terça-feira, 28 de outubro de 2014

As contas da SAD na Bluegosfera

Janeiro de 2008. Quando o ‘Reflexão Portista’ viu a luz do dia, houve (e ainda há) quem, por diversas razões, olhasse para este blogue de soslaio.

Ao longo destes anos, um dos aspectos em que o ‘Reflexão Portista’ se distinguiu da generalidade dos outros blogues portistas, foi na publicação, regular, de análises às contas, particularmente da FC Porto SAD.
No feedback recebido, ouvimos (lemos) de tudo.
Os comentários mais “simpáticos” acusavam o blogue de ser elitista; os menos simpáticos apelidavam os autores dos artigos de ignorantes e, pelo caminho, desafiavam esses autores a candidatarem-se às eleições do clube…

Outubro de 2014. Seis anos depois, a análise que os jornais, desportivos e generalistas, fazem às contas dos clubes/SAD’s, continua a ser tecnicamente (muito) pobre e, no essencial, continua a ser uma mera caixa de ressonância dos sound bytes que lhe são transmitidos em comunicados ou conferências de imprensa…

O JOGO, 22-10-2014

JN, 22-10-2014

… mas o panorama da bluegosfera mudou significativamente (para melhor).

O último Relatório e Contas da FC Porto SAD (correspondente ao Exercício 2013/2014), mereceu análises, mais ou menos profundas, em diversos blogues portistas.
Do que li, seleccionei alguns extractos de artigos publicados nos blogues ‘Mística do Dragão’, ‘BiBó Porto, carago!!’, ‘Mística Azul e Branca’ e ‘Tribunal do Dragão’ que, com a devida vénia, reproduzo a seguir.

--------------------


«Ao contrário do que Fernando Gomes diz sobre o Mundial ser responsável pelo avultado prejuízo, uma vez que fez atrasar alguns negócios, nomeadamente Mangala e Defour, as alienações dos passes destes dois atletas não chegariam para, sequer cobrir o prejuízo. Aliás, a alienação de Defour, calculo eu, nem sequer terá um efeito significativo nas contas e Mangala nunca na vida irá representar uma mais-valia igual aos 30,5 milhões de euros pelos quais o Porto vendeu a percentagem do passe que detinha, uma vez que o atleta ainda tinha valor nas contas do clube e Jorge Mendes se faz pagar bem;
(…)
O passivo aumentou cerca de 13 milhões, essencialmente à custa do aumento dos financiamentos;
(…)
Daqui é possível concluir que a situação financeira da SAD do Porto é deveras preocupante. Quantos anos poderemos aguentar este registo de gastar mais do que aquilo que temos, não sei. Mas era bom que os sócios e adeptos acordassem antes de levarem com uma bomba dessas em cima.»




«… usando a linguagem do “economês”, diria que assistimos a uma enorme destruição de valor. Para suprir este colapso nos capitais próprios já se conhece a solução encontrada: a passagem de 47% do Estádio do Dragão da esfera do Clube para a esfera da SAD que, de caminho, deu uma enorme ajuda para resolver o bicudo problema que o fair-play financeiro da UEFA veio criar ao não permitir que a média do somatório dos resultados dos três últimos anos não ultrapasse os 5M € de prejuízo.
(…)
Assim, depois de um resultado líquido consolidado negativo (prejuízo) de 35.734M € em 2012, e um igual resultado positivo (lucro) de 20.356M € em 2013, temos agora em 2014 este prejuízo de 40.701M €. Ou seja, a média destes 3 anos é de (-35,734 +20,356 -40,701) /3 = -18,693M €, isto é bem acima do tal máximo de 5M € permitido no regulamento da UEFA (mesmo considerando a possibilidade de abater os gastos com a formação e infra-estruturas), média considerada na avaliação da UEFA para este ano.
(…)
a) A cada ano que passa, cada vez mais se nota a extrema dependência da realização de mais-valias na transacção de passes de jogadores. Como este ano “apenas” se obteve nesta rubrica o montante de 23.907M €, o que representa uma diminuição de 52.538M € relativamente ao ano anterior, temos aqui a explicação para o descalabro das contas. Por isso falo em extrema dependência, porque uma coisa é depender 10% ou até 20% desta componente dos proveitos e que seria bem acomodada na estrutura dos proveitos, outra coisa totalmente diferente é quando se depende em 50%, ou mais, desta componente.
(…)
c) Os custos e perdas financeiras, fundamentalmente juros pagos dos empréstimos bancários e obrigacionistas, estabilizaram perto dos 13M €/ano (12.734M € contra 12.893M € no ano anterior). É bom que o ciclo ascensional que se vinha verificando tenha terminado, mesmo assim continua a ser um valor demasiado elevado e bem revelador do excessivo grau de endividamento. Para se ter uma ideia da relatividade destes números, basta dizer que estes encargos representam cerca de 15% dos proveitos totais quando, idealmente, não deviam ir muito além dos 5%.»




«Partindo do princípio que os nossos Custos correntes são quase sempre maiores do que os Proveitos, o que acontece? O Passivo sobe e os Capitais Próprios descem. Repare-se que neste último ano tivemos de Custos Operacionais 95,2M€ e de Proveitos Operacionais apenas 72,6M€. O máximo que se tem conseguido é manter o equilíbrio. Faltará depois, como é óbvio, esperar que apareça o milagre das mais-valias nas transações com jogadores, uma das formas de reduzir o Passivo, coisa que cada vez está mais difícil de atingir. Basta reparar nas Sociedades Desportivas que estão em falência técnica (por ex. os 2 circos da Segunda Circular) e aquelas que ainda continuam dependuradas no que resta dos apoios da Banca (por ex. Boavista).»



Tribunal do Dragão, 22-10-2014

«O FC Porto pagou em Junho 2,615 milhões de euros por 85% do passe de Kayembe à Danubio Finanzierungsleistungen und Marketing GMBH (tentem pronunciar isto sem se engasgarem). Kayembe estava emprestado ao FC Porto, ao que tudo indica. O FC Porto decidiu em Junho comprar 85% do passe, com encargos de 61.587€, e aí sim Kayembe assinou por 5 épocas.
(…)
Kayembe já não pode ser apenas um jogador na equipa B. Foi caro. Tem que ser uma aposta com vista ao futuro. Foi contratado em Junho. Pedido de Lopetegui ou intervenção da SAD, pouco interessa. Foi um activo caro, caro demais que ficar limitado a uma equipa B. Kayembe vai ter que evoluir no sentido de ter oportunidades na equipa A. Só o custo de Kayembe pagava uma época inteira do Feirense ou do Freamunde. Diria mais: em Janeiro devia ser emprestado para jogar já na primeira liga.»

--------------------

Todos vibramos com as vitórias e conquistas do FC Porto, mas cada vez há mais adeptos portistas com consciência, de que o enorme sucesso desportivo alcançado nas últimas décadas será insustentável se, fora dos relvados, o desequilíbrio estrutural das contas da SAD não for rapidamente corrigido.
Até porque, "balões de oxigénio", como foi a recente operação de passagem de 47% do Estádio do Dragão do Clube para a SAD, não podem ser usados todos os anos.

18 comentários:

Miguel Lima disse...



@ José Correia

antes de tudo, afirmo que hesitei em publicar este comentário, por saber (de antemão) que poderei ser alvo de respostas menos "simpáticas". e como para chatices já me bastam as do dia-a-dia... mas, ok! vamos a isso.

depois, acho que não haverá um único portista contente com um resultado financeiro de 40M€ de prejuízo. e com todas as 'nuances' contabilísticas que o mesmo R&C encerra.
não sendo da área e desconhecendo pormenores (pormaiores?) técnicos, abstenho-me de tecer muitos comentários sobre a questão; deixo esse assunto para quem de direito, mormente com a confiança em quem gere os destinos do Clube há mais de trinta anos. chamem-me "pintista" ou outro epíteto de igual teor que é para o lado que eu durmo melhor.

indo directo à questão.
com o devido respeito e a consideração que me merece, eis o meu comentário ao seu pertinente post, debruçando-me em exclusivo na correlação da ideia de «quem, por diversas razões, olhe para este blogue de soslaio» com a sua nota final de rodapé, sobretudo quando afirma «cada vez há mais adeptos portistas com consciência».

apenas quero deixar bem claro que não deixa de ser curioso (digamos assim) que tenha escolhido quatro espaços da bluegosfera que foram particularmente críticos - e só críticos - com aqueles resultados apresentados à CMVM.
pois eu sei de outros espaços, igualmente na bluegosfera, que, apesar das críticas assertivas, conseguiram apresentar soluções e sossegar os "espíritos mais desavindos" - não com promessas ocas, mas com a consciência de que só depende da Administração da SAD inverter este rumo e que tal será mesmo possível a médio prazo (ie, num espaço temporal até cinco anos).

portanto, de facto este espaço, por vezes, parece um pouco «elitista» [a adjectivação não é minha], no sentido em que parece zurzir "a torto e a direito" dentro da "Estrutura", mas sempre dando o "flanco" a quem tanto "bem" nos quer.

concluo afirmando que se por um lado devemos ter sentido crítico, por outro este último também deverá ser responsável.

abr@ço
Miguel | Tomo II

José Correia disse...

"... sobretudo quando afirma «cada vez há mais adeptos portistas com consciência»."

Miguel, para não adulterares o sentido, nem dares azo a outras interpretações, convinha teres escrito a frase toda e não cortares a meio.

O que eu escrevi, e repito, foi o seguinte:
"cada vez há mais adeptos portistas com consciência, de que o enorme sucesso desportivo alcançado nas últimas décadas será insustentável se, fora dos relvados, o desequilíbrio estrutural das contas da SAD não for rapidamente corrigido"

Miguel Lima disse...



@ José Correia

eu não pretendi adulterar qualquer sentido, sendo que o corte que fiz não interfere no que pretendi transmitir: que, na bluegosfera há mais espaços de discussão pública, para além dos referidos no texto, onde também se discute o último R&C, que não só de forma exclusivamente crítica.

abr@ço
Miguel | Tomo II

José Correia disse...

"...não deixa de ser curioso (digamos assim) que tenha escolhido quatro espaços da bluegosfera que foram particularmente críticos - e só críticos - com aqueles resultados apresentados à CMVM."

Miguel, provavelmente não lemos os mesmos blogues.

Daqueles que eu leio, seleccionei alguns extractos de artigos publicados nos blogues ‘Mística do Dragão’, ‘BiBó Porto, carago!!’, ‘Mística Azul e Branca’ e ‘Tribunal do Dragão’.

Sinceramente, pouco me interessa se estes quatro blogues foram "particularmente críticos", ou se são blogues da "oposição" (seja lá o que isso for).

A mim, como adepto, sócio (do Clube) e acionista (da SAD), interessa-me é se aquilo que escreveram traduz, ou não, uma análise correta da situação económico-financeira da FC Porto SAD.

Miguel Lima disse...


«ou se são blogues da "oposição" (seja lá o que isso for)»

que fique bem claro que, nos meus dois comentários acima, não há qualquer referência a «blogues da oposição». eu não utilizei essa expressão e também eu desconheço o seu significado - no sentido em que, apesar de opiniões contrárias, somos todos portistas.

por último, o que interessa ao caríssimo José Correia - «uma análise correta da situação económico-financeira da FC Porto SAD» - é o que para mim também deve ser de relevar (e somente no papel de adepto).
há é diferentes formas de o fazer...

José Correia disse...

"«uma análise correta da situação económico-financeira da FC Porto SAD» - é o que para mim também deve ser de relevar (e somente no papel de adepto).
há é diferentes formas de o fazer..."

Miguel, concerteza que há sempre diferentes perspectivas sobre a mesma realidade, as quais podem levar (ou não) a diferentes conclusões.

Contudo, chamo a tua atenção para os alertas e "avisos à navegação", que Fernando Gomes (administrador da SAD com o pelouro financeiro) fez nas últimas semanas.

As mesmas coisas, ou parecidas, ditas em "blogues da oposição" (eu sei que não foste tu que usaste esta expressão), serviram para que os autores desses artigos fossem quase insultados.

Alexandre Burmester disse...

"(...) não sendo da área e desconhecendo pormenores (pormaiores?) técnicos, abstenho-me de tecer muitos comentários sobre a questão; deixo esse assunto para quem de direito, mormente com a confiança em quem gere os destinos do Clube há mais de trinta anos."

Bem, caro Miguel, muita gente se diz não-competente para analisar devidamente os relatórios & contas da SAD, mas, quando se trata do Orçamento de Estado ou da situação económico-financeira do país, imediatamente opina como se tivesse um PhD da London School of Economics ;-) ! A mim quer-me parecer (e não estou a dizer que seja esse o seu caso) que esse argumento é, regra geral, uma forma de se evitar a crítica. O mesmo se diga do seu argumento da "confiança em quem gere os destinos do Clube há mais de trinta anos". Isso não só é uma demissão, como, se me permite, uma falácia retórica. Primeiramente, há mais de 30 anos, apenas dois conhecidos magos das finanças estão na Direcção do FCP/Administração da SAD: Jorge Nuno Pinto da Costa e Reinaldo Teles, Prémio Nobel da Economia. Em segundo lugar, o que tem distinguido as sucessivas administrações da SAD é os resultados desportivos, e de modo algum o desempenho financeiro, pelo que, nessa esfera, a confiança é deslocada.

Também acho descabida a sua afirmação de que, ao analisarmos as contas da SAD e a ela tecermos críticas, estamos a "dar o flanco a quem tão bem nos quer". Isso é um apelo à supressão da nossa liberdade opinativa.

Já agora - e desculpe-me a extensao do meu comentário - gostaria que me desse pistas para os tais blogs da bluegosfera que "conseguiram apresentar soluções, etc.". Também aqui, constantemente, se tem apontado soluções, o que, diga-se, não é muito difícil: gastar menos.

Um abraço

lima disse...

José Correia,

Aos que, ingénuos, continuam a acreditar no Pai Natal, informo que na bluegosfera há para todos os gostos. Alguns até são dinamizados por quem aufere ordenado na SAD para esse efeito.E são esses que constantemente gritam a sua superioridade moral sobre todos aqueles que, recorrendo aos números oficiais, ousam contestar o tresloucado rumo que, do ponto de vista financeiro, temos seguido nos últimos anos.

Lamentavelmente, o Dr Angelino, mal visto por demorar a ordem de pagamento das comissões, não conseguiu convencer os seus pares da bondade e absoluta necessidade de implementar um plano de ajustamento e redução dos custos da SAD. E assim, cá vamos indo, cantando e rindo, e enquanto a bola for entrando muitos não perderão um minuto a tentarem perceber o
descalabro que pode ser destino

Miguel Lima disse...


@ sr Alexandre Burmester

1)
reafirmo que, apesar de o meu curso de nível secundário, ser da área da "Contabilidade e Administração", actualmente não consigo ler um R&C de uma SAD, de modo a construir uma argumentação válida e segura. e se formos para um Orçamento de Estado... (destes últimos, sei é o quanto me vão ao bolso mensalmente e do rendimento líquido que perdi em menos de três anos)

2)
«há mais de 30 anos, apenas dois conhecidos magos das finanças estão na Direcção do FCP/Administração da SAD: Jorge Nuno Pinto da Costa e Reinaldo Teles»
são dois nomes que, para mim, são o garante de que querem mais do que eu e o sr (atrevo-me a escrever: mais do que nós todos juntos) o sucesso do nosso Amor comum: o Futebol Clube do Porto

3)
«Também acho descabida a sua afirmação de que, ao analisarmos as contas da SAD e a ela tecermos críticas, estamos a "dar o flanco a quem tão bem nos quer". Isso é um apelo à supressão da nossa liberdade opinativa.»

eu, que nasci, em '75 8sim!, sou um puto), estou muito grato às gerações anteriores por algo que nos permite estarmos, aqui e agora, nesta cavaqueira: a Liberdade (sobretudo de Expressão).
posto isto, o que afirmei é mais um apelo a que se teçam críticas de modo construtivo; ou, como o referi anteriormente, «de modo responsável». o que a «liberdade opinativa» não deve ser, no meu entendimento, é uma autêntica chavascagem e um lavar de roupa suja públicas, caindo no ridículo de uma certa libertinagem. é a este tipo de "críticas" que eu me refiro sobre o «dar o flanco», tão características noutros circos que não o nosso clube.
recordo, a título de exemplo, o "drama" que foi, para alguns, a transferência de uma percentagem da sociedade EuroAntas e a tranquilidade que se verificou após as célebres Assembleias-gerias (de accionistas e de associados)...

4)
aqui ("pérolas do R&C 2013/2014), e aqui, aborda-se a questão dos números que o último R&C trouxe a lume.

abr@ço
Miguel | Tomo II

Miguel Lima disse...



@ lima

o meu respeito por si terminou no primeiro período do seu comentário.

não nos conhecemos de lado algum, pelo que vá apelidar de «ingénuo» a quem lhe fez as orelhas.

Joao Goncalves disse...

Este blog, como outros, tem e muito bem realçado a parte negativa de todo o investimento no futebol.

Para mim, a estabelidade a nível da estrutura de futebol, principalmente do seu treinador, é o segredo para procedemos a um desenvestimento de forma controlada assim como promover um aproveitamente mais assertivo das camadas jovens.

Com Lopetegui isso pode ser atingido, apesar de temos de terminar com o idealismo unicamente resultadista, ou seja, Lopetegui só tem condições para continuar se for Campeão Interno ou Europeu... com este tipo de mentalidade não existe politica estruturante de investimento economico que resista.

Acredito, ou quero acreditar, que este sendo o ano zero de Lopetegui, é o ano necessário para ter havido um aumento da carga salarial e, assim sendo, das despesas fixas anexas ao futebol.

Se Lopetegui continuar, para o ano certamente cortará nas aquisições que não se firmaram na equipa e espero sinceramente que se debruce seriamente sobre a equipa B e começe a fazer limpezas a sério nessa área e quando falo em despesas, falo apenas do capitulo financeiro é claro.

Neste momento, já podemos identificar muita gente que não está a fazer nada no Porto e também alguns lugares que podem ser reforçados, como é o caso do Defesa Central e falo logo que disto porque, para mim, o desinvestimento terá de ser forçosamente feito na quantidade (sto sem tirara valor às alternativas Reyes e Lichnovsky mas analisando somente o que Lopetegui confia).

Na minha visão Porto, 62/65 jogadores seria o ideal/sufeciente para as 3 equipas estruturantes do FCP (A, B e sub-19) e todas as contratações para estas equipas só poderim ser feitas com o aval técnico e friso... técnico(!) do treinador da formação principal.

Por semana são convocados 54 jogadores, o que com lesões e castigos e etc os 8-11 jogadores extra seriam sufecientes e para além disso, os juniores podem sempre recorrer aos juvenis para reforçar as suas camadas.

Esta politica teria como impacto imediato a redução da massa salarial em termos absulutos de uma forma muito significativa e ter mais jovens portugueses a jogar com Objectivos e não somente por jogar.

Eu sei que se fala muito nos jovens terem ou não terem qualidade para a equipa A, mas verdade seja dita, nunca o saberemos se continuarmos a pensar em ser apenas e só resultadistas e não pensarmos numa estrutura completa que abranja as 3 equipas principais do nosso futebol bottom to top.

fim PARTE 1

Joao Goncalves disse...

Parte 2

E pior que isso é a ausência de estratégias completas... por exemplo... RIcardo Pereira está a ser preparado para ser um grande lateral ou um grande extremo? Pois certamente não será muito bom em ambas as áreas... Kayembé tem jogado a lateral esquerdo porquê? Com aquela capacidade defensiva vai tirar o lugar ao Ángel ou ao Rafa, já a pensar do futuro pós Alex Sandro? E com aquela técnica e vellocidade, não deveria estar a ser intensificado todos os esforços a torna-lo o melhor extremo possivel, ainda para mais sabendo-se que custou quase 3M€?

Nós a nível de estratégia de desenvolvimento futebolisco e da formação estamos igual ao pais... ou seja... vai-se andando e depois logo se vê... Zero de estratégia!

Quando pensamos que aumentamos a massa salarial em, que tivemos para este ano na ordem dos 22M€, e pensamos que temos nos nossos quadros Reyes e Kelvin (que o treinador não confia) + Opare, Lichnovsky, Adrian, o próprio Evandro, Tiago Rodrigues, Ricardo (GR), o próprio Otávio, David Bruno, Rolando, Siemann, Malthe Johansen, Braima Candé, Diego Carlos, Marko Pavlovski, Djim, eu digo imediatamente que os custos aumentaram por erros crassos na decisão de contratação e gestão.

Enfim... é este tipo de coisas que não quero que aconteça para o ano e que a limpeza no ano 1 de Lopetegui, possa realmente trazer uma limpeza orçamental da quantidade pois certamente teremos que investir senão em Tello e Casimiro, em outros com montantes semelhantes, provavelmente num lateral direito, se Ricardo não for preparado para isso.

Para mim a sairem Alex Sandro, Danilo e Jackson era uma opoortunidade de ouro, para estruturarmos tudo de uma forma ordenada e ganharmos aí uma folga orçamentel grande pois já temos Angel + Rafa, Aboubakar + G. Paciência (e já considerando perdido André Silva) e Ricardo Pereira + alguém.

Mas se nada disto for pensado nem preparado, Rafa não chegará, ao final do aano, com o nível necessário para ser alternatica a Ángel e Ricardo não chegará a um níve necessário para ser opção a Danilo ainda esta época e quem sabe assumir o lugar ou lutar pela titularidade com alguém após a saída de Danilo.-

Politica económica estruturante e Politica desportica bottom to up como medidas de controlo orçamental a longo prazo e supply da equipa A, é disso que o FCP precissa urgentemente!

P.S.: Peço desculpa pelo testamento

José Correia disse...

“…não consigo ler um R&C de uma SAD, de modo a construir uma argumentação válida e segura…”

Caro Miguel, não é preciso ser “craque” em Economia, para qualquer um de nós perceber algumas das coisas que constam do Relatório e Contas da FC Porto SAD.

Por exemplo, tal como o JCHS refere no ‘BiBó Porto, carago!!’, os “custos e perdas financeiras, fundamentalmente juros pagos dos empréstimos bancários e obrigacionistas, estabilizaram perto dos 13M €/ano (12.734M € contra 12.893M € no ano anterior)”.

Ora, qualquer adepto portista percebe que, para um Clube/SAD português, gastar cerca de 13 milhões €/ano em Juros é uma enormidade. E que é importantíssimo reduzir o Passivo Financeiro, de modo a que o desperdício anual da FC Porto SAD, em encargos financeiros, diminua significativamente.

José Correia disse...

“… a «liberdade opinativa» não deve ser, no meu entendimento, é uma autêntica chavascagem e um lavar de roupa suja públicas, caindo no ridículo de uma certa libertinagem. é a este tipo de "críticas" que eu me refiro sobre o «dar o flanco»…”

@Miguel
Não percebi esta tua afirmação.
Na tua opinião, os artigos que eu referi, publicados nos blogues Mística do Dragão, BiBó Porto, carago!!, Mística Azul e Branca e Tribunal do Dragão (e também no ‘Reflexão Portista’), acerca das contas da FC Porto SAD (refletidas no Relatório e Contas 2013/2014), são uma “autêntica chavascagem e um lavar de roupa suja públicas”?

José Correia disse...

“aqui ("pérolas do R&C 2013/2014), e aqui, aborda-se a questão dos números que o último R&C trouxe a lume”

@Miguel
Os “aqui” e “aqui” que referencias, remetem para artigos publicados nos blogues ‘BiTri’ e ‘Portistas de Bancada’ (que eu não tinha lido).
Ora, eu não percebi onde queres chegar com estas duas referências.

Era a estes artigos/blogues que te estavas a referir, quando afirmaste (noutro comentário) «eu sei de outros espaços, igualmente na bluegosfera, que, apesar das críticas assertivas, conseguiram apresentar soluções e sossegar os "espíritos mais desavindos"»?

Miguel Lima disse...


@ José Correia

1)
tudo o que cita refere-se à minha resposta ao comentário do sr Alexandre Burmester.

2)
respondi por pontos, por forma a que a explanação do meu raciocínio fosse perceptível - e com "isto" não pretendo insultar a inteligência seja de quem for, sequer arvorar-me em ser o mais esperto cá do sítio; só estou a explicar como o fiz.

3)
sobre a questão da «liberdade opinativa», obviamente que esta não se refere aos blogues que cita, nem a qualquer blogue, seja ele qual for. era o que mais faltava!
o que eu escrevi é o que penso de uma forma genérica e sem ser em exclusivo sobre a bluegosfera; a saber:
que essa «liberdade opinativa» não deve ser, no meu entendimento, sinónimo de uma autêntica chavascagem e de um lavar de roupa suja públicas, caindo no ridículo de uma certa libertinagem.

4)
as hiperligações para os artigos nos blogues "bitri" e "portistas de bancada" são a minha resposta ao desafio lançado pelo sr Alexandre Burmester, que e cito:
«gostaria que me desse pistas para os tais blogs da bluegosfera que "conseguiram apresentar soluções, etc."»

portanto, sim!, são (também) esses os «outros espaços, igualmente na bluegosfera, que, apesar das críticas assertivas, conseguiram apresentar soluções e sossegar os "espíritos mais desavindos"». mas não são os únicos.

Filipe Sousa disse...

Nao ser um expert em Economia e Financas, nao deverá ser um obstáculo mas antes um incentivo para conhecer mais e melhor as contas do Clube e da SAD; até posso compreender que haja quem prefira deixar tais assuntos nas maos de Pinto da Costa, em virtude dos resultados (desportivos) que tem apresentado, mas convém nao esquecer que o Presidente nao vai durar para sempre, e que quem vier atrás será (e terá de ser necessariamente) alvo de um maior escrutínio por parte dos sócios - "nao deixes para amanha..."

José Correia disse...

Miguel Lima disse:
“… quero deixar bem claro que não deixa de ser curioso (digamos assim) que tenha escolhido quatro espaços da bluegosfera [blogues ‘Mística do Dragão’, ‘BiBó Porto, carago!!’, ‘Mística Azul e Branca’ e ‘Tribunal do Dragão’] que foram particularmente críticos - e só críticos - com aqueles resultados apresentados à CMVM.”


Miguel Lima disse:
“… portanto, sim!, são (também) esses [blogues ‘BiTri’ e ‘Portistas de Bancada’] os «outros espaços, igualmente na bluegosfera, que, apesar das críticas assertivas, conseguiram apresentar soluções e sossegar os "espíritos mais desavindos"». mas não são os únicos.”


Miguel, desculpa lá, concretamente, em que é que os artigos que tu referiste (dos blogues ‘BiTri’ e ‘Portistas de Bancada’)…

http://obitri.wordpress.com/2014/10/23/perolas-do-relatorio-e-contas-20132014-i-os-salarios-da-administracao/

http://obitri.wordpress.com/2014/10/24/perolas-do-relatorio-e-contas-20132014-ii-70-milhoes-em-salarios-para-2015/

http://obitri.wordpress.com/2014/10/25/perolas-do-relatorio-e-contas-20132014-ii-o-aumento-do-passivo-e-os-capitais-negativos/

http://portistasdebancada.blogspot.pt/2014/10/contas-ao-mundial-e-patrocinadores.html

… são menos críticos e/ou apresentaram mais soluções/caminhos para o futuro, do que os quatro espaços da bluegosfera, de onde eu tirei os extractos que fazem parte deste artigo?

É que eu estive a ler os artigos dos blogues ‘BiTri’ e ‘Portistas de Bancada’ (os links estão em cima) e, num dos casos, até vi criticas bem mais ácidas (para não usar uma palavra mais forte) para a Administração e Estrutura do FC Porto.