quinta-feira, 16 de julho de 2015

"SuperMaxi", um jogador à Porto?

Maxi Pereira é o novo número 2 do FC Porto. O sucessor - numérico, que não emocional - da camisola que vestiram jogadores do nivel (e dedicação) de João Pinto e Jorge Costa. Numa época, que a houve, onde o FC Porto tentava ser algo mais do que um clube. Época distante.

Não vou entrar nas considerações financeiras do negócio porque aos adeptos essas parecem importar cada vez menos. É curioso. Quanto pior está o clube, menos relevante parece ser, uma espécie de escudo mental para tapar a realidade. Se fecharmos os olhos, não vemos e se não vemos se calhar é porque não está lá. O tal jogador que chega a custo zero rejeitou uma renovação de contrato do clube que serviu como um profissional "fiel" durante largos anos. Essa oferta rondava os três milhões de euros (mais objectivos). Seguramente a rejeitou porque jogar no FC Porto era o sonho de infância e está disposto a ganhar menos, muito menos.

O que sim vou entrar é na moralidade por detrás desta contratação.
Em primeiro lugar que fique claro que considero Maxi Pereira um jogador vulgar, um caceteiro que na Luz teve carta branca para distribuir como queria, a quem queria. Não teve de se adaptar do futebol sul-americano ou europeu porque fez sempre o mesmo. Erros posicionais, porrada. Erros posicionais, porrada. Com o Benfica é possível fazer-se uma carreira assim na Europa. Com o FCP? Duvido muito, sinceramente. Nós somos o clube que temos a um jogador - Maicon - expulso por uma entrada infeliz - num jogo em casa em péssimas condições climatéricas. Agora imaginem as expulsões que teríamos tido estes anos se em lugar de um Danilo, tivéssemos aturado um Maxi. Ao jogador uruguaio desejo-lhe portanto felicidade e que traga com ele o mesmo protector arbitral na mala porque vai precisar. Caso contrário sofrerá tudo o que não sofreu quando estava em Lisboa. Jogar com 10 todas as semanas pode ser um novo desafio para Lopetegui.

Mas Maxi não é só um lateral vulgar - nem bom, nem mau, nem especialmente bom a atacar, nem limpo a defender - como há muitos no mercado. Nem sequer é um jogador que vem passar a reforma dourada não á Turquia ou Qatar, onde tinha ofertas, mas ao Porto porque gosta do tempo. É um jogador que faltou, repetidamente, ao respeito a esta instituição.
Um jogador que tentou vender-se aos adeptos do Benfica insultando o rival. Parece-me lógico sempre e quando não se atreva a por aqui os pés como se não tivesse feito nada. Porque o FC Porto já foi buscar jogador á Luz - algo que não me traz especial ilusão mas que provoca orgasmos múltiplos na cabeça de Pinto da Costa - mas nem os Dito, Rui Aguas, Maniche ou Christian Rodriguez (entre outros) vinham de dar entrevistas como esta:


Também nenhum deles vinha de somar um largo historial de entradas criminais a alguns dos nossos melhores jogadores. Seguramente que Hulk, João Moutinho, James Rodriguez ou Ricardo Quaresma ficariam orgulhosos de saber que no balneário onde se sentaram e deram tudo pelo clube se vai sentar agora o tipo que lhes dava quando o arbitro via e quando o arbitro não via. Que os insultava, que lhes cuspia e que lhes provocava. Um tipo que achava que armar-se em "guna dos relvados" o ia salvar dos erros futebolísticos que cometia - e que nos jogos europeus pagava o preço. Esse mesmo jogador foi ontem apresentado como jogador do Futebol Clube do Porto como se tivéssemos contratado o Cafú.

Sim, este jogador é um "jogador à Porto" como afirmou o presidente da instituição numa entrevista que seguramente será parodiada brevemente pelos Gato Fedorento. Só faltou dizer - tempo ao tempo - que Luis Filipe Vieira é um dirigente à Porto. Afinal, ele fez o estágio entre Alverca e os camarotes das Antas onde era convidado habitual e exibia alegremente o seu cartão de sócio entre abraços com Reinaldo Teles e Pinto da Costa e insultos a presidentes rivais (incluindo os do seu actual clube e do outro de quem foi sócio). Sim, "um jogador à Porto", sem duvida, é aquele que insulta o clube, agride rivais e vende a sua fidelidade a um clube onde esteve oito anos por mais uns trocos. Seguramente o padrão de "jogador á Porto" deixou de ser o de Fernando Gomes, o de João Pinto, o de Antonio Frasco, Jaime Magalhães, Jorge Costa, Fernando Couto, Vitor Baia, o de Deco, o de Ricardo Carvalho para passar a ser o de Maxi Pereira. Estamos elucidados presidente!

Eu sei que há desespero na cabeça de dirigentes - presidente á cabeça, mas não só - depois de dois anos que correram mal (essencialmente porque eles fizeram um mau trabalho de casa) e que tudo vale para ser campeão este ano. Eu sei, também, que o Porto não tem politica nem rumo por muito que tentem vender que há uma linha coerente. Uns anos são os emprestados e os putos, outros a formação (adeus Gonçalo), outros os jogadores a zero, outra as jovens promessas sul-americanas...e podemos ficar aqui todo o dia. Rumo não há. O que funcione, que funcione. Mas como nada tem funcionado, continua-se a tentar quebrando até barreiras morais. José Maria Pedroto seguramente estará orgulhoso, ele que nem deixava que os seus jogadores viessem de vermelho para os treinos, em ter a um jogador que cuspiu no FC Porto como instituição - e por consequência em cada um de nós - e que agora vem aqui ganhar o pão como se nada tivesse passado. Cada um pode pensar como quiser, naturalmente, e pensar exactamente o oposto, mas as palavras de Maxi e as suas acções no terreno de jogo (e vou guardar apenas na memória os jogos contra o FCP) estão aí. Nada foi inventado. Aliás, basta ler os vossos comentários sobre o jogador em questão nos artigos publicados do último ano para saber que a opinião geral sobre o Maxi é bastante similar.

Ao Maxi Pereira - e portanto aos que o foram contratar - desejo exactamente a mesma sorte que lhe desejei quando o vi tentar lesionar jogadores que deram tudo pelo meu clube. Desejo-lhe o mesmo tipo de tratamento dos adeptos que merece quando diz o que diz em videos como o aqui colocado. Ao Maxi Pereira desejo, sobretudo, que sinta na pele o bafo dos árbitros que não sentiu nestes anos todos. Não merece mais. Nem ele nem os homens que decidiram que os seus interesses pessoais estão por cima do Futebol Clube do Porto.


110 comentários:

Bruno Pereira disse...

É um crime este jogador vestir a camisola do nosso FCP. Não tem honra para ter o dragão ao peito. É o tipo de jogador e pessoa que nunca poderá ser um jogador à Porto.
Considero esta contratação um desastre por tudo o que o Miguel referiu acima. Além de desportivamente ser medíocre, representa muito bem o manto protector que os nossos dirigentes tanto se queixaram.

José Correia disse...

Eu já tive oportunidade de o dizer, mais do que uma vez, mas convém repetir.

O 'Reflexão Portista' é um blogue/plataforma online que tem vários co-autores, os quais publicam os artigos que entendem, emitindo as suas próprias opiniões e assinando os artigos com o seu nome.

Entre os co-autores do 'Reflexão Portista' há pessoas com diferentes perspectivas acerca dos dirigentes, do treinador, dos jogadores, das contratações, das vendas, da cor das camisolas alternativas, etc., etc., etc.

Para que fique claro, porque já fui interpelado mais do que uma vez sobre isto, sendo eu um dos co-autores do 'Reflexão Portista', não partilho, nem estou de acordo, com o conteúdo, tom e opinião expressa pelo Miguel Lourenço Pereira neste e noutros artigos que o Miguel tem publicado no RP.

Luís Pires disse...

"Com o Benfica é possível fazer-se uma carreira assim na Europa"
Suponho que pretendia dizer que "com o Benfica é possível fazer-se uma carreira assim em Portugal" ;)

José Correia disse...

Quanto aos insultos, que o Miguel Lourenço Pereira afirma, mais do que uma vez, que o Maxi terá dirigido ao FC Porto, penso que ao dizê-lo, convinha que o Miguel situasse esses “insultos” no tempo e contexto.

É que eu estive a ouvir as declarações do Maxi no vídeo que o Miguel colocou neste artigo…

https://www.youtube.com/embed/nlBwYTu8OWM

… e neste vídeo não há qualquer insulto.

O que há é o Maxi a responder a uma pergunta/observação do jornalista da Benfica TV, a propósito de elementos do FC Porto (o jornalista fala especificamente no Maicon) terem falado no colinho e nas ajudas dos árbitros ao SLB e o Maxi respondeu o seguinte:

“Nós [SLB] perdemos um campeonato por causa de um árbitro auxiliar, que disse estar desconcentrado, quando não assinalou um fora de jogo ao Maicon (…) E agora vêm dizer que os árbitros nos ajudaram. É incrível. E há casos assim em todos os anos que o Porto foi campeão”


Eu não vejo nestas declarações qualquer insulto dirigido ao FC Porto.

O que vejo/ouço é a visão benfiquista dos factos.

Eu estou de acordo com esta visão?
Claro que não, mas daí a dizer-se que estas declarações do Maxi são um insulto, é um enorme exagero, para não dizer que é mentira.

Ribeiro DeepBlue disse...

Lê-se e os dois primeiros parágrafos e nem é necessário fazer scroll mais abaixo para saber o autor do texto.
Ó homem, se é assim tão incómodo ser deste clube, há tantas alternativas por esse mundo fora...Clubes bem geridos, sérios, que fazem sempre contratações acertadas e, "creme de la creme" têm adeptos blogueiros infalíveis onde certamente encaixará como uma luva.

"If the only thing you say is 'it's impossible', please don't stay in the way of those who can make it possible..."

José Correia disse...

Em relação a nós, portistas, acusarmos os jogadores adversários de serem simuladores (exemplos: Moutinho e Liedson) ou caceteiros, bem, eu lembro-me do que os benfiquistas e sportinguistas diziam de jogadores que nós, portistas, considerávamos jogadores à Porto.
Exemplos?
Rodolfo Reis, Paulinho Santos, Fernando Couto, Bruno Alves

Luís Pires disse...

Bem, lidos os comentários mais acima do Ribeiro DeepBlue (que leio com prazer neste e noutros blogues) e do José Correia (que também muito aprecio tanto nos comentários como nos artigos que publica), meto uma pequena, muito pequena, colherada:
Em substância, subscrevo o artigo do Miguel Lourenço Pereira. Na sua forma, será talvez uma escrita um pouco agressiva, mas isso vai do estilo de cada um :)
Cumprimentos a todos :)

André Soares disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Joao Goncalves disse...

Ainda bem José... ainda bem... e muita saudades eu sinto dos teus posts inteligentes e singulares.

Joao Goncalves disse...

José eu vou mais além... eu estou em absoluto acordo com o que é dito (e olha que não gosto da ideia Maxi no Porto, mas muito pelo comportamento anti-desportivo em jogos contra os nossos jogadores).

Eu simplesmente proponho um exercício... Imaginemos o Maicon a dizer a mesma coisa do mesmo jogo, sobre o lance em que o Cardoso joga andebol dentro da área. Será que o Maicon também não defenderia a sua dama, vide FCP, se questionado da forma que o Maxi o foi?

Luís Vieira disse...

O tom do Miguel é exagerado, aliás como quase sempre, mas o conteúdo está certo: o Maxi Pereira não é jogador para o Porto. É um provocador, um caceteiro e um atleta banal. No mercado havia melhor, mais novo e mais barato (pelo menos do ponto de vista salarial), mas preferiu-se dar mais uma estocada, mais um golpe de asa, em vez de se optar pela racionalidade. Volto a dizer: se correr bem, óptimo para todos. Se correr mal, a SAD entrou por um caminho megalómano pouco aconselhável. Não obstante, apoio o Maxi, claro está, a partir do momento em que enverga aquela camisola (o n° 2, ainda por cima).

André Soares disse...

Bom dia a todos,

É bom que haja opiniões diferentes...devemos partilhá-las e respeitá-las e depois quando a bola rola devemos estar todos apoiar o nosso clube.

Em relação a esta publicação, eu acho que os dirigentes do Porto que tantas vitórias nos ofereceram, e tantas coisas positivas trouxeram para o clube, não estão a fechar estes contratos a pensar que nos vamos direcionar para o abismo. É nisso que eu acredito.

Eu acho que as questões financeiras também estão, e muito, ligadas ao sucesso desportivo principalmente a nível internacional, e de facto, só com alguma experiencia e jogadores de bom nível se consegue ser competitivo.

Imaginemos jogar a champions com jogadores "baratos" que o Porto ainda tem "encostados" e que já jogaram nesta equipa como Licás e afins...
O orçamento seria muito menor mas a competitividade sem duvida a competitividade diminuiria imenso.

A questão financeira acho que preocupa a todos os Portistas, não acho que preocupe menos.

A contratação deste jogador não me deixou contente ao contrário da do Casillas.
Contudo a substituição do Danilo, de forma a manter o nível, não seria fácil. E o Danilo não estava cá de borla... provavelmente a diferença de ordenado para o Maxi não é assim tão grande.
Apesar de eu dizer que não queria este jogador... a nível desportivo é um jogador que está habituado ao nosso campeonato... e tem sido, com mais ou menos lenha, um jogador constante.

Esperemos que as questões financeiras que o fazem dizer que cada vez o clube está pior, sejam alvo de uma procura intensa de formas de melhorar este aspecto mantendo a competitividade.

Outro assunto que gostava de ver discutido era a possibilidade de ver nosso clube com a vontade de apostar numa ou outra modalidade amadora nova, incluindo o desporto feminino que tem crescido.

cumprimentos,
André.

Ernesto disse...

O Miguel, e vai-me perdoar, não sai deste registo. Acompanho com interesse, este como outros blogues dessa fantástica bluegosfera, e denoto com particular ênfase o registo do Miguel no acento anti-SAD. Tudo quanto faz a mesma é errado, seja na contratação do treinador, na construção do modelo de jogo, na gestão financeira da SAD, ou no modelo da política desportiva.

Estou como diz o Ribeiro DeepBlue, isto de se ser portista por esta bitola, só por puro masoquismo! Ele há tanto clube por esse mundo fora ( e mesmo em Portugal!), do qual se ser um apaixonado adepto, revendo-se integralmente nessa política geral do clube/SAD e o Miguem opta por singrar como adepto de um clube, cujo rosto visível, é a "sanguessuga" que projectou o FCPorto como um clube de referência mundial. Se assim não fosse, porventura hoje nem se discutiriam aquisições com a tónica Casillas ou Máxi Pereira, com todas as possíveis indexações - más ou boas - no resultado operacional da equipa, ou nas contas gerais da SAD.

O Miguem vive, e perdoar-me-á, um síndrome de Estocolmo por antítese. Sente-se sequestrado num clube que gosta, mas cujo captor, responsável último pela sonegação da sua liberdade, é tido, não como paradoxo da sua ligação ao clube, mas como veículo da sua revolta.

O Máxi? É profissional. Faz o que tem que fazer, com toda a legitimidade e sentido de fidelidade, à entidade que lhe paga o ordenado ao fim do mês. Agora, como jogador do Porto, é dos nossos! O seu passado só atesta a sua valia como jogador "à Porto", no sentido da abnegação e entrega. Pode não ser o melhor jogador do mundo, mas ninguém esperará menos do que a sua entrega total ao jogo e ao clube. E disso, tenho a certeza, nunca o Miguel, aqui, terá oportunidade de escrever uma linha sobre esse desiderato.

Jorge Vassalo disse...

Caro Miguel,

Nos últimos tempos, o Miguel vem demonstrando que é do tipo de adeptos recentes do Futebol Clube do Porto: o das vitórias.

Ele é Casillas, ele é a Estrutura, ele é o Maxi, em tudo há para bater.

Não fosse a minha imensa consideração pelo José Correia e este blogue já estaria fora daqueles que consulto diariamente.

Eu não sei se vossa excelência já reparou, mas o senhor está a rezar a cartilha daqueles que nos querem prejudicar, e amigos, por este Portugal, já não temos muitos.

Não vale a pena falar de Casillas. Nem de Maxi. Nem de nenhuma outra contratação.

No seu entender de ROC o saldo zero é bem mais importante. Pois muito bem.

Saiba o meu caro senhor que Rodolfo, Fernando, André, Paulinho Santos e os eternos "2" João Pinto e Jorge Costa não eram conhecidos propriamente por ser meiguinhos.

Nem a família André, já agora.

Mas despeço-me de si, porque não voltarei a comentar nenhum post seu deste teor, uma vez que você já disse que a estrutura é vampira e que nunca trabalharia com Pinto da Costa, que Casillas vem cá para laurear a pevide mas principalmente, neste post, agora, que deseja que um jogador da sua (?) equipa esteja lesionado ou seja expulso e/ou prejudique constantemente o rendimento da sua (?!) equipa apenas para dar a sua posição como provada .

Meu caro, como disse e bem o Ribeiro, veja lá se o Futebol Clube do Porto é mesmo a sua casa.

Jorge Vassalo | Porto Universal

Nuno Leal disse...

Pego no que o José Correia disse e reforço: eis a noção do que é um jogador à Porto. Todos os benquistas que conheço detestam o João Pinto, Paulinho, o Couto, o Bruno, o André, porque no fundo os adorariam se tivessem jogado no clube deles, como adoraram Mozer, Petit e o próprio Maxi. Porquê? Porque dão tudo pela camisola.E isso implica não ser amigável com rivais, ser durinho, provocar os adversários no limite. Nesse contexto compreendo as declarações do Presidente, eu próprio acho o Maxi como jogador muito parecido com o nosso João Pinto quando também andava nos 30's. Também neste contexto de "vestir a camisola à séria" compreendo as declarações passadas do Maxi reproduzindo a visão encarnada das coisas. Mas apesar de há um mês até ter achado que não o queria, apesar de durante os últimos anos o achar um caceteiro protegido pelos árbitros e ter medo de agora no Porto esse manto não existir e termos um Maxi várias vezes expulso, apesar de tudo isso, claro, como sempre já vejo o copo meio cheio.
Ou seja,
para subsituir Danilo com um lateral que não fosse uma promessa ainda, o clube tinha de desembolsar na boa 10, 15 milhões. Mais o salário. O Maxi veio a custo zero. Restam os altos sal´rios mas façam bem as contas: entra já no plantel e a 100 à hora.
Sobre árbitros, como o Maxi anda por cá há 8 anos, resta-me (embora com dúvidas) ver se essa relação com os árbitros que também já o conhecem de ginjeira, se se mantém. Pode até ser que sim. Os árbitros às vezes não são só clubistas, também vão com a cara de um e não vão com a cara de outros.
Pegando nestes 8 anos de Maxi por cá, é outra mais valia: já conhece de ginjeira não só os árbitros como os campos (menos o Tondela eheh), muitos dos jogadores. Já é quase português.
E depois, sem dúvida era um dos melhores do Benfica. Cheguei a ver jogos deles em que dizia para mim - se não fosse este Maxi a carregá-los às costas - e isso, essa entrega, igual também na selecção, é que é o tratado de ser um jogador à Porto. Merece a 2. Mais do que o Aboubakar merece a 99.

J.P. Gonçalves disse...

Lucidez e sentido de honra.
Fazem falta mais escribas deste calibre à blogosfera futebolística nacional. Em todos os clubes.

João Ferreira disse...

Eu estou 100% de acordo com o Miguel.

Paulo Sérgio Portugal Malheiro disse...

Opinião totalmente radical e mesquinha....
Maxi oferece uma lateral ofensiva...terá de ter um tampão...mas é titular e raçudo....
Quando temos e tivemos nas nossas fileiras Rolandos, Fuciles, A. Pereiras...
As pessoas nem imaginem o que algumas figuras associadas ao ser porto...fazem!
O Maxi como único culpado das campanhas na Lc do carnide...poupem-me

Ribeiro DeepBlue disse...

E para que fique registado, não, não gosto do Maxi. Preferia que não tivesse sido contratado. Mas os constantes considerandos "eu é que sou o presidente da Junta" embrulhados em constantes "Está mal!" são de lamentar profundamente. O inimigo está na outra trincheira.

Barba azul disse...

Bem, eu estou mais ou menos entre as duas posições: a emotiva do MLP, a quem repugna engolir este sapo, e a racional / utilitária do JC. Não acho que ele tenha tido atitudes contra o Porto, ou ofensivas para com o Porto, indesculpáveis. Disse, no fundo, e nem sequer com grande ênfase, o que muitos amigos que cada um de nós certamente tem dizem; barbaridades que nos indignam, incompreensíveis! Mas certamente não julgamos esses nossos amigos por essas idiotices, nem deixamos de ser amigos ou de lhes reconhecer virtudes incompreensíveis para quem consegue dizer tais baboseiras! E este até me parece um bocado "simples", motivo desculpante para imbecilidades.
Quanto à sua barbaridade, já acho o caso mais grave; pela brutalidade em si, mas sobretudo pela impressão de que ele tinha a noção da carta branca para a exercer. Não partiu nenhuma perna, como o Katsouranis, mas podia ter partido. Mas também a brutalidade / boçalidade são desculpáveis.
Tudo isso é perdoável, mas aquilo com que concordo mais com o MLP é sobre a sua real qualidade; para não falar da idade; e se o tipo, além de não ser nada por aí além, só sabe jogar mesmo à bruta? Se não o conseguir de outra forma, vai-nos ser inútil, porque para nós isso não é permitido.

miguel.ca disse...

Eu estou de acordo com o Miguel apesar do radicalismo moderado mas não gosto deste gajo... nada mesmo. Não lhe conheço o lado pessoal mas como jogador de futebol, este gajo representa na perfeição o que é o benfiquismo. Maldoso, trapaceiro, arrogante, batoteiro e acho inacreditável que Pinto da Costa abra as portas do FCP a uma besta destas e ainda por cima lhe dê o mítico número do João Pinto e Jorge Costa.
O que virá a seguir? Convidar a Leonor Pinhão para directora de comunicação?

José Rodrigues disse...

Bem, o que os lamps dizem nao me interessa. Penso pela minha própria cabeça e acho q o Maxi é muito mais caceteiro q qualquer um desses jogadores.

E o meu problema nesse ponto nao tem nada a ver com ser ou nao jogador à Porto, mas sim com o q se isso pode dizer em cartões, nao tendo nós o manto protector do slb.

Já na questão do jogador à Porto, para mim ser jogador à Porto é muito mais do q ser, digamos, aguerrido. Inclui também o sentir de forma profunda a camisola FCP, por exemplo: ora custa-me imaginar q um gajo q passou a grande maioria da carreira profissional no slb (OITO anos) e ainda por cima sendo dos mais desbocados para com o FCP algum dia venha a ser "jogador à Porto". Para já não é de certeza.

Miguel Lourenço Pereira disse...

Digo "na Europa" em comparaçao ao estilo de jogo das ligas sul-americanas, naturalmente. Na Europa - como há ai alguns posts publicados por membros da equipa no passado - o Maxi não passa cartão o que é óbvio!

Miguel Lourenço Pereira disse...

João,

O Maicon estaria em todo o seu direito como está o Maxi. A diferença é que se eu fosse adepto do Benfica diria o mesmo se o Maicon fosse contratado pelo clube.

Os jogadores podem "defender as suas damas" como bem entenderem. O que se pede é coerência, tanto ao jogador como, sobretudo, aos dirigentes - esses sim eleitos e adeptos - ao não colocarem no clube alguém que, no passado, lhes faltou ao respeito.

É que fica a impressão que ontem foram raptados todos os laterais direitos com menos de 31 anos e que ganham menos de 3 milhões e pico de euros ano ano e fomos forçados a contratar o Maxi por desespero!

Miguel Lourenço Pereira disse...

Ribeiro,

O seu problema está precisamente no final da afirmação. "O inimigo". Eu não tenho inimigos e o FCP não deve ter inimigos. Deve ter rivais. Andar pela vida com "inimigos" costuma dar mau resultado ;-)!

Miguel Lourenço Pereira disse...

Ernesto,

Ser portista é ser adepto do FC Porto não é ser adepto "deste" FCP ou das pessoas que o gerem. Eu sei que 30 anos são muitos anos e há quem confunda certa gente com o clube mas há, felizmente, Porto, antes e depois desta gente e clube para todos.

Obrigado pela consulta de psiquiatria em escassos caracteres, vou apontar.

José Rodrigues disse...

Uma consideração que nao convém nao esquecer é que tem 31 anos.

Ora para um jogador que recorre frequentemente à falta para compensar erros posicionais e falta de velocidade, e que ainda por cima tem que fazer uma ala toda, a tendência devido à idade é que o venha a fazer ainda mais nos próximos 12. 24, 36 meses.

Miguel Lourenço Pereira disse...

Caro Jorge,

A leitura na internet é livre e os motivos porque a realiza também, folgo que aprecie os excelentes artigos do José Correia porque valem quase sempre a pena ler e reler. Quanto ao resto, basicamente, o problema é seu. Não gosta, não lê, é relativamente fácil e acessível até aos mais limitados.

Agradeço a deferência com gosto!

Pedro ramos disse...

Tudo que diz sobre o Maxi subscrevo em absoluto. Esta contratação é uma facada desta direcçao em todos os adeptos. É contratar alguém que era o simbolo do "colinho" que quer adeptos quer esta direcçao se queixava, e ridicularizar o próprio clube. Ainda me irei rir quando a equipa se queixar que nao consegue acabar os jogos com 11.

Só é pena que o Miguel tenha de ir sempre além e qualquer motivo sirva para arrasar tudo o que é Porto. Como se 90% destes negócios nao tenham sido um desastre no passado, sim porque Rodriguez, Yuran, kulkov entre outros vieram obviamente por amor à camisola e nao porque pagamos mais, e pelos vistos na altura também foram reflexo do desespero e do vale tudo para ganhar.
Que o clube nao tem coerencia nem rumo, assim acontece com as criticas: num ano o problema é os emprestados, noutro os jogadores a custo zero, noutro os jovens sul-americanos e o Miguel tem cá estado sempre a criticar a estratégia seja ela qual for, agora é porque nao há estratégia. Quando o Porto apostar em 10 jogadores da formaçao cá estará a criticar porque nao se pode queimar 10 jogadores duma vez.

Miguel Lourenço Pereira disse...

Comparar o Maxi Pereira com qualquer um dos jogadores do FCP dos anos 80 e 90 não é só uma tremenda falta de respeito a esses jogadores como de uma falta de memória atroz.

Mas não faz mal. Se já temos um putativo candidato presidencial que exerce funções de director desportivo e que passou a infância e adolescência a chorar com as derrotas do SL Benfica, porque não um lateral vindo de Carnide com o emblema tatuado nas caneleiras?

Miguel Lourenço Pereira disse...

Luis,

Os dirigentes do FCP sabem que o Benfica está numa politica de contenção de custos e nem sequer fizeram uma segunda proposta ao Maxi quando este recusou a primeira. Se ele não fosse para o Porto ia para a Turquia. Estocada? Não houve. O Benfica até agradece (como agradece ao Sporting pagar os 4 milhões que pouparam com o JJ)!

André Soares disse...

Já tivemos alguns Treinadores, adeptos de outros clubes, assim como jogadores formados noutros clubes rivais... a serem campeões cá...

Carrela disse...

Quem parecer ter um rumo definido e sempre igual é o Miguel.
Que não está bem com nada! Tudo o que o FCP faz, faz mal, basicamente é isto...

Quanto ao artigo, sou dos que não queriam Maxi no Porto, mesmo nada... por boa parte das coisas que refere.
Mas dizer que é um jogador banal... CALMA, sejamos coerentes!
É só olhar para o número de jogos que tem pela sua selecção e clube...
É óbvio que tem qualidade, que era provavelmente o melhor DD a jogar em PT depois de Danilo...

Outra coisa, o Porto faz menos faltas que o clube do colinho.
Se não estou em erro, na época que terminou, até à jornada 32, o Porto tinha tipo 447 faltas cometidas e o clube do colinho 541!!
Ou seja, Maxi, não terá tanta necessidade de entrar ao homem como tinha... disso não tenho dúvidas!

Luís Pires disse...

lol, "convidar a Leonor Pinhão para directora de comunicação", shiu... que ninguém o ouça :)

Ernesto disse...

Muito bem, Miguel, então sempre esta´contra este "FCP", certo? Há Porto antes e depois de PC, mas que Porto? O Miguel escreveu, noutro artigo, que o Porto devia ser fiel às suas origens, quando se prestou, creio, a contratar o Casillas. Mas ser fiel é mantermo-nos estáticos, é não sermos prospectivos, é enraizar-nos nos limites das muralhas fernandinas?

Sou portista de Lisboa desde o tempo em que, aí, ser-se portista era ainda um simples caracter de exotismo. Esse Porto, que estava 19 anos sem vencer o campeonato e que, sempre que vinha ao sul, se prestava. por sistema (literalmente) à derrota, é um Porto do passado que eu não gostava de voltar a reviver enquanto adepto!

Este Porto, do qual se diz do "contra", foi motivador das maiores alegrias da minha vida. Não me esqueço, nem o renego! Este Porto em construção, acredito, fará parte da nossa história mais gloriosa, pois estamos a edificar, de novo, uma grande equipa. Acredito neste projecto, gosto deste treinador, e empolgam-me estas contratações.

Em termos brutos, o Porto já terá realizado mais de 80 milhões de euros, esta época, em transferências. Pela sua cabeça, esse dinheiro devia servir, de grosso modo, para abater no passivo e eventualmente servir para solidificar um projecto mais comezinho. Já se percebeu que para PC, o Porto não é um clube para consumo interno, e que se presta, cada vez mais, a potenciar-se como uma marca de índole mundial. Quer se goste, quer não, hoje o Porto está nas bocas do mundo e com isso, nós portistas falamos de Casillas, como se fosse esse, não um sintoma de crescimento, mas sim de pura desagregação...

Desculpe-me por ter errado, a instâncias várias, a digitação do seu nome, e de igual modo, lhe peço desculpa pela petulância intelectual que o levou a pensar poder estar eu a querer dar-lhe uma singela consulta de psiquiatria; de facto a referência tem maiores contornos com a psicologia forense, mas de todo o modo, nem por formação, nem por convicção, pretendi dar-lhe essa consulta, até porque não entendo que esteja maluco, quanto muito confuso...

Ernesto disse...

Para quem quer ser magnânimo nas apreciações sobre símbolos do FCP, que não viveram na égide destes vampiros actuais, está bom de se ver a falácia da afirmação, e a baixeza com que se cataloga um actual diretor do FCP com base em falsas suposições, e boatos...Lamentável!

José Rodrigues disse...

De forma geral e nisto da contratação do Maxi, vem-me à cabeça a frase do Pimenta Machado: «o que é hoje verdade é mentira amanhã».

Quando inicialmente apareceu o rumor na imprensa, vi imensos portistas a dizer que «nem pensar», que isto era «jogada inteligente do PdC para levar o LFV a oferecer um salário maluco ao Maxi».

Ora agora que o Maxi veio (sendo nós quem vai pagar esse salário maluco) não tenho dúvidas que muitos dos que aplaudem a contratação - ou no mínimo se recusam a criticá-la - são... os mesmos que diziam isso antes.

De qualquer forma vamos ser sinceros, no que diz respeito à equação «negócio» (valor desportivo / custo): se este mesmo Maxi jogasse num Lyon ou Newcastle NUNCA seria contratado, pelo menos com estas mesmas condicoes extremamente simpaticas para ele (salario e duracao do contrato). Há dúvidas?

Pedro Reis disse...

O Maxi mais caceteiro que o Paulinho Santos? Se é para comentarmos de palas não vale a pena...
É verdade que podemos não gostar do Maxi por ele ter jogado no SLB agora dizer que ele tem uma forma de estar diferente de muitos que passaram no FCP e que tantos portistas exultam é falta de honestidade intelectual!

Paulo Marques disse...

Concordo em absoluto com o Miguel, a única coisa que posso desejar é que alguém ganhe juízo e que o despeça como ao Del Neri.

Alexandre Burmester disse...

É sempre de lamentar quando algum leitor, seja ele assíduo ou não, e pelos motivos que bem entenda, se concentra em atacar o autor de um artigo, aqui ou noutro lado qualquer, na "bluegosfera" (agora também possivelmente conhecida por "brownosfera") ou alhures, em vez de se focar nas opiniões desse autor.

E esta tirada "Eu não sei se vossa excelência já reparou, mas o senhor está a rezar a cartilha daqueles que nos querem prejudicar, e amigos, por este Portugal, já não temos muitos" é típica da mentalidade de sitiado, muito cultivada em regimes "autoritários".

DC disse...

Uma vergonha, um atentado à memória dos adeptos!
No canal oficial do Porto estão vídeos de entradas deste animal. Não vale tudo! Depois venham falar de mística e de sentir a camisola. Qualquer mercenário, tenha feito o que quer que seja ao nosso clube, pode vestir a camisola.

Somos Porto uma treta, é o que somos.

DC disse...

Se isto é um jogador à Porto eu não quero jogadores à Porto no clube.

Barba azul disse...

Não.

Miguel Lourenço Pereira disse...

Pedro,

Ser jogador á Porto também é abandonar o clube onde se esteve quase uma década por uns trocos? Porque o Paulinho, João Pinto, Jaime Magalhães e afins realmente abandonaram o FCP por um rival directo depois de rejeitar a renovação. Claro que abandonaram!

Miguel Lourenço Pereira disse...

Ernesto,

Não há que estar contra tudo nem a favor de tudo.
Por exemplo, a forma como a SAD se está a livrar dos excedentários tem sido muito boa a meu ver e negócios como o de Carlos Eduardo, Reyes, provavelmente Quintero, e afins vêm de encontro com o aqui reclamado por várias penas e comentadores.

Ninguém pede ao FCP que esteja parado, nem de longe nem de perto. Que está sem rumo nos últimos anos é claramente evidente na forma como se comporta em cada defeso, navegando em direcções contrárias. A aposta na formação, tanto proclamada com a chegada de Lopetegui, estancou-se com o Ruben. Entre outros elementos.

O FC Porto tinha ido pescar o Gaitan e eu jamais o criticaria nestes termos porque o Gaitan, apesar de ser um jogador do Benfica não pretendeu atacar o meu clube - dentro e fora de campo - para ganhar o seu pão. Não se trata de questionar ir buscar jogadores aos rivais (sou grande fã do Maniche, por exemplo) mas sim os que são elegidos e a bagagem que trazem!

Miguel Lourenço Pereira disse...

Ernesto,

Não é baixeza nem sequer boato. Basta informar-se. O Antero tem mérito - reconverteu-se afinal á fé verdadeira - como São Paulo, talvez por isso tenha as chaves do céu!

Miguel Lourenço Pereira disse...

Sou muito admirador de ex-treinadores e ex-jogadores dos rivais no FC Porto. E ainda bem que os tivemos, fomos um clube melhor graças a eles, sem dúvida.

Mas esses "reforços" não fizeram do seu anti-portismo parte da sua identidade ao largo de quase uma década pois não? Alguém tem declarações "á Maxi" e entradas "á Maxi" contra o FC Porto e os seus profissionais dos Moutinho, Maniche, Kulkov, Yuran, Ditos e afins?

Pois não!

André Soares disse...

Isso, é melhor fazer menos alarido...

Miguel Lourenço Pereira disse...

Pedro,

Não critico em absoluto ir pescar na Luz e Alvalade nem de longe nem de perto. Apenas a eleição do "alvo" neste caso pelo seu perfil anti-Porto, cultivado durante anos.

Em relação á estratégia, se o clube todos os anos segue um rumo diferente naturalmente que a culpa não é minha. Algum dia acertará seguramente!

Miguel Lourenço Pereira disse...

Sem duvida Carrela.

Também já tenho um governo sombra, assinaturas e um milionário qatari que me vai ajudar a realizar um golpe de estado para por as coisas na ordem :-)

E sim, o Maxi foi considerado por mim, por outros leitores como um jogador perfeitamente banal. E que seja melhor que um Cedric não faz dele grande espada.

O Porto faz menos faltas? Pois faz. Mas basta fazer uma "á Maxi" para que o colinho deixe de funcionar. Só uma!

Miguel Lourenço Pereira disse...

O video sairá brevemente porque limpar o passado é uma especialidade da casa quando convém.

Somos Porto vende bem, como ideia de marketing. Na prática a história é muito diferente.

Carrela disse...

Ohh Miguel, a sério?
Estou-me literalmente a ca...... para o se foi estucada ou não... E quero acreditar que quando se vai buscar um jogador seja a quem for é porque se acredita que tem valor! Sim, mesmo os Sami's e Djalmas desta vida...
Mas lá está, isto é subjectivo.

O que não é subjectivo e só pode vir de quem está do lado oposto da coisa, é a afirmação do "O Benfica até agradece"!!

COMO????

É que se está a falar de 2 profissionais cujo contrato TERMINOU!!

É por demais evidente que o Benfica perde um elemento importante! E que isso lhes custou!

Isto de disparar por tudo e por nada e para todo o lado, tem as suas consequências... Chega a um ponto que já ninguém liga!

Antonio disse...

Não sei bem porquê, mas cheira-me que na cabeça dos nossos dirigentes passa a ideia de que o Maxi, mais do que uma mais-valia para o Porto sera uma menos-valia para o b... pois que dificilmente encontrarão um caceteiro do mesmo calibre para o seu lugar. Quanto a nos, habituemo-nos a jogar com 10.

Nuno Leal disse...

Esperando por água na fervura e não óleo, quero só acrescentar à discussão outra achega: Maxi é uruguaio. veio para cá e sente que lhe paga. E não é burro, em 8 anos, sabe que o Porto não só paga bem como é um grande clube, tanto que ele mesmo apesar de saber que ficaria odiado por metade do país, bem "cagou" para isso. Bem feliz estava ontem a chegar ao seu clube de sonho. Alguma ironia aqui, claro. Ele é uruguaio meus caros, se fosse um português capitão de um rival e a destilar ódio a nós como o Maxi destilava acharia muito mais sentido e imperdoável. Mas ele não é português. Não é benquista nem portista, é um lateral direito que nasceu médio. É uruguaio. Acho que esse pormenor faz com que concordando no íntimo como o Miguel Lourenço Pereira, respirando fundo chego à opinião que formei antes, e não, não vou odiar o Maxi. Um pouco como do outro lado da barricada, se repetem "a partir de hoje odeio o Maxi". Ele agora, mercenário ou não, é dos nossos. Para ser campeão.

PS: tem-me divertido o destilar de ódio da nação encornada por este traidor. Só isso já me está a quase a valer esta machadada. Acredite, estou em Lisboa e aqui no trabalho está tudo muito, muito mesmo passada com o gajo. Inclui terem posto o boneco dele enforcado ao pé dads bilheteiras. Todavia, já apanhei um encornado a divertir-se com a nossa azia com o maxi e as discussões no facebook entre portistas sobre a vinda dele, e o quanto todos o odiamos.
Eu cá já só sonho num belo golo dele no próximo Porto-Benfica, mas pronto, sou eu.

Abraços

Nuno de Campos disse...

Haja lucidez:


http://www.ojogo.pt/Futebol/1a_liga/Porto/interior.aspx?content_id=4683968

Luís Vieira disse...

Estocada no sentido de "roubar" um jogador ao Benfica que, não fosse a intervenção do Porto, possivelmente por lá ficaria (os zunzuns da Turquia nunca pareceram muito concretos). Como deixei bem claro, não concordo, mas a cúpula (treinador e dirigentes) está muito satisfeita - até se prestam a lavagens de carácter pungentes. Menos, senhores, menos.

LowRider disse...

Ser portista não é anátema de ser crítico, e ter uma opinião divergente não significa que não se tenha razão. Concordo com a substancia do texto e qualquer portista que não tenhas palas concorda que a única certeza no momento é que o negócio do Casillas e do Maxi envolverá um esforço enorme em termos financeiros sem qualquer garantia de que irá produzir algum resultado desportivo. Qualquer portista deverá concordar também que depois de passar épocas a fio a falar da falta de perícia e extrema agressividade do Maxi (e estou a ser brando com as palavras que uso), achar agora que é um jogador "à Porto" é no mínimo pouco coerente.
Concordo também com o Miguel quando fala do efeito “chutar para a frente” que todos os clubes utilizam para camuflar resultados, através de empréstimos obrigacionistas e utilização de fundos, bem como vendas e realização de mais-valias virtuais para se conseguir cumprir com o fair-play financeiro. Pouco me importa que os clubes de Lisboa acabem no entanto não é algo que queira que aconteça ao meu clube. Também tenho poucas ilusões acerca das motivações dos dirigentes desportivos no entanto quero acreditar que os nossos são um bocadinho melhores (repito: quero acreditar).
De qualquer forma entendo que algumas pessoas não gostem do tom das palavras do autor deste texto. Entendo porque quando não somos nós a criticar o nosso clube custa-nos sempre muito ouvir (ou ler) as opiniões dos outros. É assim, sempre será assim e não há nada que se possa para fazer para mudar isto.

Jorge Vassalo disse...

Claro, claro, já só cá faltava esta.

Vamos lá por partes.

Este chavão de "se não queres não leias e põe-te a andar" é uma verdade La Paliciana em si mesma. O meu problema não é o meu gosto pessoal, mas a forma consistentemente "bota-abaixista" com que é descrito.

Já agora, caro Burmester, por favor não me venha com essas tiradas "norte coreanas". Ninguém aqui está a dizer que o Miguel não tem o direito de gostar ou não gostar do que quer que seja.

A sua visão filosófica do clube é da sua responsabilidade e direito pleno. Como assim o é a minha crítica a esta também.

Quando o digo, digo sim que não somos defendidos por nada nem ninguém e é nesse sentido o meu apelo.

Agora, se não estão com jogadores, treinadores, dirigentes, estão com quem? Com o estádio? Ou são os adeptos do "antes é que era bom"? De que o FC Porto morreu com Vítor Pereira?

Eu sei, factualmente, porque benfas e lagartos me atacam assim, que há quem pegue nas constantes críticas aqui deste blogue para atacar o FC Porto fazendo dois erros. O primeiro, o de partir do princípio que o que é dito é inside information e não mera opinião - a primeira, seria uma coisa séria, a segunda um direito claro de qualquer cidadão. E a segunda, a mais vil e preocupante, a de que todos ou a maioria dos adeptos pensam desta forma.

Eu opto por ser optimista, "seguidista", Lopeteguista, "vendido" ou todas as coisas bonitas que já me apelidaram.

Eu acho um paradoxo total dizer-se adepto de um clube com o qual não se concordo, nem no campo nem fora dele. É, para mim, a antítese de ser adepto. É claro que tenho críticas. E as aponto, na sede própria que criei para tal.

Mas, se mais de 50% das coisas que escrevesse fossem críticas, confesso que ficaria a pensar que raio de clube sou adepto de.

Uma vez mais, e para que fique claro, jamais, em tempo algum, afirmo que MLP, ou qualquer outro, não tem o direito à crítica. Mesmo que seja constante.

Mesmo que, para mim, não faça sentido.

Jorge Vassalo | Porto Universal

André Soares disse...

Bem, acho que é normal esta divergência, mas a opção, bem ou mal, já foi tomada...
Acho que devemos todos, agora, porque antes eu era dos que não o queria ver nem pintado, é esperar que a opção no final do ano tenha sucesso pois o que eu mais quero é o sucesso do meu clube.

Mais uma vez... Não queria esta contratação mas espero que ele ao menos que corra muito, e não precisa de meter a mão no peito como alguns que depois Amuam e fazem birra já com 31 anos também...e também com comentários estranhos ( com cariz "parece" provocante a quem lidera o grupo ) que estragam todo um ambiente.

Todos nós temos opiniões diferentes há que saber respeitar.


Boa época para todos nós é o que eu desejo...
vamos ser campões...e depois a direcção já vai ser melhor do que era hoje de certeza...

Á parte disto e apesar de ser assíduo deste blog não costumo entrar neste comentários deixo o repto aos autores para possibilidade de escreverem sobre:
- introdução de outras modalidades amadoras?
- introdução de modalidades femininas. ( já tivemos basket feminino e acabou).

Mário Faria disse...

O Miguel resolveu linchar a SAD por ter contratado Maxi. Usou uma série de argumentos discutíveis mas pessoais. Por agora não vou comentar: fica para memória futura. Acho, porém, que considerar que tal decisão "foi uma vergonha e um atentado à memória dos adeptos" é um abuso. Pela minha parte não autorizei ninguém a falar por mim.

José Rodrigues disse...

Reparei que o Miguel foi acusado em vários comentários (aqui e em outros artigos) de ter vistas curtas, pouca ambição e diabo a quatro pelo sacrilégio de defender contenção nas despesas.

Gostava de saber se quem assim pensa também "caiu em cima" do administrador da SAD Fernando Gomes, que ainda há dois meses disse o seguinte:

«Neste momento estou em condições de garantir que o orçamento para o próximo ano vai ser inferior ao orçamento deste ano» [sic]

O mesmo administrador poucos meses antes tinha dito tambem, e de forma ainda mais especifica, que a SAD iria (e teria) que diminuir a massa salarial do plantel, o que obviamente nao vai acontecer, bem pelo contrario.

Passo a palavra aos Ernestos deste mundo.

Ernesto disse...

Maior bagagem que o Máxi? Deixem-nos de hipocrisias. Este jogador, com este percurso no FCP, já teria sido elevado á condição de símbolo, que era aquilo que ele era no benfica. Escolheu o Porto por mais dinheiro, pois claro. Não o condeno, como não condeno a SAD por ter apostado numa referência segura para o lado direito, sem tentar inventar no mercado numa aposta na ordem dos 12 a 15 ME. O Máxi vai dar rendimento desportivo, não tenho dúvidas. A SAD, por ter pedido dois anos, sendo o último ano da forma como o foi, já não tem rumo?

Ah, e a aposta no projecto "formação" estancou no Rúben? E o regresso do André e do Sérgio? Que dizer do regresso de um jogador carismático, e português, como Varela? Não podemos colocar a jogar 11 jogadores da formação, sem lhes dar a "esfaleca" de um clube que esteve nos oitavos da LC, certo? Os jogadores têm que ir entrando, queimando etapas, e vejo, sinceramente, da parte do Lopetegui vontade em integrar jogadores da formação. Não é tudo mal? Na sua pena, se não é parece, caro Miguel! É como lhe digo, eu como adepto, o que quero é ganhar, e não creio que esta aposta desportiva possa significar o fim do clube. O fim diagnostica-se, quando um clube não ganha, ou não é notícia, ou quando não tem visão estratégica para, com risco com certeza, ousar ir um pouco mais além. É isso que eu vejo nesta contratação do Máxi, independentemente dum pensamento mais "purista, e da ingressão do Casillas no Porto.

Pedro Mota disse...

Qualquer um desses era melhor jogador que o Maxi..Aliás, descobrimos este ano que o Maxi,que já cá estava há 8 anos, afinal é o melhor lateral da Europa. Maxi é um lateral razoável no máximo. As pessoas tambem confundem jogadores que volta e meia lhes para a cabecinha e agridem ,com jogadores que dão porrada constantemente por não terem capacidade para parar o adversário. O exemplo mais flagrante disso é por exemplo Pepe e Ramos, Ramos é muito mais caceteiro que Pepe, no entanto quem tem a fama é Pepe,mas basta acompanhar o Real e ver oscartões que cada um leva para perceber. Maxi é caceteiro.

Pedro Mota disse...

Se há portistas que não gostam que outros portistas pensem de outra forma e tenham opiniões diferentes, então podem tambem mudar de clube e ir para um onde todos são carneiros e pensam da mesma forma, aqui em Portugal conheço um assim, não teriam que andar muito caso queiram mudar.

Ernesto disse...

Peço desculpa, mas insisto; onde é que o Máxi Pereira é a personificação desse anti-portismo, que de tão primário, o leva, desta forma tão veemente, a classifica-lo quase como o anti-cristo? O Miguel anda a ver fantasmas, e em tudo e nada, se resgata para se fazer valer desta sua cruzada... Alguma lucidez!

Mais, expressões como " ter o Máxi uma tatuagem do benfica gravada nas caneleiras", ou referências ao Antero como benfiquista, demostra bem o nível da argumentação...

zzzzz disse...

Ah! Ah! Ah! Ah! Que delírio!

A época ainda não começou e o prezado autor já dispara em todos sentidos. Cada artigo é um tiro nos pés.

Com a sua habitual lengalenga da desgraça, M.L. Pereira é um forte candidato a entrar no anedotário da blogosfera azul e branca. Provavelmente já lá está.

Lápis Azul e Branco disse...

Meu caro portista Miguel

Não concordo com a maioria das posições que assume neste texto, mas agrada-me que, sendo sinceras, as expresse mesmo sabendo de antemão o chumbo que lhe ia cair em cima.

Falta cultura democrática entre os portistas, que curiosamente quanto mais ferrenhos se dizem, mais intolerantes são perante diferenças de opinião.

Temos todos que nos habituar a ouvir e respeitar vozes discordantes, sem que isso ponha em causa a única coisa que nos une: o amor ao F. C. Porto.

Do Porto com Amor,

LAeB
http://doportocomamor.blogspot.pt/

Pedro Mota disse...

Praticamente perfeito o seu texto..

Mais uma vez parabéns pela coragem,pois dizer que "está sempre tudo bem" , "se Pinto da Costa fez é é porque esta bem e temos de confar" etc ... É muito fácil..

Se não for para exprimir as nossas opiniões ,para que serve ter um blog ou andar a ler outros blogs e comenta-los?!

O que me assusta cada vez mais é esta nova onda ,que ganhou força nos últimos 2 anos, em que temos que pensar todos de forma igual e se há alguém que não pense igual ,então tem que se proibir essa pessoa de falar e expressar a sua opinião. É assustador.

Quem não quer ler não lê,quem não concorda que crie um blog ou comente com argumentos ,mas o que vemos é comentários não a contradizer o que está escrito,mas sim a atacar o autor. Resumindo, muitos sabem que é verdade,mas como não gostam atacam o autor.

Deus queira que continue haver portistas a pensar pela própria cabeça, e com opiniões diferentes.

Se por algum motivo Maxi o contrato de Maxi fosse considerado invalido, e por essa razão tivesse que voltar ao Benfica, os que agora dizem que é jogador á Porto,um grande jogador etc eram os 1ª a insulta-lo, a dizer que é mau jogador etc.. Não entendo como há pessoas sem coluna vertebral e que mudam as suas opiniões e princípios de dia para dia.

Desejo que Maxi conquiste muitos titulos no Porto,e que jogue sempre o jogador que merece, seja ele Maxi ou Ricardo, mas sinceramente desejo que Ricardo lhe roube o lugar e se imponha como o melhor lateral do Porto.

santosanonymus disse...

Se render em campo (quase) ninguém se vai lembrar do passado. O que me faz confusão é a questão financeira.

Tendo em conta que a massa salarial foi de +72M€ em 14/15 como será em 15/16 com Imbula/Maxi/Iker a custaram aproximadamente 10M€?

Cumprimentos

José Correia disse...

A memória de cada adepto é a memória de cada adepto.

O Miguel tem a memória dele mas, evidentemente, a frase "foi uma vergonha e um atentado à memória dos adeptos" devia ter sido escrita de outra forma porque, que eu saiba, o Miguel não tem procuração para falar em nome dos milhões de adeptos portistas.

LowRider disse...

Entretanto saem Danilo, Quaresma e Jackson que representam mais ou menos esse valor (parece-me).

José Correia disse...

Eu lembro-me (porque estava lá e vi) do Rodolfo Reis ter agredido (sim, agredido) um ex-jogador e ex-símbolo do FCP - António Oliveira - quando este, ao serviço do Sporting, veio jogar ao Estádio das Antas (o António Oliveira regressou do Intervalo com a cabeça ligada).

Eu lembro-me do Paulinho Santos ter partido, duas vezes, o nariz ao João Vieira Pinto.

Eu lembro-me do Fernando Couto andar pegado com o Mozer, ter-lhe atestado uma cotovelada nas ventas, ter sido expulso, o FCP ter perdido esse jogo na Luz, o que foi decisivo para perdermos esse campeonato.

Eu lembro-me de várias entradas por trás do Bruno Alves (que se tivessem sido feitas pelo Maxi nós, portistas, teríamos caracterizado como "entradas assassinas"), ao ponto de adeptos de outros clubes terem produzido vídeos agrupando várias dessas entradas.

Dito isto, parece-me perfeitamente normal que nós, adeptos portistas, consideremos que o Maxi com a camisola do SLB era muito mais caceteiro do que qualquer um destes jogadores com a camisola do FC Porto.

Havia um blogue, de que eu gostava bastante, cujo nome era 'Óculos azuis-e-brancos'...

Pedro Mota disse...

Também saíram Jackson, Danilo , Casemiro e Quaresma , que eram muito bem pagos, especialmente os 2 primeiros. É obvio que vai aumentar,mas não 10M. Se sair Adrian, ainda alivia mais,pois é dos mais bem pagos.

JON disse...

O Maxi pode ter jogado no Benfica, dito o que quiser, se vier e for profissional, perfeito. Há muito que acho q isso da mística é uma treta… Morreu. Goste-se ou não. Eu não gosto, mas é o que é e vale o que vale.
O que deve contar é a competência, o mérito e a organização. Foi com esses que chegámos a onde chegámos.
Pois bem, Maxi é um jogador mediano, em fase ultra-descendente, e que beneficiou e muito de um modelo de jogo que conhecia muito bem e era perfeito para esconder as suas fragilidades. Posto isto, pagar o que se fala que se lhe está a pagar, aos 31 anos, não cabe na cabeça de ninguém. Por isso, acho esta contratação ridícula. O tempo o dirá.

Ribeiro DeepBlue disse...

Miguel,
agradeço o facto de já ter um diagnóstico para o meu "problema". Pelos vistos, também é versado em problemas psicológicos.
Junte-se isso a profundos conhecimentos em táticas futebolísticas, em finanças, em medicina desportiva, em marketing, e temos aqui um verdadeira renascentista.

Sim, "inimigo", porque para quem me aponta canhões, para quem me chama de corrupto, para quem procura por meios ínvios apoucar as minhas (através do meu clube) conquistas, não posso usar outro termo.
Contra canhões, não uso rosas.

Para os outros "experts", não, não vou mudar de clube.
E não vou mudar, porque se amo o meu clube, não passo o tempo todo a apontar-lhe defeitos.
Mesmo que os veja e não goste deles.
E se há coisas mal, discutem-se dentro de portas, e não com este estardalhaço quase diário com o sr. Miguel nos brinda 9 em cada 10 posts.

Luís Vieira disse...

José, também me lembro disso tudo. E por lembrá-lo sei que esses símbolos do FCP seriam mal vistos (pelos receptores) se ingressassem noutras bandas. Por outro lado, também me lembro da valia futebolística dessa gente e pergunto: o Maxi está ao nível deles? Ou para além de "porco" (perdoe-me a veemência), também é banalíssimo, encontrando-se a anos-luz do Danilo? O Miguel pode ser reaccionário, mas defender esta contratação é o que há de mais admirável nesta caixa de comentários.

Silva disse...

Vejamos, eu acho que o Miguel é coerente. Só não acho que se coloque aquela questão da opinião diferente. A do Miguel é sempre igual, dai a coerência. Se o FCP, este, pois que não há outro, fez, então está mal feito! É um direito que lhe assiste, como a todos nós o de não o ler. Fácil hein?
Ah, je suis Maxi! Imbula e vai buscar! :)

José Lopes disse...

Compreendo que se va buscar o jogador pela sua experiencia, por ser crivel que tenha um rendimento satisfatorio, por ja estar mais que adaptado a Portugal e tambem por ninguem questionar a sua entrega em campo, que serve sempre como exemplo seja em que circunstancia for. Agrada-me que o contrato seja de 3 e nao 4 anos, nao sei quais os valores do mesmo, embora seja claro que ele nao mudou para o rival para ganhar menos... Como bem refere o Jose Rodrigues, nao iriamos buscar o mesmissimo jogador, com a idade actual e com o vencimento actual tambem caso ele nao viesse do Benfica... E' claro que conhecer o campeonato e' um bonus, mas a vontade de tirar o sub-capitao ao rival tera pesado, e na minha opiniao mal. Nao tenho nada contra ir buscar jogadores ao Benfica desde que sejam de qualidade superlativa e se a contratacao nao se dever a, tambem, aquela alegriazinha de ir chatear a passarada, que e' um pensamento sempre pequenino.
Como todos, nunca pude com o Maxi pelos argumentos referidos no texto. Acho que se esta a empolar o que ele diz no video (a mim tambem me caiu muito mal inicialmente), mas nao ha maneira de nao lembrar as constantes cacetadas e a impunidade de que o Maxi gozou estes anos. Nao sei qual sera a reaccao dos adeptos quando ele fizer o primeiro jogo no Dragao, espero que nao seja mal-tratado. Tambem ja tivemos caceteiros e, caso achem que os nossos (Paulinho, por exemplo) nao o eram tanto como o Maxi, vao ver videos de jogos nos anos 90 que ate vao ficar arrepiados. (cont.)

José Lopes disse...

(cont.)
Por mim, nao se teria ido buscar este jogador por todos os anticorpos que foi gerando entre os portistas, Se havia jogador rival odiado, era ele. Isto, para mim, esta bem para la das questoes contratuais. Posto isto, devo dizer que tanto ou mais que a contratacao, cairam-me mal as palavras de Pinto da Costa. Percebo o esforco de justificar a contratacao e limpar a imagem do Maxi, acho que o proprio jogador tera de ser muito cauteloso nas suas declaracoes para se ir entranhando (duvido que o venha a conseguir) entre os portistas. No entanto, coloca-lo na mesma frase que Joao Pinto e Jorge Costa e' um ultraje. Percebo a comparacao pela garra em campo, mas se so isso basta para se ser "jogador a Porto", entao ha dezenas de milhares por esse mundo fora que o sao. O Joao Pinto e o Jorge Costa eram jogadores "a Porto" tambem pelo PORTISMO inquestionavel de ambos. Antes de fazer estas comparacoes, era bom que Pinto da Costa se lembrasse das lagrimas do Joao Pinto no Dragao Caixa e pensasse se nao devia ser mais cauteloso. Isto so prova que o conceito de mistica e' muito difuso para os proprios dirigentes. Confundem-na com profissionalismo. Maxi nao devia ter tido o numero 2, tal como Danilo tambem nao, pelo menos quando chegou do Brasil.

Espero que o Maxi venca titulos no Porto, e nao, nao espero que tudo lhe corra mal (aqui acho que o Miguel disse um disparate...), porque isso teria consequencias no nosso rendimento desportivo. Dele, fora bons jogos, espero entrega e comedimento na agressividade em campo. Uma coisa e' certa: ainda agora chegou, mas sei bem que nao ficarei triste quando souber que vai embora.

Quanto ao Miguel, faz-me muito mais confusao a intolerancia para opinioes criticas que reina entre o portismo que todos os exageros que o Miguel cometa. Nao gosto de algumas coisas que vai escrevendo pelo exagero (acima de todas a do Futbol Clube Oporto), ja critiquei varias vezes os seus textos, outras vezes nem vontade de comentar me deram, mas bem mais vezes concordo com quase tudo, sobretudo a substancia. E' uma mais-valia para a bluegosfera, nao escreve o obvio nem diz Amen. Um portista apoia o clube acima de tudo, mas ninguem esta a dar armas aos rivais por criticar o que acha que deve ser criticado, esta apenas a dar a sua opiniao, que se quer livre e plural. Como exemplo do espirito doentio de tantos, o Maxi ate ha dias era um ser abjecto, que representava a passarada como ninguem e que todos desejavam ver com uma perna partida, mas agora que veio para o Porto pelo contrato que lhe ofereceram ja e' um "jogador a Porto", ou no minimo, um grande profissional e ai de quem o atacar...

Frederico Cotta disse...

Caro Ribeiro DeepBlue que alegria me dá.

Alem disso, teimam em não perceber que como portistas dão mais importância a um sentimento/opinião (que não condeno, penso o mesmo a maioria das vezes), ao "amor" pelo clube,(que parecem que não têm), pelo clube e pelas vitórias.
Passo a explicar:
A época passada, 2/3 da liga foram inquinadas pelo #Colinho.
Esta época os clubes, CLUBES, não foi só o Porto, contestaram e votaram contra as nomeações. Acho que não preciso explicar o porquê.
Ora este mês a FDP vai votar se continua como está, ou há sorteio.
E o que é que fazem?
Dão mais importância à vinda de x ou y que é aquilo que controlamos (no sentido que temos lá a nossa gente), a "ajudarem" a fazer pressão sobre aquilo que não controlamos, a FPF, a Liga, a arbitragem. Ainda bem que é assim, da nossa parte, mas não é da parte do Benfica, que tem a arbitragem no bolso e segundo o NGP também Luís Duke....
Portistas, estamos à umas épocas sub fogo, na duvida prejudicar o Porto. OS Portistas a ajudarem à festa ao não saberem discernir entre o que é um sentimento, e o que é importante é grave e demonstra falta de lucidez.

Abraços

José Lopes disse...

Jose Rodrigues, para tudo ha excepcoes. Eu achei e acho que a contratacao do Casillas foi nao so um negocio de oportunidade, como uma afirmacao de ambicao. Isso, quer pelo curriculum do jogador, quer pela sua qualidade e peso mediatico, quer por ser um em 20 e tal do plantel, nao quer dizer que nao se fique preocupado com os gastos em massa salarial quando se olha ja para tres ou quatro contratacoes, sobretudo depois do objectivo tracado pelo Fernando Gomes.

Felisberto Costa disse...

Eis o futebol no seu esplendor!!!!
O que vale para mim, não vale para ti!!!

P.S. Acho Maxi Pereira um jogador da estirpe de Mozer, Petit, Javi Garcia nos avermelhados. Leopoldo (o bacalhau - conheceram?), Freitas, Paulinho Santos, Bruno Alves...
Mas curiosamente todos estes caceteiros nunca partiram pernas a ninguém - excepto o Paulinho que partiu a penca do JVP mas por questões extra-desportivas), enquanto jogadores bem-educados com Toni, José Eduardo (estes duas vezes a dois jogadores diferentes!!!), quase que cabaram com a carreira de colegas seus...

Alexandre Burmester disse...

Jorge Vassalo,

Alguém passa a ser menos português se criticar toda a classe política, central e local, funcionalismo público e por aí fora?

Daniel Gonçalves disse...

Declaração de interesses: não queria Maxi no FC Porto, preferia que não tivesse sido contratado. Agora só espero que ele cumpra a função para que foi contratado e respeite o nosso Clube.

"vou entrar é na moralidade por detrás desta contratação" O problema do Miguel é deixar que a "moralidade" (ou pela a sua concepção de moralidade) influencie as suas análises e a forma como interpreta o futebol. Quando o Miguel analisa o futebol de forma isenta da sua "puritana" visão do mundo e livre de um idealismo utópico consegue produzir excelentes textos, quando esse idealismo influencia a sua análise só lemos textos sectários, argumentação infundada e uma deturpação atroz da realidade e dos factos.

O futebol actual vive de "mercenários", é dependente do mundo financeiro mais viril e da competição mais aguerrida. Nenhum Clube sobrevive na actual alta competição, europeia e mundial, apenas com jogadores vocacionados no "amor ao Clube", para competir e alcançar sucesso tem de - usando uma expressão que os puristas detestam - "sujar as mãos", e utilizar de estratégias submetidas a uma lógica de mercado e de competição. Porque considerar indigno e abjecto um jogador que escolhe o Clube de acordo com o salário que lhe é oferecido e que lhe vai garantir o sustento e à família? É isso mais indigno que jogar por "amor à camisola? O que interessa nos dias de hoje é o resultado e a eficiência/dedicação do atleta enquanto defender o Clube.

A visão idealista do Miguel leva-o a uma deturpação da realidade do futebol e a uma crítica cega, intolerante e fanática de todos os que se opõe ao seu idealismo, como por exemplo a Administração/SAD do FC Porto. Daí a uma argumentação infundada e uma análise falaciosa é um pequeno passo.

Alexandre Burmester disse...

Varela e "carismático" na mesma frase são exemplo de paradoxo!

José Rodrigues disse...

@Jose Lopes

O meu ponto nao era sequer se e' boa ou ma' ideia fazer a inversao de marcha no q o nosso administrador 'garantiu' [sic].

Se e' ou nao desejavel fazer contencao de custos. Isso nao vem ao caso.

Era sim se quem bate no Miguel por defender essa contencao tambem bate num Administrador nosso por fazer exactamente a mesma coisa. E muitos que batem forte nos Migueis deste mundo nao batem de todo nos proprios dirigentes maximos da SAD que defendem exactamente a mesma coisa, o que e', digamos...muito inconsistente, para nao usar outra palavra.

De resto assinalo que esta evidente inflexao nao e' pontual, fruto do negocio de oportunidade de Casillas. Foi o Casillas, foi o Maxi, foi certamente o Imbula e em menor medida um Bueno, e quem sabe ainda mais um ou outro que possa ai' vir (Moutinho, Mitrovic, Lloriente...). Sao exemplos a mais para q se possa falar num acaso.

E nao me parece q fique bem ao nosso administrador 'garantir' o q nao tem a certeza de poder cumprir, ja' agora (independentemente da marcha-atras ser bem justificada ou nao).

Daniel Gonçalves disse...

Miguel Lourenço Pereira às 14:41 disse "Mas esses "reforços" não fizeram do seu anti-portismo parte da sua identidade ao largo de quase uma década pois não? Alguém tem declarações "á Maxi" e entradas "á Maxi" contra o FC Porto e os seus profissionais dos Moutinho, Maniche, Kulkov, Yuran, Ditos e afins?

Pois não!"

FALSO. Talvez a ignorância ou o facto de o Miguel querer encontrar factos para os acomodar à sua teoria/argumentação o leve a deturpar a realidade, mas a sua frase não corresponde à verdade dos factos. Maniche enquanto jogador do benfica (na altura presidido por Vale e Azevedo) teve uma declaração de genuíno anti-portismo, numa conferência de imprensa após um sporting-benfica na temporada que terminou com o jejum de títulos leonino (derrota sportinguista com o golo do Sabry), isto quando o FC Porto era alheio àquela situação e quando o benfica apenas lutava pelo 4º lugar. Intrometer o nosso Clube naquela altura e com aquelas preconceituosas palavras é que são puro anti-portismo e não tanto as palavras de Maxi ao criticar uma decisão do árbitro que beneficiou o FC Porto e prejudicou o benfica. Mandatado, ou não por alguém da hierarquia benfiquista, Maniche disse o que disse, mas quando veio defender o nosso Clube ele cumpriu a função para que foi contratado e todos nós vibramos com os golos que ele marcou ao serviço do FC Porto.
Quanto às entradas “à Maxi” convêm recordar um benfica – FC Porto na Luz, que, se a memória não me atraiçoa, foi o jogo que ganhámos por 3-2 - com um golo de Timoft perto do fim – em que o Yuran teve uma entrada dura, desnecessária, às pernas de um jogador nosso – o Bandeirinha ou o Semedo já não me recordo bem qual – que em nada ficam a dever em agressividade às entradas do Maxi. Passadas 2 temporadas estava ele nas Antas. O Dito, enquanto jogador do benfica ou até do SC Braga, também teve um desaguisado belicoso com um jogador nosso, o Vermelhinho.

O argumento do Miguel é que o Maxi apenas era agressivo, com entradas duras, e frases provocatórias contra o FC Porto, que a sua atitude combativa era exclusiva – daí o seu carácter anti-portista - contra o nosso Clube, ora não era ele assim contro Clube A, B, C, D ou Z? Que eu saiba, antes de chegar a Portugal, Maxi nem era portista ou benfiquista desde pequeno.

Pedro Mota disse...

Estou sim, é do inimigo?? ..Ai meu Deus, que visão tão fanática e fundamentalista das coisas e do mundo. Seria cómico se não fosse trágico. O Estado islamico ficaria orgulhoso por ver tanta dificuldade em aceitar as opiniões dos outros e agressividade com que se tenta e pretende silenciar quem não pensa como nós. "Ou pensas como eu,ou és inimigo" triste forma de ver e viver a vida. Mas lá está cada um é portista á sua maneira e tem todo direito de o ser. Viva o Porto e a pluralidade de opiniões.

Daniel Gonçalves disse...

"Não merece mais. Nem ele nem os homens que decidiram que os seus interesses pessoais estão por cima do Futebol Clube do Porto."

Esta dedução – e o raciocínio lógico a ele subjacente - faria corar de vergonha o Sherlock Holmes. Não consigo compreender qual é o nexo de causalidade - implícito ou explicito – que pelo facto de a SAD do FC Porto ter garantido o jogador Maxi para o plantel esta mesma SAD está a colocar os seus interesses pessoais acima dos interesses do FC Porto. O Miguel parte do princípio, e defende, de que com este jogador no plantel a SAD está a lucrar ou a tirar algum proveito – que o Miguel não menciona qual – e que o Clube está a ser lesado (financeiramente?). Considero que é apenas, mais uma, insinuação sem fundamento. Também eu não queria o Maxi como nosso defesa-direito mas daí a lançar suspeitas infundadas e argumentações irracionais ainda vai um longo passo.
O problema do Miguel é pensar com o coração e não com o cérebro, um problema psicológico dos idealistas. Quando pensa com a cabeça produz análises e textos excelentes, ricos em conteúdo.

José disse...

Boa noite,

devo dizer que também não concordo com esta transferência do Maxi, ainda para mais pelos valores envolvidos.. No entanto, depois de ler as palavras do Daniel Gonçalves, que relembrou o caso do Maniche, jogador que eu na altura ainda detestava mais que o Maxi!!
Hoje admito que me supreendeu muito e que mudei completamente a minha opinião sobre ele. É certo que o Maxi não tem a idade que o Maniche tinha na altura que veio para o Porto e que também vem ganhar valores muito mais elevados. Agora só me resta aceitar que o Maxi é jogador do FC Porto e espero que ele como profissional saiba honrar a camisola do nosso clube. Espero daqui a 1, 2 ou mais anos que a minha opinião sobre o Maxi também tenha mudado.

Miguel Lourenço Pereira disse...

Eu adoro o novo processo de santificação do Maxi Pereira.

Proponho já uma estátua ao lado do João Pinto no Museu! ;-)

Miguel Lourenço Pereira disse...

"teve uma declaração de genuíno anti-portismo, numa conferência de imprensa após um sporting-benfica na temporada que terminou com o jejum de títulos leonino (derrota sportinguista com o golo do Sabry), isto quando o FC Porto era alheio àquela situação e quando o benfica apenas lutava pelo 4º lugar.teve uma declaração de genuíno anti-portismo, numa conferência de imprensa após um sporting-benfica na temporada que terminou com o jejum de títulos leonino (derrota sportinguista com o golo do Sabry), isto quando o FC Porto era alheio àquela situação e quando o benfica apenas lutava pelo 4º lugar."

Há algum video, audio ou recorte de imprensa com essa declaração, já agora?

Miguel Lourenço Pereira disse...

"uanto às entradas “à Maxi” convêm recordar um benfica – FC Porto na Luz, que, se a memória não me atraiçoa, foi o jogo que ganhámos por 3-2 - com um golo de Timoft perto do fim – em que o Yuran teve uma entrada dura, desnecessária, às pernas de um jogador nosso – o Bandeirinha ou o Semedo já não me recordo bem qual – que em nada ficam a dever em agressividade às entradas do Maxi."

Uma andorinha realmente faz a Primavera!

Daniel Gonçalves disse...

"Eu adoro o novo processo de santificação do Maxi Pereira."

Eu defendi tal coisa? Para contra-argumentar o Miguel têm de deturpar as ideias dos outros?

Quanto às palavras do Maniche gostava eu haver gravações, mas de memória lembro-me de ele afirmar que entre o sporting e o FC Porto, na luta pelo título, preferia que ganhasse o sporting por simbolizar a honradez, o desportivismo, o brio nas vitórias em detrimento de um Clube sem classe como o nosso, que "ganhasse o sporting em vez do Clube de lá de cima" foram algo do género as palavras dele. Na altura ainda os anti-portistas não falavam em fruta mas deixou no ar a ideia de que nós só ganhávamos graças a batota, implicitamente foi o que ele afirmou, o que era a cassete que constantemente o Vale de Azevedo repetia.

Tiago Afonso disse...

Um jogador a Porto. Bold statement. Questao política. So depois de jogar. Saberemos.

PortoMaravilha disse...

Viva,

Não entendo porque é que é uma ma' contratação. Penso que os laterais têm cada vez mais um papel proponderante nos esquemas ta'cticos e, por essa razão, os bons laterais são cada vez mais procurados. A vinda dum lateral direito internacional uruguaio,com mais de 50 internacionalizações, e, paralelamente, conhecedor do campeonato português e da Europa parece ser uma mais valia. Note-se que a idade, como sino'nimo de experiência, pode ser um factor importante na formação.

Como não acredito no pai natal nem no coelhinho branco também não acredito na noção, na ideia de jogadores com - ou sem - mi'stica.

Acredito no profissionalismo.

Lembro-me do episo'dio do Américo, Pinto... ,si'mbolos fortes, na altura, do emblema Porto, serem "dispensados" por Pedroto. Não era Rui A'guas que actuou sob o comando de Artur Jorge uma referência na memo'ria do benfica? Outros exemplos também ja' aqui foram citados.

Quando se vive num Porto, lugar por excelência de partidas e vindas, de idas e voltas não se pergunta a quem chega de onde vem mas o que sabe fazer!

E Viva o Porto!

Lápis Azul e Branco disse...

Essa é porreira, vou mandar imprimir t-shirts (fifty-fifty?)

Paulo Azevedo disse...

Caro Miguel, desculpe mas essa do "perfil anti-Porto, cultivado durante anos" precisa de muito mais "provas" do. que o vídeo postado e uma entrada sobre o João Moutinho. É uma acusação grave que o senhor está a fazer a um jogador do FC Porto, publicamente. Sendo assim, eu quero ver, ouvir e ler em que factos o senhor se baseia para proferir tal acusação.

José Lopes disse...

Concordo, Jose Rodrigues. Nao esquecamos, no entanto, que caso continuemos a vender pelo menos dois jogadores por ano por valores altos e optemos por ficar com esse dinheiro contratando so jogadores baratos ou custo zero, havera sempre quem pergunte onde para o dinheiro das vendas. Ha exemplos para tudo. Mas sim, e' muito diferente criticar uma politica de contencao da SAD (anunciada) ou uma opiniao de um adepto num momento em que o clube investe em nomes sonantes. Obviamente, e' mais facil atacar o adepto, porque ha sempre quem faca todo o tipo de twists para defender a SAD, especialmente se se vir entrar nomes como Casillas ou Moutinho...

meirelesportuense disse...

Por mim nem Maxi nem Casillas viriam para o Porto. E digo porquê, o Casillas porque é já um veterano, tem um salário imenso e nós temos o Helton com veterania e qualidade suficientes para poder tranquilizar o treinador. Eu sei que ele veio de uma lesão e pode inclusive recidivar o que colocaria de imediato um problema sério, mas eu preferiria que contratassem um jogador tipo GR dos nossos Sub 21 que mostrou ter muita qualidade.Mas também acho que assim, com Casillas, temos dois enormes GRs a resguardarem o talento e a evolução do jovem Raul Gudiño. Um outro senão: uma possível secundarização da posição do Helton no plantel.
Quanto ao Maxi porque preferia que não fôssemos buscar elementos de referência dos nossos rivais, especialmente aqueles que mais criticamos ao longo do tempo. É uma questão de coerência, de princípios. Se ser lutador e dar tudo em campo é ser jogador à Porto, então é verdade, Maxi é um jogador que tem todos esses atributos.
-Posto isto, considero que "??ambos os dois??" irão ser reforços de peso.

Pedro disse...

Creio que ainda poucos perceberam a razão de ser deste tipo de linguagem e de artigo... o único objectivo deste conteúdo sem nexo ou argumentos é gerar respostas e comentários.

Coisas a sério temos de ler outros autores.

Este confunde contestação com brejeirice, e vale tudo. Desde dizer que a Taça Latina é oficial, a dizer que Maxi "insultou" o rival. Mentiras e mentiras à espera de algum tipo de aprovação. Talvez seja daqueles que deseja o mal só para provar que tem razão, não sei. Da minha parte... que Maxi seja muito feliz, é sinal que o meu clube, o nosso clube, é feliz.

Pedro disse...

Não conheço essa onda. Essa teoria de que quem na blogosfera não é por PC é atacado. Este blog é um bom exemplo de várias criticas nos últimos anos. Criticas sustentadas e que provocaram baos discussões.

Esse choradinho da liberdade de expressão.... quando alguém escreve algo ridiculo, merece ser chamado de tal.

Ainda não vi praticamente ninguém defender a contratação de Maxi... mas parece que existe uma onda... A única onda que vejo é uma vontade de ver coisas a correr mal no próprio clube. Essa sim é real, e não há Deus que valha.

haja pachorra!

DC disse...

A conclusão que se tira é que se esta direcção decidir mudar a cor do equipamento para vermelho e chamar ao clube Associação Recreativa de Contumil, também estará tudo bem.

E aos que dizem que o Miguel não pode falar pelos adeptos todos quando diz que é um atentado à nossa memória, se calhar essa frase é óptima para distinguir quem é fiel às memórias do clube e quem simplesmente é um carneirinho disposto a comer tudo o que lhe põem no prato.
Bater palminhas sabem todos.

José Rodrigues disse...

Coloco a seguinte pergunta, ja' agora: se perguntassem a um lamp ha' três meses atrás se Maxi era um «jogador à benfica», o que acham que respondiam?

A grande maioria responderia claramente que sim. Aliás, vi várias vezes conhecidos meus a usar a expressao de forma espontanea.

Será entao que «jogador à Porto» e «jogador à benfica» é a mesma coisa?

MrKoko disse...

Totalmente de acordo com o Pedro Mota e o DC.

Miguel Lourenço Pereira disse...

Danilo,

Gostava realmente de ler/ouvir/ver essas declarações. Entre o FC Porto e o Sporting é normal que nessa altura o Maniche publicamente torcesse pelo Sporting visto que é sportinguista desde pequeno - tendo inclusive tentado entrar na formação do Sporting antes que na do Benfica, sem sorte - e a titulo pessoal preferir um ao outro. Se há algo mais nessas declarações, sinta-se livre em partilhar!

Pedro Mota disse...

Ao Pedro se a onda não existe porque ficou tão incomodado com o comentário??!!..O seu comentário é bem elucidativo de tudo aquilo que escrevi, obrigado por me ajudar exemplificando o que me referia no comentário. Não é por você não conhecer ou ver que as coisas não são ou não existem. Tenha calma . não é preciso desmerecer com adjectivos como ridículo, só porque não se concorda.

Ribeiro DeepBlue disse...

Sue me...

meirelesportuense disse...

Aquilo que está subjacente a esse tipo de afirmação -ser ou não ser jogador à seja o que for-, é evidente que é a ideia de que um jogador tem que dar tudo o que tem ao Clube a que pertence nos jogos em que intervém. Não podemos ser assim tão inocentes. E isso é o que todos os Clubes desejam dos seus jogadores. É até absurdo e algo naif estarmos a discutir estas coisas.

Alexandre Burmester disse...

Esta frase do Miguel, se interpretada sem preconceito, não tem mal algum. Obviamente que o que ele quer dizer é que, NA SUA OPINIÃO, "foi uma vergonha e um atentado à memória dos adeptos". Parece-me perfeitamente claro e não entendo as reprovações.