terça-feira, 30 de dezembro de 2014

Sobrou Casemiro

Do onze base desta época (os 11 jogadores mais utilizados por Lopetegui nos 23 jogos anteriores), sobrou apenas Casemiro como titular em Vila Conde.

Onze inicial do FC Porto em Vila do Conde

Para mim, este é o aspecto mais relevante do Rio Ave x FC Porto de hoje e é ilustrativo do modo como o FC Porto continua a encarar a Taça da Liga.

Em consequência disto, veremos, como diria Jorge Jesus, com que “andamento” os dragões irão chegar ao próximo jogo do Campeonato (em Barcelos), após uma paragem competitiva de 16 dias para grande parte dos habituais titulares.

De resto, Lopetegui voltou a dar uma oportunidade ao seu compatriota Adrián López, mas o “senhor 11 milhões” voltou a desperdiça-la de uma forma estrondosa.

Em sentido oposto, Ricardo Pereira, apesar de ser um extremo e estar num processo de adaptação a lateral-direito, voltou a agarrar a oportunidade e, na minha opinião, foi o melhor jogador do FC Porto.

Ricardo Pereira em acção no Rio Ave x FC Porto

O azar do Ricardo é o lateral-direito do FC Porto se chamar Danilo e ser, nesta altura, um dos 10 melhores laterais-direitos do Mundo.

Dois lamentos finais.

Se não era para ser titular, se não era para jogar, para quê convocar Helton, um jogador com 36 anos, saído de uma lesão grave?

Helton "congelado" no banco de suplentes

Estando Ivo Rodrigues no banco de suplentes, por que razão Lopetegui esgotou as substituições metendo Óliver, para jogar… numa ala?
Ah, já sei, porque, segundo Lopetegui disse na véspera do jogo, a Taça da Liga é uma competição interessante, com uma série de regras que favorece e regula a presença do jogador português jovem…

5 comentários:

João disse...

Achei o Ádrian um dos melhores do Porto, senão mesmo o melhor. Na frente foi, e de muito longe, o mais esclarecido. Nem sempre decidiu bem mas se compararmos com o aproveitamento de Quaresma e Aboubakar, o espanhol ganha claramente. Ricardo também esteve muito bem, gostei da dupla de centrais e o José Angel também não esteve mal de todo. Daqui para a frente é que a coisa se complica. O Casemiro equilibrou uma primeira parte a bom nível com uma 2ª parte ridícula. Continua inexplicavelmente a ser comido quando recebe a bola de costas, ainda não inventaram o "Polícia!" nos treinos do Porto. O Eleito de Deus e Salvador do Meio Campo Evandro fez 0-zero-0 de registo a nível atacante, nem uma desmarcação, um passe em profundidade, a porcaria de um cabrito, um desequilíbrio qualquer.. nada. "Defourou" muita bem e para alguns chega. O Quintero de 90 minutos foi o Quintero de 90 minutos e na frente, Quaresma um rotundo zero e Aboubakar com alguns bons pormenores mas frequentemente mal servido.

Em relação ao Ivo, o que eu vi foi o Lopetegui a sentir-se apertado e a tirar a carne toda lá de dentro para meter "mecos" à frente dos jogadores do Rio Ave, portanto não me surpreende. O basco continua a revelar não fazer a mínima ideia de onde está nem o que anda cá a fazer.

Pinto Felgueiras disse...

... Só desejo que no ano 2015 tudo seja melhor, para todos nós, o que naturalmente engloba o F C Porto.
Boas passagem e Feliz Ano Novo.
Armando Pinto
Memória Portista

Nuno Fonseca disse...

Essa "boca" ao Adrian foi ao lado na minha opinião. Esteve muito bem, muito melhor que Aboubakar que mostrou muita lentidão na decisão e pouco esclarecimento. E esteve muito melhor que ele próprio comparando com os ultimos jogos. Acho mesmo que foi factor mais positivo do jogo.
Quanto a Ricardo, é triste vê-lo encostado à defesa, quando ele não é defesa e embora se esforce não sabe ainda ocupar aquela posição. Perde-se um excelente médio ala. Um jogador que pela sua inteligência e forma prática de jogar na frente poderia perfeitamente no futuro encostar jogadores como Ricardo quaresma e Tello, tivesse oportunidades para jogar ali.

Carrela disse...

Realmente, essa referência ao Adrián não é mt feliz/assertiva, nem pareceu seu José Correia!

Vítor Hugo disse...

"ainda não inventaram o "Polícia!" nos treinos do Porto"

Depois de ver esta observação, tive que vir "assinar por baixo"!

Desde a época passada que esta questão me tem atravessado a mente vezes sem conta. Têm sido mais que inúmeras as perdas de bola, sobretudo a meio-campo, por jogadores que recebem passes com adversários nas costas sem se ouvir/vislumbrar um único colega que tenha o discernimento de gritar "polícia" ou algo do género.
No pico da azelhice de qualquer jogo amador de futebol de 5, 7 ou até 11, o "polícia!!" é uma norma básica, um dado adquirido. Amadorismos!....