quarta-feira, 3 de setembro de 2014

Voo rasteiro

O ZeroZero noticia hoje algo sobre que eu queria ter escrito mais cedo: Falcao, um dos melhores pontas-de-lança do Mundo, vai cumprir o ser 6º ano no futebol europeu, e nesse período só jogou a Liga dos Campeões duas vezes - um pecado, mas não uma tristeza. Falcao, em parceria com o seu grande amigo Jorge Mendes (cujo conselho preferiu ao invés do de Pinto da Costa), está estará certamente muito feliz com as escolhas que fez (ou foi "aconselhado" a fazer), ele que considera posições menores na Liga Espanhola, são preferíveis a títulos em Portugal. Podia ter dinheiro e títulos, se tivesse, como fizeram outros, esperado o momento certo para sair (ao invés de o forçar), mas parece contentar-se só com dinheiro - que faça bom proveito.

Falcao: ambição inversamente proporcional ao tamanho da conta bancária

9 comentários:

DragaoMinho disse...

Na minha opinião Falcão é um mercenário cheio de qualidade futebolística que podia marcar a historia do futebol num grande clube europeu e prefere fazer uma volta pela Europa para encher os bolsos.
Para mim bastou o que fez pelo meu clube, podia ter feito mais, mas a partir do momento em que deixou o FCPorto sinceramente estou me nas tintas para o que faz da carreira dele!

Tiago Afonso disse...

Não concordo totalmente, pois em dois anos no Atlético de Madrid venceu três títulos: Liga Europa da UEFA: 2011-12; Supercopa da UEFA: 2012; Copa do Rei: 2012-13, Só não ganhou nenhum campeonato em relação ao que ganhou no Porto. Não considero que tenha feito uma má escolha. Sendo que a etapa no Mónaco é motivada apenas pelo dinheiro, obviamente.

meirelesportuense disse...

Falcao quando saiu do Porto para o Atlético esperava-o um projecto que se poderia qualificar como de futuro, mas essencialmente ele viu apenas o lado material, podia ter aguardado um pouco mais e sairia fatalmente para um grande da Europa. A sua transição para o Mónaco pareceu-me ainda menos conseguida, porque os monegascos não têm suporte emocional para se constituirem como um grande Clube. Agora esta passagem para o Manchester -com o Real na sombra- ficou envolta num grande mistério, desnecessário imbróglio que não enobrece a transferência, nem a carreira do jogador, mas pode ser um ponto muito importante da sua carreira, Manchester United é muito superior ao City e tem um perfume que só pode ser equiparado ao Real Madrid ou ao Barcelona. Talvez ali Falcao possa alcançar a relevância merecida, mas que em bom entendimento já possui, ninguém pode retirar-lhe o mérito e nisso o Porto foi fundamental na sua carreira.

Nelson disse...

Tenha calma Filipe Sousa, que o Miguel Lourenco Pereira vai ja aparecer ai a dizer que o Falcao queria ficar no Porto, mas foi o Pinto da Costa que o forcou a sair...

Agora mais a serio, estou absolutament de acordo com o artigo. Uma pena que um jogador deste calibre e talento se venda tao facilmente ao dinheiro...

Pedro ramos disse...

"Podia ter dinheiro e títulos, se tivesse, como fizeram outros, esperado o momento certo para sair "
Totalmente correcto, era só ter seguido o exemplo de Hulk (Zenit), Moutinho e James (Mónaco) e Otamendi (Valencia com um estágio no Atletico de Mineiro) só para citar alguns dos principais jogadores que esperaram e que pertenciam à mesma equipa.

Mr. Lord disse...

O Man Utd mesmo não estando na Champs é um grande clube mundial. E por outro lado Falcao pode não ter culpa dos clubes que apareceram para comprá-lo. Não é liquido que não tenha sido o Porto a pressionar para aproveitar a oportunidade de ser vendido.


Comentários elogiosos ou críticas à blogoesfera portista aqui:

http://maisumblogdofcp.blogspot.pt/

obrigado pela publicidade

meirelesportuense disse...

Também aceito a ideia que o Porto -a sua Administração- possa ter "influenciado" a decisão tomada pelo Falcao na escolha do Atlético. Ele renegociou a sua cláusula de rescisão pouco tempo antes de sair, no período de férias, um pouco como aconteceu com Jackson, isso quererá significar que havia já pretendentes sérios, o Porto conhecia-os bem e quais os valores propalados. O caso de Jackson é semelhante mas existe uma diferença essencial, a vigência da cláusula de rescisão apenas a partir da próxima época, coloca-o entretanto nas mãos do Clube. Em termos muito simples significa que ele só sai esta época se o Porto quiser.

Filipe Sousa disse...

Nem o James nem o Moutinho, foram forçados a sair para o Mónaco; talvez o James pudesse ter ficado mais um ano ou dois, mas o Moutinho julgo que já tinha vencido tudo e quereria um grande contrato lá fora. Porque razão saíu o Otamendi, ninguém sabe. O Hulk talvez tenha sido empurrado, mas o Porto não tem culpa que não tenham aparecido outros clubes interessados - concordo que merecia melhor que o Zenit. Por outro lado, Fernando, Deco, Mangala e até o Quaresma, não se podem queixar.

Sansoni7 disse...

Olá

Por aqui, mais um com a mesmíssima opinião....

Cumprs
Augusto