben significa menos velocidade de rotação e capacidade da rápida mudança de flanco em passe longo de qualidade).

Portanto se saírem, por exemplo, os dois teenagers de campo para entrarem para um meio com Casimiro, Brahimi e Herrera, ganhamos consistência e poderio físico, mas perdemos na capacidade de rotação e na velocidade da decisão após recepção.

Contudo se saírem os teenagers da equipa, passamos a ter mais protagonismo no meio (para além do normal que iremos ter sempre nas alas) e o jogo fica bem mais ao jeito de explorar o talento de Herrera, pois com Brahimi as correrias a comer metros e o toca e foge, é bem mais pertinente do que com Óliver (aliás o melhor jogo de Herrera na pré-temporada foi com Brahimi ao seu lado por isso mesmo).

Lá está... é tudo uma questão de análise jogo a jogo e de decidir o que é necessário para um determinado jogo em si.

P.S.: Gostei de ver o Rúben e o Óliver lado a lado, até o Rúben sair todo roto... Era uma possibilidade que ainda não tinha visto na Pré-Temporada mas que resulta interessantemente.

P.S.2: Pelo que disse acima, não me parece que Herrera a jogar com Óliver no meio seja de todo uma boa opção... poderá ser quando o Óliver souber aproveitar o Herrera e solicitar o mexicano naquilo que ele é bom e pode dar à equipa mas tem de ser treinado.

Jorge Vassalo disse...

Para mim parece claro que estes não são jogos para inexperiência.

Fabiano,
Danilo, Maicon, Indi, Alex Sandro
Casemiro
Evandro
Brahimi
Quaresma/Jackson/Tello

Adrian López a render Quaresma, Quintero a render Brahimi (se cansado), Herrera a render Evandro (se atado).

Este para mim é um Porto de Champions. Com mundialistas, sem inexperientes.

Miguel Lourenço Pereira disse...

Brahimi é o melhor jogador individual deste plantel. Apesar de não estar de acordo com a forma como chegou (nem com a sua posterior e imediata desvalorização), é a mais inteligente incorporação realizada pela SAD no defeso. Estão de parabéns.

É um jogador excelente que pode perfeitamente ocupar quatro posições em campo (8, 10, 11, 7), que tem um golpe de meia distância tremendo e uma leitura de jogo superior. Ao utilizá-lo na ala, Lopetegui procura transformar o 4-3-3 no 3-3-4, com um lateral a abrir como extremo, utilizando Brahimi mais nas zonas interiores aumentando a possibilidade de triangulações com Oliver (o 10), Jackson (o 9) e Herrera ou Ruben (o 8) e deixando assim a ala para o Alex Sandro. Enquanto que Quaresma e Tello utilizam a velocidade para o seu jogo diagonal, Brahimi pode faze-lo também em estático com a mesma qualidade, o que, contra equipas fechadas, cria sempre uma linha de passe extra e força a equipa contrária a recuar ainda mais, abrindo o campo com o lateral esquerdo e o extremo direito. Não há outro jogador no plantel que possa oferecer tanto como ele.

pancas disse...

Miguel, boa analise - Eu diria tb que o que o Brahimi proporciona como extremo falso do lado esquerdo poderia ser feito do lado direito por Quintero. Em velocidade mais lenta, mas com mais poder de fogo em termos de remate...

rbn disse...

Comentário para este post e o anterior:

-qualquer treinador queria ter estas "dores de cabeça" que Lopetegui tem tido, e penso que a maior dúvida de Lopetegui será quem ele vai colocar na bancada...

-finalmente, temos 2 bons jogadores para cada posição, faltando um suplente para Jackson, mas penso que Sami e Gonçalo Paciencia ainda terão uma palavra a dizer esta época...

-quem será o nº 6 não sei, temos 4 opções:Casemiro, Ruben, Herrera e Reyes, que de vez em quando joga de trinco da seleção mexicana...Ruben de nº 8 na 2ª parte com o Marítimo não gostei...

-Brahimi na ala ou meio?Oliver idem, Quintero idem, Clasie(?) idem,

-como disse na 1ª frase, qualquer treinador queria ter essas "dores de cabeça"...

meirelesportuense disse...

Na SICNoticas:
O Porto jogou na sexta, ganhou, após o jogo não apareceu ninguém a comentar.
Sábado jogou o Sporting, empatou, logo de seguida tivemos três comentadores -Joaquim Rita incluído- a dar palpites, isto para além do habitual apresentador.
Hoje jogou o Benfica, ganhou, temos dois comentadores, Toni e David Borges, mais o moderador.
Definem-se eles como imparciais.

Jorge Vassalo disse...

Ó Meireles e o Meireles nem deve ter visto o Zona Tosta Mista. Uma vergonha. 5 min fugazes e sempre a malhar. Enfim... Já se sabe...

José Correia disse...

OFF TOPIC
A resposta aos comentadores e alguns moderadores dos programas da SIC, TVI e RTP tem de ser dada dentro de campo.
Porque não há coisa que mais lhes doa que as vitórias do FC Porto.

Jorge Vassalo disse...

Completamente de acordo José. Não vou ver mais nenhum destes..pura perda de tempo.

Jorge Vassalo disse...

Completamente de acordo José. Vou deixar de ver estes programas.

José Correia disse...

"Se Brahimi terá sempre de jogar e concordo ctg, mete-lo no meio será sempre sinónimo da saída do Óliver da equipa, já que o outro médio terá de ser alguém com mais músculo e posicionamento defensivo (Herrera, Casimiro, Rúben, Clasie(?) )"

Eu olho para o plantel actual do FC Porto e vejo N possibilidades para o meio-campo.

Num cenário de 4-3-3...
- Nº 6: Casemiro como pivot (médio mais recuado)
- Nº 8: Herrera, Rúben ou Evandro como médio de transição
- Nº 10: Brahimi, Óliver Torres ou Quintero

É impossível juntar Brahimi e Óliver Torres no meio campo do FC Porto?

Há 11 anos atrás, também havia quem dissesse o mesmo em relação a Deco e Alenitchev.
E o que fez Mourinho?
Em alguns jogos, abandonou o tradicional 4-3-3 e colocou a equipa a jogar em 4-4-2, com um meio-campo formado por:
- Costinha
- Maniche
- Deco
- Alenitchev

O difícil é formar boas equipas com jogadores medíocres.

meirelesportuense disse...

Eu vejo porque a SIC é desde a sua partida, o meu canal favorito, mas revolta-me.
Porque a ideia que eles pretendem passar é de uma total liberalidade e não é verdade, de todo não é verdade.
E fazem isso quer no Desporto como na Política, exactamente a mesma parcialidade, aliás, eles fabricam e produzem os homens que estão à frente de muitas Instituições.
E os cidadãos tem que estar conscientes disso. O senhor Balsemão não é um Liberal e um Democrata pleno.
Por isso a minha intervenção.

DC disse...

Para mim há 2 jogadores intocáveis no 11: Brahimi e Oliver. E a tirar alguém do 11, começaria obviamente sempre pelo único jogador do meio-campo com qualidade técnica abaixo da média. Tivesse ele custado o que custou o Carlos Eduardo, aliás, e desconfio que nunca teria sido hipótese para titular. Espero que Lopetegui tenha a coragem de não olhar ao preço dos jogadores.

Joao Goncalves disse...

No modelo actual é completamente impossível de acontecer agora num modelo exactamente por causa dos equilíbrios, apesar de como fiz acima a ressalva, poder acontecer em situações de apostar no ataque.

Agora num modelo diferente, como o 4-4-2 à lá Mourinho, pode perfeitamente caber, mas isso só mesmo muito mais lá para a frente quando o 4-3-3 estiver bem trabalhado e se poder avançar para uma táctica inicial alternativa.

meirelesportuense disse...

Gosto muito do Brahimi e do Oliver Torres, os dois são craques, espero que o Lopegui consiga criar uma estratégia que os possa juntar em campo.

-Hoje, em substituição do "TóniOliveira" esteve na SIC o Rodolfo e foi uma confusão do caraças...Ele chegou ali e deu cabo de todo aquele espartilho encolarinhado do programa. Sempre a interromper e a baralhar os lindinhos que lá estavam...
-Gostava muito de ver ali o Oliveirinha todo colorido cheio de lencinhos no bolsinho do paletó...

Luís Vieira disse...

Não me parece que o Lopetegui esteja preocupado com o preço dos jogadores. Caso contrário, o Rúben Neves não teria sido titular, nem o Adrián se sentaria no banco durante o jogo todo. O Herrera fez um grande Mundial, deu continuidade ao bom momento na pré-época e só vacilou neste jogo de estreia, por isso não acho criticável a opção do treinador.

Nuno Fonseca disse...

Brahimi jogou contra o Marítimo onde deve jogar. É lá que ele parte tudo, embora a sua técnica individual e inteligência lhe permita jogar em qualquer zona do meio campo de ataque. Quem ainda não viu que veja os melhores momentos dele no granada precisamente a actuar na esquerda. É um jogador desconcertante para as defesas porque tanto dá profundidade até à linha final como flecte para o meio com igual qualidade. Oliver também me parece indiscutível neste estilo de jogo. É necessário um jogador com qualidade de passe e tomada de decisão como ele. Para além disso está sempre a criar linhas de passe em qualquer zona do terreno. Um jogador mágico. No ataque neste momento só estou preocupado com Tello que pode ficar muitos jogos no banco e isso pode desmotivá-lo. Mas ao ver o segundo golo do Porto na sexta feira fico com a sensação que pode perfeitamente jogar na direita.
Adrian Lopez tem o mesmo problema. De qualquer das formas Lopetegui fez bem. Quem sabe se em Dezembro, Adrian não estará num nível esperado? Até lá jogam estes.