terça-feira, 2 de dezembro de 2014

Brahimi? É pagar

«A 23 de Julho de 2014, o Grupo celebrou com a Doyen Sports Investments Limited, um contrato tendo em vista a cedência de parte dos direitos económicos, em regime de associação económica, do jogador Brahimi pelo montante de 5.000.000 Euros. Este contrato prevê opções de recompra por parte da FCP, SAD de até 55% dos direitos económicos até Junho de 2017, e opções de venda de até 80% dos direitos económicos por parte da Doyen até Setembro de 2017.»
in ‘Relatório e Contas Consolidado – 1º Trimestre 2014/2015’


Formalmente, o FC Porto comprou (ao Granada Club de Fútbol) a totalidade dos direitos económicos de Brahimi pelo montante de 6.500.000€, no dia 22 de Julho de 2014 e, no dia seguinte, alienou (à Doyen Sports Investments Limited), em regime de associação económica, 80% desses direitos pelo montante de 5.000.000€.

Na prática, parece-me evidente que se tratou de uma única operação (envolvendo o Granada, o Doyen e o FC Porto), em que a FC Porto SAD comprou 20% dos direitos económicos de Brahimi por 1.500.000€ (mais um valor desconhecido de Encargos adicionais).

1,5M, por 20% dos direitos económicos de Brahimi, é um bom negócio.
Mas não teria sido melhor a FC Porto SAD ter ficado com 100% dos direitos económicos de Brahimi por 6,5M?

Concerteza. Contudo, falta saber duas coisas: Se a SAD tinha esse dinheiro; e, principalmente, se o Granada/Doyen estavam dispostos a vender os direitos económicos de Brahimi por apenas 6,5 milhões.
Tudo indica que não.

«(…) não podemos estranhar esta incapacidade aritmética do fundo Doyen, pois o seu CEO, Sr. Nélio Lucas, conseguiu transformar uma proposta que fez ao Sporting de 20M, no dia 24/05/2014, para a aquisição do atleta Brahimi, em 6,5M para outro clube português conforme é do domínio público»
in Comunicado da Sporting Clube de Portugal, Futebol, SAD, de 14-08-2014


No contrato com a Doyen, a FC Porto SAD salvaguardou uma opção de compra de, até 55% dos direitos económicos de Brahimi, até Junho de 2017. Assim sendo, se, entretanto, surgir algum “tubarão” disposto a avançar para a compra do passe de Brahimi…

O JOGO, 02-12-2014
Conheço-o muito bem. É um jogador [Brahimi] que fez um início de época extraordinário, tive oportunidade de o ver jogar. Confirmou tudo aquilo que pensávamos dele, quando estava no Rennes, e foi surpreendente que este miúdo tenha deixado o Rennes. Era um pouco inconstante, ganhou maturidade, mas faltava-lhe qualquer coisa. (…) Foi para o FC Porto que é muito bom clube, com muito bons jogadores e está a caminho de mostrar a plenitude do seu talento. É um futebolista que tive oportunidade de ver no Mundial, pela Argélia. Faz parte daqueles futebolistas que dá gosto ver jogar, é capaz de ultrapassar um, dois, três adversários. Para além disso, atualmente, marca golos. Se tem potencial para o PSG? Está a confirmar no FC Porto tudo o que de bom que pensamos dele (…) O único problema é que ele foi para o FC Porto por um valor não muito alto, mas os portugueses colocaram-lhe uma cláusula de rescisão muito, muito, muito cara [50 milhões de euros]. O que nos faz refletir. Mas pronto, quando se gosta de um jogador, quando se gosta do talento, é pagar.
declarações de Laurent Blanc, treinador do PSG, em 29-11-2014

… o encaixe financeiro da FC Porto SAD será, seguramente, muito significativo.

Independentemente do encaixe financeiro que a SAD irá fazer, um conselho para os adeptos portistas: aproveitem esta época, vão mais vezes ao Estádio do Dragão e, daqui a uns anos, poderão dizer que viram jogar, ao vivo, o Yacine Brahimi com a camisola do FC Porto.

3 comentários:

João Moreira disse...

Outra coisa que pode ter influenciado esse apenas a compra desses 20% pode ser o próprio «fair-play financeiro», não sei como está o clube quanto a isso, mas pode ser para prevenir uma futura multa ou mesmo para poder haver margem de aquisição eventualmente de outros jogadores caso assim seja necessário.

Luís Vieira disse...

É fazer figas para que dure aqui tanto tempo quanto o Hulk :)

José Rodrigues disse...

Dois comentários ao q foi dito no artigo:

1) "Tudo indica que a SAD nao tinha dinheiro para comprar mais do que 20% de Brahimi"

Discordo. A SAD preferiu foi gastar esses 5M em outras contratações, isso sim. Mais: nao acredito q a SAD nao conseguisse aumentar o volume de empréstimos em 5M, se achasse q valia MESMO a pena.

2) "a SAD irá seguramente fazer um encaixe muito significativo"

Isso só será verdade se recomprar os tais 55% a um valor razoável, o q nao sabemos se será possível.