quarta-feira, 20 de agosto de 2014

Superioridade absoluta

Lille x FC Porto (foto: LUSA)

Uma sólida exibição, uma justissima vitória e um apuramento no bolso. O FC Porto volta de Lille com a sensação de que só algo muito estranho poderá impedir estar no sorteio da fase de grupos da Champions League. A vitória tem ainda mais método tendo em conta a qualidade dos franceses, uma equipa que defende muito bem e está rotinada, contra um projecto novo e que se manejou bem no jogo de espaços curtos que o Lille concedeu a contra-gosto. Lopetegui mudou a abordagem, viu os dragões controlarem o jogo mas só quando abriu o campo se encontrou com o golo da vitória marcado por aquele que foi, precisamente, o mais fraco elemento em campo. O resultado é justo, sobretudo porque escassearam as oportunidades, o único senão da noite. Jackson continua demasiado só.

O FC Porto entrou muito bem. Com autoridade e vontade de se impor, sendo fiel ás palavras de Lopetegui na véspera. O treinador espanhol abdicou das alas e colocou Brahimi e Oliver - essencialmente interiores - a abrir o campo. Fê-lo sabendo que o Lille ia fechar-se bem atrás e deixaria poucos espaços para grandes galopadas. Com o apoio da guarda pretoriana composta por Casemiro, Herrera e Ruben (que grande jogo, mais uma vez), os azuis-e-brancos encostaram o Lille contra as cordas. Em momentos de posse a equipa jogava em 3-4-3 com os dois laterais bem abertos e Casemiro a recuar para dar inicio ao jogo. Ruben, Oliver e Brahimi iam combinando. Os problemas chegavam com a conexão Herrera-Jackson. O mexicano foi o pior jogador em campo. Correu muito mas sem critério e raramente se soube associar ao colombiano. Jackson esteve sempre só. Passou o mesmo contra o Maritimo. É um predador, um dos melhores goleadores da história recente do clube. Mas precisa de quem o assista. Os seus melhores sócios - Quaresma e Tello - estavam no banco. De certa forma, Martinez sofre o mesmo mal de todos os avançados das suas características no esquema que Lopetegui quer impor e que é fiel ao ideário do "tiki-taka". Passou o mesmo com o Barcelona, com Mandzukic no Bayern e com Diego Costa e Negredo com Del Bosque. Jogadores que não entonam no concerto colectivo de constantes trocas de bola, que se perdem a recuar linhas e que sem ter passes rápidos no espaço perto da zona da área vão perdendo influência. Martinez cresceu quando Tello entrou. Não foi coincidência. O golo partiu de um passe do extremo e um primeiro remate de Jackson brilhantemente defendido por Eneyma que Herrera rematou na recarga. Pouco depois Tello, numa rápida diagonal, isolou Jackson que podia ter ampliado a conta. Estava em fora-de-jogo, o disparo foi á figura, mas o lance não valeu.

Jackson Martinez (foto: LUSA)

O golo foi mais do que merecido face á superioridade dos dragões mas o Lille teve as suas opções. A defesa ainda sofre com o esquema táctico no posicionamento em campo nas perdas de bola. Maicon esteve imenso mas antes do intervalo Corchia esteve a ponto de levar os franceses a ganhar para os balneários. Não era justo e não aconteceu. O Porto entrou a matar na segunda parte, marcou e controlou a partir de aí um resultado extremamente favorável. Lopetegui nunca arriscou muito. Colocou Tello para abrir o campo mas optou por tirar Brahimi - mais perdido hoje na ala, como Oliver - e a poucos minutos do fim lançou um Quaresma que não parecia contente. Lopetegui esteve acertado na decisão. Quaresma, neste modelo, dá menos à equipa do que o seu natural virtuosismo compensa. Terá de demonstrar ser capaz de fazer algo mais do que sacar coelhos da cartola para somar minutos de jogo. Nem ele nem Adrian parecem fazer parte do leque de protagonistas que Lopetegui elegeu no inicio da temporada. O oposto de Ruben.
A Europa está a salivar com a jovem promessa e com bons motivos. O golo começou num golpe de génio seu. O dinamismo ofensivo da equipa também passou sempre pelos seus pés. Com 17 anos é cada vez mais uma certeza e o mérito é de Lopetegui, que o lançou depois de um grande Europeu de sub17. O tempo dirá se a aposta se prolonga mas para o jogador estes minutos valem ouro. E tem-nos merecido.

Lopetegui (foto: LUSA)

Superiores em todos os momentos do jogo, os azuis e brancos voltam á Invicta sentindo-se superiores. No Dragão a organização defensiva do Lille será inconsequente se o ataque não responder á altura. Talvez vejamos mais de Marcos Lopes, chamado, como Ruben, a liderar o futuro de Portugal. Mas isso dará também os espaços que Tello ou Quaresma, seguramente mais protagonistas, saberão aproveitar. Há ainda muito por melhorar, sobretudo nos processos defensivos e na conexão entre o ponta-de-lança com o meio-campo. Na ausência de um avançado móvel, como Lopetegui gostaria de ter (em Espanha tinha Rodrigo e Morata para esse papel), Jackson terá de se habituar a mover-se mais e os seus colegas terão também de dar um passe em frente na zona de decisão e oferecer-lhe mais a bola em situações de remate. Só isso impedirá o Porto de ser uma equipa implacável no controlo de jogo mas inofensiva na criação de oportunidades de golo. Ainda assim, os sinais são positivos. Tudo está bem encaminhado para uma nova presença na fase de grupos.

61 comentários:

meirelesportuense disse...

Não desgostei da opção da não inclusão de Quaresma no onze inicial. Porque o Quaresma é muito egocentrico e isso não se compagina com a necessidade de manter a bola longe do adversário o mais tempo possível. Sempre que a bola lhe é concedida ele tem uma tendência para tentar de imediato uma jogada improvisada e cede pouco a espartilhos táticos. Tem que aprender a obedecer a essas necessidades e vai consegui-lo. Quando o jogo pede acutilância atacante as coisas mudam de figura, Quaresma é um verdadeiro cavalo à solta.
Mesmo assim o jogo esteve um pouco àquem do que eu esperava, na defesa, especialmente Fabiano, tremeu-se um pouco em alguns momentos.
Não fora isso e teria sido admirável.Acho que tem de se saber combinar a posse e a capacidade de criar desiquilíbrios atacantes. Mais algum apoio a Jackson.

João disse...

Rúben Neves já tem/pode assinar contrato profissional? Convinha começar a blindar o puto.

Sansoni7 disse...

Olá
Não só vencemos a primeira parte da eliminatória como fomos protagonistas...
O acesso á LC está mais perto.....há que continuar a trabalhar...e a querer!
Cumprs
Augusto

zzzzz disse...

Primeira-parte digna de um bocejo, com ambas as equipas mais focadas nos equilíbrios tácticos do que nas acções ofensivas susceptíveis de criar oportunidades de golo.

O FC Porto controlou o jogo, foi superior ao adversário, mas não acho que tenha feito uma boa exibição. A meio da segunda-parte a equipa perdeu a capacidade de circular a bola com segurança e o jogo ficou partido. Quando é assim, o factor aleatório ganha preponderância.

Gostei de Maicon (o melhor em campo) e de Alex Sandro. Herrera esteve em todo o campo, ocupou espaços, pensou bem, mas executou mal. Contudo, dizer que foi o pior em campo é um exagero.

Algo está mal quando um ex-juvenil é titular na equipa principal do FC Porto. É a grande revelação da época, um grande talento (ontem jogou mais adiantado), mas equipa precisa urgentemente de um número 6 de raiz com créditos confirmados.

Zé_Lucas disse...

Venga vamos, Oporto!!

Miguel Lima disse...


«Algo está mal quando um ex-juvenil é titular na equipa principal do FC Porto»

por essa perspectiva, Pavão, Fernando Gomes e Domingos dificilmente teriam tido oportunidade de brilhar com a camisola do nosso clube.

desculpe que lho diga, mas há adeptos em que, se não é do cu é das calças...

Miguel Lima disse...


@ Miguel Lourenço Pereira

depois de ler a crónica ao jogo, fiquei com a sensação enraizada de ter sido escrita pelo caríssimo José Correia. puro engano.

afinal, nem é assim tão difícil apoiar a equipa de forma positiva e com críticas assertivas, pois não? e este é o maior elogio que lhe posso tecer, depois de pecadilhos anteriores.

cumprimentos
Miguel | Tomo II

Miguel Lima disse...



«a equipa precisa urgentemente de um número 6 de raiz com créditos confirmados»

já parou para pensar que, se ainda não contratámos esse "6" é porque o treinador entende que tal não será necessário? e já reparou que o modelo táctico, nos jogos oficiais disputados, prescinde desse mesmo "6" (vulgo trinco)?
acredite que não quero dar a entender que sou um qualquer iluminado do futebol - que não sou, de todo! - mas e como referi no comentário anterior, há críticas que, por serem tão negativas e tão destruidoras, não podem passar pela calada.

Miguel Lourenço Pereira disse...

O Ruben jogou a 8. E jogou muito bem. O Casemiro cumpriu a 6. Não vi ali necessidade de um seis urgente. Tarde ou cedo o meio campo será Casemiro-Ruben-Oliver com Brahimi e Tello nas alas.
O Herrera errou sempre na tomada de decisão e neste esquema é o mais grave.

JON disse...

O Herrera era bom era para correr a fugir de touros. Lá ele correr corre ele. Pena que corra quase sempre mal e não saiba recepcionar uma bola.
O Quaresma quase que jogou no sítio certo. Falta colocá-lo na bancada, ou no circo, que onde ele está bem. Especialmente quando há Brahimi, Tello, Adrian, Quintero...

Quanto ao jogo, claramente muita coisa por afinar, especialmente na linha defensiva e compensações central/trinco/lateral. E na saída de bola, já agora, que está mázinha.

Mas mais importante, é que o Lopetegui tem uma ideia de posse, de controlo, que me agrada e que é, a meu ver, a correcta para o que deve ser o (nosso) futebol.
No entanto, as crónicas em diversos sítios (n'O Jogo incluído) já dizem que a posse é inconsequente... Onde é que já ouvi isto? Pois, da última vez que tivemos um TREINADOR era o que mais se ouvia. Quiseram mudar, queriam vertigem, transições rápidas e de facto tiveram. O Fonseca deu-nos isso tudo...

Só almejo que a equipa se organize um pouco mais (é normal, estão a começar) e que depois os craques que este ano temos na frente comecem a marcar, a ver se apaziguam os maluquinhos das correrias...

PS: o Óliver joga tanto!

Miguel Lourenço Pereira disse...

Miguel, naturalmente que não. Eu consigo distinguir o Clube da Equipa. São complementares mas como em tudo ha coisas queo Clube faz bem e mal e o mesmo passa pela equipa. Ontem a equipa esteve muito bem e merece os nossos elogios sabendo que era um rival duro e estamos num work in progress.

Miguel Lourenço Pereira disse...

O Lopetegui trabalhou mais o processo ofensivo e de controlo. Tem sido evidente que os dois extremos do campo são as areas que falta melhorar. Maior coesão defensiva e maior aproximação a Jackson. Não descarto que o seu sucessor seja do perfil que Lopetegui quer. Resta saber como vai aproveitar o colombiano, Quaresma e Tello funcionam melhor nesse esquema mas com Lopetegui quer mais. Não sei se Quaresma o vai dar. Fez todo sentido estar no banco. Lopetegui quis amadurecer o jogo e lançar Tello quando houvesse mais espaços. Esteve bem mas Oliver ali perde.se.

DC disse...

Digo o que disse depois do jogo com o Marítimo: Tudo bonzinho menos o terrível Herrera.

Ruben cada vez melhor, Tello com 2 jogos a vir do banco, 2 assistências, Jackson e Brahimi úteis, Casemiro algo trapalhão mas com boa capacidade de trabalho, Alex imperial, Danilo bem, centrais não enterraram muito embora tenham cometido várias falhas, tal como o Fabiano (que mais dia menos dia acaba no banco).

Parece-me que não era preciso tanta cautela, somos muito melhores que o lille, mas o essencial foi ganhar. Parece-me também que a nível ofensivo estamos bem mas a nível defensivo a linha defensiva é completamente aleatória ainda. Não nos portamos como equipa ainda a nível defensivo. Espero que seja falta de tempo de trabalho e que isso seja corrigido.

Depois, Herrera... É preciso dizer mais alguma coisa de alguém que não sabe passar, não sabe fintar, tem dificuldades em correr com bola, tem dificuldades em proteger a bola, demora 10 anos até perceber que passe deve fazer. Maldito seja o empresário que nos espetou esta armadilha (o tal filho do Tony Blair). Até pode sair por 500M, nunca será jogador de futebol de topo.

DC disse...

Algo está mal é quando se espeta 10M num cepo como o Herrera quando até nos juvenis há gente muito melhor.

DC disse...

Subscrevo tudo.

Bruno Guedes disse...

Bom dia.
Relativamente ao jogo, surpreendido pelo jogo que o FCPORTO fez sem dúvida, ontem quem estivesse a ver não diria que da equipa do ano passado estavam apenas 6 jogadores. Estamos ainda em Agosto e a equipa mostra, face ao elevado número de entradas tem já uma boa ligação entre setores, o mérito é em grande parte do treinador/ qualidade inequivoca de jogadores. Para mim o FCPORTO fez um excelente jogo, contra uma equipa, é certo inferior a nós, mas que tem um bom 11 e que para além disso, relativamente a época passada apenas, julgo eu, alinhou com dois jogadores novos. Sinceramente não contava ganhar, um empate com golos era já bom, ganhar é excelente apesar de isto estar ainda no intervalo. Mas não me passa pela cabeça ficar de fora depois do que vi ontem.
Este FCPORTO está bom, vai crescer imenso, tem qualidade para muito mais e vai de certeza chegar a esse ponto. Escrevi aqui que tinha muito medo desta época, não entro em euforias agora, continuo a ser contra esta politica de contratações/ jogadores emprestados ( que jeito dava o OLIVER ficar cá para o ano, que jeito dava termos o passe todo do Brahimi), mas sou PORTISTA e quero sim que o FCPORTO ganhe.
Gostei doq ue vi ontem, já me fez lembrar o FCPORTO que tinha saudade, com garra, determinação, qualidade ( já não via disto á muit tempo), aos 85 ainda faziamos pressão á boca do túnel como se fosse o ínicio de jogo. Gostei da qualidade do Casemiro, desconhecia por completo este jogador e quem atualmente me surpreende é o Tello ( ainda por cima fui daqueles que disse que ele vinha cá para passar tempo), sinceramente nunca vi nele nada de especial mas por Sexta e ontem, parece que, caso o Chá Chá Chá fique temos uma dupla fantástica. Mal entrou deu oc entro para o golo e faz uma arrancada semelhantre á do Maritimo.
Só não gostei de uma coisa: QUARESMA.
Com este treinador e modelo de jogo ou ele muda ou então vai ficar no banco muito tempo. A ficar no banco muito tempo é menino para desestabilizar e muito o balneário.
Fui e sou um admirador de QUARESMA, continuo a dizer que se tivesse cabeça era melhor que o Ronaldo, mas será que a mentalidade dele vai conseguir ser encaixada no atual FCPORTO? Um FCPORTO trabalhador, que joga simples e em equipa, que joga em carrosel? Tenho dúvidas e ontem a azia dele foi muita.
Não esqueço os momentos que me deu mas preferia que ele saisse. Está a mais neste FCPORTO.
Podemos ter 20 laranjas boas, se lhe juntarmos uma podre, passado algum tempo as que estão em redor dessa podre também começam a ficar.
Sábado é díficil. Ganhar é muito importante, mais que a exibição.
Bruno Miguel Guedes - 28061

zzzzz disse...

"desculpe que lho diga, mas há adeptos em que, se não é do cu é das calças..."

Repito: Ruben Neves é a revelação da época e um enorme talento! Contudo, para a posição onde ele tem jogado (a posição 6) o FC Porto precisa de um jogador com mais experiência e maior solidez nos processos, dado que é uma posição crucial para o equilíbrio da equipa e para libertar os colegas para acções ofensivas. Não é por acaso que Lucho Gonzalez dizia que o jogador mais importante da equipa era o Fernando. Também não foi por acaso que Lopetegui colocou ontem o Ruben numa posição mais adiantada. Isto não significa afastar o jovem jogador da equipa.

Casimiro pode fazer a posição 6, mas não é um 6. Não faz sentido contratar um novo jogador para adaptá-lo a uma posição onde ele rende claramente menos.

Tiago Silva disse...

DC e JON, permitam-me discordar um pouco. Acho que faz falta a este Porto jogo interior. Tornava a equipa menos previsível e geradora de mais desequilíbrios. Também me parece que os jogadores continuam a jogar bastante afastados fruto de Lopetegui pretender a equipa bem estendida. Isto aliado ao facto de a pressão ser feita muitas vezes através de duelos individuais, causa-me temor pois, como já se viu contra o Marítimo e mesmo ontem uma ou outra vez, basta que o nosso jogador seja ultrapassado que a equipa fica logo desequilibrada. Eu confesso que a matriz de jogo de Lopetegui não me agrada muito (privilegiar a largura, a lateralização e a profundidade pelos corredores) pois estou convencido que contra equipas mais capazes e com outros recursos defensivos, vamos ter imensas dificuldades em criar situações de perigo pois os nossos extremos não vão ter a capacidade de desequilibrar como quando jogam contra Moreirenses e afins.
Os centrais afligem-me pois, por norma, têm sempre algumas situações de mau posicionamento e/ou abordagem aos lances que são geradoras de enorme perigo junto da nossa baliza (Maicon, por exemplo, que ontem até esteve em destaque, teve uma abordagem a um lance e uma situação em que por se posicionar mal colocou um adversário quase frente a frente a Fabiano). Digam-me de vossa justiça pois gosto sempre de ler opiniões bem fundamentadas e avalizadas, mesmo que discordantes.

zzzzz disse...

A crítica negativa e destruidora de que está a falar reside apenas no seu imaginário. Limitei-me a dizer que, na minha opinião, o FC Porto precisa de um jogador mais sólido para a posição 6. Não diria ao nível de um Fernando, o que não é fácil, mas próximo. O Ruben poderá lá chegar.

Que eu saiba, o FC Porto procurou contratar um jogador da selecção holandesa para essa posição. Por que será? Com que então a equipa do FC Porto prescinde de um médio defensivo? Não me faça rir.

Joao Goncalves disse...

Olhem-me para este..

Algo está mal quando um miúdo sabe jogar à bola... realmente...

O Messi com 16 anos esteve muito mal ao começar a jogar no Barcelona pois esteve... E o CR7 então que desgraça aos 17 anos... acabaram a carreira que foi uma vergonha... então e o Vítor Baía? Esse pateiro que não soube defender uma baliza e só servia para limpara balneários a começar a jogar ao 18 ano... estes treinadores andam todos malucos está visto!

Jorge Vassalo disse...

Somos dois!

Já agora, não de resposta ao JON, mas ainda se fala no Futbol Clube del Oporto? Um titular ein? É só espanhóis por todo o lado!

Lopetegui esteve magistral em tirar o Quaresma e mais, em pô-lo no fim, num claro "jogas quando, como e o tempo que eu quiser", evidentemente na táctica que nos torna imprevisíveis aos olhos adversários e também àquela besta da TVI que quis picá-lo.

Toque no braço e um sonoro "Não!"

É assim mesmo pá! Põe-nos todos no sítio!

DC disse...

"Acho que faz falta a este Porto jogo interior."
Com oliver no meio não me parece que haja tanto esse problema. Há problemas quando é Herrera a fazer a ligação. Mas há essencialmente porque Herrera é incapaz de receber uma bola.

"Também me parece que os jogadores continuam a jogar bastante afastados"
Não concordo, especialmente se olharmos para a época passada. Parece-me sim, que Lopetegui não confia na dupla de centrais e mantém a defesa recuada por ter medo das bolas nas costas. Não sei se isso mudará com o tempo e entrosamento da dupla de centrais, mas acredito que sim.

"Isto aliado ao facto de a pressão ser feita muitas vezes através de duelos individuais, causa-me temor pois, como já se viu contra o Marítimo e mesmo ontem uma ou outra vez, basta que o nosso jogador seja ultrapassado que a equipa fica logo desequilibrada."
Não fiquei com essa ideia. A pressão é muitas vezes feita individualmente mas o Porto depois mantém uma linha de contenção atrás dos dois jogadores que habitualmente saem na pressão. Por isso, pelo menos até ao meio-campo não vi esse problema que referes. Preferia uma pressão em bloco, parece que o Lopetegui prefere 2 a sair na pressão e os restantes em contenção, mas organizados.

"privilegiar a largura, a lateralização e a profundidade pelos corredores"
Também não me parece que seja assim. Lopetegui usa os corredores e a lateralização para atrair e desposicionar. Depois, até o facto de jogar com Brahimi a vir para dentro, revelam que o objectivo é o jogo interior. Mas, se com Brahimi ou Tello isso é evidente, há jogadores que talvez ainda não tenham interiorizado isso tudo. Como o Quaresma.

"Os centrais afligem-me"
Neste caso concordo. Não só as capacidades deles por si só, como também a descoordenação evidente. Ainda não percebi o que se passa naquela linha defensiva. Tanto sai um central na pressão como de repente recua muitíssimo. Parece-me bastante confusa aquela defesa. Mas mais uma vez, parece-me que falta tempo de trabalho.

JON disse...

Tiago, não me parece que o modelo desconsidere jogo interior. O que o Lopetegui me parece querer fazer muitas vezes é mudar o centro do jogo para tentar levar os extremos a jogar o 1x1, em que são fortes (Brahimi, Tello, Quintero, mesmo Quaresma, em 1x1, normalmente passam). É uma estratégia que comporta risco, porque se o passe falha, fica-se com a equipa longe da bola.

Por outro lado, também me parece que é privilegiado um jogo de apoios e de construção, muitas vezes pelo centro. Vi isso nos melhores momentos de ontem e do jogo com o Marítimo.

Não achei que a equipa jogue na lateralização e na largura constante.

Quanto à pressão, sim, está mal treinada. O lance do Lille no final da primeira parte em que quase marca começa com um ou 2 jogadores a saírem na pressão e os outros a ver. Resultado: Lille sai fácil pela lateral e o Origi passa no 1x1 com o Maicon. Quase golo…

A linha defensiva parece-me muito descoordenada, sobretudo as coberturas e ocupação do espaço. O jovem Neves ainda tem muito para aprender nesse capítulo. Oxalá, o Lopetegui saiba ensinar. Mas também, é lá dentro que se aprende…

Quanto à evolução… epá, calma. São 2 jogos. Isto leva tempo. Há coisas que ainda não foram treinadas/corrigidas… O Benfica, por exemplo, que considero bem treinado, o ano passado só começou a carburar lá para Outubro e não tinha treinador novo e jogadores novos como nós. É normal que leve tempo. Só espero é que os maluquinhos das “transições” sosseguem a passarinha!

André disse...

Deviam ter vergonha! Essas pequenas ironias da treta contra um jogador que nos deu tanto como o Quaresma.
Estes ataques são indignos de qualquer portista com memória.
O Brahimi passou completamente ao lado do jogo, mas o Quaresma é que pertence ao "circo". com portista deste calibre nem precisamos de lampiões.

DC disse...

O Quaresma deu-nos tanto? E o Porto a ele não lhe dá todos os meses qualquer coisa? E quando ele disse que se não saísse para o Inter "ia haver problemas" também devíamos ter agradecido?

zzzzz disse...

Antes de comentar a minha intervenção, aconselho-o a ler o que escrevi. Sem preconceitos...

O que está mal não é o Ruben saber jogar à bola, mas o FC Porto não ter o número 6 que, no meu entender, a equipa precisa, mau grado as exibições positivas do atleta.

JON disse...

Os adeptos é que são cegos porque só porque ele bate com a mão no peito não quer dizer que tenha os nossos valores. Para mim a mística portista sempre passou por ter o colectivo à frente do individual. O Quaresma é tudo menos isso e é ridículo o destaque que os adeptos lhe dão.
Pior que tudo é darem-lhe a braçadeira, o que considero uma ofensa para João Pinto, J Costa, Pedro Emanuel, Baía, Lucho, André, etc. Jogadores que punham SEMPRE, repito SEMPRE, o colectivo à frente do individual.

O Quaresma quer apenas uma coisa: holofotes e destaques na Eurosport. Percebam isso de uma vez por todas. Se o Porto ganha é um pormenor para ele!

Tiago Silva disse...

DC e JON, é sempre um prazer ler o que escrevem.

Miguel Lima disse...



«a crítica negativa e destruidora de que está a falar reside apenas no seu imaginário»

para lá do que escreveu no seu comentário inicial, às 8h20m, e nos que se lhe seguiram, tenho que reconhecer que sou eu que estou errado.
de facto, mesmo sendo o segundo encontro oficial da presente temporada, ante o terceiro classificado da Ligue 1 da época passada, que manteve a base do seu plantel, que principiou a planificação da temporada mais cedo do que nós e cujo treinador reconheceu a superioridade do FC Porto, deveríamos ter feito uma exibição de gala e que enquanto visitantes, deveríamos ter vencido por goleada...

queira ter a gentileza de desculpar o meu «imaginário».

Nuno Fonseca disse...

Se por um lado fiquei "rendido" à colocação de Quaresma no banco, mostrando liderança e personalidade, por outro lado não gostei nada do achincalhamento que foi feito pela comunicação social no fim do jogo sobre esta situação.
O Porto ganhou a dificil primeira mão e no entanto só se discutia a ausência do Quaresma e como algo negativo. Tentaram provocar lopetegui e quaresma nas entrevistas, estes responderam bem.
Apesar de achar que Quaresma deve estar no banco e que se calhar perde-se mais do que se ganha quando é titular, é um jogador do Porto e promover o achincalhamento incomoda-me. Tal como aconteceu quando este não foi ao mundial.

JON, eu prefiro futebol de VP e Lopetegui ao de PF. Mas é verdade que o futebol tem sido um pouco inconsequente. Isso não quer dizer que deve ser deitado tudo fora. a ideia é utilizando este modelo arranjar soluções para ganhar profundidade. Por isso é que defendo a presença de Herrera ou um jogador que transporte a bola e que desequilibre com uma cavalgada.

Para terminar, devo dizer que o me preocupa neste momento no Porto é concorrência em demasia. Ontem foi quaresma, amnhã é Tello, depois será Adrian a ficarem descontentes. Não vai ser fácil gerir isto.

Miguel Lourenço Pereira disse...

Jorge,
Naturalmente e um offtopic mas realmente, quando contratamos tantos jugadores para ficarem de fora, algo está mal. Seria optimo ter seis espanhois de grande qualidade que fossem titulares mas Marcano, Jose Angel, Adrián e André Fernández nao sao e por isso nao jogam o que bem exactamente Na linha do que defendo: porque vieram?

DC disse...

Duvido muito que o Andrés não seja titular brevemente. E Marcano não terá que fazer muito para ser. Essas 2 posições eram e não sei se ainda são, 2 posições onde o Porto está claramente frágil.

João disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
zzzzz disse...

Ás 08h20 escrevi que, especialmente na primeira-parte, ambas as equipas estavam principalmente preocupadas em manter equilíbrios, não arriscando muito nas acções ofensivas. Compreendo a opção táctica, dado à importância do jogo. Porém, os primeiros 45 minutos foram jogados a uma lentidão tremenda. Mesmo que a abordagem táctica tivesse sido a mais aconselhada, o jogo tornou-se aborrecido. Isto não é uma crítica, é uma constatação de factos! Acrescentei que o FC Porto controlou o jogo e foi superior ao adversário.

Quanto ao Ruben, expliquei que o problema não é o jogador, mas a necessidade de, na minha opinião, o FC Porto preencher essa posição com um jogador mais experiente e com mais intensidade.

Na minha intervenção fui suficientemente claro. Poderão discordar, mas só não compreende quem não quer.

Nightwish disse...

Apesar do meu comentário ter sido perdido algures nas tubagens da internet, faltava-me ainda congratular mais uma arbitragem digna da Champions, mas a isso já estamos habituados.

Joao Goncalves disse...

O Ruben não é um numero 6 clássico.. tanto 6 como o Casimiro o é...

Agora num meio campo onde pontificam Casimiro, Herrera, Brahimi, Óliver, Quintero, Evandro ou mesmo Carlos Eduardo ou Josué e chega o Rúben e ganha um lugar por direito próprio, mandando inclusive Quintero para a bancada, não consigo perceber o que está mal...

Isto é mesmo a portuga e ponto final... se é porque é, é porque é, senão é, é porque não é... enfim...

André disse...

Quando o Quaresma saiu para o Inter saiu a custo 0? A direcção que o vendeu não é mesma que o foi buscar de volta? Se porventura tivesse existido algum problema com a saída do Quaresma este voltaria?

A reacção pavloviana ao mínimo problema (desmentido pelo próprio) com o Quaresma é patética, como é patético ignorar todo o percurso deste jogador no FCP...se não o viste vai ao youtube.

Acho absolutamente ridículo ler adeptos portistas, que por vezes não passam de caixas de ressonância dos pasquins.
Os adeptos são "cegos"?? Devem ser vocês do alto da vossa sapiência que nos vão fazer ver a luz...
Vão bater palminhas ao Brahimi que é muito melhor

"Não façam filmes"

God79 disse...

Curioso o achincalhamento da massa associativa ao Quaresma, devem gostar daqueles jogadores que vão com a mantinha para o banco e esperar pelo fim do mês .
Ficou com azia? Ainda bem, trabalhará mais e melhor e voltará mais forte.
Se querem jogadores obedientes e bem comportados,mesmo que o talento seja pouco ou nenhum é só resgatar o Licá e o problema fica resolvido!
Estava muita gente com a faca afiada á espera disto!

João disse...

Há aí pessoal que ainda não digeriu muito bem o estratosférico flop que foi o seu Defour e agora toca a descarregar no concorrente para a posição a ver se cola. O Herrera pode não saber jogar em posse. O Defour não sabe jogar, ponto. Recambiado para a Bélgica, temos pena.

Miguel Lourenço Pereira disse...

DC,

Não tenho duvidas que o Andres seja titular. Tenho é que valha a pena. Idem para o Marcano.

DC disse...

Caixa de ressonância de pasquins mas recomenda-me que vá ao youtube para ver o que o Quaresma vale? ok...

Eu sei bem o que ele vale, já o vi muitas vezes no estádio. E sei bem o que ele deu ao Porto e o que deram outros que nunca afirmaram que queriam jogar no 5LB, que amavam o Sporting ou que queriam sair do Porto. Eu sei o que é gratidão e o que é oportunismo. O André sabe?

DC disse...

Olha o João. Será o mesmo João que vinha cá só arrasar o VP e desapareceu misteriosamente no tempo do PF? Pelo comentário brilhante parece. Ou então há algum problema sério com os Joões deste mundo.

Nelson disse...

Aguardo ansiosamente pelo dia em que o "DC" e o "JON" forem convidados pelo administração do blogue para contribuir regularmente com artigos de opinião.
São ambos, comprovadamente, dos mais lúcidos e perspicazes que por aqui escrevem e não raras vezes, apenas leio os artigos do blogue na esperança que eles tenham respondido...

Fica a dica.

Nelson Coutinho

Nelson disse...

Aguardo ansiosamente pelo dia em que o "DC" e o "JON" forem convidados pelo administração do blogue para contribuir regularmente com artigos de opinião.
São ambos, comprovadamente, dos mais lúcidos e perspicazes que por aqui escrevem e não raras vezes, apenas leio os artigos do blogue na esperança que eles tenham respondido...

Fica a dica.

Nelson Coutinho

JON disse...

O que é que o Herrera tem a ver com o Defour? É com cada uma...

Eu só gostava que alguém rebatesse isto: o Quaresma não pensa colectivamente. Pensa em brilhar. 19 em cada 20 vezes, por causa de pensar assim, o Quaresma toma a pior decisão, que vai contra o que é melhor para a equipa. Na restante vez, faz um cruzamento para golo ou um golo e consegue o que queria: brilhar.

Desafio quem quiser a rebater isto!

É que não é uma opinião pessoal, ou um predileção! São factos!

Nuno Fonseca disse...

Há a luta entre os portistas e os benfiquistas. Depois dentro dos portistas há os que apoiam um jogador e há outros que apoiam outro. Fazem-me lembrar o MST que quando o Varela marcava um golo, ficava pior que estragado.
Eu insisto, Herrera não tem tanta técnica de passe ou domíno de bola, mas é um jogador mais vertical e que agita o jogo com cavalgadas e tentando muitas vezes o remate. Também pode ir para o banco quando for preciso, mas não é de maneira nenhuma o que DC quer fazer dele. Ontem marcou um golo aparecendo bem na zona de finalização, antes que qualquer defesa e foi isso que acabou por decidir o jogo.

Paulo Costa disse...

Vê-se que há da sua parte um preconceito que faz que o Quaresma não tenha escapatória possível. Se o Quaresma arrisca e falha, é porque decide mal e é egoísta; se o Quaresma faz uma assistência ou marca um golo, é porque é egoísta e só quer brilhar. A partir daqui, a discussão está viciada e o Quaresma está condenado pelos "factos", em qualquer circustância.

Eu vejo um Quaresma que tem feito um esforço por ser mais jogador de equipa. Vejo-o a defender e a jogar simples mais vezes. Mas claro que o Quaresma gosta (e bem, porque tem talento para isso) de ser protagonista. Não é isso que o treinador tanto defende? Se quando o faz, toma a decisão mais correta, isso é muitas vezes subjetivo. Para já não falar no que é melhor para a equipa.

André disse...

Ignoro onde está a contradição entre acusa lo de caixa de ressonância e ir ao youtube ver alguns vídeos do Quaresma, mas "ok"...
O Quaresma já se afirmou como portista, a mim isso basta-me, provavelmente terá lido nos pasquins do costume o contrário...que bom para si. Repito, o FCP foi buscar o Quaresma, se tivesse abandonado o clube a mal acha que seria esse o caso? Eu confio na estrutura e no presidente, o DC confia?
Provavelmente acha normal que um portista insulte um jogador do Porto como fez com o Quaresma...eu não.

afna disse...

Destaco acima de tudo a linha orientadora bem definida por parte do Lope. Sabe o que quer, tem critério e não me parece que se deixe beliscar caso tenhamos alguns percalços nesta fase inicial. Temos líder! http://portosfera.wordpress.com

DC disse...

Eu não li nada em lado nenhum, eu vi o quaresma a dizer tudo isso que referi, vi-o a fazer birra numa pré época, etc...
E vi-o a dizer que amava o Sporting. Se ele diz que ama o Sporting isso a mim também me basta. O presidente já foi buscar muita gente. No ano passado por exemplo mandou um portista embora e foi buscar o Paulo Fonseca. Portanto não, não confio cegamente no presidente.

DC disse...

Eu apoio o porto e apoiar o porto é querer que jogadores banais não vistam a camisola. Usar o golo de ontem só pode ser desespero. Dizer que agita o jogo é correcto sim, mas agita com as perdas de bola dele que dão origem a contra ataques.
Ainda tenho que perceber o que fazem alguns jogadores para ter crédito ilimitado. É por ele ser feio que o pessoal tem pena dele?

DC disse...

Obrigado pela consideração Nelson mas o blog está servido de gente com muito mais qualidade que eu.

zzzzz disse...

Tuga ou não, a questão é simples: quem não quer entender, ou é incapaz de entender, o que se escreve, não entende. É o seu caso.

João disse...

Recambiado para o Anderlecht. Deu prejuízo, particularmente desportivo. Boa noite.

Luís Vieira disse...

Sempre a bater no ceguinho, até mete dó...

Luís Vieira disse...

A estatística enviesada usada contra o Quaresma, com vestes de "factualidade" inequívoca, não é nova. Tem barbas e já foi rebatida. Devolvo o desafio: que tal procurar nos arquivos do blogue o argumentário utilizado, em vez de trazer um assunto requentado à discussão? Só uma achega, que parece estar a escapar: o brilho individual, não raras vezes, acarreta o brilho colectivo. O próximo a sofrer com a síndrome do colectivismo é o Brahimi, os zunzuns já começaram a rolar. A malta arrepia-se com os tecnicistas, o Freud deve explicar isto.

Luís Vieira disse...

Bom jogo, boa exibição, bom resultado e boa vitória. O Porto europeu está de volta, foi bom assistir ao seu regresso depois de um hiato penoso. Para os mais distraídos, há que relembrar, em linha com o Lopetegui, que ainda estamos em Agosto.

DC disse...

Não, não e não. O Brahimi não tem NADA a ver com o Quaresma.
Aliás, só quem não percebe a diferença entre um e outro pode considerar o Quaresma um grande jogador.
O Lopetegui aparentemente percebeu-a rápido.

DC disse...

E vou continuar a bater enquanto o Porto tiver a jogar jogadores que entendo não serem minimamente úteis.
E, já agora, não fui eu que disse ao Lopetegui que o Quaresma não merecia ser titular, só para esclarecer.

Luís Vieira disse...

São ambos bons jogadores, dotados tecnicamente e que, por vezes, demoram a soltar a bola, sendo que o Quaresma já conquistou/mostrou mais do que o Brahimi (o que é natural, atendendo à idade). Só quem tem um ódio visceral ao Cigano não consegue reconhecer o óbvio. Naturalmente que são jogadores bastante diferentes, mas têm na paixão umbiguista pela bola uma semelhança evidente. Tanto assim é, que já comecei a ouvir o típico "solta a bola" endereçado ao argelino. O Lopetegui pô-los a jogar a ambos em 2 jogos. Qual é a diferença de percepção?

Luís Vieira disse...

Isso sei eu, porque se dependesse do DC, o Quaresma já estaria bem longe do Porto, como tem demonstrado fastidiosamente.