sexta-feira, 5 de setembro de 2014

Equipa titular

Dizia eu ontem que, se por um lado parece-me evidente que temos melhor plantel do que há um ano, já não é evidente que a equipa titular seja melhor (em princípio pior não deve ser; já se é ela-por-ela, um bocadinho melhor ou consideravelmente melhor... «the jury is out», a ver vamos, não tenho opinião formada).

Antes de mais relembro que uma coisa é o conjunto de 11 jogadores, outra coisa é uma equipa. Ou seja: relembro que o conjunto de jogadores da época passada era melhor do que parecia, devido a um trabalho deficiente do treinador.

Que existe qualidade em mais abundância e mais equilíbrio, lá isso existe. Mas pondo de lado a questão do treinador, convenhamos que só jogam 11 ao mesmo tempo e substituir jogadores como Fernando, Mangala ou Hélton não é fácil. 

Ora se eu digo que é difícil ter opinião, isso é devido não só à época mal ter começado mas acima de tudo porque  ainda é muito cedo para se saber sequer qual será a equipa-tipo deste ano. 

Aliás, acho q nem o próprio Lopetegui sabe qual será a sua equipa-tipo... caramba, ainda na 2a feira contratámos mais dois jogadores! Isto para além das mudanças que temos vistos nas últimas semanas, e o facto de que em algumas posições a diferença de valia entre jogadores é pequena.

De qualquer forma espero que Lopetegui se decida por uma equipa-base em breve. Sim, haverá possibilidade de fazer uma boa rotação do plantel (mais do que antes), mas precisamos de um 11 tipo que ganhe rotinas o mais rapidamente possível, carago...

Não gostava nada de ver uma repetição dos primeiros 3 meses de Co Adriaanse, em que todas as semanas tínhamos uma equipa titular diferente (e - ao contrário da maioria dos portistas, que parece pensar que o maior problema foi uma táctica suicida - nao tenho dúvidas que terá sido isso o principal factor para os maus resultados na LC dessa época, para além de outros secundários).

Diga-se já agora que estas contas de Lopetegui ficaram mais simplificadas a partir do momento que foi obrigado a deixar 5 jogadores de fora das inscrições na Liga dos Campeões (3 dos quais custaram bastantes milhões, por curiosidade), devido a termos muito poucos jogadores no plantel que foram formados no FCP ou até mesmo noutros clubes portugueses,

Esses 5 jogadores (Campaña, Otávio, Reyes, Opare e José Angel, e já não entro com Hélton nestas contas por razões óbvias) certamente irão ter muitos poucos minutos nos próximos 3 meses - inclusivé no campeonato -  por muito fenomenais que sejam nos treinos (e jogos utilizados). Isto porque Lopetegui irá certamente preferir dar ritmo e rotina aos jogadores que pode utilizar na LC.

Para terminar, relembro o óbvio: mesmo que eventualmente que o 11-tipo deste ano não seja mais forte do que o da época passada, podemos ficar na mesma com uma equipa mais competitiva, desde que o treinador faça melhor trabalho que o anterior (o que não deve ser difícil) - para além de estarmos mais imunes a um impacto negativo de lesões e castigos.

E já agora, não me parece de todo que os nossos rivais internos estejam mais fortes do que na época passada, bem pelo contrário.

16 comentários:

Joao Goncalves disse...

"3 dos quais custaram bastantes milhões, por curiosidade"

Quais 3? Tirando o Reyes, nenhum outro custou nada...

Campanã emprestado, Otávio foi tão caro que nem à CMVM foi anunciado falando-se nas redes portistas em 2M por 30% do passe, Ángel sem custo, Opare livre, portanto que 3 é que custaram muitos Milhões?

Depois 11-tipo, está mais que definido... Fabiano, Danilo, Alex Sandro, Maicon, Indi, Oliver, Ruben Neves, Casimiro, Herrera, Brahimi, Jackson.

Este é o 11 para defrontar os adversários mais fortes na CL, com 2 médios interiores nas alas a dar mais força ao meio-campo e mais toque e posse, correndo menos riscos.

Para as competições internas a rotatividade será a palavra de ordem.

José Rodrigues disse...

Largos dias têm 100 anos...

Eu nao estou minimamente certo q vá ser esse o 11 tipo. Alias, acho por exemplo provável q o Ruben Neves saia dessa lista nas próximas semanas, mais cedo ou mais tarde (e também outros poderão sair).

Joao Goncalves disse...

Estás a pensar na questão de um Tello poder passar a ser titular e de um Herrera poder perder a titularidade juntamente com o Ruben.

Pois bem... isso não vai acontecer, nem que seja pela lista que seguiu para a CL e tudo.

A defesa está mais que estável e apenas o Fabiano está na corda bamba.

Ruben e Casimiro são os 6's disponíveis e só perderam a titularidade (1 deles) se Lopetegui quiser passar Brahimi ou Óliver para o meio e apenas um deles e isso irá acontecer em jogos mais fáceis, como contra o BATE por exemplo.

Nas alas, e se o adversário se chamar BATE, mete-se alas a sério, se o adversário se chamar Bilbau, Shaktar ou benfica mete-se alas interiores e fecha-se a Porta.

Herrera por seu turno é titular e o único jogador que faz o que ele faz, dando estabilidade à defesa e capacidade de transporte de bola e comer metros no ataque... existem muitos Portistas que gostam de atacar o Herrera pois devem pensar que todos os jogadores jogam de bola no pé a fazer fintinhas e com passes de 30 metros no pé mas viu-se bem a falta que o Herrera fez contra o Moreirense.

Portanto e nem que seja pela lista da UEFA, não existe muito por onde fugir a este 11 e o Rúben, cada vez mais vai ganhar preponderância do 11 inicial pois jogadores com a visão e capacidade de passe que ele tem só temos mais um e chama-se Óliver e ninguém questiona este menino.

pancas disse...

Tenho de comentar sobre varios pontos feitos nos comentarios acima:

- Onze titular - Ja nao estamos nos tempos em que havia 30 jogos por epoca, pouca ou nenhuma competicao interna e que na Europa so os tubaroes nos ganhavam. Temos que nos aperceber da realidade que temos 2 outros candidatos ao titulo internamente, mais de 50 jogos em perspectiva, equipas como Estoril, Guimaraes, Rio Ave que dao luta e muitas equipas "medianas" europeias que jogam muito e tem muito dinheiro. Isto tudo para dizer que o tempo de ter um onze titular que dura a epoca toda acabou... acho muito bem que se esteja a implantar um sistema de rotatividade com 15-19 jogadores.
Preciso de lembrar como o SLB promoveu rotatividade o ano passado porque tinham um plantel de qualidade e um treinador competente e com isso chegaram aonde chegaram?

- Lista da LC - tambem nao percebi o comentario dos milhoes gastos em 3 jogadores... Reyes (precisa de ganhar muita confianca, porque bom jogador ele e), Otavio (brinca na areia brasileiro que precisa de aprender como se joga na europa) e Helton??? sao os unicos que custaram dinheiro...

Rivais internos - o SLB esta mais fraco no sentido em que tem menos banco, mas o 11 titular continua a ser mais forte do que todas as equipas nao-grandes da liga, por isso nao os podemos tirar do pensamento so assim... tornar-se-ao muito perigosos se forem corridos depressa da europa e das tacas por exemplo.
O SCP, no meu entender, ate esta mais forte, porque tem mais banco e tem um treinador mais competente.

Finalmente, Herrera. @Joao Goncalves, explica-me la como e que ele da estabilidade a defesa? E que o que eu vejo e uma barata tonta que corre o tempo todo (se calhar era bom para a seccao de atletismo) sem perceber o posicionamento da bola ou dos companheiros e (mais importante) nao e capaz de fazer uma recepcao de bola ou 2 passes seguidos em condicoes. E eu nao estou a falar de passes de rutura, ultimos passes na grande area como o Brahimi, o Oliver ou o Jackson tentam e as vezes falham... estou a falar de passes de 5-10 metros no circulo central que provocam desiquilibrios e contra-ataques perigosos...
A pior coisa para o modelo de jogo que estamos a implementar e um jogador que perde a bola sem sentido. O velho lema "enquanto a bola estiver em nossa posse, o adversario nao pode marcar". E por isso que, durante o inverno, o Herrera devia se ir sentar no banco e partilhar um cobertor com o Quaresma. Podiam partilhar um livro "como manter a posse de bola ate ter uma oportunidade com 80% de hipotese de concretizacao".

PS: O Brahimi leu o livro, foi por isso que ele centrou para o primeiro golo contra o Moreirense quando estavam 6 jogadores do Porto na area contra 4 defesas e nao como o Quaresma normalmente faz quando estao 2 avancados contra 5 defesas

Joao Goncalves disse...

Fácil... basta olhares para um jogo com olhos de ver.

Herrera é o melhor jogador posicional do meio-campo... lê o jogo defensivo e ofensivo como nenhum outro jogador e hás-de reparar que quando Herrera está em campo, quem é que está mais perto do Jackson e logo de seguida quem está a fechar o flanco.

Herrera é um enormíssimo jogador e tem de ser visto com o que pode dar à equipa e não como um Brahimi ou um Óliver que tem tudo melhor que Herrera excepto o seu sentido posicional e transporte que um equilibra a equipa e outro estica o jogo quando estamos encolhidos ou precisamos de um "safamão".

Sim Herrera erra imenso na recepção de bola, mas a teoria de passar mal é completamente falso... ele falha nos timings dos passes o que o leva a muitas vezes passar pressionado e a errar passes "fáceis" mas essa não é a função estratégica de Herrera em campo.

E basta dizer que de certeza que não percebes (nem eu) mais de Futebol que o Lopetegui e o Herrera é imprescindivel para ele.

Se Herrera corrigi-se tudo isso que refilas, já ca não estava.

Joao Goncalves disse...

Em relação ao Brahimi essa afirmação é completamente absurda... Brahimi estava a jogar no centro do terreno e a jogada foi um ataque apoiado com uma rutura no interior da área... Quaresma joga numa posição de ala avançado em que quando recebe a bola com espaço e se é para aproveitar o 1vs1 e cruzar para apanhar a defesa a recolocar-se, não pode esperar que todos se metam na área.

Se vais criticar o Quaresma por isso, então tens de criticar o Danilo, Tello, Alex Sandro, Ádrian, pois são jogadores de jogadas em corredor com cruzamento para a àrea em que no máximo estarão 3 jogadores nossos PL; Ala contrário; e médio de suporte a chegar.

Caso contrário não é uma jogada de corredor com ou sem apoio do lateral, mas sim uma jogada de meio campo que vai às laterais... diferentes momentos de jogo não culpa do jogador A ou B.

pancas disse...

Joao,

Quanto ao Herrera, vamos ter de "agree to disagree" - obviamente estamos a ter leituras de jogo diferentes. Acho que imprescindivel para Lopetegui sao Jackson e Oliver e nao Herrera, e falei em passes errados baseado em factos (estatisticas de jogo) nao em simples opinioes. Sei que ele falhou 18 passes num dos jogos e 23 noutro e acho isso inaceitavel ate numa equipa B.

Quanto a quaresma, brahimi et al, acho que pegaste no exemplo que eu dei e deste-lhe protagonismo em vez de falar no principio que eu referi... So apostar numa oportunidade se ela for de alta % de concretizacao!
Ai e que eu queria referir que foi a diferenca do que o Brahimi fez em relacao ao que o Quaresma normalmente faz. E nao tem nada a ver com a posicao... No segundo golo contra o Maritimo e no terceiro golo contra o Moreirense, tanto o Tello como o Quintero estavam a jogar na posicao do quaresma e tomaram a decisao mais correcta, ou seja, as vezes um passe atrasado, as vezes virar para a zona interior e as vezes um passe em profundidade para a desmarcacao... Sempre a aumentar a probabilidade da jogada resultar em golo, mas sem que seja necessariamente com gloria pessoal. O quaresma, na situacao do Tello teria centrado de primeira ou, se tivesse cortado para o meio, provavelmente teria tentado o seu centesimo remate de trivela, dos quais talvez 3 resultem em golo...

Quando se joga em posse com variacoes constantes de flanco, nao ha ca jogadas de corredor e jogadas de meio... ha jogadas por onde o adversario se encontra desiquilibrado e deve entrar por ai o avancado, o medio ou o lateral... todos tem de perceber o jogo, nao so uma posicao.
Ja agora, o Quaresma decidiu bem em passar para o Brahimi na tal jogada do golo. Foi uma boa decisao. O meu problema com ele e que em 10 ele so decide bem 2 ou 3...

Ricardo Fonseca disse...

Acho que continua a faltar nos um patrão no meio campo e Herrera para mim, nos é jogador para o FCP.
Acho que apesar disso esta equipa parece,ao contrario do que esperava, apostar em ganhar o campeonato , ganhando os jogos "obrigatórios"...e para isso não precisamos de um super 11. Precisamos é de um plantel capaz e que se entregue jogo a jogo

Joao Goncalves disse...

Vamos lá ver... Quaresma não é um médio centro Brahimi é... se Brahimi jogar como ala na ala vai ter uma percentagem de sucesso nos cruzamentos muito mais reduzida pois essa é a tarefa de um ala.

Tello, Ádrian, Alex Sandro e Danilo apresentam exactamente os mesmo problemas estatísticos do Quaresma, pois eles fazem CRUZAMENTOS para a área e não PASSES que é o que o Brahimi faz.

Quando Quaresma ou Tello derivam para o interior, eles fazem sempre o mesmo e isso é por sempre tecnicamente extremamente dotados... ou procuram o passe interior para tabela ou desmarcação directa ou arriscam no remate.

Quando estás a falar do Quaresma, parece que não estás a falar desde Quaresma, pois um jogador que em 24J marca 9 Golos e faz 11 Assistências, numa equipa que não jogava a ponta de um corno, deve ser outro jogador certamente.

Depois quando se joga em posse com variações de flanco existe sim senhor jogadas de corredor, senão para quê as variações de flanco?

Varia-se o flanco para o extremo receber e o lateral passar-lhe nas costas em velocidade para a defesa não ter tempo de reagir e suceder-se o cruzamento ou jogada interior em velocidade e o Porto faz esta jogada variadíssimas vezes... não as faz sempre claro, que as defesas também cortam esta possibilidade daí ir-se para o jogo interior quando as defesas descaem para o flanco para fecharem essa zona do terreno.

Chama-se a isto dinâmicas do fluxo de jogo e estás a misturar as coisas, pois um futebol de posse é um futebol de posse que está ligado a estas e a outras diversas dinâmicas (como por exemplo é a do passe longo para um extremo aberto, para que o adversário se encolha no terreno e passar assim a pressão alta, que Lopetegui também usa muito).

Em relação aos passes e para se desmistificar de uma vez por todas, no jogo de Lille Herrera teve 70% de passes certos... Jackson 62%, Brahimi 71%, Danilo 75%.

No Jogo do Dragão, Herrera teve 69%, Jackson 55%, Oliver 70%, Brahimi 79%.

Herrera em Lille foi o jogador com mais passes atrás de Indi e com mais que Torres e Brahimi juntos.

Herrera no Dragão foi novamente o jogador com mais passes atrás de Indi.

Só não vê a importância de Herrera na equipa quem anda com embirração., como é óbvio.

Joao Goncalves disse...

Herrera ainda é jogador para o Porto... daqui a 1 ano ou 2 já não é nisso tens razão.

Herrera nunca será o patrão do meio-campo, pois ele é um operário e não um criativo... para patrão tens lá o Óliver ou o Brahimi.

Herrera é fundamental nos equilíbrios tácticos que a equipa necessita quando joga tanto à frente... desempenha as mesmas funções que o JM mas com características completamente diferentes e vocês querem que o Homem seja um clone "à força" do JM.

meirelesportuense disse...

Não vou falar muito do Herrera porque não quero ser injusto para um jogador, que sempre me pareceu um profissional com letra grande.
O que é verdade é que com ele o meio-campo ganha autoridade ou força e corpo.
E no resto, como diria o Rodolfo, "ele que nem sabe caminhar à jogador"...
E não sendo justo que falemos assim de uma pessoa que é esforçada, que luta, que é generoso, que me parece um ser humano de grande qualidade e dimensão, o melhor a fazer é apoiar e dar-lhe ânimo...

Pyrokokus disse...

Relativamente ao Herrera, na minha sincera opinião considero que deve ser titular. No jogo com o Moreirense perdemos a luta na zona central porque só tinhamos o Casemiro com condições de lutar pela posse de bola. O Brahimi e o Oliver não têm caracteristicas de lutar pela posse a meio campo. São criativos, organizadores, mas precisam de alguém a trabalhar na recuperação. Não estou a dizer que eles não trabalham, simplesmente acho que não são as caracteristicas deles.

Luís Vieira disse...

Herrera e Quaresma, duas "pancas" costumeiras da blogosfera portista, muito bem desmitificadas pelo João Gonçalves. Excelente.

pancas disse...

Pois, eu realmente costumo vir para a Bluegosfera e desfilo muitas "pancas" e realmente encontro sempre muita opiniao contraria e que eu era um reles portista...
So para relembrar as minhas "pancas" passadas:

- Disse que AVB nao era um treinador brilhante e que devia muito ao seu adjunto (a meio do campeonato de AVB)
- Disse que Vitor Pereira iria dar cabo das equipas de Jorge Jesus apesar de nao ter banco e cada vez ter planteis mais fracos em comparacao com o 5LB
- Disse que PdC cometia um grande erro em nao defender mais veemente Vitor Pereira e oferecer renovacao de contrato mais cedo
- Em Outubro de 2013 disse que Paulo Fonseca e Lica eram as piores amostras de qualidade que eu ja tinha visto chegar ao FCP (apesar de serem boas pessoas, estou a falar so em termos futebolisticos) e previ um ano terrivel se nao se cortasse o mal pela raiz logo ai
- Finalmente, durante esta pre-epoca, disse, a seguir ao jogo com o Genk, que o Sami era outro Lica e fui bombardeado por comentarios de grandes conhecedores do jogo que garantiram que ele era realmente o nosso novo goleador e melhor jogador!!!

Realmente, eu so tenho "pancas"...

pancas disse...

E relativamente as estatisticas de passe do Herrera, so te esqueceste de dizer que nos jogos com o Lille houve respectivamente 11 e 12 jogadores do Porto com melhores % de passes completos do que o Herrera e que os outros jogadores de meio campo exibem entre 8% e 16% melhor que ele nessa estatistica.
Mas nao. Continua a pensar que o que importa num jogador como diz aqui em baixo o meirelesportuense e que ele seja esforcado, que lute, que seja um bom ser humano de grande qualidade e dimensao!!! eu ate pensava que ele estava a falar do Lica que eu acho que obedece em grande a esses criterios todos e corre ate mais que o Herrera!!!

Luís Vieira disse...

A referência ao termo era global, não há necessidade de pessoalizar. Um trocadilho bem humorado, sem querer ofender. Mantendo a toada humorística, o Porto tem perdido um excelente consultor, qual arauto da desgraça, que tudo prevê e que em tudo acerta (?).