quinta-feira, 16 de abril de 2015

Uma arbitragem do (Carlos Velasco) Carballo


Como qualquer adepto, vivo no Dragão as emoções do jogo. E ontem foi um dia de emoções fortes. Um dia memorável, sobre o qual queremos manter as boas recordações: a garra; a força; a inteligência; a qualidade; a vitória.

No entanto, talvez por defeito profissional, não consigo desenquadrar as emoções do jogo de pormenores que me fazem duvidar do que - ou melhor, perceber o que - realmente se está a passar à minha frente.

Ontem foi um desses dias.

A arbitragem de Carlos Velasco Carballo (que apitou, no Mundial, o célebre Brasil x Colômbia) foi uma verdadeira vergonha, tal a predisposição, a premeditação e a organização de tudo o que fez.

A única coisa em que falhou – o árbitro ainda estava frio e foi surpreendido pela rapidez da jogada – foi ter marcado falta (na verdade, inexistente) ao Jackson, no princípio da jogada do penalti, com o que teria impedido o primeiro golo do Porto. Escapou-lhe essa, mas logo a compensou…

De facto, o senhor Carballo mostrou, ao longo de todo o jogo, ao que vinha: não mostrou cartão vermelho a Neuer numa jogada em que inquestionavelmente o merecia; apitava em favor do Bayern tudo o que eram lances a meio campo; amarelou os nossos laterais e ignorou o segundo amarelo ao lateral direito do clube alemão. Amarelou o Casemiro numa jogada de meio campo absolutamente normal e ignorou amarelos aos germânicos quando cortaram contra-ataques.

O resultado é o seguinte:
1. O Bayern jogou o jogo todo com um jogador a mais do que o que devia;
2. O Neuer jogou cá e vai jogar em Munique, quando não devia;
3. O lateral direito dos alemães vai jogar em Munique, quando não devia;
4. Nós vamos sem laterais para Munique.

O serviço estava bem encomendado para cá e não deixará de ser solicitado a outro servente em Munique.
Claro que, como adepto, tenho esperança. Mas só com uma exibição sem erros (difícil) e sempre contra a arbitragem que se adivinha conseguiremos passar.

Agora que desabafei, vou fingir para mim próprio que não me apercebi de nada disto e gozar, como uma criança, o sabor da grande vitória ontem alcançada.
   

4 comentários:

jnporto disse...

Boa Tarde,
Mesmo assim quem nos dera termos arbitragens semelhantes na Liga portuguesa. Por norma, ao Porto são sempre assinaladas mais faltas do que a qualquer adversário ontem aconteceu o contrário. Jackson recebia a bola por alto e conseguia dominá-la por vezes com falta assinalada ao adversário, enquanto na Liga portuguesa raramente isso acontece pois marca falta a Jackson. O lance do penalty não teria sido assinalado pela gente da APAF pois o roubo de bola que resultou no primeiro golo seria considerado falta. Carballo "inclinou" o campo para o Bayern, como diz, os seus auxiliares nem por isso. A minha opinião é de que se tivéssemos arbitragens desse nível na Liga, embora discutíveis, nem os dois a zero no Dragão teriam acontecido. Basta atentar nas ocorrências desse jogo. Cumprimentos

Luís Gagliardini Graça disse...

Tem razão. As arbitragens da APAF são piores. No entanto, numa prova como a Champions, com equilíbrio entre as equipas e a eliminar, estes desequilíbrios causados pela arbitragem parece-me mais dramáticos.

True Blue disse...

Nada que já não se esperasse.. e sim, na Arena vai ser pior, muito pior. Em Munique o FCP vai jogar contra o Bayern, contra a UEFA, contra a Nike, Adidas, Puma, Coca cola, Heineken, Mercedes, Audi, BMW, Ford, Sony...

São muitos, muitos milhões em jogo no negócio, no business da indústria futebol. Para além do orgulho e arrogância teutónica postas em cheque. Até a
Chanceler Merkel vai pressionar!!!

Na UEFA como na APAF quem nomeia sabe bem quem manda, quem escolhe.

Que os jogadores portistas se abstenham de tudo isso e se concentrem dentro das 4 linhas. Danilo e Alex Sandro estavam avisados e não tiveram cuidado. Os amarelos eram desnecessários. Faltou-lhes cabecinha, sangue frio. O que é normal, pois são novos.

Bruno Guedes disse...

Bom dia.
Sim a arbitragem foi má, se fosse na outra área o Fabiano era expulso sem espinhas.
Esse foi o lance capital do jogo. Não sabemos como seria depois, sabemos sim, era que o Neuer é omelhor do mundo e é a par do Polaco da frente as posições na qual os suplentes ficam uns furos abaixo. Reina, para mim nunca foi um grande GR e Pizarro apesar de ser bom, não é igual nem nada que se pareça com o Polaco. O bayern nos oitavos em casa teve uma situação igual em que o arbitro não exitou em expulsor o jogador ucraniano logo no 1º minuto de jogo.
Sim, a arbitragem terça será complicada, assim como a pressão para ter uma equipa alemã nas meias finais. A final de sonho é Bayern vs Barcelona em Berlim e normalmente Platini ( que tem a corrupção bem cravada nas veias) não vai facilitar. Se viesse a acontecer um milagre, o futebol alemão ficava sem equipas nas competições europeias nas meias finais. O Nápoles foi dar 4 a Alemanha.
Relativamente aos amarelos, acho que os amarelos a Danilo e Alex Sandro são bem mostrados, o problema é que ficou por mostrar amarelo ao Boateng, que falhava a 2ª mão e a expulsão do Bernat.
Portanto foram"só" 2 erros pequeninos sem influência no resultado.
Terça teremos outro Hugh Dallas.
Estou preocupado para amanhã
Bruno Miguel Guedes - 28061