terça-feira, 3 de fevereiro de 2015

Hernâni, com nome de estrela azul-e-branca um negócio que faz todo o sentido

A aquisição de Hernâni pelo FC Porto responde a uma das politicas de aquisições recuperada nas últimas duas temporadas, a de procurar reforços úteis para a primeira equipa na liga portuguesa. Jogadores com provas dadas no campeonato, jovens, versáteis e com projecção futura. Exemplos não faltam mas poucos acabam por vingar no plantel. Muitos acabam por ser moeda de sucessivos empréstimos e a outros faltam-lhes as oportunidades. Hernâni não terá um futuro fácil e um bom exemplo disso mesmo é o jogador que o extremo lisboeta foi substituir em Guimarães, o versátil Ricardo Pereira que apesar de já ter demonstrado valor e potencial ainda não se confirmou como um dos 16 jogadores mais utilizados por Julen Lopetegui.

No entanto a chegada do extremo pode dar-nos pistas para o futuro. O FC Porto tem actualmente como extremos puros a três jogadores no plantel: Ricardo Quaresma, Christian Tello e o próprio Ricardo Pereira. O último tem sido cada vez mais provado como lateral. Quaresma já está no outono da sua carreira - apesar de genialidades como as do passado domingo - e Tello tem sido um dos jogadores mais criticados dos últimos meses. E com razão. É também um jogador emprestado que pode voltar - ora por vontade do clube, ora por desejo do Barcelona - a casa no próximo defeso. Na equipa B ainda há a possibilidade de utilizar como extremo a André Silva mas este parece não contar ainda para Lopetegui. Há portanto uma carência que só a utilização de jogadores deslocados da sua posição natural - Brahimi, Quintero ou Oliver, por exemplo - tem permitido tapar nesta primeira metade de temporada. Hernâni vem para dar equilíbrio a esse sector do ataque e parece ser uma aposta acertada.

É um jogador barato, com experiência na liga, projecção de futuro - tem apenas 23 anos e duas boas temporadas nas costas - e sabe que vem para ser um suplente com alguma utilidade e não uma primeira figura. O seu empréstimo vai permitir também resolver a situação de Sammi - em conflito aberto com Sérgio Conceição -, de Ivo Rodrigues (uma das nossas maiores promessas - tem 12 golos na II Liga - mas sem espaço para Lopetegui) e de Otávio. O médio brasileiro tem um potencial tremendo e foi um investimento sério. A sua aquisição foi feita, seguramente, tendo em vista o fim do empréstimo de Oliver (ainda que se tenha aberto a possibilidade de uma prolongação de uma temporada mais, algo de que falarei noutro dia), mas depois de meia época na II Liga não lhe vem mal uns meses numa equipa que luta abertamente pela Europa e que tem sido uma das mais consistentes formações da liga. Rui Vitória pode ter muitos defeitos mas é evidente que sabe moldar tacticamente jogadores jovens e ao brasileiro a experiência será seguramente positiva.


Face á situação financeira do clube estava claro que não havia muito que fazer no mercado. É bastante provável que alguns dos empréstimos acabem este Verão - Tello e Casemiro - e se para a posição 6 seguramente Lopetegui continuará a ter em Ruben Neves a sua aposta principal, o clube acabará por ter que reforçar-se em Julho, a posição de extremo fica claramente coberta com a chegada de Hernâni. Não se enganem, a mais que provável saida de Brahimi para fazer caixa e o eventual regresso de Tello em Barcelona obrigará a nova incursão no mercado mas pelo menos o jovem tem meio ano para provar o que vale e não apenas quatro semanas em Julho como tem sucedido com tantos jogadores. Um negócio acertado de um jogador que se enquadra perfeitamente no plantel!

PS: O FC Porto inscreveu também para a equipa B um jovem chamado Anderson. Nada a dizer. Mais um jogador estrangeiro de potencial duvidoso que chega para reforçar uma equipa que devia servir para fazer a ponte em jogos competitivos entre o futebol de formação e a primeira equipa mas que tem um terço de plantel com jogadores de fora com uma projecção futura mais que questionável ainda que existam bons exemplos em contrário - Mikel, Kayembe (depois de meio ano a tapar Rafa para ser empestado ao Arouca), Gaudiño, por exemplo. O caso de Anderson é no entanto curioso. Jogava num clube perdido de Belo Horizonte na Segunda Divisão do estadual mineiro que curiosamente, e só curiosamente, é sustentado pelo banco BMG. O mesmo que patrocina o museu e com quem o clube tem tão boas relações.

52 comentários:

JON disse...

Várias ideias:

1) Hernâni joga num sistema de transições, é rápido, precisa de espaço, e tem dificuldade a decidir bem sem espaço. Não sou só eu que digo, acabei de comprovar estas ideias com grande amigo vitoriano, que vê todos os jogos da equipa...
Duvido que seja útil ao FCPorto, a não ser que aprenda muito e rápido...

2) As pessoas continuam a insistir no Ricardo a extremo, mas parece-me óbvio que ele no máximo seria um Varela nessa posição. Não tem talento para mais que isso. Parece-me que Lopetegui já percebeu isso e quer fazer dele lateral... Estimo que o Ricardo perceba que tem muito mais potencial se jogar a lateral. Danilo deve sair no verão.

3) Rui Vitória "sabe moldar tacticamente jogadores jovens"... Sabe, sabe... para jogar borradinho lá trás e depois entrar nas transições. Coisa que no FCPorto nunca acontece... Acho que Rui Vitória é um grande barrete e quando chegar a um grande (oxalá vá parar ao seu clube do coração) vai mostrar o que vale...

4) Quaresma termina o contrato este ano, certo? Estimo bem que não renove, até porque é caríssimo...

5) Gostava que alguém me explicasse porque é que o Tello tem estado assim tão mal, quando comparado por exemplo com Quaresma. Eu nem sou grande fã do Tello, mas realmente há coisas que não se explicam...

6) Gostava muito que Óliver ficasse mais um ano, como o Miguel refere, e que Brahimi não saísse. Estou a contar com Jackson e Danilo, mas de facto deve ser mais fácil vender Brahimi que um lateral direito.

DC disse...

JON, o Tello esquece-se de bater no peito quando marca golos ou faz assistências (e tem feito muitas) e de dar entrevistas a dizer que ama o Porto.
Eu também gostava de perceber porque é que quando se chama atenção para a má tomada de decisão do Quaresma se é fanático e quando se fazem 30 posts seguidos a bater no Tello já se é grande portista. Tenho que comprar um manual de "bom portista" para conseguir entender.

Miguel Lourenço Pereira disse...

JON,

1) Que um jogador jogue bem num sistema de jogo de nada invalida que domine ou possa servir noutros registos. O Hernani tem condições para dar um salto de qualidade e, independentemente disso, como sucedeu no passado com Atsu ou como passa com Tello, é um jogador que pode "desbordar" com velocidade, diagonais e jogo de linha uma equipa que se condensa excessivamente em espaços fechados. Não é agora que vamos descobrir em Guimarães um Cristiano Ronaldo mas pode ser tão util como foi um Varela.

2) O Ricardo podia ser um optimo extremo se tivesse sido desenvolvido com minutos de jogo nas pernas, aprender a errar, aprender o posicionamento e o jogo colectivo no ultimo terço. Se jogar é mais dificil. A posição de lateral é a de mais facil aprendizagem no futebol e é natural que com sessões de treino corrija os defeitos que possa ter de posicionamento defensivo e pareça mais apto para essa posição. Se for o próximo lateral direito titular do FCP ficaria muito contente.

3) O Rui Vitória sabe trabalhar com jogadores jovens. Tem cinco anos nas costas que o provam. Tem um sistema de jogo para os jogadores que tem. Na liga portuguesa, com uma formação de tostões e cantera é bastante dificil jogar de outra maneira e ter bons resultados. Não é de hoje. Se só queremos ter jogadores emprestados em equipas que procuram futebol de posse e encostar os rivais ao ultimo terço vamos ter um problema. Para isso deveria servir a equipa B e está claro que não é suficiente.

4) Se Quaresma não renovar este ano, o que é uma possibilidade, o FC Porto tem Tello - que pode sair - e Hernani como extremos para 2015-16. Muito pouco.

6) Eu do Quaresma, á idade que tem e com a cabeça que tem, espero zero. Do Tello, um jogador que trabalhou com Guardiola e devia ter um maior conceito técnico-táctico do jogo na cabeça, sobretudo na toma de decisões, espero muito. É uma questão de expectativas. Tello, como Cuenca, foi uma aposta frustrada do Barcelona. Pode ser recuperado noutro contexto como Jonathan Soriano, Nolito, Bojan ou como pode vir ainda a ser Deulofeu (que creio que vai pelo mesmo caminho) mas não creio que seja o extremo que o FC Porto precise.

6) Jackson tem saida apalavrada e entre Danilo e Alex Sandro é altamente provável que um saia. A partir de aí é a lei de mercado a funcionar e não há jogador do FCP com maior cartel do que Brahimi. É bastante possivel que saia também. As contas estão um desastre. Quintero é outra opção, naturalmente.

7) Quanto ao caso Oliver pretendo escrever algo sobre o que se está a passar neste momento.

JON disse...

Miguel,

Percebo o que diz do Tello, mas tal como o Adrián, acho que as pessoas cobram demasiado pelo estatuto com que os jogadores chegam. Não acho que Tello tenha estado assim tão mal como tenho visto toda a gente dizer, bem como Adrián, que fez alguns jogos competentes... É certo que não deslumbraram, mas pasmo-me como é que alguns jogadores têm um brutal crédito para fazer porcaria e outros não. A imprensa também ajuda bastante... Basta ver que nas "notas" dadas aos jogadores, um tipo pode pode não ter jogado nadinha, mas basta ter feito um golo, nem que seja só encostar, e passa logo a nota positiva "por ter sabido estar no sítio certo"...

S. disse...

De uma forma geral, concordo com o que foi aqui escrito.
No entanto, notas em relação a dois pontos.

1 - 4 ME (mais ou menos qualquer coisa), mais três empréstimos não é exatamente barato. Pelo menos de forma isolada. Agora, quando comparada com algumas contratações provenientes do mercado Sul-Americano por valores semelhantes e por jogadores que vão precisar de tempo de adaptação, tempo para amadurecerem, etc., sim, até é 'barato'.

2 - A única situação que vejo realmente 'resolvida' com este negócio é a colocação do Sami. Não tinha lugar na equipa A, não faria sentido jogar pela B. Ser moeda de troca para já, sim, faz sentido. Agora, não creio ter havido uma situação com o Ivo ou Otávio; acredito mais ter sido necessário encontrar moeda de troca. O Ivo estava a jogar regularmente na equipa B, e provavelmente assim seria até ao final da época. O Otávio chegou, jogou qualquer coisa e lesionou-se. Estando recuperado, acredito que somava minutos na equipa B. Acredito que a ida do Ivo para o Vitória seja bom para o Vitória e para ele, mas também espero que não seja um primeiro passo para nunca mais vista a camisola do Porto. E quanto ao Otávio, duvido que faça muitos minutos pelo Vitória. Mas se sai para aprender com o Rui Vitória, aceita-se.

Madureira disse...

Dizer que um jogador que custa 4M e em que o Vitória fica com 15% de uma futura transferência e ainda recebe 3 jogadores emprestados é barato... dá que pensar!
Tudo bem que possa ser uma aposta para o futuro, mas é um jogador que tem características para uma equipa que jogue em transições, porque a sua principal características é a velocidade... com equipas fechadas (que é como o Porto joga) vai ter muitas dificuldades, mas o tempo dirá. Não é uma contratação que me agrade particularmente, até porque com Brahimi, Tello, Quaresma e Adrian (quando regressar) não vejo onde possa ter grandes oportunidades....

Miguel Lourenço Pereira disse...

DC

"Eu também gostava de perceber porque é que quando se chama atenção para a má tomada de decisão do Quaresma se é fanático e quando se fazem 30 posts seguidos a bater no Tello já se é grande portista. Tenho que comprar um manual de "bom portista" para conseguir entender."

Tendo em conta que o primeiro a escrever um artigo no RP contra o regresso do Quaresma fui eu e tendo ainda em conta que ninguém me viu dizer nada de espectacular sobre o Quaresma desde que voltou (tendo inclusive dado razão ao Lopetegui aquando da "disputa interna" em Agosto) como já disse ao JON, não creio que seja em relação ao que eu estou a dizer o artigo que podemos sacar essa comparativa! ;-)

Miguel Lourenço Pereira disse...

JON,

Tello e Adrian são casos diferentes.
Nenhum jogador tem culpa pelo aquilo que se paga por ele mas o Adrian foi um investimento muito importante e o seu rendimento desportivo em comparação com o investimento é quase nulo e muito inferior á relação qualidade vs custo que daria um Ghilas que já estava no plantel. Acho que foi um erro crasso de incorporação ao clube mas continuo a afirmar que não se perdeu cashflow com ele, apenas não se recuperou o dinheiro que ainda se devia.

Quanto ao Tello, ao ser emprestado, importa-me bastante menos porque creio (e espero) que volte a casa. A tomada de decisão do Tello no último passe e a fraca finalização penaliza o trabalho bom que há por detrás. Tello é mais associativo que qualquer outro extremo do plantel, joga mais com os interior, ajuda a abrir espaços. Mas depois, quando tem a bola nos pés, é um acumular de erros, seja na hora de passar/não passar seja na eficácia frente ao guarda-redes. Cria mais espaços do que qualquer outro na sua posição mas uma vez gerada a superioridade muitas vezes desperdiça-a. E, ao contrário de Adrian, não teve como treinador 2 anos a um homem que seguramente lhe ensinou a fazer as coisas de outra maneira.

Miguel Lourenço Pereira disse...

S,

4 milhões por um dos melhores jogadores da liga parece-me um valor bastante acessivel e os empréstimos não têm custos para o clube e desbloqueiam 3 situações:
- Sammi estava em Braga a ter problemas
- Ivo Rodrigues precisa de minutos na I Liga depois de já ter demonstrado o que vale na II Liga
- se o clube quer que o Otávio seja o sucessor de Oliver convém passar a um nivel de maior exigência e está claro que não ia ser opção de primeira equipa. Ambos têm empréstimos até Junho sem opção de compra e ambos demonstraram ter nivel de I Liga, na II liga já não podiam fazer muito mais.
Aliás o clube decidiu fazer o mesmo com Kayembe deixando claro que a II Liga para os jogadores que para o ano podem ser parte da primeira equipa ficou curta. Isso vai permitir um acumular de minutos para Rafa, Maciel e André Silva na equipa B.

A gestão do negócio em si parece-me impecável.

DC disse...

Não é Miguel, é mesmo em relação à recente "corrente" aqui do blog. Em que se rasga ad nauseum o Tello e se critica quem aponta defeitos a gente como Quaresma, Herrera, etc...
São coisas que não entendo.
Até porque no que toca a Quaresma concordamos em absoluto.
Quanto ao Hernani, acho que poderá ser um suplente razoável, tenho dúvidas se passará disso. Gostava sim que apostássemos no Bernard, que me parece enorme jogador.

Miguel Lourenço Pereira disse...

Madureira,

Tendo em conta o investimento habitual que realizamos para a primeira equipa é um jogador bastante barato. Basta ver o que foi pago pelos jogadores que temos em propriedade. É também um negócio para 4 anos pelo que dos que citamos como parte do plantel - Tello (emprestado), Quaresma (fim de contrato), Brahimi (eventual negocio de Verão) - a maioria não estará na próxima época. Hernani chega para reforçar a posição (Adrian está lesionado) e aprender com Lopetegui os conceitos da equipa, não para ser titular.

Quanto aos empréstimos, como expliquei antes, parece-me uma óptima decisão de gestão da SAD ter 2 jogadores de potencial a jogar num candidato ao 4 lugar e resolver um caso complexo como o do Sammi em Braga.

miguel87 disse...

Miguel, só uma questão em relação ao Tello.
O Barça, para além do tridente fabuloso, tem Pedro como 4º jogador para o ataque, tem ainda Munir e Sandro em fase de afirmação no plantel principal, Adama e Dongou como próximas apostas de futuro. Na mesma situação de Tello tem Afellay e Deulofeu, este último visto na Catalunha como a próxima grande jóia de La Masia - apesar de um ano abaixo das expectativas no futebol Inglês e da frustrada permanência no plantel desta época.
Com todos estes factores, e mesmo confirmando-se que estarão proibidos de contratar jogadores no próximo defeso, será assim tão provável que Tello, com mais um ano de empréstimo e opção de compra, volte para Barcelona já no fim desta época?

Miguel Lourenço Pereira disse...

Miguel,

Não acredito que o Tello volte a jogar com a camisola do Barcelona. Tenho é bastante certeza de que o Barcelona vai querer fazer dinheiro com ele e se surgir alguma oferta a rondar os 8-10 milhoes de euros este defeso, o clube vai usar a clausula de recuperação que tem e vender o jogador. Só se não houver nenhum interesse no mercado em Tello (como passa com o Afellay) é que vão equacionar voltar a emprestar até que o contrato expire e nesse caso o FC Porto tem a faca e o queijo na mão.

Miguel Lourenço Pereira disse...

DC,

Sabemos como funciona o clube e é provável que no Verão chegue mais uma joia sul-americana ou um emprestado para ser titular. A Hernani cabe-lhe o papel de suplente como passou com o Ricardo a principio. Terá de agarrar as poucas oportunidades que vai ter. Parece-me o tipo de jogador que há que ter no plantel: português (lista UEFA), barato, salário acessivel, potencial e cumpridor. Não é um jogador para fazer um negócio redondo mas devemos ter uma estrutura sólida de jogadores deste perfil+jogadores da casa para complementar aquele que continua a ser o negócio core da SAD (os Jackson, Indi, Alex Sandro, Danilo, Brahimi e afins).

Luís Vieira disse...

JON, seguindo a sua estrutura de pensamento e porque levanta questões pertinentes:

1) Muito bem apontado. Torço o nariz a este negócio, numa dupla perspectiva: 1º porque o acho caro; 2º porque, desportivamente, não vejo o Hernâni a render ao mais alto nível (nunca no curto prazo e dificilmente no médio/longo prazo). É provavelmente mais um Licá, que no Estoril fazia flores em contra-ataque e que chegou ao Porto e parecia peixe fora de água. A diferença reside no aspecto técnico, que no Hernâni me parece superior e que, por isso, pode ajudar à reconversão do jogador para jogar em espaços curtos.

2) Sem dúvida. O Ricardo a extremo seria o novo Varela (o que já não seria mau, mas quem está habituado a Hulk, James e Brahimi tem os padrões muito elevados) e pode perfeitamente dar um bom lateral, desde que interiorize o processo defensivo.

3) Provavelmente sim, porque o modelo do Vitória não é ambicioso (embora milagreiro). Mas ninguém sabe que postura adoptaria numa equipa grande, por isso merece o benefício da dúvida, não obstante os sinais pouco estimulantes (em termos estéticos, não de resultados, naturalmente).

4) Discordo :) Seria importante o Quaresma renovar para não haver (mais) perda de identidade no plantel. As referências são curtas e o Quaresma, por muito que custe, é um dos poucos "históricos" do plantel (com Maicon e Hélton). No campo, teria utilidade para desbloquear jogos atados, à imagem e semelhança do que ocorre na Selecção.

5) O Tello tem estado mal porque não tem conseguido tomar a decisão correcta, não obstante o primeiro desequilíbrio conseguido pela velocidade. Por outro lado, tem sido um desastre na finalização: nos últimos jogos é decididamente o jogador que mais vezes aparece em posição privilegiada para marcar e, invariavelmente, falha. O número de más decisões do Tello, com impacto no resultado, tem sido assustadoramente alto. E é por isso que a grande maioria dos adeptos se manifesta de forma negativa. Por outro lado, o Tello, do ponto de vista defensivo, tem sido inócuo: é vê-lo levantar o pé, não raras vezes, com medo de se magoar (podia olhar para o Óliver, virtuoso, mas lutador, e aprender algo com ele). O Quaresma não tem sido perfeito, longe disso, mas não tem errado com a regularidade do Tello e tem produzido mais, inclusive ao nível dos golos. Desde que o Brahimi foi para a CAN temos a seguinte estatística: Tello (485 minutos, 1 golo); Quaresma (333 minutos, 3 golos). Para mim está claro que o Quaresma, desde que o Brahimi foi para CAN e, por isso, acumulou mais tempo de jogo a titular, subiu de produção e, neste momento, é mais útil à equipa do que o Tello. Por isso, agora que a Argélia foi eliminada, espero que o Lopetegui opte por Brahimi/Quaresma nas alas.

6) Acredito mais facilmente na permanência do Brahimi do que na do Óliver e do Jackson. Assim sendo, não vejo a premência desta contratação.

João disse...

Ei tanta asneirada junta.
1) O FC Porto já veio desmentir em comunicado os 4M€ alegadamente pagos pelos Hêrnani.

2) André Silva não é extremo, é ponta de lança. Ivo Rodrigues sim, é extremo. O Fred também o seria, se fosse jogador de futebol.

3) O 1º lance que o Tello não enterrou contra o Paços foi aos 37'. O 3º lance que o Tello não enterrou foi o golo, aos 80'.
Isto não faz do Quaresma jogador. Têm estado ambos mal na generalidade dos jogos. O Tello consegue é a proeza de estar sucessivamente pior. O que é dizer muito.

4) A contratação do Hernani percebe-se, o Lopetegui sempre quis ter duas opções para cada posição e faltava um extremo. É um jogador rápido, forte fisicamente e esquerdino, com um bom remate. Ficou a faltar colocar o Gonçalo para o plantel estar organizado mas se foi vontade do treinador ficar com ele, espero que tenha oportunidades na 1ª equipa na 2ª volta.

Felisberto disse...

Pelas ideias que o Jon apresenta, Seninho, Folha, e até Futre jamais jogariam futebol no FC PORTO....

Paulo Sérgio Portugal Malheiro disse...

Hernani é se me permitem a comparação um "Tello" Português....
Tello, tem pecado imenso na finalização, está a receber um ordenado chorudo...
Tem na sua principal arma a velocidade...repentista...
Diferenças, o FCP já emitiu um comunicado a negar os tais 4m €, anunciando que o valor real estará no R&C...
Hernâni é para dar mais soluções, bem trabalhado pode render....
Espero é que André Andre, tenha sido "garantido"...
Rui Vitória agora para alguns é um Bluff....
Não dar valor, ao aproveitamento dos jovens que faz, é ser ceguinho...
Não tem tremoço... tem pevides e caroços...

Miguel Lourenço Pereira disse...

João,

O André Silva é avançado de origem mas não é nem a primeira nem a quinta vez que joga descaido como falso avançado a extremo.

João disse...

Também o Ádrian. Mas quem joga regularmente a extremo na B é o Ivo, e o Frederic ("joga"). Como não incluiu o Brahimi nos extremos da A (pese embora jogar sempre nessa posição) das duas, uma: ou está a falar de extremos de origem, o que o André Silva não é, e os outros dois, por contraponto, são. Ou está falar dos jogadores habitualmente lançados na posição, e nesse caso o Brahimi teria que ter precedência em relação ao Ricardo, p.e.

João Santos disse...

João nunca vês os jogos da B de certeza para dizeres isso do Fred.

José Correia disse...

João disse:
«O 1º lance que o Tello não enterrou contra o Paços foi aos 37'. O 3º lance que o Tello não enterrou foi o golo, aos 80'. Isto não faz do Quaresma jogador. Têm estado ambos mal na generalidade dos jogos. O Tello consegue é a proeza de estar sucessivamente pior. O que é dizer muito.»

Assino por baixo.

JON disse...

Há uma primeira vez para tudo... Estou de acordo como o João. O Fred é um "não jogador de futebol". E vejo quase todos os jogos da B.

JON disse...

O Futre pelo que vi era muito mais do que esforçado. Tinha um grande talento. O Folha, apesar de ainda ser relativamente miúdo na altura, era uma nulidade. Zero. Sempre o detestei e era o ódio de estimação lá em minha casa, corroborado pelo meu paizinho. O Seninho não vi.

Suponho que esteja a falar do que escrevi sobre Ricardo... Volto a dizer, na melhor das hipóteses, dava um Varela, o que não é mau, mas acho que ele e o Porto têm a ganhar se apostar na lateral direita...

Joao Goncalves disse...

O problema do Tello é sempre o mesmo... velocidade e capacidade de desmarcação que o colocam em situação bastante favoráveis para marcar ou assistir e... depois para-lhe o cerebro... é o designado "sindrome de cérebro de ervilha".

Se ele fosse bom nesse aspecto fundamental do jogo, estaria no Barcelona e de lá não sairia.

Em relação ao André Silva, tem de se fazer um parelelismo com o estilo do Lisandro Lopez e todos sabemos ou foi que ele rendeu mais e essa mania de mandar os Avançados Centros descairem para as alas, tem de acabar, pois é só estragar jogadores vide Ghilas.

Em relaão ao Fred, inteiramente de acordo e respondendo ao João Santos, sim eu vejo regularmente os jogos da equipa B e o Fred não serve para um FCP... mesmo num Gil Vicente teria dificuldades em se impor na 1ª equipa e com 21 anos a serem feitos em breve, não deverá ter muito mais por onde ir.

Mas eu posso elaborar mais... Fred tem um 1vs 1 sofrivel, tomada de decisão média-má, capacidade de finalização média, posicionamento fraco, cruzamento médio-mau, capacidade de recuperação defensiva média, cacidade de fechar o flanco em modo defensivo fraco e capacidade física para o choque média-má.

Tem como factor de qualidade a velocidade e está a aprender a saber soliciar o passe na profundidade.

João disse...

João Santos vejo muitos jogos da B. Onde o Fred joga a extremo (só muito esporadicamente foi utilizado a avançado centro) e onde a quantidade de lances que perde sozinho na ala chega a desesperar os colegas como aconteceu agora contra o Sp. Covilhã. Não é um ou outro golo que muda fundamentalmente a avaliação que faço dele.

MiguelP disse...

É curioso estarmos todos a comentarmos uma posição que não é de certeza a que carece de mais atenção. Era urgente um central ou um médio digno da nossa camisola, mas numa equipa onde pontificam Maicon, Indi, Casemiro e Herrera como podemos alvejar ser campeões?? É muita aselhice junta...
Supondo que no final da época ficamos sem Jackson, Brahimi e contando também com a saída do Oliver com que qualidade ficamos no plantel? Que pesadelo só de pensar nisso...

João Santos disse...

Não vemos os mesmos jogos.

JON disse...

O Indi aselha? Nãaaa, que ideia... Hoje o Hargreaves também disse que o Hummels não presta... Bons são os feios, porcos e maus, como os Sérgio Ramos da vida.

O Indi continua a ser para mim um negócio inexplicável! Só quem vê futebol dos anos 70 pode considerar que este rapaz vale €8,5M.

João disse...

Posso concordar consigo no que diz respeito à posição #6. A nível de centrais estamos tão bem ou melhor servidos que a concorrência. Se tirarmos o Luisão à equação então, o Indi (contra o meu primeiro parecer) fica a léguas do resto e o Marcano (surpreendentemente também) para lá caminha. O Paulo Oliveira sentava e é o único que se podia equacionar fazer parte do plantel. O Maicon está a fazer uma péssima época, de acordo, mas também já provou ser capaz de fazer muito melhor.

Quanto ao Herrera já nem perco tempo, de x em x meses lá faz dois ou três jogos em que se evidencia menos, passa logo a besta. O Óliver que fez tanto ou menos do que ele contra o Paços, é "ah meu Deus se ele vai embora..!"

No que diz respeito a ser "de certeza" a posição que menos carece de atenção, a matemática..

GR: Fabiano, Helton (2)
DD: Danilo, Ricardo (2)
DE Alex Sandro, José Angel (2)
DC: Indi, Marcano (2)
DC: Maicon, Reyes (2)
#6: Buracomiro, Rúben Neves (2)
#8: Óliver, Evandro (2)
#10: Herrera, Quintero (2)
EE: Brahimi, Quaresma (2)
ED: Tello, ? (1)
A: Jackson, Aboubakar.

.. felizmente ainda é uma ciência exacta.

José Correia disse...

Luís Vieira disse:
«O Tello tem estado mal porque não tem conseguido tomar a decisão correcta, não obstante o primeiro desequilíbrio conseguido pela velocidade. Por outro lado, tem sido um desastre na finalização: nos últimos jogos é decididamente o jogador que mais vezes aparece em posição privilegiada para marcar e, invariavelmente, falha. O número de más decisões do Tello, com impacto no resultado, tem sido assustadoramente alto. E é por isso que a grande maioria dos adeptos se manifesta de forma negativa.»

Obviamente, de acordo.

José Correia disse...

Luís Vieira disse:
«Por outro lado, o Tello, do ponto de vista defensivo, tem sido inócuo: é vê-lo levantar o pé, não raras vezes, com medo de se magoar (podia olhar para o Óliver, virtuoso, mas lutador, e aprender algo com ele).»

Tem sido pior que inócuo.
E em lances de disputa de bola, tem revelado uma atitude a roçar o inadmissível.

José Correia disse...

Luís Vieira disse:
"O Quaresma não tem sido perfeito, longe disso..."

Inteiramente de acordo.

"... mas não tem errado com a regularidade do Tello e tem produzido mais, inclusive ao nível dos golos. Desde que o Brahimi foi para a CAN temos a seguinte estatística: Tello (485 minutos, 1 golo); Quaresma (333 minutos, 3 golos)."

Pois é, os FACTOS são tramados.

João disse...

Luís Vieira, traçar paralelos entre o Hêrnani e Licá não faz muito sentido. A posição do Hêrnani existe no Porto e para as características do Hêrnani - extremos rápidos, desequilibradores, fortes fisicamente, idealmente que possam vir para dentro e tenham bom remate.

Para avançados que para a frente do tridente não servem porque não podem com um gato, mas que para extremo também não servem porque não têm velocidade nem 1v1, que até podiam jogar a 2º avançado mas a equipa não tem vida para a alteração do esquema táctico - Licá - não existe. O Ádrian que o diga.

Se tanto, compare-se ao Josué. O Licá, como a sua versão espanhola mais cara, já cheirava a "não encaixa" desde o comunicado à CMVM.

José Correia disse...

MLPereira disse:
"... se surgir alguma oferta a rondar os 8-10 milhoes de euros este defeso, o clube vai usar a clausula de recuperação que tem e vender o jogador"

Espero bem que sim.
Isso seria sinal que, daqui até ao final da época, o rendimento do Tello iria melhorar substancialmente.
Porque, a jogar ao nível das últimas semanas/meses, não acredito que haja clubes a oferecer ao Barça 10M pelo passe do Tello.

João disse...

A jogar como tem jogado, quem ficou a arder fomos nós em 2M€...

Bruno Pinto disse...

"É preciso mais critério na hora de escolher e gastar dinheiro. Menos opções caras e de muito risco - Reyes, é um exemplo flagrante. E mais opções pela certa. Há alguns jogadores em Portugal cujo risco de falharem é muito menor e que implicariam investimentos talvez menores a algumas escolhas arriscadas: André André, Pedro Tiba, Diego Lopes, Hernani, Ali Ghazal, Diogo Amado. Não estou com isto a dizer que não se deva continuar a apostar no mercado internacional, porque construir plantéis fortes só em Portugal é impossível. Mas o caminho certo é haver um equilíbrio entre ambos."

Disse isto há uns dias atrás e por isso fico contente com esta contratação, que considero acertada. É um jogador com potencial, que cabe perfeitamente nos 4 extremos do plantel. Mais a mais, quando se sabe que Brahimi sairá certamente no final da época. Espero que André André seja o próximo. Acho também que precisamos urgentemente de um central que saiba sair a jogar, para darmos o salto qualitativo no nosso jogo.

João disse...

Não me parece que se pretenda que o Otávio seja sucessor do Óliver, pelas características de um do outro. Quanto muito do Quintero, talvez arrumado para uma das alas, mas dificilmente nas funções actuais do Óliver.

JON disse...

Os factos são o quê? Os 2 golos que o Quaresma assinou de pénalti? É isso que faz a diferença? Até pode haver uma diferença no que joga um e outro, mas certamente não é justificada pelos 2 golos de pénalti que Quaresma marcou.

Adoro justifcar futebol com estatísticas...

José Correia disse...

Os factos são os golos, as assistências e tudo o resto.

O Tello tem escola e um potencial enorme mas, infelizmente, tem-se revelado um jogador inconsequente.

Para mim, é a grande desilusão desta época porque, aquando da sua contratação (por empréstimo), estava convencido (iludido) que o Tello ia explodir no FC Porto, marcar a diferença e ser um dos grandes jogadores do campeonato português.

Afinal, é o que se tem visto...

JON disse...

José, eu não estou aqui a fazer nenhuma apologia ao Tello, refira-se... Eu acho que ele não tem estado super mal, mas também se calhar porque nunca achei que ele viesse a ser grande desequilibrador, Eu, talvez ao contrário do José, pelo que lhe conhecia, sempre achei não ia "explodir no FC Porto"... Não é um jogador estratosférico...

Sinceramente, esperava mais do Adrián, e ainda espero. Esta lesão surge numa altura em que estava a ganhar alguma confiança, infelizmente.

MiguelP disse...

Falo no Oliver não tanto pelo que vale atualmente, mas pelo que pode valer no futuro. Será de certeza um jogador de top.
Sobre o Herrera nem perco mais tempo a comentar de tão miserável que é...
Não esqueço as palavras do Pedro Henriques na Sport Tv no rescaldo da primeira jornada após o jogo com o Marítimo... dizia ele que o nível de qualidade do meio campo do Porto seria curto contra equipas de maior exigência. Se analisarmos o que foi a primeira volta contra os adversários mais difíceis reparamos que apenas vencemos o Braga e num jogo em que o adversário dispôs de várias oportunidades flagrantes de golo...(no nosso estádio).
Quantos a esta dupla de centrais ela é uma amostra das enormes duplas de centrais que tivemos nas últimas 3 décadas... diria até cómica...

João disse...

Retiraria dessa lista o Luís Amado e incluiria Bernard e os Danilos do Braga e Marítimo.

Ah o Tiba é lampião que dói, segundo dizem, portanto entre e o André, viesse o André.

João disse...

Mas esclareçam lá uma coisa: o que pretendem dizer é que o Tello tem sido outra coisa que não miserável, contra toda a evidência - empírica e estatística - ou que tem sido melhor que o Quaresma.

É que podem pegar nos dois e mandá-los ao rio. Agora tentarem fazer parecer que um jogador que perde, desbarata ou estraga 85% das bolas que lhe passam pelo pé, independentemente de o meter ou não, anda a jogar futebol.. Não brinquem comigo.

Neste momento as duas alas são uma espécie de buraco negro que engole qualquer tentativa de jogar futebol que vá lá parar, com honrosas excepções quando os laterais sobem para, quase sempre, cruzarem mal. Os cantos de ambos também são de rir e chorar por menos, já agora.

Luís Vieira disse...

João, parece-me que comparar o Hernâni e o Licá tem todo o sentido. Ambos jogavam na ala, em 4x3x3, antes de vir para o Porto, ambos protagonizaram bom jogos em sistemas que privilegiavam as transições, marcando golos e fazendo assistências. Por outro lado, ao Licá velocidade não lhe falta, o problema está ao nível da técnica individual e na capacidade de desequilíbrio revelada no...Porto. Porque no Estoril poucos seriam os que questionavam o seu 1x1. Ao Hernâni falta precisamente essa prova de fogo, mas, como disse acima, antecipo já diferenças que podem fazê-lo ter mais sucesso do que ao Licá. De resto, o Licá, no Estoril, também "vinha para dentro" e "tinha bom remate". Aliás, era uma jogada típica, que o notabilizava. Compará-lo ao Adrián e ao Josué é que não me parece fazer muito sentido: um é 2º avançado, jogador de toque, apoios, remate fácil; o outro é medio-ofensivo, jogador de passe, posse, nitidamente centro-campista.

JON, pode não gostar de estatística aplicada ao futebol, mas não a desvirtue, por favor: em abono da verdade, dos 3 golos referidos do Quaresma, apenas 1 foi de penálti, os outros foram de bola corrida; a título de curiosidade, o do Tello também foi de bola parada, no caso, de livre. Por isso reforço o argumento da finalização: o Quaresma com, quiçá, 1/3 das oportunidades do Tello nos últimos jogos marcou 2 golos de bola corrida, ao passo que o espanhol nenhum. Límpido e transparente como a água.

Miguel Lourenço Pereira disse...

MiguelP,

Tendo em conta que raramente no mercado de Inverno se conseguem grandes negócios a longo prazo e que já sabemos qual a situação economica do clube seria muito dificil pensar em contratar um 6 e um central de escola para os próximos anos nesta janela.

O Hernani é um negócio útil, nada mais. Terá seis meses para fazer pre-epoca para o proximo ano e integrar-se nas ideias do treinador que, tudo indica, ficará sim ou sim. Um jogador "tapa-buracos" agora pode ser caro no futuro se não se enquadra nesse esquema. Está claro que Lopetegui está preparado para quatro meses de Casemiro-Neves (Campaña sim foi um flop) e recuperando Reyes (inscrito na Champions) e utilizando Marcano como substitutos de Maicon-Indi, tem a defesa fechada. A chegada de Hernani permitiu também definir o papel de Ricardo Pereira e agora há, claramente, uma distribuição homogena de jogadores por posição com 3 avançados, 4 GR (inexplicavel o Andrés Fernandez) e duas opções válidas por posto.

O problema esteve no desajuste do Verão - seis chegadas intranscendentes e zero opções de valor para duas posições chave onde se perdeu Fernando e Mangala.

Art Ilusion disse...

Em relação ao ponto 1, alguém tem dados exatos de quanto custou efectivamente Hernâni, para além dos 3 empréstimos?
Desculpem-me a expressão, mas parece que anda tudo a emprenhar pelos olhos...quem fala em 4 milhões é o Rascord e A Bolha...o jogo por ex já só fala em 3 Milhões... O comunicado do FCP a descascar nos 2 pasquins remete-nos para valores possivelmente mais baixos ainda... E quase que me atrevo a admitir que os 3 ficarão época e meia em Guimarães...mas isso é um feeling meu!

Cumprimentos,

André Guimarães

DC disse...

Se os factos são as assistências mostre o número de golos de assistências do Tello e cimpare com a "arma secreta". Ou não dá jeito?
Que factos é que você tem afinal? Parece-me que além de convicções, nenhum.

João disse...

O Braga dispôs de várias situações de golo, o Benfica foi lá duas vezes. E marcou. Primeiro enterro do Danilo, segundo soneca do trinco.

Não vejo a correlação, nem com o eixo da defesa, nem com o Herrera lá na frente. A menos que seja para voltarmos ao ridículo do posicionamento defensivo do Herrera quando o trinco, o central ou o Fabiano perdem a bola 50 metros atrás dele..

João disse...

Luís Vieira, vai ter que rever isso, eu confesso que não era assíduo dos jogos do Estoril mas todos os que tive oportunidade de ver eram com o Licá na frente do tridente, Luís Leal, Gerso ou Carlitos nas alas.

O facto de ele descair nas alas não faz disso posição em campo, como o facto de até desenrascar circunstancialmente essa função no Estoril, não o habilita para o fazer no Porto. Mas Licá não é nem nunca foi extremo. Quando falei em comparar o Hêrnani com o Jousé não era na posição, mas sim como jogador recrutado no campeonato português, para a uma posição e com características que se adequam ao sistema do Porto (como Hêrnani) e que flopou olimpicamente. Isso poderia ser um paralelo. Licá e Ádrian, por outro lado, nunca se adequaram minimamente.vSe quer outro exemplo, de outro jogador que cada vez mais me convenço que ir dar asneirada e da cara, é o Clasie.

Luís Vieira disse...

Caro José Correia, uma vez que se referiu a "factos", "assistências" e "tudo o resto", aqui ficam mais uns dados para análise referentes ao período "Brahimi na CAN":

Ranking de assistências:
Casemiro - 2
Herrera - 1
Óliver - 1
Jackson - 1
Quintero - 1
Evandro - 1
Alex Sandro - 1
Tello - 1

Penáltis conquistados:
Gonçalo Paciência - 2
Quaresma - 1
Jackson - 1

Nota: a assistência do Tello foi a única de bola parada, na sequência de um canto (para o "taconazo" do Jackson).

Conclusões finais: Quaresma - 333 minutos, 3 golos e 1 penálti conquistado ("assistência" para golo do Evandro); Tello - 485 minutos, 1 golo e 1 assistência.

Estes são os números, o resto é conversa fiada.

Luís Vieira disse...

João, também só vi alguns jogos do Estoril, mas em todos eles fiquei com a nítida sensação que o Licá jogava descaído sobre a ala esquerda, com o Luís Leal ao centro. Mais: a imprensa especializada refere-se na sua grande maioria ao Licá como extremo e o próprio assim se considera ("Licá pode ser utilizado em várias posições ofensivas mas não esconde a sua preferência: «Vou estar disponível para a posição que o treinador desejar. Prefiro jogar à esquerda do ataque mas estou completamente à disposição.»", in Maisfutebol). Face ao exposto, reitero que o Licá é mais extremo que avançado-centro e que, por isso, a comparação inicial continua a fazer todo o sentido. O Josué e o Adrián não renderam/estão a render no Porto o esperado por motivos simples: não jogaram/jogam nas posições que lhes eram/são mais caras (o Adrián é 2º avançado para jogar em 4x4x2; o Josué é um número 10, nunca jogador para integrar um duplo-pivot, como o Paulo Fonseca quis - e na ala disfarça, mas não convence, tal qual Quintero).