quinta-feira, 9 de outubro de 2014

Impressões sobre Julen Lopetegui, parte II


Gosto deste treinador e acho que tem feito um bom trabalho.

Tem gerido bem o grupo e a rotatividade parece-me natural, face à carga a que os jogadores foram e vão ser submetidos: campeonato, champions, taças e selecções. Tello, Óliver, Alex Sandro e Casemiro já estiveram de baixa e a presente época vai ser dura, se nos mantivermos nas principais provas.

Salvo o resultado do jogo com o Boavista, temos ultrapassado as dificuldades de forma positiva, dadas as circunstâncias, nas quais se incluem muitos factores: a qualidade dos adversários, a inspiração, a sorte, a arbitragem e os famosos detalhes que são imprevisíveis e que os treinadores ainda não comandam, felizmente.

Espero que o Lopetegui se mantenha pelo período de vigência do seu contrato.

O que mais temo, neste momento, não é a exigência dos adeptos porque isso é natural: o que me chateia é intransigência que noto nas bancadas. Há uma má vontade contra Lopetegui que extravasa o bom senso e que radica, na minha perspectiva, numa ilusão que se vem construindo que ao treinador basta puxar os cordelinhos e que os jogadores, feitos marionetes, vão cumprir de forma eficiente.

O treinador competente, segundo as regras,  comanda pela via de um esquema ideal que optimiza os recursos da equipa e neutraliza a capacidade do adversário. É tudo muito fácil: enquadrar os jogadores, estudar o adversário, definir as linhas e os processos em que o jogo interior se casa com a exploração dos corredores e quais os artistas que vão habitar o espaço entre linhas que funcionará como uma espécie de cavalo de Troia pronto a dinamitar as fortalezas defensivas edificadas pelo adversário. E definir as zonas de pressão,  como se realizam  as transições e se garantem os equilíbrios e a ocupação dos espaços.

Terça-feira, num programa desportivo em que participa VP como comentador, foram feitas algumas críticas ao treinador Lopetegui usando a mesma argumentação de pendor geométrico que o ex-técnico do FCP denunciou na condição de treinador, de forma muito convicta e justa.

Percebe-se este posicionamento: os treinadores comentadores têm de manter a ilusão da sua condição de cientistas magos para resolver o pontapé na bola em cheio no alvo e ficam reféns de uma retórica que visa apenas explicar melhor as incidências do jogo. O que era suposto ajudar  a uma melhor interpretação de factos ocorridos desportivamente, transformou-se em doutrina  que se  cristalizou como regra maior. Um espécie de pensamento único.

Quando os homens no terreno se deixam engolir no léxico dominante do pontapé que os comentadores usam ao desbarato, estão a desvalorizar a sua função e torna-la matéria fácil e acessível a qualquer bom observador, quando a sua função principal é bem menos escrutinada e habitada: a do treino, da gestão do grupo e das expectativas. E não são capazes, lamentavelmente, de expressar algo diferente e com as mais valias da experiência  com o cheiro e a experiência do balneário.

Concluindo: dei por mim a confiar no treinador Julen Lopetegui e a considerar que o devo apoiar. Tem um discurso diferente, é teimoso, bom profissional, luta pelas suas ideias, não se encolhe, é desafiante e pouco humilde. Diferente do habitual que se revê nessa condição primeira “de respeito pela nossa identidade”, seja lá o que isso for e em banais frases feitas do "jogo a jogo" ao do "levantar a cabeça", que agrada a toda gente, porque nada dizem e é politicamente correcta. E ajuda a ter boa imprensa o que é muito útil.

Boa sorte, Julen.

55 comentários:

JON disse...

Caro Mário, concordo com a parte dos comentadores, por exemplo, Freitas Lobo, Bruno Prata ou Carlos Daniel. São ridículos e dizem invariavelmente um chorrilho de asneiras. Pior: não ajudam ninguém a perceber melhor o jogo.

O VP, embora pouco dotado em termos de oratória (e de retórica, já agora), tem um conhecimento do jogo muito superior. Não ouvi os comentários dele ao jogar do Lopetegui, mas ouvi outros anteriormente e são sempre incisivos. Quando não seja mais por outra razão, relembro que o VP terá concedido tantas oportunidades de golo em transição nos jogos em casa todos como o Lopetegui só no jogo com o Braga. Isso não é de somenos.

Concordo quanto ao comentário positivo relativamente à postura, comunicação, até quanto à (visível) gestão dos jogadores (o Quaresma a 2m do fim do jogo foi para mim de mestre).

De resto, esperamos todos que o Lopetegui melhore o seu modelo de jogo. Muito.

Nuno Nunes disse...

Estou de acordo, na generalidade, com a opinião do Mário. Este treinador tem o rasgo que a equipa precisa nesta altura. Chegou sem conhecer o futebol português e as suas idiossincrasias mas acredito que hoje já terá uma ideia consistente do que são os adversários (equipas e árbitros).

Falta, porém, que a equipa concretize as oportunidades. É a crítica que faço neste momento: o FC Porto marca poucos golos.

O discurso é claro e honesto e está muitos furos acima do dos restantes treinadores do futebol indígena.

Desejo-lhe também as maiores felicidades no FC Porto.

reine margot disse...

A "intransigência" nas bancadas (e em tantos comentários ou posts) é apenas resultado da dificuldade de aceitar mudança. O que Lopetegui fez , porque o tinha de fazer, foi um corte com o que existia. Teve que o fazer, porque o futebol muda muito rápido, e o nosso modelo/capacidade de formar/comprar esgotou-se...
Esqueçam Mourinho e Deco, esqueçam Libras Boas e Falcao; que esses já não moram aqui, e hoje não conseguiam repetir as proezas ! E, esqueçam o futebol de contenção, com medo de arriscar do VP...

- Claro que os adeptos gostam é de rolos compressores tipo Exterminador ; não gostam de futebol, ou, como se ouve com frequência agora, não gostam de sofrer...
Gostam de ver o espectáculo, de serem entretidos, mas não gostam de se emocionar... de participar.
Nem os intelectuais do futebol gostam do futebol, porque necessitam a todo o custo de lhe retirar espontaneidade, nem o povo gosta de futebol; gosta é de ganhar!

(- Depois das declarações do Quintero a dizer que os jogadores gostam da rotatividade, porque assim todos jogam, quero ver como algumas botas se vão descalçar...heheh)

Quanto ao Julen, acho que foram buscar a pessoa certa.
Resta saber se vai ter paciência para ficar os 3 anos.


Mefistófeles disse...

Exatamente. Esse vai ser o desafio de Lopetegui: pachorra ! Para o país e para os adeptos do clube que representa, que esta coisa de que "somos exigentes" começa a meter-me um certo nojo.

Joao Goncalves disse...

Muito bom Reine Margot!

É mesmo isto na "muche"!

Lopetegui tem qualidades e defeitos como qualquer um de nós, mas estou muito feliz por o ter à frente da equipa.

Temos uma equipa que joga com alegria, que ataca, que sabe o que está a fazer em campo e que... inacreditávelmente... joga contra outros jogadores (coisa que os adeptos da treta ainda não se aperceberam mesmo passados tantos anos).

Como é possível à 7ª jornada ainda não sermos campeões??? Inacreditável! Este Lopetegui tem de ser despedido!

É esta a base de pseudo-adeptos que vão fazer as figuras tristes no estádio.

A rotatividade é fantástica para o espirito de grupo e para a competividade interna... com Lopetegui, todos os jogadores sabem que amanhã podem jogar... com VP todos os jogadores sabiam quem ia jogar amanhã... uma pequena diferença mas que demostra claramente a razão de quando não jogavam o núcleo de 12/13 jogadores a equipa simplesmente não rendia.

Como jogador que já fui, o pior sempre foi a quebra de espectativas... estar no banco e saber que só se está a fazer numero reduz os níveis de concentração e de motivação assim como a aplicação nos treinos e um jogador nestas condições nunca produz nada de jeito... Lopetegui resolve isso com a rotatividade e claro, também tem materia prima para o fazer.

Pedro ramos disse...

A minha desilusao para com Lopetegui é muito simples: dado o seu discurso e modelo de jogo que supostamente defende tinha expectativa ver em campo determinados comportamentos ou a tentativa de os por em prática, mesmo correndo mal. Se tenho esperança que as coisas melhorem? Sempre, mas nao significa que os adeptos tenham de fechar os olhos.

Quanto ao comentários dos comentadores da CS nao perco um segundo que seja por isso é totalmente indiferente quais os disparates que dizem.

Quanto á má vontade contra Lope, confesso que nao a sinto, bem pelo contrário vejo muitos adeptos encantados, aliás há muito que alguém nao entrava tao facilmente no "coraçao" dos adeptos.
Agora o que se vê no estádio, com assobios ou protestos contra a equipa logo aos 10 min de cada jogo, para mim é outra coisa completamente diferente, é uma estupidez clássica de muitos adeptos que se aos 15 min já nao estamos a ganhar por 3 ou 4 pensam que já estao no direito de achincalhar a equipa.

Paulo Costa disse...

Ah, o sacrossanto VP, a referência das referencias. Não há comparação que se possa fazer sem recorrer ao homem que percebe mais de futebol do que o Guardiola. Antes dele foi tudo apagado, inclusive o AVB que deve tudo ao adjunto. Depois dele nada será igual.

Eu olho e vejo o Porto com tantos golos marcados (8) em 2 jogos da LC como o VP1 em 6 jogos da LC e 2 da LE. Quantos dos 13 golos sofridos foram em transição? Ninguém sabe, é um mistério.

Devia fazer-se um case study sobre como é que um treinador que conseguiu sair do Porto para o Al Ahli e do Al Ahli para a RTP é tido como a grande referência do futebol portista.

Nuno Fonseca disse...

"Quando não seja mais por outra razão, relembro que o VP terá concedido tantas oportunidades de golo em transição nos jogos em casa todos como o Lopetegui só no jogo com o Braga. Isso não é de somenos."

Que grande estatística esta!!! já agora estamos a falar de que números? só para se ter uma ideia. VP tinha mangala, otamendi e fernando. Só pra enunciar algumas diferenças. Que interessa o VP agora? Já temos um treinador, chama-se Lopetegui!
A única reserva que tenho com este treinador, é o facto de a equipa ser demasiado jovem, com muito bons valores individuais, mas muito jovem. Faz-me lembrar uma grande equipa inglesa mas que não ganha quase nada. Sabem quem é?

Nuno Fonseca disse...

Tal e qual! comentário perfeito!

DragaoMinho disse...

Não, não, discordo completamente, os assobios são de quem vai ao estádio e começa a ver remakes de filmes já vistos no Dragão, logo nos primeiros 15 minutos de jogo!
Cenas de encantar qualquer adepto de certeza que fica tudo muito contente e muito paciente, com perdas de bola absurdas, chutão para frente passes inconsequentes perda de tempo desesperante, bola para trás constantemente! E tudo isto quando sabemos da obrigação de ganhar e ser campeão caso contrario eu também diria todo contente "paciência são novinhos estão a começar o treinador não percebe é estrangeiro...temos tempo só quero ser campeão daqui a 3 ou 4 anos", nos temos é que ganhar e se assim for ninguém assobia a equipa nem treinadores e ponto final!
Sou contra os recitais de assobio e assobiadeiros, que fique claro mas percebo as razoes claras e óbvias porque o adepto só pode e deve ficar contente com as vitorias quando se começa a por paninhos quentes nas derrotas e empates então perdemos a cultura de vitoria e exigência !
Abraço

JON disse...

Ri-me com a vossa resposta. É que ficam mesmo danados.
Amiguinhos, quem falou no VP foi o escriba do texto acima, daí a comparação.

Se há alguns adeptos que comparam alguém com o VP é por duas razões: 1) saiu imerecidamente do nosso clube depois de ter sido muito mal tratado pelos adeptos, dado o desempenho ; 2) ainda estão para ver alguém espelhar metade da competência técnica que ele demonstrou, especialmente tendo em conta que tinha pela frente o melhor Benfica desde que o futebol é mais do só 11 jogadores em duelos individuais.

Se não gostam, não leiam. Passem à frente.

Quanto ao Lopetegui: eu, pelo menos, nunca lhe fiz uma crítica leviana. O que apontei foram sempre erros visíveis a quem quiser ver. Também o elogiei em algumas coisas, nomeadamente algumas em que é melhor que o VP.

Quanto ao actual treinador, eu sempre que posso estou presente e nunca na vida assobiei ninguém do meu clube.

Espero mesmo muito, sonho com isso, que ele me demonstre que estou errado e que de facto vai ser capaz de montar um grande colectivo e trazer-nos grandes vitórias.

PS: eu moro em Lisboa. Se há alguém que sofre quando o Porto não ganha, são os adeptos que vivem aqui, podem ter a certeza disso!

José Lopes disse...

Depois da assobiadela monumental por o Quaresma nao ter entrado contra o Lille que acredito em qualquer tipo de imbecilidade de quem acha que assobiar em todos os jogos e' ser exigente.

José Lopes disse...

DragaoMinho, a cultura de vitoria e exigencia e' muito bonita, mas esses assobios ja eram vistos com varios outros treinadores que foram campeoes. As pessoas esperam que qualquer jogo seja como contra o BATE. Se houver dificuldades, jogadores em sub-rendimento, adversarios que apresentam uma estrategia adequada, ja nao ha paciencia.

pancas disse...

Ja tinha lido no post anterior do Jose Rodrigues que "Lopetegui nao se escuda em declaracoes para encher chouricos" e agora o caro Mario Faria diz que "tem um discurso diferente, nao baseado em banais frases feitas" (parafraseando)

Gostava muito de perceber onde se baseam para dizer isso... Acho que Lopetegui tem um discurso (para o exterior) que e do mais banal e politicamente correcto possivel. O seu discurso assenta sempre nas mesmas frases, sobre qualquer adversario:

- Este e um adversario muito forte
- Temos que estar muito bem preparados, jogar ao nosso melhor
- Queremos ser protagonistas, arranjar solucoes para todas as situacoes
- So estamos preocupados com este jogo seguinte, nao com o proximo
- Vamos jogar com o 11 que nos der maiores probabilidades de successo

Arre, se isto nao e um discurso de banalidades...
E, a seguir aos jogos a mesma coisa... com a excepcao de desculpas sempre que nao ganha (nunca analisa erros proprios, e sempre erro de outros...)

Nunca o ouvi falar de futebol a serio, analisar o jogo jogado, explicar o porque de jogar A ou B, o porque de certas mudancas tacticas, etc. Ate Jorge Jesus, no meio do seu mau portugues e arrogantismo, consegue falar de futebol a serio nas conferencias...

Nao sou assobiador, mas tambem nao distorco os factos para aplaudir o que nao merece aplauso...

DragaoMinho disse...

So lhe posso dar razão, eu também sinto que há portistas que queriam cabazadas em todos os jogos, mas ficar insatisfeito após 3 empates é normal para quem quer ser campeão, ainda pior quando isso significa a perda da liderança e não podemos esperar palmas após derrotas ou empates caso aconteçam daqui para a frente,isso sim um comportamento reprovável nas bancadas do dragão caso isso acontecesse!
Quando se fala de ter empatia com treinadores e jogadores, não podemos hipócritas e pensar que essa empatia surge pela boa cara do treinador ou pelas suas ideias, na realidade só as vitorias geram consenso e empatia com todos os que são responsáveis pelo clube!
Treinadores que foram campeões e contestados, dito assim parece idiota, só que ninguém é idiota!
Dou um exemplo, numa corrida de atletismo dois atletas correm para ser campeões a poucos metros do fim, a 2 metros da linha de chegada um deles parte uma perna por estar a festejar antecipadamente e fica ali estendido, o outro muito atrás vem a passo e é campeão!
Onde esta o mérito do campeão? Ou será demérito ou azar do que partiu a perna?
(Depois de ser campeão e dos festejos esse mesmo atleta foge para as arábias com medo de ter que ir correr outra vez contra o mesmo adversário)
Enfim, o exemplo pode não ser o melhor, mas é a ideia que tenho de um certo treinador que apesar de ser competente e de ate ter gostado do trabalho dele, foi contestado e não teve empatia nenhuma!!

pancas disse...

Realmente Lopetegui tem muito a ensinar a VP sobre rotatividade. A comecar com os largos minutos que ele tem dado ao Kelvin, que o VP deu minutos em muitos jogos.
Ai, espera, ele ainda nao jogou!!!

Se calhar e porque o Lopetegui tem um plantel de vasta qualidade e o VP tinha um plantel da treta em que so 14-15 jogadores se aproveitavam e por isso e que ele nao podia fazer grande rotatividade. Ou era com Liedsons, Djalmas, Serenos que se ia fazer uma grande rotacao? E um pouco diferente quando os reforcos de ultima hora sao sub-21 espanhois em vez de refugo da liga portuguesa!!!

E ja agora, a tal equipa de 12/13 jogadores nao rendeu? so rendeu um bicampeonato so com uma derrota. O Lopetegui quando mostrar que tem hipoteses de chegar a esse rendimento, tudo bem. Ate la, tem de comer muita sopa para essas comparacoes...

Comentario faccioso!!!!

JON disse...

Não digas isso, que dizem já que há má vontade contra o Lopetegui! Ahaha
O gajo tem a melhor imprensa possível que tenho visto para um treinador do Porto. Dos adeptos então... É a tal empatia...

Espero mesmo estar muito enganado...

Joao Goncalves disse...

Ponto nº 1 Que eu saiba Kelvin não pertence ao plantel principal

Que eu saiba dizer que VP tinha uma má equipa quando tinha Maicon, Rolando, Fabiano, Castro, Rodriguez, Defour, Iturbe, Djalma, Atsu como alternativa aos titulares e para além de Izmalilov, Liedson ou Kelvin é puro, isso sim, facciosismo!

Que eu saiba, jogar na retranca, ser humilhado nas provas europeias, lavar nas nalgas nas taças todas secalhar não faz de VP um grande treinador não?

VP ganhou com um futebol desprezivel e vê-se o quão desprezivel é agora mesmo, pois Lopetegui usa o mesmo padrão só que virado para o ataque e não virado para a defesa.

Dois campeonatos com jogos paupérrimos e com empates deprimentes e humilhações constantes em vários locais é a herança que VP nos deixou...

Joao Goncalves disse...

Então é melhor começares a prestar atenção às conferências de imprensa e flash-interviews pós jogos.

Concordo que na abordagem ao jogo, Lopetegui é um "cliché" mas nas declarações pós-jogo é tudo menos isso... analisa, crítica quem tem que criticar, responde às questões tácticas e às razões de ser e é duro para com os jogadores quanto tem de ser.

Nuno Fonseca disse...

Não estou danado. Mas ainda estou à espera dessa estatística que dá conta das oportunidades permitidas pelo Porto contra o Braga vs aquelas permitidas durante toda a era VP. Se fosse possível fornece-las era fantástico.

PS: Também acho VP um bom treinador e que foi injustiçado pelos adeptos quase todos. Parece-me é lamentável que essa injustiça só seja realçada em alguns treinadores. Lopetegui ainda nem teve tempo para errar e já aparecem as vozes do costume. É aquelas guerrinhas que muitos querem comprar, em vez de ter realmente prazer em ver o clube jogar. Aposto que se Lopetegui tiver sucesso, vão aparecer os abutres portistas a dizer que só ganhou porque tinha melhor equipa que VP e etc...

pancas disse...

O Rolando pertencia tanto ao plantel do VP como pertence agora ao do Lopetegui - que eu saiba nao foi vendido...
Achar que Castro, Djalma, Atsu, Liedson, Izmailov sao da mesma qualidade que jogadores como Tello, Aboubakar, Casemiro, Evandro, Angel, etc so pode ser brincadeira. os primeiros sao jogadores que mal conseguem ser titulares em equipas de meio de tabela na Turquia...
O Maicon, Defour, Rodriguez jogavam varias vezes (o Rodriguez saiu ao fim do primeiro ano)

Jogar na retranca? ser humilhado? futebol desprezivel?

Jogos pauperrimos sao os que estamos a ver agora... em que estamos sempre com o credo na boca porque os defesas nao se sabem posicionar, o meio campo nao existe e os adversarios rematam a nossa baliza varias vezes por jogo. No tempo do VP a maior parte dos adversarios nem entravam no nosso meio campo!!!

E o VP nao se desculpava com os arbitros e o tempo e a fada madrinha cada vez que perdia pontos... simplesmente punha a equipa a jogar de maneira que mesmo que fossemos roubados (e eramos na mesma) nao importava.

O mesmo padrao??? Uma licaozinha gratis de futebol, ja que vejo que nao pescas mesmo nada disso... um dos segredos do VP era ter os jogadores sempre perto uns dos outros e usar o centro do terreno preferencialmente. O Lopetegui acha que o centro do terreno tem alguma maldicao e planta os jogadores nas faixas com muito espaco entre os jogadores. O padrao nao tem nada a ver e por isso e que qualquer clube mija na escada consegue pressionar a equipa do Lopetegui (como conseguiam pressionar a equipa do Paulo Fonseca) e provocar erros.

Tivesse o VP os recursos (jogadores) que o Lopetegui tem e nao eram as galinhas que iam na frente. VP fez milagres com a miseria de plantel que tinha, esticou os 14-15 jogadores de qualidade que tinha e foi eliminado da europa quando teve lesoes (Moutinho em Malaga + expulsao de Defour) ou foi obrigado a rodar para jogadores de baixa qualidade (tacas), ja para nao falar da segunda metade da ultima epoca (James no estaleiro, jogo na Luz com juniores no banco) - quando e que o Lopetegui vai precisar de convocar juniores???

Sou portista porque sou exigente! Nao me contento! E nunca, mas nunca sou seguidista - isso deixo para os lampioes e o seu culto do Vieirismo...

Nuno Fonseca disse...

Poça! Vocês são mesmo daquele geração de "exigentes". Boa para vocês! Têm sempre algo para criticar e isso alivia o espírito!

Pedro ramos disse...

"Cultura de vitória e exigencia" hahaha.

Daniel Gonçalves disse...

JON disse às 15:08 "ainda estão para ver alguém espelhar metade da competência técnica que ele demonstrou, especialmente tendo em conta que tinha pela frente o melhor Benfica desde que o futebol é mais do só 11 jogadores em duelos individuais."

Meu caro, respeitando a sua faixa etária e a sua personalidade, concluo das suas palavras que o JON só acompanha o FC Porto há meia-dúzia de anos, ou então a sua memória é “curta”. Quanto a benefícios ao benfica dentro de campo - pela arbitragem -, ou fora de campo - pelo poder e instituições vigentes – o JON deveria analisar como era a situação nos anos 60, 70 ou 80 antes de efectuar afirmações infundamentadas. Os benefícios ao benfica continuam nos nossos dias mas sem igualar o passado, o que se passa actualmente não se compara em nada ao antiguamente. Poderia dar inúmeros exemplos de prejuízos ao FC Porto pela arbitragem mas um benfica-Porto - quando tínhamos Fernando Riera como treinador - em meados dos anos 70 é um óptimo exemplo de aquilo que o JON classifica como “o futebol ser mais do que 11 jogadores”: ao intervalo ganhávamos por 2-0, e na 2ª parte a arbitragem conseguiu colocar o benfica a vencer por 3-2, portanto não bastava ao FC Porto praticar o melhor futebol ou ser o melhor dentro de campo. Vítor Pereira nunca teve dentro de campo, ou fora dele, tantas adversidades, por parte da arbitragem, como tiveram outros treinadores do FC Porto no passado.
Quanto ao melhor benfica, considero que – e qualquer benfiquista sério o poderá confirmar – que o benfica de Erickson, ou até o de Lajos Baroti, era incomparavelmente superior ao benfica de JJ. Tal não impediu que José Maria Pedroto de triunfar, num contexto em que não teve metade das condições favoráveis que VP teve, e numa situação desportiva, social e cultural anti-FC Porto muito pior daquela que VP teve de enfrentar.
O JON considera que VP é “soberbo” (classificação sua, que roça o sobre-humano e semidivino como diriam os gregos antigos) a nível táctico/estratégico enquanto era deficiente noutras qualidades, ora um treinador avalia-se exclusivamente por uma única qualidade ou atributo? Deve sim ser avaliado pelo todo, como qualquer profissional de outra área, por um conjunto diversificado de qualidades e não apenas por uma, pois “a parte má vai anular a parte boa”. Não desvalorizo nem quero tirar mérito ao trabalho de VP enquanto treinador do nosso Clube, mas olhando para o passado do FC Porto tivemos melhores treinadores, no conjunto do trabalho e qualidades, do que VP. Afirmar que a era VP foi “o melhor dos mundos”, que foi o apogeu, o zénite da qualidade futebolística - para além da qual não é possível melhorar ou evoluir - de sempre no nosso Clube é desconsiderar - e menorizar - o trabalho anterior de outros treinadores e, sobretudo, desrespeitar o passado e a História do FC Porto.

Daniel Gonçalves disse...

Caro JON,

Deixe-me também dizer que igualar ou defrontar no mesmo patamar o nosso rival, já há muito que deixou de ser o único desiderato da ambição desportiva do FC Porto, talvez o fosse em 1970, em 1977, ou ainda 1985, mas já não o é em 2014, como já não o era em 2011. Parece-me, e posso estar enganado, que está implícito na sua argumentação que podemos ter prestações medíocres nas competições europeias mas desde que ganhemos ao benfica – seja de que nível for – a nível interno aceita-se e é o critério por excelência para avaliar uma temporada.

"eu moro em Lisboa. Se há alguém que sofre quando o Porto não ganha, são os adeptos que vivem aqui, podem ter a certeza disso!"
Respeitando os portistas de qualquer parte do País Continental, Ilhas, antigas províncias do Ultramar, ou oriundos de qualquer parte do Planeta, considero que quando o FC Porto perde todos sofrem, obviamente que se estiver em território carregado de rivais – como em Lisboa - e em minoria o sofrimento, e a “humilhação” a que é sujeito, tornam-se mais difíceis de suportar, também conheço bem essa sensação pois os meus antecedentes familiares são oriundos de terra maioritariamente benfiquista.

João disse...

E mesmo assim ninguém lhe pega. Ele há coisas.

É pena que o medíocre Benfica da época passada, que limpou 3 títulos e vendeu jogadores por valores recorde não perdesse 5 pontos de avanço em Coimbra e Guimarães nem entregasse o campeonato de bandeja contra o Estoril em casa e aos 92 minutos de um jogo feito. Tinha dado imenso jeito. Entretanto este ano vai no melhor arranque da era Jesus, mas fraquinho, fraquinho..

João disse...

E aquele manco do Iturbe, mas esse nem ao banco ia, não é? Belluschi, outro coxo que também não aparecia no banco porque já tinha levado guia de marcha. Assim é mais fácil...

João disse...

Jeito, jeito era alguém que falasse de blocos e de linhas e de profundidade, treta que qualquer pessoa com dois dedos de testa percebe em linguagem leiga mas que têm muita saída na RTP. Menos na Arábia Saudita, curiosamente... E no mercado de emprego do futebol em geral, já agora.

a pessoa disse...

Caro Daniel,

Interpretou-me mal. Quando disse que o futebol é mais do que 11 contra 11 referia-me a que de há uns anos a esta parte o futebol mudou. De facto, desde que Sachi começou a jogar à zona o futebol mudou imenso e deixou de ser marcação homem a homem e, nesse contexto, deixou de bastar ter os melhores jogadores, mais fortes, mais determinados para vencer. É preciso ter também os mais organizados.

Isso aconteceu nos anos 90 para cá.

De lá para cá, só vi 1 equipa do Porto melhor que as de VP na equipa técnica (como principal ou adjunto, foi a de Mourinho. Esse Mourinho entretanto desapareceu. Hoje existe um que abandonou a beleza de jogar bom futebol e prefere ficar-se pelos resultados...

a pessoa disse...

Este meu homónimo gosta mesmo de bater no ceguinho...
Quando você perceber que o futebol é mais do que resultados ou ser ou não ser contratado, falamos. O Mancini, por exemplo, foi campeão inglês e é um nabo total. O VP dá-lhe mil a 0. E agora, posso pensar assim, ou estou proíbido?

a pessoa disse...

Ao menos, caro João, seja imparcial. Toda a gente que se informa sabe que o Iturbe não jogou no Porto por questões extra-futebol. O VP fez o que lhe mandavam, porque ao contrário de outros, não faz o que "quer"...

O Belluschi, como o Guarín, como o Palito, como o Cebola, como o Fucile, com a saída do AVB e do Falcao não aceitaram a lidernaça do VP. Sabe-se bem que só com a limpeza do balneário se pode trabalhar. Mas é mais fácil dizer que foi o VP que não os aproveitou, né?

a pessoa disse...

Nuno, eu quero muito que o Lopetegui tenha sucesso. Mas como já foi diagnosticado em vários sítios (no Tactical Porto, por exemplo), ele tem muita coisa de preocupante no seu modelo de jogo. É só isso o que digo. Alguém que encontre outra crítica minha que não essa. Já o defendi na questão da rotatividade, já o defendi em termos do que aparenta de liderança, etc.
Só me preocupa a maneira como a equipa joga e principalmente como lhe falta (boa) organização.

Caro João, você pegou-me mesmo de ponta, ha?
O Benfica, este e o dos anos anteriores, é o melhor desde há muitos muitos anos. E pergunta você porquê. E eu respondo, para si em especial, com carinho: porque tem um treinador que, apesar de burgesso em muita coisa, percebe muito de bola e apresenta muita ORGANIZAÇÃO, coisa que o Lopetegui para já não apresenta!

Em função disso, e porque o campeonato é longo e no fim ganha quase sempre o melhor, naturalmente que fico... apreensivo com o que tenho visto.

a pessoa disse...

Porra, estou no pc da minha senhora, esqueço-me sempre. É o JON aqui.

João disse...

Outra vez a mesma conversa? Pela milionésima vez, o Belluschi não forçou a saída. Foi preterido por opção técnica.

Sobre Iturbe não sei nada, se calhar devia saber mais.

DragaoMinho disse...

olha este quer ser mais papista que o papa!
Vou andar atento aos seus comentários por aqui!

José Correia disse...

João, durante meses (entre Maio e Dezembro de 2011), houve N notícias sobre a iminência da renovação desejada por Belluschi.
Renovação essa que nunca aconteceu.

Em 17 de Dezembro de 2011, o CM publicou o seguinte:

«Fernando Belluschi voltou ao onze de Vítor Pereira por força da lesão de Defour, mas tem dado sinais de intranquilidade no balneário e nos treinos do FC Porto, soube o CM. O motivo é a renovação do seu vínculo contratual, que termina em Junho de 2013. Enquanto o médio tem pressa de definir o futuro, os responsáveis portistas têm adiado as conversações para a renovação, depois de lhe terem prometido mais dois anos de contrato, em Maio.»

Daniel Gonçalves disse...

Caro JON/a pessoa,

equívoco esclarecido, foi uma interpretação errada pela minha parte do seu comentário e das suas afirmações.

Também concordo com um dos seus comentários acima quando afirma que Mancini não é um bom treinador. Um excelente jogador não se torna necessariamente num bom treinador.

Luís Vieira disse...

Só uma achega: valorizo o Vítor Pereira precisamente pelos bons resultados conseguidos (no campeonato), pela eficácia (sobretudo defensiva) e pela organização/controlo do jogo. E concordo: o futebol é mais do que resultados e contratos (vide Marcelo Bielsa). Assim sendo, estritamente quanto ao futebol, pergunto: era "belo"? Esteticamente atraente? Empolgante? Arrebatador? Triturador? Inesquecível? A minha opinião rotunda: não. E, por isso, por muito que "espalhe magia" no comentário e que seja um erudito da bola como nunca visto (na biblioteca da FADEUP haverá lá uns quantos), nunca terá o reconhecimento da grande maioria dos adeptos portistas. Não por causa dos resultados, como o JON repete à saciedade, mas justamente por causa do futebol. Organizado, controlador, eficaz (em prova de regularidade, não em provas a eliminar), mas aborrecido, lento, sem golpes de asa (excepção feita aos artistas Hulk e James) e resultadista. E atenção: sou um fã do tiki-taka e acho o Barcelona do Guardiola a melhor equipa da história (supostamente a inspiração do Vítor Pereira), por isso não há preconceito de "estilo". Baseio-me em factos: gosto de bom futebol e com o Vítor Pereira só vi isso num parco período da segunda época. Muito pouco.

Luís Vieira disse...

Quanto à questão da organização Jesus vs Lopetegui, a resposta é evidente: a do primeiro advém de um trabalho contínuo de 6 épocas; a do segundo está em construção há relativamente pouco tempo com um plantel transfigurado. Já apresenta alguns bons sinais e outros menos bons, mas não vejo necessidade de se incorrer em alarmismos precoces. Se no Natal a coisa estiver igual e não apresentar evolução, nesse caso, sim, há motivo para preocupação. Por ora, embora tenhamos menos 4 pontos do que no ano passado à 7ª jornada, sinto-me muito mais confiante do que com o Paulo Fonseca. Chamem-lhe salto de fé ou confiança cega, mas é o que sinto e, para já, basta-me.

Luís Vieira disse...

Caro José Correia, quanto ao tema em discussão nada tenho a dizer, mas se me permite e se não for muito incómodo, por favor, não recorra ao CM para ilustrar as suas opiniões. É um comportamento anti-portista :)

Pedro ramos disse...

"Sou contra os recitais de assobio e assobiadeiros, que fique claro mas percebo as razoes claras e óbvias porque o adepto só pode e deve ficar contente com as vitorias quando se começa a por paninhos quentes nas derrotas e empates então perdemos a cultura de vitoria e exigência ! "
Isto para mim em nenhum lado é ser adepto do Porto, é apenas ser adepto do clube vitorioso seja ele qual for.

a pessoa disse...

Luís, bateu na tecla certa. Hulk e James. Agora pensemos, no que faltava ao futebol do VP, o tal arrebatamento, quem havia para nos dar isso?

Varela? Liedson? Atsu? Defour? Pois...

Sim, havia Lucho e Moutinho, mas esses sempre foram mais de equilíbrio do que de desequilíbrio.

José Correia disse...

Caro Luís Vieira, faça uma pesquisa no Google por "belluschi porto renovação 2011" e vai ver a quantidade de notícias que encontra sobre a anunciada renovação do Belluschi, a qual, afinal, não se concretizou.

Como é mais do que óbvio, não foi por razões técnicas que Belluschi deixou de ser opção e saiu do FC Porto.

Luís Vieira disse...

Como lhe disse, não questiono a situação do Belluschi, nem tão-pouco queria intrometer-me nessa discussão. Só me arrepia a citação do Correio da Manhã, um pasquim abjecto anti-portista que não deveria merecer tempo de antena como fonte noticiosa. Se for para bater no CM, cá estarei a aplaudir!

Nuno disse...

"Concluindo: dei por mim a confiar no treinador Julen Lopetegui e a considerar que o devo apoiar. Tem um discurso diferente, é teimoso, bom profissional, luta pelas suas ideias, não se encolhe, é desafiante e pouco humilde. Diferente do habitual que se revê nessa condição primeira “de respeito pela nossa identidade”, seja lá o que isso for e em banais frases feitas do "jogo a jogo" ao do "levantar a cabeça", que agrada a toda gente, porque nada dizem e é politicamente correcta. E ajuda a ter boa imprensa o que é muito útil."

Basicamente neste momento o lopetegui é bom pela mesma razão que o Quique era grande treinador para os lampioes quando chegou... No campo ainda tem muito a provar dado que o nosso meio campo nao joga nada.

José Correia disse...

"Só me arrepia a citação do Correio da Manhã, um pasquim abjecto anti-portista que não deveria merecer tempo de antena como fonte noticiosa"

Luís, a questão, neste caso, não é CM.
Esta noticia do CM vem na mesma linha de dezenas de outras noticias, publicadas entre Maio e Dezembro de 2011, no JN, no JOGO, no DN, etc., e que davam como certa a renovação do Belluschi.
Mas, afinal, Belluschi não renovou e saiu do FC Porto.

A questão é: em termos de plantel, VP é culpado de alguma coisa?

Sim, devia ter feito como Lopetegui (que encostou imediatamente Varela) e ter-se recusado a trabalhar com Rolando, Álvaro Pereira, Guarín, Belluschi, Fucile e todos os outros jogadores que, na altura, deram cabo do balneário e/ou manifestaram vontade de sair do FC Porto para irem ganhar mais dinheiro.

Luís Vieira disse...

Pronto, se citasse os restantes meios de comunicação que agora enunciou, nem sequer teria comentado. Quanto à questão Vítor Pereira, já por diversas vezes manifestei a minha opinião (presumo que o José a conhecerá bem), por isso não vejo utilidade em chover no molhado.

Luís Vieira disse...

Agree to disagree: na minha opinião, o 11 base tinha todas as condições para proporcionar melhores exibições, sem menosprezo da falta de alternativas válidas em algumas posições.

DC disse...

Realmente já cansa e eu gabo a paciência a quem ainda a tem.
Para mim o "caso VP" é simples: havia alguns iluminados que do alto da sua sapiência futebolística, começaram a dizer que o homem era péssimo, não valia nada, ia afundar o Porto, etc... Que iam para o estádio assobiar, que vinham para os blogs anunciar a desgraça, que deram o campeonato como perdido, etc...

Depois... o homem ganha um campeonato depois de ter ido vencer o rival ao seu próprio campo. Lá tiveram os sapientes que acalmar um bocadinho.
Mas logo voltaram ao ataque no ano seguinte mal o Porto foi ultrapassado no campeonato. Mas... o homem foi campeão outra vez. Bi-campeão invicto e com uma derrota em 2 anos!
E os sapientes, que tanto sabem de futebol, que tanto fizeram previsões de desgraça, levaram um atestado de incompetência bem esfregado na cara. E isso deu-lhe raiva, deu-lhes ódio ao VP. O facto de ele lhes mostrar 2 anos consecutivos que eles entendem pouco ou nada de futebol mexe-lhes com os nervos, não é fácil de suportar. Eles, os fantásticos treinadores de bancada, que tiveram dois anos o caixão aberto e ele ousa não os deixar concretizar o funeral?

Para mim é isto, só isto que pode explicar tanto disparate que, ainda hoje, se vê por aí escrito. Vingança e azedume por tanta competência futebolística de bancada ter sido vergada por um mero adjunto.

Nuno disse...

Basicamente é por ainda DC, e esses mereceram levar com o Paulo Fonseca o ano passado para ver o que é bom... este ano vamos la a ver como acaba..

Luís Vieira disse...

A César o que é de César (por alguma razão desconhecida, o comentário foi publicado em cima, mas é este o local devido): "Pronto, se citasse os restantes meios de comunicação que agora enunciou, nem sequer teria comentado. Quanto à questão Vítor Pereira, já por diversas vezes manifestei a minha opinião (presumo que o José a conhecerá bem), por isso não vejo utilidade em chover no molhado."

Paulo Costa disse...

Tanta raiva incontida. Oxalá o Barcelona ou o Bayern façam o convite que o VP tanto espera, para ver se esta gente sossega.

Luís Vieira disse...

DC, vi mais azedume neste comentário do que na restante crítica ao Vítor Pereira. Não é caso para tanto. E se quer que lhe diga: sou grato ao Vítor Pereira pelos 2 campeonatos e pela lições ao Benfica/Jorge Jesus. Isso não invalida a crítica que lhe aponto, neste e noutros comentários, sem sentimentos de "vingança" (?).

DC disse...

Há críticas e críticas Luis e você já não é novo aqui no blog, sabe bem do que eu falo ;)

João disse...

Owowowow então? Passamos de "forçar a saída" para "pediu um contrato melhor" e, assim de repente, já são situações equivalentes? Quer dizer, toda a gente, com o Fernando, Jackson e Otamendi à cabeça mais recentemente, pode pedir um contrato melhor menos o Belluschi que foi só dos melhores jogadores em 2010/11?

Vamos lá ser honestos que não era de "pedir um contrato melhor" (que até parece inteiramente merecido" que estava a falar.