quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

Roubalheira à distância

Se há algo de característico no Português da Diáspora (ou vulgo emigrante caso preferirem) é o sentimento contraditório de querer ver o seu país melhorar e, ao mesmo tempo, não querer que mude (pelo menos muito). Nada pior do que voltar à terrinha e sentir-se como um peixe fora de água. As referências culturais mudam, ao zeitgeist político é difícil tomar-lhe o pulso, e claro, os amigos crescem, evoluem e um gajo quer voltar a retomar amizades de há 10 ou 15 anos mas as coisas não são tão fáceis assim.


Serve este pequeno preâmbulo para dizer que pelo menos há uma constante no futebol, e essa constante é a impunidade do clube do regime. Não, não me refiro ao regime pré-25 de Abril. O regime é actual, é este. É o regime que desenvergonhadamente permite ao clube do eufemismo amealhar pontos com as ajudas dos árbitros. Não vou estar a enumerá-las jornada a jornada. Isso seria interessante para os mais desatentos há uns 2 ou 3 meses atrás. Agora é por demais evidente que há que manter o clube do regime com uma vantagem confortável.





Se não conseguem ganhar contra 11, não há crise, arranja-se maneira de jogarem contra 10 ou até 9 se for preciso. Se o adversário marca golo e empata o jogo há que anulá-lo. Penalties a favor do adversário? Qual quê! E o jogo contra o Paços é só a excepção que confirma a regra. Vão defrontar um clube complicado? Amarela-se à grande e à francesa na jornada anterior. Os truques são variados mas o que mais espanta é a regularidade das ajudas ao clube do Andor. Eu vejo futebol há 30 e tal anos e nunca vi nada igual.


Sim, o Porto já foi campeão com erros a favor, mas praí em 2 ou 3 jogos por campeonato. Mas nunca foram os únicos beneficiados. Este campeonato da mentira é algo nunca antes visto. É mais que evidente que o campo inclinado a favor do Benfica é essencial para que sejam campeões. Mesmo com 10, 11 ou 12 jogos (já nem sei) com casos polémicos a beneficiá-los, chegamos à 23ª jornada em que caso o líder tivesse perdido o jogo no Dragão e estaria em segundo lugar.

Posso estar longe mas se cheira mal é porque é merda de certeza.


9 comentários:

meirelesportuense disse...

Já repararam que os árbitros, agora, para além do equipamento levam também Apitos Encarnados?...É a definição cromática absoluta dos seus mais genuínos ímpetos clubísticos!
Imaginem que apitavam assim sem complexos de apito Azul ou apito Verde? -O que diriam o Rui Santos Brilhantina, o Rui Gomos da Selva, ou o MetroSexual da Zona Chique de Cascais?

meirelesportuense disse...

Pelo que se sabe e circula no Record, o André Simões, jogador do Moreirense expulso contra o Benfica, é um confesso adepto do Porto...Se calhar o árbitro expulsou-o porque sabia disso e o André também sabia que o árbitro é adepto Benfiquista e talvez lho tivesse dito assim após o canto que não era canto e deu golo com placagem ao defesa central do Moreirense:
-Vê-se bem que és Benfiquista!...Zás, foi imediatamente expulso!
À passagem, o árbitro disse-lhe ainda, para a próxima vais ser Irradiado!...
Os benfiquistas ficaram muito xamuscados pelo facto do André ser Portista, mas nada aborrecidos pelo "senhor" de vermelho ser Benfiquista, o Mundo para eles é de uma só cor!
Soube por amigos que moram em Lisboa, que o panteão Nacional -Santa Engrácia- já está a ficar côr de Rosa! -Dizem que é das Trutas, dos Golfinhos e dos Sáveis, através da humidade que chega lá mais acima, mas eu acho que é do Eusébio.

meirelesportuense disse...

Só não percebo muito bem, como isso é possível...Ele foi sepultado com um fato escuro! Será das flores?

Carrela disse...

não são 10, nem 11, nem 12... são 14 jogos com erros graves a seu favor!

Quid disse...

Meu caro,

Muito bom texto. Chapeau. Permita só duas coisinhas:

"E o jogo contra o Paços é só a excepção que confirma a regra."

Não, o jogo com o Paços não foi excepção, pelo contrario. Em Paços foi mais do mesmo. Foi mais uma roubalheira às claras. Em Paços, Bruno Paixão Encornada apressou-se, foi pressuroso a inventar 1 penalti que felizmente Lima falhou. Em Paços, Bruno Paixão Assolapada viu e não quis apitar penalti contra o clube do seu coração. Só que foi obrigado a marcar pelos interfones. Porque por ele, por sua vontade própria, jamais marcaria penalti. Assim que, em Paços não foi excepção. Au contraire.

Estamos na 22ª Jornada, o FCP tem o melhor ataque, a melhor defesa, tem o melhor futebol. E, mesmo sem os favores da Arbitragem aos outros, nós estaríamos agora isolados em 1º lugar se tivéssemos ganho ao Boavista em casa e ao Estoril fora.. E já nem falo da derrota na Madeira.

Do jogo com as Gayvotas no Dragão, nem falo, pois todos, todos vimos que em 10 jogos iguais, venceríamos, ganharíamos sempre 9 de goleada!!!

Agora, no entanto não vale a pena chorar sobre o leite derramado. Só temos que ter calma. Eles já estão a tremer. Eles sabem bem que no Pombal, não vão ter futebol para nós. E por isso só temos que ter calma e ganhar os próximos jogos. Somos melhores e no fim, em Maio iremos festejar o 4º Título dos últimos 5 anos.

Que ninguém tenha dúvidas.

5 anos - 4 Títulos!!!!


DA disse...

O artista tiago martins (q já mereceu destaque aqui na reflexão portista) voltou a mostrar a sua simpatia pelo nosso clube: 3 expulsões na equipa b, hoje, no jogo com o oriental.

Carlos disse...

A equipa B terminou o jogo com 8 !

Louro disse...

O Sr Tiago Martins (arbitro) é mais um produto made in Lisboa que esta tarde expulsou 3 jogadores da equipa B do FC Porto frente ao Oriental (0-3).
Foi o mesmo que mostrou um amarelo ao Jackson por simulação num jogo frente á AC Coimbra para a taça da Liga em lance de penalti indiscutível...Esta é a nova geração de árbitros preparados para servir o sistema. E chega a internacional com apenas 3 jogos disputados na 1ª liga, assim sem mais nem menos...

meirelesportuense disse...

O exemplo acabidinho de como os árbitros funcionavam para o Porto há 22 anos atrás está na gravação de um jogo da época de 1993/94, Dezembro de 1993, Estádio do Bessa, com o Boavista orientado pelo Manel José de Olhão a sair de uma fase de três derrotas seguidas!...Em pleno cenário de hoje para pior, o árbitro Jorge Coroado deixou(?) que o jogo seguisse rumo à pancadaria desenfreada com evidente prejuizo para o Porto.Com menos de metade das faltas cometidas o Porto viu serem expulsos de forma quase contínua -porque se aguentava bem- três jogadores seus por faltinhas de merda considerando aquilo que foi o desenrolar da partida...Valeu tudo, o Domingos que acabou por entrar a substituir o Kostadinov -este marcou um golo e ficou a muito pouco de marcar outros dois, com a bola a ficar presa na lama- passou o resto do tempo a ser agarrado e traçado pelos defesas Boavisteiros...No meio campo foi uma festa! O campo era um autêntico batatal.
-Quem ganhou esse Campeonato? -Adivinharam(!), o Benfica que nem dinheiro tinha para pagar aos seus jogadores que o ameaçavam de poderem sair a qualquer momento!
Vejam e relembrem, RTP Memória, este Domingo que passou!...Está lá tudo muito bem explicado. O Porto mesmo assim não perdeu, empatou, num jogo que durou mais de 96 minutos! Manuel José, Ivic, Jorge Coroado, provocações de funcionários Boavisteiros directamente ao banco do Porto onde estava PCosta e Reinaldo Teles...Enfim, um festival do apito do senhor Honesto da Silva! Ele ficou preocupado foi quando a massa adepta do Porto esteve quase a entrar em campo, mandou chamar reforço policial. O Benfica ganhou o Campeonato com dois pontos de avanço.Jogava lá o menino de oiro -deles, do Boavista e do Benfica!