terça-feira, 19 de maio de 2015

Mudanças no balneário

                Enquanto o treinador descarrega a fúria no banco, o CEO finge de nada se aperceber consultando o telemóvel...

O FC Porto tinha de ganhar este jogo no Restelo para salvar a honra. Tinha de o ganhar. Por muitos motivos, incluindo evitar a festa vermelha e derrotar um dos grandes aliados do inimigo, o Belenenses.

E convém não esquecer que o presidente da SAD do Belém, Rui Pedro Soares, que tem sido muito criticado pelos próprios adeptos, já foi agraciado com um Dragão de Ouro como "Sócio do Ano". Ele que esta época andou em negociatas de jogadores com o Benfica e permitiu a farsa que foram os dois jogos entre esses dois clubes lisboetas, desde a exclusão de atletas titulares nos azuis a atrasos mal feitos para o guarda-redes que permitiram um golo ao SLB. Enfim, uma javardice que recomendaria muito mais cuidado na atribuição do galardão, i.e., este deveria ser atribuído apenas a sócios e figuras do FC Porto que tenham uma vida dedicada ao clube, evitando o aparecimento de para-quedistas que hoje estão cá e amanhã estão do outro lado da barricada.

Conforme disse no início, o jogo em Belém era para vencer. Acabou por repetir-se algo que já tínhamos visto esta época, em especial na Madeira, no jogo contra o Nacional. O FC Porto entrou em campo sabendo que o SLB tinha perdido em Vila do Conde, e até esteve a vencer por 1-0 ao intervalo, fruto de um golo de Tello, mas fez uma segunda parte horrível, cheia de erros individuais que acabaram por custar 2 pontos. Também esta segunda parte em Belém foi uma vergonha. A equipa deixou de jogar futebol. Parece que os jogadores desligaram, passando 45 minutos a fazer disparates.

Por isso defendo uma limpeza de balneário com efeitos imediatos. Oliver, Herrera, Brahimi e Alex Sandro, fizeram péssimas exibições, com especial destaque para este último. Eles foram a face de uma segunda parte absolutamente vergonhosa. Como compreendo a reacção de desespero do treinador a dar murros no tecto de plástico do banco de suplentes – não havia fibra nem carácter em campo. São precisos jogadores que mordam a camisola nestes momentos, que liderem a equipa para que ela não fique perdida dentro do campo. Actualmente não há. Ou há mas estão em final de carreira, como Hélton e Quaresma.

O trabalho a fazer é imenso. “A messe é grande e os trabalhadores são poucos”.

Acredito que Lopetegui deve continuar. Mas também acho que não lhe devem ser dados mais jogadores espanhóis ou outros que não estejam 100% identificados com um projecto de longo prazo. Chega. Hoje temos um balneário descaracterizado pelas ambições de jogadores que estão cá de passagem. Hoje estão cá mas com um olho “noutras ligas mais importantes”. Isso não nos interessa porque esses são os primeiros a pouparem-se, a não “meter o pé”, a não honrar a camisola que vestem. Esses devem ser vendidos.

Há muito trabalho a fazer. Cabe a Pinto da Costa, como líder máximo, ajustar a estratégia.
   

40 comentários:

Nuno de Campos disse...

André Castro, porque saiu?

Pedro Mota disse...

Concordo em parte com o artigo. Lopetegui não me parece ter qualidade para treinar o Porto,e sobretudo não me parece que haja condições para ele continuar. Vamos imaginar a próxima época. O Porto terá ainda mais pressão para vencer,o plantel será teoricamente pior, os adeptos divididos em relação ao treinador e sem paciência para mais deslizes,será que Lopetegui ,pelo que já mostrou esta época, conseguirá ter sucesso na próxima?! Tenho muitas duvidas. É preciso haver mudanças,não pode ficar tudo igual. Os adeptos este ano foram incasavei,empre com a equipa a apoiar. No final da época já começamos a ver contestação,caso nada mude como será se começarmos mal o campeonato?! ..Quanto aos jogadores é simples: quem não tiver vontade e conciencia do que é o Porto pode ir embora,seja quem for.

Pedro ramos disse...

Ah bem, que fácil... no ínicio da época chegou novo treinador e 16 novos jogadores para limpar a vergonha da época de PF, agora... venham mais 24 jogadores, cujo principal predicado seja comer a relva e se possivel um novo treinador seja ele qual for, o importante é manter as ilusões dos adeptos. Já agora que passem 10 ou 12 juniores à equipa principal.

Ricardo Rodrigues disse...

O plantel será teoricamente pior em todos os 3 "grandes", pelo que não me parece que seja por aí.

Saci Pererê disse...

Parecemos os lampiões, dois anos sem ganhar nada e põe-se tudo em causa. Tenham calma e pensem com cabeça fria.
A meu ver o único erro deste FC Porto foi não ter uma voz forte e que pusesse em sentido o sistema lampiónico e também os atletas da casa, e não me refiro ao treinador. O Antero ou assume de uma vez por todas um papel de dirigente ou que vá escrever no smartphone no sofá da sala, que merda é essa?

Cochise disse...

Já o disse várias vezes que acho que o Lopetegui não deve continuar. Conheço muitos amigos portistas que são da mesma opinião. Falhou em toda a linha e na próxima época vai estar sobre enorme pressão (muito maior que este ano). Mesmo aqueles que defendem a sua continuação não vão ter paciência para mais deslizes. Vai dar asneira e vamos ter que mudar de treinador a meio da época. Mais um ano perdido. E eles a inchar.

Czarli disse...

Julgo que o ponto principal terá que passar pela manutenção do treinador. Obviamente que terá muito mais pressão mas esperamos, igualmente, que tenha capacidade para aprender com os erros e não voltar a cometê-los.

O segundo ponto terá que ser pela (semi)limpeza do balneário. Há jogadores que estarão mais maduros na próxima época, mas sinceramente espero que o Brahimi e mais alguns sejam rapidamente vendidos. De que nos vale um jogador que é, claramente, bastante evoluído tecnicamente mas depois não saiba soltar a bola no momento certo e prefere tentar fintar mais 2 ou três até perder a bola e com a equipa desposicionada arriscarmos a sofrer um golo em contra ataque? Prefiro um jogador com menos capacidade de rasgos mas que pelo menos seja inteligente e principalmente que sue a camisola em vez de estar a pensar em fazer jogadas para vídeos de youtube.

Claramente precisamos de referencias e um Ricardo Carvalho seria mais que bem vindo. Misturar muita juventude com alguma experiência, muita vontade e profissionalismo e adicionar algumas "estrelas" (Tello é dos exemplos) que realmente podem fazer a diferença em campo e que estando isolados no sentimento de se guardarem para os jogos da Champions, consigam ser embalados pelo espírito do balneário para entender que ali é para se ganhar sempre.

Seja na Madeira, seja contra o Boavista, seja em Belém. Os jogadores/treinadores(/dirigentes tem todos de rumar para o mesmo lado) tem de saber que há jogos tradicionalmente complicados e que a única coisa a fazer é correr ainda mais e batalhar para conseguir os 3 pontos.

António Varela disse...

Ninguém se importa com o que ele está a fazer no banco (dar murros na cobertura). No banco é um homem só. Ou saiem os outros todos, Ou sai ele. Como está tem tudo para dar para o torto

Paulo Monteiro disse...

Pois, o problema é que a cada notícia que leio a associar jogadores ao Porto ou são Espanhóis ou vêem de Espanha. O que é que aconteceu à antiga política de contratações do Porto que tantas cartas dava? O Brahimi é bom jogador, mas parece-me que o nível de motivação de um jogador que vem da Liga Espanhola para a Portuguesa desce em vez de subir, excepção feita quando joga na Liga dos Campeões. Se o Lopetegui só compra jogadores da confiança dele, tem a obrigação de os fazer dar tudo em campo por ele.

Ribeiro DeepBlue disse...

Este Cochise nunca comentou aqui.
Aparece agora vindo não se sabe de onde.
Cheira a lampião.

Portista Sec XXI disse...

Vou começar pelo fim; Mas qual estratégia? Esta ou melhor a falta desta é um dos problemas maiores do actual FCP. Só assim se compreende que em 4 épocas, já vamos com quatro treinadores diferentes. Quando tudo corre ás mil maravilhas todos sabemos quem é o responsável pelo sucesso: O presidente. Quando as coisas começaram a correr pior o que era bom foi o presidente o que foi mau foi da responsabilidade do Antero. Esta época a culpa claro que não morre sozinha e o culpado dá pelo nome de Lopetegui!
Só mesmo uma estratégia, ou seja a falta dela é que leva que se leve dois anos a contratar um substituto para a saída de Falcão; e entre este sair e Jackson chegar passaram por cá e que nos levaram uma pipa de massa, o Kleber, Ghilas ou o acabado Liedson, entre outros. Ok está bem, este ano compramos o Andrien Lopez e Aboubakar; já todos aqueles que deveriam ter sido comprados vieram emprestados!
Afinal estamos a falar da estratégia idealizada pelo nosso presidente ou aquela que serve os interesses de Jorge Mendes?
Depois como é que querem que os jogadores coloquem o pé e dêem o seu máximo; se tem exemplos como o do Paito que dava tudo o que tinha e não tinha e que lhe recusaram um aumento de vencimento, quando entretanto forma buscar dois laterais ao Brasil a ganhar mais que o dobro que ele ganhava e que custaram na altura já com comissões etc... para cima de 30 milhões de euros.
Qual é a estratégia se a houver, que resista aqueles que não sabem qual é o ADN do Porto, verem Villas Boas ou Rui Soares Dias a receber um Dragão de Ouro... com estratégias e exemplos destes, penso que estamos faládos.

Portista Sec XXI disse...

Já agora gostaria de entender como é possível e se é realmente uma estratégia, que se reconstrua uma equipa com o ADN do FC Porto com a maioria dos seus jogadores com qualidade comprovada, estarem de passagem por via dos seus empréstimos ou os outros que estavam cá há mais anos acabarem por serem vendidos!
Uma estratégia que não nos levou a ganhar nada e que nos levou a pagar vencimentos estratoesfericos para a nossa realidade.
Agora fico á espera para ver como esta loucura fica reflectida no próximo R&C. Não sou a pessoa mais indicada para fazer estas contas, mas penso que os milhões ganhos na Champions foram com esta loucura toda.

Portista Sec XXI disse...

O problema maior não está no que não se conseguiu ganhar, mas sim, naquilo que poderemos não vir a ganhar no futuro. É que se reparar bem o mal não vem de há duas épocas atrás, vem pelo menos desde a época de Villas Boas. É que os títulos ganhos entretanto foram mais por demérito alheio que por competência nossa.

Pedro Mota disse...

Será que vai?! Ainda hoje o Benfica assinou um excelente patrocínio,eles tem mais receitas do que nós. Não sei até que ponto para manter JJ o LFV não terá de investir no Plantel. Mas lá esta, esperemos que tenhas razão. Apesar de achar que o Benfica só irá perder um titular,enquanto nós podemos perder 5.

Luís Pires disse...

Lopetegui deve continuar sim. Estava hesitante entre ele, o Paulo Fonseca e o Pep Guardiola, mas depois lembrei-me que estes dois últimos já têm clube :p
Não o conhecia mas apesar de tudo o que se passou apreciei o seu trabalho. na próxima época estou certo de que fará melhor e pelo menos garra não lhe falta.

Radamel Furacao disse...

"São precisos jogadores que mordam a camisola nestes momentos, que liderem a equipa para que ela não fique perdida dentro do campo. Actualmente não há. Ou há mas estão em final de carreira, como Hélton e Quaresma."

O Quaresma é muita coisa mas nunca foi um lider de qualquer tipo.
Não preciso de falar das atitudes dele durante a época ou dos jogos onde é maravilhoso para depois em 6 ou 7 seguidos ser um autentico peso para o colectivo.
Sempre teve um comportamento imaduro e espero que deixe o clube.

Agora de forma geral, o Porto precisa de continuidade na filosofia instaurada ha um ano.

É uma équipa jovem, muito jovem, era uma das mais jovem da Champions League, falta experiencia.

E falta tambem qualidade, na defesa central por exemplo. No meio campo, Herrera bem podia ir para Munich ja que Guardiola acha que é bom jogador mas no Porto não sei que tipo de futebol é preciso para ele se mostrar. O Casemiro demorou meia época para jogar a bola... O Tello e as suas lesoes...

O Porto não estava assim tão preparado para ganhar ao Benfica que está num bom nivel desde que o Jesus foi para la com plantéis de qualidade em quantidade.

E sinceramente estamos muito mal habituados a ganhar para ter reaçoes sempre revolucionarias até nihilistas quando o Porto não vence a Liga. Mudar todos os jogadores, équipa tecnica, a direcçao etc não é assim que o futebol funciona.
Se ha bem duas coisas que se pode aprender da liderança do PdC são estas: estabilidade e critério.

Quid disse...


Sim, o FCP jogou mal em muitos jogos. Sim o FCP deu tiros nos pés, sim o FCP foi incompetente. Foi.

ISSO contudo não apaga, nem esconde QUE houve um Desígnio Nacional, houve um Manto Protetor, um Andor Encornado a levar ao colo uma equipa que nada mostrou.

É que o FCP não ficou a 10 ou a 15 pontos de distância. Ou sequer a outra equipa mostrou, demonstrou em campo que foi superior, que foi melhor. Não!!
ASSIM QUE vamos lá parar com essa treta, essa lenga lenga. VAMOS lá parar de desculpar, de assumir as culpas e de negar os factos, as provas, as evidências.

O FCP jogou pouco e mal. Jogou. Mas o SLB só ganhou porque foi levado ao colo. Sem esse colo eles teriam a menos 7/8 pontos e o FCP estaria em 1º lugar. Ponto final parágrafo.

E não, não foram os erros, os enganos, as falhas, os lapsos dos árbitros e dos fiscais de linha. Não!! Foi mesmo intencional, deliberado, ordenado, pensado, determinado.

Na Pré-época com árbitros estrangeiros não ganharam a ninguém.
Na LC com árbitros estrangeiros ficaram em último e foram a equipa mais faltosa, mais indisciplinada da Europa.

Cá, em Portugal com o colo da APAF jogaram 1 em cada 3 jogos 14 contra 10!!!

Eh pá.. não há que enganar. Não é por me terem roubado a carteira que eu vou dizer que eu fui incompetente e dar mérito a quem ma roubou!!

FCP, R. Madrid, Barcelona, PSG, Juventus, Chelsea, Man City, Bayern... todos os chamados Grandes Clubes beneficiam em média de 6/7/8 expulsões dos adversários por época.. Os Tellos, Bhraimis, Ronaldos, Bales, Neymares, Messis, Hazards, Riberys, Robbens.. ganham 6/7 expuslões. mas porque raio só o SLB teve o DOBRO a seu favor?! Em Portugal porque houve uma equipa que beneficiou do DOBRO para virar resultados, para goelar, para marcar muitos golos?!

E os mesmos árbitros que tinham pressa em expulsar os adversários por dá aquela palha. Aos jogadores do SLB pensavam duas vezes, perdoavam, olhavam para o lado!! Não há que enganar. Os mesmos árbitros paus mandados, moços de recados de uma CA e de uma APAF que os escolhiam, nomeavam, mandavam fazer o serviço a dedo.

DEIXEMO-NOS de falinhas mansas e de desculpas esfarrapadas.

Não foram os erros, as falhas, os enganos dos árbitros que decidiram o campeonato. Não, prejuízos e benefícios erros a favor e contra todos os clubes têm. AGORA, jogar 14 contra 10, 1 a cada 3 jogos, só houve mesmo um clube em toda a Europa. E logo por cima numa época em que nada jogavam.

Eh pá... brincamos?! E claro, os jornalistas, os comentadores, os analistas sabem bem QUE ISTO é verdade. Houve mesmo um Desígnio Nacional, um Manto Protetor deliberado, pensado, determinado, ordenado.

E os tais Recos Recos Guelras são tão falsos, hipócritas, sacanas QUE SABEM BEM que 90% do Eco do Manto Protetor da Com. Social está sedeado no Pátio Alfacinha, na Grande XL Lisboa.

Ao Reco Reco Guelra e a todos os demais que venham morar, viver, trabalhar para o Porto e depois digam alguma coisa!!!

Vamos imaginar só que A Bola, o Record, o DN, o CM, o Expresso, o SOL, A SIC, a TVI, a RTP, a CMTV mudavam agora todas as Redacções para o Porto. E os Ministérios, os Institutos, as Universidades, vinha tudo para o Porto. Que seria depois dos Recos Recos deste País de escroques e de bananas?!

J. Vieira de Sousa disse...

Quo vadis - o treinador

Julen Lopetegui parece ser dos únicos que mostra incómodo, inconformidade e revolta naquele banco. Em contraponto pode-se argumentar que o FCP fez esta época várias 2ª partes lastimáveis que custaram preciosos pontos e por conseguinte o campeonato e que em situação de desvantagem no marcador nem por 1 vez soubemos virar um resultado. E aqui também se pode ver a fibra de um treinador.

Apoio a sua continuidade porque sinto que foi evoluindo ao longo da temporada, mas o facto de prever desaires e não ser consistente assusta-me, assim como voltar a ter um ano zero quando à partida do outro lado se vai apostar na continuidade.

A margem reduziu e de que maneira para a próxima temporada,é bom que toda a estrutura perceba isso; cabe ao treinador mas sobretudo aos jogadores - há ali muito "menino" a precisar de levar um puñetazo psicológico, demonstrar de que massa são feitos.
.
P.S: Gostava que alguém analisasse as declarações do Helton no final do jogo do Restelo. Confesso ter ficado bastante apreensivo com alguns "recados" que foram ditos.

S. disse...

Títulos ganhos foram por demérito alheio?
O VP foi bi-campeão, perdeu 1 jogo em 60, sempre com pior equipa que o JJ e não se consegue reconhecer mérito?

reine margot disse...

Parece que ninguém viu, por isso vou contar: - o Manchester ficou em 4º lugar na liga inglesa... 4º ! Depois de uma época terrível com o Moynes, van Gaal criticado o ano inteiro acabou em 4º...não conseguiu no seu campo vencer o Arsenal. E o que se fez ? - van Gaal ao centro do terreno agradecer aos 70 mil que encheram sempre as bancadas - por chuva e sol - e os adeptos aplaudiram de volta !!

Talvez o porto também precise para além do resto, de mudar os adeptos! uma limpeza em certas cabeças não era nada mau... o adepto só quer estar ao lado do clube se ele foi vencedor...

não é o meu modo de pensar e entristece-me esta dualidade bipolar entre a euforia e a depressão profunda...

Jorge Vassalo disse...

A sério? Tem mesmo a certeza disso? Hmmm

Uma coisa é certa e sabida: acabaram-se as desculpas para sair da Europa em Novembro.

Abraço Azul e Branco,

Jorge Vassalo | Porto Universal

Jorge Vassalo disse...

Crie um blogue sobre o FC Porto e verá a verborreia nas caixas de comentários.

É impressionante!

Abraço Azul e Branco,

Jorge Vassalo | Porto Universal

DC disse...

Apostem em Quaresmas e Castros em vez de Olivers e Tellos, é mesmo esse o caminho! Para a 2a divisão, claro...

miguel.ca disse...

De acordo mas no entanto parece-me evidente que a estratégia competitiva da SAD deve ser alterada porque eu não vejo evolução na qualidade global do plantel e equipa técnica, antes pelo contrário e penso que será isso que assusta muita gente provocando um negativismo perfeitamente aceitável. O Porto já foi muito melhor do que isto e não foi assim há muito tempo!!! E é esta queda lenta e indisfarçável do nosso poderio, da nossa imagem, da nossa mística, do nosso ADN que nos bloqueia visões mais positivas.
Quando se sofrem uma ou duas derrotas mas sentimos que as mesmas são apenas meros acidentes de percurso de um percurso do qual acreditamos e depositamos toda a fé é uma coisa mas quando essas derrotas são o resultado de opções dúbias, de falta de motivação, brio ou competência, aí Margot, tentamo-nos inspirar no teu positivismo.

José Lopes disse...

Nao entendo esta associacao do Oliver a supostos jogadores que tem a cabeca noutro lado e nao tem o compromisso necessario. Podemos questionar todo e qualquer jogador cuja qualidade nao seja claramente superior aos da formacao, mas no caso do Oliver, pelo amor de Deus... E' um regalo ve-lo e ninguem pode apontar a sua entrega em campo. Fora o facto de nao ver a diferenca entre alguem que esta emprestado e outro que foi comprado, mas que tambem pensa dar o salto em um ou dois anos.

José Lopes disse...

Excelente comentario, mas o rumo (postura da direccao, gestao desportiva) que o Porto tem tomado e' bastante preocupante.

A postura dos adeptos que exigem vitorias fica bem espelhada no espaco de um mes. Quando batemos o Bayern, o orgulho era imenso, o Lopetegui um mestre e os jogadores uns guerreiros. Um mes depois, sao todos uns incompetentes e a uns falta brio, enquanto a outro sobram erros. As pessoas gostam e' de ganhar... Talvez isso explique a originalidade portuguesa de quase todos serem adeptos de um dos tres grandes e quase nunca do clube da terra. Ser adepto de um clube que ganha pouco nao tem o apelo de outro que ganha quase sempre...

meirelesportuense disse...

Sinceramente acho que o Lopetegui não tem futuro, melhor que ele foi sem dúvida Vítor Pereira e com menos meios ao dispor. Portanto se quiserem outro treinador porque não Vítor Pereira? Conhece bem a casa, é portista, tem garra, sabe quem são os inimigos, como funcionam e como vencê-los.
Lopetegui caiu num buraco de que não sabe o caminho...Saindo Jackson, Alex Sandro e Danilo, mais Casemiro, Óliver ou Tello temos mais de meia equipa para substituir, já não falo de Fabiano que será um excelente GR da equipa B. Quaresma é um foco de confusões e indisciplina. Não sei o que dizer de Brahimi, onde estará aquela cabeça focada?...Enfim mais uma época para o lixo. Dos que sairam para rodar talvez Carlos Eduardo e Josué tenham um lugar à disposição. Seria bom manter Casemiro e Tello. E contratem o filho do João Pinto para a esquerda da defesa tem pinta e genica-

Miguel Lourenço Pereira disse...

Provavelmente porque o VP é um homem de principios e depois de como foi tratado não voltará ao clube enquanto quem estiver na SAD lá esteja. E faz muito bem!

Cochise disse...

Pelos vistos, quem é contra a continuação do Lopetegui é lampião. Temos futuro.

André Soares disse...

Bom dia,

Na minha opinião, faz falta alguns jogadores com Mistica...como tivemos o Jorge costa, o Pedro etc...
Mas será que Castro, josué ou outros jogadores que têm aparecido da nossa formação têm a qualidade para lutar pelo campeonato.... Exemplo do SCP mostra-nos claramente que se torna muito mais dificil...
Contudo...é certo que nos falta...mas discordo quando se fala em Quaresma.... Não é nem de perto o jogador que já foi quando da primeira passagem, além de ser um jogador de amuos....vejam como entrou ele por exemplo no jogo com o 5lB...
Quanto ao treinador, o único que reuniu consensos foi sem duvida o André Vilas Boas pelo portismo..... e vejam que.... mal teve oportunidade...fugiu....
Não creio de todo que seja so problema de treinador....
lembro-me muito bem que o Vitor Pereira era muito mau... mesmo sendo campeão, e agora já é o melhor do mundo. Nunca se sabe se o que vier depois vai fazer melhor do que cá está.... por milhares de factores...

DC disse...

José, eu é que não entendo esta frase:

"Mas também acho que não lhe devem ser dados mais jogadores espanhóis"

Mas é o habitual. Ano passado o problema era que só compramos internamente e o Josué não chegava. Este ano o problema é que compramos externamente e os espanhóis não são portistas desde pequeninos (como o enorme Quaresma que ama o Porto mais que eu).

Ou se calhar podíamos começar a pensar que o problema foi, como sempre, de organização e de qualidade. E não de amor, raça, garra, intensidade e restantes desculpas da treta que se arranjam quando corre mal.

Luís Vieira disse...

DC, então o Benfica foi mais organizado e teve mais qualidade do que o Porto durante a época toda e é um justo campeão? A experiência de jogadores identificados há largos anos com o clube, como Maxi Pereira, Luisão, Gaitán, Salvio, Jardel e Lima, associada à veterania de jogadores tarimbados como Júlio César, Jonas e Eliseu, e ao conhecimento do campeonato português de segundas linhas (André Almeida, Pizzi, etc.) são desprezáveis? Infelizmente, o Maxi e o Luisão, dois "calhaus", têm mais "amor, raça, garra e intensidade" numa perna do que muitos jogadores do plantel do Porto nas duas. E isto, numa prova tão disputada, revela-se decisivo. A organização e a qualidade são os factores mais importantes no sucesso final, claro está, mas há outros factores que contam para um desempate em photo finish (3 pontos de diferença, relembro). Entre eles contam-se a arbitragem, a atitude, a sorte. Continuamos a ver o futebol a preto e branco.

Cochise disse...

E, pelos vistos, este também é lampião:

https://www.youtube.com/watch?v=8zS8BRqPGN4

José Lopes disse...

DC, falar em garra e mais nao sei que e' geralmente desculpa de quem pouco percebe de futebol e acha que os que tem salarios mais altos devem ganhar sempre. No entanto, talvez seja importante ler o que disseram ha pouco tempo o Jorge Costa, o Baia e o Ricardo Costa sobre a mistica do tempo deles em oposicao a falta dela actualmente. Bem sei que acusacoes de falta de mistica aparecem SEMPRE que perdemos, inclusive no tempo dos jogadores referidos (para isso se foi buscar o Octavio...), mas e' preciso quem em campo perceba onde esta, compreenda a importancia das coisas e a historia do clube e seja capaz de influenciar pelo exemplo. Se, para isso, for necessario ter uma postura intimidatoria para com os colegas como tinha o Jorge Costa, entao que assim seja.

Colocares o Castro e o Quaresma no mesmo lado e' um erro. O Castro e' um jogador da formacao, sem qualidade para ser uma estrela, mas que foi util enquanto esteve no Porto. Para ele, jogar no Porto e' um sonho, como o era para o Josue, ou para o Andre, Joao Pinto, etc. Temos de procurar ter jogadores destes, obviamente desde que tenham qualidade suficiente, para que sirvam de exemplo para quem chega de longe apenas a espera do contrato seguinte. O Porto nao e' um entreposto comercial, mas, para quem chega da America ou de qualquer lado que nao Portugal, e' o que parece. Quanto ao Quaresma, quem esta errado e' quem espera que ele seja um lider do balneario. O Quaresma sera sempre ele proprio, para o bem e para o mal. Na minha opiniao, e ate por ter mais um ano de contrato, deve continuar. Aceitou satisfatoriamente ter de ir para o banco muitas vezes e ainda da qualquer coisa a equipa, assim haja quem lhe tire o lugar quando ele esta nos seus dias de rendimento nulo. Agora, que tenha um pouco mais de tento e meca as reaccoes as substituicoes ou os abracos no fim dos jogos.

José Lopes disse...

O Vitor Pereira nunca voltara com esta direccao e faz ele muito bem. Acordaram tarde para o valor que ele demonstrou.

PortoMaravilha disse...

Viva,

Concordo, totalmente, com o que escreveram Quid, Reine Margot, DC...

Não deixa de ser curioso que as ana'lises de Lopetegui tenham incomodado tanto os benfiquistas...

Sim o Porto foi prejudicado pela arbitragem... sim, por exemplo, no Dragão o benfica fez cerca de 32 faltas e terminou com onze... é normal? E' o futebol Português que se deve habituar ao futebol Europeu ou o contra'rio? Porque é que o benfica so' marcou dois golos na fase dos grupos? Dois golos em seis jogos lembro.

O Porto não esta' a ganhar desde 1986, mas sim desde o século dezanove.

Um novo ci'clo nasceu com a re-estruturação financeira e desportiva do futebol Europeu. E, quanto a mim, o Porto precisa de estabilidade quer desportiva quer financeira. Este u'ltimo aspecto foi alcançado este ano. No aspecto desportivo também, ja' que o Porto nunca seria campeão este ano e que o segundo lugar foi conquistado. Acham normal que um jogador do sporting que deita as mãos ao pescoço de um defesa do Porto -Indi - não seja expulso?

E, repetindo-me, esta época é a primeira vez na minha vida que comento, por escrito, a arbitragem. Nunca vi, francamente, tantos erros em favor duma so' equipa. E ja' ha' mais de meio século que acompanho o Porto.

Vamos ser lu'cidos: o jogo no Restelo não tinha qualquer motivação. Pensar que o jogo do Restelo tinha interesse é dar valor à tese que este campeonato não foi falseado.

E' Anceolleti um péssimo treinador - nada ganhou este ano?

E Viva o Porto!









DC disse...

Quando falam de Luisão e Maxi ou de Hélton o que difere?
Não tem nada a ver com amor ao clube nem com a tal garra ou intensidade ou o diabo a três.
Tem a ver com dois jogadores que trabalharam SEIS ANOS com o mesmo treinador.

E nós? Qual é a estabilidade do plantel?
Não é a questão do sítio onde nascem, não é a questão da nacionalidade. É a questão de termos uma equipa assente em determinados princípios, com um determinado modelo de jogo e com jogadores que o entendem na plenitude.

Luisão é dos jogadores mais fracos a nível técnico de agilidade, etc... No entanto é fundamental porque é ele a voz do treinador em campo. E se aquela linha defensiva do slb é fantástica é porque está ali um jogador que a orienta como ninguém. Junta-se um bom treinador, pelo menos no que se refere ao processo defensivo, a um jogador que o compreende perfeitamente e tem-se estabilidade.

Como aquela estabilidade que atingimos no 2º ano de VP em que sabíamos que marcando o resultado estava feito porque ninguém nos ia marcar um golo. É disso que falamos.

E quem é que criou um modelo que impede a estabilidade? Quem é que deixou sair para o fim do mundo um treinador bicampeão? Quem é que trata os jogadores como merchandising?

Eu quero muitos espanhóis como o Oliver. Aliás se a equipa fossem 11 Olivers eu estava feliz da vida. O que me deixa triste é a equipa só ter Oliver 1 ano e para o ano ter que refazer.
E quando se refaz tudo tanto no campo como no banco, leia-se treinador, é complicado ganhar a quem tem o mesmo treinador há 6 anos.

Digam-me só uma coisa, relembrando os 5 pontos de vantagem que o Paulo Fonseca teve e recordando agora os deslizes não aproveitados do slb em Paços e agora em Guimarães, acreditam que se tivéssemos mantido o mesmo treinador 4 anos seguidos o slb era bicampeão?

A diferença está na qualidade. Tanto de treinadores, como de jogadores como de dirigentes. Esqueçam o amor que ninguém trabalha de graça para o Porto. Isso somos nós, que deixamos lá o nosso dinheiro.

Luís Gagliardini Graça disse...

Para mim o Lopetegui saía. Tinha uma equipa muito melhor e mesmo com os erros da arbitragem (que a não terem existido, nos dariam o campeonato) teve tudo ao seu alcance e quando tinha que dar tudo ( jogo da Luz) preferiu o empate que não servia ao clube do que arriscar uma derrota (que não lhe servia a ele). Para termos cortões oportunistas tínhamos o Jesus, não precisávamos de um espanhol

Luís Gagliardini Graça disse...

Para mim o Lopetegui saía. Tinha uma equipa muito melhor e mesmo com os erros da arbitragem (que a não terem existido, nos dariam o campeonato) teve tudo ao seu alcance e quando tinha que dar tudo ( jogo da Luz) preferiu o empate que não servia ao clube do que arriscar uma derrota (que não lhe servia a ele). Para termos cortões oportunistas tínhamos o Jesus, não precisávamos de um espanhol

Luís Vieira disse...

DC, difere o facto de o Hélton não ter sido titular a esmagadora maioria da época, o que, por si só, já nos poderia ter garantido outro desfecho (vide Porto-Benfica). Liderança, tranquilidade, segurança, tudo qualidades do Hélton que o Fabiano não tem e provavelmente nunca terá. E que o Luisão e o Maxi têm. Factores que somados fazem a diferença num campeonato decidido ao milímetro, independentemente dos seis anos de trabalho que refere. Não temos estabilidade porque o ano passado foi um autêntico turbilhão, um ano de terra queimada. Nesse aspecto o Benfica também não teve sorte, perdeu uma série de titulares, mas teve um treinador capaz que fez das fraquezas forças (com a ajuda da arbitragem, convém não esquecer). O Lopetegui tinha, à partida, um trabalho bem mais difícil, apesar da qualidade das contratações. Teve um início titubeante, mas conseguiu estabilizar um modelo, com ajustamentos e melhorias, que denotou evolução. Quanto à crítica encapotada à SAD, como sabe, estou de acordo, menos na questão Vítor Pereira (para mim o problema esteve no sucessor, não na saída dele). Relativamente à nacionalidade, não me estou nas tintas porque não quero um "Arsenal" no Porto e acho que há qualidade em Portugal, só falta aposta. Sou defensor de um misto estrangeiros/portugueses, sendo a avaliação do perfil psicológico muito importante (jogadores como o Jackson e o Óliver, do ponto de vista da "fibra", diferem muito de Tello e Quintero, por exemplo). Não sei se o Benfica seria bicampeão com o Vítor Pereira no FCP, mas, pelo menos, acho que o ano passado não teria acontecido daquela forma. O Paulo Fonseca foi um tiro ao lado, a que ajudou a menor qualidade do plantel, e deixou marcas visíveis, ainda não superadas. Se a qualidade do plantel do próximo ano não for muito inferior à deste ano, penso que o Lopetegui terá condições para nos devolver o título. Mas para isso precisará também de uma arbitragem mais isenta e de que a sorte esteja do lado dele (teve 2 bolas nos ferros contra o Benfica no Dragão, que, por sua vez, marcou 2 golos em 3 remates; o Vítor Pereira ganha 2 campeonatos com um golo do Kelvin aos 92' e um do Maicon em fora-de-jogo; passe o simplismo, mas percebe-se a ideia).