quinta-feira, 12 de março de 2015

A histeria de Conceição


O treinador do Braga, Sérgio Conceição, após nova derrota com o FC Porto, voltou a queixar-se da arbitragem e a referir-se a penalties que ficaram por marcar a favor do Braga.

Na primeira volta, em 5 de Outubro de 2014, o FC Porto venceu o Braga por 2-1 no Estádio do Dragão, num jogo apitado por Pedro Proença. No final do jogo Sérgio Conceição disse na conferência de imprensa que sabia que era difícil a um árbitro marcar um penalty contra o FC Porto nos últimos minutos. E disse que o sabia com conhecimento de causa, por ter jogado muitos anos neste clube. Deveria ter explicado melhor o que queria dizer. E deveria, principalmente, ter tido vergonha na cara. Ele que sofreu na pele um penalty marcado pelo árbitro António Rola, numa suposta falta sua, no último minuto de um Estrela Amadora 2 x 2 FC Porto que gerou grande polémica. Conceição terá preferido ir pelo caminho que é mais apreciado à imprensa portuguesa, que normalmente amplifica e dá grande antena aos queixumes que possam prejudicar a imagem do FC Porto. 

Curiosamente o lance dividido entre Martins Indi e Pedro Santos de que se queixou Conceição não é penalty nenhum. O bracarense sente a presença e o contacto de Indi e deixa-se cair com estrondo. O desespero dos medíocres que se atiram para o chão na esperança de conseguirem um golo fácil. O lance está neste resumo e poderá ser visto e ajuizado por todos:
Agora, na segunda volta, o FC Porto foi a Braga vencer por 1-0 num jogo em que "secou" totalmente a equipa de Sérgio Conceição e este volta a queixar-se de penalties por marcar a seu favor. Levou um banho de bola e, em vez de ter a humildade de reconhecer a justeza da vitória portista, acaba por se agarrar a lances ridículos. Fala, mais uma vez, para uma audiência que aprecia os seus dislates. O lance em questão não é penalty. Pardo sente a presença e o contacto de Alex Sandro para fazer um mergulho para a piscina, esperando a ajuda do árbitro para obter um golo fácil. Não deixa de ser um belo mergulho, mas é um movimento para ser apreciado em disciplina distinta. O lance pode ser revisto e apreciado aqui:

SAPO Vídeos

No Tribunal de OJOGO, composto por 3 ex-árbitros, 2 deles consideraram que não existe qualquer falta e Jorge Coroado, mesmo considerando que seria penalty, afirma que “o teatro do bracarense quando caiu acabou por induzir o árbitro em erro”. Palavras para quê?

É lamentável que um homem que fez parte muito significativa da sua formação no clube, contra este venha levantar suspeitas, como o fez na primeira volta, e se aproveite de lances ridículos para os transformar em supostos benefícios para o FC Porto, como o fez em ambos os embates para o campeonato nesta época.
   

3 comentários:

Miguel Lima disse...


bravo, Nuno. muito bem.

abr@ço
Miguel | Tomo III

Mefistófeles disse...

O MST desancou e de que maneira no Sérgio na A Bolha. Para mim, este gajo é raçudo mas não tem carácter. Vulgar.

meirelesportuense disse...

Os homens não se medem pelo que pretendem fazer crer que são, mas sim pelo que são na realidade, no dia a dia, no comportamento real do quotidiano. Sérgio Conceição segue as pisadas de pessoas do tipo de José Mourinho, só contam os seus interesses muito particulares. Não há valores superiores a si próprios. O cúmulo do Egotismo