quinta-feira, 22 de janeiro de 2015

H-E-L-T-O-N

A revolta de Antero Henrique perante Cosme Machado

Afinal, a Taça Cosme Damião…, perdão, a Taça da Liga serviu para algo verdadeiramente importante: revoltar e unir jogadores, treinador, dirigentes e adeptos portistas contra aquele que é o verdadeiro adversário do FC Porto nesta época – o SISTEMA ENCARNADO, suportado num lote de árbitros (in)competentes, subservientes e alinhados com o “desígnio nacional” de levar o SL Benfica ao colo até aos títulos pretendidos.

Não vale a pena falar nos muitos casos deste SC Braga x FC Porto e, muito menos, na escandalosa dualidade de critérios de Cosme Machado. Aliás, contrariamente ao pretendido, o árbitro da AF Braga acabou por prestar um favor ao FC Porto.

Em primeiro lugar, com a sua inenarrável exibição de hoje, tornou impossível ser nomeado para qualquer outro jogo do FC Porto até ao final desta época. Ora, sabendo que ainda há 17 jogos do campeonato 2014/2015 para disputar, é um alívio.

Em segundo lugar, a escandalosa arbitragem de hoje, deverá fazer com que, pelo menos nas próximas duas ou três semanas, seja um bocadinho mais difícil prejudicar o FC Porto. Parece que não, mas isto começa a dar demasiado nas vistas.

Em terceiro lugar, ao obrigar os DRAGÕES a jogarem 55 minutos com menos dois jogadores, transformou os restantes em “heróis”, pelo espirito de luta e sacrifício que demonstraram (Rúben Neves jogou os últimos 10-15 minutos a mancar!).

Helton!

Finalmente, ao inferiorizar (em número) o “exército” portista, possibilitou que o “guardião do castelo azul-e-branco” – Helton – brilhasse a grande altura, fizesse uma das melhores exibições da sua carreira e, depois da grave lesão que sofreu, mostrasse a todos que está vivo e bem vivo.

ENORME HELTON!

23 comentários:

Antonio Jesus disse...

Tão ou mais grave que a actuação do Cosme Machado foram os comentários pós jogo na TVI24, foi vergonhoso. Mais valia fazerem comentários no canal do clube do qual são adeptos.

Enfim, é o futebol Tuga que temos.

Tristeza....

Nightwish disse...

Não vi, não pude mesmo, mas estou a ver deu na TVI e ainda posso puxar atrás.
Fui ver ao fim do jogo o resultado, vi dois vermelhos, lembrei-me do palhaço do jogo, da competição, nem achei nada de estranho.

meirelesportuense disse...

Sem Comentários!...
Mas era bom que os jogadores do Porto interiorizassem esta duplicidade de critérios e não dessem qualquer hipótese de justificação aos filhos da P... deste tipo.

Nightwish disse...

Fdx, estou a ver agora o jogo, mas que é esta merda? Uma expulsão inventada, dois vermelhos perdoados aos 34 e 36...
E a cereja no topo do bolo: "penalty? o Gonçalo nem chegava à bola..."

Mas que é esta merda...

lee disse...

Esperemos que esta palhaçada tenha feito os dirigentes do nosso clube acordarem de vez.

miguel.ca disse...

Há que perceber que desde o Carolina-gate tornou-se demasiadamente fácil cascar no FCPorto porque o FCPorto não reage, não responde, não contra-põe, nada. Assumiu-se a postura do saco de pancada em modo silencioso e é óbvio que assim fica muito mais fácil darem-nos uns biqueiros bem assentes.
Começava a ser conveniente lançar a mensagem de que não andamos a dormir e que connosco piam fininho, José Maria Pedroto style.

pedro disse...

Verdade! Tenho para mim que, com esta exibição do homem do apito, no próximo fim de semana até o Capela nos vai beneficiar. Isto ontem foi um erro de cálculo e estratégia.

Grande FCP!!

Pedro

Luís Gagliardini Graça disse...

Um post que eu gostaria de ter feito. :-)
concordo em absoluto.
E ontem vimos "Porto"

Filipe Sousa disse...

Não voltar a ver o Cosme Machado num jogo do Porto, e esperar não ser prejudicado nos próximos jogos é, infelizmente, mais wishful thinking que outra coisa.

Norte disse...

MUITO ORGULHO NOS JOGADORES!
MUITO ORGULHO NOS ADEPTOS QUE SOMOS!
NENHUM ORGULHO NOS DIRIGENTES QUE TEMOS!

Os tão elogiados adeptos não querem palmadinhas nas costas ou palavras bonitas.
Os tão elogiados adeptos querem é vitórias, querem é a defesa intransigente do FC Porto.
No final do jogo de ontem,os nossos dirigentes deveriam era ter pedido desculpa a todos os portistas por terem deixado chegar as coisas a este ponto. Deveriam era pedir desculpa pelo silêncio ensurdecedor que nos levou até este escândalo.

Agora, pseudo reacções?
Agora, fazer que reajo, mas não digo nada?
Então e dizer BASTA, CHEGA?!
Então e denunciar de uma vez por todas o escândalo que semana após semana se tem verificado, sempre com a condescendência da comunicação social, conforme as capas dos jornais hoje mais uma vez comprovam?!
Então e dizer que se prepara mais um fim de semana de vergonha, de escândalo, de roubo?!

Nada.....deixamos chegar ao ponto de sermos gozados, achincalhados, desrespeitados, escabrosamente roubados...e nada! Parece que são escolhidas as palavras, parece que não se pode molestar ninguém, parece que tem que se ter cuidado com o que se diz.

O meu Porto é guerreiro!
O meu Porto não se deixa comer!
O meu Porto é lutador!
O meu Porto é aquilo que os jogadores fizeram!
O meu Porto não é aquela reacção (a primeira reacção do ano!!!) pulida, cuidadosa e nada agressiva,

Bruno Guedes disse...

Bom dia Sr. José Correia.
No meu já longo curriculum de ver jogos ao vivo do FCPORTO, infelizmente não tenho nenhuma final europeia, tenho a felicidade e o orgulho de poder dizer que o meu querido pai e irmão estiveram no célebre jogo do golo do Ademir que mudou o futebol português. Posso dizer com orgulho que o meu Pai e irmão são, juntamente com mais alguns milhares os únicos portugueses que viram ser entregue um troféu europeu em Portugal a uma equipa portuguesa (Supertaça em 88 contra o Ajax). Eu não sei o que é ser FCPORTO, não consigo descrever esse sentimento em palavras ou em atos.
Sou, ao contrário do Sr. DVP e do meu Pai sou duma geração que só vê títulos. Que ouvia histórias que anteriormente era impossível o FCPORTO ganhar.
Ontem essas histórias passaram a realidade. Meu Pai no fim ligou-me e disse-me " Lembras-te de muitas vezes eu dizer que eles ainda tinham de pagar muito por aquilo que nos fizeram, lembras-te de eu em conversas falar que antigamente era impossível nós ganharmos, pois bem, antigamente eram assim as arbitragens contra o FCPORTO, hoje vistes aquilo que durante muitos ano vi e assisti ao vivo.".
Ontem fui ver o jogo pois, já aqui o disse, fui nascido, criado e formado na mui nobre e sempre leal cidade do Porto mas por motivos profissionais trabalho em Guimarães e pessoais vivo em Braga ( ainda por cima vivo a 400 metros do estádio). Portanto nem que fosse um jogo amigável eu estaria lá. Mas fui ver só pelo amor as camisolas, já disse que independente do resultado ( é sempre bom ganhar) o que me move a ver o FCPORTO ao vivo é ver o melhor símbolo do mundo seja num relvado bom ou num piso como em Penafiel.
Mas o jogo de ontem é da taça da liga (a competição menos importante da época), a ansiedade é diferente de quando for o campeonato. Sentei e assisti ao jogo tranquilo até ao minuto 34 (momento em que o Sasso deveria de ser expulso conforme foi o Reyes e a mascara caiu). A partir daí vi o jogo de uma forma indiscritível pois pensei que estivessem a gozar connosco, o sentimento foi de raiva misturado com ódio. No começo da 2 parte nunca pensei que conseguíssemos aguentar, mas o FCPORTO surpreende sempre e partir dos 70 minutos vi como se fosse uma final europeia, não que ia ganhar mas sim que NÃO IRIA PERDER QUE NÃO ÍAMOS QUEBRAR e aqueles jogadores foram uns heróis. Foram dignos de serem aplaudidos conforme o fiz durante largos minutos após o jogo terminar. Não ganhamos nada, inclusive isto foi um jogo da taça da liga mas foi ÉPICO.
Podemos estar 20 anos sem ganhar, podem continuar a existir a arbitragens como a de ontem (vale uma aposta que Domingo é mais do mesmo e também é careca), podem querer calcar o nosso emblema, podem continuar a gozar com este emblema mas nunca nos vão tirar a alma, o querer a garra a vontade de vencer e de mostrar que SOMOS DIFERENTES. Para aqueles que falam de falta de ambição de amor a camisola de jogadores da casa, ontem só existiam 2 (e que jogadores eles podem vir a ser) ontem ficou provado que o que importa é a personalidade. Ver o querer a garra daqueles jogadores foi incrível. Posso perder Domingo posso perder tudo até final da época posso perder sempre mas SEREI FCPORTO ATÉ A MORTE.
Sou contra a política atual da claque (por diversos motivos que não vou escrever agora), mas também sei dar a mão a palmatória e ontem só se ouviam a eles, apesar daquela arbitragem nunca se calaram. Mais vale poucos e bons que muitos e calados. Pareciam milhares, e a partir dos 75 minutos incomodaram todo o estádio tal era o volume da voz tal era a garra o amor a puxar pelo FCPORTO.
Ontem fica na história, prefiro um cantinho no museu com o jogo de ontem para recordar os mais novos (como eu) que isto era o normal antes de 74 mas que apesar disso somos o MELHOR CLUBE PORTUGUÊS que o ajoelhar de um labrego.

Bruno Miguel Guedes -28061

Luís Vieira disse...

Subscrevo o post por inteiro. Custa-me citar o Eduardo Barroso, mas a expressão assenta que nem uma luva ao que pretendo transmitir: ontem assistimos a mais uma prova de que o "subconsciente" dos árbitros, esta época e mais do que nunca, está formatado para prejudicar o Porto, beneficiar o Benfica e beneficiar os adversários do Porto. A roubalheira assumiu dimensões de escândalo. Finalmente (o que é de mais é erro), houve uma reacção concertada, pública, sem margem para dúvidas dos agentes do clube: gostei das intervenções do treinador e do presidente. O soundbite funcionou bem ("orgulho na equipa, nos adeptos e no treinador"). Isto é o Porto - guerreiro, indomável, lutador. A equipa portou-se muito bem, face às dificuldades. Houve solidariedade e espírito de entreajuda, algo que nos caracteriza; soubemos sofrer e conseguimos o ponto que praticamente nos garante o apuramento para as meias. Gostei da dupla do meio-campo (Rúben Neves e Campaña): embora sejam jogadores semelhantes, ontem cumpriram bem o que o jogo pedia (gostei da atitude e das ganas do Campaña, foi pena não ter finalizado da melhor forma a última oportunidade do Porto). Gostei do Ángel e do Ricardo, a perfilarem-se como substitutos naturais dos laterais brasileiros, sem muita oscilação de valor. O Marcano também esteve bem na fase crítica (ficou-me na retina aquela jogada à Messi, a sair a jogar da defesa, para sacudir a pressão). O Herrera também entrou bem, foi importante na forma como conseguiu conduzir e segurar a bola, e a sua entrada coincidiu com a recuperação de alguma serenidade no meio-campo. Destaque negativo para a ingenuidade do Reyes (embora o segundo amarelo seja forçado) - nesta altura, sou defensor do empréstimo, precisa de jogar e evoluir, aqui está estagnado - e para a falta de eficácia do Tello (poucos são aqueles que não terão gritado "burro", quando falhou o lance isolado). Por último e porque o melhor fica para o fim, presto a minha homenagem ao CAPITÃO. Para além de uma fantástica exibição, em que defendeu tudo o que havia para defender, transmitiu calma e segurança aos companheiros nas fases de maior aperto, sempre naquele estilo descontraído (delicioso o momento em que defende um golo feito com a ponta da chuteira, à andebol, e fica sentado no chão a rir-se). A vénia que fez aos adeptos no fim, a saída do campo a chorar e as declarações na flash interview completaram o ramalhete de uma noite para recordar. É o maior repositório da mísitica do Dragão. Mas desenganem-se os incautos: não é mero símbolo, defende, "está vivo" e merece ser titular já nos Barreiros. Enfim, fomos Porto!

Luís Vieira disse...

No que respeita ao comportamento global dos dirigentes durante esta época, nada a dizer. Focando apenas na atitude de ontem, a crítica é injusta. Todos estiveram bem, inclusivamente o Antero Henrique, no estilo pitbull (ia Helton, Cosme Machado e polícia "à frente").

João disse...

Herrera muito mal posicionado em mais um episódio perfeitamente lateral e acessório desta época no futebol português.

Pyrokokus disse...

Estejam descansados que no fim de semana vai haver mais...

Como andamos sempre caladinhos e bem comportados, no jogo com o Penafiel ainda fomos beneficiados e ontem não se passou nada de mais. No fim de contas o FC Porto é sempre o beneficiado, é a fruta, etc...

Sinceramente eu já estou farto disto.

Em vez de mandar comunicados sobre o "esquecimento" do mestre Pedroto das galas da FPF, deveriam era fazer o que ele faria se fosse vivo e defender o clube.

Qualquer rafeiro de rua pode fazer/dizer o que quiser que a estrutura do clube não faz nada.

Bluesky disse...

Estamos todos revoltados????
Anada aí um asqueroso blog que se dis portista com orgulho que contando ninguém acredita!!!!!! O fdp defende o careca, maldiz os nossos!!!!
Se o gajo é portista o Estado islâmico é uma democracia...

Vincent Vega disse...

Esse blog é vergonhoso, nem um vermelho fala pior do Porto e do nosso treinador.

E nem coragem para abrir a caixa de comentários eles têm.

meirelesportuense disse...

O jogo de ontem foi um hino ao querer, ao espírito de sacrifício e de equipa! E bem no cimo do bolo dessa conjugação imparável estará sempre o Helton!...Nota-se que tem sequelas, o caminhar denuncia isso, mas tem classe que baste para colmatar tudo com enorme categoria e beleza.
Viva o Futebol Clube do Porto!

Luis Pereira disse...

Bom post!
Um (também) emocionado e bom post de Bruno Guedes.
Quanto ao jogo, concordando com a maior parte do que está a ser dito e não esquecendo a questão principal da arbitragem, gostava de salientar 2 jogadores habitualmente muito pouco utilizados:
José Angel: Seguro, arriscou mais e tecnicamente esteve muito bem. Não é muito rápido mas parece compensar com uma maior confiança e eficácia no dribe. Em esforço quase fazia autogolo (mas se calhar queria evitar o canto!!!) o que seria profundamente injusto para a equipa e para ele.
Campanã: Muito lutador e parece-me que comandou e orientou toda a equipa. Tem "pinta" de capitão. "Levou" um amarelo desnecessário (ou não) mas "gostei" do pormenor de ter "oferecido" 2 isqueiros ao arbitro auxiliar no meio de toda a confusão aquando da expulsão de Evandro!
Outro pormenor: Já conseguimos uma série de 3 ou 4 grandes penalidades convertidas, o que será um recorde dos últimos anos!
Os restantes jogadores confirmaram, mais uma vez, que são opções válidas e também o são porque lhes foi dada essa possibilidade através da "malfadada" rotatividade.
Abraço

Filipe Sousa disse...

O indivíduo é fã do Paulo Fonseca desde pequenino, e ainda não se conformou que o tenham mandado embora. Está naturalmente ressabiado e quer que tudo corra mal.

João disse...

A arbitragem de Cosme Machado não tem nada de subconsciente, ou inconsciente, ou do que quer que seja que não consciente e premeditada.

Qualquer pessoa equilibrada que tivesse simplesmente decidido ter uma arbitragem mais rígida, depois de expulsar o Reyes TINHA que expulsar o Sasso e o Tiago Gomes, os lances foram claros como água

meirelesportuense disse...

Estive a ver -para saber o critério seguido pela arbitragem- e verifiquei sem mais detalhes estes factos, Sulejmani cometeu, só na primeira parte, mais de 8 faltas de gravidade média e não levou uma advertência sequer, Gerso entrou para o Moreirense após o 1º golo do Benfica e levou amarelo na primeira falta que cometeu...Cristante deu no osso a um Moreirense já sem bola e levou amarelo aos 60 minutos!
A melhor oportunidade do Benfica surgiu de um livre inexistente que permitiu um cabeceamento desastrado de Luisão, mas para o poder executar foi criado um dos tais bloqueamentos célebres na estratégia do JJ em que Jardel agarra e leva o central Moreirense até ao chão, nas barbas do árbitro, e com isso abre caminho ao Luisão.

meirelesportuense disse...

Relativamente ao Campaña creio que estamos em presença de um excelente jogador...Outra característica que tem é o remate de meia distância forte.
Um meio campo com Campaña, Casemiro e Óliver seria muito trablhador e criativo.Se juntássemos Herrera, teríamos um quarteto de luxo, com tudo o que é exigível a uma zona central, criatividade, entrega, corpo, capacidade de remate.