quinta-feira, 4 de setembro de 2014

Rescaldo do defeso

Tendo fechado o período de inscrições na 2a feira, podemos (finalmente...) fazer um rescaldo das movimentações de mercado. 

1) A contratação mais relevante de todas dá pelo nome de Lopetegui: como bem sabemos, um bom treinador pode potencializar um plantel limitado e um mau treinador pode destruir um bom plantel. Ora como já aqui tinha dito, confesso que não fiquei nada entusiasmado com a escolha - preferindo de longe apostar num treinador com estatuto e experiência. Espero naturalmente que, apesar disso, as coisas lhe corram muito bem, e seria óptimo que ficasse pelo menos 3 anos de forma estabilizar e, quem sabe, finalmente potencializar a formação. Entre os dados iniciais houve algumas coisas de que gostei, outras de que desgostei - mas acima de tudo penso que sera' preciso algum tempo para perceber se temos ali bom TREINADOR ou não, e' muito prematuro.

2) Desportivamente, estou contente com o plantel - que e' obviamente melhor do que o do ano passado (embora o «11 tipo» nao seja necessariamente melhor; a ver vamos, até porque ainda nem sequer sabemos qual será a equipa base; há sim, sem qualquer dúvida, melhores opções no banco). Dito isto acho que está um bocadinho desequilibrado, por exemplo com médios a mais e extremos a menos. Acho também que é mais jovem do que o ideal, esperemos que isso não seja um handicap (acima de tudo na LC e nos jogos ditos «grandes»).

3) Acho q houve exagero no # de contratações. Pessoalmente e retrospectivamente até entendia que se chegasse a uma dezena de contratacões... mas não uma quinzena, uma autêntica revolução no plantel (daí a escolha da foto que ilustra este artigo, já agora). Sem querer entrar aqui em detalhes, parece-me que contratações como um dos dois GRs, um dos meiocampistas, um dos centrais e Sami (e mais uma ou outra) foram contratações escusadas.

Desportivamente, isso traz como consequências negativas a necessidade de mais tempo para se ganhar entrosamento, menos "cheiro da casa", e um balneário (leia-se "expectativas") um pouco mais dificil de gerir. Financeiramente, traduz-se a meu ver em algum desperdicio não negligenciável de dinheiro e em mais uma fuga para a frente (ainda que em moldes diferentes do que é costume, apostando-se mais na folha salarial ainda que sem travar muito a fundo o investimento em passes) o que complica um pouco mais a situação daqui a um ano e de médio prazo (já agora, não demorou muito a que as intenções declaradas da SAD em fazer contenção de custos fosse mandada às malvas, como começa a ser tradição) - ainda que não me parece que se possa chegar ao ponto do descalabro, longe disso (pelo menos a curto prazo, i.e. 1 ou 2 anos). Mas acho que é pena que se continue a «mandar para o lixo» todos os anos uma dezena de milhões em juros de empréstimos: reduzir este montante de forma gradual, com critério e palautinamente seria uma vantagem estratégica e orgânica sobre os rivais, mas está visto que não vai acontecer.

A nível "micro" houve algumas contratações que me agradaram bastante (em particular Brahimi, Tello e Casemiro), outras assim-assim e outras a que torci o nariz. Sublinho que quando digo «contratações» quero dizer isso mesmo e não «jogadores»: às vezes há jogadores de que gosto mas cuja contratação não me agrada, e outras em que o jogador não me entusiasma mas a contratação agrada; tudo depende do contexto, como custo, moldes da contratação, alternativas no plantel.

4) Acho também que houve exagero no # de emprestados. Há muito tempo que defendo que se «pesque» um ou outro emprestado com qualidade comprovada mas estejam tapados num «tubarão», e para posições deficitárias ao nível de titulares; foi precisamente isso que fizémos com Tello e Casemiro, o que aplaudo. Mas... cinco ou seis já me parece exagero (menoriza-se o potencial de vendas, e torna-se mais difícil gerir o balneário).

5) No que diz respeito aos «mares em que se pescou», não me agradou o que me pareceu ser um certo provincianismo de Lopetegui, ao parecer estar 90% concentrado no mercado espanhol só por o conhecer melhor (e ainda por cima, não me parece absolutamente nada que seja nesse mercado que tenhamos o melhor "value for money", sendo dos 2 mercados mais mediáticos do mundo; o que não invalida que estivesse à espera de DUAS ou TRÊS contratações bem «sacadas» fruto da vinda de Lopetegui, mas não uma carrada delas). No entanto, a aposta em Rúben Neves mostra que certamente nao sera' «autista», e verdade seja dita q os interesses de Jorge Mendes também contribuiram para se apostar acima de tudo nesse mercado, como factor secundário (por exemplo, não sei até que ponto Lopetegui terá tido influência na vinda de Adrian, é pouco provável).

6) Ainda sobre a formação do plantel e Lopetegui, também não me agradou ver certos indícios dele "entrar como um elefante numa loja de porcelana" (Helton, Ghilas, ...). Não sei se isso será devido a só ter experiência no que diz respeito a gerir putos, e em selecções; há muitos dados que nao temos... mas seja como for, espero que ele demonstre daqui para a frente saber ter tacto suficiente e ser humilde/flexível q.b., sabendo dar o braço a torcer aqui e ali.

Resumindo e concluindo, as expectativas sao relativamente altas: se nao ganharmos o campeonato vai haver grande frustração, ainda mais do que já é normal, já que temos um bom plantel; e provavelmente nunca tivemos nos últimos 20 anos um plantel tão associado a um treinador (o que quer dizer que se não formos campeões dificilmente ele se aguenta). 

No que diz respeito à avaliação do trabalho de Lopetegui acho que será preciso pelo menos alguns meses para se poder ter opinião formada, até porque é muuuito jogador novo (para além dele próprio precisar de se ambientar e, também ele, aprender o que é ser treinador num clube como o FCP, uma experiência nova na sua carreira).

24 comentários:

Joao Goncalves disse...

Para mim houve claramente contratações falhadas e desnecessárias (seja culpa da SAD ou do Lopetegui) pois Adrian, Sami, Ricardo (GR), Otávio e mesmo o Lichnovsky, não me parece que tenham sido acertadas de todo.

Depois emprestados temos 4 (Casimiro, Campanã, Torres e Tello) e não 5 ou 6 e dos quais parece-me de emergência por se ter falhado os dois alvos principais até ao último dia de mercado (Clasie e Darder).

4 emprestados para cumprirmos as regras do Fair Play Financeiro e termos jogadores de qualidade ao mesmo tempo, não me parece nada exagerado e deveríamos isso sim, ter esta política mais vezes (deveríamos ter feito com Ádrian ou Reyes por exemplo).

Emprestados sem opção de compra como é o caso do Óliver Torres é que é mais complicado, apesar de perceber a intenção do Atlético não querer perder um jogador daquela qualidade, contudo este empréstimo, como os outros, até pode ser bem positivo pois irá permitir aos miúdos terem perceptivas de daqui a 1 ano haver lugares vagos para preencher.

Na questão "Mercado Preferencial" estou 100% de acordo com Lopetegui... dizes tu José, que não é o Mercado mais barato... sério? Herrera. Reyes, Jackson, Alex Sandro, Danilo, Otamendi, James, os próprios Mangala e Defour ou Ghilas, foram mais baratos?

Há muito tempo que já se devia ter acabado com esta "teoria da conspiração" pois já faz muitos anos que nós não compramos barato nos mercados sul americanos ou noutros quaisqueres... o preço pago pelo FCP neste defeso só esteve claramente exagerado no Ádrian (que ainda se espera pelo R/C para saber o que realmente se passou ali), porque de resto, todos os restantes jogadores foram adquiridos até a bem melhores preços que os reforços da última época.

Contudo, uma das minhas grandes preocupações, é que esta época aumentamos e muito o quadro de jogadores para o nosso clube e sem conseguirmos alienações de muitos passes.

Devemos ter umas duas dúzias de jogadores emprestados, que nunca vão calçar no FCP e que vão andar nesses processos até terminarem contratos. Espero que a SAD conseguia vender 25% dos atletas que não interessam para o ano e que vão mantendo o mesmo treinador, pois só assim se consegue reduzir esta quantidade enorme de jogadores com ligação contratual ao clube (estabilidade na equipa técnica e nas opções técnico/tácticas de futuro).

meirelesportuense disse...

Para mim é muito difícil fazer comentários sobre matérias que não domino.A questão das contratações é coisa complicada, só depois de os observar de forma consistente é que se pode ajuizar com algum acerto.Ainda agora fiz um juizo precipitado sobre Angél que corrigi depois de o ver actuar na segunda parte do jogo com o Moreirense...Herrera umas vezes parece um grande jogador e outras, valha-me Santo Ignácio...Quintero entra, finta dois adversários e marca um golo fenomenal ou entra e não faz absolutamente nada, aliás a tendência dele é para ser fugaz...Parece um balão de oxigénio com um pequeno furo mal tapado.Tenho pena que Óliver e Tello sejam apenas emprestados.Mas quanto custariam este dois? Ádrian ainda mostrou pouco mais que uma qualidade técnica excelente.O Porto precisava como pão para a boca de dois centrais. Tenho dúvidas sobre Casemiro, ainda falta vê-lo melhor para poder saber o que pode render. Sami no único jogo que fez marcou dois golos.Quanto aos centrais para a B acho ser desperdício porque uma coisa que o Porto tem é uma boa escola de centrais...Quanto às estratégias financeiras eu não sei nada, apenas tenho a certeza que tínhamos que fazer algo de surpreendente ou então sujeitávamo-nos à subalternização perante os Clubes rivais. Este grupo de trabalho parece ser forte e com boas alternativas para quase todos os lugares, não compreendo a exclusão de Aboubakar da lista para a Champions.

Pedro ramos disse...

Aboubakar esta na lista para a LC.

Joao Goncalves disse...

O Tello custa 8M€, o Óliver não me parece que consigamos o contratar se ele continuar a jogar assim até final da época.

O Porto tem uma boa escola de centrais? Onde? Estás a confundir o "teve" com o "tem" certo?

Verdasca é o único que parece ter algum potencial e não me parece que seja, de todo, para a equipa A.

O Porto para a B foi muito bem buscar os estrangeiros que foi para compor o plantel e 90% emprestados como deve ser.

Apenas Lichnovsky era escusado.

Mário Faria disse...

O Lopetegui , merece a presunção de confiança, na minha perspectiva. Simpatizei com o homem e acho que a experiência nas camadas jovens não é despicienda, bem pelo contrário. No percurso até agora percorrido no FCP tem correspondido às minhas expectativas. O projecto, mais coisa, menos coisa, de que parece ser o autor, merece a minha concordância. Mas, prognósticos só no fim. Todas as oportunidades contêm riscos que tem sabido assumir e ultrapassar. Fez bem em não transigir no conflito que Quaresma criou e com a promoção a capitão de Jackson, baseada na excelência da sua atitude profissional e da forte aceitação que parece merecer do balneário. Lucho foi eleito capitão mal chegado, Pavão recebeu a braçadeira ainda muito jovem e Mangala também a teve no seu braço e não foi por aí que o gato foi às filhoses.
Lopetegui tem sido apertado por adeptos e uma boa parte da comunicação social que prefere o bom senso à coragem de assumir os seus pontos de vista na formação de uma equipa competente, segundo o seu critério. Não o atemorizou a sentença popular que de Espanha nem bom vento nem bom casamento e que a opção por jogadores do país vizinho poderia ser um benefício, dado que a escola de jogadores espanhóis é excelente e como a conhece, estranho seria se não se servisse dessa vantagem. Apesar deste começo prometedor, o processo ofensivo tem de melhorar. Os adeptos esperam que o modelo de posse evolua para um patamar superior com a equipa ser mais criativa, perigosa e produtiva no ataque.
Tenho constatado que Lopetegui é mais contestado do que pensava. Obviamente, saberá que no futebol o sucesso é frágil e que uma derrota poderá bastar para um julgamento severo das suas capacidades, por parte de muita gente descontente e que o texto do José Rodrigues serve como amostra. Estou a fazer figas para que tenha sucesso porque é muito importante para o clube e porque o projecto não merece ter morte súbita.
Há quem considere que PdC deu demasiada roda livre a Lopetegui, mas acho que foi obrigado pelas circunstâncias internas: desportivas, comportamentais e instrumentais que deram azo ao início de um novo ciclo em que a figura do treinador assumiu uma relevância nunca antes concedida. Foi a forma de PdC estancar a erosão que a equipa vinha sofrendo depois de Vilas Boas que não quis continuar na cadeira de sonho e aceitar o desafio que creio que PdC lhe queria destinar.
Em conclusão: é minha opinião que o projecto do FCP é dos mais consolidados de que tenho memória no clube pois está estruturado para servir para os próximos anos, com a formação de um plantel que cobre todos os sectores segundo o modelo dominante no clube. Contém alguns detalhes de que discordo, mas são minudências comparadas com o potencial do projecto que merece continuidade sob o comando de Lopetegui.

Jorge Vassalo disse...

Obrigado! Concordo 100%. Uma pequenina adenda, para quem fala do facto de Lopetegui ser espanhol. Sendo que ele é Basco, estou certo que entende a dicotomia Norte-Sul, porque existe um perfume semelhante no País Basco que relaciona com a mesma atitude.

Nightwish disse...

Mas, se calhar, invés de comprar um autocarro de jogares podíamos ter ficado com o Tello...
(nota: não tenho tido grande oportunidade de ver jogos, por isso nem o vi a jogar, é só um exemplo de como a gestão financeira é suspeita)

meirelesportuense disse...

Se o valor do Tello é 8 milhões acho que estará ao nosso alcance -estará(?), tudo isto é uma espécie de brincadeira de miúdos, em que quem paga os brinquedos caros são os pais e aqui os pais, são o Clube- teve um jogo bom em Lille em que decidiu a eliminatória naquele cruzamento -no Barcelona parecia-me um tanto apagado- e Óliver, já em Espanha era um grande jogador, vi-o várias vezes entrar como suplente e sempre me pareceu muito prometedor, tem um ritmo impressionante, cheio de alegria, nem compreendo como o Atlético o dispensou. Quanto aos centrais da formação, até agora, tinhamo-los às carradas, agora não sei, rendo-me aos argumentos certos...José António é um exemplo de um jogador nosso que correu meio Mundo para vir terminar na equipa B e aos 30 e picos é o melhor central da equipa.

meirelesportuense disse...

Também concordo que a "família" cultural de Lopetegui é uma vantagem na leitura que pode fazer desta conflitualidade Norte-Sul...

Mefistófeles disse...

Com a fluidez e lucidez habituais, o Mário Faria escreveu exatamente o que penso. Acrescentaria apenas que o sucesso de Lopetegui e do seu projeto não é apenas muito importante para o clube: neste momento é crucial. Melhor seria que os portistas se unissem no apoio a Lopetegui y sus muchachos. O seu fracasso será muito perigoso para o FCP. O seu sucesso, ao invés, pode levar o clube a um futuro breve risonho. Eu acredito que sim.

meirelesportuense disse...

O que me surpreende verdadeiramente na lista da Champions é a integração do David Bruno -ele que me desculpe- mas não lhe vejo qualidades sequer para integrar a equipa B...Se calhar o defeito é meu e o meu grau de exigência é muito elevado.

Joao Goncalves disse...

Já à algum tempo que não temos centrais capazes... o último que saiu com alguma capacidade foi o Tiago e não evoluiu como era expectável.

De resto 8M podem ser muito ou pouco e isso avalia-se no final da época, mas o certo é que defendemo-nos do Fair-play financeiro dessa maneira ao adiar o investimento para mais tarde (Casimiro e Tello podem ser adquiridos para o ano, que é o ano de saída de Jackson e possivelmente 1 ou os 2 laterais).

Joao Goncalves disse...

Não surpreende nada... é o único que se qualifica como formado localmente.

Não te esqueças, que na lista da champions, até juniores foram lá colocados

José Rodrigues disse...

«Obviamente, saberá que no futebol o sucesso é frágil e que uma derrota poderá bastar para um julgamento severo das suas capacidades, por parte de muita gente descontente e que o texto do José Rodrigues serve como amostra.»

Parece-me que o Mário não leu minimamente direito o meu artigo, senão nunca teria escrito isso.

Eu começo e acabo o artigo PRECISAMENTE por dizer q não podemos avaliar Lopetegui por um jogo ou sequer 2 ou 3, mas sim ao fim de meses; e que terá portanto LARGO benefício da dúvida devido â curva de aprendizagem & rotinas (dele e da equipa).

Quanto a «merecer confiança», digo apenas que Lopetegui me merece toda A BOA FÉ do mundo que é o que interessa - tal como o desejo de que seja extremamente bem sucedido no FCP.

Quem tem que ter confiança nele é os jogadores e, acima de tudo, os dirigentes.

De resto, em lado nenhum disse q estava «descontente» com o treinador: como escrevi há coisas q gostei no que lhe diz respeito e outras q não, mas no cômputo geral estou naturalmente contente com os resultados que fizémos até agora nos jogos oficiais.

José Correia disse...

"Já à algum tempo que não temos centrais capazes... o último que saiu com alguma capacidade foi o Tiago e não evoluiu como era expectável"

O Tiago Ferreira?
A não ser que dê um grande salto qualitativo, por aquilo que o vi fazer na equipa B, não tem nível para fazer parte do plantel principal.

José Correia disse...

Para além de, naturalmente, estar bastante satisfeito com os resultados do FC Porto neste início de época, estou também satisfeito com o estilo e liderança que têm vindo a ser evidenciados por Lopetegui.

A dúvida sobre se conseguiria gerir um plantel sénior, recheado de egos e super-egos, penso que já estará desfeita.

José Rodrigues disse...

A inscrição dele foi «para inglês ver».

Podia perfeitamente te-lo sido inscrito na lista B (a da catrapada de «putos», a de contingência para o caso extremamente improvável de muitos jogadores do plantel A estarem lesionados ou castigados para um dado jogo) e acho mesmo ridículo que o tenham inscrito na lista A já q ele nem sequer faz parte do plantel.

Já agora, pela primeira vez na História não temos sequer jogadores suficientes para preencher as míseras 4 vagas reservadas a jogadores formados em Portugal: foi preciso pôr lá o Ruben Neves para dar a impressão de q as tinhamos preenchido, quando o Ruben Neves normalmente iria entrar nas 4 vagas dedicadas a prata da casa.

Ou seja: entre formados na casa ou noutro clube portugues, só temos 5, um recorde minimo. Ficaram 4 vagas por preencher (o David Bruno nao entra nas contas pelas razoes q expliquei) e entretanto ficaram varios jogadores do plantel A de fora q custaram muitos milhoes de euros...

José Rodrigues disse...

Já agora o próprio Ruben Neves podia ter sido inscrito na lista B, já q nao tem mais de 21 anos.

Ou seja: se para alem de Ruben Neves tivessemos no plantel 4 jogadores prata da casa mais 4 jogadores formados em outros clubes portugueses, podiamos ter inscrito 25 jogadores do plantel A em vez de 21.

Diga-se de passagem que suspeito que se nao fossem portugueses (questão das quotas) 2 dos Ricardos - o GR e o ala contratado ao Guimaraes - teriam sido preteridos por Lopetegui, em favor de 2 das contratacoes.

Quanto aos 5 preteridos, Lopetegui terá q arranjar forma de motivar sabendo-se q dificilmente jogarão muitos minutos nos proximos 3 meses (mesmo no campeonato), por muito fenomenais q sejam nos treinos... sim, porque concerteza Lopetegui irá querer dar ritmo e ganhar rotina com os jogadores q podem jogar na LC.

Joao Goncalves disse...

Exacto José e foi a última "esperança" digamos assim, que saiu da nossa suposta escola de centrais.

Joao Goncalves disse...

Uma correcção José, o Ruben entrava na Lista B e não na lista de formados na casa, pois só estará ilegível para essa lista quando tiver 3 anos entre os 15 e os 21 anos, que irá acontecer quando completar os 18 anos.

José Rodrigues disse...

Obrigado pela correcao, Joao. Fui induzido em erro pelo q vi nos media portugueses, onde dizia q tinha sido inscrito na lista A, nas vagas para prata da casa. E como nao sabia ha' quantos anos estava no FCP, nao tinha razao para desconfiar q havia erro.

José Rodrigues disse...

"A dúvida sobre se conseguiria gerir um plantel sénior, recheado de egos e super-egos, penso que já estará desfeita."

Eu tinha essa duvida e continuo a te-la.

O verdadeiro teste na gestao de um balneario, como sabemos, e' quando temos uns quantos jogadores (nao so' um) que ao longo de um periodo razoavel de tempo (pelo menos um par de meses, no minimo, nao e' 2 semanas) jogam pouco tempo. Ora esse "teste" ainda esta' para vir.

E em particular, quero ver como e' q os jogadores vindos de Espanha irao reagir se estiverem nessa situacao. Eles q poderao esperar maior simpatia da parte de Lopetegui, e em alguns casos chegando com enorme expectativas (um Tello, Oliver ou Casemiro por ex certamente so' aceitaram vir para um FCP por pensar q iam jogar muito mais regularmente do q no A Madrid, R Madrid e Barcelona).

Mas tb um Quaresma, um Adrian, etc.

Outro verdadeiro teste de balneario acontece apos maus resultados (ainda q pontuais), onde havera' muito mais tendencia para criticas mutuas e ao treinador. Felizmente "so far, so good", mas certamente teremos um ou outro mau resultado mais cedo ou mais tarde.

E mais: ao principio os jogadores estao SEMPRE com o treinador, e' so' flores.... e por razoes obvias, parece-me. Isso e' tao certinho como o ditado "chuva em Novembro, Natal em Dezembro". Ou seja, o clima das primeiras semanas e' sempre muito pacifico.

meirelesportuense disse...

João:
Podia ter sido nomeado qualquer outro, Ivo, Rafa, André Silva...Agora o David Bruno?...Deve ter um padrinho do camano...

meirelesportuense disse...

Aliás, jogo que ele faça o Porto perde!