domingo, 1 de março de 2015

T3LLO!


O “Sporting da Covilhã” veio ao Dragão e, em 90 minutos, o FC Porto não permitiu que os verdes-e-brancos criassem uma única oportunidade de golo.

Pelo contrário, o FC Porto, para além do hat-trick de T3LLO, enviou uma bola à trave (por Marcano) e ainda teve mais 4 oportunidades claras, nos pés de Jackson (3) e Herrera.

Os “leozinhos” erraram muitos passes, ainda no seu meio campo, quando tentavam sair a jogar?
Pois erraram, porque a pressão alta feita pelos jogadores do FC Porto (Jackson, Tello, Herrera, Evandro, Casemiro…) foi bem pensada e melhor ainda efetuada.
Há umas semanas atrás, os jogadores do FC Basel queixaram-se do mesmo (dos dragões não os terem deixado jogar). Mas, claro, o mérito nunca é dos dragões, nem do modelo de jogo de Lopetegui, os outros ou são fraquinhos, ou estão cansados…

Convém recordar que, esta época, em quatro desafios frente ao FC Porto e SL Benfica, este mesmo Sporting ainda não tinha perdido qualquer jogo; que a meio da semana tinha dominado (em jogo jogado e oportunidades) o 2º classificado da Bundesliga; e há apenas três semanas atrás, vulgarizou uma equipa que tá muitaa confiante…

Evidentemente, o homem do jogo foi T3LLO que, desta vez, não tremeu na cara do guarda-redes e foi super eficaz. É este T3LLO que queremos ver mais vezes.

Mas não posso deixar de realçar a exibição de Jackson. Sim, o passe de calcanhar a isolar T3LLO, no lance do 1º golo, é genial, mas Jackson fez muito mais do que isso. Fez também a assistência para o 2º golo, participou, e de que maneira, na pressão alta da equipa e, principalmente, mostrou como deve jogar um ponta-de-lança neste modelo 4-3-3 de Lopetegui. Não é para todos e não vai ser nada fácil substitui-lo na próxima época.


Com a excepção de Fabiano, que praticamente não fez nada, e de Brahimi, que ainda está longe do nível exibicional que já patenteou esta época, acho que todos os outros fizeram exibições globalmente boas, ou mesmo muito boas.

Alex Sandro está a subir de forma e jogou ao nível do que o vimos fazer com Vítor Pereira (na época 2012/2013); Evandro, como eu previa, foi o substituo de Óliver e voltou a aproveitar a oportunidade dada por Lopetegui (este rapaz parece não saber jogar mal); e Herrera, o jogador que mais quilómetros percorreu (quase 12 Km) e que aos 82' ainda fazia sprints a pressionar os adversários, não fosse ter feito um chapéu demasiado alto e teria culminado mais uma grande exibição com uma assistência e um golo de bandeira.

The last but not the least, Julen Lopetegui.
Parabéns Mister!


P.S. Se dúvidas houvessem, que não há, o FC Porto voltou hoje a demonstrar que é, claramente, a melhor equipa portuguesa.

P.S.2 Sobre a actuação do artista Artur Soares Dias, falarei amanhã, num artigo à parte.

72 comentários:

a pessoa disse...

José,

Já concorda comigo que Evandro TEM de jogar mais vezes? :)

João disse...

Então e sobre o Herrera, JON? Nada a dizer?

imbictopoema disse...

Eis leão(zinho);
Que atrás das grades não fez caminho.
E mais uma vez, quase adivinhando,~
Seguiu certo,
O jogo aberto.

http://imbictopoema.wordpress.com

JON disse...

O Herrera na primeira parte esteve horrivel juntamente com Casemiro. Na segunda esteve muito melhor, especialmente depois do segundo porque o scp desapareceu do jogo.

Agora na primeira, quando a bola queimava nos pès de todos, ainda com zero a zero, Evandro destrocava aquilo tudo e ninguém o acompanhava.

PS: estou naturalmente satisfeito, mas vi vários erros com o jogo a zero e vi mta tremideira com a bola nos pés e os recorrentes erros na saída de bola. Aspectos à consideraçao do mister...

Tasqueiro Ultra-Copos disse...

Ninguém fala da medíocre arbitragem do lápião soares dias, 2 penalties por mão na bola de montero e cédric e expulsão clara por 2º amarelo ao mesmo cédric. Mas o Porto deu 3 secas e ninguém quer nem vai falar disso...

rbn disse...

O que me deu mais gozo além do showdibola, foi o facto do filho de uma égua, falastrão e fanfarrão burro de car(v)alho sair do Dragão completamente humilhado, e à francesa com o rabinho entre as pernas, sem ter ponta onde pegar pra fazer queixinhas aos amiguinhos da pasquinada:-)

Como disse o Tasqueiro, nós fomos roubados em pelo menos 1 penalty, e o ispórti beneficiado por ficar com 11 elementos em campo os 93 minutos...

Foi showdibola, e showdibola já resume tudo...mainada!

Luís Vieira disse...

Grande exibição do Porto, das melhores esta época, principalmente na 2ª parte. Tudo bem que o momento do Sporting não é o melhor (eliminação na Liga Europa, caso Jefferson, cansaço acumulado num plantel pouco rodado, etc.), mas o Porto teve grande mérito na forma como controlou, primeiro, e vulgarizou, depois, os leões. Foi 3, mas podia ter sido mais (assim de repente, vêm-me à memória a bola à barra do Marcano e o falhanço escandaloso do Jackson em frente ao Rui Patrício, entre outras oportunidades). O Sporting, por seu turno, ofensivamente foi inexistente e defensivamente incapaz de controlar o vendaval de ataque do FCP. Do ponto de vista individual, destaque óbvio para o Tello, o MVP com um hat-trick. Não só pelos golos, mas pelos desequilíbrios constantes (o Jonathan ainda deve estar à nora) com critério, incluindo assistências para golo desaproveitadas. Esta versão do Tello é a que todos esperávamos e caso se mantenha assim não será certamente questionado. Na defesa, há que registar a simplicidade de processos do Marcano, a estabilidade e segurança que dá com a bola no pé. Para mim, está agora em 1º lugar na hierarquia dos centrais. No meio-campo, houve 2 grandes exibições: o Evandro pautou o jogo com grande qualidade (finalmente o Lopetegui pô-lo no lugar do Óliver, onde deve jogar) e o Herrera encheu o terreno, abafando os médios do Sporting (muito bem na assistência a rasgar a defesa; até deu para jogar de calcanhar). Lá na frente, o Jackson, como sempre, foi um farol e deu o seguimento indicado a todos os lances. Um grande ponta de lança, ao nível dos melhores que o Porto teve. A equipa está em crescendo e sinto a mesma vontade dos anos do Vitinho na retoma (sentimento de injustiça, etc.). Não tenho a menor dúvida de que, se encurtarmos a distância até à Luz, os comemos forte e feio. Para a semana há prova de fogo em Braga, na deslocação mais difícil até ao jogo do título.

João disse...

Incrível a vossa incapacidade de reconhecerem de peito aberto um bom jogo do Herrera. Não leia a imprensa amanhã, fique-se pelos blogs de fotografias de futebol porque vai ter que ler o que não gosta, pela enésima vez.

Luís Vieira disse...

No estádio estava tudo pelos cabelos com o árbitro. Dualidade de critérios gritante, quer no aspecto técnico, quer no disciplinar (é de bradar aos céus o lance em que o Cédric varre o Quaresma e não leva amarelo e logo a seguir o Alex Sandro leva amarelo por uma falta muito menos impetuosa). Faltas a favor do Porto nem vê-las (o pessoal batia palmas efusivamente cada vez que ele apitava a favor do Porto). Aproveito o ensejo para mais uma vez criticar a postura dos adeptos no Dragão: aos 5 minutos já se ouvia um coro de assobios à equipa, que encrudescia à medida que o tempo avançava. Quando o Porto marcou o primeiro a coisa amainou, qual reflexo condicionado. Este comportamento é ridículo, para não dizer asqueroso. Só me apetece tecer loas às claques: obrigado!

José Correia disse...

"Ninguém fala da medíocre arbitragem do lápião soares dias..."

Amanhã.
Esse artista merece um artigo à parte.

José Correia disse...

Eu já várias vezes elogiei o Evandro e, nos comentários ao jogo do Bessa, já tinha dito que seria o Evandro (e não o Quintero) a minha opção para substituir o Óliver no jogo contra o Sporting.

João disse...

Gostei bastante da exibição do Marcano no geral, mas "segurança com a bola no pé" foi coisa que não transmitiu, principalmente com aqueles dois erros seguidos na 1ª parte, que nos pés de outros intérpretes, o 1º pelo menos era golo quase certo. Um Gaitán ali não perdoava, portanto é corrigir.

Apesar de tudo, na defesa fiquei com melhor impressão do Maicon. Foi um daqueles tais jogos em que se lembra e não passa nada, como já tinha feito em Basileia. Se conseguisse manter este nível, era ele antes de qualquer outro, o indiscutível (e central para outros vôos) na minha opinião. Infelizmente não consegue e isso é assunto arrumado.

José Correia disse...

JON disse: "O Herrera na primeira parte esteve horrivel (...) Na segunda esteve muito melhor, especialmente depois do segundo porque o scp desapareceu do jogo."

Como?
Horrível na 1ª parte?!
Na 2ª parte melhorou, porque os outros desapareceram do jogo?!!
OK, estamos conversados.

José Correia disse...

João disse: "Incrível a vossa incapacidade de reconhecerem de peito aberto um bom jogo do Herrera. Não leia a imprensa amanhã..."

Não é preciso esperar pela imprensa de amanhã.
Depois de ver o jogo ao vivo, estive a rever a SportTv e o Porto Canal e, por exemplo, basta ouvir o que disseram dois ex-jogadores: Dito (na SportTv) e Cândido Costa (no Porto Canal).

miguel.ca disse...

Afinal podemos fazer grandes jogos. Ainda bem. Fiquei Feliz.
Gostaram do Evandro? Também eu.

Pedro disse...

Mas o árbitro...trazia a lição bem estudada. Entre o prazer da vitoria e exibição fica a revolta com a 2ª parte do senhor do apito.

Luís Vieira disse...

Sim, é verdade que cometeu esses 2 erros, mas estava a falar em termos globais, não apenas do jogo de hoje. É claramente o central com melhor qualidade técnica dos 3 que têm jogado com regularidade ou pelo menos aquele que resolve melhor as situações sem charutada para a frente. O Maicon também deu lá umas bolas aos jogadores do Sporting na 1ª parte. Não consegue ser constante, dá sempre a sensação que pode falhar a qualquer momento, o que num central é pecaminoso. O Indi, sem os atributos do Maicon, é bem mais fiável.

DA disse...

O estranho é que o asd não é lampião.

É sim obediente, como quase todos.

João disse...

Para mim foram mesmo as 3 melhores unidades do Porto: Jackson (apesar de me ter feito perder a paciência com os dois ou três golos cantados que falhou com 1-0, é um jogador fundamental ali, passa TUDO por ele), Evandro e Herrera, mesmo tendo gostado bastante da exibição do Maicon lá atrás, acho que os dois no meio campo foram fundamentais na pressão que obrigou os jogadores do Sporting ao erro, e na capacidade de reterem a bola logo a seguir e optarem bem onde a colocar. Nisso o Herrera esteve impecável. Mas há pessoas que não vale mesmo a pena porque é dogma e os dogmas não se discutem, tratam-se.

José Correia disse...

"...mérito do Porto na pressão que fez sobre o William Carvalho e Adrien..."
disse o sportinguista Rui Oliveira e Costa

Revejam o jogo e vejam quem foi o jogador do FC Porto que mais vezes pressionou e não deixou jogar William Carvalho (considerado o melhor em campo no jogo Sporting x SL Andor).

Louro disse...

Grande jogo do Porto sem duvida (Brahimi foi a exceção á regra)..o Fabiano não fez uma defesa!.
Venham com a historia que os outros estavam cansados blá blá blá...
Dê-nos mérito ..o Wolsburgo jogou esta tarde e deu 5 ao Werder Bremen, o Liverpool também jogou quinta feira na Turquia apos prolongamento e penaltis e jogou hoje ao meio dia para vencer o Manchester City....
Este é o nosso Porto, o das grandes vitorias , das grandes conquistas, falem agora do treinador, do Herrera e do Jackson perdulário...
Foi limpinho, limpinho, em caso de duvida foi sempre contra o Porto, contactos, correntes de ar, um desarme limpinho do Jackson nas barbas do fiscal de linha que assinalou inacreditavelmente falta, 2 mãos na área do SCP e no passa nada, outra falta na área sobre o Jackson idem aspas, Cédric por expulsar aos 85 mns etc...portanto, até contra a adversidade fomos capazes de massacrar o adversário!
O lema desde o caso das escutas é ,na duvida, apitar sempre contra - oiçam a análise do Pedro Henriques na TVI a dizer que foi uma grande arbitragem!!
Foi apenas mais uma boa vitória, temos que nos focar na ida a Braga e na receção ao Basileia , contudo e depois de ver três jogadores do Arouca admoestados e impedidos de jogar frente á mouraria, estou convencido que este campeonato vai ser uma utopia e que, a equipa que pratica melhor futebol, vai ficar em segundo...!

José Correia disse...

Louro disse: «Venham com a historia que os outros estavam cansados blá blá blá...
Dê-nos mérito ...o Wolsburgo jogou esta tarde e deu 5 ao Werder Bremen, o Liverpool também jogou quinta feira na Turquia apos prolongamento e penaltis e jogou hoje ao meio dia para vencer o Manchester City...»

Shiu!
PF, não fale no Wolfsburg, que foi hoje à tarde a Bremen ganhar por 5-3!
E também não fale no Liverpool, que jogou hoje ao meio-dia.
É que, ainda por cima, são duas equipas que, na passada quinta-feira, jogaram no estrangeiro.

Você, ao lembrar estas duas equipas, está a estragar uma tese tão bonita...

meirelesportuense disse...

Não há que escamotear:
Houve uma quebra nítida do Sporting a partir dos 20 minutos, de certeza que ela foi também física.
Até essa altura eles conseguiram fazer pressing e obrigar ao erro várias vezes a nossa defesa, especialmente Maicon e Marcano que tinham dificuldades em colocar a bola devidamente jogável.
Depois tudo mudou, chegavamos primeiro à bola, na dividida estavamos sempre em vantagem e não fosse o trabalho reles do Portuense(?) Soares Dias o Sporting teria sentido ainda mais problemas.
A partir daí foi avassalador.
Ficou claro quem tem a melhor equipa e os melhores jogadores.
Como já disse o problema é no meio campo, que tem que ter alguém na posição 6 que resolva as situações de emergência ou pré-emergência, sem ser por via da falta frequente, mas sim, através da colocação, rapidez e sentido de oportunidade. Acertando nesse jogador nuclear, existem depois várias combinações e soluções possíveis para muitas necessidades .

a pessoa disse...

Vocês e o que diz a "imprensa"... Vale zero para mim.

Na primeira parte não acho que fizemos um jogo bom. Pelo contrário. Demos várias vezes espaço para o SCP sair e receber entre linhas e enquadrar. João Mário e Adrien conseguiram várias vezes e depois quase sempre estragaram as jogadas. Por outro lado, a nossa saída de bola esteve má e resumiu-se a balões para a frente...

Nesse período, sobretudo até ao nosso golo, o nosso meio-campo sem bola não funcionou! Com bola, Casemiro principalmente, mas Herrera também,falharam vários passes! Evandro foi de uma lucidez e acerto incríveis, (com bola, porque sem bola, meu rico Oliver).

Na segunda parte entramos muito fortes, muito confiantes e o resultado pecou por escasso...

Eu fui aqui uma acérrimo defensor da equipa contra o Basel, contra alguns comentários mais depreciativos. Hoje faço papel de advogado do diabo e digo que temos de olhar para este jogo e ver onde errámos para corrigir...

É um defeito que tenho, mas gosto de pensar pela minha cabeça...

JON

PS: mais uma arbitragem muito habilidosa daquele que é para mim o nosso melhor árbitro.

José Rodrigues disse...

Uma equipa nao se vai abaixo fisicamente aos 20mins de jogo.

Os primeiros 20mins de jogo foram sem duvida maus. Mas o q fez a diferença foi mesmo o 1o golo. O FCP desinibiu-se (nao esquecer q muitos jogadores são ainda relativamente imaturos) e o SCP atarantou-se. O 1o golo torna tudo mais fácil.

Depois o q fez um bocadinho a diferença em relação a outros jogos é q perder por um nao era um resultado aceitável para o SCP (ao contrario de outros clubes portugueses q vêm ao Dragão), e abriu-se um pouco. Criou-se um "ciclo virtuoso" do nosso ponto de vista, com um FCP moralizado e um SCP desmoralizado.

José Rodrigues disse...

Penso q com o resultado e exibição de ontem, eliminando o Basileia Lopetegui ficará com a continuação confirmada para a px época, independentemente do q acontecer no resto da época (e o mais provável é q o slb será campeão - mais nao seja por causa do factor colinho).

Isso é bom na medida em q dá uma certa paz de espirito ao treinador e à equipa.

José Correia disse...

JON disse:
Vocês e o que diz a "imprensa"... Vale zero para mim.

Ó meu caro, eu escrevi o artigo com base, unicamente, no que vi ao vivo, no Estádio do Dragão.

Depois sim, estive a rever o que disseram na SportTv, Porto Canal e SIC Notícias, diversos ex-jogadores: Dito (SportTv), Cândido Costa (Porto Canal), Rodolfo (SIC Notícias), Manuel Fernandes (SIC Notícias), António Simões (SIC Notícias).

Mas não vale a pena perder mais tempo a bater no ceguinho, com uma pessoa que diz que o Herrera esteve horrível na 1ª parte e que na 2ª parte só melhorou, porque os outros desapareceram do jogo...

JON disse...

José, pelos vistos o Jorge do Porta 19 e o TdD viram o mesmo que eu...

Na segunda o Herrera esteve bem, como toda a equipa. Na primeira foi um desastre!

José Correia disse...

JON disse: "Na primeira parte não acho que fizemos um jogo bom. Pelo contrário."

Sim, pelo contrário, toda a gente viu que, na 1ª parte, o FC Porto fez um jogo mau...

Tendo feito um jogo tão mau, só não percebo como é que o Sporting, que nos primeiros 45 minutos ainda não devia estar cansado, não conseguiu criar uma única oportunidade de golo.

E, por outro lado, como é que o FC Porto a jogar tão mal criou três: Jackson, Herrera e Tello (1º golo).

Mistérios...

José Correia disse...

JON disse: "pelos vistos o Jorge do Porta 19 e o TdD viram o mesmo que eu"

o mesmo JON que no comentário anterior tinha dito: "É um defeito que tenho, mas gosto de pensar pela minha cabeça..."

JON disse...

lol

José, isto já parece ridículo. É muito simples: eu acho que o Herrera fez uma má primeira parte e uma boa segunda. O José acha que jogou bem nas duas.

Mais importante que isso, parece-me a discussão de 2 outros pontos: 1) o nosso jogo foi longe de ser perfeito e acho que devemos ter isso em conta; 2) fomos novamente gamados!

DC disse...

Parece-me que ficou bem claro o que eu ando a dizer sobre o Tello desde o início da época. É dos jogadores com mais potencial para ser letal da nossa equipa. A facilidade com que se desmarca e aparece na cara do golo é rara no futebol. Finalmente a equipa começa a perceber isso e a dar-lhe as oportunidades. E de resto, como se viu na colocação das bolas de hoje, ele é bom finalizador se estiver tranquilo.

Quanto aos restantes destaques, naturalmente o Jackson. Não concordo com as apreciações ao Alex e ao Herrera. O Alex tal como o Marcano teve uma primeira meia-hora assustadora no passe. Foram 4, 5 bolas perdidas estupidamente para o Sporting.
O Herrera teve uma primeira parte má, com maus passes e más recepções (aquela em que deixa a bola passar por entre as pernas depois dum lançamento é épica) e com um estúpido chapéu numa jogada fácil de finalizar (em que tinha apoios ao lado se quisesse passar).
Ambos melhoraram muito na 2a parte. Agora e acho bem destacar, não fosse o faltoso Casemiro a safar muitas perdas de bola na 1a parte, podíamos ter tido alguns sobressaltos. O Casemiro bateu muito mas bateu muito bem, porque tinha mesmo que bater. E Evandro também faz um jogo fantástico tanto com como sem bola.

Este Porto continua a melhorar. Trucidou uma equipa que não perdeu com o slb. Aconteça o que acontecer até ao final é bom que o treinador fique porque a evolução tem sido positiva.

DC disse...

Subscrevo JON.

DC disse...

José, não é verdade que o Sporting não tenha criado uma oportunidade na 1a parte.

José Correia disse...

JON disse: "eu acho que o Herrera fez uma má primeira parte e uma boa segunda. O José acha que jogou bem nas duas"

JON, eu não sou cego e é óbvio que a 2ª parte do Herrera (uma 2ª parte de grande nível) foi melhor do que a 1ª parte.

Dito isto, o que eu não compreendo é haver pessoas que digam (escrevam) que a 1ª parte do Herrera foi pior do que má, foi horrível.
Só por preconceito e muita má vontade se pode dizer uma coisa destas.

José Correia disse...

DC disse: "não é verdade que o Sporting não tenha criado uma oportunidade na 1a parte"

A que "oportunidade" é que o DC se está a referir?
A um pontapé enrolado e bastante ao lado do João Mário, após um ressalto?
Bem, se considerarmos isto uma oportunidade clara de golo, então terei de somar mais umas 2 ou 3 à lista de oportunidades do FC Porto.

Alberto Silva disse...

È este Tello que todos esperávamos, é verdade que os lances foram á sua medida, mas tem sempre de finalizar ou assistir á medida, e não fazer com o 2º lance onde tenta fintar já depois de ter ganho a frente ( tem de dar nem que seja de bico), claro que o Evandro tem de jogar em detrimento de Quintero ( este nunca será titularíssimo no porto) dá mais consistência, fez excelente exibição, só ressalvo o fato de ter recebido 2 bolas dentro da área de costas para a baliza, depois teve de vir para fora. Os primeiros 15min não foram bons, mas é sempre aquele período onde as equipas ainda se estudam e tentam perceber onde podem explorar os melhores espaços. A equipa teve quase toda bem só destaco pela negativa Brahimi muito complicativo, principalmente na receção de bola...o Brahimi que encanta a Europa é o aquele que marca golos e faz assistência, e não aquele que finta para trás...Falta Braga e Basileia para um ciclo complicado...

JON disse...

O SCP não jogou nada. Zerinho. Mas isso não é minha preocupação. O que é preocupação minha é que os deixámos receber várias vezes no nosso meio campo, entre-linhas, como no lance do amarelo do Casemiro, por exemplo.
Eles tiveram 3 ou 4 lances desses que não fosse o Adrien ser fraco, fraquinho, fervido, podiam ter dado problemas.

Ou seja, lances de perigo não criaram, mas por inoperância deles. Contra uma equipa mais forte não podemos dar esse espaço todo entre linhas e deixar enquadrar fácil...

Isto na primeira parte. Na segunda fomos fortes e eles morreram fisicamente.

José Correia disse...

DC disse: "É dos jogadores com mais potencial para ser letal da nossa equipa. A facilidade com que se desmarca e aparece na cara do golo é rara no futebol. Finalmente a equipa começa a perceber isso e a dar-lhe as oportunidades."

Bem, ontem não foi a primeira vez que o Tello recebeu passes em profundidade e ficou isolado, só com o GR adversário pela frente. Por exemplo, no Sporting x FC Porto da 1ª volta, se tivesse tido a frieza que teve ontem, o FC Porto teria saído de Alvalade com os 3 pontos.

Agora, também é preciso ter consciência, que a esmagadora maioria das equipas que o FC Porto defronta, não jogam com a defesa tão subida como joga este Sporting do Marco Silva.
Bem pelo contrário.
O habitual é o FC Porto ter pela frente equipas que colocam dois autocarros à frente da baliza.

José Correia disse...

JON disse: "O SCP não jogou nada. Zerinho."

E qual é a explicação do JON para o Sporting "não ter jogado nada"?

Qual é a explicação do JON para o FC Basel "não ter jogado nada"?

Haverá nisso algum mérito do FC Porto?

JON disse...

José, acho que é melhor ir ler o que eu escrevi a seguir ao jogo do Basel... Fartei-me de elogiar a exibição. Para mim foi muito superior à de ontem. Ontem entrámos nervosos, concedemos espaço e falhámos passes. Nada disso aconteceu em Basileia.
E ontem ganhámos e em Basileia empatámos, mas eu não avalio pelos resultados apenas. Aliás, o Basileia nunca nos deu o espaço que o SCP nos deu ontem... São muito mais organizados a defender.

Isto para dizer o quê? Que eu fartei-me de defender o Porto e Lopetegui a seguir ao Basileia, sobretudo porque para muita gente o Porto "apenas empatou". Como tento avaliar o processo, digo que fomos muito mais fortes nesse jogo do que ontem. Não avalio a equipa apenas pelo bola entra ou não entra. E não me coíbo de a elogiar quando acho que devo. Como ontem na segunda parte. Mas é bom que Lopetegui (e quem de nós quiser) olhe para os erros de ontem para não acharmos que está tudo bem...

HULK ONZE MILHAS disse...

Exactamente DA !!!
Esse miúdo, filho de um outro árbitro já falecido, até é PORTISTA !!!
A diferença entre ele e o Pai é que o "velho" Soares Dias sempre lutou contra o sistema que dominava a arbitragem, centrado nos interesses dos clubes da Capital e este miúdo é subserviente em relação a esse mesmo sistema...

HULK ONZE MILHAS disse...

"tese bonita" desmontada pelo sportinguista Manuel Fernandes na SICNoticias com esses mesmos argumentos...enquanto que o homem da brilhantina continuava a bater na tecla do cansaço... E na TVI24 uma badameco qualquer dizia que os lagartos só tiveram 68 horas de descanso e que isso era ilegal!!!!

José Correia disse...

JON disse: "é bom que Lopetegui (e quem de nós quiser) olhe para os erros de ontem para não acharmos que está tudo bem..."

Mas quem é que disse que ontem esteve tudo bem?
Quem é que disse que ontem não houve erros?
Por exemplo, nos primeiros 2 minutos do jogo, o Marcano falhou 3 passes e num deles ia isolando o Montero.
Estranhamente, aqueles que não perdoam um passe errado do Herrera, nada dizem sobre o mau começo do Marcano...

É óbvio que houve falhas e houve erros individuais no jogo de ontem, mas isso há sempre.
Agora, um jogo deve ser avaliado como um todo, em termos de dinâmica da equipa, oportunidades criadas, o condicionamento aos pontos fortes da outra equipa, etc.

brabosa disse...

tenho de concordar com JON e com DC.

na primeira parte, foram várias as vezes que tivemos jogadores do Sporting a receber entre linhas e só com o quarteto defensivo do Porto pela frente. e sim, não fosse Adrien ser uma nódoa, os problemas podiam ter sido bem piores. Senti muita tremideira principalmente de Marcano/Maicon na saída de bola, mas penso que isso também se deve muito à incapacidade gritante de Casemiro na construção de jogo, incrível a diferença para Ruben Neves neste capítulo.

na segunda parte no entanto, acho que não há nada (ou muito pouco) a apontar. Herrera esteve bem melhor (até desculpo a péssima decisão na primeira parte quando tentou o chapéu quando tinha Brahimi e Jackson que apenas tinham de encostar) Casemiro também melhorou, e Evandro manteve o bom nível da primeira parte (julgo que tenha saído por estar cansado) (acho que é claramente o melhor substituto de Óliver).

Nota final: reacção à perda de bola fantástica! Grande aproveitamento das maiores fragilidades do adversário, e bloqueio dos seus pontos fortes. Parabéns Julen!

DC disse...

José, quanto a oportunidades de golo, eu considero uma oportunidade uma jogada em que eu veja que o Porto podia perfeitamente ter sofrido golo, exista ou não remate. E esse remate enrolado do JM, se ele abre os olhinhos e vê que tem dois jogadores a apoiá-lo com espaço para receber e fazerem o que quiserem, podia perfeitamente ter sido golo. Isso é para mim uma oportunidade flagrante, mesmo não tendo existido remate perigoso.

Mefistófeles disse...

Consta que o Burro do C....regressou pela EN1, pois a cabeça não o deixava passar nas portagens.

DC disse...

É verdade que o Tello tem falhado muitas jogadas de superioridade ou igualdade numérica. Parece-me que o problema está a ser trabalhado.
Ontem, aquela jogada do Herrera por exemplo, é igualmente estúpida pois tem apoios e tem a baliza escancarada e faz um chapéu. São jogadas criticáveis e não acontecem só ao Tello.

Quanto a isso do Tello só aparecer contra defesas altas, não é verdade. Ele fez isto contra o Boavista e outros autocarros que já nos apareceram. E fazia isto contra defesas muito mais recuadas que defrontavam o Barcelona. Ele tem uma explosão em arranque que lhe permite fazer isto contra qualquer equipa. Isto claro, além duma leitura dos timings de desmarcação muito acima da média. Não é por acaso que não vemos Quaresma, Brahimi e outros que tal a aparecerem na cara do golo e vemos sempre Tello. É mérito apenas do Tello, porque é fantástico neste tipo de jogadas.

Mefistófeles disse...

Há aí uns gajos, orgulhosamente parvos, a quem isto doeu tanto como ao badocha...é chato.

Luís Vieira disse...

Algumas notas soltas para a discussão:

1. O Herrera fez uma 1ª parte razoável, dentro do nível da equipa. Nesta fase, apenas o Evandro, o Jackson e o Tello se exibiram num nível acima dos restantes companheiros.

2. A exibição do Herrera na 1ª parte não foi horrível, não foi um desastre, não teve nada de catastrófico. Estes adjectivos são estapafúrdios, para não dizer estúpidos.

3. A exibição do Herrera na 2ª parte foi excelente. Brincou com o meio-campo do Sporting. Para quem diz que o Herrera tem um nível técnico péssimo, reveja toda a 2ª parte e talvez reconsidere a posição. Dribles a sair de pressão com 2 em cima, aberturas de um lado ao outro do campo, passes de ruptura para golo, calcanhares, enfim, um fartote técnico inimaginável para um "cepo".

4. O Herrera dura 90 minutos a maior parte dos jogos. Não dura 60. O treinador sabe-o bem e exibe-o aos odientos, não prescindindo de uma peça vital na manobra da equipa, principalmente no capítulo da pressão.

5. Se o Herrera joga mal, a culpa é dele. Se o Herrera joga bem, a culpa é do adversário. Non sense.

Pedro ramos disse...

Foi uma exibiçao normal da equipa, dentro daquilo que vem demonstrando nos últimos tempos, mas fiquei muito feliz sobretudo porque Lope e a equipa mereciam este reconhecimento por parte dos adeptos. Aliás os primeiros 20 minutos foram demonstrativos de como ainda tantos adeptos continuam a desvalorizar a equipa chegando ao ridículo de haver assobios.
Obviamente a equipa ainda comete erros e Lope também, mas irei sempre preferir uma equipa que tenta assumir o jogo do que uma atitude à Jardim, tão elogiado esta semana pela vitória em Londres, mas que depois em casa foi massacrado pelo PSG, mas continua a ser elogiado por nao sofrer golos.

Pena alguns pontos perdidos durante a época, muitas vezes por desconhecimento do campeonato, e da forma como as coisas estao dificilmente poderao ser recuperados. Apenas desejo que lutemos até ao fim do campeonato.

José Correia disse...

DC disse: "quanto a oportunidades de golo, eu considero uma oportunidade uma jogada em que eu veja que o Porto podia perfeitamente ter sofrido golo, exista ou não remate"

Se for esse o critério, então, às 8 oportunidades de golo do FC Porto (que eu referi no texto), teremos de juntar outras tantas (pelo menos).

José Correia disse...

"Todos conhecem o William Carvalho, que tem uma saída de bola muito forte e tem bastante qualidade. Isso foi estudado durante toda a semana e não deixar o William pensar o jogo deu resultado."

Declarações de Evandro no final do jogo

José Correia disse...

«As grandes imagens deste jogo são os passes de Jackson e a velocidade de Tello, mas a chave esteve na forma como o FC Porto ganhou o meio-campo, pela maior intensidade na pressão e pela maior capacidade na recuperação de bola.
(...) este foi um jogo em que os atores secundários tiveram tanta importância quanto os protagonistas. Nesse campo destacaram-se Herrera, pela intensidade permanente com que atacou e defendeu; Casemiro, pelo lado mais musculado; e Evandro, pela ocupação dos espaços."

Luís Freitas Lobo, in O JOGO de 02-03-2015

DC disse...

Não me parece que o Porto tenha tido 16 oportunidades de golo, mas que teve algumas que não terminaram em remate porque se falhou ou atrasou em demasia o último passe isso teve, sem dúvida.

João disse...

Sobre o posicionamento defensivo do Herrera, também duvido que vá encontrar alguma referência ao facto de ter sido o jogador que limpou aquele lance em que o Marcano mete mal e o Montero recupera em situação privilegiada e avança para a baliza, provavelmente a maior oportunidade de perigo do Sporting na 1ª parte se excluírmos as proverbiais bojardas.

Nada mau para quem está permanentemente mal posicionado em transição defensiva, principalmente quando iniciada por um colega de equipa uns bons 40 metros atrás do que deveria ser a colocação do médio mais ofensivo do Porto.

Mefistófeles disse...

A jogada do Herrera, se dá golo, levantava o estádio. Como não deu, foi uma jogada estúpida. OK, é uma perspectiva...
Já o Tello, ontem, redimiu-se de uma época plena de equívocos e más decisões e agora já é bestial.

João disse...

"Timing de desmarcação fez-me logo lembrar um jogo recente, não sei precisar, em que foi apanhado umas 4x em fora-de-jogo só na 1ª parte. Não estou com isto a discordar, atenção. As culpas até podem ser repartidas com que faz o passe, estou só a dizer que é algo que precisa de trabalhar e onde não é, de todo, uma supra-sumo.

Tiago Silva disse...

Aqui fica a minha análise. Entramos mal no jogo. Estranhamente, diga-se, pois a entrada forte no jogo costuma ser uma das nossas marcas. Estou em crer que tal se deverá à inexperiência desta equipa fruto da tenra idade de muitos jogadores que terão acusado a pressão por estar diante do seu público a jogar um jogo decisivo onde não se podia falhar. Sustento este juízo em alguns lances protagonizados nos primeiros 15 minutos por alguns jogadores: Marcano, Herrera e Tello. Lances que não tinham grau de dificuldade mas que foram objecto de (incríveis) deficientes execuções. O Sporting, pelo contrário, entrou bem, personalizado, a trocar bem a bola e a aproveitar o facto de João Mário procurar muito o espaço entre linhas da equipa do Porto. Casemiro, pelo contrário, mostrava-se perdido quando a equipa não tinha bola. Lá no campo procurei alhear-me algumas vezes do jogo para ver as movimentações e constatei, nos primeiros 15 minutos, que: (i) Casemiro era muitíssimo lento a recuperar (mas isto já tinha constatado doutros jogos) quando em transição defensiva ou quando o Sporting conseguia, em organização, chegar com bola até ao último terço; (ii) Casemiro a não decifrar as movimentações de João Mário; (iii) o Porto estava a ter muitas dificuldades na primeira fase de construção dado que Casemiro não procurava oferecer linha de passe e os laterias estavam sempre bem tapados, o que obrigava muitas vezes os centrais a jogar longo para terra de ninguém; (iv) que a pressão do Porto era feita em zonas mais recuadas do que é costume (ao recuperar-se a bola em zonas mais adiantadas é menos difícil provocar desequilíbrios na organização defensiva adversária); (v) que os jogadores do Sporting eram mais rápidos a reagir e mais rápidos sobre a bola.
Nesta fase do jogo, Evandro era o único que conseguia ir agarrando o jogo do Porto.
A partir dos 15 minutos constatei que a equipa melhorou. Herrera passou a baixar para receber, a primeira fase de construção melhorou substancialmente, Brahimi de vez em quando lá procurava zonas mais interiores para receber e enquadrar, Jackson, quando servido em profundidade, ia segurando muito bem a bola, Evandro começou a soltar-se mais e Danilo entrou mais no jogo. O lance de Herrera marca a viragem do jogo (excelente lance, por sinal, que só pecou pela execução ter sido ligeiramente deficiente; bem sei que poderia ter endossado a bola em Brahimi mas a definição do lance não deixa de ser (quase excelente). Depois disso veio o golo e depois foi o que se viu. Um Sporting simplesmente arrasado. Foram 3 mas podiam perfeitamente ter sido 4 ou 5.
Notas positivas: Herrera – para mim, que farto-me de malhar nele, fez o melhor jogo desde que veste de Dragão ao peito. Boa capacidade de passe, excelente capacidade para sair de zonas de pressão, boa leitura de jogo, forte na pressão e a revelar pormenores técnicos assinaláveis.
Jackson – quase perfeito; tivesse feito aquele golo cantado e teria sido perfeito. É, sem dúvida, um dos melhores pontas de lança do mundo.
Evandro – Excelente. Quer a conduzir, quer a pressionar, quer a pautar o jogo, quer a entregar. Nada que me surpreenda. Saiu porque já estava cheio de caimbrãs.
Laterais do Porto – São top mundial. Danilo segue em grande e Alex Sandro parece querer voltar à forma que o notabilizou; fez, talvez, o melhor jogo desta época.
Tello – muitas vezes decidiu e executou mal, mas, no que é forte (timing da desmarcação e aproveitamento do espaço nas costas), foi fortíssimo. De registar ainda que perante um dos melhores guarda redes do mundo a defender situações de 1x0 (jogadores isolados), em 3 situações fez três golos!!
De negativo só mesmo Casemiro (incrível como treme com bola nos pés e como está sem confiança alguma).
Sexta temos um dos jogos decisivos e mais difíceis da época.

Antonio disse...

O Jon tem razão nalgumas coisas hoje imho.

É certo que deixamos receber só com a linha defensiva pela frente, e houve algumas situações nos corredores em que pressionamos mal. Mas se sobre o segundo caso é normalmente um problema individual, acredito que na segunda tenha sido mais problema de tentar pressionar alto, e a linha defensiva estar mais baixa. É evidente que assim vai haver espaço entre linhas. Mas também se a linha defensiva subisse mais, haveria espaço na profundidade. É questionável, mas aceitasse. O adversário pode receber entre linhas à vontade, desde que ajustemos bem. Não é porque recebem entre linhas 20 vezes que vão ser perigosos. Aliás, dada a dificuldade do Fabiano nas saídas e o facto de os centrais não serem propriamente velocistas e alguma falta de qualidade no controlo de largura pelo Danilo e A. Sandro, prefiro situações em que recebem entre os dois sectores depois do pressing (que foi o que o João Mario andou a fazer), e deixar a linha defensiva um pouco mais exposta, do que dar profundidade e subir a linha defensiva.

Sobre o Herrera, mais do mesmo. Só falam dos erros técnicos e de um ou outro erro na recuperação ou equilíbrio (e nem sabemos quais são as funções dele). Não falam do resto nunca, porque não interessa. Mas na primeira parte, não sendo horrível ou lá o que tenha sido, não esteve tão bem em certos momentos. O Evandro esteve melhor. Na segunda parte esteve muito bem. Continuem é a malhar nos erros técnicos...

Ah e o adversário quantas oportunidades criou?

DC disse...

O que levanta o estádio são as bolas na rede, não são os chapéus a passar por cima da baliza.
O Tello foi muitíssimo recriminado por falhar jogadas dessas, e bem porque podia fazer melhor. Simplesmente há uma corrente de adeptos que pelos vistos fica indignada com qualquer crítica a apenas um (ou talvez dois) jogadores do Porto. Todos os outros são criticáveis menos esses.

João nesse jogo na minha opinião foram mais os passes que o Tello. Mas claro que ninguém é 100% eficaz. Inzaghi que talvez tenha sido o mais mortífero de sempre nesse tipo de lance era apanhado inúmeras vezes fora-de-jogo.

DC disse...

Não sei porque é que o João insiste neste tipo de comentários. Qualquer pessoa com olhos na cara vê que os médios, actualmente, vão alternando o posicionamento na saída de bola, existindo lances em que até é o Herrera a vir buscar. Essa do Herrera ser o médio mais ofensivo do Porto é um disparate pegado.

Antonio disse...

Sobre o Casemiro não concordo nos comportamentos defensivos, pese embora seja normal ser mais lento na basculação a dar cobertura depois de ter vindo de um duelo individual no pressing. É absolutamente normal... Mas com bola, os apoios dele na primeira fase são quase sempre inexistentes quando a bola circula entre os centrais e lateral, e tem que ser o Herrera (o outro médio também, mas mais o Herrera) a baixar e a dar um apoio. Sempre foi, sempre será, para proteger os defeitos do Casemiro. Lá está o Casemiro como dizes, com bola, é muito mais fraco que o Ruben, mas sem bola, passa-se o inverso. É normal que o Rúben evolua também.

De resto, concordo com tudo basicamente. Acho que a evolução do Herrera e a forma como o treinador o soube enquadrar em determinadas funções é notável.

João disse...

Aliás, não fosse a boa vontade de um Cédric que não vale caroço, e o lance do 2º golo teria sido invalidado, até porque o Jackson acaba por demorar uma "eternidade" para se enquadrar e fazer o passe. Agora com um lateral que dá uns bons 5 metros de campo em jogo só por conta dele, isto vai.

Não distancio o lance do Herrera daquele do Jackson em Basileia. E ninguém recrimina o Jackson, certamente.

Alberto Silva disse...

Sem duvida Sexta será um jogo complicado, e porque antecede outro jogo importante para o clube, seria melhor outro tipo de adversário nesta jornada, mas é o calendário que temos e há que tentar ultrapassar os obstáculos...não se pode tirar o pé e pede-se á equipa que enfrente esta dupla jornada com tudo..

Bruno Guedes disse...

Boa tarde Sr.José Correia
Ontem, um jogo sempre de resultado imprevisivél, independentemente de sermos favoritos e de os lagartos já há varios anos estarem a léguas de nós, é sempre um clássico.
A resposta da équipa foi fantástica, jogou muito bem e mais do que isso respira companheirismo e ambição. Que bonito ver Quaresma no banco a incentivar e aplaudir os seus companheiros. Gostei do resultado da exibição de tudo, menos de uma personagem que quando quer pode ser dos melhores arbitros portugueses mas que é um vendido.
Este foi o 4º jogo de um ciclo, considerado por nós de infernal. Vitória, Basileia, Bessa, Lagartos, Pedreira e Basileia.
Se nos 3 primeiros o grau de dificauldade seria a deslocação ao Basileia, os próximos 3 são todos eles complicados. Já pássamos 1 e para mim vem o mais díficil.
Sei que este jogo vai ser aqui abordado durante a semana mas a minha cabeça e o meu coração, ontem depois das 9 já estava centrado na Pedreira.
Sexta feira 6 de Março será a mais díficil da batalhas que tivemos até agora. Já o disse que fui criado em Gaia mas que atualemnte vivo em Braga e trabalho em Guimarães á mais de 2 anos e começo a conhecer estas gentes. Existem, claro, braguistas POUCOS MAS EXISTEM, mas existe muito ódio ao FCPORTO. Sexta feira estarão poucos braguistas mas muitos anti-portistas muito ódio em que vão fazer tudo para não ganharmos. Vão fazer daquele jogo uma final.
Sei bem que o mês de Fevereiro e o de Março foram/são terriveis para nós em termos de gastar dinheiro com o clube, começou em Moreira, depois Bessa, lagartos, muitos já compraram para o jogo da champions e no meio a Pedreira. O preço dos bilhetes é grande (20 EUROS)já estão á venda no Dragão, mas em Braga quem conhecer sócios os bilhetes são de apenas 5 euros. Eu vou fazer assim, pois como tenho essa possibilidade escuso de ir ao Dragão comprar o bilhjete e claro, fica-me mais barato.
Mas aos muitos sócios/adeptos façam um esforço e ainda por cima sexta-feira, dia de trabalho, marquem presença pois muitos seremos poucos. A claque que muitas vezes critiquei, que tenham o comportamento fantástico que tiveram no jogo da Taça da liga e que têm tido durante esta época. E aos muitos adeptos que forem ao estádio por uma vez na vida juntem-se a eles e puxem pelo NOSSO FCPORTO. Sexta é MATAR ou MORRER. Já aqui escrevi que não creditava no título e continuo a dizer que o andor contínua muito grande eles já não benefeciam só as galinhas já nos prejudicam e muito( os últimos 3 jogos é só somar penaltis e vermelhos a nossa favor), mas se sexta ganharmos vamos ser campeões. Disso não tenho dúvidas pois o medo vai apoderar-se deles e Domingo não passam em Arouca mesmo com 4 jogadores castigados.
Sexta feira, perdoem-me estas palavras, mas não quero ser FCPORTO, Sexta feira eu quero GANHAR. Não me importo de ser massacrado, de jogar mal, de insultar o meu treinador de insultar os meus jogadores de ter quase um ataque cárdiaco, de sofrer como se fosse o fim do mundo mas quero GANHAR pois por tudo aquilo que dizem de nós por tudo aquilo qeu a impresnsa tem escrito contra nós por sermos os melhores de portugal TEMOS DE GANHAR.
A nossa história foi escrita de sacrificios ganhamos com sacrificio contra tudo e contra todos, está nos nossos genes isso e sexta temos de puxar isso bem alto.
É dificil? Não. É muito mas muito dificil mas também se fosse fácil não era para nós.
Bruno Miguel Guedes -28061

Luís Vieira disse...

Tiago Silva, "chapeau"! Pese embora algumas dissonâncias de pormenor, registo a capacidade crítica e a galhardia do comentário. No lance do chapéu, o Herrera "traçou" completamente os defesas do Sporting. Foi pena a finalização ter sido mal executada, um pouco à imagem do Jackson em Basileia, como o João já assinalou algures. De resto, a saída de bola e a organização ofensiva é o que mais carece de ser burilado. Os restantes momentos do jogo apresentam uma evolução assinalável - o registo defensivo assim o atesta. O Rúben Neves com bola é um regalo (mal entrou, fez lá umas rotações incríveis). Gostava de vê-lo a titular de forma mais consistente para ver se aguentaria jogos deste calibre, do ponto de vista defensivo. É que o Casemiro, apesar de distribuir muita fruta, costuma estar sempre lá (melhorou qualquer coisa). Parece é que regrediu com a bola no pé, o que, supostamente, seria o seu ponto mais forte. Não sei se não terá a ver com a posição e com o facto de estar "mais proibido" de errar, por não ter ninguém ao lado (tanto no Brasil como no Real jogava num duplo-pivot), mas isso será já do foro psicológico.

Pedro disse...

DC, por esse critério (muito estranho diga-se) de oportunidades então o Porto além das 5/6 claras teve mais 5/6??

Uma oportunidade de golo tem como base uma situação de perigo eminente e ou remate à baliza perigoso. A jogada de João Mário não é uma nem outra. Se formos por más decisões que não dão em jogadas de golo... qualquer dia começamos a discutir maus passes no meio campo...


Quanto ao Herrera, teve uma 1ª parte boa, e uma 2ª excelente. Dizer que jogou mal na 1ª parte... parece-me mais embirrice do que opinião. Mas é um facto que os portistas, até a julgar pelo ambiente no estádio ontem, andam um pouco com a mania das grandezas. Olhamos para o Herrera e julgamos como se fosse o Iniesta.

DC disse...

Pedro, não é para si, é para mim.
Da mesma forma que o Herrera para mim jogou mal na 1a parte e bem na 2a.
Eu julgo toda a gente como se fosse o Iniesta porque eu sou adepto do Porto, não sou do Arrifanense.

Mário Faria disse...

Os primeiros 20 minutos foram divididos. Obviamente, que era bonito o leão ser domado mal o árbitro apitasse e o FCP chegar ao Knockout cedo, mas jogávamos contra outra equipa, bastante boa e que, provavelmente, conheceria o guião para contrariar o nosso jogo, segundo as metodologias seguidas no jogo da taça, com sucesso. Não tinham passado 10 minutos de jogo, e ao meu lado já se ouviam assobios que chegasse. Se a equipa mostrou alguma tremedeira, até percebo fase à importância do jogo e ao histórico recente. Com pressão alta e as linhas subidas, não havia maneira de passar a primeira fase de construção (em “posse”) senão correndo os riscos decorrentes da enorme concentração na zona. Bem sei que não faltará quem conheça o caminho das pedras, mas o SCP, como a maioria das equipas no Dragão (e não só), joga no erro e, para além disso, tem jogadores muito interessantes do meio campo e na frente. E o nosso modelo “de ter bola” é um meio de tirar iniciativa ao adversário e nos defender do contra golpe adversário. Mas, não é infalível, por pecados nossos e virtudes alheias. O FCP não é uma equipa perfeita, mas isso é uma coisa que todos deveriam saber e reconhecer. E ao menor descuido, sofre-se um golo (lembremo-nos do SLB), depois de um começo arrasador, encaixa-se um golo de um lançamento de bola fora, e lá andamos atrás do prejuízo que não ultrapassámos, apesar de termos feito, a meu ver, um jogo bem melhor do que fizemos e nos levou à vitória do campeonato ao minuto 92. Neste momento, estão os mesmos brilhantes oradores que davam o SCP como favorito no jogo de ontem, a desconstruir os factos e a formar a narrativa que justifica, tintim por tintim, as razões do insucesso.
Os primeiros 20 minutos do jogo de ontem, são uma parte de um todo que teve um final feliz e não deve ser separado do êxito (do todo). Não foi uma excrescência, porque o jogo é composto de inúmeras acções e de mudanças, num diálogo permanente com os problemas que o adversário coloca. A equipa errou, mas emendou, foi prudente, não sofreu golos, ajustou, melhorou e soube construir a vitória a pulso, como quase sempre faz.
O FCP, ontem, esteve muito bem e Brahimi não brilhou como noutros momentos, mas é preciso perceber que foi sujeito a uma marcação muito cerrada e tem de saber conviver com a situação e aprender a ultrapassar esse constrangimento, com ajuda do treinador e da equipa. Este tipo de jogadores tem uma missão complicada porque não estão dispensados do esforço colectivo nas tarefas defensivas e ofensivamente têm de criar em espaços reduzidos e contra adversários que não os largam, mais uns quantos ajudantes que estão prontos para os atacar, apertar e outras maldades. Em Brahimi, é a natural “crise” de crescimento que vai superar porque tem condições para isso e o treinador sabe da poda.

João disse...

Pois é, era uma pena não ser ele a vir buscar em Alvalade e terem-lhe pedido que estivesse melhor posicionado quando o Rúben perde uma bola no meio campo defensivo.

Basicamente continuamos no "tem que estar em todo lado a todo o momento. Está? Não faz mais que a obrigação dele. E aquele Evandro? Que craque feito!"

meirelesportuense disse...

Eu não queria entrar em discussão por algo que não interessa muito, mas eu tive a partir dos 20 minutos esta percepção, senti uma quebra dos jogadores do Sporting, se foi anímica ou foi uma combinação da parte física e anímica não sei, mas existiu de forma clara...