quinta-feira, 2 de outubro de 2014

Futebol Clube Caridade?

Os dirigentes do FCP têm, na última década, tentando separar as águas entre assuntos do clube e assuntos da (Futebol) SAD o mais possível, no que diz respeito a AGs (frequentemente recusando-se a falar sobre o futebol nas AGs do clube).

Pessoalmente parece-me uma atitude bastante cínica, já que o futebol é de longe a principal actividade do clube, ainda que indirectamente (numa SAD em que o clube só detém 40% de acções e direito de voto), e o que lá acontece tem enorme impacto para o próprio clube.

Mas pelos vistos para os nossos dirigentes (e presidente da AG) o que diz respeito ao futebol não é para ser discutido com os sócios, apenas com os restantes accionistas.

Bem, se é assim que querem  - e tendo também em conta que em esclarecimentos a sócios já foi dito que a venda de 50% do estádio não será hoje discutida na AG do clube, pelo menos por iniciativa dos dirigentes - então ainda mais simples é a decisão com que os sócios se vão deparar logo à noite na AG do clube, que basicamente é esta:

Deve o clube meter 37.5M€ a fundo perdido na SAD, a troco de nada?

Olhem direito para o que está escrito na ordem de trabalhos, e para mais nada (esqueçam portanto discussões sobre o estádio, fazendo a vontade à Direcção, que pelos vistos pensa que isso é assunto só para eles)... é que é mesmo essa a proposta que a Direção pede aos sócios que seja aprovada, por outras palavras.

Sim, porque a proposta é que esses 37.5M€ sejam «investidos» - e os parêntsis são de propósito - em acções sem direito de voto, o que faz com que não valham rigorosamente nada na prática.

Quem achar portanto que é no interesse próprio do clube e dos seus sócios doar uma quantia extremamente avultada para as suas possibilidades a uma SAD... 

1) em que só detém 40% (com os restantes accionistas a terem uma «free ride», não metendo um tostão no aumento de capital mas sem perderem qualquer poder), e 

2) que tem muito mais fontes de rendimento do que o próprio clube

...que esteja à vontade para votar a favor, de consciência tranqulia.

Ah, então e se os sócios votarem contra... quais as alternativas para a SAD?

Consigo pensar em várias, começando por uma óbvia (que pode e deve ser discutida já nesta AG): um cenário em que o clube investe sim senhor nessas novas acções, mas... com direito de voto, ainda que de forma indirecta através de por ex uma SGPS ou outra «engenharia financeira» qualquer (ver artigo abaixo). Será aliás interessante ouvir da boca dos nossos dirigentes a razão para não ser essa a proposta hoje apresentada.

De qualquer forma, isto sei eu: fazendo a vontade aos nossos dirigentes em querer separar as águas, discutir as alternativas parece-me um excelente assunto para (mais) uma AG extraordinária da... SAD, a convocar para as próximas semanas (i.e. no cenário dos sócios chumbarem a proposta feita na AG do clube). Isso é assunto da SAD e não do clube, certo?

Ah, mas poucas horas antes da AG do clube já tinha havido uma AG da SAD em que se tinha aprovado o aumento de capital? Verdade, mas isso não constitui um «facto consumado» (ao contrário do que possa vir dado a entender por alguns), já que estaria sempre condicional à aprovação da proposta na AG do clube. A consequência será, como disse, trabalho de casa para os dirigentes da SAD e mais uma AG extraordinária da SAD.

Uma salgalhada? Sem dúvida, mas resolúvel - e certamente não são os sócios que têm culpa dos dirigentes terem colocado a «carroça à frente dos bois» (i.e. convocar as duas AGs na ordem errada)...

19 comentários:

José Rodrigues disse...

Um ponto que será certamente aprovado na AG da SAD é a compra de 50% da EuroAntas (estádio) - e estou certo que isto será apresentado na AG do clube como um facto consumado, irreversível.

Tal não é verdade. Se o clube não injectar dinheiro no aumento de capital, a SAD não terá como pagar ao FCP (quase 50M) por esses 50%, e prevejo que se for preciso irão convocar nova AG extraordinária da SAD para revogar a decisão (e se calhar nem precisam de nova AG para tal, mas não sou advogado para saber isso ao certo).

Mário Faria disse...

Muito pertinentes os cometários do José Rodrigues. É de mau gosto o título. Não havia necessidade.

José Rodrigues disse...

Desculpa Mário mas é *precisamente* isso q a Direção defende q o FCP clube seja hoje à noite: um clube que faz caridade (nomeadamente para com a SAD).

HULK ONZE MILHAS disse...

Será que quando PdC nos diz que "com ele jamais o Clube será vendido a um milionário" se está a referir exactamente ao Clube e não à SAD do Futebol ?
Será que o negócio da venda da SAD não estará já consumado?
A AG iniciar-se-à às 21 ou às 21h30 ?
E qual o local ?
Obrigado

José Correia disse...

«O Auditório do Estádio do Dragão acolhe, esta quinta-feira, Assembleias Gerais extraordinárias da Futebol Clube do Porto, Futebol - SAD (15h00) e do Futebol Clube do Porto (20h30).
(...)

Ordem de trabalhos da Assembleia Geral extraordinária do Futebol Clube do Porto

1 – Discutir e deliberar, de harmonia com o disposto no art.º 116.º, n.º 29, ponto 2, dos Estatutos, sobre o reforço da participação do Futebol Clube do Porto, no capital social da Futebol Clube do Porto, Futebol – SAD, mediante a aquisição de novas acções.

2 – Condicionada à aprovação do ponto anterior, deliberar mandatar a Direção do Futebol Clube do Porto para praticar todos os actos e subscrever todos os documentos que se mostrem necessários ao bom cumprimento e execução da deliberação tomada ao abrigo do mesmo ponto um desta ordem de Trabalhos.

Se à hora marcada não estiver presente o número de Associados imposto estatutariamente, a Assembleia reunirá, em segunda convocatória, no mesmo local e com a mesma Ordem de Trabalhos, uma hora depois, com qualquer número de Associados presente, de acordo com as disposições estatutárias.»

in
http://www.fcporto.pt/pt/noticias/Pages/Dia-de-Assembleias-Gerais-no-Dragao.aspx

Filipe Sousa disse...

Continua a nao haver explicacao para o clube vender 50% da EuroAntas, ao invés de apenas 49%, correcto?

Rodrigues Machado disse...

Qual é a porta de entrada para o auditório?

Nuno Queiroz disse...

Espero apenas que todos aqueles que aqui se pronunciam sobre esta AG e que acham que é uma vergonha não se escondam e apareçam para mostrar o vosso descontentamento e votem contra esse negócio que dizem ruinoso. Se não aprecerem perdem uma boa oportunidade de terem ficado calados.

José Rodrigues disse...

Pela conversa parece que o Nuno Queiroz acha q é uma boa ideia para o clube injectar 37.5M a fundo perdido na SAD; seria interessante que explicasse porquê, porque ainda não vi um unico argumento a favor disso em lado nenhum (mas há sempre uma 1a vez).

De resto no que me diz respeito não é por viver a 2000km do Porto (mas por acaso ainda estudei a possibilidade de lá ir, mas não deu mesmo) que me iria calar. Era só o que faltava.

Mas ainda bem que fala nisso: porque é q o FCP não adapta a possibilidade de voto à distância (por correspondência ou mesmo electrónico), como já tantos fazem (vidé eleições legislativas em muitos países, por exemplo)?

Estamos no século XXI, e o FCP há muito que deixou de ser um clube local (para além de que muita gente do Porto, como eu, vive hoje longe do Porto) .

Bruno Miguel da Silva Moutinho Guedes disse...

Boa tarde.
Eu vou e consegui convencer a minha mulher a ir. Serão dois votos contra.
Por aquilo que o Sr. José Correia disse a entrada é feita pelo Parque P1, agora eu não sei qual é. Se é o dos jogadores ou se é aquele em frente a bilheteira que dá acesso ao Museu.
Estarei no café do Museu por volta das 8h15.
As vezes não consigo compreender como é possível termos chegado a este ponto, fui ou fomos mesmo cegos. Ou melhor pior, pois estávamos a ver o nosso clube a ir pelo abismo e não quisemos ver.
Mas também digo antes passar por isto que ser de outro clube qualquer.
Bruno Miguel Guedes -28061.
Uma pessoa arrisca a colocar aqui ou noutro blog o número de sócio mas também há-de vir o primeiro que mande vir comigo. Escondo-me atrás de um ecrã pois actualmente as tertúlias sobre o nosso FCPORTO já não existem, e que falta fazem.
Até logo.

Mário Faria disse...

A SAD fica "apenas" com 47% do Dragão.

Nuno Queiroz disse...

Caro José Rodrigues. Não disse nem podia dizer que é um bom negócio ou um mau negócio porque simplesmente não estou minimamente habilitado para tal. Agora, se há pessoas que o defendem como a melhor solução, a verdade é que foram mandatados para gerir o clube/SAD e não outros.

Nas AG voto à distância é um disparate. As AG são exactamente locais para se discutirem os problemas e soluções propostas e se não pode estar presente por distar 2000km pode sempre passar uma procuração para votarem em seu nome (acho que isso é possível) se for sócio, claro.

Eu a única opinião que manifestei é de que as pessoas que acham que é um negócio ruinoso compareçam e se acharem que está mal, votem contra. Não é ficar atrás de um PC a arrotar postas de pescada, sempre a criticar mas, na altura certa nunca aparecer. Dou-lhe um exemplo: O Sr. A. Magalhães, opositor de Pinto da Costa votou sempre (ou quase) sozinho contra os relatórios.

Já agora, será o Porto caso único na questão do estádio?????

Filipe Sousa disse...

O Porto não é caso único na questão do estádio - e depois? Porque os outros fazem, também temos de fazer? Vamos em modas?

José Rodrigues disse...

'Não disse nem podia dizer que é um bom negócio ou um mau negócio porque simplesmente não estou minimamente habilitado para tal. Agora, se há pessoas que o defendem como a melhor solução, a verdade é que foram mandatados para gerir o clube/SAD e não outros'

Acho piada quando pessoal diz q 'nao esta' habilitado' numa pergunta tao simples (meter dinheiro na SAD sem nada em troca) mas muitas vezes sao os primeiros a tecer opinioes sobre decisoes 1000x mais complexas do governo, Troika, guerra do Iraque, etc. Priceless.

Mas honra seja feita a quem ao menos admite abertamente q nestas coisas desliga o cerebro e segue cegamente o q os dirigentes propoem... antes isso do q inventar argumentos.

Quanto 'a questao da passagem do estadio para a SAD: antes de mais nao e' essa a pergunta q vai ser colocada logo 'a noite aos socios, mas sim se querem gastar um balurdio em accoes q nao valem nada; em 2o lugar, o FCP e' de facto o unico a passar o estadio para uma SAD q nao controla a mais de 50%.

José Rodrigues disse...

Ah, e ja' agora: os dirigentes nao foram mandatos coisa nenhuma para poder decidir quanto e em que moldes meter dinheiro na SAD. Por isso mesmo e' q sao obrigados a consultar os socios sobre isso na AG de logo.

Mas gostava de ver mais vezes os portugueses com uma atitude tao pusilanime em relacao aos governos (seja ele quem for).

'Decidiram baixar o salario minimo para 200 euros? E' pa', nao estou minimamente habilitado a comentar. Agora, se o governo o defende como melhor solucao, a verdade e' q foram mandatado para gerir o pais, e nao outros'

Alexandre Burmester disse...

Estes desafios a irem às AGs aos que, seja qual for o tema, se atrevem - é mesmo esse o termo exacto - a criticar qualquer aspecto da gestão da SAD ou do clube, só é feito no conhecimento de que tal comparência é um acto de coragem, e que as AGs do clube são uma caricatura da democracia - a começar pela votação de braço no ar, ou, para ser mais exacto, de cu no ar. Porque se as assembleias decorressem com civilidade, civismo e respeito pelas minorias, eses apelos cono o do Nuno Fonseca já decerto não apareceriam, pois a ida às assembleias passava de um acto de quase heroísmo ao mero exercício pacífico de um direito.

E, pegando nas palavras do José Rodrigues e nas analogias que usou a propósito do texto do Nuno Fonseca, daqui em diante só as pessoas devidamente "habilitadas" poderão criticar os governos, e os que não votarem só têm é que estar calados. Sim senhor!

Nuno Queiroz disse...

Caro José Rodrigues, em primeiro lugar o seu insulto mostra como é uma pessoa realmente inteligente e que é melhor do que os outros. Segundo, em lugar nenhum, em escrito algum eu defendi o negócio ou a SAD. Apenas dei conta da minha incapacidade para analisar o negócio de uma forma objectiva até porque se vários têm o mesmo negócio embora feito logo desde o início das SAD provavelmente não será assim tão mau. Por isso disse, e repito, a presença na AG era importante especialmente por parte de quem se opõe e que se esconde muitas vezes atrás do computador a debitar insultos e disparates para obter esclarecimentos e manifestar o seu desagrado pelo voto.

Ao contrário de si, eu dou o benefício da dúvida às pessoas e quando propõem negócios como este não quero acreditar à partida que existe um gato escondido com rabo de fora. Agora que lhe escrevo parece que é concensual que, afinal, as coisas foram feito no melhor interesse do FUTEBOL CLUBE DO PORTO.

Considero-me uma pessoa educada, informada, minimamente culta e, apesar dos meus quase 48 anos, gosto sempre de aprender coisas novas e de tentar perceber bem o que se passa sem preconceitos especialmente no que diz respeito ao clube do meu coração. Gosto muito de falar e conversar mas gosto de ser ponderado e ter o maior número de dados possíveis na mão. Não gostei da criação da SAD mas entendi-o à luz das leis criadas na altura. Não gosto de várias pessoas que lá estão mas, a verdade, é que olhando para as conquistas todas que temos tido, se calhar não são assim tão maus.

Claro que protestar toda a gente pode e manifestar-se é um direito e muitas vezes uma obrigação seja a favor ou contra. Agora, se queremos mesmo mudar alguma coisa no clube, a presença nas AG do clube e o voto são fundamentais. Não aceito que alguém possa criar um clima de terror só porque é contra a maioria. Isso não é o verdadeiro FUTEBOL CLUBE DO PORTO. Depois da AG, com certeza que você encontrará uma série de pontos negativos no negócio e mudanças efectuadas.

Apenas uma última coisa: Nunca votei Pinto da Costa por causa do que ele fez no verão de 1980 que segui com enorme apreensão diariamente apesar dos meus 14 anos. O FUTEBOL CLUBE DO PORTO não é de Pinto da Costa nem de ninguém em particular tal como o país não é do Passos Coelho, do Sócrates, do Costa ou Portas, etc.

José Rodrigues disse...

Nuno Queiroz,

antes de mais, nao insultei ninguem: o mais forte q disse foi q em certas ocasioes algum pessoal "desliga" o cerebro, e nao me parece q isso seja um insulto (insulto seria se dissesse q têm o cerebro constantemente desligado).

Em segundo lugar, o q aconteceu ontem nao foi a Direccao fazer esclarecimentos (eliminando malentendidos da parte de socios como eu) mas sim fazer VOLTA-ATRAS na proposta q tinha colocado na ordem de trabalhos. Ainda bem, e tenho poucas duvidas q tenham sido um bocadinho influenciados pela contestacao q se via aqui e em outros lados à proposta q tinham feito à partida.

«a presença na AG era importante especialmente por parte de quem se opõe e que se esconde muitas vezes atrás do computador a debitar insultos e disparates para obter esclarecimentos e manifestar o seu desagrado pelo voto»

Finalmente, no q me diz respeito NUNCA aqui no RP insultei algum dirigente (ou já agora treinador, ou jogador). Nem nos artigos recentes sobre este tema, nem no passado.

Aliás, nem eu nem nenhum outro autor do RP, logo esse «tiro» parece ter sido dado às escuras com destinatário incerto.

Nuno Queiroz disse...

Caro José Correia, se acha que não é insulto é a sua opinião, eu não gostei. Por outro lado, você acredita mesmo que a Direcção fez um VOLTA-ATRAS na proposta por sua causa ou por causa do RP. E a isso eu chamo presunção. Lá está, presunção e água-benta cada um toma a que quer. Acha mesmo que o negócio com a Somague se fez esta semana????

Quanto aos insultos, é só dar uma volta pela bluegosfera e pelos comentários que se lêem de pessoas que se dizem portistas. Acham que se tem de ganhar sempre com goleadas e não se pode correr riscos com as finanças. Qualquer situação que corra menos bem aparecem logo uma série de pessoas a debitar disparates seja aqui no RP seja noutro sítio qualquer.

A mim preocupa-me a situação financeira do clube com os fundos, empréstimos ou outras situações do género. Agora, depois desta AG não me parece lógico achar que existe "gato escondido com rabo de fora" quando o próprio F.Gomes disse que tem de haver um equilíbrio de contas.