sexta-feira, 17 de abril de 2015

O jogo mais importante do ano?

É humanamente impossível pensar que, depois de uma noite europeia histórica, há pernas e cabeça para que uma equipa se consiga concentrar como se exige para um jogo do campeonato em casa.


José Mourinho, que não é suspeito, disse em 2004 que para que o seu FC Porto pudesse ambicionar ir à final da Champions League era necessário um colchão pontual importante para evitar essa tensão e as suas consequências. Onze anos depois estamos em boas condições de voltar a umas meias-finais mas, ao mesmo tempo, temos três pontos de atraso (e alguns golos) do rival do jogo de domingo a oito dias. Antes da Luz há uma super-desgastante viagem a Munique (ninguém duvida que o Bayern vai vender cara qualquer derrota) e um jogo fundamental contra a Académica. O jogo seguinte.

“Partido a partido” foi a máxima do Atlético de Madrid para ganhar a maratona ligueira contra o Real e o Barcelona e ainda assim chegar à final da Champions. Não tinham como adversário um rival com dez pontos de borla como se um cupão de descontos do Lidl fosse mas sim duas hiper-equipas (uma delas também tiveram de eliminar na Champions). Essa mentalidade não era só uma questão semântica. O sucesso passa pela capacidade de concentração e crença. Uma equipa não pode ou deve ligar e desligar porque algum dia pode confundir-se nos botões. Uma cultura de vitória é precisamente aquela que olha para cada jogo como se fosse o mais importante. E é isso que o FC Porto tem de fazer neste ciclo infernal e no que venha depois se tudo correr bem.

Não deixa de ser verdade que para o jogo no Dragão contra a Académica há importantes condicionantes. Fisicamente o plantel sofreu com alguns desajustes e lesões que forçaram jogadores a acumular minutos (as ausências de um Adrian ou Tello, a ida de Brahimi à CAN). Um descanso – se queremos repetir o mesmo desgaste na Alemanha e na Luz – é inevitável para pernas cansadas como as de Herrera, Oliver e um recuperado Jackson. Também há o temor dos amarelos – e Duarte Gomes inspira genuinamente temor – sobretudo no caso de Danilo que jogará seguramente (não vai a Munique), mas que tem o fantasma pendente de não ir também a Lisboa.

Temos de dar por garantido que a forma como o Belenenses já se despiu e deitou na cama em posição adequada com a série de ausências que recorda a vergonha da primeira volta dará não só três pontos como vários golos (e os golos vão ser importantes, acreditem) ao rival. Nós só podemos fazer o nosso trabalho, a saber, somar seis pontos e um goal-average superior nos próximos 180 minutos de campeonato. Nada mais. Quem jogou como jogou na quarta-feira é seguramente capaz de o lograr. Outra coisa é que o consiga fazer.

É nessa dinâmica que o trabalho de Lopetegui – que saiu hiper-reforçado do jogo da passada quarta-feira – é fundamental. Tem de convencer os que vão jogar, de entre os titulares habituais, no sábado, que é um jogo tão importante como qualquer outro. É verdade mas digam lá isso a miúdos que só querem brilhar na Champions e voltar aos seus clubes de origem ou assinar os contratos da sua vida. Não será fácil mas é nesses momentos que os “pastores de homens”, como dizia Homero, se mostram realmente. Lopetegui tem também de saber motivar os menos habituais, os que seguramente não vão jogar mais neste ciclo de três jogos de que a sua participação contra a Académica é tão importante para o clube como a de ontem. Muitos terão uma decisiva oportunidade, outros terão de responder à confiança do mister.

Lopetegui na conferência de imprensa antes do FC Porto x Académica

Vencer a Académica em casa devia ser quase uma garantia mas com muitas cabeças na noite de ontem e na de terça-feira (ou até no domingo a oito) claro que todos se lembram de tropeções históricos do passado. Chegar á Luz com possibilidade de passar à frente é tudo aquilo que se pode exigir a uma equipa roubada desde o primeiro minuto do campeonato do seu legitimo direito de aspirar a um título que merece muito mais que o seu rival.

Tendo em conta as ausências em Munique – Danilo, Alex Sandro – e a importância do jogo com o Bayern (não se enganem, a eliminatória vai a meio, um 2-0 não é um resultado tão improvável mas a 90 minutos de fazer história e sabendo a roubalheira que nos espera na Luz, o normal é mudar o chip) Lopetegui deverá apostar num onze que misture o melhor de dois mundos. Marcano, Danilo e Alex devem jogar com Reyes a fechar no centro. Ruben deveria ser titular como trinco – jogamos em casa e é a Académica – e Evandro e Quintero devem terminar por fechar o meio-campo. Para o colombiano pode (deve) ser a ultima oportunidade. Hernâni e Aboubakar são fixos no ataque e eu, pessoalmente, jogaria com Gonçalo. Dois avançados, intenção clara: marcar golos e dominar em casa.

Essa poupança de pernas permitia aos jogadores que sim vão ser titularíssimos em Munique descansar e não tirar a cabeça dos alemães e aos restantes membros do plantel demonstrarem que esta é uma equipa unida e que todos remam em conjunto, ainda que com tarefas divididas. No final as medalhas ao peito têm de valer por algo e há ali nomes que precisam de dar o seu contributo de forma definitiva. Não há melhor momento que agora.

Vencer a Académica garante um Jorge Jesus cagado na Luz. Um Jorge Jesus que vai passar a vergonha histórica de defender em casa um empate miserável que depois o resto dos seus amigos de negro confirmem que a diferença pontual se mantém vigente até ao fim da liga. Um Jorge Jesus que está eufórico com o desgaste físico desta eliminatória esquecendo-se de que o prestigio acumulado em noites europeias como estas valem mais que todas as suas pseudo-finais de UEFA e títulos de liga encomendados. Mentalidades pequenas pensam sempre da mesma forma.

O FC Porto tem no seu ADN o futebol europeu a cores e 3D e a vitória histórica de quarta-feira abre as portas a uma meia-final inesperada. Em casa temos de ser fiéis a nós próprios e competentes. Vencer a Académica garante um “showdown” na Luz, já com a questão alemã resolvida (para bem ou para mal). É por isso um jogo fundamental.

Uma vitória encherá a equipa de confiança, de vontade de vencer não só o Bayern mas também o Benfica. Uma sensação de dever cumprido que ajuda sempre ao ego. Uma sensação de – nem todos derrotados nos conseguem fazer perder o rumo – tão à Porto. Uma derrota ou empate, pelo contrário, condiciona a corrida ao título de forma definitiva e pode ser um golpe psicológico e um acrescento de pressão para Munique que a equipa não precisa nem merece. Resolver a equação matando o jogo de sábado cedo é fundamental. Se o Dragão ajudar como na quarta-feira, muito melhor.

No entanto, cuidado. Num campeonato viciado, ninguém poderá apontar o dedo se no meio deste ciclo de jogos de alto nível haja no plantel quem pense mais nas estrelas e nos hinos de glória que outros nunca ouvem do que em dar tudo contra uma equipa que na Luz foi amiga, amiga, para depois encontrar-se com os dados viciados na esquina seguinte. Este FC Porto pode não vencer nenhum titulo em Maio, mas já fez mais em meia dúzia de jogos que outras equipas em cinco anos. Essa memória não deixaremos que se apague.

18 comentários:

José Correia disse...

"Em Munique trataremos de fazer outro trabalho fantástico a todos os níveis. Repito, o rival é uma das melhores equipas da história e vai obrigar-nos a fazer mais uma grande exibição. Daqui a três dias vamos jogar para a I Liga e três depois em Munique... Creio que isso é mau para o futebol português, sou absolutamente contra fazer o jogo de sábado, mas lá estaremos e trataremos de fazer o melhor."

declarações de Lopetegui, na conferência de imprensa após o FC Porto x Bayern

José Correia disse...

"As regras na UEFA e nas competições internas indicam que não se pode jogar duas partidas com intervalo inferior a 72 horas. Havia acordo para mudar e havia datas disponíveis. No entanto, alguém decidiu assim. Por vezes não há alternativas, mas neste caso havia. Temos de dar uma resposta à realidade"

declarações de Lopetegui, hoje, na conferência de imprensa antes do FC Porto x Académica

José Correia disse...

"O que temos primeiro é que recuperar os jogadores, porque muitos ficaram marcados [pelo FC Porto x Bayern]. Vamos deixar passar mais 24 horas para ver o estado geral de todos, para escolher a equipa que acharmos mais conveniente para o jogo com a Académica"

declarações de Lopetegui, hoje, na conferência de imprensa antes do FC Porto x Académica

Desconhecido disse...

Segundo parece foram instruções precisas da Liga para que o jogo fosse sábado. A Académica, segundo o seu treinador estaria de acordo com o adiar do mesmo para 29. É esta a escumalha que dirige o futebol nacional.
Rebelo
http://www.ojogo.pt/Futebol/1a_liga/academica/interior.aspx?content_id=4517026

José Correia disse...

«Os médios Rui Pedro e Nuno Piloto estão de regresso aos convocados da Académica para a visita de sábado ao FC Porto, após ausência por castigo.
Os dois jogadores, habituais titulares no meio-campo da Briosa, regressam após terem cumprido um jogo de castigo na última jornada, na partida frente ao Benfica, por acumulação de cartões amarelos.»
in ojogo.pt

José Correia disse...

«O treinador José Viterbo deixou ainda bem claro que a Académica estava disponível para adiar o jogo de sábado com o FC Porto, que na quarta-feira disputou em casa a primeira mão dos quartos de final da Liga dos Campeões»
in Maisfutebol

Bruno Pinto disse...

1-3 na Luz e passamos para a frente...

José Correia disse...

Se a ideia de Lopetegui for poupar todos os jogadores que foram titulares contra o Bayern e que irão jogar em Munique, o onze inicial contra a Académica poderia ser o seguinte:

Fabiano
Danilo, Reyes, Marcano, Alex Sandro
Campaña, Rúben Neves (Quintero), Evandro
Hernâni, Aboubakar, Adrian Lopez

Luís Gagliardini Graça disse...

Grande post!

Claudio Filipe disse...

Não acho, longe disso, que o Benfica tenha garantida a vitória sobre o Belenenses. O SLB tem revelado muitas falhas nos jogos fora de casa.

True Blue disse...

Também não vamos complicar.. Foi a SAD do FCP que não quis adiar o jogo com a Académica, pois senão o FCP quando fosse à Luz, iria a 6 pontos de distância. E, isso, em termos psicológicos, emocionais, tem sempre o seu peso negativo. Mesmo que depois, na prática nem seja verdade.

Para o bem e para o mal a SAD do FCP decidiu que não se deve adiar para amanhã o que se pode ganhar (resolver) hoje.

Os jogadores podem bem ficar a dormir domingo e segunda todo o dia... para poderem recuperar do esforço, da canseira. Depois, a partir de 24 Maio entram de férias com mais de mês e meio para gozar e desfrutar.

Não vamos entrar assim por esses campos da vitimização e das queixinhas.
na Terça na Arena de Munchen tomara qualquer um poder jogar e ser titular..

J L é um Treinador que sabe muito, mas ainda não domina tudo.. muito menos do futebol português, e, Quem está na SAD do FCP já passou por outros carnavais, já sabe bem como se fazem as coi

José Correia disse...

True Blue disse: "Foi a SAD do FCP que não quis adiar o jogo com a Académica"

Ai sim?
Onde é que leu isso?

Joao Goncalves disse...

Pior que isso é o Viterbo ter afirmado que a Académica e o seu treinador tinha acordado e acedido adiar o jogo por ser um ponto de interesse nacional... afinal quem é que rejeitou esse adiamento??

Isso é que deveria ser denuncio por NOME pelos dirigentes do nosso clube e ser atacado, fustigado, massacrado e insultado em praça pública.

E deveria ter sido logo assim que se soube para ainda poder ser revertida... e volto a dizer, por o nome aos burros!

Andamos (direção) demasiado calados para aquilo que me habituei...

José Correia disse...

«Pinto da Costa entende que o jogo com a Briosa devia ter sido adiado.

"Chegou-se a falar nisso, mas foi marcado definitivamente para sábado [dia 18], ainda antes do jogo com o Rio Ave. A Liga entendeu que não podia esperar pelo resultado, mas, se calhar, para o futebol português não é importante ter algum clube nas meias-finais da Liga dos Campeões"»

Pinto da Costa, em O JOGO de 17-04-2015

Miguel Lourenço Pereira disse...

Fica uma vez mais Pinto da Costa em evidência. Quando outros clubes querem adiar jogos, podem. O FC Porto quando quer/necessita não tem poder para o fazer. Consequências de uma desastrosa politica de bastidores na última década que apagou muito do importante e excelente trabalho logrado nas duas anteriores.

True Blue disse...

"J L é um Treinador que sabe muito, mas ainda não domina tudo.. muito menos do futebol português, e, Quem está na SAD do FCP já passou por outros carnavais, já sabe bem como se fazem as coisas por outro lado."

Oh meu caro JC (José Correia), o sr sabe sabe que nem tudo o que reluz é ouro. Assim, o sr não pode levar à letra tudo o que vem nos jornais. Por esse prisma, PC também disse que Hulk só saía por 100 e afinal saiu por 60!! Por esse prisma o sr sabe bem que foi PC quem mandou penhorar a sanita, mas que quem ficou com o ônus da 'culpa' foi o catroga!! Ou seja: o sr sabe bem que nunca se deve (pode) dizer tudo o que se sabe, nem o seu contrario. Assim, tipo nunca digas tudo o que pensas, nem nunca penses tudo o que digas... Acha mesmo que PC, ou qualquer outro, iria dizer tudo, iria mostrar os trunfos todos?! Não pois não!! Pela sua lógica, pela sua bitola, Jackon Martinez que estava pronto há mais de 15 dias para jogar, e foi 'escondido' porquê?! Exactamente... porque na vida como futebol (que é um jogo), não podemos dizer tudo, não se pode dizer a verdade toda.. temos que fazer bluff, fingir que.. dizer uma coisa, e fazer outra, etc,etc!!!

Espero assim ter-me feito compreender, porque numa caixa de comentários é difícil!

E por isso eu mantenho que foi a Estrutura do FCP (e bem) que não quis adiar o jogo, até porque sabemos, a própria Académica estava disponível. Foi pois uma decisão, estratégica do FCP. Boa ou má depois o saberemos.

- - - -

Outro caso exemplar e actual de que as coisas nunca são aquilo que parecem. Ou não parecem aquilo que são !!!

O Treinador JJ do SLB e o Treinador do Belém, um tal de JS chegaram a acordo para não se utilizar Miguel Rosa e Rui Fontes.
Os dois e quem está por trás deles fizeram o acordo.
Certo?!

Assim, dessa forma, puseram todo o enfoque, puseram todo o País do futebol a falar do caso dos Emprestados. Uns a favor, outros contra. mas todos a falar do Rosa e do Rui Fontes.. Certo?!

Só que ao fazer isso, foi apenas para distrair a maralha, para desviar as atenções do essencial. Ao falar-se dos emprestados ninguém se apercebeu que na realidade Dalcio e Pélé vão jogar e se calhar vão jogar a 10 à hora.. para que (em teoria) seja mais fácil ao SLB garantir os 3 pontos no jogo de hoje.

Está a ver assim onde quero chegar?!

As coisas nunca são o que parecem... e nem tudo o que vem
publicado nos jornais é verdade, é real. Tipo dizer uma coisa e fazer outra!!!

:-)

Mário Faria disse...

A CL é prestígio+dinheiro o que é muito compensador em termos de reconhecimento e em termos financeiros. O campeonato não traz estes resultados mão não há como combater as tendências hegemónicas do SLB se não o fizermos no nosso campeonato e formos capazes de ultrapassar as desordens que a "Ordem" vigente comanda. Por outro lado, estar com força em muitas frentes é muito complicado quando se tem um plantel curto e em alguns sectores deficitário para tanto jogo de intensidade alta e muita alta. Isto é a quadratura do círculo que os adeptos raramente reconhecem. Lopetegui faz o seu caminho. A rapaziada de Lisboa detesta-o e não julgo que seja pelos seus pecados. Mas não nos enganemos: para termos razão só a conseguiremos se for sustentada em vitórias, a ganhar cá dentro.

Ricardo Manuel disse...

Se conseguirmos sair de Munique sem lesões em jogadores chave, temos tempo para descansar e ir á luz massacrar, o Benfica irá jogar apenas no erro, portanto temos que ter personalidade e objectividade, porque se formos á luz fazer posse na defesa e os médios na criarem roturas pelo jogo central vai ser complicado, porque maxi e Eliseu estar colados aos nossos extremos, herrera terá que não estar nervoso ( este contra o bayern na primeira parte e contra o Benfica no dragao) brahimi contra o Benfica praticamente nem se viu e mesmo assim podíamos ter feito outro resultado.
Agora a ajudar tudo isto era passar o bayern, porque caso não passarmos poderá quebrar confiança.
Se passarmos o bayern para mim já ganhamos o campeonato e depois se ainda formos á luz ganhar por 3-1 ou 4-2 então é como se tivéssemos ganho campeonato e champions.