sábado, 4 de abril de 2015

Quartos-de-final: faltam 11 dias

Borussia Dortmund x Bayern Munique (fonte: REUTERS)

Hoje à tarde disputou-se o grande clássico do futebol alemão (pelo menos dos últimos anos). O Bayern deslocou-se a Dortmund e, perante um imponente Westfalenstadion completamente cheio, derrotou o Borussia por 1-0, mantendo a liderança da Bundesliga, com uma confortável vantagem de 10 pontos para o 2º classificado.

Há quem diga que, nesta altura, o Bayern está fragilizado.
Fragilizado?

Bem, o onze inicial que Pep Guardiola apresentou no Westfalenstadion tinha “apenas” cinco campeões do Mundo – Manuel Neuer, Jérôme Boateng, Philipp Lahm, Bastian Schweinsteiger, Thomas Müller – e, na 2ª parte, ainda entraria um sexto jogador – Mario Götze - que, há 9 meses atrás, também se sagrou campeão do Mundo no Brasil com a camisola da Mannschaft.

Mas, para além destes rapazes, o onze inicial da equipa de Munique também incluía “mancos” como Rafinha, Dante, Benatia, Xavi Alonso e Lewandowski.
E, na 2ª Parte, ainda se iria assistir ao regresso de Thiago Alcântara.

Se uma equipa que conta com este lote luxuoso de jogadores, os quais aliam uma enorme qualidade à experiência, é uma equipa “fragilizada”, vou ali e já venho…

5 comentários:

miguel.ca disse...

O que dizer? Vamos ser eliminados sem espinhas e muito provavelmente de goleada.

Vitor Soares disse...

Se é com este espírito de perder de goleada que entramos em campo, mais vale nem comparecer...

PortoMaravilha disse...

Viva,

So' pode ser goleado quem não participa.

Apo's um empate a zero, o Bayern marca o primeiro golo contra o Donetsk de pénalti aos 3 minutos, jogando, em seguida, 87 minutos contra 10. Por esta razão, a goleada (7-0) talvez não espelhe o valor do Donetsk, embora não queira dizer, com isto, que o Bayern não é superior.

Lembro-me perfeitamente bem das cro'nicas dos jornais "L'Equipe" e "France Football" (naquela época ainda era lido) e outras publicações... dias antes da final de Viena,onde Stephan Mayer prognosticava no dia'rio "L'Equipe" uma vito'ria fa'cil por 5-0.

So' pode ser goleado quem esta' presente como so' pode fazer viver a memo'ria quem esta' presente. Os quartos de final não remetem apenas para um marco histo'rico da competição, são também a expressão viva de que o Porto foi o primeiro clube a dar uma Liga dos Campeões a um Africano (Madjer) e, igualmente, o primeiro a ganhar a referida competição com três continentes representados.

E Viva o Porto!

José Correia disse...

Quem não quiser correr o risco de medir forças com os colossos europeus da actualidade - Bayern Munique, Barça, Real Madrid - é melhor não disputar a Champions, ou então fazer como o Jorge Jesus e apostar na Liga Europa (este ano a coisa correu muito mal e disseram adeus à Europa no início de Dezembro).

Dito isto, convém ter consciência da enorme valia da equipa liderada por Pep Guardiola e dizer, alto e bom som, que a historinha de que o Bayern está fragilizado é uma grande treta.

Antonio disse...

em 87 também iamos ser goleados e depois foi o que se viu.
Um Juary meio manco e um calcanhar de oiro resolveram.
Desta vez veremos. Esta equipa não deve muito à outra.
O BM talvez seja mais forte agora, mas são so onze e nos até estamos habituados a jogar em inferioridade.