quinta-feira, 5 de fevereiro de 2015

Tielemans e Praet, jogada de génio

O jornal italiano Tuttosport avança hoje a notícia que dois dos jovens mais cobiçados do futebol europeu estão atados ao FC Porto por um direito de preferência. Trata-se dos belgas Yuri Tielemans e Dennis Praet citando fontes dos belgas Sudpress. E tudo graças ao negócio Rolando.

Tielemans e Praet são jogadores da "cantera" do Anderlecht. Duas das maiores promessas do futebol belga, um país que tem actualmente uma das três canteras mais fortes da Europa (a par da espanhola e alemã) e um sem fim de talentos a surgir como cogumelos e que prometem dar que falar. Praet e Tielemans pertencem a esse grupo. São internacionais pelas categorias de formação, têm já bastantes minutos nas pernas na Jupiler League belga e no passado defeso foram alvo da cobiça de vários emblemas europeus. Praet, mais velho (tem 20 anos pelos 17 de Tielemans), recebeu inclusive ofertas de clubes como o Atlético de Madrid, Internazionale e AS Roma. O Manchester City e o Tottenham Hotspurs, por sua vez, fizeram propostas por Tielemans. O clube belga não vendeu nenhum dos dois jogadores dando a entender que esperaria sacar o máximo possível do seu rendimento até surgir uma proposta irresistível. Afinal são duas das suas maiores promessas em largos anos.



E aqui entra na equação Rolando.
O central há muito que era um jogador marcado e descartado. Não deu má conta de si em Itália mas no Porto seria difícil voltar a vê-lo a jogar tal foi a forma como as suas relações (e as do seu agente) chocaram com alguns membros da direcção (que não o Presidente). Sem ter sido colocado no mercado em Agosto, o central que brilhou ás ordens de AVB ficou sem ficha e a treinar sozinho. Encontrar uma solução era urgente e necessária e de um descarte o FC Porto conseguiu milagrosamente, segundo o jornal italiano, um negócio de ouro. Rolando foi emprestado ao Anderlecth que estava interessado também no empréstimo de Reyes que Lopetegui acabou por vetar. No final da época estará livre e poderá assinar pelo clube belga de forma definitiva. Ao mesmo tempo o Anderlecth assinou com o Porto um acordo de cavalheiros em que temos o direito preferencial sobre as duas jovens promessas do clube. Se o Anderlecht receber uma oferta por ambos, temos a possibilidade de a igualar e caso assim seja os jogadores são nossos. Isso não significa que terminemos por avançar para a aquisição de qualquer um dos dois, evidentemente, mas ter voto na decisão do futuro de duas das maiores promessas da sua respectiva faixa etária da Europa num negócio que envolvia colocar um descartado não deixa de ser uma jogada de génio.

Para os que menos conhecem o futebol belga basta resumir que Praet é um extremo esquerdo que pode também jogar atrás do ponta de lança e que já conta com mais de meia centena de jogos na liga belga e uma internacionalização sénior com os 20 anos recém-cumpridos. Já Tielemans, 17 anos, é um médio defensivo de fino recorte, boa leitura de jogo e que já está referenciado como um dos cinco melhores da Europa na sua posição entre os menores de 19 anos. Ambos encaixam no perfil do treinador, jogadores jovens de grande potencial futuro, e nas recentes aquisições do clube. Outro detalhe que é importante. Praet ocupa a posição de Christian Tello. Tielemans, por sua vez, a de Casemiro. Podemos estar diante da substituição de dois jogadores cuja prolongação do empréstimo é ainda um ponto de interrogação.



28 comentários:

José Rodrigues disse...

Os "direitos de preferencia" nao valem quase nada.

Primeiro porque nada impede clubes mais ricos de oferecer um euro a mais do q a nossa melhor oferta.

Mas acima de tudo porque o jogador naturalmente tem uma palavra inultrapassável no seu destino, e se preferir ir para outro clube com mais nome nao nos adianta de nada oferecer o mesmo (ou até mais) pelo passe do q os outros.

Miguel Lourenço Pereira disse...

É verdade Zé, sem dúvida.

Se o City ou a Juventus colocarem 20 milhões na mesa ao Anderlecht não acredito que entremos no jogo. O que sim pode passar é que neste defeso nós coloquemos o dinheiro na mesa forçando outros clubes a mover-se se os quiserem de verdade. De qualquer forma é extraordinário que para colocar um descartado o FC Porto tenha conseguido um direito de preferência sobre duas das maiores jovens promessas do futebol europeu. E aqui acredito que o nosso perfil não seria nada mau para os jogadores, especialmente com a exposição garantida na Champions e o passado recente de Mangala e Defour!

Ricado disse...

a unica forma que vejo de um dos miudos belgas virem para o porto, é se o luciano d'onofrio que é quem negociou o rolando, ser agente dos miudos e tiver ficado prometido que eles venham para o porto, de outra forma, se o porto concorrer com algum dos tubaroes da europa e se esse clube estiver determinado a contratar um dos 2, é muito dificil que algum deles possa vir, se eles realmente vierem para o porto, excelente!

Ernesto disse...

Quem tem direito de preferência é o último proponente, logo se alguém faz uma proposta de compra e posteriormente a altera num euro, isso equivale a nova proposta que o preferente pode sempre igualar. Vale o que vale, atendendo aos valores possíveis em cima da mesa, no entanto é disso que se trata, direito de preferência e não promessa de compra e venda.

Hugo Valente disse...

Podemos nao ter capacidade de lutar contra as equipas TOP. Mas estaremos à frente de todas as outras (alguma vez o sporting, benfica, monaco, fiorentina vao negociar um jogador sabendo que o porto pode igualar a sua proposta e leva-lo?).
De qq forma, nao se trata de um clube rico oferecer 1 euro mais que nos... trata-se de o Anderlecht acordar uma verba com um qq clube (e.g 10M€) e fechado o acordo perguntar ao FCP se quer igualar a oferta. Caso igualemos, nao ha nova ronda para o clube rico.
Obvio, estamos nas maos dos miudos aceitarem contrato conosco (penso que se forem espertos, aceitam... :) ).
Assim, penso que o negocio esta controlado desde que o valor de mercado destes dois nao suba demasiado (para la dos 15M€). O que for abaixo disso, o FCP pode caso queira igualar e ficar com eles...

Franco Baresi disse...

"nada impede clubes mais ricos de oferecer um euro a mais do q a nossa melhor oferta" - ??? - nesse caso bastaria ao FCP aumentar a sua oferta em 1 euro - porque tem direito de preferência...

João disse...

Não conheço, do que vi por aí de vídeos, acho o Tielemans mais interessante. Espero é que essas ideias pioneiras do #6 bom de bola, visionário e fintalhão tenham secado esta época e a vir, venha para #8.

Só acho que putos belgas, habituais titulares do Anderlecht é capaz de ser areia a mais para nós.

Miguel Teixeira disse...

Tielemans ou Praet no FC Porto é bom demais para podermos acreditar. A ser concretizado é de facto uma jogada de mestre do nosso clube mas ainda assim, receio que também possa aqui existir alguma contra-informação para justificar a saída de um jogador que ainda há bem pouco tempo fez chegar ao Porto algumas ofertas bem interessantes por um activo que não "exercia" actividade.

Muita coisa nebulosa por explicar mas espero que a SAD tenha dado a volta por cima e este direito de preferência com a vinda efectiva de um dos dois jogadores seria sem dúvida merecedora de aplausos.

Desportivamente, Praet pode jogar de facto na posição de Tello mas não tem características de um extremo clássico que vai à linha de fundo para cruzar. É mais um interior que gosta de fazer a assistência para golo, normalmente em passe curto entre linhas, ou rematar à baliza. Joga e remata com os dois pés. Pode facilmente fazer a posição de Oliver.

Tielemans, na minha opinião, dificilmente será um trinco numa equipa como o FC Porto. É demasiado leve para essa função. Para mim será sempre um 8 tradicional mas que não se desdobra tanto como Herrera. É no entanto infinitamente melhor no remate, no passe e na visão de jogo sem bola do que o Mexicano. Tem MUITO mais classe mas é MUITO menos determinado.

Em suma, acreditando que o Pai Natal existe, imaginar um meio campo com Ruben Neves, Tielemans e Oliver é o sonho de qualquer apaixonado pelo futebol de puro recorte técnico. Um meio campo que poderá ser sem grandes margens para ilusões, o miolo de qualquer tubarão europeu no Mundial de 2018. Se nós formos essa incubadora durante 2-3 anos, tanto melhor.

José Correia disse...

"a unica forma que vejo de um dos miudos belgas virem para o porto, é se o luciano d'onofrio que é quem negociou o rolando, ser agente dos miudos e tiver ficado prometido que eles venham para o porto"

Ora bem, penso que este aspecto - agente dos jogadores - será um dado absolutamente fundamental nesta equação.

José Correia disse...

«No final da época [Rolando] estará livre e poderá assinar pelo clube belga de forma definitiva»

Penso que Rolando tem contrato com o FC Porto até Junho de 2016.

José Rodrigues disse...

Já agora assinalo q os jogadores podem assinar um novo contrato com quem quiserem 6 meses antes de terminar o contrato. Nao é no fim do contrato.

Ou seja, presumo q no caso do Rolando nao termina este Verão caso contrario podia assinar já por um novo clube.

José Rodrigues disse...

Naturalmente q o "um euro" é reduzir isto ao absurdo, mas o ponto é q desde q eles estejam dispostos a oferecer mais do q o nosso máximo, chega.

Mas nao se esqueçam do q disse sobre a oferta de salário e luvas ao jogador. O pessoal muitas vezes fala como se eles fossem mercadoria e nao tivessem direito de veto.

JON disse...

Kroos, Busquets, Lahm, Redondo, Paulo Sousas, etc não prestam. Temos é de ter lá um caceteiro como o nabo (e caro) Casemiro, que bate em tudo e não faz um passe que interesse ao menino Jesus. Isto quando acerta passes, porque muitas vezes até espeta com a bola no adversário.

O Rúben nunca há-de ser um bom 8... Acho que Julen já percebeu isso e é a 6 que ele há-de ser grande, dêem-lhe hipótese e ensinamentos. E não precisa de ser um touro de porrada para estar à frente do jogo todo...

Miguel Lourenço Pereira disse...

Correcto Zé, a partir de Janeiro de 2016 que o Rolando pode assinar como jogador livre (a entrar em efeito em Julho 2016). Provavelmente isso pode significar que exista já um pre-acordo de compra por parte do Anderlecht do Rolando se ele estiver á altura o que explicaria melhor este "bónus" do direito preferencial.

Miguel Lourenço Pereira disse...

Não acredito num meio-campo titular em que a média de idades ronde os 18 anos. Mas são 3 jogadores de um potencial tremendo e que num plantel podem caber. O Tielemans tem de trabalhar o trabalho de "vassoura" mas com bola, a sair a jogar, está acima do que pode oferecer o Casemiro. Já o Praet tem menos velocidade que o Tello mas muito mais acutilância e jogo interior o que para este sistema faz muito mais sentido.

Miguel Lourenço Pereira disse...

Com o Fair Play financeiro os clubes grandes medem muito mais o investimento que fazem. O Chelsea é o melhor exemplo e salvo projectos gastadores por natureza que se fixam mais em "estrelas", hoje em dia o panorama dos menores de 21 anos é disputado de forma cada vez mais clara pelos Roma, Inter, Lyon, Valencia, Sevilla, Atletico, Porto, Benfica, Dortmund ou Leverkusen. É esse o patamar onde devemos estar. Tendo em conta que nenhum dos dois, por muito bons que sejam e venham a ser, tem CV para ser directamente atraido por um tubarão que tem de quadrar as contas muito bem (vide caso do City ou United, por exemplo) não é descabelada a ideia de, tal como passou com Mangala, os jogadores utilizarem o FCP como ante-sala para o salto. Sabem que é algo que tem funcionado!

Miguel Lourenço Pereira disse...

Sem duvida que a nossa influência na Belgica está extremamente associado ao Luciano D´Onofrio. Não nos podemos também esquecer que neste Verão já tratamos directamente com o Anderlecth no caso Defour e que os belgas estiveram várias vezes no Porto em Dezembro e Janeiro a tantear a possibilidade de ter o empréstimo de Reyes. Portanto parece que há uma excelente relação entre ambos clubes. Isso também será importante na hora de "pressionar" os jogadores a aceitarem a oferta como passa habitualmente.

Joao Goncalves disse...

O que devemos reter desta abordagem aos dois belgas é que o FCP está a preparar-se para os ataques que irá sofrer neste defeso que se aproxima.

Imaginando que Brahimi e Herrera (e Quintero?) podem ser assediados e sair, estes poderiam ser os seus substitutos.

Contudo penso que todos os esforços, deveriam ser em manter o Óliver por cá antes de pensar nas alternativas.

Sabendo inclusivé que temos que reduzir a carga salarial, acredito que as saídas de Casemiro, Jackson, Danilo ou Alex Sandro e Brahimi, devem ser reais e a essas espero que a de Adrian também seja uma realidade efectiva.

Indi e Herrera devem receber algumas ofertas neste defeso também e a SAD neste contexto está-se a preparar.

Sérgio Oliveira, André André, Tielemans e Praet podem fazer parte do novo FCP dependendo das saídas que iremos ter.

Penso/espero que o Ruben e o Aboubakar passem ganhem a titularidade com as saída de Jackson e Casemiro e que as opções sejam Campanã (provavelmente baratinho) e Gonçalo e assim não exista necessidade de mais compras nesses sectores.

A ver vamos...

Luís Vieira disse...

De acordo JON, mas o Casemiro pré-lesão acertou bastantes passes (especialmente longos, até me impressionou pelo acerto) e não era um mero "caceteiro". A partir daí parece que desaprendeu de jogar e até a bola lhe tem feito confusão. Com o avançar da época (salvo inversão radical), percebe-se que o Casemiro é um erro de casting como 6, por isso gostava de vê-lo na posição em que se sente mais confortável para tirar uma ilação definitiva da sua valia como jogador. O Rúben é bom de bola e é o futuro médio mais defensivo do tridente (não fora o estatuto "Real" do Casemiro e seria já no presente), na linha dos nomes que referiu. O próprio Campaña mostrou qualidades e gostava de vê-lo em testes mais exigentes. O Tielemans encaixa no género e também entusiasma, mas "nem tanto ao mar, nem tanto à terra", porque o Fernando não era nenhum prodigío da técnica e foi o 6 mais competente que tivemos desde o Costinha - outro "limitado tecnicamente".

Miguel Lourenço Pereira disse...

"Sérgio Oliveira, André André, Tielemans e Praet podem fazer parte do novo FCP dependendo das saídas que iremos ter."

Só a expressão "o novo FCP" oito meses depois do "novo FCP de Lopetegui" que por sua vez chegou 12 meses depois do "novo FCP" pos VP/AVB diz muito do desnorte deste Porto que parece todos os anos passar por uma renovação abrupta. Seguramente algo não está bem!

Joao Goncalves disse...

Que eu saiba todos os anos é um novo FCP... basta para isso que saiam 2 jogadores do 11 e entrem outros outros 2 que a equipa tem uma renovação de 18% aproximadamente portanto um novo FCP...

Chega de dizer mal sff

Joe disse...

Miguel, a questão fundamental é que o modelo de negócios do Porto (défices cobertos por mais valias de venda de jogadores) está esgotado. Sempre foi um modelo de negócios de risco (cobrir custos certos com proveitos incertos): O caminho trilhado nos últimos anos (crescimento acelerado de custos por um lado e menores mais valias para SAD na venda de jogadores) abreviou claramente o seu fim.

Resultados antes de mais valias de jogadores:

2007/2008: -27 M
2008/2009: -31 M
2009/2010: -35 M
2010/2011: -46 M
2011/2012: -65 M
2012/2013: -55 M
2013/2014: 63 M

Em 6 anos o Porto passou de realizar mais-valias na ordem dos 27 M para mais-valias de 63 M (mais do dobro). E repare que estou a falar de mais valias e não valores de venda. Este é um caminho insustentável

O caminho tem de ser rapidamente invertido e passa decréscimo acentuado da estrutura de custos. Em 2007/2008 o Porto gastou de FSE 17 M. Em 2013/2014 42 M. Mais 25 M. Em Despesas com Pessoal gastou em 2007/2008 39 M. Em 2013/20014 49 M. Mais 10 milhões. Em 2007/208 o valor registado nas Amortizações foi de 20 milhões. Em 2013/14 foi de 27 M. Mais 7 M.

Repara que só nestas 3 rubricas (FSE, DP, Amortizações) em 6 anos o acréscimo foi de 25+10+7=42 M

Qual a solução? Fazer o que o Sporting tem vindo a fazer. Downsizing. E que o Benfica mais tarde ou mais cedo também terá que fazer (porque tem um modelo degócios semelhent ao do Prto (até na dimensão dos défices que tem que cobrir com a venda de jogadores).

Apostar num scouting que assegure que cheguem ao clubes jogadores a um custo mais baixo e que quando vendidos libertem mais valias superiores. Apreveitar de uma outra forma os jogadores vindos de formação.

Estes 2 vertentes permitirão baixar os FSE (vide menores comissões de interemediação), menores DP (redução dos salários menos pagos) e menores amortizações.

A implementação de uma estratégia deste tipo bvai reduzir o sucesso desportivo? Embora não seja certo que tal aconteça, provavelmente isso vai acontecer. Mas não há volta a dar.

Ter que realizar todos os anos mais-valias superiores a 50 M de euros é que não é solução.

Cumprimentos

Joe

Joe disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
João disse...

Ah agora não me faz um passe que interessa ao menino Jesus. Obrigadinho. Mas quando chegou foi segundo o tal paradigma "tipo Fernando, mas com dois pés em vez de dois chumbos" - Clasie, Darder, não preciso de me alongar mais, certo? - por mim continuem, é a dar com a cabeça na parede que se aprende. Eu não tenho a mínima dúvida que metade das faltas que o Casemiro faz são por ser cepo, mas também tenho a certeza que com o Rúben Neves lá esses lances eram todos Via Verde até à nossa defesa (vide Alvalade). E não partiram o molde de certeza, quando fizeram o Fernando.

Miguel Lourenço Pereira disse...

Dizer que todos os anos é um clube novo quando saem 2 titulares não faz qualquer sentido. Isso sucede com 90% dos clubes do Mundo.

Estamos a falar de 3 anos com mais de 10 mexidas ao ano. Isso é "Um novo FCP" e tem sido ciclico. Comparar as duas coisas é ridiculo!

Joao Goncalves disse...

Tem sido cicilico pelo modelo de negócio de andar à procura de perolas e não por causa da estrutura da equipa e misturar as duas coisas é reidiculo.

A estrutura da equipa titular varia sempre entre 2-5 jogadores por necessidade de negócio e enquanto esse modelo se mantiver e estivermos num pais em que as receitas de TV nem para pagar metade dos ordenados dão, então vai continuar a ser assim.

A lei Bosman criou este problema que o Porto resolveu com este modelo de negócio e é assim que consegue ser competitivo no exterior.

Miguel Teixeira disse...

Eu também não acredito nisso numa equipa com as responsabilidades do FC Porto.

Nightwish disse...

"A lei Bosman criou este problema que o Porto resolveu com este modelo de negócio e é assim que consegue ser competitivo no exterior."

Antes da lei Bosman ninguém se sentia ameaçado nem pelas equipas portuguesas, nem pela seleção (treinada maioritariamente por treinadores limitados, de resto), e raros eram os jogadores que tinham sucesso no estrangeiro.