domingo, 19 de outubro de 2014

Sirenes de alerta no Dragão

O JOGO
«São demasiadas alterações na equipa-base. Independentemente dos jogos e das seleções, o problema é a mentalidade de Lopetegui, que, se calhar devido à falta de experiência, faz demasiadas alterações. A equipa não é constante, quebra com as mudanças, não cria ascendente e no último terço tinha de ser mais fluída, mais forte.»
António Sousa (ex-jogador do FC Porto e do Sporting), O JOGO, 19-10-2014


«Lopetegui voltou a experimentar e voltou a dar-se mal. Será cedo para começar a pôr em causa o lugar do espanhol, mas urge definir um rumo. Uma grande equipa precisa de ter estabilidade no seu onze, o que não quer dizer que tenha que ter sempre o mesmo onze.»
Germano Almeida (jornalista do Maisfutebol), 18-10-2014

«A defesa do FC Porto falhou. Marcano não é Martins Indi e, sobretudo, José Ángel não é Alex Sandro. Lopetegui mexeu demais e ofereceu «buracos» autênticos em zona crucial, que o Sporting soube aproveitar.»
Germano Almeida (jornalista do Maisfutebol), 18-10-2014


«A ideia que me dá é que o FC Porto fica sempre aquém do que quer aplicar. E quando sente isso, muda. Jogadores e suas posições.»
Luís Freitas Lobo, O JOGO, 19-10-2014


«Lopetegui quis colocar fogo no ataque, com Adrián López muito perto de Jackson, deu asas a Óliver e Quintero nos flancos e destapou a manta toda no meio campo.
(...) Falta jogo interior ao FC Porto e Lopetegui precisa de ter mais perícia a montar a equipa.»
Norberto A. Lopes, JN, 19-10-2014


José Manuel Ribeiro
«O FC Porto está fora da Taça de Portugal e perdeu pela primeira vez esta época, porque Julen Lopetegui leu mal o momento da equipa dele. Sem entender que estava semeada a dúvida entre os jogadores e que, por isso, precisava de se agarrar a alguns princípios, o espanhol rodou o barómetro da rotatividade e das inovações tácticas mais uns graus para lá do máximo recomendável e rebentou com a máquina.
(…) o treinador do FC Porto começou por provocar a sorte ao deixar Brahimi no banco e prosseguiu com alterações importantes no sistema táctico: em vez do 4x3x3, um 4x4x2 ou 4x2x4 (…)
(…) Lopetegui joga sempre vários jogos num só. Na cabeça dele, já estavam previstas outras etapas e até é possível que estivesse montado um plano infalível para disparar Brahimi e Tello na segunda parte.
(…) A reacção foi regressar a um meio-campo mais tradicional. Rúben Neves substituiu Casemiro, Quintero passou a jogar como dez e Óliver deu a vaga a um extremo genuíno (Tello). Ou seja, uma combinação nova, provavelmente nunca utilizada e que precisou de aprender em andamento num jogo desta importância (…)»
José Manuel Ribeiro, O JOGO, 19-10-2014


Depois de um início de época prometedor, a equipa do FC Porto, em vez de evoluir, regrediu.
Motivo(s)?
Semana após semana, tem-se vindo a formar um grande consenso, acerca de qual é a origem do principal problema (que não o único), que vem afectando a equipa do FC Porto nos últimos 4-5 jogos.

Capa de O JOGO
E há sinais importantes, transmitidos por jornais e jornalistas insuspeitos de serem anti-Porto ou anti-direcção do FC Porto.

Chamo à atenção para os extractos que reproduzi acima, da crónica do FC Porto x Sporting, assinada pelo director de O JOGO.

Eu aprecio bastante a forma, inteligente, como José Manuel Ribeiro escreve e escolhe, cuidadosamente, as palavras para transmitir o que pensa. Mas, o título da sua crónica – Como Lopetegui levou Lopetegui ao fundo – e os “recados” que espalhou ao longo do texto, são uma mensagem clara (para bom entendedor…).

E, tal como o anterior director de O JOGO (Manuel Tavares), ninguém pode dizer que José Manuel Ribeiro seja um crítico da administração da FC Porto SAD ou das suas escolhas.

Esta época, José Manuel Ribeiro começou a “torcer o nariz” muito mais cedo e isso, vindo do responsável máximo de um jornal editorialmente próximo do FC Porto, parece-me um sinal importante, que o director de O JOGO envia aos… responsáveis da SAD azul-e-branca.


Nota: Os destaques no texto a negrito são da minha responsabilidade.

22 comentários:

João Fernandes Pinheiro disse...

Está bem observado. E acho que o futuro do nosso lopetegi esta muito dependente do jogo com o bilbao. A estrutura não vai ter a paciência que teve com o PF, muito por termos um óptimo plantel e, pelo trauma do ano passado. E depois claro está, uma vitória do Bruno de Carvalho...

Antonio Jesus disse...

Oxalá esteja enganado, mas tenho cá um feeling:
* Taça de Portugal: já fomos;
* Liga: 3° lugar;
* Taça da Liga: 4os de final;
* Liga dos Campeões: 8os de final;

miguel.ca disse...

O Lopetegui transpira inexperiencia, teimosia e incompetencia por todos os poros da pele duma forma inequivoca desde o inicio da epoca mas muitos de nós recusaram-se a constactar o evidente.

Luis Pereira disse...

Sou um desses "muitos de nós". Perdemos um jogo (o primeiro, aliás) com auto-golo, "auto-assistência" e um "penaltie" falhado (mais um) e o treinador é que é culpado, incompetente, inexperiente e teimoso? Sim, culpado por ainda só ter perdido um jogo, inexperiente porque só agora apareceu no futebol da minha terra, incompetente porque ainda coloca os melhores a jogar e eles falham (Maicon e Jackson) e teimoso porque...sim. Perde = incompetencia. Ganha = competencia. Simples, não era?

meirelesportuense disse...

Eu considero que o Lopetegui abusa da rotatividade, ontem deixou de fora jogadores nucleares como AlexSandro e Indi...Já não falo do Brahimi que acabou por entrar mas numa fase difícil, ele e Tello. O meio campo, especialmente na zona mais defensiva está caótico, um nome assalta-me, Campaña!...Metam o homem e vejam como ele se desenrasca...Depois Herrera é muito esforçado e dá músculo ao miolo, físico é preciso. Tenho dúvidas entre Rúben e Casemiro. Na defesa acho que Danilo, Maicon, Indi (Marcano muito infeliz) e Alex Sandro. Fabiano ou Andrés Fernandez? Não sei, Andrés é bom no jogo de pés e frente ao Sporting fez duas defesas espectaculares...Depois na frente, Tello (Quaresma) , Jackson (Aboubakar) e Brahimi. Na linha média Óliver e Quintero para ocupar o lugar de abre latas e apoio mais directo ao ponta de lança. Leiam a crónica no site do FCdoPorto, corresponde a 100%, mais os dados que lancei, sobre o que aconteceu no jogo de ontem.

miguel.ca disse...

Portanto obter um empate milagroso com o Guimarães, ser a unica da liga que empatou com o amador Boavista em casa entre outras demonstrações inequivocas de futebol desorganizado e aos repelões e de experiencias tacticas absurdas que nos colocam a 4 pontos do slb para a liga e fora da taça de Portugal para lá de uma rotatividade inutil e desnecessária nesta fase da epoca que prejudica a dinamica da equipa e a insistencia em errors de casting é para ti o caminho a seguir? Que falta de ambição, credo!

André Pinto disse...

O Luís Pereira fala só do que convém à sua tese. Aborde os seguintes temas:

- Qual é o 11 titular do FCP, estando já quase em Novembro?
- Como pretender implementar um sistema de jogo à Barcelona, com um meio campo sem criativos?
- Oliver na ala?
- Estabilidade nos defesas centrais?
- Estabilidade no lateral esquerdo?
- Lentidão na circulação de bola e ausência de jogo interior, com Jackson naufrago no meio dos centrais adversários?
- Saída de bola sem qualidade, sendo que já toda a gente topou que basta pressionar alto e por alturas do Casemiro perdemos a posse?
- Níveis físicos de merda?
- Treinador a culpar os jogadores no rescaldo do jogo?
- Adrian não joga e depois entra num jogo desta importância?
- Experiências constantes no mesmo jogo?
- Alinhar sempre num equívoco, dar 45 minutos de avanço e mudar sempre ao intervalo?
- Desperdício de recursos e chacota futebolística, vide jogo contra o Boavista?

Admita Luís: - está em negação. As coisas não estão a correr bem e alguma coisa tem de mudar. Negar que Lopetegui não tem responsabilidade nesta ordem de coisas é ridículo. E temo que as coisas no balneário já estejam um bocado más, tendo em conta as suas declarações de ontem. Acha que as coisas vão mudar, por razões esotéricas que ninguém entende? Ainda bem e Deus o guarde de estar errado. Pela minha parte, era claro desde a pré-temporada que Lopetegui não tinha unhas para esta guitarra.

Fernando B. disse...

Floptegui !

Luis Pereira disse...

Não cheguei a apresentar a minha "tese" pois limitei-me a responder a generalidades, também com ... generalidades inversas mas ainda me "esforcei" por dar, pelo menos, um exemplo por cada generalidade. Ou seja, criticar por criticar é fácil. Tanto para um lado como para outro. Já o André Pinto deu alguns exemplos do que não estará bem. Com alguns concordo, com outros nem por isso.
Aproveito para dar a minha "tese", em 3 aspectos, do que poderá melhorar sem entrar na conversa de mudar de treinador de meio em meio ano, mudar a administração toda e coisas do género.
Maior eficácia nas bolas paradas incluindo "PENALTIES". É gritante a falta de eficácia da equipa nos últimos 3 anos. Este ano já convertemos penalties e livres, mas não daqueles que resolvem um desafio. Acho que é um aspeto primordial e já foi tema de um post pelos autores deste blog.
A eficácia no passe tem de ser melhor para uma equipa de "champions". Os passes para o interior e as recepções tem de melhorar.
As reposisões de bola em jogo têm de ser mais rápidas (como faz o Helton).
Tudo isto pode ser melhorado no treino.
Por isso, creio não estar em negação. Não está tudo bem, mas não vou por alguns caminhos que alguns portistas e adeptos seguem na tentativa de melhorar.

meirelesportuense disse...

Há uma coisa que também é necessária e urgente: -Observar bem os adversários. Eles observam-nos, nós observamo-los e quem souber observar melhor, tira obviamente partido da sua observação. Agora esperar pelas ciscunstâncias do momento leva a isto, 45 minutos de atraso em quase todos os jogos.

meirelesportuense disse...

Mas mesmo no caso do Fabiano, não se percebe...Um guarda-redes que acabara de ver o seu contrato renovado não foi posto a jogar. Idem para o Rúben Neves. E foi uma surpresa enorme, porque o jogo era de grande responsabilidade, até pelo ambiente criado pelo Presidente do Sporting...Eles vinham cagadinhos de medo -o Marco Silva tremia- e o Treinador do Porto deu-lhes o que eles queriam.
Até pareceu-me ler nos lábios do Lopetegui na conversa com o ex-treinador do Estoril no final do jogo, qualquer coisa como, "ó pá, descansa, que eu vou-me embora não tarda nada!"

Pyrokokus disse...

Algo está muito mal. Os erros defensivos acontecem, mas tem se de conseguir arranjar forma dentro da estrutura de minimizar o impacto deles.
Posso estar errado, mas acho que a equipa só tem um modelo de jogo, e quando é necessário ter outras opções ficamos emperrados.
Isso aliado à falta de entrosamento em campo devido à rotatividade imposta leva a que os jogadores por vezes não saibam o que fazer à bola e que andem perdidos em campo.
Mas o maior problema para mim é que esta é uma reedição da época passada, mas com uma diferença gritante, a qualidade do plantel.

Mudanças constantes na equipa, ninguém sabe o que tem de fazer, mas com um plantel de qualidade muito superior.
Se no ano passado ainda ganhamos a Supertaça, este ano vamos ficar a pão e água e a culpa não é do plantel.

Na LC como o nível de conhecimento e estudo das equipas adversárias é inferior, a coisa parece nem correr muito mal, mas no plano interno que todos nos conhecem e sabem como jogamos penso que no final do ano teremos uns 12 pontos de atraso para a liderança. A equipa é jovem, e estes jogos e exibições vão atira-la para o fundo.

Penso que o Lopetegui terá de abrir os olhos (tal como o Co Adrianse), deixar de ser teimoso e render-se ao óbvio. No futebol já está tudo inventado, basta seguir as regras e iremos voltar a ser uma equipa ganhadora. Depois de ter a equipa estruturada e a ganhar jogos, pode começar a tentar inventar qualquer coisa.

José Rodrigues disse...

Bem, eu dizia aqui no rescaldo de pre-epoca q achava q a prioridade era estabilizar um esquema e um 11 base, de forma a ganharem rotinas (nao esquecamos q nao so' o treinador e' novo como tb muitos dos jogadores), e q esperava q nao se repetisse o q se viu com Co Adriaanse, em q ate' Novembro mudavamos de 11 todos os fds.

Ora infelizmente parece q nesse aspecto esta epoca ate' ao momento esta' a ser um copy+paste do q aconteceu com Co (noutras coisas e' bastante diferente, claro).

JON disse...

É-nos permitido continuar a sonhar, é-nos permitido continuar a achar que vamos dar a volta, e é-nos permitido pensar que o que falta é raça e crença e espírito à Porto.
Ainda que isso não sirva de NADA.

Já à SAD não lhes é permitido continuar a não ver o óbvio: não temos nesta altura qualquer modelo que funcione. As ideias ou não existem ou são más ou no mínimo não resultam. A gestão da equipa é incompreensível. Os jogadores estão completamente atemorizados e descrentes, daí que as falhas individuais surjam em catadupa.

A SAD vai continuar a ser demasiado orgulhosa para mudar apenas quando for tarde de mais, ou vamos arrepiar caminho já?

PS: é que excepção feita a termos muitas soluções boas para quase todas as posições, ISTO É UMA FOTOCÓPIA DA ÉPOCA ANTERIOR!

JON disse...

Podemos continuar a achar que nos falta raça e arregaçar as mangas como nos anos 80 e 90 em que quase sempre ganhávamos porque queríamos mais que os outros...

Ou podemos acordar e perceber que o futebol mudou e que não basta ter boa (ou melhor) equipa e lutar mais que os outros. É preciso sobretudo ser MAIS ORGANIZADO DENTRO DO CAMPO.

É aí que eu olho para o futebol do Jesus e do Marco Silva (pese embora naturais imperfeições de modelo e de personalidade) e comparo com o nosso. E é também aí que me apetece bater com a numa parede para acordar deste pesadelo. Pela segunda época consecutiva!

miguel.ca disse...

Eu não acredito em mudanças comportamentais do dia para a noite e o Lopes é o que é. Agora a curiosidade prende-se com o timing. Quanto tempo será tarde demais?

Pedro ramos disse...

É fácil nestas alturas falar de falta raça, vontade e mistica para justificar determinadas coisas, mas tens toda a razao, o que falta é competencia e qualidade no modelo de jogo apresentado, que de facto está muito longe dos nossos rivais.
Para aqueles que continuam a falar de raça e crença basta lembrar o Sporting de Sá Pinto para perceber o que isso vale.

Nuno Leal disse...

1º Não sabemos nunca o que se passa no balneário, apenas podemos conjecturar.

2º Por mais que haja jornalistas, opinadores, ex-treinadores, ex-jogadores, toda a gente a saber o que devia ser feito, como é que ganhávamos se, etc., etc., a verdade é que isso é fácil. Ser o treinador não.

3 Contudo, também não gostei do escalonamento do 11 para o jogo com o scp. Lopetegui como qualquer ser humano falhou, também falha. Agora espero expertise dele para ganhar ao Bilbau. Um treinador português talvez respeitasse mais o sporting e o que significa uma eliminatória da taça com o sporting mas se calhar claudicava na champions. A Lopetegui exige-se que na champions haja know-how, não pela sua experiência per se, mas por ser um suposto profundo conhecedor do futebol europeu e espanhol em particular. Por isso criticarei se o jogo com o bilbau correr mal. Agora não.

4 Há sinais que parecem relembrar Fernandez e Co Adriaanse. Bem este última se se repetir, óptimo. Inventou muito mas no final ganhámos e tinhamos uma equipa fantástica do ponto físico, trucidámos o sporting em alvalade no jogo do título, como pérolas como Jorginho. O Pepe-Que-deixou-de-dar-casas nasceu nesse ano, mas deu muitas casas antes. É preciso ter calma. Co Adriaanse em alturas de humilhação com o modesto Artmedia (em que fez péssimas substituições e leitura de jogo) parecia condenado e depois deu a volta. Fernandez, que na minha opinião teve uma equipa tão boa ou melhor que agora tem Lopetegui, com investimento enorme (Diego, Luis Fabiano, Quaresma, Seitaridis campeão europeu), também estranhamente não conseguiu por a equipa a jogar bem a época toda, fizemos jogões com o sporting, com o chelsea do mourinho (ganhámos), como o once caldas onde só o azar não fez ganhar logo por 3 ou 4-0, mas depois começámos a ter empates atrás de empates, perdemos roubados com o boavista no ultimo minuto em fora de jogo e depois o descalabro braga. Mas aonda hoje acho que deveria ter havido calma, Foi muito pior despedi-lo e depois vir o couceiro, aí sim enterrámos pontos atrás de pontos e houve o nacional 0-4 vergonhoso. E com uma super-equipa!

HAJA CALMA POR SOPUESTO :)

JON disse...

Exactamente Pedro. Dei o exemplo do Sá Pinto numa conversa sobre este tema precisamente no sábado.

Não quero dizer que não faltem referências que compreendam a cultura do clube. Isto é um facto, mas mesmo que as tivéssemos, isso não chegaria para ganhar jogos se não houver organização!

Luis Pereira disse...

Concordo. De vez em quando "faz bem" relembrar histórias idênticas do passado mesmo que com finais tão diferentes. Por isso é que o futebol não é ciência!!!!

Mefistófeles disse...

Não queres avançar antes com os nrs do Euro milhões ? :-)

Mefistófeles disse...

Co Adriaanse 2, Paulo Fonseca 2, Fernandez 2...
Acho que Lopetegui pensa pela sua cabeça, estes estereótipos são ridículos porque o tempo e as circunstâncias são diferentes, e não estou a dizer com isto que são diferentes para pior. Mas são diferentes.
Pensa bem ou mal ? O tempo o dirá, parece-me a mim que é ainda cedo para pedir a sua cabeça. Contente não estou, como ninguém estará, com as prestações da equipa. Mas o que me preocupa mesmo é a tolerância zero que se instalou. Roma e Pavia não se fizeram num dia e até acho graça ver um comentário de um benfiquista num post anterior a dizer isso mesmo, para termos calma. Mas não, toda a gente sabe muito mais de futebol que Lopetegui, cujo cargo de treinador de futebol e do FCP em particular deve ter saído na farinha Amparo...só pode. Ou então foi o gágá do presidente e a malvada SAD que o escolheu, porque era giro ter um espanhol campeão de selecções ( pero solo con mucha suerte, seguro que sí ). E a forrarem os bolsose celebrarem o negócio com o pérfido Mendes numa qualquer cave de Vinho do Porto com um bom vintage, á conta dos infelizes otários que pagam as quotas e bilhetes para assistir às derrocadas do FC Porto, ao vivo, no Dragão.
Uma coisa curiosa: vários amigos meus, sportinguistas, me disseram unanimemente, e sem se conhecerem, que não foi o Sporting que ganhou o jogo, foi o FC Porto que o perdeu. O que me deixa um pouco mais descansado do que se tivessem dito que não tivemos qualquer chance de o ganhar. Isso sim, seria muito preocupante.