segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

ROUBOS e MEDO

No final do Moreirense x SL Andor, João Pedro, autor do golo da equipa de Moreira de Cónegos, em declarações à Sport TV, desabafou e disse aquilo que todos viram (mesmo aqueles que fingem o contrário):

É de realçar o trabalho da equipa de Moreirense. Fizemos um excelente jogo e ficou à vista que não nos deixaram fazer mais.


[está a falar da expulsão do André Simões?] Estou a falar, antes de mais, do primeiro golo. Nem canto é, e depois há falta clara sobre o André Simões. E depois foi o que se viu.
[sobre a expulsão de André Simões] Não sei o que aconteceu, mas se fosse ao contrário se calhar não era nada.
O Moreirense, tanto na primeira volta [no estádio da Luz] como agora, esteve na frente do marcador. Onze contra onze já é difícil e dez contra onze ainda mais. E só assim é que o Benfica ganhou.


Se os jogadores do Moreirense não tiveram pejo em dizer o que lhes ia na alma, o mesmo não fez o seu treinador. De facto, na conferência de imprensa, embora respondendo às perguntas dos jornalistas e comentando, quase a contragosto, algumas das decisões polémicas do árbitro Jorge Ferreira (vamos chamar “decisões polémicas” ao colinho dado ao SL Andor), Miguel Leal foi muito cordato e prudente na forma como falou da arbitragem.

Entrei em campo para segurar os meus jogadores. Não falei nada com o árbitro. Só queria acalmar os meus atletas. Sei que vou ter jogos do meu campeonato e vi alguma tensão e tentei evitar mais alguma expulsão. Já estamos fragilizados.


Não vou falar da arbitragem. É verdade que o jogo foi decidido no primeiro golo [do Benfica] que não era canto e era amarelo para o jogador. Mas não vou entrar por aí. A minha preocupação foi sempre acalmar os meus jogadores. Aqui, o bom senso tem que imperar por parte do árbitro. Devia perceber o momento que estava a acontecer e as intenções das pessoas. (…)
[sobre a expulsão de André Simões] Ele de facto disse qualquer coisa ao árbitro mas o que ele disse quase todos os jogadores dizem. É preciso avaliar as situações. Ele não falou com o árbitro. Teve um desabafo. Tenho a certeza que noutras situações os jogadores do Benfica também o fizeram.


Já não é a primeira vez que, após serem espoliados de pontos por arbitragens “habilidosas”, vemos os treinadores das equipas adversárias do SL Andor a não reagirem, ou então a fazê-lo de uma forma muito contida, quase a pedirem desculpa por o estarem a fazer.

Miguel Leal (Moreirense), Bruno Ribeiro (Vitória Setúbal), José Mota (Gil Vicente), Manuel Machado (Nacional), José Couceiro (Estoril) e Petit (Boavista), são exemplos, que me lembro, de treinadores que reagiram a medo, falando baixinho, de modo a evitar que, quer os árbitros, quer o clube do regime, ficassem zangados por eles usarem o direito à indignação e darem voz a justos protestos.

E MEDO é a palavra certa porque, sendo treinadores de equipas pequenas, precisam de estar nas boas graças do novo “Papa” (é Bruno de Carvalho quem o diz) e, principalmente, porque não querem ficar na lista negra da classe dos associados da APAF.

Aliás, o MEDO de dizer a verdade, denunciar a ROUBALHEIRA e chamar “os bois pelos nomes”, não afecta apenas treinadores de equipas pequenas. Basta ver a forma titubeante como reagem os comentadores da SportTv aos lances polémicos que envolvem o SL Andor, ou mesmo alguns ex-árbitros, que não querem perder o “tacho” de comentadores de arbitragens nas televisões do regime.

Tribunal de O JOGO referente ao Moreirense x SL Benfica

Toda a gente vê, toda a gente sabe mas, no final do campeonato, não faltarão desavergonhados a tecerem loas ao título conquistado pelo SL Andor, mesmo sabendo que é o título mais fraudulento desde que todos os jogos passaram a ser transmitidos pela televisão.

10 comentários:

Fu-Leng's Garage disse...

Parece que está dificil o slbê perder pontos - após mais uma arbitragem escandalosa está à vista de todos que têm que ser campeões custe o que custar e la fora sem colinho vê-se o que jogam... nada!
Ao FCP cabe ter que ganhar tudo até ao fim. E esperar que os "outros" escorreguem com o Braga (o que faria com que ficássemos a 1 ou 2 pontos, isto se ganharmos tudo até ao derradeiro jogo). Era lindo ir à luz, ganhar com um lance polémico, embalar para ser campeão e ouvi-los chorar mais uma vez que 1 árbitro lhe roubou o campeonato! Era a cereja no topo do bolo :)
Mas para isso temos que ganhar tudo! não podemos vacilar.

Luís Vieira disse...

A reacção contida dos treinadores referidos não me espanta. Espanta-me é a inércia do FCP - isso, sim, não faz sentido nenhum e merece ser denunciado. Não é o Porto que eu conheci: guerreiro, indomável e histriónico. Temos uma versão mansa, silenciosa, conivente, que custa suportar, mais do que os constantes roubos deste campeonato. Os dirigentes (também) estão lá para a defesa intransigente do clube, por todos os meios. E não vai lá com graçolas ou sound bites. É preciso discursos fortes e incisivos. Conferências de imprensa e exposições aos mais variados organismos. Que saudades das respostas suicidárias a ameaças de bomba no pavilhão...Agora, perante os ROUBOS, parece que temos MEDO. O "novo Papa" tem comido de cebolada o predecessor. Triste, muito triste.

imbictopoema disse...

O Leal é bom homem.
Mas quando quatro na Luz levou,
Estranho sorriso esboçou,
Para que dúvidas não sobrem.

Preocupai-vos antes com as redes,
Pois se fraco ou comprado tendes,
Golos vedes...

Http://imbictopoema.wordpress.com

José Correia disse...

«Ao FCP cabe ter que ganhar tudo até ao fim. E esperar que os "outros" escorreguem com o Braga (o que faria com que ficássemos a 1 ou 2 pontos, isto se ganharmos tudo até ao derradeiro jogo).»

Como é evidente, um dos objectivos do colinho é a manutenção de uma margem de segurança, que dê tranquilidade a quem vai à frente (o SL Andor) e funcione como factor de grande pressão a quem vai atrás (FC Porto) e que, por via dessa (des)vantagem ilegítima, está proibido de ter qualquer deslize.

José Correia disse...

Luís Vieira disse:
"É preciso discursos fortes e incisivos. Conferências de imprensa e exposições aos mais variados organismos."

Sem querer desvalorizar os "discursos fortes", as "conferências de imprensa" ou as "exposições aos mais variados organismos", penso que aquilo que é necessário, eu diria mesmo indispensável, é haver um reequilíbrio de forças nos bastidores do futebol português, particularmente no "delicado" sector da arbitragem.

Nesta altura, penso que ninguém terá dúvidas, que o SL Andor domina a seu belo prazer e de uma forma esmagadora.

José Correia disse...

Facto: Com quase 1 hora de jogo, o SL Andor estava a perder e, em jogo jogado, não se via maneira de marcar, quanto mais de dar a volta ao resultado nos últimos 30 minutos.

Facto: No 1º golo do SL Andor, não estamos a falar de um mero “canto mal assinalado”. Estamos a falar de uma decisão, em que a arbitragem inverte, a 180 graus, o que devia ter feito: em vez de punir o Salvio com um cartão amarelo (por simulação), dando um sinal claro aos jogadores do SL Andor para não irem por esse caminho, assinalou um canto contra o Moreirense, quando é mais do que notório que o jogador do Moreirense está longe de sequer tocar na bola.

Facto: No ‘Tribunal de O JOGO’, Jorge Coroado chama à atenção para uma situação que tenho visto pouco comentada. No canto há um bloqueio objectivo sobre André Simões, impedindo-o de disputar a bola (daí a facilidade com que Luisão aparece sozinho a cabecear).

Facto: André Simões é precisamente o jogador do Moreirense que, passados 2 minutos, seria expulso (com um cartão vermelho directo!) por protestar com o árbitro.

RS disse...

Durante o almoço estive a ver o programa "Trio d'Ataque" de ontem. Já aqui se criticou por diversas vezes a atitude passiva e subserviente dos comentadores/colunistas afectos ao FCP nos vários meios de comunicação social. Desta feita, parece-me justo deixar uma palavra de elogio ao Miguel Guedes que ontem soube chamar os bois pelos nomes, referindo também o silêncio ensurdecedor da SAD portista em relação a toda esta escandaleira.
Momento alto do programa: João "Goebbels" defende-se da "tese do colinho ao slb" com um lance de penalty pretensamente mal assinalado num... Leixões - FC Porto B...

Hélder disse...

Já o treinador do V Setúbal, depois de escandalosamente roubado pelo Carnide por 2 vezes consecutivas, calou-se bem caladinho... E assim continua o andor...

Luís Vieira disse...

Certo, mas estou a falar da face visível do problema, que, agora, é absolutamente negligenciada (excepção feita ao Bernardino Barros, que mais não é do que um jornalista, pasme-se). Lembro-me, em tempos, de uma conferência de imprensa com a presença do Pinto da Costa e do Antero Henrique, na qual se denunciava as más arbitragens e os casos que nos desfavoreciam. Nessa altura, até se falou em passagem de testemunho, mestre-aprendiz. Prefiro isso, do que nada. É burburinho necessário, sério, não jocoso. Mostra indignação e actividade, também intimida, pugna pelo respeito. A omissão e a displicência não trazem nada de bom. Quanto às manobras de bastidores, não consigo observá-las e não posso, por isso, fazer um juízo informado. De preferência, quero um futebol limpo, transparante, equidistante. Se não for possível, também não quero ser tomado por lorpa. Das duas, uma: ou se denuncia activamente ou se combate com as mesmas armas.

Mancini disse...

Caros Portistas,

Até aqui "a frio" o Pedro Henriques sempre fiel às suas cores.

Imaginem no campo.

Cumprimentos.