quinta-feira, 7 de maio de 2015

O estado natural das coisas!

Calabote e o estado natural das coisas

Esta não foi uma época perdida: esta foi uma boa época do FCP, dadas as profundas mudanças levadas a cabo. Com Mourinho e Vilas Boas, estivemos bem por cima. Não deu campeonato e a diferença está no SLB que encontrou no JJ o homem para liderar um projecto de continuidade que venceu a barreira da dúvida e recebe o apoio generalizado da mouraria vermelha. Todos os estorvos de JJ foram remetidos à sua insignificância.

Esta centralização do poder no treinador tem os seus perigos, mas JJ é uma figura consensual, como muito raramente aconteceu no futebol pátrio. A estrutura lisboeta acolheu os inputs do FCP e, hoje, está ao nosso nível, pelo menos. Para além disso, domina o Futebol como no antanho, ou quase.

O SLB recebeu benefícios arbitrais em quase todos os jogos, e o FCP na Luz não foi excepção. Aquela pretensa proposta que o presidente do SLB terá feito ao presidente do SCP de “partilha de campeonatos” é elucidativa da vontade de implantação da “situação” que dominou nos anos 60 e nos afastou da ribalta, até Pedroto. A dita proposta, constituiria a reposição do “estado natural das coisas” dos anos idos, ou seja: a atribuição do justo poder ao SLB, em reconhecimento do seu enorme mérito desportivo e força social. As vitórias seriam partilhadas generosamente com o SCP na proporção das forças em presença.

Ao FCP seria atribuído o papel de primeiro outsider a que caberia um triunfo de vez em quando, para alegar a malta e comprovar a bondade do sistema, e que seria concedido a bem da coesão nacional.

Naqueles anos de Calabote e Reinaldo Silva, a cada três campeonatos do SLB, correspondia um do SCP. O regresso ao “estado natural das coisas” seria nos tempos que correm um enorme “progresso”, porque ocorreria num quadro democrático que faria regressar a Lisboa os anos repletos de vitórias desportivas que os presidentes das camaras consagrariam com pompa e circunstância. A bem da Nação, pois claro.

Apesar de todos os colinhos, o SLB cresceu muito na era JJ o que muito o ajuda a consolidar a ideia que o “estado natural das coisas” acontecerá de forma gradual por mérito e força da instituição. Tão inevitável para eles como o rio que corre para o mar.

Lopetegui e Pinto da Costa

Salvo Adrián López, fomos capazes de contratar e criar uma equipa muito interessante. O investimento teve um bom retorno nesta época que está a findar com as receitas da CL. O risco no FCP decorre e acentua-se na execução de uma política menos certeira na gestão do futebol e que se constata (para quem não tem outros meios de prova) na demasiada rotação do plantel e das equipas técnicas. O FCP, no período “JJ”, teve como treinadores da equipa principal: Jesualdo, Vilas Boas, Vítor Pereira, Paulo Fonseca e Lopetegui. Este silêncio do FCP, relativamente à continuidade do actual treinador, poderá ser um sinal de incerteza que só gera instabilidade. Lopetegui tem dado o peito às balas como poucos e é mal amado internamente e odiado externamente.

A nossa querida comunicação social desanca forte e feio no homem e fez de Quaresma um mártir da sua incompetência. É certo que errou e se “perdeu” após o Bayern, mas compreende-se: foram-lhe exclusivamente assacadas todas as críticas e já se sabe que nestas fases os amigos minguam sempre. E há muito quem recorra ao: “eu previ, disse e escrevi...”, para atestar a sua ciência sobre a previsão das debilidades do actual mister. As duras críticas de comentadores alinhados (Porto Canal incluído) comprovam (a meu ver) as incertezas internas quanto ao seu futuro.

Obviamente, defendo a continuidade de Lopetegui, porque acho que é o homem certo para continuar a obra e construir um FCP suficientemente competente para combater a inevitabilidade do regresso ao “estado natural das coisas” do pontapé na bola cá do burgo. Tenho a certeza que Lopetegui saberá aprender com os erros que cometeu e espero que o nosso presidente não ceda à vox populi que exige sangue para salvar a honra por nada termos ganho esta época.

13 comentários:

Miguel Amador disse...

Acho a melhor qualidade deste treinador a apresentada: aprender com os erros. De resto a temporada foi muito positiva, se todas as notícias internas forem fumo sem fogo, conseguiu gerir muito bem o plantel e a sua união. Nem o quintero que mal calça se vê a barafustar como no passado. Falta aprender a ter jogo interior (precisamos de o ter enquanto equipa se ficarmos sem o Jakson que é o único que aparece por esses lados do campo), e a explorar minimamente as bolas paradas (parece-me que o problema é bater-se a bola para onde não há jogadores mais do que não ganhar vantagem onde ela cai). Deixar sair Lopetegui é um erro, e em como Portista devemos apoia-lo, porque tenho dúvidas que toda a gente no interior da SAD tenha os interesses do Porto tão em conta como os adeptos, e jogadas de bastidores podem obrigarmos a um novo ano zero. E quando falo de jogadas de bastidores é expectável que um treinador com tanto impacto nas contratações crie invejas e receios de quem gere essa área tão lucrativa do clube. E é a área onde tem havido maior guerra de comadres, com futuros candidatos ao poleiro a jogarem sozinhos para diferentes lados com divisões das pastas para todos ficarem contentes.

Pedro Mota disse...

Sei que faço parte de uma minoria,mas permitam me a heresia de discordar e pensar que Lopetegui não deve continuar. Penso que o Porto dificilmente na próxima época terá melhor plantel que este ano,o que tornará a tarefa do treinador ainda mais dificil,e os resultados deste ano não me dão optimismo nenhum quanto á capacidade de Lopetegui para liderar uma equipa da dimensão e ambição - Concedo que isto é subjectivo,pois nem todos temos a mesma opinião da dimensão e da ambição que o Porto deve ter - do Porto. Não me parece que seja um treinador com espírito critico e capaz de reconhecer erros,muito pelo contrário. Não sou cego e sei que as arbitragens beneficiaram e muito o nosso rival,mas tenho igualmente memória para saber que isso não é uma novidade,mas sim algo recorrente ao longo das épocas,e que mesmo assim sempre conseguimos superar as adversidades e nos impormos dentro de campo vencendo jogos e títulos. Não quero acreditar que aproxima época esteja já decidida pelas arbitragens,posso estar a ser ingénuo,mas no dia em que acreditar nisso deixo de ver futebol. Posto o que disse anteriormente,penso que a direcção deve decidir se o treinador continua ou vai embora e seja qual for a decisão que dê total apoio e estabilidade ao treinador até final da epoca 2015/16. Quanto a questão Quaresma,poderia escrever umas linhas ,mas penso que o futuro ditará sentenças e esclarecerá quem tem razão e se alguma injustiça foi feita ou não .

RS disse...

Para quem não defende a continuidade do técnico a minha questão é sempre a mesma. Nesta fase, se não for Lopetegui quem poderá ser? Quem poderá ser uma aposta segura e dar mais garantias que o basco? Sergio Conceição? Jorge Costa? Rui Vitória? Manuel Machado? Paulo Bento? Carlos Queiros? ...

Pedro Reis disse...

Caro Mário Faria,
Completamente de acordo. Acrescento que se temos um plantel muito bom este ano, como todos reconhecem, o devemos também e muito ao treinador Lopetegui. Era "fácil" ter falhado entre tantas contratações e a verdade é que ele não falhou, sendo que o único que veio e não correspondeu (Adrian Lopez) era provavelmente aquele mais "insuspeito" pelo seu CV (e que ainda assim não teve sorte, ao lesionar-se numa fase importante da época). Relembro por ultimo as afirmações que Mourinho fez há meia dúzia de dias sobre o FCP e o SLB e que para mim traduzem fielmente aquilo que se tem passado por cá.

P.S. Nem sequer equaciono achar que devíamos dispensar o Lopetegui, a não ser que achemos que a linha "Bruno de Carvalho" é que é correta!

Mefistófeles disse...

Eu assino por baixo este post do Mário Faria. Com a sagacidade habitual, diz tudo o que penso e o que está em causa. Saludos, Mário !

Carrela disse...

Obviamente que Julen é para continuar... outra coisa nem se quer deve ser ponderada!

A época foi boa, e em condições minimamente normais, seria-mos campeões!
o que aconteceu esta época é um absurdo!
É só comparar esta época com as muitas anteriores.... em termos de pontos/golos marcados/golos sofridos! E tudo isto com um plantel com 17 novos jogadores e um novo treinador vindo de outra realidade!

Se dúvidas existirem, o clube da propaganda, consegui fazer mais pontos na 1ª volta - quando não jogava NADA - do que agora na segunda volta - só com campeonato pela frente!
Foram levados ao colo em quase todos os jogos da primeira volta.
Uma verdadeira vergonha... nunca vista na TV a cores!

jnporto disse...

Também defendo a continuidade de Lopetegui e do projecto que o Porto tem em curso que só não deu frutos já este ano por causa das "coisas feitas por outro lado" que não se podem dar de barato e que tiveram influência semelhante, ou mesmo superior, ao escandaloso campeonato dos túneis. Não concordo com a ideia que se vai aventando por aí da "canonização" de Jorge Jesus, tampouco do upgrade do futebol do Benfica. Para isso teria que acreditar em milagres que no futebol não existem a não ser os de Ronaldo ou os de Messi como se viu no jogo de ontem com o Bayern. Não acredito em milagres "foleiros", passe a vulgaridade, como o que aconteceu este ano em Portugal porque só com um Milagre uma equipa que vendeu nove dos seus melhores jogadores e não repôs a qualidade que perdeu com as vendas consegue ser campeã. O Campeonato anterior foi bem ganho pelo Benfica mas neste, se isso vier a acontecer como é provável, o rei ia nú porque simplesmente teve de se despir e quem o sustentou foram os do costume. São essas forças, as dos milagres foleiros que o Porto precisa urgentemente de travar ou de equilibrar.Oxalá consiga pois, se não o fizer, nem com Messi, Ronaldo e Guardiola íriamos lá.

Nuno Alegre disse...

mas como é que alguém equaciona o paulo bentodemerda como futuro treinador do Porto?! Oh my god....

Antonio Oliveira disse...

Estabilidade precisa-se como pão para a boca, daí concordar com a continuidade de Lopetegui, dando-lhe o benefício da dúvida. Chegamos ao fim de um ciclo quer queiramos quer não.

meirelesportuense disse...

Eu apenas espero que o nosso treinador seja Lopetegui ou outro consiga insuflar ambição na equipa e a mantenha sempre motivada para conquistar todos os troféus. Vamos acabar com a treta da taça da treta e começar também a conquistá-la, vamos lançar-nos na rota da Taça de Portugal e do Campeonato Nacional. Lá fora faremos o que nos for possível, mas com os pés bem assentes na terra. Atingir os 4os é muito bom porque rende muito dinheiro e ajuda a mostrar alguns dos jogadores mais vendáveis. E vamos aproveitar ao máximo todos os efectivos que possamos ter nas nossas linhas. Não compreendo a não utilização do Campaña sequer na equipa B. A verdade é que com Davides Brunos como titulares absolutos arrisca-mo-nos a descer à Divisão seguinte.

Jose Rodrigues disse...

Eu concordo q o balanço das contratações é positivo, mas daí a dizer q só Adrian Lopez nao foi uma contratação acertada vai alguma distância: Sami, Andres Fernandez, Ricardo, Campaña diz-vos alguma coisa?

Jorge Vassalo disse...

O Sami veio a custo 0 e se nem a época fez, acho que não custou muito. Andrés e Ricardo... acho que Lopetegui não esperava que o Helton recuperasse e desta forma.

Quanto a Campaña, é um mistério para mim. Campaña joga muito bem, faz um bom apoio aos centrais, defende bem, faz passes de rotura, ataca, marca excelentes livres.. não percebo!

E a história do Adrián López... o último R&C fala que ainda não se pagou um cêntimo por ele e que ele poderá ser devolvido. Pagaram-se salários, evidentemente, e isso já é mau. Mas desculpem a insistência. Eu acho que ele tem muita qualidade, e estava - até à sua lesão - a demonstrar ser um extremo de tendências interiores com muito potencial.

Mas enfim, 11M é muito caro.

Abraço Azul e Branco,

Jorge Vassalo | Porto Universal

Goncalo Esteves disse...

Concordo. E já que referiu o David Bruno não entendo o porquê de não utilizarmos mais vezes o Victor Garcia