quarta-feira, 17 de setembro de 2014

FC Porto BATE no Borisov


O título é pouco original e, por isso, pensei noutras possibilidades:
"Muda aos 3 e acaba aos 6"
"Dragão esturrica bielorrussos"
"Show de bola na montra dos milhões"
"Sem o Baptista e o Rufo é mais fácil"

Acabou por ficar "FC Porto BATE no Borisov" mas, para começo de conversa, digo já que esta equipa bielorrussa é bem melhor do que aquilo que aparentou hoje e estou convencido que o vai provar nos restantes 5 jogos desta fase de grupos.

No arranque da 19ª presença do FC Porto na fase de grupos da Liga dos Campeões; no 200º jogo do FC Porto na Taça/Liga dos Campeões; os dragões brindaram as 35108 pessoas que se deslocaram ao Estádio do Dragão com 6 golos (mais duas bolas aos postes) e uma exibição de gala.

Seis golos num só jogo da Liga dos Campeões é recorde para o FC Porto e são mais do que o total de golos (4) que o FC Porto de Paulo Fonseca marcou nos seis jogos da Liga dos Campeões 2013/2014 (sim, eu sei, o BATE Borisov é fraquíssimo, bons eram o Austria Viena, o Artmedia Bratislava, entre outras equipas do pote 4 que defrontamos nos últimos anos).

Houve duas inovações no jogo de hoje, relativamente aquilo que temos visto nos jogos anteriores:

- um meio-campo com dois jogadores - Casemiro e Herrera - sem se saber qual deles jogava na posição 6 (foi frequente ver Herrera a vir atrás buscar a bola e estar posicionado numa linha mais recuada que Casemiro);

- Adrián López a jogar, não encostado à linha, mas com grande mobilidade, muitas vezes perto de Jackson, numa frente de ataque que também incluía Brahimi (a maior parte das vezes do lado esquerdo) e Quaresma (do lado direito).

Numa muito boa exibição global, destaco duas exibições individuais:

Maicon - Está na sua melhor forma de sempre e, nesta altura, é "só" o melhor defesa-central a jogar em Portugal (ao intervalo, um amigo, meio a brincar, meio a sério, disse-me que o íamos vender ao Real Madrid por 30 milhões, para substituir o Pepe...)

Danilo - De jogo para jogo, justifica, cada vez mais, a chamada de Dunga à seleção brasileira. Se continuar assim, a SAD ainda vai recuperar os quase 18 milhões de euros que investiu na sua contratação

E o Brahimi, não merece um destaque?
Não. Não tenho palavras para falar do Brahimi. Digo apenas que mal vi o seu número na placa de substituições, me levantei e só parei de bater palmas quando o "mago argelino" se sentou no banco de suplentes.

58 comentários:

João disse...

Se é, disfarçam bem. Pareciam amadores. Aliás acho que o Porto não fez um jogo por aí além com vários passes desconexos, erros primários na defesa e várias unidades em dia não - assim de repente se esmiuçarmos a exibição de Casemiro, Herrera e principalmente Quaresma e Adrian ao pormenor, o panorama não é bonito. Dos bielorussos, três lançamentos de linha lateral em que o receptor devolve a bola à bancada e 3, talvez uns 5 minutos de futebol profissional ao cair do pano é a imagem que fica, quando não foi propriamente pela falta de brindes defensivos que não tiveram oportunidade de pelo menos rematar uma 2a vez à baliza para a estatística.

Presa muito fácil. Bom resultado no outro jogo do grupo e grande Zahovic Filho.

Z disse...

Wow... Se jogamos um jogo de paciência permitindo praticamente zero oportunidades de golo aos adversários (alguns jogos anteriores), mas não deslumbramos ofensivamente, não serve. Se o treinador comete a loucura de surpreender com um desenho táctico diferente - se calhar o homem vou vídeos destes gajos e percebeu que eram fracos - e espetamos 6 batatas, também não serve. Fica complicado... Não passamos a ser os melhores do
Mundo, obviamente, mas e que tal acreditar que o desacerto total
Do BATE tem algum (só algum) mérito
Nosso? Se eles deram brindes e nós aproveitamos vamos só dizer que não foi por mérito nosso. Maior goleada de sempre na champions mas, como os outros eram fracos de mais, não conta. Jogamos pouco... Bom bom era o mister palminhas do ano passado... Haja paciência!!

miguel.ca disse...

Mas isso é uma verdade indesmentível... Há sempre alguém do contra.... Seeeeempre.

José Pedro Fernandes disse...

Aqui vao umas notas de menor destaque porque estou 99% de acordo com a cronica deste jogo :).

(+) Esta é a posicao do Herrera, a 8, um 'carregador de pianos' tem que ter esta responsabilidade de ocupar espacos a frente e atras, ganhar bolas e impor um jogo fisico quando tem de ser. Se variar melhor o flanco, diria que vai ser dificil roubarem-lhe o lugar.

(+) Adrian lopes a 10 foi uma supresa e apesar do pouco impacto ate ao golo, pareceu-me um jogo muito positivo. Depois de rever boa parte do jogo é facil reparar que o homem esta os 90 min concentrado no espaco que ocupa e defende muito para um avancado.

(+) Este foi para mim o melhor que podemos esperar do Quaresma. Numa noite claramente sem inspiracao tirou 2-3 bons cruzamentos, contribuiu em muitos lances ofensivos positivamente e defendeu equilibradamente, sem correrias parvas e concentrado o jogo quase todo. Se nao fossem os 2 lances em que veio atras e demorou a soltar e teria achado que alguem que nao o Quaresma andou em campo com a camisola dele.

(+) O nosso camarones nao é um As da tecnica mas é matador. Como ja se tinha visto na selecao, o homem nao vai driblar 2 defesas e fazer um chapeu ao guarda redes mas segura bem a bola de costas e nao falha na hora da verdade. Quando os jogos estiverem emperrados e entrar a 20 min do fim, acredito que vai dar pontos.

(+) Que saudades do Alex Sandro de hoje. Como tudo muda daquele lado esquerdo.

(+) Incrivel como o Indi passa 90 min sem inventar 1 vez. O homem corre 0 riscos, o que é bom para a posicao e considerando que se esta a ambientar e é novo. Acredito que o Maicon tambem estar tao concentrado e decisivo esteja a ajudar.

Brahimi, Jackson, Maicon ..... acho que nao ha nada a dizer, simplesmente brilhantes.

Mais uma noite memoravel, que seja a primeira de muitas este ano.

José Rodrigues disse...

Nao me parece q o Guimarães seja mais forte do BATE (q duvido q seja uma pêra doce na Bielorrussia).

O q fez a grande diferença nos dois jogos foi a atitude dos jogadores e ACIMA DE TUDO do treinador (para alem do gamanço).

Contra o BATE pôs a carne toda no assador e nao tirou o pé do acelerador, enquanto em Guimarães teve demasiado respeito pelo adversário (equipa inicial, disposição dos jogadores e msg para dentro de campo durante o jogo).

Tivéssemos tido a mesma atitude em Guimarães e tínhamos ganho, mesmo com gamanço.

DC disse...

Foi uma inovação táctica que correu muito bem mas que espero não seja muito utilizada. Não me parece que este meio-campo seja suficiente para outros adversários. Principalmente com o rapaz do costume incapaz de saber o que fazer quando tem a bola nos pés. E com muito pouca opção pelo jogo interior já que não me parece que o posicionamento do Adrian compense a falta dum médio.

De resto, temos o melhor jogador do campeonato e temos um leque de soluções incrível. O Tello sempre que entra faz uma assistência. Salvo erro são 3 assistências vindo do banco e ainda mal começamos a época.
O Aboubakar é um monstro, mas monstro mesmo que o Jackson é alto e forte mas o Aboubakar parece ter o dobro do tamanho e do peso.
O Evandro apesar dum erro grave num passe também, para mim, merece ser titular, pelo menos enquanto não houver Oliver.
O Quaresma está melhor qualquer coisa apesar de continuar estupidamente a procurar sempre a linha mesmo quando, por vezes, tem o meio completamente escancarado. Mas pelo menos desta vez só com o resultado feito é que brincou um bocado.
A defesa esteve bem no geral e realmente o Maicon está muito bem e muito confiante.
Isto aliado ao resultado do outro jogo dá muito boas perspectivas. Essencialmente é vencer os 3 jogos em casa e as coisas ficarão resolvidas.

Joao Goncalves disse...

Lopetegui começou a ganhar o jogo ao BATE no balneário antes do jogo e começou a perder os pontos com o Guimarães antes do jogo também, pela equipa e táctica usada para o jogo óbviamente.

Com o Guimarães tratou de corrigir aos 50m com a entrada de Evandro mas deu 50m de avanço ao adversário o que atribui ao erro de Lopetegui de pensar que o Guimarães ia querer disputar e tentar ganhar o jogo.

Com o BATE, analisou bem a postura com que eles se iam apresentar em campo e meteu o jocker Adrian, que deu cabo das marcações defensivas e posicionais do BATE, que nunca estavam seguros se podiam sair a pressionar ou se iam atrás do Adrian cobrir o espaço de entrada deste.

Adrian técnicamente jogou muito pouco mas tácticamente foi um trunfo importantissimo.

Joao Goncalves disse...

A Aboubakar assusta mesmo... o Jackson ao pé dele parecia um menino de liceu... que granda monstro!

José Correia disse...

"A Aboubakar assusta mesmo... o Jackson ao pé dele..."

João, o Aboubakar nunca esteve ao lado do Jackson, precisamente porque substituiu o Jackson aos 64 minutos... :)

José Correia disse...

"Com o Guimarães tratou de corrigir aos 50m com a entrada de Evandro mas deu 50m de avanço ao adversário..."

Eu não queria estar sempre a repetir o mesmo mas, no jogo de Guimarães, bastava que o árbitro Paulo Baptista tivesse cumprido com as regras/leis ao minuto 31, assinalando penalty sobre Brahimi e expulsando o defesa do Vitória e, não tenho qualquer dúvida, o desenrolar e resultado final do jogo teriam sido muito diferentes.
Este lance, repito, ocorreu ao minuto 31!

Qualquer análise ao jogo de Guimarães não pode ser dissociada e muito menos ignorar a interferência brutal que a arbitragem teve no jogo.

José Correia disse...

"... Depois de rever boa parte do jogo é facil reparar que o homem esta os 90 min concentrado no espaco que ocupa e defende muito para um avancado"

O Adrián López joga MUITO sem bola mas, admito, que isso seja pouco visível para quem apenas vê os jogos na televisão.

.:GM:. disse...

José Correia, deu para ver a diferença no físico de ambos precisamente na altura da substituição em que se cumprimentaram. O Aboubakar não será muito mais alto que o Jackson, mas em termos de largura, é claramente muito mais forte.

JON disse...

O herrera fez os disparates do costume. É ver o mau passe para o brahimi no lance do segundo golo. Mil vezes o Evandro.
O Casemiro não me convence. Muito para evoluir em termos de posicionamento...
Do Quaresma não falo.
Danilo em grande.
O Adrian é excelente jogador, mas nunca vai ser ídolo...

RCBC disse...

Foi obviamente uma exibição de grande nível coroada com a maior goleada de sempre obtida na Champions League com o atual formato.

Quanto à fraqueza do adversário… Sim, era um adversário fraco… Um adversário tão miserável quanto o Áustria Viena que não conseguimos bater no ano passado, quanto o Apoel de Nicósia que não conseguimos bater há 3 anos, quanto o Artmedia Bratislava com que perdemos em casa na época de Adriaanse…

Vencer alguém por 6/0 na Champions League exige obviamente uma atitude séria do início ao fim do jogo e um nível competitivo forte, sem falhas durante o jogo. E o FC Porto teve isso tudo, do início ao fim do jogo.

As últimas más participações do FC Porto nesta competição tiveram quase sempre como denominador comum um mau resultado caseiro com a equipa do pote 4, desta vez felizmente, cumprimos a obrigação e de modo brilhante.

Coletivamente a equipa esteve excelente! Individualmente, vários jogadores se destacaram: Brahimi é um craque e uma grande contratação (onde estão os que malham sempre na SAD aquando de uma contratação menos feliz?!); Maicon e Indi até agora (já lá vão 7 jogos oficiais) ainda não demonstraram as paragens cerebrais que no ano passado jogo sim, jogo sim senhor, ocorriam; Jackson continua igual a si próprio; Tello vai ser um caso sério no FC Porto, a par de Brahimi o jogador com mais potencial para se tornar jogador de dimensão mundial (Jackson já o é).

PS: Ainda relativamente à miserabilidade do adversário, que obviamente era uma equipa fraca mas não o adversário de 3º escalão nacional que muitos fizeram crer… O Nacional, que está entre o lote de 5/6 melhores equipas da Liga portuguesa, sendo que habitualmente se apura para a Liga Europa, perdeu no playoff de acesso à Liga Europa por 5/2 com o Dinamo Minsk, que por acaso ficou em 2º na Liga Bielorussa… Daí percebermos que a miserabilidade do Bate foi obviamente exponenciada pela grande exibição do FC Porto… Para alguns “cães rafeirinhos”, o mais importante será sempre relevar sim a fraqueza do BATE e não o excelente do Dragão.

José Correia disse...

"...deu para ver a diferença no físico de ambos precisamente na altura da substituição em que se cumprimentaram"

Sim, eu sei. Estava a brincar com o João Gonçalves (ele não me leva a mal).

Antonio Silva disse...

Z, eu não concordo nada com o João mas daí até dizeres que ele prefere o Paulo Fonseca vai uma grande distância.

José Correia disse...

No estádio, pareceu-me que ficou um penalty por assinalar, numa falta (agarrão) sobre Jackson. Contudo, nos vários resumos que vi, em nenhum deles surge esse lance.

António Teixeira disse...

DC,

Dar-te os parabéns pela análise, concordo com quase tudo, mas sublinhar que o sistema foi estratégico claramente, e este treinador é muito estratégico, ainda que sob os princípios de jogo que já se conhecem. Isso é sempre bom :).

Salutar-te também pela coragem de dizer as coisas como elas são e de desmistificar algumas coisas que são ditas por ai. Eu também já tentei... Agora não posso ver as discussões, mas pronto, não queria deixar de te louvar a coragem.

Cumps

José Correia disse...

"Ainda relativamente à miserabilidade do adversário, que obviamente era uma equipa fraca mas não o adversário de 3º escalão nacional que muitos fizeram crer… "

Caro RCBC, conforme referi no texto deste artigo e, também, já referi noutros artigos que publiquei neste blogue, qualquer adversário europeu que o FC Porto vença, ou é fraquíssimo, ou está a atravessar um mau momento.

E nem é preciso puxar muito pela memória. Basta recordarmos o que muitos disseram do Lille, 3º classificado do último campeonato francês e que, nesta época, após as primeiras 5 jornadas, é "apenas" líder isolado.

António Teixeira disse...

Já agora repara que o Indi já vai tentando umas coisinhas... Nem de perto nem de longe o quanto deve, mas já tenta... A ver como evolui nisso.

Que o Brahimi é de muito mas muito longe o melhor jogador aqui, só um cego é que o poderia negar.

RCBC disse...

Caro José Correia,

O Lille foi a "pior equipa europeia" que o FC Porto defrontou nos últimos anos... Só superada agora pelo BATE...

Já o Setúbal é um grande adversário... Sem dúvida!

DC disse...

Sim, o Indi, pelo menos contra o Vitória, teve alguns passes muito bons de elevada dificuldade. Está a demorar o seu tempo mas está a evoluir. Bem melhor do que o Jardel ou o Maurício, por exemplo. Para o campeonato português é acima da média.

Quanto à estratégia, agrada-me ter um treinador que se saiba adaptar às circunstâncias mas tenho ainda bastantes reticências sobre o nosso meio-campo. Acho que Casemiro, Ruben e Herrera nunca irá funcionar muito bem e que Evandro devia jogar. Aliás, para mim seria Casemiro, Evandro e Oliver no meio-campo. Parece-me fulcral estabilizar esse sector para os jogos mais exigentes.

Tiago Silva disse...

Como já disseram noutra (nossa) casa, o Porto jogou ontem em 4-4-2 com duplo pivot a defender e 4-2-4 a atacar. Lopetegui estudou bem o adversário pois este sistema revelou-se o mais adequado para este adversário (frágil). No entanto, e tal como disse o DC, estou em crer que na Champions dificilmente voltaremos a jogar com este sistema de jogo pois Casemiro e outro médio não permitem a estabilidade e o equilíbrio defensivo que a equipa necessita contra equipas mais fortes. Continuo a ver dificuldades na primeira fase de construção quando a equipa adversária nos pressiona. Aspecto que estou certo Lopetegui estará a trabalhar. A presença de Adrian no onze não permitiu, ainda assim, que construíssemos e criássemos muito jogo dentro do bloco adversário. É o aspecto onde acho que mais podemos e devemos evoluir: jogo interior. Gosto da forma como o Porto procura, através de lateralizações, apanhar o adversário desposicionado mas gostava de ver mais jogo interior. Gostava de ver os extremos a virem mais dentro quando a bola está do lado oposto e a não ficarem sempre amarrados à linha, como vejo e ainda ontem vi. No fundo, o que eu defendo que deveria ser a evolução do modelo de Lopetegui corresponde ao que li há uns dias num blogue (que o António e o DC conhecem bem:P): "A bola está dentro, vai fora para voltar pra dentro. E aí, apanhando a defesa no movimento contrário ao da profundidade dá para ultrapassar organizações, com muitos jogadores a defender um pequeno espaço; procura constante do corredor central para definir o lance, vários apoios próximos, adaptação das linhas de passe as dificuldades do portador da bola, busca da profundidade no último terço para contrastar com movimentos de aproximação e permitir soluções diferentes ao portador da bola". Quanto ao demais, Brahimi, como já havia aqui referido faz algum tempo, é de nível mundial. Tal como escreve o L´Equipe, estou também em crer que se tratará das melhores, senão a melhor, contratações do defeso na Europa. Este Brahimi tem lugar em qualquer equipa do Mundo (talvez com excepção do Real Madrid devido a Bale ser mais forte em transições e o RM jogar preferencialmente desse modo). É impressionante a sua qualidade. Maicon, tirando o desposicionamento que deu origem à melhor ocasião da equipa adversária, está um senhor jogador (com isto está-me a obrigar a meter a viola ao saco, o que digo com apreço e satisfação). Jackson sempre top. Danilo igual. Só vejo ali um jogador que, não obstante a sua boa vontade, continua a retirar mais do que acrescenta. É continuar a melhorar. Não fosse um incompetente de pau na mão e este estaria a ser um início de época perfeito.

Joao Goncalves disse...

Não senhor José Correia

Sim temos que analisar a interferência do árbitro mas, se queres ir por aì, antes disso houve 30 minutos de aberração táctica completa e que se perlongou por mais 20m até que Lopetegui percebeu em definitivo, como funciona o futebol português.

Lopetegui olhou para o Guimarães e montou uma equipa de reacção à perda de bola e com consolidação posiocional no terreno, onde a diferença seria marcada por dois alas falsos a entrarem no espaço entre linhas do Vitória.

Ora, como o Vitória não quis ganhar o jogo, então perdeu-se 50m de jogo... Pode ser que agora o Lopetegui se tenha apercebido que só nas visitas a Lisboa, irá ter equipas que vão tentar ganhar o jogo.

Lopetegui abordou o jogo de Guimarães com as cautelas de ir jogar contra uma equipa que estava em 1º mas como o resto das equipas portuguesas, o Vitória não quer ganhar os jogos contra o Porto.

Eu não me meto a olhar para jogos com aquilo que poderia ser ou não ser, avalio sim aquilo que pode ser avaliado e isso foi claro que Lopetegui errou em Guimarães e esteve brilhante ontem

Joao Goncalves disse...

Nada disso José Correia ;)

O Aboubakar parece aqueles gajos que ao passar ao pé de nós num dia de sol se faz uma sombra enorme e nem sabemos de onde veio... e ainda por cima sabe o que fazer com os pés.

Eu fiquei positivamente admirado pois nos minutos finais de Guimarães o coração nem me deixou ver a presença do jogador em campo.

João disse...

É penalty evidente.

José Correia disse...

"... temos que analisar a interferência do árbitro mas, se queres ir por aì, antes disso houve 30 minutos de aberração táctica completa..."

Caro João Gonçalves, nos primeiros 30 minutos do Vit. Guimarães x FC Porto, que classificas como tendo sido de aberração táctica completa, a equipa vimaranense teve apenas UMA oportunidade de golo (num lance de bola parada).
Ou seja, não me parece que o FC Porto tenha estado assim tão mal como queres pintar.

A partir dos 30 minutos, a equipa de arbitragem "entrou no jogo" de uma forma brutal, condicionando todo o desenrolar do mesmo.

Penalties por assinalar a favor do FC Porto; cartão vermelho para um jogador do Vitória que ficou no bolso do senhor Baptista; foras-de-jogo mal assinalados, que cortaram jogadas de ataque dos dragões; golo limpo anulado; etc.

Foi através deste cardápio de medidas e não por incompetência de Lopetegui, que a carreira 100% vitoriosa do FC Porto foi travada em Guimarães.

António Teixeira disse...

Eu compreendo mas temos que ter rotatividade também, e apesar de não gostar do Herrera, tem uma ou outra qualidade (especialmente na movimentação e pressão) que lhe permitem em certos contextos ser titular.
Há-de estabilizar, eu também acho que o meio campo de domingo foi fraco, mas mais pelo Rúben.

O Indi de acordo. Eu acho que tecnicamente é pior nas ações defensivas que nas ações ofensivas. O problema é que não arrisca... Mas já está melhor. Então o Maicon está muito melhor (até o Quaresma neste jogo este bem xD)

João disse...

O Lopetegui previu que o Quaresma ia tentar sair a jogar no nosso meio campo, que ia perder a bola e deixar a equipa numa situação de 2 para 3 e um desses 3 matraquilhos ia tropeçar na bola quando tinha um colega completamente aberto do lado esquerdo. #somosPorto! Epá..

Ninguém está a dizer que jogamos mal, longe disso. Estava a contestar um parágrafo específico da crónica do José. E sim, há margem para várias unidades jogarem muito melhor do que fizeram hoje. Provavelmente foi a diferença entre o BATE levar 6 batatas ou levar 2 dígitos.

Espero sinceramente que os bielorussos consigam roubar pontos aos nossos concorrentes. Aliás, quando leio por aí que o Athletic entrou no San Mamés para jogar à retranca contra o Shakhtar actual, pode ser que consigam mesmo. Era óptimo ficarmos em 1º do grupo, pode ser muito importante este ano.

Jorge Vassalo disse...

Desafio QUALQUER pessoa a ir ver um jogo (pronto, talvez não um tão emocionante como este) e perder um bocado de tempo a observar a qualidade de posicionamento e a velocidade de transição do Adrián. Ele vai ser um senhor jogador aqui no Porto! E vai jogar para a equipa, que é assim mesmo que se faz! Gostei muito :) Não me surpreendeu.

Já agora, que me dizem do Quaresma com a crista rebaixada ein? Maravilha! Muito melhor!

Jorge Vassalo disse...

Façamos um "supônhamos".

Suponhamos que o árbitro invalidava o golo do Brahimi aos 5''.

Imaginemos agora que o árbitro cortava montes de jogadas, validava quedas em área do BATE.

Seria o mesmo jogo?

Pois eu digo-vos - em Guimarães a atitude do Brahimi já era esta. O jogo podia, e devia, ter sido assim. Claro que o sistema táctico não era igual.

Mas Lopetegui também não estava embasbacado com o gamanso - embora Jackson, eu acho, tenha sofrido penalty.
Lopetegui é um senhor treinador, e vai pôr o nosso Porto uma máquina.

E já agora BATE Borisov travou o Áustria e o Bayern! Não é nenhum Setúbal!

reine margot disse...

Este é, pela voz de metade dos adeptos - pelo menos os da blueguesfera - um resultado para ficar preocupado! - Tivesse sido o Libras Boas para a taça uefa, e teria sido um resultado do outro mundo ! -
Estão todos doidos???? (não, não falo dos comentadores aqui; salvo o comentário nº1, claro! - )
Eu gosto de ver jogos em que não tirámos o pé; gosto de ver entreajuda na equipe; gosto de ver os jogadores a cumprirem taticamente; gosto de ver o Maicon a jogar como este ano; gosto de ver aquele jogador de outro mundo chamado Yacine; gosto de ver o toque de bola do Tello; gosto de ver 10 passes seguidos em progressão sem a bola se perder, a rodar até ao remate... Mas, não, isto é muito mau!
Vamos passar a fase de grupos sem derrotas, mas só porque o grupo é muito mau, fraco de mais !
Há uma crise de muito portuguesismo (não lhe queria chamar estupidez ) que se está a enraizar no nosso meio e que é gravíssima; têm de ser os jogadores e técnicos a puxar pelo público? tem de haver primeiro "sangue" ? - que merda é essa ? aqui temos de ser primeiro portistas e depois portugueses ! já cansa de tanto miserabilismo!
Em que país do mundo ganhar por 6-0 é mau? ( só no nosso! por isso é que eu prefiro morar no porto!)

António Teixeira disse...

Tiago, está certo, mas isso pressupõe que as organizações estejam perfeitas quase. Por exemplo, se estiveres a jogar contra duas linhas baixas, claro que ou vais ter que desposicionar e penetrar pela zona de criação, ou rematar de fora da área, ou criar superioridade numérica na zona de finalização. Qualquer das opções é eventualmente válida, e também dependerá de muitos factores: se tiveres o Jackson e o Aboubakar na área, a probabilidade dos cruzamentos darem golo será porventura maior do que se só tiveres o Jackson (aliás, só tiveres estes como referência mas tiveres por exemplo um extremo do lado oposto a fazer movimentos para a zona de finalização e dois interiores ou lateral na zona frontal). Se tiveres o Ronaldo, o Messi, o Hulk, vais querer também criar situações de remate (e neste caso, se consegues espaço ali, podes sempre argumentar se é melhor tabelar e criar uma situação de 1xgr ou rematar, mas dada a capacidade de remate dos jogadores e as dificuldades técnicas de tabelar com tanta densidade de adversários, talvez seja melhor rematar). Claro que podes sempre penetrar, mas é muito difícil fazê-lo muitas vezes (quantas equipas no mundo fazem/fizeram isso numa base regular? Pouquíssimas).

Daí eu compreendo que queiras jogo interior, mas não podemos querer jogar à Barça com certas caraterísticas dos jogadores (Jackson, Tello, Quaresma, Herrera), porque não tem capacidade para jogar naquele espaço; aliás, arrisco que só o Brahimi e o Oliver o conseguiriam eventualmente fazer.

Repara que o Porto desposiciona o bloco pela variação do corredor, e cria muitas situações de igualdade e superioridade nos flancos, e isso obriga a equipa adversária a ser quase sempre mais larga (se não o for, acontece o que já aconteceu por exemplo contra o Moreirense, que é o Brahimi a conduzir em direção à área e o Porto com muita gente na finalização e na zona frontal), o que nunca é bom para eles, tem que bascular sempre muito rápido e a qualidade individual do Porto nas alas trata do resto, bem como as capacidades do Jackson e do Herrera de atacar bem os espaços (que o segundo de seguimento, é outra questão).

São modelos, são ideias, o importante é ajustares o teu modelo aos jogadores que tens, e isso acho que o Julen está a fazer bastante bem (já para não falar nas inúmeras vitórias na estratégia, onde só esteve mal contra o Guimarães, da notória evolução da equipa), e especialmente no plano motivacional e de gestão de balneário. Um excelente treinador.

(Ia-te responder no fórum meto lá também como o teu é quase igual xD)

Nuno Leal disse...

Adorei o jogo ontem claro. Ajudou a oferta do guarda-redes no 1º golo, mas sem a classe de Brahimi não seria golo, havia um defesa a importunar e o ângulo não era o mais fácil. A partir daí foi uma grande exibição, só tivemos um calafrio logo a segui ao golo com uma auto-estrada vazia na esquerda da nossa defesa que eles não aproveitaram, mas aí foi o Alex Sandro que descompensou.

Sobre o Adrián Lopez lmebrou-me - então no golo mesmo muito - o nosso saudoso Lizandro López. Tal como ele, funciona melhor a puxar para o meio do que colado no flanco como extremo. Nas costas do Jackson. Até porque se fosse ele o nosso avançado-centro, não tenho dúvidas que marcaria muitos golos, tal como o Lizandro. Mas tal como este, não é um matador nato como o Jackson ou o falcão, ou o Jardel.

Sobre o Herrera, já me chateia esta obcessão de denegri-lo, mais uma vez foi importantíssimo para o nosso jogo, é um pulmão e tanto, um poço de força, falha passes sim, e se um dia deixar de falhar? Ainda é um miúdo!

Sobre Brahimi, a única dúvida que tenho, até porque ele é meio Deco no seu lento despertar - já tem 24 anos e agora está num nível espectacular mas e há 2 anos? Ou há 4 anos? - é se vai manter este nível toda a época ou se de repente vai abaixo. É possível isso poder acontecer, parece que já ninguém pensa nisso, mas é possível. Mas é um grande craque, isso é, faz-me lembrar o que o Carlos Alberto podia ter sido se tivesse juízo.

O Indi acho-o imperial, o mangala fisicamente mas sem marcar golos de cabeça (ainda) mas também sem descompensar a defesa. O maicon com ele parece outro. E o maicon - há anos que o digo - sempre teve potencial para ser um novo Pepe. Está a tornar-se. Como sr. Paulo Fonseca, ele era trocado pelo abdoulaye ou pelo Reyes?

O Jackson está espectacular, só tenho medo de ir embora em Dezembro, mas enfim, pode acontecer. Se o Aboubacar o substitui bem? Não é igual, mas parece matador, e em dupla com o Adrián não se não. Mas com os 3 no plantel acho que podemos sonhar alto.

O Tello só tenho dúvidas se aguenta 90 minutos a alto ritmo durante muitas jornadas. Todavia sempre que joga entra a matar, faz-me lembrar uma versão melhorada do Sálvio dos milhafres.

DC disse...

Herrera tem 24 anos. A partir de que idade é que se passa a deixar de ser miúdo e se começa a certar os passes?

DC disse...

E já agora, os 24 anos do Brahimi são diferentes dos do Herrera porquê?

Jorge Vassalo disse...

Jackson está blindado. Sem cláusula de rescisão. Jackson vai embora, sim, para o ano. Já todos o sabemos. E provavelmente Brahimi também. Mas este tem clausula de 50 M. O que sugere 40. Para quem o compra por 10 (sim, a recompra deve estar a caminho), é um lucro bonzinho.

José Correia disse...

Ontem, o Herrera voltou a fazer um bom jogo.

Num meio-campo a dois, alternou várias vezes com o Casemiro mas, quando é preciso recuperar e correr para trás, fá-lo mais rapidamente do que o médio brasileiro emprestado pelo Real Madrid (é outra das coisas que só se vê no estádio).

Tal como Brahimi e Jackson, foi substituído por Lopetegui, não por estar a jogar mal (bem pelo contrário), mas para o poupar, porque é um dos jogadores cruciais para o treinador basco.

José Rodrigues disse...

O Brahimi, que se saiba, so' e' 20% nosso. Duvido q a SAD tenha uma posicao de força que impeça que ele saia contra a sua vontade, estando a faca e o queijo na mao dos donos dos 80%...

Alberto Silva disse...

DC
Preferia o Josue e prefere o Quintero ao Herrera?

DC disse...

Sim, preferia o Josué. Quintero parece-me precisar de algum trabalho mas também o acho muito superior ao Herrera.
De qualquer forma, olhando para o plantel, queria Evandro no lugar do Herrera.

DC disse...

@José Correia: Desta vez é praticamente unânime na "bluegosfera" que Herrera foi o jogador em pior forma ontem. Mesmo numa goleada conseguiu sobressair pela negativa. Basta ler as crónicas no Porta19 ou no Tribunal do Dragão para ver que a opinião é praticamente generalizada no que se refere à sua lentidão com bola e na tomada de decisão, bem como no acerto no passe. Só mesmo o José é que continua, em todos os jogos, a só ver grandes jogos.
E quanto à história de só se ver no estádio, eu até agora vi os jogos todos lá, e bem alto, na arquibancada, onde vejo os jogadores todos perfeitamente e percebo todas as transições e posicionamentos. E o Herrera não é, nem sequer de perto, o jogador que faz a transição defensiva mais rapidamente ou de forma mais agressiva. E nem sequer é lógico compará-lo com Casemiro se o Casemiro é muito mais posicional. É natural que não tenha que "correr para trás" porque também não corre para a frente, tem ordens para ficar. O Herrera tem ordens para bascular entre o meio-campo defensivo e ofensivo o que implica necessariamente mais "corridas". E o que posso dizer é que olhando para jogadores como Moutinho ou Enzo Perez, o Herrera é muito pouco agressivo nas transições e na recuperação.
A isto junta dificuldades técnicas mais do que evidentes e uma lentidão na leitura da jogada que envergonha um puto de 19 anos chamado Oliver que antes de ter a bola no pé já sabe o que lhe fazer. Resumindo, continuo à procura de motivos para ele ser titular. Não encontro nenhum.

José Correia disse...

@DC
Respeito a opinião do meu amigo Jorge Bertocchini (do Porta 19) e da generalidade dos portistas que analisam os jogos do FC Porto de boa fé mas, a propósito do Herrera, vimos coisas diferentes no jogo de ontem e em jogos anteriores.

Há quem olhe para as exibições do Herrera e as veja na perspectiva de um copo meio vazio. Eu olho para as mesmas exibições e vejo um copo meio cheio.

Felizmente, na minha perspectiva, o treinador do FC Porto olha para as exibições do Herrera e parece ver o mesmo que eu.

José Correia disse...

"...eu até agora vi os jogos todos lá, e bem alto, na arquibancada..."

Arquibancada? De que lado do Estádio? Do lado da alameda ou da VCI?

Alberto Silva disse...

O josué nunca passará de um clube turco...ou paços...o máximo que pode chegar é a um Braga... um jogador que passa mas não sai do sitio...pouco ou nada acrescenta...Quintero é aquele jogador que tem técnica mas não tem a intensidade para um clube grande..mas é a minha opinião...por isso considero um Fetiche seu o Herrera, quer colocar nele características para ser um dos melhores do Mundo...não não é...mas é muito Melhor que os referidos...só não vé que não quer...mas é a minha humilde opinião...da mesma forma que respeito a sua mesmo não concordando em nada...

Joao Goncalves disse...

José Correia,

Mal era que ao entrarmos com um meio campo defensivo os vimaranenses tivessem oportunidades de golo... era o fim da macacada.

Volto a referir... Lopetegui entrou contra o Guimarães como se o Guimarães quisesse disputar o jogo... ora como o Vitória não estava lá para isso, toda a táctica ruiu,

Brahimi e Quintero não tinham espaços entre linhas porque ninguém subia e o Guimarães estava altamente posicional.

Nenhum dos 3 médios centros tem rasgos de visão de jogo ou de genialidade ou mesmo caracteristicas para encostarem mais à frente e como o Vitória não subia, então ficavam sem solucções de passe e não arranjavam "tempo" e nem foram rápidos o sufeciente para pensarem o jogo.

Ora aos 50m o Lopetegui chateou-se com o Vitória e tirou o Ruben e meteu o Evandro e tudo mudou.

Evandro passou a dar linhas de passe aos alas nas costas do Jackson e que possibilitou que esses fizessem passes interiores e abrisses as linhas para os laterais.

Depois aos 60 entrou Tello e esticou o jogo para a ala e com Evandro a dar linhas de passe ao meio o Vitória já não tinha mãos a medir para apagar tantos fogos por isso recuou as linhas de meio campo e deu mais liberdade a Herrera e ao Casimiro no centro do campo para esses poderem também ter tempo para rodar jogo.

O Vitória nunca fez uma substituição para contrariar esta nova questão táctica e foi o que surpreendeu Lopetegui.

Alberto Silva disse...

Num jogo onde apenas jogaram 2 médios...a avaliação tem de ser muito positiva...mas mesmo assim não se quer ver...

RS disse...

Alguns dados interessantes:

• FC Porto registered the biggest UEFA Champions League margin of victory for two and a half years with their 6-0 defeat of FC BATE Borisov. They are only the fifth club to win by that scoreline and the first since Arsenal FC beat another Portuguese team, SC Braga, in September 2010 – those two results are the biggest matchday one successes.

• Porto midfielder Yacine Brahimi marked his debut in the UEFA Champions League proper with a hat-trick – the first scored by a Porto player in 147 matches.

• Brahimi is the seventh player to score a hat-trick on his UEFA Champions League debut, after Marco van Basten (AC Milan), Faustino Asprilla (Newcastle United FC), Yakubu (Maccabi Haifa FC), Wayne Rooney (Manchester United FC), Vincenzo Iaquinta (Udinese Calcio) and Grafite (VfL Wolfsburg).

in uefa.com

DC disse...

Actualmente, depois de me terem "proibido" de renovar o meu lugar anual no sector central da TMN onde eu queria estar, tenho visto os jogos na Meo por ter lá alguns amigos. Mas este ano, por causa dessas mudanças que o Porto optou por adoptar, não renovei o anual.

DC disse...

O Belluschi também nunca passou de mais do que o Porto e depois um clube turco e era um jogador fenomenal. Eu não avalio os jogadores pela camisola que vestem mas sim pelo que jogam.
O Evandro chegou ao Porto aos 28 anos e não é por isso que o vou catalogar como bom ou mau.

Alberto Silva disse...

Eu não estou a avaliar pela idade...apenas digo que o Josué é jogador de equipa mediana...é a minha opinião...o Herrera é jogador de equipa como o Porto...assim como foi o Belluchi...o Josué não...nada mais...vamos tar atentos ás carreiras deles...

José Correia disse...

"...Desta vez é praticamente unânime na "bluegosfera" que Herrera foi o jogador em pior forma ontem. Mesmo numa goleada conseguiu sobressair pela negativa. Basta ler as crónicas no Porta19 ou no Tribunal do Dragão para ver que a opinião é praticamente generalizada..."

Não sei o que escreveram os outros jornais desportivos, mas no O JOGO vem o seguinte:
«Herrera (7) - Melhor exibição da época do mexicano, que atuou mais perto de Casemiro do que habitualmente tendo, por isso, mais espaço. Intenso e assertivo no passe, não parou um segundo em campo, andando perto do golo algumas vezes.»

Como vê, caro DC, parece que não fui só eu a considerar que o Herrera fez uma bela exibição.

José Correia disse...

"Ora aos 50m o Lopetegui chateou-se com o Vitória e tirou o Ruben e meteu o Evandro e tudo mudou.
Evandro passou a dar linhas de passe aos alas nas costas do Jackson e que possibilitou que esses fizessem passes interiores e abrisses as linhas para os laterais."

João Gonçalves, eu estou de acordo que, com a substituição do Rúben Neves pelo Evandro a equipa melhorou.

Onde nós discordamos é na avaliação aos 30 minutos iniciais (pelo menos em termos de grau) e na importância (na minha opinião brutal) que a arbitragem teve no desenrolar e desfecho final do Vitória Guimarães x FC Porto.

Joao Goncalves disse...

Nem só tu José como eu.

Herrera fez um jogo tácticamente muito importante e foi o elo de ligação e equilibrio entre sectores.

Por o Herrera ter coberto tanto espaço é que os alas tiveram tempo para serem importantes e o Adrian teve tempo e espaço para fazer a sua posição táctimamente irrepreensível.

Herrera nunca foi nem será um pródigio técnico e de passe, mas que é um jogador que equilibra a equipa e que move a equipa para a frente quando ela precisa, isso o é e o foi ontem com toda a certeza

Joao Goncalves disse...

Deixa-me ser claro numa coisa... eu não estou a criticar o Lopetegui... no limite estou a chama-lo de "anjinho" ou vá... de desconhecer a dura realidade do futebol em Portugal.

Pois aqui a crítica vai inteirinha para o Vitória que não quis ir a jogo.

E não descordamos em nada da arbitragem e da importância que ela teve no jogo, mas podemos ir por aí... ontem ficou um Penalty clarrisimo por marcar sobre o Jackson... seriam 7-0 (em teoria).

Ora se o Porto tivesse aplicado a mesma receita ao Guimarães que aplicou ao BATE, mesmo com Penaltys roubados e fora de jogo inventados ainda ganhava pelo menos, por 3-1.

É aí que estou a bater... a arbitragem tem importância quando a equipa não tem competência o sufeciente para ultrapassar adversários tão limitados com o Vitória mostrou ser.

Ou seja... se Lopetegui tivesse tido menos respeito pelo vitória e tem começado com o Evandro e o Tello/Quaresma em vez do Ruben/Casimiro e do Quintero a coisa tinha piado doutra maneira para o Vitória e até poderiam sair com a Vitória final que isso é futebol, mas que saiam muito mais enrascados e o Douglas teria que trabalhar mais ah isso teria.

Luís Vieira disse...

Se em Guimarães não gostei, desta vez gostei muito. 6-0 parece-me um resultado suficientemente esclarecedor para responder à estapafúrdia opinião de que a chave desta vitória reside no demérito do BATE. Relembro que estamos na Liga dos Campeões, não se trata da Taça da Liga. Desvalorizações deste cariz são típicas da mouraria, não de um blog portista. O BATE não é um portento mundial, mas é uma equipa razoável que tem aparecido consistentemente nas competições europeias. Mais a mais, atente-se no exemplo do Barcelona e do Liverpool, que se viram e desejaram para ganharem, em casa, ao Apoel e ao Ludogorets, respectivamente. Espetar 6 - SEIS - secos na Liga dos Campeões não é fácil, seja com que equipa for. Se o BATE nos próximos jogos se revelar o bombo da festa, retracto-me já antecipadamente. Caso contrário, a equipa do FCP merece um enorme aplauso porque fez uma exibição simplesmente soberba. Carregada por um novo mágico - Brahimi (arrepiante a sua saída do campo, com uma vénia espontânea dos adeptos, à boa maneira do Deco) - e por um colectivo indómito e compressor, foi um jogo a roçar a perfeição, com grande responsabilidade e dedo do treinador. Depois do erro de casting de Guimarães, desta feita o Lopetegui revelou-se um verdadeiro estratega: ninguém apostaria naquele 11 para a estreia na Champions e a verdade é que acertou na mouche. O Adrián foi o joker que confundiu os bielorrussos, fazendo dupla com o Jackson, num inédito 4x4x2, que se desdobrava muitas vezes num 4x2x4. Muita sagacidade do basco, que dinamitou a táctica do BATE. Desta vez, não faço destaques individuais (excluindo o óbvio argelino), porque foi uma brilhante exibição de toda a equipa - todos os jogadores incluídos, sem excepção (só por má fé, tristemente, se afirma o contrário). Trata-se de uma vitória que abre boas perspectivas para a fase de grupos. Por último, e embandeirando um bocadinho em arco, espero nova goleada frente ao Boavista.

meirelesportuense disse...

Para mim a grande diferença esteve na composição do meio-campo. A saída do Rúben Neves permitiu dar maior acutilância ao jogo, não aconteceram tantas incongruências e hesitações, o futebol foi mais esclarecido. Não acho que o Quaresma tenha estado bem, jogou razoávelmente. Houve um susto provocado por Fabiano e pouco mais. Todo o restante jogo incidiu sobre a área do Bate.E o ataque do Porto foi eficaz. Com Óliver as coisas poderiam ter sido de sonho. Atenção a Campaña. Atenção a Octávio. Atenção a Opare. Atenção a Ricardo.

Mr. Lord disse...

Outra piada seria: à meia dúzia é mais barato:)

maisumblogdofcp.blogspot.pt