segunda-feira, 9 de março de 2015

Receitas directas e indirectas

«Da receita comercial bruta estimada, 55 milhões serão alocados exclusivamente ao “play-off”, como aconteceu em 2013/14. Cada uma das 20 equipas que participaram no “play-off” receberá uma quantia fixa de 2,1 milhões. Após a dedução da alocação para os clubes envolvidos no “play-off”, a quantia bruta disponível para a UEFA Champions League e a SuperTaça Europeia totaliza 1,285 mil milhões. (…)
O montante líquido disponível para as equipas participantes será dividido em dois – 500,7 milhões em pagamentos fixos (alocações a bónus da fase de grupos, desempenho e qualificação) e 409,6 milhões em verbas variáveis (quota de mercado). A verba destinada à quota de mercado será distribuída de acordo com o valor proporcional de cada mercado televisivo representado pelos clubes que disputem a UEFA Champions League (da fase de grupos em diante), e será dividida entre as equipas de cada federação. (…)
Cada uma das 32 equipas envolvidas na fase de grupos vai somar um valor base de 8,6 milhões. Os bónus de desempenho estipulam o pagamento de um milhão por vitória e 500 mil euros por empate na fase de grupos. Os apurados para os oitavos-de-final também podem esperar receber 3,5 milhões cada, os oito apurados para os quartos-de-final têm direito a 3,9 milhões e os quatro semifinalistas embolsam 4,9 milhões. O vencedor da UEFA Champions League arrecada 10,5 milhões e ao finalista vencido cabe 6,5 milhões


Receitas já obtidas pela FC Porto SAD, directamente resultantes da Liga dos Campeões 2014/2015:

Liga dos Campeões 2014/2015 - Projecção de Receitas do FC Porto


Se, amanhã, o FC Porto alcançar o desejado apuramento para os quartos-de-final da Liga dos Campeões 2014/2015 junta, desde logo, mais 3.9 milhões de euros ao pecúlio já amealhado, perfazendo 23.1 milhões de euros.
E, somando-lhe as receitas de bilheteira de seis jogos em casa (Lille, BATE, Athletic Bilbao, Shakhtar, FC Basel, adversário nos ¼), mais o montante do market pool, projecta-se uma receita directa global na ordem dos 30 milhões de euros!

Na época 2012/2013, em que também participaram três equipas portuguesas na fase de grupos - FC Porto, SL Benfica, SC Braga - a distribuição de receitas foi a seguinte:

Liga dos Campeões 2012/2013 - distribuição de receitas pelos clubes (clicar para ampliar)

Mais. Estando o FC Porto posicionado a meio da “cadeia alimentar” (entre os clubes “produtores” e os “predadores de topo”) e sendo a Liga dos Campeões a principal “montra” do futebol mundial, em quanto é que já se valorizaram alguns ativos da SAD, como Danilo, Indi, Alex Sandro, Rúben Neves, Herrera ou Brahimi, graças ao muito bom desempenho colectivo (9 jogos, 6 vitórias, 3 empates, 0 derrotas) verificado até agora?

É por tudo isto que, na minha opinião, é bem mais importante chegar a uns quartos-de-final da Liga dos Campeões do que a uma final da Liga Europa.

13 comentários:

siulloureiro disse...

Financeiramente falando, sim.
Desportivamente falando, não.

José Correia disse...

Em termos financeiros, chegar a uns quartos-de-final da Liga dos Campeões é muito melhor do que chegar a uma final da Liga Europa.
Mas isto não é uma questão de opinião, é uma questão de números, é factual.

José Correia disse...

Ponderando todos os aspectos, desportivos e financeiros, considero mais importante chegar a uns quartos-de-final da Liga dos Campeões do que a uma final da Liga Europa.

Miguel Lima disse...

concordo com o comentário do Loureiro: no plano desportivo, a conquista de um troféu internacional granjeia mais prestígio do que a passagem aos 'quartos' da 'Champions'.

abr@ços
Miguel | Tomo III

Miguel Lima disse...


e refiro "conquista" pois já se sabe que, na nossa casa, "as finais não são para se jogar, antes para ganhar".

e, mesmo assim, considero que chegar a uma final traz sempre mais prestígio do que chegar aos quartos da Champions. só não bate o "prestígio" da perda do mesmo troféu duas épocas consecutivas :) desculpem, mas não resisti

Silva disse...

:) meu amigo, depende sempre do país. No nosso, chegar à final da Liga Europa de vermelho vale uma condecoração, no mínimo é um fator aglutinador da nação e sente-se a voz dos igréjios avós. Ganhar ou perder é indiferente, pois já a pátria se encheu de orgulho e pimenta e canela e assim; se for de azul, é só um joguito de pobres coitados em busca de consolação, nem vale a pena perder muito tempo com isso...

siulloureiro disse...

A questão factual não foi por mim colocada em causa. É por demais evidente que financeiramente, sim!!!
Assim como, desportivamente não!!! É factual!!!

siulloureiro disse...

E não resististe muito bem, Miguel :)

José Correia disse...

Em termos desportivos, o que é mais relevante/importante:
a) estar entre os 8 melhores da Champions;
b) ser finalista vencido da Liga Europa

É subjectivo mas, por exemplo, o Mourinho prefere a 1ª hipótese.

siulloureiro disse...

Caro José, o que lhe parece ter tido mais relevo desportivo:

a) ser finalista vencido em Basileia 1984?

b) estar entre os 8 melhores da Champions em 2009?

Penso não ser necessário perguntar ao Mourinho ;-)

José Correia disse...

"ser finalista vencido em Basileia 1984"

Mas que péssima comparação!

Em primeiro lugar, a Taça das Taças tinha um prestigio que a Liga Europa nunca teve, nem anda lá perto.

Em segundo lugar, na fase pré-Champions, a Taça das Taças e a Taça UEFA eram disputadas por algumas das melhores equipas da Europa.

Por exemplo, em 1984, a Juventus era considerada uma das três melhores equipas da Europa. E a mesma coisa com o Dinamo Kiev, em 1986.

siulloureiro disse...

Pois eu sei José, péssima e de péssima memória mas, por exemplo, o CR7 preferiu a 2.ª hipótese.

Independentemente de tudo isso e das nossas preferências será importantíssimo estar nos quartos desta Champions ou ir ou pouquinho mais além, quem sabe até Berlim.

João disse...

Do que chegar à final, sim. Do que vencê-la, no plano financeiro certamente, desportivamente tenho as minhas dúvidas, até pela oportunidade de disputar a Supertaça.