quarta-feira, 4 de fevereiro de 2015

A politica de empréstimos dos jogadores da equipa B

Fechou-se o mercado e agora cada um deve esgrimir as suas armas. No caso do FC Porto essa lista inclui os jogadores do primeiro plantel - que teve uma incorporação, Hernâni, e uma saída, Opare - e também os jovens da equipa B. Mas já não vão estar os mesmos que arrancaram a temporada. A SAD alterou a sua política - ou era a que já estava estabelecida desde Agosto, tudo é possível - numa jogada que parece ter um claro selo de Lopetegui. Uma jogada de acerto total na minha opinião e um sinal de óptima gestão do binómio entre a SAD e o treinador. Parece claro que passe o que passe em Maio a direcção conta com o treinador para o próximo ano tal é a forma como parece estar em consonância nesta tomada de decisões.

Para lá da incorporação de Hernani, que é importante para esta equação, este mercado de Inverno fica marcado pelas saídas de empréstimos de vários dos jogadores da equipa B. Vamos ao ponto de situação. Pairam dos quadros do clube para jogar na liga portuguesa Tiago Rodrigues, Ivo Rodrigues, Otávio e Kayembe. A esses quatro empréstimos podemos juntar as saidas de Kelvin (Palmeiras) Opare (Bessiktas) e ainda os casos de Braima Candé e Celestie Djim que vão para o Freamunde, rival da equipa B, o que deixa um claro sinal imediato: não contam e ocupam espaço.

Estas quatro saídas dão um bom sinal do que Lopetegui pretende. São quatro jogadores jovens e de potencial, ainda que com um historial e futuro distinto. E a equipa B já não servia para avaliar a sua margem de progressão. O caso mais simples é o de Tiago Rodrigues. O médio criou grandes expectativas na sua temporada de estreia em Guimarães e chegou no mesmo pack que Ricardo Pereira. Mas ao contrário do extremo (agora praticamente oficialmente convertido em lateral), não se conseguiu impor nem na equipa A nem na B e vai jogar para o Nacional até Junho. Começa a ser dificil ver futuro para Tiago no plantel mas estes quatro meses serão determinantes no seu futuro de azul-e-branco.

Depois está o exemplo de Kayembe. O belga começou a temporada como extremo - a sua posição de origem - até que começamos a vê-lo convertido em lateral. O próprio confessou que Lopetegui via nele um possivel Jordi Alba á Porto e essa foi a justificação dada, numa jogada que tapou por sua vez a rápida ascensão de um lateral da casa com muito potencial, Rafa. Kayembe foi caro para um jogador da equipa B - não o único - e parece evidente que o clube conta com ele para a próxima temporada na posição de lateral (resta saber se para o lugar de Alex ou Angel) e quer testá-lo num nivel de dificuldade mais elevado. Em Arouca vai encontrar uma equipa que defende muito e vai ser testado regularmente. A sua velocidade poderá ser útil no contra-golpe e seguramente que o clube o vai estudar de perto. Uma prova de fogo.



Otávio e Ivo Rodrigues entram noutra dinâmica, o negócio de Hernani (que inclui ainda um Sami que não entra nestas contas, já sabemos porquê) e que pode ser também a porta de chegada para André André a partir de Julho. No caso do primeiro já sabiamos o que esperar. O tipico negócio de jovem promessa sul-americana que chega ao Porto para ser o próximo (escolher nome). Otávio é o modelo de negócio preferencial da SAD, não do treinador. E como tal nunca foi opção. Não significa que não tenha futuro no plantel mas seguramente precisa de muitos minutos e a equipa B não servia. Jogar num candidato á Europa é outro nivel e aí o clube verá realmente se o brasileiro se vai conseguir adaptar - ou não - ás exigências de jogar na Primeira Liga. Ninguém duvida que Otávio será incorporado na próxima época (especialmente porque Quintero tem guia de marcha quase assegurado e Oliver é um caso especial) e o jogador sabe disso.

Com Ivo Rodrigues a história é distinta. Todos no clube sabem que é uma das nossas maiores promessas e que é preciso cuidá-lo e bem. Com Ruben Neves, Gonçalo Paciência e André Silva compõe o nosso poker de asas da formação. Mas Ivo não ia jogar na primeira equipa, todos sabemos disso. Tem á sua frente Tello, Quaresma, Brahimi e o recém-incorporado Hernâni (que já não é nenhum menino com os seus 23 anos). Na equipa B Ivo jogou e muito. Marcou também 12 golos, cifras que deixam claro que, como num jogo de computador, o futebolista já ultrapassou esse nivel. Vai para Guimarães procurar realizar um mestrado precoce em futebol da Primeira Liga antes da prova definitiva que será o stage de Julho. Tudo indica que Ivo será jogador de primeira equipa no próximo ano mas estes meses vão permitir-nos ter uma ideia da sua actual condição no futebol sénior.



Quatro empréstimos de jogadores de muito potencial que também servem, por outro lado, para abrir espaços na equipa B. Com a passagem - aparentemente e felizmente definitiva - de Gonçalo Paciência para a primeira equipa, seguindo a estela de Ruben Neves, estas saídas vão acima de tudo permitir a Lopetegui ver como reagem ao desafio jogadores como Rafa, André Silva, Podstawski, Rui Moreira, Rui Pedro, Pité ou Frederic. Eles, juntamente com Mikel, Gaudiño ou Lichnovsky, pertencem á próxima geração que deverá seguir o mesmo rumo nos próximos dois anos (a saber, meia época na B, meia época de empréstimo) num modelo muito espanhol e que tem o claro cunho de Julen Lopetegui.

O espanhol pode ter mil e um defeitos na gestão da equipa principal no terreno de jogo mas o seu impacto na gestão dos dois planteis e na forma como se trata o produto da casa não é casualidade. Foi para isso que veio. Este modelo de gestão combinado entre a SAD e o treinador tem tudo para funcionar (seguramente os empréstimos incluem clausulas que obrigam a uma utilização minima dos jogadores) tanto para o clube como para os futebolistas. Os adeptos terão a oportunidade de seguir noutro palco futuros "Dragões" de primeira equipa e em lugar de mais meia temporada nos campos da segunda, os futebolistas irão finalmente demonstrar na Luz, Alvalade, Braga ou Madeira o que valem. Um golpe certeiro que só deixa no ar boas sensações.

PS: Não há bela sem senão. A lista da Champions com a exclusão de Adrian Lopez e Andrés Fernandez diz claramente que houve um erro crasso na contratação dos dois futebolistas. A lesão do primeiro não o impediria de jogar nuns hipotéticos quartos-de-final e o espanhol nunca soube aproveitar os erros de Fabiano e foi agora ultrapassado pelo capitão Helton. A estes podemos juntar Opare (emprestado, depois de ver-se ultrapassado por um Ricardo que já tinha sido lateral na época passada) e José Campaña que continua praticamente desaparecido em combate. Quanto a Marcano e José Angel terão claramente o futuro longe do Porto no próximo ano. Foram seis contratações desnecessários como se comprova pelos minutos nas pernas em meio ano de época. Um aviso para a planificação da próxima época onde Sérgio Oliveira já está garantido, André André é fortissima hipótese e há meia dúzia de putos a pedir um lugar ao sol!

36 comentários:

S. disse...

Um artigo com algumas ideias interessantes.

Parece-me evidente que o Lopetegui vai ficar, quer fique em 1º ou 2º (financeiramente, é quase igual), e até um 'desastroso' 3º lugar não o vai tirar de lá. Veio cá para trazer uma nova mentalidade e para 'revolucionar'... e se este tiver que ser um ano de aprendizagem, Pinto da Costa não se importará.

Também me parece que o Lopetegui está a ter um papel bastante ativo na gestão das equipas A e B. E é uma gestão que me agrada. Se o Ivo saiu para jogar 90% dos jogos que faltam ao Vitória, de certeza que voltará mais preparado do que se tivesse feito 100% dos jogos na equipa B.

Otávio continua a ser para mim uma incógnita, mas espero que a saída lhe faça bem.

A minha maior dúvida prende-se com o Kayembe. Se ele está a ser 'preparado' para lateral esquerdo (aos olhos do Lopetegui), não foi/não será essa a posição em que ele jogará no Arouca. Portanto, para já não vejo qual o grande benefício para além de acumular minutos de 1a Liga.

Quanto a André e Adrián, foi tudo dito.

Pedro ramos disse...

Nao sei se estes empréstimos têm ou nao o dedo do treinador, sei que num passado nao muito distante, esta era a forma que o clube tinha de dar rodagem ao jovens em que acreditava, felizmente parece ter retomado essa politica.

Se Kayembe é aposta para lateral, no Arouca parece que vai ser sobretudo extremo.

PS. Segundo li, o clube pode alterar a lista para a champions se passar aos quartos, já agora pedia um esclarecimento.

PS1. Nao percebi a referencia ontem a Hernani, com 2 bons anos de 1º liga. Que seja do meu conhecimento ele apenas tem meia época, ainda na época passada estava a disputar o CNS.(Também por aqui me parece um negócio demasiado arriscado)

PS2. Segundo fui lendo por aqui, posso contar com a contrataçao de mais meio plantel para a próxima época. Saídas aparentemente estao garantidas: Fernandez, Danilo/Alex, Marcano, Casemiro, Tello, Campanã, Jackson, Quaresma, Angel, Adrien, Brahimi, Quintero e talvez Oliver. Já para nao falar de mais algum que queiram dar uma vida nova á sua carreira como Reyes, ou quem nao se conseguir afirmar até lá como Hernani.

João disse...

Eh lá, então o José Angel, Marcano e Campaña também já não servem, só porque sim? E o Sérgio Oliveira e ao André ao Quadrado que nem confirmados estão já são a nata do futebol? O Miguel recorda-se de como correram as pescas no campeonato português da época passada, certo?
Não vejo nada demais no Sérgio Óliveira e o André André está a umas largas léguas do nível do Óliver. Entretanto o Marcano tem estado quase sempre melhor que o Maicon (aliás, sentou-o contra o Benfica) e o José Angel e Campaña tem correspondido relativamente bem sempre que foram chamados, principalmente o lateral.

Se tivermos em linha de conta que o Alex Sandro e Casemiro estão na linha da frente para desampararem a loja no próximo defeso, (e se vejo esse dia ainda penso que é mentira, no caso do Casemiro) parece-me precipitada a avaliação.

Volto a dizer, a pescar cá dentro, dava jeito um trinco que fosse moderadamente jogador de futebol - qualquer dos Danilos serviria, o Ali Ghazal também não me parece muito cepo - para #8 o Herrera pode perfeitamente recuar e jogarmos com Quintero a #10, como o Evandro também pode ser equacionado em qualquer um destes papéis, anda há o Rúben Neves, que se não for para endurecer (e muito) mais vale subir no terreno.

PS: sou sincero, não faço a mínima ideia de quem possa ser o Rui Moreira, o Mikel por esta altura já devia estar recuperado e não é a perder meias épocas inteiras que se vai afirmar. O Gudiño sim, pode parecer exagerado mas acho que se devia fixar com titular da B e ser a 3ª opção para a próxima época. Enquanto dividir jogos com o Ricardo Nunes, o Kadú e mais não sei quem, não vamos lá.

Miguel Lourenço Pereira disse...

Pedro,

Parece evidente que para a próxima época haverá 3 tipos de saidas:

- Jogadores para fazer cash onde encontramos seguramente a Jackson, Danilo ou Alex Sandro e eventualmente Brahimi.

- Jogadores que não funcionaram e provavelmente serão vendidos ou emprestados: Andrés Fernandez (salvo Helton se retire oficialmente), José Angel, Opare e possivelmente (desejavelmente melhor dito) Adrian

- Jogadores emprestados ou sob empréstimo:
Aqui pode estar tanto o caso do Oliver e Campaña (emprestimos de 1 ano) como também a devolução/recuperação de Casemiro e Tello.

Estamos a falar naturalmente entre 10 a 12 jogadores. Meio plantel efectivamente.

A estes haverá que juntar jogadores que Lopetegui já descartou antes como Rolando, Josué ou Carlos Eduardo e ainda possiveis negócios de ocasião como Quintero e Reyes que não estão cómodos.

Tendo em conta que Aboubakar já é o suplente na prática de Jackson, que Otávio pode ser o homem que vem fazer o lugar de Oliver, que André André e Sérgio Oliveira são apostas quase seguras para o meio-campo e Ivo, Kayembe, Gonçalo podem ser definitivamente promovidos, a ida ao mercado deve resumir-se, como muito a meia dúzia de jogadores (um médio defensivo e um central de nivel, um lateral direito/esquerdo dependendo de quem saia, e um medio ala).

JON disse...

Miguel,

Essa futurologia toda parece-me algo arriscada, até porque o que a SAD mais costuma fazer é surpreender (nem sempre pela positiva...).

Não vejo porque Marcano e José Angel saiam do clube. Ambos têm sido muito úteis e demonstrado algum valor. Não são fantásticos, mas cumprem... Tivessemos nós um central de grande nível e Marcano seria excelente complemento.

Também não vejo nada como certo as entradas de Ivo e Kayembe, até de Gonçalo. Ivo tem muito que palmar e melhorar se quiser ser jogador do Porto... E Kayembe... bem, é um cavalo de corrida. Não me enche nada as medidas. Gonçalo sim, enche completamente as medidas, mas relembro que para além de Aboubakar, há Ghillas. Não percebo sinceramente a aversão dos portistas a Ghillas. Teve meia dúzia de minutos o ano passado, fez golos importantes num época colectivamente miserável (vide Nápoles), e está a demonstrar num campeonato forte o seu valor. Eu acho o Ghillas bastante bom e pelo que vi até gostei mais do que de Aboubakar... Logo, não sei se Gonçalo não ganha em ir rodar um ano (convém é renovar-lhe o contrato, o qual termina em brevíssimo tempo)...


Conclusão: vejo as saídas de Jackson e Danilo/Alex. Talvez até Brahimi. Quaresma espero que não renove. Óliver e a possível permanência é um sonho molhado... Tello e Casemiro, não faço ideia. Adrián idem. A SAD pode bem surpreender em vários nomes. Quintero, para além de não ver o jogo quando não tem bola, precisa de ver menos o jogo nas discotecas da moda do Porto, pelo que se consta (as pessoas esquecem-se que há mil factores a condicionar o rendimento dos jogadores e a escolha dos treinadores...). Parece-me no entanto claro que é fundamental ter um grande central para o ano... Do que tenho visto, acho que Lichnovsky pode ser um grande central, mas duvido que para o ano esteja pronto para a titularidade. Se calhar com €8,5M até se comprava um bom, mas enfiaram-nos o barrete de um Indi...


PS: para a equipa B funcionar, convinha lá ter um treinador que percebe-se um bocadinho da coisa e tivesse IDEIAS boas sobre o jogo... E o Fernando Valente desempregado!...

Miguel Lourenço Pereira disse...

João,

O Jose Angel e o Marcano, para mim, nunca serviram. Disse-o em Agosto e digo-o hoje. Se ficarem é para fazer monte.

Campaña tem um empréstimo de 1 ano sem opção de compra.
O Sérgio Oliveira e o André André estão praticamente confirmados, foi o que indiquei, e não lhes chamei nata do futebol. Muito menos que venham fazer o lugar do Oliver.

O Casemiro deve ficar, o Tello não. O Oliver é um caso especial.
Se sair Danilo não sai Alex Sandro e vice-versa.

Portanto há aí muita confusão.

Quanto ao resto, uma mera questão de opiniões!

José Lopes disse...

Concordo com parte do texto, mas discordo de algumas avaliacoes. Nao percebo porque e' que o Jose Angel e Marcano ja demonstraram que nao servem. No caso do Marcano, sendo certo que era bom termos um central bom de bola e mais adequado ao que a equipa tenta fazer, acho que o espanhol e' um bom jogador, util, que tem errado menos que o Maicon. No caso do Jose Angel, tem cumprido sempre que chamado, e' um jogador que me agrada, boa opcao como suplente. Ambos nao parecem ter qualidade suficiente para serem titularissimos, mas sao elementos validos do plantel. Em relacao ao Campana, nao me desagradou quando jogou, mas falta ve-lo em testes de fogo. Nao acho que a nao inclusao na lista da UEFA permita grandes conclusoes, porque as vagas sao limitadas e porque o Casemiro deve (espero) desamparar a loja no fim da epoca.

Quanto as avaliacoes dos jogadores da B, concordo com as reticencias manifestadas por outros em relacao a opcao para o Kayembe, que nao parece vir a ser usado como lateral no Arouca. Quanto ao Tiago Rodrigues, posso estar enganado, mas estava a jogar na B antes de ser emprestado e agora esta a jogar bem no Nacional. Parece-me mais caso de jogador que esta noutro nivel comparando com os miudos saidos dos juniores do que jogador que nunca tera hipotese no Porto.

Luís Vieira disse...

Miguel, bem sei que entende que o Marcano e o Ángel são meros complementos estrangeiros do plantel, havendo cá no burgo quem fizesse o papel deles, e que, por isso, não deveriam estar no Porto, mas atendendo à sua produção até ao momento (a meu ver, positiva), porque despacharia, na próxima época, 2 jogadores com contrato que se revelaram úteis?

João disse...

Em que site modernaço desses táctico-filosóficos é que veio a dizer que o Indi era mau para, de prente, todas as caixas de ressonância estarem a dizer o mesmo quando nem há dois meses, ninguém lhe apontava nada? Para eu também consultar!

João disse...

Espere lá, disse-o em Agosto? Quando eles chegaram e sem os ver jogar? Então tá bem, assim estamos de acordo. Porque não é garantidamente pelo que mostraram que fundamenta essa opinião. Aliás, o Marcano faz um óptimo jogo em Alvalade em estreia, e volta a jogar contra o Benfica, bastante bem, depois de a meio da semana, o Maicon parecer um jogador dos distritais contra o Shakhtar. Tem um outro jogo menos conseguido, assim de repente nenhum erro crasso, e alguma dificuldade em sair a jogar. O José Angel tem um jogo bastante infeliz, contra o Boavista, salvo erro. De resto cumpriu sempre e faz um mês de Janeiro largamente superior ao Alex Sandro. Como vê, também não fui só eu que fiquei com essa ideia, portanto não consigo compreender, a menos que de facto "já não sirvam desde Agosto". Então aí a conversa é outra.

O facto do empréstimo do Campaña não ter opção de compra não faz dele mais opção na Sampdória nem do negócio inexequível no próximo defeso. Mas aqui estamos de acordo que pode ser um elemento suprimido.

Agora, e porque aparece ali no capítulo dos factos consumados e não das meras opiniões, o que quer dizer com "O Óliver é um caso especial"?

Miguel Lourenço Pereira disse...

José,

Dois apontamentos:
- o Campaña está emprestado sem opção de compra pela Sampdoria assim que é dificil que se repita a experiência
- o José Angel, como foi dito, não tem o perfil de titular. Se a aposta de Lopetegui em converter Kayembe num novo Jordi Alba for real, o lógico é que ele seja o suplente de Alex Sandro se este ficar. Caso saia o brasileiro e tendo em conta o perfil de Angel e a juventude de Kayembe não me surpreenderia que fossemos procurar outro jogador ao mercado

José Lopes disse...

Concordo com o que dizes em relacao ao Kayembe, mas tenho francas duvidas que ele seja integrado no plantel da proxima epoca. Aposto mais em novo emprestimo (como lateral ou nao, nao sei), na continuidade do Jose Angel e em ir buscar outro lateral caso o Alex saia, mas espero para ver.

Czarli disse...

Sempre me mostrei contra os autocarros de jogadores que um treinador possa trazer quando chega a um clube novo e no nosso caso nunca vi com bons olhos a vinda de alguns dos que chegaram mas indo caso a caso:

Campana (para o tempo de jogo que tem) mais valia dar esse tempo (de Taća da Liga) ao Tomas, no entanto gostei bastante do que vi e gostaria imenso de ve-lo com mais minutos. No entanto nao o vejo como trinco mas como medio mais defensivo que possa jogar mais a frente. Penso que poderia ficar no plantel como mais uma opčao para o miolo.

Marcano, sabendo que temos a melhor escola de centrais do pais e vendo um Andre Pinto a jogar em Braga, poderia ter sido melhor escola. No entanto, e apos varios jogos, nao o vejo como mau central. Serve perfeitamente como 3a opčao. O unico (grande) senao e' o facto de sempre que ele joga, o Indi e' afastado para o lado direito e o holandes e' bem melhor no lado esquerdo.

O Andres nao veio fazer nada. Nada. Foi-se buscar o Ricardo, o Fabiano mostrou qualidades na epoca transacta, quando se tremesse ninguem poderia ter levado a mal e mesmo que o Helton nao regressasse como regressou havia os putos da b que certamente serviriam, no pior das chances, ate Janeiro. Sempre que jogou mostrou qualidades mas foi totalmente um capricho do treinador.

Oliver, acho que neste momento nao ha nada a dizer. Infelizmente duvido que continue de Dragao ao peito.

Adrian, quando assinou fiquei bastante satisfeito. Sempre fui fa dele, mas sabendo o que sabemos hoje nao ha' nada a dizer que nao seja FLOP. Esperemos que o JMendes o meta noutro sitio qualquer tal e qual o negocio Roberto.

O Tello, que tanto poderia mostrar... pouco ou nada esta a fazer. E' um suplicio ver aquele puto a jogar de azul e branco. Mostrou bastante no inicio, mas apos a lesao voltou para Barcelona e ninguem se apercebeu disso. Nao conto que fique (para nosso bem), a menos que esta segunda volta mude a forma de jogar.

Casemiro, tambem comecou bem mas apos a lesao nao tem feito nada. Acredito que jogue porque tenha de jogar por ordem do clube que o emprestou. Em nada superior (retirando a agressividade) ao puto Ruben e como tal e' tambem um dos motivos que gostaria de ver o Campana jogar mais.

O Angel esta na linha do Marcano. Tem mostrado bons pormenores, apesar de nao ser um jogador para ser indiscutivel, pode perfeitamente ser uma boa 2a escolha.

O Hernani, veio para comečar a entrar na rotina e mostrar o que pode fazer. Acredito que possa vir a ser alguem no clube, mas precisa (!!!) rapidamente para trabalhar o momento de decisao.

Para finalizar acho que os emprestimos foram muito bem feitos, apesar de achar que o Paciencia deveria ter ido tambem.

Pedro ramos disse...

Miguel,

Todas as hipoteses que coloca sao possiveis, nenhuma me parece disparatada, a diferença para mim, é que neste momento nao passam disso mesmo hipoteses. Estou longe de conseguir afirmar que a+b=c, como por exemplo: Kayembe foi emprestado ao Arouca logo na próxima época vai estar no plantel; Otávio e Ivo foram para Guimaraes logo para a próxima época vao ser apostas garantidas do clube.

Mais, no texto afirma que nao sabe se Keyembe será companheiro de Alex ou Angel, mas no final já garante que Angel nao fica.
Depois as saídas de Angel, Campanã e Marcano neste momento parecem mais desejos pessoais que outra coisa.

Apenas quero dizer que nao consigo ter minima certeza de nada para fazer afirmaçoes tao definitivas, e sou ateu no sentido que tenho de ver para querer, que na próxima época no plantel vao estar: Ruben, Gonçalo, Kayembe, Otávio e Ivo, Sergio Oliveira, André André e Hernani todos juntos. Já para nao falar na crença que SAD apenas vai contratar quando muito meia dúzia de jogadores.

Já agora apenas uma pergunta final: O que lhe fez mudar tanto de opiniao relativamente à SAD e a Lope no que diz respeito à aposta na cantera, foi apenas esta politica de empréstimos que lhe dá garantias que o Futbol Club Oporto passe já para a próxima época a ser Futebol Clube do Porto?

Z disse...

Caro Miguel,
De um modo geral partilho da sua visão face ao perfil e papel de Lopetegui na gestão dos plantéis A e B, bem como na importância que teve ao conseguir "trazer" Oliver, Brahimi, Marcano (neste ponto, discordo de si), e até mesmo Tello. Deixe-me só analisar algumas coisas:
- A vinda de Andrés Fernandez parece, agora que temos Hélton a 100%, uma má decisão. Contudo, como especialista em reabilitação física posso garantir-lhe que a lesão de Hélton é provavelmente das mais complicadas de debelar, e das mais difíceis de prever uma recuperação a 100%. Posto isto, talvez tenha sido uma tentativa de não correr quaisquer riscos, no caso de haver algum problema com Fabiano. Nestes casos, numa posição tão específica como a de guarda-redes, ter jogadores a mais parece-me sempre preferível ao oposto.
- A aposta em jogadores de qualidade e com potencial deve sempre ser uma prioridade. Se forem portugueses e, melhor ainda, da casa, óptimo! Até mesmo se forem espanhóis é óptimo! Desse ponto de vista, penso que é da mais elementar justiça elogiar a acção de Lopetegui na aposta em Rúben e no que parece ser a vontade de lançar Gonçalo ou Ivo, e até mesmo na contratação de Hernâni. Para mim será óptimo se a politica seguida fôr essa, se o objectivo fôr construir um plantel muito jovem, com uma boa base de jogadores nacionais ou formados no próprio clube. Mas quando recordo nomes como Josué, Tiago Rodrigues, Ricardo Pereira, Licá ou Carlos Eduardo, indubitavelmente jovens jogadores que vinham de uma época extremamente positiva, a mente viaja para a época anterior. Uma mescla de jogadores de alto gabarito (Lucho, Fernando, Mangala, Otamendi, Jackson ou Danilo) misturada com esses jovens jogadores, o resultado daí retirado, e a forma absolutamente inqualificável como a massa adepta reagiu à primeira contrariedade (à semelhança do que aconteceu este ano, na derrota frente ao Sporting). Apostar numa base de jogadores muito jovens (mesmo que sejam da casa), será sempre um risco grande, que penso valer a pena correr. Resta saber se haverá capacidade de ter paciência, dar o tempo necessário para que todos estes jogadores evoluam da melhor forma (sabendo que essa evolução comportará períodos muito bons e períodos menos bons). Teremos nós, portistas, capacidade de compreender essa aposta? Bom, pelo menos haverá menos espanhóis (patinhos feios do actual plantel) e estou certo que a malta não assobiará sem fim uma hipotética sucessão de péssimos jogos dum qualquer André André ou dum Ivo Rodrigues, ou Hernâni, etç.
- Desconhecia que Campaña não tinha cláusula de compra. É pena, porque o rapaz é um belíssimo jogador. Mas isso também não significa que seja impossível trazê-lo, tendo até em conta a péssima situação financeira de grande parte dos clubes italianos, que nem ordenados conseguem pagar. Penso que seria uma bela adição, independentemente da nacionalidade do jogador.
- Numa época com tantas entradas, tantos jogadores novos, tantas alterações, não me parece que o saldo final seja negativo. Se Adrián se tem revelado um falhanço (embora continue a achar que tem mais qualidade do que a que tem demonstrado) e se Andrés ou Ricardo (guarda-redes) vieram mais como uma segurança e não para "contar" para o treinador, temos as vindas de Óliver, Brahimi, Aboubakar, Indi, Marcano, Ángel (que tem feito exibições engraçadas quando chamado a jogo, coisa que, naquela posição, é raro acontecer no F.C.Porto) ou Tello têm sido jogadores importantes. Até Evandro, que tem pouquíssimos minutos de jogo, nos deixa muito mais descansados como opção para o meio-campo, do que algum Bolatti ou Valeri alguma vez deixaram. E precisamente pegando nestes jogadores, importa salientar que todas as épocas há boas e más contratações. E nem sempre a culpa é do Dep. de Scouting - recordo que Bolatti e Valeri eram dos jogadores mais promissores da sua geração. Por vezes, simplesmente não resulta. Em 90 e tal% das vezes o saldo é positivo (tal como neste ano). Enquanto assim fôr, penso que ficamos bem servidos.

Pedro ramos disse...

Obviamente queria dizer crer e nao querer...

Miguel Lourenço Pereira disse...

Também é um cenário perfeitamente possivel e se assim for José não ficamos mal servidos. O importante é deixar o Rafa crescer na equipa B e garantir ao Kayembe um lugar onde jogue a lateral se é aí onde o queremos ver no futuro!

Miguel Lourenço Pereira disse...

Estou totalmente de acordo e entendo perfeitamente o que esteve por detrás da chegada do Andrés Fernandez que era, até, referenciado há uns tempos para o Atlético e Real Madrid. Mas com Ricardo - jogador experimentado - e Kadu, parece-me que o backup de Fabiano pelo menos até Janeiro estava garantido.

Miguel Lourenço Pereira disse...

João,

Tanto o Marcano como o Angel são jogadores que vi jogar muitas vezes em distintas etapas dos seus clubes pelo que não acho que fosse necessário esperar a Agosto para avaliar a minha posição sobre ambos. Nenhum deles fracassou como se pode falar de um Adrián mas são jogadores perfeitamente de segunda linha. Estarem ou não aporta um diferencial minimo pelo que a sua presença não se justifica como mais valia, simplesmente cumprem o seu papel.

Quanto ao Campaña, como passa com todos os negócios de empréstimo, nada se pode dar por garantido a não ser que, sem opção de compra (petição expressa da Samp) o jogador volta a Genova. Se é uma viagem de estância curta o tempo o dirá mas a Sampdoria é dos poucos clubes italianos com cashflow actualmente no mercado e não tem a mesma necessidade de vender que outros. Por outro lado a utilização de Campaña - que veio no final do mercado no lugar de um holandês e um espanhol que, supostamente, iam ser os titulares da posição 6 como era o caso do Clasie e do Darder - tem sido exigua pelo que algo falha na aposta do treinador.

Quanto ao Oliver publicaremos algo sobre o que se está a passar na próxima semana!

Miguel Lourenço Pereira disse...

Luis,

No caso do Jose Angel para a incorporação de Kayembe como suplente de Alex Sandro. Se este sair, faz sentido manter Jose Angel e incorporar outro lateral que possa ser já titular. No caso de Marcano acho que o FC Porto precisa de um central top a sério de um perfil que não é o seu para ajudar a crescer o Martins Indi. Isso levaria a que o terceiro lugar de central ficasse entre o Maicon e Marcano (se o Reyes não sai ou o Lichnovsky não é promovido) e nessa equação prefiro o Maicon.

JON disse...

Eu acho incrível toda a gente dizer que Angel e Marcano não tem perfil para titulares... Estamos mesmo muito mal habituados nos últimos anos com Sandro, Pereira, Otamendi ou Mangala. Devem-se ter esquecido de quando não há muitos anos caçavamos com Esquerdinhas, Valentes, Mendes, Zé Carlos e mesmo Lulas ou Gaspares...

Miguel Lourenço Pereira disse...

Pedro,

São especulações para mim, para ti e para todos. Ninguém sabe o que se vai passar em Maio nem sequer o clube. Basta aparecer uma boa oferta e um jogador que agora é garantido, sai.

O que me parece claro é que há jogadores jovens que o treinador parece querer ter no plantel. Foi o caso do Ruben e do Gonçalo e parece ser o caso do Ivo. Pode fazer o stage de pre-temporada e não ficar? Evidentemente. Há muitos jogadores nessa situação. Mikel, Kayembe, Lichnovsky, Podstawski, André Silva, Pité, Frederic. O perfil do treinador é que me indica que pode haver uma aposta em mais ou um dois jogadores da casa. Mas nada é certo.

Sérgio Oliveira está contratado, outra coisa é que seja parte do plantel, ainda que neste momento duvido que tenham avançado para a compra sem o OK de Lopetegui. A sua incorporação é um problema mais para Evandro que outra coisa (dando por descontado que é bem possivel que Josué e Carlos Eduardo saiam para novo empréstimo ou venda). O de André André está apalavrado o que não quer dizer nada e pode dizer tudo e Hernani não chegaria agora para sair em Agosto seguramente salvo se é uma desilusão absoluta.

Quanto á pergunta, uma coisa não invalida a outra. O "FC Oporto" está aí no plantel e viu-se o impacto tão relevante que muitas dessas incorporações teve. Cada um é livre de pensar o que quiser mas continuo a reiterar que foi um erro e acredito que será um erro transitório e que nos próximos 2-3 anos o core de jogadores da casa vá aumentando progressivamente seguindo o exemplo dado. Isso significa que a SAD e o treinador estão a trabalhar bem nesse sentido mas não invalida que a opção por 10 jogadores da liga espanhola no defeso tivesse sido a acertada. Salvo Oliver e Brahimi - e num nivel inferior Tello e Casemiro - o impacto dos restantes foi zero!

JON disse...

Eu falo mal do Indi desde Setembro, ou desde que vi 3 ou4 jogos dele. E digo mal porque por esse preço e a escolher devíamos ir buscar alguém que saiba o que fazer com bola. Mesmo no resto, e no que toca ao lado mais físico (jogo aéreo, velocidade, etc), é limitado!

Acho que foi um erro crasso!

PS: você claramente tem coisas mal resolvidas com os laterais esquerdos e os entre dez da vida. Ou isso, ou as constantes bocas ao posicionamento do Herrera, denotam uma grande vontade de arranjar picardias, ao invés de discutir o nosso clube...

João disse...

Esse diferencial mínimo para os titulares (que só pode ser positivo no caso Maicon - Márcano, ou só podemos andar a ver jogos diferentes) é óptimo, quer dizer que temos opções do mesmo nível para as posições, para evitarmos situações como o Alex Sandro rebentar em Málaga aos 50mins e passar a 2ª parte dentro do nosso meio campo. Ou quando dispara a vela ao Maicon e passa 3 ou 4 jogos a dar casas atrás de casas.

Porque se é para termos o Abdoulaye lá, só porque vem da formação, eu prefiro o diferencial mínimo. E comparar neste momento o Márcano ao Reyes ou Lichnovski nem é engraçado de tão grave. Daqui a uns anos largos e, o 2º principalmente, quando se convencer que não está no UFC, talvez. Talvez.
O Reyes, e não sendo eu apologista de nenhum dos cartões, durou o tempo que durou no último jogo em Braga. Onde o José Angel fez mais um jogo impecável, já agora.

Consigo perceber que o Miguel idealize uma equipa em que as alternativas ao 11 vêem da formação e da B, mas depois não me venham dizer que o Vítor Pereira tinha um mau banco na Luz com Tozé e Sebá, porque é precisamente disso que se está a falar. Prontos para a A, na equipa B, está o Victor García, possivelmente o Otávio, Gonçalo para 3º avançado serve, o Ivo e o Kayembe ainda não são alternativas válidas a jogador nenhum.

O Kayembe, convirá alguém lembrar, já mais do que uma vez este ano se viu à rasca com a ala, ao ponto de o Luís Castro ter que lançar o Rafa em campo e subi-lo. Lembro-me do jogo em Chaves mas aconteceu noutros jogos. Se acha que serve para substituir o Alex Sandro no caso de este levar uma passa e ir parar 4 meses ao estaleiro, por exemplo, nunca vamos estar de acordo.

Pedro ramos disse...

Nao concordo que pelo facto de serem portugueses ou portistas, a malta tenha mais tolerancia(basta lembrar Licá e Josué). Penso aliás que muitas vezes existe menos tolerancia para jogadores contratados no nosso campeonato porque os adeptos já os conheçem e há menos espaço para a ilusao.

Miguel Lourenço Pereira disse...

JON,

Tens razão. O Angel e o Marcano são muito melhor que muitos dos titulares do FCP nos anos do Jesualdo ou Fernando Santos, por exemplo. Mas qual é a nossa verdadeira bitola?

Não é uma questão só de estar mal habituados (também podemos dizer que levar com um Indi/Marcano/Maicon para quem se habitou a Aloisio/Couto/Costa/Carvalho custa) mas sim de onde devemos apostar.

E por certo, o Lula, Gaspar, Zé Carlos nunca foram titulares e o Esquerdinha, Nuno Valente e Jorge Mendes tiveram grandes épocas como titulares!

Miguel Lourenço Pereira disse...

João,

O diferencial minimo parece-me que é o objectivo de qualquer clube salvo aquele que gasta milhões em titulares tipo Madrid ou Barcelona. Repara que na minha equação o 3 central é o diferencial minimo para os titulares (e eu acho que precisamos de um grande central titular vindo de fora) e só o quarto central é que deve vir da formação. Nesse contexto Maicon e Marcano disputariam o posto de 3 central. Não faz sentido ter 4 do mesmo perfil. O mesmo aplica-se aos laterais, diferencial minimo salvo se tivermos um jogador realmente com uma grande projeção futura. Agora temos isso com o Ricardo na direita (um perfil mais lógico que o Opare) e se o Kayembe tiver o mesmo perfil faz todo o sentido de repetir o processo. Caso contrário o Jose Angel faz sentido no plantel.

Para mim as alternativas aos onze não têm de vir da B ou formaçao mas num plantel de 25 jogadores creio que há um minimo de 6-8 jogadores que deveria ter esse perfil. Isso permite-nos ter um 11 titular sólido e 5 ou 6 jogadores que garantizem por linha de jogo esse diferencial. Não faz sentido ter de momento um Jackson-Gonçalo, é importante ter já um Aboubakar. O mesmo passa nos centrais, na baliza, na medular, na ala.

O que sim acho é que a lógica deveria imperar sobretudo num clube com o passivo que temos e ter jogadores no plantel, por muito que tenham vindo a custo zero com salários jeitosos, que não acumulam minutos importantes é um cenário que deveria ser revisto. Se não pertencem ao core de 11-15 titulares, seguramente haverá alguém do perfil similar em casa ou mais barato noutro lugar.

Z disse...

Não me recordo de alguma vez ter presenciado um ódio de estimação tão acentuado a qualquer um do exemplos que dá como vejo acontecer com Adrián. E atenção, não gostava que assim fosse com nenhum dos dois. Gostava era que todos tivessem apoio e paciência da parte dos adeptos. Tivemos Vinhas e Quinzinhos e não me lembro de serem mal-tratados como adrian ou Danilo há duas épocas atrás.

Luís Vieira disse...

Miguel, acho que o Kayembe não é alternativa a defesa-esquerdo e que o José Ángel está a anos-luz do mesmo - e estará durante bastante tempo, pelo menos nessa posição. O Rafa é um bom projecto, mas precisa de rodar a titular numa equipa de 1ª Liga. O Marcano tem sido mais consistente do que o Maicon, por isso, mesmo na sua equação, leva vantagem. Em todo o caso, a meu ver, podem coexistir no plantel da próxima época, mesmo com a contratação de um central superior a ambos (ou com a afirmação miraculosa do Reyes).

JON disse...

Exacto Z. E tirando o custo dos mesmos, é completamente injustificado... Porque não estiveram tão mal quanto isso. Há vários outros que têm estado igualmente mal, mas vá-se lá perceber porquê perdoa-se-lhes tudo...

Pedro ramos disse...

Adrian continua a ser o sindroma dos 11 milhoes por 60%, 11 milhoes por 60%, 11 milhoes por 60%... Danilo idem áspas, 18 milhoes, 18 milhoes... Sinceramente nao consigo de forma alguma relacionar isso com a origem do jogador. Nao tenho dúvidas que os jogadores sao penalizados pelos adeptos pelo que custaram ao clube, mesmo nao tendo culpa disso. Nao tenho dúvidas que se Hulk tivesse custado 20 milhoes logo de inicio teria tido uma relaçao muito mais dificil com os adeptos.
Ou será por acaso que por exemplo Campanã já nao tem esse ódio de estimaçao?
Podemos também fazer outra comparaçao, será que Quinzinho e Vinha foram tao mal tratados como Josué ou Licá?

O JON tem razao no ponto que apresenta em baixo, e hoje a tolerancia dos adeptos é muito mais reduzida que à alguns anos atrás.

Miguel Lourenço Pereira disse...

O custo e o nome é tudo.

Que podiamos exigir a um Quinzinho ou Vinha que custavam dois tostões? Adrian é internacional da melhor selecção dos ultimos 15 anos, foi campeão espanhol, custou mais de 10 milhões de euros. Se o nivel de exigência e tratamento fosse igual é que seria muito estranho!

Miguel Lourenço Pereira disse...

Luis,

O José Angel ainda é melhor que o Kayembe, sem dúvida. Resta saber que aposta é que queremos para o Kayembe. Um ano mais de empréstimo garantindo ao clube para onde vai que jogará a lateral? Parece uma boa opção e nesse cenário o Angel podia ficar perfeitamente. Mas quantos anos vamos ter o Kayembe emprestados? Mais do que a próxima época começa claramente a ser um problema.

Quanto ao Rafa acho que precisa primeira de uma temporada completa a titular na B e depois, eventualmente, um empréstimo.

Em relação a Maicon e Marcano prefiro o Maicon e não só pelo historial com o clube. Na comparativa entre ambos escolho-o a ele. Quanto a ter um deles de quarto central parece-me também um desperdicio havendo Reyes ou Lichnovsky.

Luís Vieira disse...

Muito sinceramente, não vejo grande lógica em todo o processo Kayembe. Mostrou bons predicados na B como extremo, integrou o estágio de pré-época e regressou à B como lateral-esquerdo para tapar a ascensão do Rafa (seria esta a época de tirocínio deste na 2ª Liga e para o ano estaria na 1ª, emprestado). Agora vai para o Arouca, mas para que posição? Posso estar enganado, mas parece-me mais um para engrossar o lote da roda-viva de empréstimos inconsequentes. O Ángel, pelo contrário, é uma certeza e tem lugar no plantel, seja como titular, seja como suplente, embora tenha de melhorar no aspecto defensivo (vide jogo contra a Académica). Quanto aos centrais, duvido que o Maicon queira ficar um ano no clube como 3º central. Vejo mais facilmente o Marcano nessa posição e, assim sendo, estará a porta aberta para o 4º central "jovem" (Lichnovsky ou outro, porque o Reyes, pelo dinheiro que custou, atingiu o prazo de validade de "jogador de plantel").

João disse...

Não JON, eu tenho coisas muito mal resolvidas com a prepotência. Isso nunca vou ter bem resolvido. O facto de seita ver jogos diferentes do resto malta, dos jornais desportivos, dos comentadores, de toda a evidência audiovisual não me faz confusão, quando acham que por isso são iluminados e os outros têm todos trissomia futebolística, o caso muda de figura.

José Rodrigues disse...

De facto é um exercício de futurologia. O q nos reserva o Verão ninguém sabe, mas sei o seguinte:

1) a História diz-nos q é habitual (eu diria mesmo "sistemático") haver mais mudanças no plantel do q 99% dos adeptos esperavam 3 meses antes

2) se o FCP reintegrar mais emprestados e ex-equipa B do q é costume, parece-me q isso se irá ficar a dever muito mais à falta de dinheiro do q uma "estratégia" de Lopetegui

3) com boa ou má estratégia, Lopetegui nao sobreviverá a 2 épocas seguidas sem ganhar o campeonato