quinta-feira, 21 de agosto de 2014

Mistérios de Lille

1. Um jogo disputado num “pavilhão”

O JOGO
O que terá levado a UEFA a concordar com a pretensão do Lille, de disputar o jogo contra o FC Porto com a cobertura amovível do Estádio Pierre Mauroy fechada?

As coberturas amovíveis (nos estádios que as têm) servem para preservar os relvados e proteger os espectadores das agruras do Inverno, nomeadamente quando está a nevar e/ou se registam temperaturas negativas.

A questão é que o Lille x FC Porto foi disputado em pleno Agosto, num dia em que nem sequer se registaram aguaceiros e com uma temperatura exterior à hora do jogo de 12 graus centígrados (excelente para a prática de um jogo de futebol).

Eu compreendo que os dirigentes do Lille quisessem “abafar” os jogadores do FC Porto (pouco habituados a jogar em “pavilhões”).
Eu sei que, num estádio fechado, 30 mil espectadores a gritar parecem o dobro e poderiam impressionar uma equipa com uma média de idades inferior a 23 anos.
Mas pensava que a UEFA, apesar de ser liderada pelo francês Michel Platini, era isenta (cof, cof, cof…).


2. Uma arbitragem “inteligente”

O que terá levado o senhor Bjorn Kuipers a, logo aos 6 minutos, amarelar um defesa do FC Porto (Danilo), num lance de bola dividida, sem perigo para a integridade física do adversário e em que não foi anulada qualquer jogada de perigo?

O que terá levado o mesmo Bjorn Kuipers a, por exemplo, aos 30 minutos, nem sequer assinalar falta, num lance em que o francês Gueye entra de pé em riste sobre Maicon, atingindo-o de forma perigosa (podia ter provocado uma lesão grave)?

Aos 28 minutos, numa altura em que o resultado estava em 0-0, Jackson foi ostensivamente agarrado e puxado por Basa em plena área do Lille, quando tentava cabecear uma bola.
Dos cinco árbitros holandeses, as imagens da transmissão televisiva mostraram que, pelo menos o árbitro de baliza, estava a olhar para os dois jogadores e viu perfeitamente.

Perante um lance desta clareza, o que terá levado o senhor Bjorn Kuipers (um árbitro do grupo de elite da UEFA, que arbitrou a última final da Liga dos Campeões) a não assinalar a grande penalidade que se impunha?

Bjorn Kuipers expulsa Rolando (Supertaça Europeia 2011/2012)

Nota: Para quem não se lembra, Bjorn Kuipers é o mesmo árbitro que, há três anos atrás, no dia 26 de agosto de 2011, na final da Supertaça Europeia entre o FC Barcelona e o FC Porto, não assinalou um penalty óbvio sobre Guarín (e que seria uma oportunidade flagrante para o FC Porto reestabelecer a igualdade no marcador).


Para além do valor do Lille, uma equipa com uma boa organização defensiva e que aposta no erro do adversário, é também por causa deste tipo de "mistérios" que estou de pé atrás em relação ao jogo da 2ª mão.

15 comentários:

Fernando disse...

Subscrevo inteiramente o post!
Também estou com certas reservas para o jogo da 2ª mão devido a esses 'mistérios', aliás ate se esqueceu de mencionar que perto do fim da partida o Casemiro foi agredido pelo Roux e este APENAS viu o cartão amarelo (como é que é possível).

Saudações Portistas

PortoMaravilha disse...

Viva,

A imprensa e, igualmente, os comentadores também comentaram nos seus respetivos relatos, quer orais quer escritos, o seu espanto perante a visão da descoberta do telhado fechado.

Não acredito muito na ideia de "caixa de ressonância de apoio", mas posso me enganar. Penso que, este acontecimento, estara' mais ligado com o contexto poli'tico internacional, ja' que estamos em alerta vermelho no âmbito do dispositivo vigipirate (anti-terrorista).

E Viva o Porto!

DC disse...

A Uefa há muito tempo que tem uma atitude vergonhosa na fiscalização da qualidade dos relvados. Lembro-me de equipas como o Real Madrid ou o AC Milan destruírem propositadamente os seus relvados antes de jogos contra o Barcelona e a organização sempre a olhar para o lado.
Cada vez mais uma organização interesseira e corrupta.

meirelesportuense disse...

Antes de mais, um abraço para o amigo PortoMaravilha !

-Concordo com as críticas ao árbitro holandês e confesso que não me lembrava dos antecedentes deste árbitro relativamente ao FCdoPorto.
Na verdade neste jogo ele teve duplicidade de critérios, foi caseiro e prejudicou o Porto nomeadamente no aspecto disciplinar.
Danilo foi amarelado sem ter feito nada para o merecer, apenas sofreu as consequências da pressão exercida sobre o "senhor" Kuipers desde o primeiro minuto de jogo.
Recordo que quase na primeira jogada o treinador do Lille pediu amarelo por uma pretensa cotovelada de Jackson. Logo a seguir fez o mesmo relativamente a Alex Sandro numa jogada perfeitamente normal.
Kuipers pressionado satisfez a plateia logo que as coisas adquiriram alguma espectacularidade...Depois baixou a exigência, mas não a ambivalência.
Houve desde o início a tentativa de inibir e intimidar a equipa do Porto -numa demonstração de evidente receio por parte do Lille- e a questão da Cobertura foi apenas mais um desses episódios mesquinhos que contou com a cumplicidade da UEFA. Talvez fosse para intensificar o eco da massa de apoio do Lille, mas ao invés acabou por destacar o ruído feito pela claque do FCdoPorto...Há feitiços que se viram contra o feiticeiro. No que toca ao relvado, foi coisa semelhante, depois do Porto se colocar em vantagem, quem necessitava de relva bem molhadinha era o Lille, mas era tarde de mais...

Radamel Furacao disse...

Acho bem a direcçao do Lille ter pensado em fechar a cobertura se estava previsto chuva (adeptos, relvado etc) até porque "pleno agosto" no norte da França nao quer dizer nada, mas mesmo nada.
Acontece que nao choveu mas ha que saber que essas coberturas metem horas para fechar ou abrir, aquilo nao é um estore.

Viva o Porto!

Bruno Guedes disse...

Bom dia.
Concordo em absoluto com o Sr. José Correia.
Acrescento mais, sábado está o grande benfiquista Manuel Mota na Mata Real.
Estejamos preparados para mais uma arbitragem com nota artística.

José Correia disse...

"Acho bem a direcçao do Lille ter pensado em fechar a cobertura se estava previsto chuva (adeptos, relvado etc)..."

E se chovesse, qual era o problema?
Agora não se pode jogar à chuva?
Então é melhor cancelar os jogos quase todos do campeonato inglês.

lee disse...

O amarelo mostrado ao danilo aos 6 minutos não deixa duvidas nenhumas

Radamel Furacao disse...

Os bifes fazem como bem entender...

A parceria publico-privada Eiffage-Communauté Urbaine de Lille pagou e bem o estadio e portanto a cobertura é para ser usada nao é para ficar a ganhar ferrugem.

Jorge Vassalo disse...

O Danilo falou sobre isso mesmo no fim do encontro, o estado da relva, aliás viu-se que eles tiveram de se adaptar.

Estou em crer que o pica-na-areia Brahimi não pôde fazer o jogo dele por isso mesmo.

Mas, elasse, o Lille não percebe que isso não melindra o Porto, pelo contrário, motiva-o imenso.

Agora é jogar com a mesma assertividade na terça e seguir em frente.

PortoMaravilha disse...

Viva,

O Lille praticamente não têm adeptos organizados. Fechar o telhado era privilegiar ou dar eco a quem se expressa de modo organizado -se objectivo fosse esse... Mas mais uma vez, posso estar enganado.

O jornal "NordEclair" organizou a cobertura da vivência dos adeptos portistas durante o jogo (esta' no site do jornal), sejam eles, franceses ou portugueses, da primeira,terceira, etc. geração. Uma "pequena" reportagem que valida e realça a realidade da importante e grande dimensão Europeia do FC Porto.

E Viva o Porto

Miguel Lourenço Pereira disse...

As coberturas são para ser usadas em casos extremos que comprometam a realização dos eventos, nevadas, chuvas torrenciais, elevadas ou minimas temperaturas. Não são para ser usadas porque sim. Outra coisa é que a UEFA ignore os seus próprios regulamentos e o FC Porto não reclame os seus direitos.

Radamel Furacao disse...

É como eu disse, estava previsto chover.

Mas talvez sim era para abafar os jogadores do Porto, adeptos e outros seguidores do FCP, multiplicar o echo dos adeptos do Lille que sao conhecidos por fazer muito ruido a comer pipocas.

E claro falta chamar o Platini a conversa porque é franciu como o Lille.

E cuidado! O Lille joga de vermelho como o 5enfica!

E o presidente do Lille, Michel Seydoux, tem um bigode tal como o orelhas!

Conclusao, o Lille recebe ordens de la de baixo ahhhhh!

Agora mais a sério, o regulamento UEFA do que falou, pagina 23 (em Franciu):

http://fr.uefa.com/MultimediaFiles/Download/Regulations/competitions/Regulations/01/79/68/70/1796870_DOWNLOAD.pdf

UEFA é que decide conforme ao tempo previsto, e nao menciona em nada que precisa estar a chover como se fosse o apocalypse.

José Correia disse...

"É como eu disse, estava previsto chover..."

Pois, mas desde manhã até à hora do jogo não choveu.
E mesmo que chovesse, a previsão era de aguaceiros e de POUCA precipitação (que em nada afectaria a qualidade do relvado).

Mas, pelos vistos, para algumas cabeças, a ameaça de umas pinguinhas é motivo suficiente para, em pleno Agosto e com temperaturas agradáveis (para a prática do futebol), transformar um estádio de futebol num enorme pavilhão.

Radamel Furacao disse...

E nao, nao era pinguinhas...

Convido o senhor, a fazer "connaissance" com o Jean-Pierre Pernaut no video a seguir onde fala da previsao do tempo para o resto do dia no jornal das 13 horas da TF1 no dia do jogo ou seja exatamente 7H e 45 minutos locais do inicio do jogo.

E o que esta a dizer o Jean Pierre? Que no norte da França estava previsto aguaçeiros ("Averses") e trovoada ("Orage").

Eu ca, acho que existe demasiada imaginaçao em algumas cabeças mas é a vida.

O video do Jean-Pierre:

http://videos.tf1.fr/jt-13h/2014/la-meteo-du-20-aout-2014-8470103.html