segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

Eu ainda quero acreditar

A tristeza de Jackson no final do FC Porto x SL Benfica (fonte: Maisfutebol)

Custa sempre perder com o SL Benfica, seja em que modalidade for.
E custa ainda mais perder em pleno Estádio do Dragão, principalmente se o jogo for para o Campeonato.

A noite de ontem estava muito fria mas, no final do jogo, os portistas estavam a “ferver”. Ora, como a quente se dizem muitos disparates, ontem abstive-me de dizer o que quer que fosse (já chegam os disparates que eu disse durante o jogo).

O JOGO, 15-12-2014
Numa análise a frio, o jogo de ontem, golos à parte, foi aquilo que eu estava à espera.
Contra um SLB que joga pouquinho (na minha opinião é a equipa encarnada mais fraca da era Jorge Jesus), o FC Porto, sem deslumbrar (longe disso), dominou do primeiro ao último minuto, superiorizando-se em todos os indicadores do jogo – posse de bola, ataques, cruzamentos, remates, oportunidades de golo, cantos e livres.

Mas houve duas coisas que não estavam no “Programa das Festas”:

i) a defesa menos batida do campeonato (até este jogo) a oferecer dois golos de bandeja, em erros não forçados e sem que o SL Benfica tenha feito seja o que for (nesses lances ou no resto do jogo) para justificar marcar um golo que fosse;

ii) o melhor ponta-de-lança a jogar em Portugal ter um desempenho 100% perdulário (incrível a forma como Jackson falhou um golo feito, após um excelente cruzamento do Quaresma, na 2ª bola que enviou à trave);

O certo é que o FC Porto perdeu em casa e, por isso, é muito fácil “bater” no treinador (e, já agora, “bater” também no Antero, na SAD, no Presidente, etc.) mas, depois de um jogo destes, em que, à meia hora, os jogadores encarnados ainda não tinham sequer importunado Fabiano, custa-me ir por esse caminho.

Prefiro olhar para quatro aspectos da exibição portista que, não sendo inéditos, neste jogo voltaram a ser notórios e que precisam de ser corrigidos/resolvidos:

1) As bolas paradas ofensivas – Falta um jogo para a paragem de Natal e o FC Porto continua pouco mais do que inconsequente nas bolas paradas ofensivas (cantos e livres, porque dos penalties já nem falo…). Admito que as treinem mas, nos jogos, não se veem jogadas estudadas bem trabalhadas e, muito menos, resultados concretos desse “trabalho de laboratório”. Mais. Nuns jogos o jogador encarregue das bolas paradas é Quaresma, noutros Quintero, ontem foi Tello e nenhum deles o tem feito de forma capaz.

2) As bolas paradas defensivas – Ainda não percebi se Lopetegui quer que os jogadores defendam individualmente, à zona ou um misto das duas coisas. O que eu sei é que os jogadores (e os adeptos!) tremem nas bolas paradas defensivas e os últimos dois jogos – Shakhtar e SL Benfica – foram exemplares das fragilidades que a equipa revela nestes lances. Sofrer golos de bola parada é sinal de adversários mal estudados e de insuficiente trabalho nos treinos.

3) A dupla de Centrais – Já falei neste assunto várias vezes. Mais do que o valor individual de cada defesa-central, importa avaliar uma dupla como um todo. Ora, chegados a esta altura da época (após quase 30 jogos, entre particulares e oficiais), o FC Porto ainda não tem uma dupla estabilizada e rotinada. Pior. O elemento comum – Martins Indi – às duas duplas mais utilizadas por Lopetegui, quando faz dupla com Maicon joga do lado esquerdo e quando faz dupla com Marcano joga do lado direito! O centro da defesa é um elemento crucial de qualquer equipa e, com esta sucessiva rotatividade imposta por Lopetegui, não vamos lá.

4) O Guarda-redes – Fabiano é um guarda-redes grande, mas não é, nem nunca será, um grande guarda-redes. Debaixo dos postes é bom, mas o “gigante” brasileiro tem limitações que são conhecidas e que ontem voltaram a ser visíveis: é mau a jogar com os pés, é lento a executar e a reagir e, nas saídas da baliza, deixa muito a desejar. Por aquilo que já mostrou, Andrés Fernandez também não parece ser guarda-redes para uma equipa de top (Lopetegui identificou cedo o problema e, por alguma razão, queria que a SAD tivesse contratado Keylor Navas… antes do Mundial). Se Helton estiver fisicamente recuperado a 100%, não tenho dúvidas que é a melhor solução existente no plantel atual.


Estou convencido que este campeonato ficou ontem entregue (ao SL Benfica), mas ainda faltam muitos jogos e há uma réstea de esperança.

Para alimentar essa pequena chama, eu recordo um FC Porto x Panathinaikos (Quartos-de-final da Taça UEFA 2002/2003, 1ª mão), disputado no Estádio das Antas (que saudades!), em 13 de Março de 2003, que os dragões dominaram completamente, mas perderam por 0-1.

No final do jogo, José Mourinho, ao atravessar o relvado, virou-se para a Superior Sul, onde estavam os Superdragões, e fez este gesto:

José Mourinho no final do FC Porto x Panathinaikos, da época 2002/2003

No jogo seguinte, os Superdragões mostraram uma tarja onde se podia ler: «Se vocês acreditam nós também acreditamos».

Faço daqui um apelo aos Superdragões, para recuperarem essa tarja já no próximo jogo.

Sim, eu sei que, ao contrário de 2003, o FC Porto deixou de depender só de si para conquistar este campeonato; eu sei que esta equipa não se compara ao FC Porto 2002/2003 (na minha opinião, a melhor equipa de sempre do FC Porto); e, claro, Julen Lopetegui está muito longe de ser um treinador de top internacional (como é José Mourinho); mas, vendo a banalidade que é este SL Benfica, eu ainda quero acreditar que é possível e, por isso, jogadores e adeptos não podem baixar os braços.

92 comentários:

Alberto Silva disse...

É preciso acreditar...mesmo que esteja muito difícil não se pode baixar os braços de maneira alguma...não se pode perder pontos com Boavistas, Guimarães, por isso o resultado de ontem fez mais mossa...uma mensagem que se pode dar para fora...é que está muito difícil quase impossível...para eles relaxarem...e para dentro " VAMOS LÁ CARALHO" que eles vão cair...

José Rodrigues disse...

Parabens ao Boavist..., perdao, ao slb.

O slb foi jogar ao Dragao da mesma forma q o Boavista tinha ido, e com um resultado igualmente positivo (alias, ainda mais): autocarro em frente 'a baliza. Bem, houve uma diferenca na atitude: o slb abusou ainda mais do anti-jogo (com a complacencia do arbitro, mas isso e' secundario).

O resultado foi injusto (o FCP criou bem mais oportunidades de golo), mas o slb fez pela sorte. Ganhou a equipa mais fraca q usou os trunfos q tinha, da mesma forma q volta e meia uma equipa pequena consegue ganhar num Dragao ou na luz jogando com o autocarro e o anti-jogo.

Isso nao invalida no entanto q o FCP podia ter feito melhor exibicao, apesar da atitude do slb, No aspecto tactico o Jesus comeu o Lopetegui de cebolada, q demonstrou uma clara falta de ideias em como ultrapassar o autocarro (a valia individual dos jogos fez com q mesmo assim o FCP tivesse criado oportunidades para ganhar o jogo, mas podia perfeitamente ter criado ainda mais com um treinador a serio). Chegou a ser particularmanete exasperante constatar a forma estatica como os jogos do FCP se dispunham em campo a esmagadora maioria do tempo quando tinhamos a bola.

Agora com 6 pts de avanco (q poderao eventualmente contar como 7), sem Europa para distrair e com os ventos do colinho a soprar a favor, so' pela mais pura inepcia e' q o slb nao sera' campeao. Mas como diz o Ze', a esperanca e' a ultima a morrer.

Falando ainda de alguns aspectos da exibicao do FCP:

1) Nao me parece q tenha feito sentido mudar o Maicon pelo Marcano (e o Indi de lado, normalmente joga do outro), embora muito possivelmente (dificil de dizer, porque nao sabemos ao certo qual seria o posicionamento dos defesas nos lances dos 2 golos do slb se fosse o Maicon em campo) nao tenha sido por ai' q o slb marcou os dois golos.

2) O Ruben Neves por acaso acabou por fazer BEM falta. Com o FCP a perder relativamente cedo e 2 centrais com pes de chumbo, dava bem jeito ter um trinco q sabe tratar a bola por "tu", sabe descortinar linhas de passe complicadas e e' dinamico nas movimentacoes, em vez de um trinco a quem a bola nos pes incomoda.

José Rodrigues disse...

"O Guarda-redes – Debaixo dos postes é bom, mas o “gigante” brasileiro tem limitações que são conhecidas e que ontem voltaram a ser visíveis: é mau a jogar com os pés, é lento a executar e a reagir e, nas saídas da baliza, deixa muito a desejar."

Nao percebo a obsessao com este ponto de muitos adeptos (pelo vistos o Ze' incluido), para mais quando o slb nao criou um unico lance de perigo ontem devido ao Fabiano 'ser mau a jogar com os pes, ser lento a executar e nas saidas da baliza'. Alias, nem ontem, nem (q eu me lembre) o FCP perdeu qq ponto esta epoca por causa disso.

PRINCIPALMENTE quando me parece q a equipa tem outros aspectos q nos têm, esses sim, custado pontos - como a questao q acima abordei de termos 2 centrais e acima de tudo um trinco q em termos ofensivos sao um zero, o q tem sido um problema contra os autocarros deste mundo.

Isso, e dinamicas ofensivas muito basicas. Lopetegui já devia ter percebido há um bom par de meses q TEM q ter um plano B e C quando joga contra autocarros (principalmente autocarros q colocam muita pressao nos nossos jogadores de meio-campo, como aconteceu ontem), mas parece demorar...

José Correia disse...

"...a perder relativamente cedo e 2 centrais com pes de chumbo..."

O jeito que nos daria neste plantel um Otamendi, para fazer dupla com o Martins Indi.

José Correia disse...

"... o slb nao criou um unico lance de perigo ontem devido ao Fabiano 'ser mau a jogar com os pes, ser lento a executar e nas saidas da baliza'..."

Aos 67', houve um cruzamento rasteiro do lado esquerdo do ataque do SLB (penso que feito pelo Lima) e Fabiano, lento a estirar-se, deixou a bola passar na pequena área (a área do guarda-redes!) e, não fosse Alex Sandro antecipar-se e cortar para canto, Sálvio só teria de encostar para marcar o 3º golo do SLB.

JON disse...

Parece que finalmente começaram a perceber que o Indi é muito limitado para uma equipa que quer ter bola e sair a jogar como a nossa. E eu questiono é apenas o porquê de termos dado 8M por um jogador que JÁ SE SABIA ter estas características...

Seja como for, e como disse antes, não é neste jogo que vou bater no treinador.

O que aconteceu ontem foi futebol. Às vezes corre bem e a bola entra, como no golo do Kelvin, outras corre mal e tudo corre na perfeição ao adversário...

Nada a dizer.

Quanto aos seis pontos. Não tenho dúvidas que se formos competentes conseguimos dar luta até final. Se dermos luta até final, passa a valer a bola que entra ou que vai à barra e aí quem sabe não temos mais sorte que ontem...

Nuno Fonseca disse...

Não sei se alguém já disse isto, mas é muito provável de tão óbvio que é. Se o Benfica vencer este campeonato será como a Grécia de 2004 ou o Chelsea de Di Mateo. Sem saber ler nem escrever. Ontem ficou provado quem é a melhor equipa, quem joga melhor à bola, mas também quem é mais anjinho.
Porto agora sem margem de manobra poderá ainda enervar-se mais nos jogos e faltar discernimento.
Mais ainda, analisando já o adversário do Porto, será muito provável que o passe aos quartos. Isso significam mais 4 jogos na europa que o Benfica. Não está fácil.

José Correia disse...

"...o Indi é muito limitado para uma equipa que quer ter bola e sair a jogar como a nossa. E eu questiono é apenas o porquê de termos dado 8M por um jogador..."

JON, o problema não é o Indi, que veio para substituir Mangala e está a fazê-lo bem (56% do passe do Mangala foram vendidos por 30M e 100% do passe do Indi custaram 8M).

O problema é o parceiro do Indi no centro da defesa e, principalmente, não termos um defesa-central que possa substituir... Otamendi.

JON disse...

José, mas a gente já sabia o que lá tem... O Maicon sempre foi muito mais "Mangala" que "Otamendi". O único que podia vir a ter qualidade na saída de bola é o Reyes, mas ninguém confia nele, Lopetegui inclusive.

Não teria feito sentido pensar noutro perfil de central quando se comprou o Indi? É só isso que questiono...

Luís Vieira disse...

JON, a pergunta e o raciocínio são pertinentes, mas o Maicon, infelizmente, está longe de garantir a solidez e a regularidade do Indi. O Indi, de facto, não é um primor técnico, mas também não é tão mau quanto o pintam com a bola nos pés. Por outro lado, ao nível do desarme é muito forte, tem sido uma parede. De todos os centrais é o mais fiável, contribui sobremaneira para o bom registo defensivo e não me lembro de ter sido directamente responsável por golos sofridos. Daí que o defenda e ponha mais a tónica na não-evolução ou não-aparição do Reyes. Acho que está na altura de o Lopetegui apostar no mexicano (ontem até aqueceu), para ver se "ou vai ou racha".

José Correia disse...

"O único que podia vir a ter qualidade na saída de bola é o Reyes, mas ninguém confia nele, Lopetegui inclusive"

O problema não é o Lopetegui não confiar ou apostar em jovens.
O problema, parece-me, é o Reyes ser mentalmente fraco e não confiar nele próprio.
Um empréstimo na 2ª Parte desta época, para um clube de I Liga onde pudesse jogar sempre, talvez lhe fizesse bem.

Luís Vieira disse...

Sem me alongar muito, Helton titular, já. O Fabiano tem culpa nos 2 golos.

Luís Vieira disse...

José Rodrigues, curiosamente, o Casemiro no início da época até mostrou bons predicados técnicos, principalmente ao nível do passe longo. Na brincadeira até se dizia, entre amigos, que parecia o Pirlo a meter a bola à distância. Agora não dá uma para a caixa, é outro que está a pedir banco (pena que o Rúben Neves não possa substituí-lo).

José Correia disse...

"O Fabiano tem culpa nos 2 golos"

No 2º golo as culpas do Fabiano são evidentes.

Mas, mesmo no 1º golo, não sendo o único culpado, é notório que também andou às aranhas.

E só não teve culpas num hipotético 3º golo do SLB porque, depois de deixar passar um cruzamento na sua "área de jurisdição", o Alex Sandro safou para canto.

DC disse...

Um treinador que quer sair curto tem que procurar centrais com bons pés. A contratação de Indi é inexplicável.
Não que seja péssimo porque tem alguns atributos interessantes mas simplesmente porque não se enquadra minimamente com a ideia de jogo a implementar.

DC disse...

Acho que ficou óbvio que somos melhores. Acho que também ficou óbvio que alguns "ódios de estimação" têm alguma justificação e foram bem perceptíveis neste jogo.
O Porto é bom mas podia ser bem melhor. Acredito que continue a evoluir positivamente até porque, logo nas primeiras substituições se viu que Lopetegui tinha detectado alguns dos problemas do jogo do Porto.

Se chega para recuperar este atraso? Só por milagre. Veremos se Lopetegui sem títulos terá direito a 2º ano.

O Jagunço disse...

Derrota muito triste, esta. Que Lopetegui peça desculpa, é bonito e fica-lhe bem, mas é totalmente inconsequente. Perdemos 3 pontos, em casa, e como alguém já escreveu acima, contra uma equipa medíocre. Mas sendo medíocre o nosso rival foi melhor do que nós. No FC Porto deste ano não há alternativas. Há o modelo de jogo de Lopetegui ou ... nada. Não há bolas paradas, não há remates de longe, não há substituições consequentes. Tudo funciona muito bem, quando funciona, mas não há, nem até agora houve, nenhum plano B. Quando a equipa não encaixa no jogo do adversário, joga contra si própria. Passa o jogo a bater com a cabeça na parede. Claramente entende que com grandes jogadores e com uma aprimorada e experimentada forma de jogar, as coisas deveriam correr sempre bem. Se Lopetegui deixasse os seus romantismos e "conceitos de jogo de lado, e se passasse um pouco de tempo a estudar a história do campeonato português, chegava rapidamente à conclusão de que estes jogos são diferentes e se ganham pelo oportunismo, pelo cinismo e pelo erro do adversário. São jogos especiais em que a "ratice" conta. Talvez Lopetegui deva pedir umas lições ao sempre injustiçado Vítor Pereira. Jesus demonstrou que já aprendeu. Conviria que Lopetegui aprendesse depressa, também. Caso não aprenda, corre o risco de sair do FC Porto sem resultados, apesar de todas as suas vontades terem sido satisfeitas. Não é um bom cartão de visita.

O Jagunço disse...

Quando se perde, nunca é por causa de um só jogador. Não perdemos só por causa do Fabiano, que aliás, tem vindo a fazer um bom trabalho desde que lhe foi confiada a baliza. Também não perdemos porque o Jackson não ser o ponta-de-lança maravilha que muita gente acredita que ele é e muitas vezes falhar em momentos decisivos. Perdemos porque, como equipa, não jogamos o suficiente e não soubemos contornar as dificuldades que o adversário nos colocou. Perdemos porque não soubemos ser mais espertos que o adversário. Faltou-nos "espertice", "paciência" e estratégia. Quem não souber do que estou a falar, que reveja os jogos entre o FC Porto e o benfica nos últimos 5, 6 anos. ..

José Correia disse...

DC disse:
"Acho que também ficou óbvio que alguns "ódios de estimação" têm alguma justificação e foram bem perceptíveis neste jogo"

Se foram!
Caro DC, conforme toda a gente viu (até o Jesus!), o Quaresma (um dos seus "ódios de estimação") fez mais e melhor em 32 minutos, do que o Tello nos 58 minutos que jogou.

Com isto não estou a dizer que o Quaresma deveria ter sido titular (não é isso que eu penso), mas demonstra o quão irracionais são alguns "ódios de estimação".

José Correia disse...

"Veremos se Lopetegui sem títulos terá direito a 2º ano"

Penso que irá depender do trajecto na Liga dos Campeões (mas, sobre isso, falarei noutro artigo que irei publicar brevemente).

José Correia disse...

"Não perdemos só por causa do Fabiano..."

Mas alguém disse que perdemos só por causa do Fabiano?

O Jagunço disse...

Não. E eu não disse que tal fora dito.

Pedro ramos disse...

Continuo a pensar que este modelo é relativamente fácil de ser bloqueado por equipas minimamente organizadas, nao será por acaso que só ganhamos 1 jogo em 5, aos primeiros 5 classificados.
Dependemos sempre, muito, da inspiraçao individual e penso que Lope pensa sempre que ela deve ser suficiente para ganhar jogos. Terá talvez, a desculpa de vir duma realidade diferente, e nao estar tao habituado a autocarros.
Se ele resolver a falta de qualidade na saída de bola e a falta de jogo interior, mesmo com outros problemas, aí sim, começarei a acreditar, mas como até agora nunca me pareceu muito interessado em trabalhar esses aspectos, continuo com dificuldades em acreditar na possiblidade de sucesso deste modelo.

Já agora discordo com esta ideia, de que ficou provado que fomos/somos melhores que o rival de ontem.

Jose Norton disse...

Parabéns pelo artigo de opinião.
Concordo a 200%.
"Se vocês acreditam nós também acreditamos».

DC disse...

"Caro DC, conforme toda a gente viu (até o Jesus!), o Quaresma (um dos seus "ódios de estimação") fez mais e melhor em 32 minutos, do que o Tello nos 58 minutos que jogou."

Tello o que sacou o amarelo ao André e logo a seguir fez um cruzamento perigosíssimo cortado pelo Julio César? Sim, completamente diferente do que fez o Quaresma, sem dúvida. Que ontem esteve bem, sim. Porque o jogo do Porto não conseguia encontrar soluções colectivas e, como tal, um individualista conseguiu destacar-se. Agora, sempre que seja preciso um individualista para resolver o que temos que pensar é o que está a falhar colectivamente.

Mas sublinho que há "ódios de estimação" sobre os quais não se fala hoje. Esperemos pelo próximo jogo contra uma equipa banal para o voltar a elogiar e dizer que está a provar que estamos todos errados ao criticá-lo. E esqueçamos o papel ridículo que fez frente a médios com um bocadinho de mais categoria que o habitual.

José Correia disse...

"Tello o que sacou o amarelo ao André e logo a seguir fez um cruzamento perigosíssimo cortado pelo Julio César?"

Tirando a jogada, logo no 1º minuto, em que sacou o amarelo ao André Almeida, o Tello foi uma pálida (muito pálida) imagem daquilo que pode fazer.
Nem sequer foi capaz de forçar o André Almeida a fazer uma 2ª falta, que o arriscasse a ver o 2º cartão amarelo.

E sim, por mais que lhe custe reconhecer, o Quaresma, em cerca de metade do tempo, fez muito mais e melhor do que o Tello.
Que o diga o JJ, os defesas do SLB que ele "entortou", o Júlio César e o... Jackson, que ainda deve estar por saber como é que falhou o golo feito que o Quaresma lhe ofereceu.

Mas, para que não fiquem dúvidas, volto a dizer que não penso que o Quaresma deveria ter sido titular.

José Correia disse...

"E esqueçamos o papel ridículo que fez frente a médios com um bocadinho de mais categoria que o habitual"

Eu imagino o que diria o DC, se o Herrera (o seu outro "ódio de estimação") tivesse feito um jogo do nível do Tello ou do Brahimi (dois excelentes jogadores que ontem estiveram francamente mal).
Ou se, tivesse oferecido um golo (como Fabiano fez no 2º golo), ou se tivesse "facilitado", como Danilo fez no 1º golo.

Mas, enfim, não deve haver um único leitor dos comentários do RP, que desconheça a forma "racional" como o DC "persegue" o Herrera e o Quaresma.

Mário Faria disse...

O SLB jogou como uma equipa pequena e venceu. Acontece no futebol, muitas vezes e não só ao FCP. Dizíamos depreciativamente o mesmo relativamente ao FCP de Jesualdo, quando era acusado de ser o mentor de um FCP de tracção atrás. O SLB jogou para não perder: um lance de andebol pô-lo no caminho da vitória. Não fizemos um jogo em cheio, obviamente. Herrera jogou pouco, Tello engasgou depois de ter encostado ás cordas o Almeida, Casemiro mostrou insuficiências e Brahimi tem dificuldades de sair do labirinto que o adversário encena à sua volta. Fabiano confirmou que não é um gr de topo o que não é novidade. Devemos ser exigentes: os jogadores e os treinadores não devem passar incólumes desse crivo da crítica, sobretudo a que é oportuna e inteligente. Tive oportunidade de passar pela TV, ontem, e ouvi o Rodolfo e o Oliveira a encher o bornal de severas críticas ao treinador e quantas perguntas tinha para lhes fazer a propósito dos comportamentos de ambos como jogadores e treinadores. E não há volta a dar: é assim a natureza humana. Muito precoce na identificação do erro alheio e muito estrábica quando se trata dos próprios pecados. Enfim, mais uma semana de beiça. O luto deve ser erradicado rapidamente e isso depende muito da equipa, porque as bancadas estão o entre o desalento e raiva e daí não se pode esperar muito,

Bruno Guedes disse...

Boa tarde Sr. José Correia.
O analista do As não acertou nenhuma previsão quanto a eliminatórias da liga dos campeoes.
Cumprimentos
Bruno Miguel Guedes- 28061

Luís Vieira disse...

DC, se virmos as coisas por essa perspectiva, o Maicon e o Marcano também cá não deveriam estar. E centrais bons tecnicamente não se encontram por aí aos magotes atrás de pedras.

Luís Vieira disse...

DC, comparar a exibição do Tello e do Quaresma é o mesmo que confundir o cú com as calças. O Herrera esteve apagado e passou anónimo pelo jogo, mas, a título de exemplo, o Brahimi foi metido no bolso pelo Maxi, esse defesa-direito de classe mundial. Também teremos de "esquecer o papel ridículo que fez frente a defesas com um bocadinho de mais categoria que o habitual"? Ou há dois pesos e duas medidas?

Luís Vieira disse...

Só por curiosidade: o que mostrou o rival de ontem para sustentar essa discórdia?

JON disse...

O Brahimi não foi metido no bolso pelo Maxi. O Brahimi foi metido no bolso pelo Maxi, pelo Salvio, pelo Samaris, pelo Luisão, etc.

Esqueçam o jogo como uma coisa de duelos individuais. O Benfica deixou o Brahimi enquadrado frente ao Maxi uma vez durante 90 minutos, na primeira parte. Foi a única e dessa vez o Brahimi perdeu a bola.

De resto, o que houve foi uma muito boa gestão defensiva do Benfica. O Maxi saía em contenção, havia sempre uma ou mais coberturas. Se o Brahimi enquadrava e se desviava do Maxi, tinha logo outro em cima... Isto é jogar futebol e saber defender.

O que o nosso modelo devia dar mais e não dá é soluções para ultrapassar isto e isso só com muitas linhas de passe e combinações curtas.

PS: apesar de tudo, na primeira parte isso foi acontecendo... Volto a frisar que se entra um golo nosso, o Benfica ia ter de se abrir e podia levar um cesto. Não aconteceu. É futebol!

António Gomes disse...

PORTISTAS o que mais me desiludiu foi o nosso treinador, ele não prévio como o Benfica ia jogar??
Claro que ia jogar com linhas baixas como uma equipa pequena(JJ ja esta mais que humilhado no nosso estadio, e como cagao que é ia jogar a defesa), todos falam do Brahimi penso que toda a gente reparou que ele estava a ser marcado homem a homem pelo caceteiro do Maxi, e o nosso Treinador resolvia o assunto trocando os extremos, o Tello até rende mais no lado esquerdo, começa a me desiludir nos jogos a serio ainda não ganhou um, espero que aprenda com os erros não pode jogar sempre da mesma maneira, chega a ser irritante o tempo que se perde a passar a bola entre os defesas, se tivesse-mos a ganhar ainda percebia, e o discurso ontem foi outro erro que nos fez lembrar o Paulo Fonseca. 2 bolas no ferro realmente nem sorte tivemos, Outra coisa que salta a vista de olhos Fabiano já com o Sporting foi igual, acho-o um guarda redes de engate, ontem mais um erro e meio, espero que o Helton volte o quanto antes o lugar ainda é dele. Resumindo estamos a 6 pontos do Benfica e penso que eles ainda vao perder pontos nente campeonato, EX. Sporting , Guimarães, Braga, Paços, Rio ave, Marítimo, Estoril, Resta-nos ganhar os nossos jogos pois quando formos na segunda volta á Luz penso que levaremos pontos de avanço, e ai a VITORIA é obrigatória a pois a jogar assim como jogaram contra nos, nao ou vejo a ganhar muitos jogos pois a maioria das equipas do nosso campeonato jogam como eles jogaram contra nos.
Resumindo Vamos apoiar a equipa (e Treinador acho que ainda vai calar muita gente) tanto nos momentos bom como nos maus.

DC disse...

Claro que é, da mesma forma que é confundir o cu com as calças comparar os momentos do jogo em que ambos estiveram em campo. Mas já disse que o Quaresma, para o que lhe foi pedido, esteve bem.

Quanto a Brahimi, quantas vezes esteve 1x1 com alguma adversário? 0 digo eu. Quantas vezes esteve 1x1 para o Maxi? 0. Quantas vezes pode receber sem sofrer falta? Muito poucas. Quantas vezes encontrou apoios para as suas habituais tabelas? Poucas também.
Esteve apagado? Sim. Agora tenho muitas dúvidas se foi por culpa dele. Ainda foi provavelmente o jogador do Porto que mais bolas conseguiu receber e dar jogáveis sobre pressão. Pressão essa que foi quase asfixiante sobre ele. Muito maior que por exemplo em cima do Tello.

E Herrera foi a seguir a Fabiano o pior em campo. Mas não passou anónimo, porque eu vi bem quem era o médio mais facilmente ultrapassado do nosso meio-campo ou que mais passes falhou no último terço do terreno. É que as tais competências defensivas, a tal capacidade de ir à frente e atrás, não sei onde ficam. Porque o Enzo passava por ele como se fosse manteiga; oferecer-se para linhas de passe no ataque nem pensar, o Tello que resolva sozinho e acertar passes um bocadinho mais complicados, nada. Já para não falar no fantástico remate numa situação frontal de 2x2 na área.

Tudo o que se disse sobre ele, que demora a decidir, tem dificuldades sempre que tem que jogar em espaços curtos devido às enormes dificuldades técnicas, que tem dificuldades em passes mais complicados e inclusivamente que é o médio do Porto que demora mais a recuperar no terreno, foi visto ontem. Mas continuarão a ignorar tudo isso. Felizmente parece que o Lopetegui está a deixar de ignorar.

Miguel Lourenço Pereira disse...

"O Ruben Neves por acaso acabou por fazer BEM falta"

Muito bom tem que ser o planeamento de uma temporada de 8 meses da SAD que tantos - tu não - aqui glorificam até ao ponto de ficar com a lingua colada no asfalto e de um treinador que se empenhou a trazer um dos dele (Campaña depois da nega do Darder) que agora o coloca em "todos os jogos", quando tem de ser um puto de 17 anos o que faz falta num jogo do título.

Mas aqui não passou nada, foi só azar nos dois golos sofridos e o Benfica que fez no Dragão o que o Pedroto fazia na Luz e Alvalade!

Miguel Lourenço Pereira disse...

Claro,

Uma equipa que é eliminado da Taça pelo Sporting e que não ganha em Alvalade, que perde pontos em casa com uma equipa que veio dos "distritais" e que no jogo do titulo perde em casa pela primeira vez em 9 anos, realmente joga muito mais e merece muito mais o titulo que a equipa que saca 6 pontos e ganhou o duelo directo.

É isso mesmo!

Miguel Lourenço Pereira disse...

Aplaudo o espirito do Zé Correia - que não partilho em absoluto - mas:

a) o Julen Lopetegui não é nem a unha do dedo mindinho do José Mourinho para poder sequer dar esse golpe de asa

b) o Julen Lopetegui não é nem o dedo mindinho do Vitor Pereira que sim soube operar uma reviravolta inesperada num campeonato com menos jogos.

Nuno Fonseca disse...

Olhe que, analisando à posteriori (sempre mais fácil), Quaresma e Maicon como titulares até tinha a sua lógica se considerarmos a experiência e noção da importância do jogo como factores decisivos do jogo.
Quanto a Tello, deve ter andado a marcar golos de livre nos treinos e o treinador apostou nele para os marcar no jogo. Saiu completamente furado.

pancas disse...

DC,
Olha que nao. O Herrera foi o melhor em campo e nos so perdemos porque quando ele saiu o nosso meio campo ficou completamente sem INTENSIDADE e sem capacidade defensiva!
Alias, os 5/6 passes que ele fez para o Enzo foram brilhantes (ai, espera, o Enzo joga na outra equipa...) - pronto, nao foram passes... foram so recepcoes mal feitas em espacos curtos...

E foi substituido por quem, Luis Vieira? Veja la, pelo Quintero!!! Deve ter sido porque o Oliver e que e o mais adiantado do meio campo!!!

O JJ bloqueou as individualidades e a "equipa" de Lopetegui ruiu, como faz sempre contra qualquer equipa organizada...

Continua a saga - 5 jogos dificeis, nem uma vitoria, apesar do melhor plantel da historia do clube. Vamos Paulo Fonsecar ate Marco outra vez???

DC disse...

Pancas, e aquela em que ele rouba a bola ao Oliver para a dar ao Enzo? Se não fosse no Porto seria cómico.

pancas disse...

Claro que o Marcano nao devia ca estar, e o Indi tb nao. Por esses 10M comprava-se um bom central. ou entao pagava-se divida e usava-se o Lichnovsky que tem mais tecnica que esses dois juntos. E ao lado o Reyes.
Ja agora, essa historia do Reyes ter problemas psicologicos e uma grande treta. Ele falhou algumas vezes no passado com paragens cerebrais? Sim, tantas vezes como o Alex Sandro que e bem mais experiente e nao e por isso que deixa de ser titular...

pancas disse...

O que mais me chateia no meio disto tudo e que o Lopetegui ainda vem dizer que acredita piamente no titulo e que o que aconteceu foi so porque o futebol nao e justo. Ele claramente nao percebe nada do que esta a fazer!!!

O que nos vale (financeiramente pelo menos) e que tem a maior caganeira que eu ja vi nos sorteios da champions! Depois daquele grupo ridiculo com o Shakhtar a jogar em campo neutro e o bilbao a poupar jogadores por estarem a rasca na liga espanhola, agora calha-nos o Basel!!! Nao ha memoria de sorteio mais favoravel!!!

RS disse...

Quem entende que com 6 pontos de atraso em 13 jornadas disputadas e 63 pontos ainda em disputa é sinónimo de campeonato entregue, então é melhor nem ver futebol. Só como exemplo, na época passada o Real Madrid chegou a estar a 11 pontos do Barça e Atlético à 10º jornada. Em 13 jornadas recolou-se aos da frente.
Eu não tenho dúvidas de que o FCP ainda vai crescer... e não tenho dúvidas de que este slb está "espremido" até ao tutano. Se o Enzo sair não há quem o substitua. Vou mais longe... alguém reparou na "anedota" que é o banco do slb?
Por isso tenham lá calma... nada está perdido... Além do mais, tivemos hoje no sorteio da Champions a sorte que não tivemos ontem no jogo... :)

nonameslb disse...

Ainda bem que voces continuam a substimar o plantel do SLBenfica,tem vos servido bem este ano.

DC disse...

Será bom até para ganhar alguma confiança despachar o Basel convenientemente.

Eu não gosto de muita coisa no Lopetegui mas vejo evoluções positivas na equipa (coisa que nunca vi com PF, por exemplo) e portanto ainda lhe dou benefício da dúvida mais uns meses.
Coisa que também dei a Herrera na primeira época e agora já não dou. Espero que desta vez seja diferente. Mesmo não sendo campeão, caso a equipa realmente evolua positivamente acredito sempre que seja melhor a estabilidade duma 2a época do que nova revolução sabe-se lá com quem ao comando.

Pedro ramos disse...

O problema é exactamente esse, eles nao tiveram que demonstrar nada de especial para nos ganhar facilmente por 2-0, como o Sporting também nao teve necessidade de demonstrar nada do outro mundo para nos despachar por 3-1.

Faz-me lembrar os apuramentos da selecçao, em que depois de uma derrota contra adversário com pouco nome, ficamos sempre seguros e convencidos que mesmo assim somos muito melhores do que eles.

Nightwish disse...

Se jogasse o Otamendi tinha tido uma ou duas falhas cerebrais e deixava a bola passar.

Nightwish disse...

Eu bem me lembro do que se dizia do Hélton a jogar com os pés: apesar disso, nunca entrou um golo por causa disso.

Nightwish disse...

"Nem sequer foi capaz de forçar o André Almeida a fazer uma 2ª falta, que o arriscasse a ver o 2º cartão amarelo."
O André Almeida fez umas quantas faltas para 2º amarelo...

Nightwish disse...

É, a gente também os jogos na Champions...

DC disse...

E o Mónaco, Leverkusen e Zenit não vos subestimaram, foi?

Daniel Gonçalves disse...

Miguel Lourenço Pereira disse às 16:29,

"o Benfica que fez no Dragão o que o Pedroto fazia na Luz e Alvalade!"

Está enganado caro Miguel, as equipas de José Maria Pedroto podiam jogar -um contexto desportivo mais difícil para o FC Porto ue o actual - com cautelas defensivas nos campos dos nossos rivais, mas nunca jogava amedrontado ou na "retranca", encolhido no nosso meio campo, nem usava o anti-jogo para perder tempo, o Porto de Pedroto jogava de igual para igual.
Em 1978/79 a perder por 1-0 tomou o domínio do jogo e "encostou o adversário às cordas" até empatar. Foi ele que acabou com o síndroma da "ponte", portanto a sua comparação não faz qualquer sentido.

Daniel Gonçalves disse...

Pancas às 17:17 disse "apesar do melhor plantel da historia do clube."

Se o Marcano não devia estar cá, idem para o Indi, portanto sem centrais de qualidade. Se, lendo os seus comentários anteriores, o Herrera é mau, se o Casemiro não serve para o lugar do Fernando, se o Quaresma não é alternativa de qualidade para o Brahimi ou para o Tello. Se o Fabiano não é um guarda-redes de topo para uma equipa que quer lutar pela melhor qualificação na Champions portanto é de concluir, a avaliar pela qualidade de outros plantéis do FC Porto do passado, que há uma contradição/incoerência nas suas palavras.

José Correia disse...

"Eu bem me lembro do que se dizia do Hélton a jogar com os pés"

De que é que o Nightwish se lembra?

É que, um dos bons atributos do Helton é, precisamente, jogar bem com os pés.

pancas disse...

Daniel,
nao vejo contradicao/incoerencia. Eu nunca disse que nao ha centrais de qualidade no plantel. Ou medios ou extremos, etc. O que eu sempre disse foi que o Lopetegui nao escolhe os melhores jogadores para o 11. E esses jogadores que refere (Marcano, Indi, Casemiro, Quaresma) nao sao suficientemente bons para serem titulares. Mas todavia sao suficientemente bons para serem suplentes e com isso formarem o melhor plantel da historia do clube.

Ou entao, dou-lhe a minha ideia do que teria sido o meu provavel 11 titular do que conheco dos jogadores do plantel (A e B):
(num 4-4-2 assimetrico similar ao que o Vitor Pereira usava)

Andres Fernandez
Danilo; Lichnovsky; Reyes; Alex Sandro
Ruben Neves; Oliver; Evandro; Quintero
Jackson; Brahimi

Para tipicos suplentes - Fabiano, Rafa, Maicon, Josue (nao o teria dispensado), Casemiro, Toze, Tiago Rodrigues, Ricardo, Quaresma, Tello, Ghilas (tb nao teria dispensado)

Mesmo poupando muitos milhoes, continuavamos a ter o melhor plantel da historia do clube (embora talvez nao o melhor 11) - bastava um treinador da categoria de um Jesualdo Ferreira (mediano-alto) para ter ganho todos os jogos ate agora.

Luís Vieira disse...

JON, não precisa de vestir o manto da sapiência futebolística e dar conselhos do estilo "esqueçam o jogo como uma coisa de duelos individuais". Isso é lógico. Acontece que, independentemente disso, o Maxi ontem marcou o Brahimi ao homem. Houve alturas em que veio até ao nosso meio-campo defensivo atrás dele, em zonas interiores. Estava em contenção? Só se for contenção alargada. É evidente que não esteve 100% do tempo em cima, por impossível, mas foi das marcações individuais mais nítidas e impiedosas que vi nos últimos tempos. Daí que tenha utilizado aquela expressão e reitere que o Brahimi foi incapaz de ultrapassá-lo e criar perigo.

DC, facto indesmentível: o Quaresma jogou muito melhor que o Tello, teve um impacto muito mais significativo no jogo, aproximou muito mais a equipa do sucesso/golo. Não há colagem possível entre o que um e outro fizeram, embora o DC tenha tentado fazê-la. Quanto ao Herrera, outro facto indesmentível: fez um mau jogo. E parte da sua descrição entronca na realidade. Só que, como é hábito, o DC tem dois pesos e duas medidas quando se trata do mexicano, daí que o tenha provocado com o Brahimi. Porque a exibição do argelino, ontem, foi miserável. Perdulário, complicativo, péssimo a decidir, egoísta, enfim, aquilo que costuma arrepiar o DC no seu amigo cigano. Só que o DC para o Brahimi encontra atenuantes, para o Herrera não. É esta dualidade de critérios, qual Jorge Sousa, que tolhe qualquer racionalidade que pudesse haver nas análises que faz do Herrera. A organização defensiva do Benfica só funcionou para o Brahimi? Só foi perfeita para anular o Brahimi? No meio-campo o Enzo e o Samaris andaram a dormir e não pressionaram? O DC chega ao cúmulo de atribuir a culpa à falta de apoios para a mediocridade do Brahimi. Foi o Óliver que não lhos deu? Ou o Herrera tinha a obrigação de dar apoio ao Tello e ao Brahimi, tipo super-homem? Em suma, o DC não tem pejo nenhum em ridicularizar o Herrera, mas não faz o mesmo em relação ao argelino que foi absolutamente inofensivo - já lá vão 3 jogos. Nada de novo, uns são filhos, outros são enteados.

Pancas, essas atoardas baratas caem em saco roto. Só registo que tem problemas patológicos com o termo intensidade. Para além disso, tem dotes de ilusionista porque consegue transformar uma substituição ofensiva, quando o treinador pôs a carne toda no assador, numa troca por troca. O Aboubakar também substituiu o Alex Sandro, por isso temos novo defesa-esquerdo. É a chamada lógica da batata, alheia ao contexto. Ah, e não chore tanto pelo sorteio favorável na Champions, não vá ter alegrias que não deseja.

Luís Vieira disse...

São jogos completamente diferentes. O Sporting fez muito mais do que o Benfica para ganhar o jogo no Dragão e, muito embora, tivesse sido algo feliz, a vitória aceita-se. Ontem saiu a sorte grande ao Benfica. Jogou à roleta russa e saiu-se bem. Mas repetindo a exibição noutros jogos do género o mais provável seria perder, porque o Porto foi sempre superior, excepto em 3 momentos defensivos (2 deles deram golo). Aliando isso ao andor das arbitragens e ao fraco desempenho europeu, não me restam muitas dúvidas e a sua discórdia é-me, por isso, insondável.

Luís Vieira disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Luís Vieira disse...

Ora aí está uma proposta visionária: Reyes e Lichnovsky desde o início da época a titulares. O registo defensivo (leia-se golos sofridos) poderia não ser o mesmo, mas teríamos cuecas e cabritos na saída de bola.

Luís Vieira disse...

Ganhou sem saber ler nem escrever e todos sabemos como tem os outros 3 pontos à maior. Revisionismo não, por favor.

Luís Vieira disse...

Pancas, essa do melhor plantel da história do clube é para rir? Registo com galhardia que inclui Andrés Fernández, Lichnovsky, Reyes, Fabiano, Rafa, Josué, Tozé, Tiago Rodrigues, entre outros magnificentes jogadores. À beira disto, os plantéis de 1987 e 2004 são anedotas. E o de 2004/2005 idem. Não precisa de se esforçar tanto para descredibilizar o Lopetegui.

DC disse...

O Luís consegue-se desmentir dum parágrafo para o outro. No 1º fala em marcação individual ao Brahimi, no 2º já diz que Brahimi teve uma marcação semelhante à do Herrera.
E se quiser perceber melhor ainda o que aconteceu, leia JJ:
"sabíamos que o FC Porto tinha jogadores fortes nas alas mas as ajudas foram importantes, era aquilo que tínhamos idealizado para este jogo. "

Querer comparar o que aconteceu com Brahimi e o que aconteceu com Herrera é de loucos. E até o desafio a mostrar-me más recepções e maus passes do Brahimi. E desafio-o também a mostrar-me momentos em que se agarrou á bola tendo apoios para a passar. Quero ver quantos encontra.
E encontre também momentos em que o Salvio e o Maxi entraram por aquele flanco se conseguir.
Brahimi falhou numa coisa, não foi o génio habitual e não conseguiu passar por 3 ou 4 de seguida. Porque decisões e execuções falhou 2 ou 3 no jogo todo. Ainda assim, dentro do tal "péssimo" jogo que fez, na jogada em que o Oliver entra na área e cruza para o Herrera é o Brahimi sem bola que arrasta o defesa e cria o espaço, no centro do Quaresma na 2a parte, novamente o Brahimi a atrair os defesas e a soltar num Quaresma com espaço para centrar. Tudo muito mau, até se começar a olhar para as coisas com olhos de ver.

meirelesportuense disse...

Também acho que o Campeonato ficou entregue ontem. E aceito muito do que o José Correia afirma. Fabiano não é guarda-redes para o FCdoPorto.Andrés Fernandez tem mais qualidade embora seja um pouco mais baixo.Não temos uma dupla de centrais com verdadeira categoria.Não temos um médio defensivo que dê confiança, para mim tenho a esperança de ver ainda este ano jogar Campaña.Não possuímos uma linha média que garanta um bom ritmo de jogo.
O Benfica tem uma equipa mais afinada que a nossa.Tem uma linha média muito mais unida e superior. Tem um grande defesa central e um defesa direito muito batalhador. Tem um excelente guarda-redes.E tem três avançados de mobilidade superior.
No entanto acho que ontem o 1º golo foi marcado com a concha tronco/braço esquerdo.Ninguém fala disso mas a verdade é que houve um golo do Porto anulado por braço do Jackson, enquanto as mãos do Maxi impediram a bola de ir para a área e o árbitro deixou passar.Já no jogo do Sporting um defesa leonino corta um cruzamento com as mãos e o árbitro "não viu"...Por isso digo que o Campeonato está entregue!

Bruno Pinto disse...

Derrota amarga, imerecida. Mas quando se cometem erros tão clamorosos na defesa e no ataque, dificilmente se pode ganhar. O FC Porto, com o plantel que tem, joga pouco, mas perdeu contra uma equipa que não joga nada. Zero. Por isso, acredito que 6 pontos sejam perfeitamente recuperáveis.

Feita a introdução, eu continuo a acreditar na equipa, não faz sentido nenhum pedir a cabeça do Lotopegui, perdão Lopetegui, mas não posso negar que me tem defraudado um bocado com o decorrer da temporada. Defendi-o no início sem quaisquer reservas porque quis implementar um modelo obcecado pela posse e eu gosto disso, gosto que o FC Porto jogue como equipa grande. Que tente ser dominadora em qualquer campo, seja personalizada. Mas acho que não tem as ideias e a sabedoria necessária para o implementar. O FC Porto denota uma dificuldade enorme em ultrapassar defesas cerradas, algo que um modelo de posse devia arranjar soluções para contrariar. E essas soluções faltam. Senti-me seduzido pela proposta de jogo do Lopetegui, mas hoje devo reconhecer que me sinto algo desiludido com o futebol da equipa, sobretudo tendo em conta a qualidade do plantel. Sem ser o melhor de sempre - muito longe disso - logicamente!!! Mas não peçam a cabeça do treinador, não faz sentido nenhum. O Benfica leva 6 pontos de avanço, sem saber ler nem escrever, com benefícios constantes, mas vão acabar por cair e onde menos se espera. E se for preciso vamos ganhar à Luz. Take it easy. Acredito sinceramente nisso.

O modeloo do Lopetegui revela falta de ideias, de soluções, e concordo com algumas ideias que têm sido ditas aqui. O grande problema, na minha opinião, está no trio centrais + médio-defensivo, que revela uma incapacidade gritante e anormal na primeira fase de construção, na saída de bola, que depois prejudica o desenrolar de todos os lances. Retira fluidez, velocidade. Contratar um central competente com bola e Rúben Neves a 6 e 80% dos problemas desapareciam. A primeira parte em Coimbra do Rúben para mim foi elucidativa. O Lopetegui tem de perceber isto quando ele recuperar. Sobre Brahimi, o CAN chega num bom momento, pois ele atravessa um mau momento. Perdeu o timing de se desfazer da bola, mesmo quando tem apoios. Perdeu alguma da capacidade de desequilibrar, talvez devido a ter menos espaço agora que o conhecem. Que venha do CAN, igual ao que foi, como melhor jogador do campeonato. Precisamos dele.

Força Porto. Eu acredito.

Luís Vieira disse...

DC, não desvirtue as minhas palavras por razões de conveniência. Sabe que é possível compatibilizar uma marcação individual com a organização defensiva, não sabe? Pronto, foi isso que aconteceu. Não há aqui qualquer incongruência, não tente forçá-la. É a única diferença para o Herrera, que não teve um Maxi Pereira a morder-lhe os calcanhares o jogo todo, mas levou também com a "estratosférica" organização defensiva do Benfica em cima dele. As perguntas foram nesse sentido, porque para o DC a organização defensiva à la JJ serve de atenuante ao Brahimi, mas ao Herrera não, que, muito previsivelmente, só se exibiu assim porque é um "cepo" - onde está a loucura na comparação? Depois o DC incorre num erro de base que é comparar o Herrera e o Brahimi como se fossem jogadores com o mesmo nível técnico. Nunca ouviu falar em tratar igual o que é igual e tratar diferente o que é diferente? É evidente que eu não estarei à espera que o Brahimi, dada a sua qualidade técnica, faça más recepções ou maus passes, mas já estarei à espera que tome boas decisões e não seja exacerbadamente individualista. Bem, foi isso que aconteceu diversas vezes. O Brahimi, principalmente na segunda parte, quando a clarividência e o físico já não eram os mesmos e porque as coisas não lhe estavam a sair como queria, forçava demasiado, sem conseguir, não soltando no tempo certo. Chegou ao cúmulo de ouvir bruás e assobios no estádio, o que seria impensável há uns tempos atrás. Naturalmente, isto é injusto, face ao que o Brahimi tem feito, mas só denuncia a pobre exibição. O Salvio e o Maxi não entraram por aquele flanco porque assim foram instruídos. Como já reconheceu, o Benfica esteve apenas preocupado em defender, por isso é normal que não tenha havido grandes aventuras desses jogadores. O que é que isso diz da qualidade da exibição do Brahimi? Por último, se essas duas situações do argelino que enunciou fazem do seu jogo um bom jogo, só me leva a reforçar a conclusão que o DC tem os padrões de exigência elevados para uns e diminuídos para outros, conforme a pré-definição que tem dos jogadores. Assim sendo, devolvo os desafios: tire os óculos do "Brahimi jogador de classe mundial", reveja o jogo e diga-me se ele teve o impacto que seria suposto, atendendo às fantásticas exibições contra outras equipas, quiçá menores.

DC disse...

Não há incongruência??? Mas para sí é igual ter uma marcação individual e não ter?

E já agora, não ele não teve marcação individual. Teve sim, 2-3 jogadores SEMPRE com atenção reforçada ao flanco dele. Não foi marcação individual, foi mesmo uma organização defensiva definida para ter uma zona de pressão bem mais concentrada no flanco do Brahimi.

Marcação individual é uma perseguição no campo todo por parte dum defesa específico. Coisa que não ocorreu neste jogo. Convém saber do que se fala antes de disparar análises tácticas a torto e a direito.

Depois, o seu e o problema de outros é mesmo esse. É que não exigem para todos os jogadores do Porto uma elevada qualidade técnica. Eu exijo. E exijo ainda mais quando no banco estão Quintero e Evandro, com uma técnica excelente. Dizer que não se esperam más recepções do Brahimi mas admiti-las ao Herrera é ser adepto do Campomaiorense, não é do Porto, certamente.

E eu dei-lhe 2 exemplos de boas decisões e boas jogadas. Mas desafiei-o a mostrar lances onde ele falhou execuções ou decisões. Para já está 2-0 para mim, pelo que vejo.

DC disse...

E, já agora, essa do "impacto que era suposto" é mesmo de quem não entende o futebol como um jogo colectivo.

José Correia disse...

«Herrera e Oliver. São os médios que fazem jogar a equipa. Pressionam, marcam o ritmo e desequilibram. Neste jogo foram regulares mas pedia-se mais passes, velocidade, intensidade e movimentos de ruptura para criar os espaços para outros. Além dos necessários desequilíbrios na equipa adversária.
(…)
Brahimi também esteve abaixo do que pode fazer. Já o escrevi aqui, é dos melhores. Veio enriquecer a nossa Liga e naturalmente fortalecer o FC Porto. Esperava muito mais velocidade, desequilíbrios e assistências. Passou pelo jogo e deixou-nos sempre à espera que algo de bom pudesse acontecer. Lopetegui também terá pensado dessa forma ao deixá-lo em campo e retirar Tello. Exige-se mais a quem tem qualidade e capacidade para fazer coisas diferentes e melhores. Mas não aconteceu. É verdade que Maxi trazia a lição bem estudada e não o largava sempre que a bola lhe chegava mas Brahimi tem a capacidade para em muitas situações ir embora. Não o fez e agarrou-se demasiado à bola. Muitos toques e um passe quase sempre para o lado e para trás foram a sua marca no domingo. Não lhe retira a qualidade e capacidade que tem, mas a equipa precisava dele no máximo.»


Quem escreveu isto?
Um gajo (se quiserem eu digo o nome e dou o link do texto completo) que, apesar de ter sido jogador profissional de futebol (será que tem “formação na área”?), ter jogado num dos três “grandes” e ter sido internacional, notoriamente percebe pouco disto, não é DC?

Luís Vieira disse...

Muito naturalmente, para mim é diferente haver marcação individual e, por isso, eu posso utilizar esse argumento para - também - justificar a fraca produção do Brahimi. Acontece que o DC não pode fazê-lo. O DC apenas se pode basear na organização defensiva do Benfica e, nesse pressuposto, se ela foi assim tão competente, as condições eram relativamente semelhantes para ambos (Herrera e Brahimi), daí não haver qualquer incongruência deste lado, mas claramente haja desse. O DC diz que só houve uma zona de pressão concentrada no lado do Brahimi e eu volto a perguntar, em contraponto: não houve zona de pressão concentrada na zona central do terreno, com Enzo, Samaris, Talisca e, por vezes, Gaitán, a forçarem o erro? O DC devia estar a dormir à hora do jogo, para não ver o evidente. Essa da marcação individual ser uma corrida desenfreada pelo campo todo por parte de um defesa específico é do mais absurdo que já li. Sob esse ponto de vista, quando o Brahimi trocou de flanco e foi para a direita do ataque momentaneamente, o Maxi também devia ter trocado de flanco com o André Almeida. É melhor medir o que escreve para não cair no rídiculo. Em todo o caso, apesar destas pérolas, não me verá dizer que o DC não pesca nada disto. O complexo de superioridade, a arrogância e a infantilidade na argumentação ("2-0 para mim") ficam consigo. Reveja o jogo, principamente a segunda parte, lá encontrará o que não quer ver. Relativamente à qualidade técnica, eu exijo um nível satisfatório e tenho perfeita consciência que nem todos os jogadores podem ser excelentes tecnicamente. Sou realista e consigo descortinar outras qualidades que também são úteis à equipa. O DC é um idealista, o paladino da técnica, que pretende uma equipa feita de Decos e Brahimis, mas depois acorda, leva um banho de realidade e vê que está em Portugal e que isto não é o Barça ou o Bayern. Por isso, o DC é que está desfasado, não é adepto do Porto real, é adepto das equipas do Guardiola e do mundo perfeito das boas decisões e da mirabolante capacidade técnica. P.S.: o DC é que entende o futebol como um jogo colectivo, já todos sabemos, não precisa de repetir fastidiosamente.

JON disse...

Sim, José... Um tipo que tenha jogado futebol profissional tem tudo para "perceber" imenso do jogo... É condição sine qua non!

PS: e nem discuto o que transcreveu... apenas o facto de se um "ex-jogador diz, é porque sabe do que fala"...

pancas disse...

Eu nao preciso de me esforcar para descredibilizar Lopetegui. Ele faz isso muito bem sozinho cada vez que tem de defrontar equipas um pouco melhorzitas... e sem grande esforco!

Voce deve estar a confundir plantel com 11 titular... eu sublinhei no meu comentario que nao seria o melhor 11 titular, mas o facto que neste momento ha (e mesmo na minha alternativa haveria) 2 jogadores decentes para cada posicao seria uma coisa totalmente inedita no nosso clube e como tal o PLANTEL seria o mais forte.

José Correia disse...

Sim, JON, tem toda a razão... Aliás, ainda estou à espera das respostas do pancas e do DC, as quais, tenho a certeza, irão reforçar a sua/vossa razão...

Quanto ao autor do texto que eu transcrevi, para além de ter sido jogador profissional de futebol (disputou quase 400 jogos ao serviço do Vit. Guimarães e Sporting), de ter sido 22 vezes internacional pela Selecção principal de Portugal e de estar ligado ao Futebol há mais de 30 anos, basta ler o que ele escreve, ou ouvir o que diz na televisão, para se perceber logo que não percebe nada disto.
Ou, numa versão mais benigna, percebe muito menos que algumas pessoas que não sabemos quem são, mas que têm uns nicknames engraçados e que têm escrito uns comentários giros aqui no RP...

Luís Vieira disse...

No caso em apreço, até tem formação na área, designadamente curso de treinador, José, mas é burro e não entende o jogo colectivo. Espertos e entendidos são os treinadores bloguistas.

Nuno Fonseca disse...

Reyes, Lichonovsky??? que brincadeira é esta?

JON disse...

Caros, do pancas e do DC não falo, nem entro nessa guerrinha que vocês têm aqui, especialmente o Luís e os supracitados. Tenho mais o que fazer.

O que acho sinceramente é que vocês já nem sabem o que querem provar uns aos outros.

O Pedro Barbosa, o Freitas Lobo, ou muitos outros que tais, podem falar bem, mas a mim não em encantam nada com os seus lugares comuns. O VP que mal consegue expressar-se diz muito mais em três "mumbles" que esses senhores.

Quanto a perceber ou não do jogo, acho que vocês na senda de provarem que têm razão já perdem a noção do meio termo, que é normalmente o mais acertado...

O Herrera tem algumas coisas interessantes, mas havendo Quintero, Evandro e mesmo Rúben, ele raramente calçava comigo. Posso ter essa opinião ou tenho de pensar pelas vossas cabeças ou de "ex-internacionais A"?

José Correia disse...

"...acho que vocês na senda de provarem que têm razão já perdem a noção do meio termo, que é normalmente o mais acertado..."

Penso que esta afirmação deveria ser dirigida àquelas pessoas que são incapazes de ver qualidades ("coisas interessantes") no Herrera e no Quaresma.

Eu, para "puxar" pelo Herrera, não preciso de, jogo após jogo, desenhar um alvo na testa do Quintero ou do Óliver que, aliás, me tenho fartado de elogiar.

DC disse...

Onde é que eu disse que só houve uma zona de pressão?
Luís mas você viu alguma coisa do jogo? Viu em que condições e em que zonas eram solicitados Brahimi e Jackson? Viu quantos jogadores se concentravam nessa zona?
Consegue comparar com as condições em que os médios centro recebiam a bola?
Sabe o que é uma marcação individual? Consegue diferenciar de pressão ao portador da bola? Sabe o que é o futebol e o que é ginástica artística?

Sinceramente, nem vou discutir mais nada com quem está completamente a leste de tudo o que se passou. Continue na sua, há certas conversas para as quais eu já não tenho pachorra. Para isso vou ali à tasca ao lado e falo com o primeiro reformado que lá estiver.

DC disse...

Eu diria mais, eu se fosse a si iria buscar a opinião dum treinador.
Que segundo um ex-jogador de futebol e ex-treinador da Primeira Liga, é treinador porque "treina a dor". Sendo ele treina-a-dor de futebol, certamente a opinião estará fundamentada e correcta.

DC disse...

Já agora, esta é dirigida mesmo ao Pedro Barbosa: Pedrinho, se neste jogo metes o melhor em campo (Oliver) no mesmo saco que o Herrera, és um perfeito idiota. Sabes tanto de futebol como tens de cabelo.

Podem-lhe dizer que eu lhe disse isto e lhe mandei um abraço.

Luís Vieira disse...

JON, não tenho qualquer "guerrinha". É sempre um prazer debater o Porto, futebol nacional e internacional e questões afins, principalmente aqui, no Reflexão Portista. Há-de reparar que, da minha parte, a discussão só fica mais "feia", quando os interlocutores se arvoram em mestres da táctica, assumindo poses de professor, face aos pobres incultos do jogo. Quanto ao resto, trata-se apenas de trocas de opinião, com percepções diferentes, nuns casos, e parecidas, noutros, o que apenas enriquece o espaço. Relativamente ao meio-termo, normalmente procuro pautar-me por aí, daí que nunca me tenha referido ao Herrera e ao Quaresma como jogadores extraordinários, nem os defenda cegamente jogo sim, jogo sim. Sou livre de pré-definições para criticá-los ou elogiá-los, conforme os desempenhos, regra válida para todos os jogadores do Porto. O seu último parágrafo é um exemplo de como o debate se deve desenhar: dá a sua opinião sem escarnecer de forma sectária, por isso merece todo o respeito. Agora o Pedro Barbosa: acho que não pode ser posto no mesmo saco que o Freitas Lobo, pelos percursos e formações muito distintos, sendo que alguma coisa perceberá de futebol (a não ser que considere que não aprendeu nada com os treinadores e formadores que teve).

Luís Vieira disse...

Discordo, sem confundir 11 titular com plantel, tanto nas supracitadas épocas, como em 2011, por exemplo, só para referir as mais evidentes. Daí que diga que o pancas está a forçar a nota para ajudar à descredibilização do Lopetegui.

JON disse...

Oh Luís, mas duvida que há muitos jogadores que não aprendem nada mesmo com carreiras longas? Basta serem burros ou terem treinadores da categoria de um José Mota. É bem simples...

Nightwish disse...

O José é "dono" do blog, pode ir procurar as primeiras épocas que deve estar por muitos comentários.
E mesmo nas restantes. É o que eu digo, a memória é curta.

António Teixeira disse...

O DC não sabe o que são zonas de pressão, marcações zonais, individuais, e mistas. O DC acha que o futebol se resume aos maus (os que jogam em hxh) e os bons (os que jogam zona).

O DC é assim.

É a maior trivialidade do mundo dizer que o Herrera é pior que o Brahimi em quase tudo. Mas é melhor nalgumas coisas, que o DC diz que é correr feito maluco.

E depois começam as comparações disparatadas, as brigadas das analogias.

O DC tem um ídolo chamado Nuno, e tenta, como jovem que é (mal-educado, diga-se), copiar esse ídolo na escrita e nas ideias.

Sempre com os mesmos temas, exemplos, analogias de tasca, de alguém que acha que percebe alguma coisa (ou muito, sei lá), de tudo, mas que lá no fundo... Enfim. Vá lá à tasca discutir com os borracholas, com o que escreve nem sei como não terá vindo de lá.

Luís Vieira disse...

O DC denota dificuldades de interpretação. São dificuldades de base que dificilmente serão supridas neste espaço. Zona de pressão CONCENTRADA. Um pequeno pormenor que faz toda a diferença. Convém ler e perceber, antes de reagir instintivamente, senão está apenas a passar os olhos por um conjunto de letras. Se o DC acha que o Óliver e o Herrera recebiam a bola em condições muito favoráveis e que a pressão defensiva do Benfica foi incrivelmente mais concentrada sobre o Brahimi e o Jackson, porque lhe dá jeito, então não há muito mais a dizer porque tem uma percepção enviesada do jogo. O engraçado é que até por aí deu para perceber a diferença de capacidade para reagir em espaços curtos do Óliver face ao Herrera (o que é normal, atendendo às suas características), mas deve ter sido por haver pouca "concentração" da pressão na zona central que isso ficou evidente. Non sense. Quanto às restantes interrogações, ficam como perguntas retóricas para o DC responder na sua própria cabeça, porque, como é óbvio, apenas o DC domina cabalmente esses conceitos e quando alguém o questiona, a reacção é automática: tentar diminuir quem se atreve a questionar o génio da táctica. O problema é que quem se diminui nesses exercícios, embora o DC não consiga discernir, é o próprio DC. Por último, acho que faz bem em ir à tasca e falar com o reformado, pode ser que com ele aprenda alguma coisa.

Luís Vieira disse...

Certo JON, mas não me parece o caso do Pedro Barbosa. Não o tenho por burro e teve treinadores variados, alguns deles com mais categoria que o José Mota. Quando falei em formadores estava a referir-me aos dos cursos técnicos, mas também pode ser os da formação.

DC disse...

ahaha zona de pressão concentrada e alargada. Tão bom! Estamos em meteorologia neste momento :P
Mas não se canse que eu já leio os seus comentários na diagonal. Já lhe disse que perdi a pachorra para conversa de tasca. Esteja à vontade para responder se bem entender, mas não espere que eu tenha mais trocas de argumentos consigo sobre isto, já desisti.

António, toma um valium. Já passaram uns 6 meses e ainda andas traumatizado com o Nuno? Isso é doentio! E desculpa lá mas não te vou dar tanta atenção como o Nuno te deu.

António Teixeira disse...

Pois não DC, lá está, como o Nuno e outros tantos (e não incluo aqui alguém honesto apesar de tudo, que gosta de "abençoar"), quando se esgotam os argumentos (que não sabemos o que são, ou se calhar são aquelas aves raras de silogismos que já datam de 2 milénios e tal) e o notável apreço pela lógica, um gajo mostra-se superior, e esquece-se de debater.

São os termos habituais:

"Desisto".
"Não vale a pena".
"Não compreendem".
"Tartarugas".

Quando pedem ao poço de sabedoria que elabore, que defina, que explique as coisas sem rodeios, o DC foge da conversa. Habitual. Chama-se muita coisa, desde falta de honestidade até burrice, mas o DC lá sabe.

O DC continua a não conseguir elaborar um parágrafo coerente quer fale de bola quer não. E dedica-se a procurar contradições nos textos dos outros, quando nem sabe o que é uma contradição. E para resumir o resto do DC, são meia dúzia de ideias base:

- Jogadores que decidem mal não prestam, jogadores que decidem bem/tem bons pés devem ser automaticamente promovidos à equipa A e serão grandes jogadores.
- O Herrera e o Quaresma não prestam. O Maicon idem. O Indi idem. Enfim, qualquer jogador do Porto que lhe digam que é mau nas coisas do ponto A, não presta.
- O Guardiola é um génio.
- O Vítor Pereira é um génio e quase todos os outros são maus (como se as conversas de bola do DC não se resumissem a blogs e tascas, mas isso sou eu que digo que o DC: a) não é académico. b) não é treinador. c) não conhece o estado da arte).

Os treinadores de bancada são os mesmos, estão é mais chiques, com o devido respeito, fazem lembrar aquelas donas de casa de Cascais e do Estoril. Diferenciam-se das de outros sítios apenas pela roupa, são mais chiques.

Mas pergunto-lhe DC, directamente, já que ninguém responde:

- Elabore sobre o modelo do Porto. Faça um texto. O DC tem um blog e tudo, é fácil.

DC disse...

António, é isso. Pasito a pasito! Um abraço!

Luís Vieira disse...

O DC conseguiu a proeza de gozar consigo mesmo. Passo a citar: "Não foi marcação individual, foi mesmo uma organização defensiva definida para ter uma zona de pressão bem mais concentrada no flanco do Brahimi". Isto escreveu o DC, hoje, às 11:58. Ora, quando me referi a zona de pressão "concentrada" usei o termo única e simplesmente porque o DC o fez, para ilustrar que estava a ver mal as coisas (foi "concentrada" na faixa, mas no meio não, vá-se lá saber em que jogo). Mas nem assim! Por isso, o primeiro e único meteorologista aqui é o DC, que se confunde e goza a si mesmo. Por outro lado, é uma experiência psicológica engraçada assistir ao macaquear de fórmulas argumentativas de outros espaços. Nem originalidade existe. Pobre, muito pobre. Enfim, o DC atingiu o princípio de Peter do comentário. Como assumiu que agora lê os meus comentários na diagonal, terá o que deseja: não perderei nem mais um minuto a gastar o meu latim com aquilo que vulgarmente na internet se designa por troll. Pensava que valia a pena, mas estava errado.

DC disse...

Luís, pareço o Tello a fazer diagonais.