segunda-feira, 12 de janeiro de 2015

Guarda-redes de equipa grande

A seguir ao FC Porto x SL Benfica, jogo em que Fabiano teve responsabilidades directas no 2º golo dos encarnados, escrevi o seguinte:

«Fabiano é um guarda-redes grande, mas não é, nem nunca será, um grande guarda-redes. Debaixo dos postes é bom, mas o “gigante” brasileiro tem limitações que são conhecidas e que ontem voltaram a ser visíveis: é mau a jogar com os pés, é lento a executar e a reagir e, nas saídas da baliza, deixa muito a desejar. Por aquilo que já mostrou, Andrés Fernandez também não parece ser guarda-redes para uma equipa de top (Lopetegui identificou cedo o problema e, por alguma razão, queria que a SAD tivesse contratado Keylor Navas… antes do Mundial). Se Helton estiver fisicamente recuperado a 100%, não tenho dúvidas que é a melhor solução existente no plantel atual.»


O JOGO, 11-01-2015
No último jogo (FC Porto x CF Belenenses), Fabiano voltou a defender uma bola para a frente e a quase oferecer um golo à equipa adversária (valeu um corte, in extremis, de Maicon).

Mas, para além das limitações técnicas que são conhecidas – dificuldades a jogar com os pés, lentidão e hesitações a sair da baliza – parece-me que Fabiano tem outro problema, que é crítico quando se é guarda-redes de uma equipa grande: “congela” e fica com as suas capacidades diminuídas, quando está muito tempo sem intervir no jogo.

Em muitos jogos do campeonato português, um guarda-redes do FC Porto é quase um espectador. Contudo, tem de ter a capacidade de se manter concentrado e “quente” para, quando for chamado a intervir, não complicar e, pelo contrário, conseguir evitar “golos feitos” na sua baliza.

Neste aspecto (e não só) um Helton a 100% dá (daria) mais garantias do que Fabiano.

Evidentemente, após 10 meses sem jogar, Helton não pode estar a 100%. Contudo, talvez esteja em condições para voltar à baliza do FC Porto num jogo da Taça da Liga, contra uma equipa da II Liga (União da Madeira) que, ainda por cima, vai ser disputado no Estádio do Dragão (na próxima terça-feira).

Será desta, que Lopetegui vai dar uma oportunidade a Helton?

2 comentários:

Luís Vieira disse...

Espero bem que sim. Se não jogar contra o União da Madeira, em casa, para a Taça da Liga, então dificilmente jogará mais esta época. O Lopetegui não deve querer instalar uma crise de confiança no Fabiano com o ressurgimento do Hélton (é um fantasma bem mais "pesado" que o Andrés Fernández), mas é o momento ideal para por o capitão a jogar (já o teria sido em Vila do Conde). Se mostrar que está totalmente recuperado e apto a competir, não tenho dúvidas que deve ser titular. Veja-se a diferença que o Júlio César está a fazer no Benfica, quando comparado com o Artur (com as devidas diferenças, naturalmente) - ainda ontem teve uma intervenção decisiva que impediu a reacção do Vitória.

Zé_Lucas disse...

Quantos jogos perdeu o FCP por erros do Fabiano? E do Helton, já ninguém se lembra das frangalhadas dele, quase sempre em jogos importantes e que ditaram, p.ex. eliminações de competições como Liga dos Campeões? Tenham dó e deixem o homem ir à vidinha dele.