domingo, 18 de janeiro de 2015

Geometria para Totós

Eu sei, que a maior parte dos jornalistas e comentadores desportivos não têm a mínima noção de Geometria Projectiva, Perspectiva, Ponto de Fuga, Linhas de Fuga, etc.

E também não é minha intenção dar aqui um curso rápido de Geometria para Totós (quem quiser que volte à escola ou pague umas explicações de Geometria Descritiva ou Desenho Técnico).

Contudo, para aqueles que afirmam, com toda a certeza e sem qualquer sombra de dúvida, que o Casemiro estava em posição de fora-de-jogo no momento do passe de Jackson Martinez (na jogada que antecedeu o 1º golo do FC Porto), apresento, de seguida, duas imagens para reflectirem.

Distância da margem ao eixo de uma via rodoviária (clique na imagem para ampliar)

Na imagem anterior, as três linhas horizontais representam a distância da margem ao eixo da via, em três pontos distintos da estrada.

Sabemos que a distância é sensivelmente a mesma nas três medições. Contudo, a linha vermelha é maior que a linha amarela, a qual, por sua vez, é maior que a linha azul clara.
Porquê?

Linhas, projecções e distâncias no momento do passe de Jackson (clique na imagem para ampliar)

Na imagem anterior, as três linhas horizontais representam a distância de Casemiro, de Ferreira (Nº 6 e capitão do Penafiel) e de Dani Coelho (Nº 20 do Penafiel) à linha limite da grande área do Penafiel.

Tal como no exemplo da estrada, a linha vermelha é maior que a linha amarela, a qual, por sua vez, é maior que a linha azul clara.

Perante esta imagem, alguém pode dizer, com toda a certeza, que Casemiro é o jogador que está a uma menor distância da linha limite da grande área do Penafiel?

E, em casos como este, o que devem fazer os árbitros auxiliares?

31 comentários:

walterpaz disse...

O 1º e 2º golo seriam claros casos de dúvida mesmo que estivessem adiantados, pelo que a jogada deve seguir.

Quando grande parte da discussão se centra na inexistência de linha de fora de jogo na transmissão televisiva está tudo dito.

Por isso estar a discutir linhas de fora de jogo é discutir aquilo que não existe num campo de futebol e próprio de quem só vê futebol na TV.

Já no 3º golo não dou o benefício da dúvida ao bandeirinha, é uma má decisão do mesmo. É muito perto da linha para que a movimentação dos jogadores possa levantar dúvidas.

A César o que é de César:
Boa decisão do bandeirinha no 1º e 2º golo
Má decisão do bandeirinha no 3º golo.

RS disse...

Má decisão no 3ºgolo?????? É o único dos 3 golos que não levanta qualquer tipo de dúvida já que o passe do Casemiro é efectuado para trás.
Quanto aos restantes lances, tivesse o jogo sido realizado num estádio com o mínimo de condições para uma transmissão televisiva de qualidade, e quero crer que não havia espaço para qualquer dúvida.

Pedro disse...

Não vejo onde está a dúvida... Casemiro está claramente em posição legal. Jackson também no 2º golo. Já no terceiro não entendo a sua dúvida.... Passe do Casemiro é feito para trás, e antes disso na altura do ressalto com Evandro estão 2 jogadores do Penafiel atrás da linha da bola.

Bluesky disse...

Mas isto é ténis, ou quê?
Ou o futebol granjeou a sua reputação precisamente devido a lances como estes... é a duvida que mantém este desporto vivo nas suas tertúlias entre adeptos que reclamam a mesma coisa mas em tons diferentes.
Por favor não sejam como o Rui Santos e a sua tecnologia... fora-de-jogo para mim é todo aquele que se consegue ver logo á primeirra vista... o resto são efeitos especiais!!!
Mas agradeço ao José Correia pela descaroçoamento dos lances, apenas para futuras referências...

meirelesportuense disse...

Para mim a dúvida no 3º golo está no facto de Casemiro ter efectuado um primeiro remate-cruzamento que choca em Herrera e regressa ao Casemiro, este tinha saído do terreno por acção do seu próprio movimento, a bola não saiu mas será que Casemiro quando volta a tocar na bola não se encontrava já em fora de jogo?...Se o ressalto sai de Herrera e vai para Casemiro e depois este centra para Óliver não há fora de jogo, se vai de Casemiro para Herrera e deste regressa a Casemiro, levanta-se a dúvida...

J.P. Gonçalves disse...

Lembro-me de num jogo do Benfica, com o Rio Ave acho eu, ver um trabalho de imagem semelhante a este ser completamente enxovalhado pelos adeptos e comentadores afectos ao FCP. Até deve ter contado para a Liga da Verdade...
Enfim, dá-me um certo gozo ver uma grande maioria de posts neste blogue, que não era assim, serem sobre arbitragens. ligas da verdade e da mentira e foras de jogo...
Parece-me bem.

meirelesportuense disse...

No primeiro golo a posição de Casemiro é duvidosa mas só uma linha virtual poderia dissipar as dúvidas...No entanto o grafismo das linhas de fuga colocado aqui não está correcto, o ponto de fuga que recebe todas as linhas projectadas não poderia nunca estar naquele lugar que é apresentado.

José Correia disse...

"Lembro-me de num jogo do Benfica, com o Rio Ave ..."

O J.P. Gonçalves está a falar do SL Benfica x Rio Ave, da 9ª Jornada desta época?

Ainda bem que fala nisso porque, precisamente nesse jogo, foi anulado um golo ao Rio Ave, devido a um suposto fora-de-jogo milimétrico.

http://www.reflexaoportista.pt/2014/12/arbitros-que-auxiliam-o-slb.html

José Correia disse...

"...dá-me um certo gozo ver uma grande maioria de posts neste blogue, que não era assim, serem sobre arbitragens..."

A mim não me dá qualquer gozo ter de publicar tantos posts sobre as arbitragens mas, perante os FACTOS, é impossível ficar calado.

Mas, sim, eu imagino que a maioria esmagadora dos benfiquistas, se esteja a marimbar para o FACTO deste campeonato ser o mais fraudulento dos últimos 20 anos (pelo menos).

José Correia disse...

"...o grafismo das linhas de fuga colocado aqui não está correcto..."

Pode ignorar as linhas de fuga, porque este artigo não é baseado no grafismo das linhas de fuga.

Este artigo é baseado na distância de três jogadores à linha limite da grande área do Penafiel.

J.P. Gonçalves disse...

Ponha lá as linhas com pontos de fuga porque assim não me parece legal a jogada...
Mas continuo a achar graça às vossas justificações actuais. E também acho graça à campanha montada para tentar influenciar os árbitros dos jogos do Benfica. Tudo o que é "bicho-careta" na CS fala disso mas, curiosamente, desde o inicio dessa campanha o Benfica passou a aplicar chapas 3 e 4 sem hipóteses de levantar qualquer duvida arbitral.
Parece que os adeptos azuis estão a adoptar a estratégia calimera dos verdes o que tem uma certa piada.
Cumprimentos.

José Correia disse...

"...Casemiro ter efectuado um primeiro remate-cruzamento que choca em Herrera..."

O Casemiro e o Herrera disputaram a mesma bola, a qual, após ter ressaltado em Herrera, voltou para a posse de Casemiro.

A bola nunca esteve na posse de Herrera e muito menos houve um passe de Herrera para Casemiro.

José Correia disse...

"...o Benfica passou a aplicar chapas 3 e 4 sem hipóteses de levantar qualquer duvida arbitral"

A "chapa 3" em Penafiel foi depois do Penafiel ficar a jogar com menos um porque, até essa altura, o SLB estava a ter bastantes dificuldades em criar oportunidades.

Quanto à "chapa 4" de hoje, contra o Marítimo, farei brevemente um post sobre a escandalosa decisão do senhor Xistra, ao ter evitado mostrar o 2º cartão amarelo a Talisca ao minuto 44.

«44': Talisca arriscou agora o segundo cartão amarelo, com mais uma entrada forte, desta feita sobre Alex Soares. Carlos Xistra perdoou...»
in record online


São estas as vitórias sem mácula e sem levantar qualquer duvida arbitral?
Pois...

J.P. Gonçalves disse...

Já tinha partido para outra mas chamou-me a atenção aquela dos 20 anos...
É que eu nos últimos 30 lembro-me de ouvir umas coisas no YouTube que davam ideia de alguns comportamentos estranhos entre dirigentes e árbitros...
Mas, ok. Se o Talisca fosse expulso certamente que o Marítimo ganharia o jogo.
Agora sim. Bos noite!

José Correia disse...

"...lembro-me de ouvir umas coisas no YouTube que davam ideia de alguns comportamentos estranhos entre dirigentes e árbitros..."

Os jogos das escutas foram investigados à lupa. Até foi criada uma equipa especial, liderada pela Mizé Morgado.

Sabe a que conclusão chegaram, após o parecer técnico que solicitaram a três ex-árbitros da AF Lisboa?

Que nesses jogos não tinha havido casos de arbitragem com influência nos resultados.

Pois é, os FACTOS são tramados...

José Correia disse...

"Se o Talisca fosse expulso certamente que o Marítimo ganharia o jogo"

Sim, se o Talisca tivesse sido expulso ao minuto 44, era bem provável que, na 2ª Parte, o SL Benfica se visse à rasca para aguentar a vantagem mínima (0-1).

Luís Gagliardini Graça disse...

O perdão da expulsão do Talisca diz tudo. O lance não deixa dúvida. E a forma com a expulsão foi perdoada, também não.

meirelesportuense disse...

José Correia, pode ser que tenha mesmo razão -não me custa nada reconhecê-lo- e desejo até que a tenha, porque o que eu menos aprecio é ter dúvidas sobre a legitimidade das vitórias do Porto, seja sobre quem fôr. De qualquer modo o José admite a dúvida.E essa, é que é, quanto a mim, a posição mais correcta.
Eu falava da definição exacta do ponto de fuga e esse só pode ser encontrado, tendo como referência, pelo menos, duas linhas pré existentes. Se as Câmaras da SportTv estivessem colocadas de forma a poderem mostrar -por exemplo- as linhas da pequena e da grande área Penafidelense já não haveria dificuldade em encontrar esse ponto, fulcral, para a nossa análise.

walterpaz disse...

José Correia disse:

"O Casemiro e o Herrera disputaram a mesma bola, a qual, após ter ressaltado em Herrera, voltou para a posse de Casemiro.

A bola nunca esteve na posse de Herrera e muito menos houve um passe de Herrera para Casemiro."


Dava um certo jeito as pessoas saberem o que é um fora de jogo.

Ao contrário do que afirma o José Correia, basta a bola tocar no Herrera para que esse toque conte para a marcação do fora de jogo. Não é necessário que este fique na posse da bola ou faça um passe, basta que a bola lhe toque, e foi isso que aconteceu.

Vamos lá então mostrar as leis:

Pode ler-se em inglês (pág. 3) no original da FIFA:
http://www.fifa.com/mm/document/afdeveloping/refereeing/law_11_offside_en_47383.pdf
ou em português (pág. 35) na tradução da FPF:
http://www.fpf.pt/Portals/0/Documentos/RegimentosRegulamentos/Leis%20do%20Jogo%202013_2014.pdf

e dizem:
"At the moment the ball touches or is played by one of his team-mates".
"no momento em que a bola toca ou é jogada por um colega de equipa"

E no momento em que a bola ressalta, toca, bate, esbarra - ou o que se quiser chamar - no Herrera o Casemiro está à frente da linha da bola e à frente do penúltimo defesa, logo está em fora de jogo.

Nightwish disse...

Questionar qualquer golo do FCP no sábado é, maioritariamente, uma questão de má-fe.
Bem como questionar o favorecimento aos galinácios este ano. Por isso, não me vou por a discutir estas coisas, é tempo perdido.

meirelesportuense disse...

A objectividade dos nossos comentários é importantíssima, reparem que bastou uma jornada em que o FCdoPorto tem um ou dois lances com dúvida associada para a questão das arbitragens voltar em pleno às primeiras páginas...Até aqui andava tudo muito sereninho.
Vá lá que o Benfica ganhou e o Sporting também, senão, era o fim da "Península Ibérica"!...

J.P. Gonçalves disse...

Sobre o Apito Dourado ou lá como se chamava aquilo lembro-me de duas coisas:
1-As escutas só não serviram de prova porque os tribunais não as aceitaram no processo devido a pormenores legais.
2-O FCP foi condenado com a perda de 6 pontos e não recorreu, logo reconheceu a justiça da pena.
O que eu e muitos outros ouviram não foi inventado, foi real.
Enquanto me lembrar disso, as vossas queixas de arbitragem passam-me completamente ao lado...

José Correia disse...

"As escutas só não serviram de prova porque os tribunais não as aceitaram no processo devido a pormenores legais"

Legais ou ilegais, o que interessa é saber as consequências REAIS dessas escutas.

Ora, como você e os restantes benfiquistas não querem perceber o óbvio, eu vou repetir o que já escrevi num comentário acima:

Após uma análise detalhada de todas as escutas e após terem solicitado pareceres técnicos a especialistas (três ex-árbitros internacionais da AF Lisboa), a inestigação concluiu que, nos jogos referidos nas escutas, não tinha havido casos de arbitragem com influência nos resultados.

O J.P. Gonçalves percebeu ou precisa que eu explique novamente?

Em contrapartida, e relativamente à escandaleira desta época, não é preciso haver escutas (legais ou ilegais), porque a ROUBALHEIRA em curso tem sido à descarada e à vista de toda a gente (numa qualquer televisão que transmita os jogos do SL Benfica).

RS disse...

O J.P. Gonçalves sublinha que as nossas queixas de arbitragem lhe passam ao lado, mas nem por isso deixou de vir aqui deixar o seu comentário.

Confesso que também me dá um certo gozo a previsibilidade do discurso dos "J.P. Gonçalves"s deste país que invariavelmente vai dar às escutas. Não deixa de ser irónico já que a escuta mais "explícita" das que veio a público foi uma onde um certo dirigente de um clube ia recusando árbitros até lhe oferecerem o que ele queria. Pelo meio lá ia dizendo que estava a fazer as coisas pelo outro lado... Penso que isto também não foi inventado... foi bem real... e não foi com o FCP...

Nightwish disse...

E enquanto os galináceos deste país continuarem a só ver aquilo que lhes apetece, vou continuar a ignorá-los.

Daniel Gonçalves disse...

JP Gonçalves disse às 11:13, "O FCP foi condenado com a perda de 6 pontos e não recorreu, logo reconheceu a justiça da pena."

Argumento FALSO/falacioso. No início da temporada, 2008/09, se o FC Porto tentasse recorrer da decisão do órgão jurídico da FPF, no Apito Dourado, levaria com a sanção da perda de 6 pontos. Decisão ridícula e contrária a um Estado de Direito, e impensável num país desenvolvido e com uma ideia de Justiça e de Lei isenta. Ora considerando o contexto em questão a Administração do FC Porto considerou sensato não recorrer dessa decisão, apesar de considerar a sanção injusta, e que o processo Apito Dourado seria apenso ao processo colocado em tribunal cível pelo presidente do FC Porto para impor justiça. Portanto não recorrer dessa sanção da FPF não implica necessariamente que o FC Porto reconhecesse como justa essa sanção ou que era culpado, como aliás foi explicado por um comunicado do Clube, mas sim que o processo para contrariar essa sanção/pena decorreria em tribunal cível.
Posteriormente, no final dessa temporada, e como o FC Porto não recorreu nos órgãos da justiça desportiva, ou seja da FPF/Liga, foi punido - decisão inacreditável e surreal - na mesma com a perda de 6 pontos, mas aplicado ao campeonato anterior, 2007/2008, que terminara com vantagem superior a 20 pontos do 2º classificado. Primeiro foi ameaçado com a perda de 6 pontos caso recorresse da sanção, mas depois como não recorreu nos moldes que a Liga queria foi punido na mesma com a perda de 6 pontos. "Preso por ter cão, e preso por não o ter"

Talvez a honestidade intelectual do JP Gonçalves, não seja suficiente lúcida para reconhecer esta distinção.

Daniel Gonçalves disse...

Contrário a um Estado de Direito, e sem ética, é ser-se punido por se recorrer juridicamente de uma sanção/pena que se considera injusta. Mas disso não falam pessoas como o JP Gonçalves.

meirelesportuense disse...

As minhas dúvidas reduziram-se ao 3º golo.
Nos outros dois -os primeiros e mais contestados- já dissipei essas dúvidas com a visualização de novas imagens.Quando Jackson toca a bola para Casemiro, este está, pelo menos em linha com o central mais próximo e atrás do central mais distante, depois no momento de Casemiro rematar à baliza, Herrera continua atrás do central mais distante e assim concretiza sem infração. No 2º golo Óliver recebe a bola completamente em jogo, avança e depois de galgados uns metros, cruza rasteiro e ligeiramente atrasado para Jackson que ficou entretanto -por paragem tática- também em jogo.

Miguel Lima disse...



«As escutas só não serviram de prova porque os tribunais não as aceitaram no processo devido a pormenores legais»

felizmente que ainda vivemos num Estado de Direito. e que os tribunais vão funcionando. e que a Justiça não é feita tendo por base o desejo individual de cada um, mormente dos JP's desta vida...

a citação acima é sintomática desse «glorioso» desejo de ver Pinto da Costa atrás das grades, seja de que forma for.
infelizmente para esses mesmos JP's, outros (sim!, plural), lá para os lados de Carnide, não podem afirmar o mesmo, já tendo sido efectivamente condenados em Tribunal...

ps:
os JP's também costumam mistura o processo 'Apito Dourado' com o 'Apito Final'. em «ambos os dois», as "condenações" saíram furadas. e foram pífias...

Miguel | Tomo II

meirelesportuense disse...

Pelos vistos o Rui Santos -que prometia trazer provas conclusivas ao Tempo Extra- chegou à mesmíssima conclusão que eu mas intelectualmente, não foi suficientemente honesto e corajoso para adimitir sem hesitações, que os 2 primeiros golos do Porto são absolutamente legais...Na minha perspectiva, o único golo irregular foi o 3º e assim não houve objectivamente beneficio algum no resultado para o FCdoPorto, muito embora se possa aceitar a tese, que o terceiro golo, pode ter feito cair por terra qualquer veleidade do Penafiel, nesse caso, o mesmo argumento, assenta como uma luva, na não expulsão de Talisca no jogo Marítimo Benfica com o resultado em 0-1, ou no lance do 2º golo do Sporting -igualmente executado em face de falta semelhante à que deu o 1º golo do SCP- que quebrou a resistência do Rio Ave. Assim temos todos os três grandes em situações semelhantes, as acusações feitas sobre o FCdoPorto só são admissíveis por evidente má-fé e parcialidade, de quem as produziu ou vier a produzir...

meirelesportuense disse...

Paços Ferreira-Benfica, arbitragem de BRUNO PAIXÃO!...Esclarecedor.